Resumo teórico de taxonomia

6.247 visualizações

Publicada em

2 comentários
10 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.247
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
298
Comentários
2
Gostaram
10
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Resumo teórico de taxonomia

  1. 1. Resumo teórico de Taxonomia – Prof. Emanuel COMO CLASSIFICAR OS ORGANISMOS Os humanos sempre sentiram necessidade de agrupar osorganismos na natureza, a fim de compreender a diversidadebiológica e facilitar seu estudo. O mais conhecido Sistema de Classificação dos seres vivos foiproposto por Carolus Linnaeus em meados do século 18. Ele criouo que chamamos de Sistemática Clássica, que utiliza de todas ascaracterísticas observadas num determinado organismo paraclassificá-lo dentro de categorias taxonômicas organizadas numahierarquia. A Sistemática Clássica é responsáevel pela criação deReinos, Classes, Ordens, e fundamentalmente, Gêneros eEspécies.Sistemática é a ciência que procura classificar os diversos seresvivos e relacioná-los evolutivamente, expressando-se em sistemastaxonómicos. Para isso, reúne conhecimentos e dados de outrasáreas. A taxonomia, por sua vez, trata da ordenação edenominação dos seres vivos, agrupando-os de acordo com o seugrau de semelhança. A taxonomia pretende separar os organismospor espécies, descrevendo as características que distinguem umaespécie da outra e ordenando as espécies por categoriastaxonómicas. Por fim, a nomenclatura tem a função de designarcientificamente os grupos taxonómicos, de acordo com certasregras universalmente estabelecidas.O ramo da ciência que se responsabiliza pela classificação dosseres vivos – sistemática, teve início no século IV a.C. porAristóteles, que ordenou os animais consoante o seu modo dereprodução e o seu tipo de sangue: vermelho ou não vermelho. Apartir dos séculos XVII e XVIII os botânicos e zoólogos começarama esboçar um sistema de categorias de classificação. Em 1758,Lineu fez o primeiro trabalho extensivo de categorização, que aindaserve de base actualmente.
  2. 2. Resumo teórico de Taxonomia – Prof. EmanuelComo já foi referido, a ciência sistemática é caracterizada poraglomerar conhecimentos de varias áreas ligadas à biologia.Quando foi criado o primeiro sistema de classificação, porAristóteles, as ferramentas utilizadas para a classificação dos seresvivos eram muito rudimentares, a ciência ainda não estava emdesenvolvimento. Foi a partir do século XVII que começou o grandeavanço na área da ciência com Galileu e Descartes. Em 1758 já senotava significativamente o progresso obtido na ciência, através dovasto trabalho de categorização de Lineu. Neste momento asferramentas utilizadas são muito mais avançadas e tendem aevoluir cada vez mais. Dada a constante evolução das tecnologias eo progresso a nível do conhecimento científico, a sistemáticatambém evoluiu, uma vez que esta reúne conhecimentos de áreas asi ligadas. Actualmente tem-se recorrido à biologia molecular quepermite comparar os diferentes códigos genéticos, e futuramente,com certeza, serão utilizados outros métodos para odesenvolvimento da ciência sistemáticaA classificação feita por Whittaker em 1969, reconhece cinco reinos:Plantae, Animalia, Fungi, Protista e Monera. Whittaker propõeinicialmente, dois critérios de classificação:
  3. 3. Resumo teórico de Taxonomia – Prof. Emanuel- Celularidade: unicelulares ou multicelulares;- Modo de nutrição: Autotróficos (fotossíntese); heterotróficos(ingestão e absorção).Depois destes dois critérios foram acrescentados mais dois, quefizeram constituir a classificação de Whittaker (modificada). Assim osistema passou a ter os seguintes critérios:- Celularidade: unicelulares ou multicelulares;- Modo de nutrição: Autotróficos (fotossíntese e quimiossíntese);heterotróficos (ingestão e absorção).- Tipo de células: Procarióticas e eucarióticas;- Interação nos ecossistemas: Produtores, consumidores.Whittaker substituiu as relações filogenéticas (evolutivas) por umaclassificação ecológica, tornando a sua classificação mais simples eobjectiva.No ano de 1990, Carl Woese, criou um novo sistema declassificação, em que os seres não eram classificados em reinos
