Período Letivo: 2o. Semestre/2014 - 4a. Série 
Curso: Engenharia Civil 
Aula: 02 
APRESENTAÇÃO: 
Nome: Professora: Esp. Sa...
14. EXTENSÃO DO CONCEITO LEGAL DE ACIDENTE DO TRABALHO: 
Equiparam-se ao acidente do trabalho, as seguintes situações: 
A)...
Doença Profissional: 
É aquela produzida ou desencadeada pelo exercício do trabalho, peculiar a determinada atividade e qu...
EXEMPLOS DE DOENÇAS DO TRABALHO: 
Silicose: doença em trabalhadores expostos a poeiras inaláveis, provenientes da sílica (...
14. Continuação: (EXTENSÃO DO CONCEITO LEGAL DE ACIDENTE DO TRABALHO) 
C) O acidente sofrido pelo segurado no local e no h...
D) O acidente sofrido pelo segurado ainda que fora do local e horário de trabalho: 
• Na execução de ordem ou na realizaçã...
15.Consequências à Empresa-exemplos: 
• Paralisação da produção: tempo 
perdido, lucros cessantes; 
• Atraso no cronograma...
15.1 Consequências à Sociedade - exemplos: 
• Aumento dos dependentes da previdência; 
• Redução da força ativa do país; 
...
15.2 Consequências ao Trabalhador - exemplos: 
• Danos físicos: dor, invalidez, sequelas; 
• Danos psicológicos: medo, com...
16. LER / DORT 
São as denominações oficiais do Ministério 
da Saúde e da Previdência Social: 
•L.E.R. = Lesão por Esforço...
Atinge a capacidade motora dos membros superiores englobando um conjunto de doenças como: 
Tenossinovite (inflamação do te...
16.1 
FACULDADE ANHANGUERA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS
16.2 Como se adquire um distúrbio osteomuscular relacionado ao trabalho? 
Quando um ou mais dos seguintes fatores organiza...
17. O corpo humano 
Modelo biomecânico do corpo humano, composto de articulações. ( Kroemer, 1999)
17.1 Coluna vertebral
17.2 Deformações típicas da coluna vertebral. 
Lordose: por exemplo um garçom que carrega uma bandeja pesada com os braços...
FACULDADE ANHANGUERA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS 
17.3 Atenção com a má postura:
Incline a superfície de trabalho em vez do pulso
Mantenha os cotovelos junto ao corpo 
Evite dobrar-se sobre o trabalho
Use uma escada 
Dobre a ferramenta e não o pulso
18. Aspectos que influenciam a ergonomia
19. INTERVENÇÃO DA ERGONOMIA 
Quando se aplicam conceitos ergonômicos na empresa, desde o estudo de pausas até as condiçõe...
b) ERGONOMIA DE CORREÇÃO 
Aplicada em situações já existentes para resolver problemas de fadiga, doenças, acidentes, quali...
c)ERGONOMIA DE CONSCIENTIZAÇÃO 
O projeto sofre mudanças gradativas e adaptativas, devido as novas tecnologias, pesquisas ...
19. 1 Soluções ergonômicas
20. Medidas para espaço de trabalho
Dimensões recomendadas para alturas de mesas, conjugadas com altura de cadeiras e apoio para os pés, a fim acomodar as dif...
Alcances ótimos e máximos na mesa, na postura sentada.
Alturas recomendadas para as superfícies horizontais de trabalho, na postura de pé
Espaço para os pés facilita a postura ereta
Aula 02 4 a
Aula 02 4 a
Aula 02 4 a
Aula 02 4 a
Aula 02 4 a
Aula 02 4 a
Aula 02 4 a
Aula 02 4 a
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Aula 02 4 a

611 visualizações

Publicada em

estudos

Publicada em: Serviços
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
611
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula 02 4 a

