Combustíveis e energia

13.036 visualizações

Publicada em

Textos sobre combustíveis e energia do livro Química e Sociedade - "PEQUIS".

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
13.036
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
440
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
33
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Combustíveis e energia

  1. 1. o PETRÓLEO COMO COMBUSTÍVEL da nucleossíntese do Hélio, chega à Terra e se con- verte em outras formas de energia, e estas, por sua vez, sofrem novas conversões. Falamos muito sobre energia porque não vive- mos sem ela. Mas o que é energia? Esse é um con- ceito complexo. No século XVIII, os físicos definiram Você consegue imaginar como seria a vida sem energia como a capacidade de realizar trabalho.a existência da energia? Mais recentemente, considera-se energia aquilo que Quem conseguir realmente tem muita imagina- deve ser fornecido ou retirado de um sistema - par-ção, pois não é possível vida sem energia. Podería- te do universo em estudo - para movimentá-Io oumos até dizer, sem medo de estarmos sendo místi- transformá-Io.cos, que vida é energia. Pois, apesar de o Universo A busca da humanidade por fontes de energiaser constituído por massa e energia, sabemos hoje está intimamente ligada ao desenvolvimento da ci-que massa pode ser convertida em energia e vice- vilização. Sem energia, qualquer sociedade pára! Por ersa. É o que acontece nas explosões estelares e isso, é necessário aperfeiçoar processos de trans- os reatores nucleàres. formação de energia. Esses processos dependem Da formação das estrelas às profundezas da da disponibilidade de fontes primárias de energia, deerra, a energia - que inclusive foi o ponto de parti- condições tecnológicas para a produção e, sobre-a da grande explosão que deu origem ao universo, tudo atualmente, dos efeitos ambientais decorrentes Big Bang - está presente nos mais diversos espa- de sua utilização. s e elementos. O Sol, fonte primária de energia do planeta Ter-ra. nos ilumina e fornece energia para todos os pro-cessos de vida. A energia por ele emitida, advinda ~------------------,< DIAGRAMA DE THIRING :li o diagrama de Thiring lista alguns proassos ele interconversão de diferentes funnas dr ~
  2. 2. o ouro negro Posteriormente, a iluminação pública começou a ser feita com lampiões a petróleo, em substituição a A exploração do petróleo como fonte energética óleos animais. No entanto, a grande revolução do pe-mudou drasticamente a história do uso da energia tróleo ocorreu com a invenção dos motores de com-na sociedade, nos últimos 100 anos. bustão interna e a produção de automóveis em O petróleo passou a ser a principal fonte de grande escala. Esse fato causou uma revi-energia para diversos setores de atividades econômi- ravolta e a gasolina passou a ser uma dascas. Como é um recurso esgotável, é preciso frações mais importantes do petróleo.desenvolver alternativas que o substituam. Em vista Hoje, estamos mergulhados na civi-disso, está ocorrendo uma nova revolução tecnológi- lização do petróleo, que além de serca, que já começamos a presenciar no final do sécu- uma onte básica de combustível paralo passado e e erá se consolidar no presente sécu- os . cipais meios de transporte, é ~ •..lo. Conhece um pouco mais sobre essa história é até ia-orírna estratégica para boa _ ~compree e u os aspectos de nossa sociedade. arte s produtos químicos usados ~- O pe - eo á era conhecido desde a Idade Anti- . - e te em diversos materiais. • Aga. o Eg o. era u ílizado para iluminação, imperrnea- -... pas e calçados de nái- ;., <~t.=,?, 11.-:."-bilização trução de pirâmides e emba s objetos de plástico, di-sama . Era também empregadoremédi u:. s -= e cálculos renais, esco: e como tônico para __ ~::=---~= e~~ ~~~~~ ~, .• •. -~-i;r _~.DRA" ~ e extraí-lo não e como comrios. ,....:=-- - ,"-"~- Previsão de duração da reserva 90 1017,5 30,0 18,1 anos 9,8 216,7 6,4 37,4 anos Europa 9,2 759,6 22,4 8,4 anos Antiga U 10,3 184,4 5,4 24,8 anos Oriente 7 31,2 204,2 6,0 83,2 anos África 1 10,2 112,0, 3,3 28,0 anos Ásia 365,4 10,4 894,6 26,4 15,9 anos Total 1052,9 00,0 3518,9 100,0 3389,0 100,0 41,0 anosFc:tte: A;if:roa "eocna ce ~ êeeca, ::Ieer1!l;l2.~~~~~.2!X2...=-=- Cerca de 2/3 das reservas confirmadas de petróleo estão localizadas no Oriente Médio; no entanto, esta região utiliza apenas 6% do consumo mundial. Os Estados Unidos e a Europa, que juntos possuem somente 10% das reservas petrolíferas, consomem cerca de 50% do petróleo mundial.