  4. 4. Resumo teórico de Taxonomia – Prof. Emanuelmas sim em domínios. Por domínio entende-se cada um dos trêsclades propostos por Woese para, de certa forma, substituir osreinos. Uma clade é um grupo de seres vivos que se relacionamevolutivamente. Woese e os seus colegas usaram as investigaçõesrealizadas a nível do genoma e concluíram que o grupo dos seresprocariontes se pode dividir em dois. Assim, obtemos três grandesdomínios:Bacteria, Archaea e Eukarya. Como critérios para estaclassificação, Carl Woese utilizou a comparação genética. Estaclassificação tem em vista apenas as relações filogenéticas entre osseres, o que a torna mais complexa, por outro lado, é umaclassificação mais abrangente uma vez que divide todos os seresem três grandes domínios.
  5. 5. Resumo teórico de Taxonomia – Prof. Emanuel Evolução dos sistemas de classificaçãoOs domínios de WooseWoese e Fox revolucionaram o pensamento científico quando,baseados na análise de seqüências de RNAr, propuseram umabipartição dos procariontes em Eubacteria e Archaeabacteria,posteriormente renomeados Archaea e Bacteria (Woese et al.,1990). Com esta proposta o mundo vivo passou a ser classificadoem três grandes domínios: Bacteria, Archaea e Eukarya. Osmembros de dois destes domínios, Archaea e Bacteria, sãoconsiderados procariontes porque não apresentam uma cariotecacompartimentalizando o cromossomo e nem as organelas típicas deeucariontes; na classificação de Whittaker (5 reinos) pertencem aoreino Monera. Em geral o seu genoma está organizado num grandecromossomo circular, ocasionalmente acompanhado de um ou maisplasmídios. Estes dois domínios diferem na composição do RNA
  6. 6. Resumo teórico de Taxonomia – Prof. Emanuelribossômico, na estrutura da parede celular e no metabolismo. Osurgimento da carioteca identifica os Eucarya que incluem, além deanimais e vegetais, os fungos e os protistas. As tabelas a seguirapresentam algumas semelhanças e diferenças entre os trêsdomínios.O ramo que originou as Arqueobactérias teria, mais tarde, originadoos eucariontes (Eukarya). Considera-se que as arqueobactériasatuais sofreram poucas alterações, em relação aos seus ancestrais.Estes procariontes vivem em locais com condições extremamenteadversas para outros seres vivos, provavelmente semelhantes àsque existiriam na Terra primitiva
  7. 7. Resumo teórico de Taxonomia – Prof. Emanuel As arqueobactérias podem ser divididas em três grandes gruposprincipais:a) Halófilas - Vivem em concentrações salinas extremas, dezenasde vezes mais salgadas que a água do mar, em locais comosalinas, lagos de sal ou soda, etc. A sua temperatura ótima é entre35 e 50ºC. Estas bactérias são autotróficas, mas o seu mecanismode produção de ATP é radicalmente diferente do habitual pois
  8. 8. Resumo teórico de Taxonomia – Prof. Emanuelutilizam um pigmento vermelho único - bacteriorrodopsina - quefunciona como uma bomba de prótons (como os da fosforilaçãooxidativa nas mitocôndrias) que lhes permite obter energia;b) Metanogênicas - Este grupo de bactérias foi o primeiro a serreconhecido como único. Vivem em pântanos, no fundo dosoceanos, estações de tratamento de esgotos e no tubo digestivodos ruminantes, onde produzem metano (CH4) como resultado dadegradação da celulose. As reservas de gás natural queconhecemos são o resultado do metabolismo anaeróbio obrigatórioe produtor de metano de bactérias deste tipo no passado. Algumasconseguem produzir metano a partir de CO2 e H2, obtendo energiadesse processo. O gênero Methanosarcina consegue fixarnitrogênio atmosférico, capacidade que se julgava única daseubactérias;c) Termoacidófilas - Vivem em zonas de águas termais ácidas,com temperaturas ótimas entre 70 e 150ºC e valores de pH ótimoperto do 1. Na sua grande maioria utilizam enxofre. Podem serquimioautotróficas, obtendo energia da oxidação do ácido sulfídrico(H2S) a partir do enxofre, ou heterotróficas.

×