  1. 1. Período Letivo: 2o. Semestre/2014 - 4a. Série Curso: Engenharia Civil Aula: 02 APRESENTAÇÃO: Nome: Professora: Esp. Sandra Silva Santos Graduação: Arquitetura e Urbanismo Pós-Graduação: MBA Executivo em Gerenciamento de Empreendimentos Ergonomia e Segurança do Trabalho FACULDADE ANHANGUERA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS
  2. 2. 14. EXTENSÃO DO CONCEITO LEGAL DE ACIDENTE DO TRABALHO: Equiparam-se ao acidente do trabalho, as seguintes situações: A) O acidente ligado ao trabalho que, embora não seja a causa única, tenha contribuído diretamente, para morte, redução ou perda, ou ainda produzido lesão, que exija atenção médica, para a recuperação do segurado. B) Doença (profissional e do trabalho) proveniente de contaminação acidental do empregado, no exercício do trabalho. FACULDADE ANHANGUERA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS
  3. 3. Doença Profissional: É aquela produzida ou desencadeada pelo exercício do trabalho, peculiar a determinada atividade e que conste na relação elaborada pelo Ministério do Trabalho. FACULDADE ANHANGUERA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS
  4. 4. EXEMPLOS DE DOENÇAS DO TRABALHO: Silicose: doença em trabalhadores expostos a poeiras inaláveis, provenientes da sílica (é uma doença respiratória). Saturnismo: doença em trabalhadores expostos a vapores de chumbo (dor de cabeça aguda, paralisia motora, dores articulares, irritabilidade, neurites óticas, comportamento maníaco, distúrbios mentais gerais). Leucopenia: doença em trabalhadores expostos a vapores de solventes orgânicos voláteis (é a redução global do número dos glóbulos brancos no sangue) Catarata: doença em trabalhadores expostos a raios ultra violeta e infravermelho (é uma opacidade do cristalino-lente natural do olho). Surdez: doença em trabalhadores expostos a condições de ruído excessivo. Tendinite: doença em trabalhadores expostos a movimentos repetitivos de membros do corpo (é a inflamação de um tendão).
  5. 5. 14. Continuação: (EXTENSÃO DO CONCEITO LEGAL DE ACIDENTE DO TRABALHO) C) O acidente sofrido pelo segurado no local e no horário de trabalho, em consequência de: • Ato de agressão, sabotagem ou terrorismo; • Ofensa física intencional; • Ato de imprudência (excesso de confiança), de negligência (falta de atenção) ou de imperícia (inabilitação); • Ato de pessoa privada da razão (por exemplo, o louco); • Desabamento, inundação, incêndio e outros casos fortuitos. FACULDADE ANHANGUERA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS
  6. 6. D) O acidente sofrido pelo segurado ainda que fora do local e horário de trabalho: • Na execução de ordem ou na realização de serviço sob a autoridade da empresa; • Na prestação espontânea de qualquer serviço à empresa para evitar-lhe prejuízo ou proporcionar-lhe proveito; • Em viagem, a serviço da empresa, inclusive para estudo quando financiado por esta, dentro de seus planos para melhor capacitação da mão-de-obra, independentemente do meio de locomoção utilizado; • No percurso da residência para o local de trabalho, ou deste para aquela, qualquer que seja o meio de locomoção, inclusive veículo de propriedade do segurado. FACULDADE ANHANGUERA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS
  7. 7. 15.Consequências à Empresa-exemplos: • Paralisação da produção: tempo perdido, lucros cessantes; • Atraso no cronograma: multas contratuais, custos de seguro; •Dano material: perda de produção, retrabalho, reposição de material; •Dano pessoal: deslocamento, substituição ou contratação de pessoal; • Redução da produtividade: perda de material / pessoal treinado; • Dano ambiental: correção do dano; multas; • Custo de investigação: mobilização interna / externa; • Despesas legais: processos civis, penais e trabalhistas: indenizações; • Horas extras: maior custo operacional e menor produtividade; • Danos à imagem: perda de confiança, má fama: perda de clientes. FACULDADE ANHANGUERA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS
  8. 8. 15.1 Consequências à Sociedade - exemplos: • Aumento dos dependentes da previdência; • Redução da força ativa do país; • Aumento da utilização dos serviços comunitários; • Redução da arrecadação previdenciária; • Aumento de benefícios e serviços (auxílios, aposentadoria, pecúlio); • Redução no número de leitos hospitalares; • Aumento dos tributos (impostos e taxas); • Redução do moral dos trabalhadores; • Aumento do custo de matéria-prima, insumos e produtos. FACULDADE ANHANGUERA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS
  9. 9. 15.2 Consequências ao Trabalhador - exemplos: • Danos físicos: dor, invalidez, sequelas; • Danos psicológicos: medo, complexo, traumas; • Perda financeira: menor renda: auxílio / aposentadoria / pecúlio (embora extinto, o pecúlio ainda é devido aos aposentados que tenham contribuições posteriores à aposentadoria, mas anteriores a 03/1994. Pago a partir do momento em que o trabalhador se desligar definitivamente de sua atividade); • Aumento de despesas: cuidados especiais; • Redução de ganho: carreira prejudicada, menores oportunidades; • Emprego limitado: criação de subemprego para complemento salarial; • Replanejamento familiar: recuperação do orçamento doméstico; FACULDADE ANHANGUERA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS
  10. 10. 16. LER / DORT São as denominações oficiais do Ministério da Saúde e da Previdência Social: •L.E.R. = Lesão por Esforço Repetitivo (definição mais antiga) •D.O.R.T. = Distúrbio Osteomuscular Relacionado ao Trabalho. São lesões ocorridas em ligamentos, músculos, tendões e em outros segmentos corporais relacionadas com o uso repetitivo de movimentos, posturas inadequadas e outros fatores como a força excessiva. Não resultam de lesões súbitas, resultam de traumatismos de fraca intensidade e repetidos durante longos períodos sobre as estruturas musculoesqueléticas normais ou alteradas. Os sinais clínicos são variáveis. Em geral: dor associada de maneira mais ou menos pronunciada a um desconforto.
  11. 11. Atinge a capacidade motora dos membros superiores englobando um conjunto de doenças como: Tenossinovite (inflamação do tecido que reveste os tendões), Tendinite (inflamação nos tendões), Picondilite (inflamação das estruturas do cotovelo), Bursite (inflamação nas articulações dos ombros), Miosites (inflamação dos músculos), Síndrome Cervicobraquial (compressão dos nervos da coluna cervical), entre outros. Nas crises agudas de dor, o tratamento inclui o uso de anti- inflamatórios e repouso das estruturas comprometidas. Nas fases mais avançadas da síndrome, a aplicação de corticoides, fisioterapia e intervenção cirúrgica são recursos terapêuticos que podem ser considerados. FACULDADE ANHANGUERA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS
  12. 12. 16.1 FACULDADE ANHANGUERA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS
  13. 13. 16.2 Como se adquire um distúrbio osteomuscular relacionado ao trabalho? Quando um ou mais dos seguintes fatores organizacionais no ambiente de trabalho não são respeitados: • Treinamento e condicionamento (técnicas para execução de tarefas); • Local de trabalho adequado (piso, superfície, barulho, umidade, ventilação); • temperatura, iluminação, distanciamentos, angulações, etc.; • Ferramentas, utensílios, acessórios e mobiliários adequados; • Duração das jornadas de trabalho; • Intervalos apropriados; • Posturas adequadas; • Respeito aos limites biomecânicos (força, repetitividade, manutenção de posturas específicas por períodos prolongados). Portanto, um ambiente de trabalho organizado reduz muito a possibilidade de um indivíduo desencadear um distúrbio musculoesquelético.
  14. 14. 17. O corpo humano Modelo biomecânico do corpo humano, composto de articulações. ( Kroemer, 1999)
  15. 15. 17.1 Coluna vertebral
  16. 16. 17.2 Deformações típicas da coluna vertebral. Lordose: por exemplo um garçom que carrega uma bandeja pesada com os braços mantidos na frente do corpo. Cifose: acentuasse nas pessoas muito idosas. Escoliose: evolução da doença a partir da infância, degeneração assimétrica dos elementos da coluna.
  17. 17. FACULDADE ANHANGUERA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS 17.3 Atenção com a má postura:
  18. 18. Incline a superfície de trabalho em vez do pulso
  19. 19. Mantenha os cotovelos junto ao corpo Evite dobrar-se sobre o trabalho
  20. 20. Use uma escada Dobre a ferramenta e não o pulso
  21. 21. 18. Aspectos que influenciam a ergonomia
  22. 22. 19. INTERVENÇÃO DA ERGONOMIA Quando se aplicam conceitos ergonômicos na empresa, desde o estudo de pausas até as condições posturais do trabalhador, recorre-se a avaliação ergonômica do trabalho (AET). a) ERGONOMIA DE CONCEPÇÃO Define a concepção ergonômica, se dá no início do produto, na máquina ou no ambiente. São utilizados protótipos para análises e ensaios. •Interfere amplamente no projeto do posto de trabalho, do instrumento, da máquina ou do sistema de produção. •Planejamento do mobiliário, EPI. •Redimensionamento do posto de trabalho, de modo que os controles, botões, pedais, permaneçam ao alcance motor e visual do trabalhador. •Verificação da iluminação no posto de trabalho, •Do conforto térmico e da ventilação. FACULDADE ANHANGUERA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS
  23. 23. b) ERGONOMIA DE CORREÇÃO Aplicada em situações já existentes para resolver problemas de fadiga, doenças, acidentes, qualidade do trabalho e produção. •Expansão e ampliação de máquinas, •Remanejamento de luminárias, •Adoção de normas, •Mudança de cores, •Atua de maneira restrita modificando os elementos parciais do posto de trabalho. •Resolve problemas existentes de segurança, • Conforto: calor, ruído... •Reduzir a força aplicada (usar equipamentos auxiliares) FACULDADE ANHANGUERA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS
  24. 24. c)ERGONOMIA DE CONSCIENTIZAÇÃO O projeto sofre mudanças gradativas e adaptativas, devido as novas tecnologias, pesquisas e interferências ambientais. •Mudanças de pessoas, equipamentos, máquinas e reprogramação da produção, •Problemas ergonômicos não solucionados nas fases de correção e/ou concepção. • Novos problemas: Desgaste de máquinas, modificações introduzidas, alteração de produtos e da programação, novos acessórios. • Ensina o trabalhador a usufruir dos benefícios de seu posto de trabalho: boa postura, uso adequado de mobiliários e equipamentos, implantação de pausas, ginástica laborativa (atividade física coletiva), reduzir movimentos repetitivos, caminhar nas pausas de trabalho. FACULDADE ANHANGUERA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS
  25. 25. 19. 1 Soluções ergonômicas
  26. 26. 20. Medidas para espaço de trabalho
  27. 27. Dimensões recomendadas para alturas de mesas, conjugadas com altura de cadeiras e apoio para os pés, a fim acomodar as diferenças antropométricas dos usuários.
  28. 28. Alcances ótimos e máximos na mesa, na postura sentada.
  29. 29. Alturas recomendadas para as superfícies horizontais de trabalho, na postura de pé
  30. 30. Espaço para os pés facilita a postura ereta

×