O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

de

Seminário Capital Natural: A Nova Revolução Económica Slide 1
Próximos SlideShares
Biodiversity and the Food and Drink Sector
Avançar
Transfira para ler offline e ver em ecrã inteiro.

0 gostaram

Compartilhar

Baixar para ler offline

Seminário Capital Natural: A Nova Revolução Económica

Baixar para ler offline

Apesar das novas tecnologias, os limites do Planeta estão a ser excedidos e os sistemas vivos encontram-se em declínio. A economia do futuro terá de incorporar o valor da biodiversidade e dos serviços dos ecossistemas, para garantir a própria sustentabilidade de sectores económicos-chave.

Livros relacionados

Gratuito durante 30 dias do Scribd

Ver tudo
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Seminário Capital Natural: A Nova Revolução Económica

  1. 1. Capital Natural: A Nova Revolução Económica Data: 28.03.2011 Horário: 15:00h – 17:00h Local: Auditório 2 do Instituto Superior de Gestão / Grupo Lusófona Rua Vitorino Nemésio, 5 - 1750-306 Ameixoeira, Lisboa Organização: CIGEST | Sustentabilidade - Instituto Superior de Gestão, Grupo Lusófona Projecto Empresas e Biodiversidade – Quercus Associação Nacional de Conservação da Natureza ENTRADA LIVRE Enquadramento Nas últimas décadas os ambientalistas não se têm cansado de avisar que as actividades económicas estão a exceder os limites do Planeta. Em resposta, procura-se evitar esses limites contornando o problema com novas tecnologias mais eficientes. No entanto os sistemas vivos continuam claramente em declínio, criando também riscos para a sustentabilidade de actividades económicas-chave. A internalização do valor dos serviços dos ecossistemas e da biodiversidade será um dos pilares para conciliar o conflito e desenvolver uma verdadeira economia verde, afinal a única possível. Se no último milénio a demanda energética foi o ponto central do desenvolvimento económico, o próximo milénio será certamente o dos recursos naturais. PROGRAMA 15:00h – Abertura e Assinatura de Protocolo entre a Quercus e a Ensinus Dr.ª Maria da Conceição Soeiro (Administradora da COFAC, Membro da Direcção da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias), Dr. Carlos Vieira (Administrador da Ensinus – Instituto Superior de Gestão) e Eng.ª Carla Graça (Direcção Nacional da Quercus) 15:20h – Um ponto de viragem: A Avaliação do Milénio dos Ecossistemas Dr.ª Vânia Proença, Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa 15:40h – Economia da Biodiversidade e dos Ecossistemas: Primeiros Passos Dr. Nuno Oliveira, CIGEST | Sustentabilidade, Instituto Superior de Gestão 16:00h – Banca e Ambiente - Recursos Naturais e Análise de Risco Dr.ª Sofia Santos, Sustentare 16:20h – Mobilizar as Empresas e os Mercados - O Projecto Empresas e Biodiversidade Dr.ª Paula Silva, Quercus 16:40h – Discussão 17:00h – Encerramento Mais informações: eventos@empresasebiodiversidade.org

Apesar das novas tecnologias, os limites do Planeta estão a ser excedidos e os sistemas vivos encontram-se em declínio. A economia do futuro terá de incorporar o valor da biodiversidade e dos serviços dos ecossistemas, para garantir a própria sustentabilidade de sectores económicos-chave.

Vistos

Vistos totais

2.193

No Slideshare

0

De incorporações

0

Número de incorporações

3

Ações

Baixados

2

Compartilhados

0

Comentários

0

Curtir

0

×