  3. 3. e 2fao::::.o gra e pe a atriz energé íca zem menos respo sá e pelo setor de ra s e c:C"i":25:a<;a"o essa depen- d de 10% da energia elétrica consumida. 3-1974, desen- Para o Brasil, a previsão do término do ores resolveram não é desesperadora como para diversos e era feita por gran- países. Temos um grande potencial energético. variadas fontes disponíveis: gás natural, xisto e Cá - rvas de petróleo se vão mineral, além de enormes potenciais hidráulico. ~ fontes "élS de energia. eólico, solar e de biocombustíveis como o álcool e JilIiit::::r::âC«lessa fonte de energia gera o biodiesel (veja assunto nos próximos capítulos).__ iIIIK. .1a:1err.a!s, ""....,.. .•..• _""..:a·s.Por isso, o Brasil vem Apesar da riqueza energética brasileira, sabe- --~,-:-.y "lento de fontes renováveis mos que a utilização de quaisquer desses poten- joJCO..A.J<:,,,as centrais hidrelétricas e ciais depende de fatores políticos, geográficos, soci- entar a participação dessas ais e estratégicos. Algumas dessas questões e os rgética nacional. processos químicos associados às transformações ,:;:r.~ifl-:JIé m bom exemplo de programa energéticas serão estudados no presente capítulo. o para o uso de -:-- ustível. Atualmente, ,"",~-...-~=~em programas para s 8,5 milhões =-- gía eólica, bio- 8,1 milhões ;:, er.ergla solar. Esta sido muito utiliza- ;:,~ comunidades iso- e que não dispõem e energética. Produção diária de 825 mil • barris País Argentina Brasil Canadá Venezuela México EUA Arábia Saudita Pr-odução de petróleo de alguns países em 2001 com destaque para os maiores produtores americanos. O Brasil é o J quinto produtor americano e o 15? mundial. Ao mesmo tempo, é o sétimo consumidor mundial.~: WYW.petroequimica.com.br/edicoes/ed_240/ed_240b.html, acessado em 10/03/2005. o Cite duas importantes aplicações do pe- tróleo para a nossa sociedade. fJ Desde quando o petróleo é conhecido e como ele era utilizado no passado? 11 Por que temos hoje a necessidade de buscar fontes de energia que substituam o petróleo? D Considerando o avanço tecnológico nossa sociedade, você acha que o no das reservas de petróleo vai g caos no mundo inteiro? JU~IJII.IUC resposta.
  4. 4. s embarque, e grandes petroleiros dão seqüência ao sporte, até que ele chegue aos terminais maríti- da região de seu destino. Novamente, através eodutos, é bombeado até as refinarias, onde a separação de seus constituintes será processada. O número de átomos de carbono presentes nas - ulas é uma condição fundamental para a sepa- ração dos hidrocarbonetos que constituem o petró- . À medida que aumenta o número de átomos das léculas, as características das substâncias, como estado de agregação, são alteradas. Substâncias Da extração do pe - orgânicas cujas moléculas possuem poucos átomoshidrocarbonetos, há u de carbono são gasosas; as que possuem númeroextraído do subsolo, da . ermediário de átomos são líquidas; e as substân-tróleo é transportado cias cujas moléculas são maiores são sólidas. Entretanto, normalmente não se separam subs- tâncias do petróleo e, sim, frações de substâncias com propriedades físicas semelhantes. Assim, o pi- che, por exemplo, é sólido; a gasolina e o óleo diesel são líquidos; e o GLP (gás liquefeito de petróleo ou gás de cozinha) é gasoso. O desafio do refino é jus- tamente separar a complexa mistura de hidrocar- bonetos, que é o petróleo, em frações mais simples, com menor diversidade de componentes: frações do petróleo. TIntas, fibras sintéticas, cosméticos, dissolventes plásticos, detergentes e medicamentos. Querosene Combustivellndustrial ~ ã~ Óleos lubrificantes "itJ~ """"--- Massas lubrificantes .tJ <~------------------------~
  5. 5. o processo utilizado nas refinarias para separ r . Os vapores não condensados passam paraessas frações é conhecido como destilação fracio- dejas superiores, até encontrar bandejas nasnada. Nela, o fator determinante é a temperatura de se liquefaçam. Isso ocorre sucessivamente ao Iebulição de cada substância. de toda a coluna, que pode ser equipada com até Inicialmente, o petróleo bruto é aquecido em for- bandejas. Como é difícil separar de uma maneiranos, sendo parcialmente vaporizado e direcionado ciente, as frações da primeira destilação fraciona apara colunas de fracionamento providas de várias passam por outras colunas.bandejas. As temperaturas das colunas variam com O quadro seguinte apresenta algumas fraçõesa altura, sendo que no topo verificam-se as menores obtidas pelo refino de petróleo e a sua utilização.temperaturas. Analisando o quadro, observe que os hidrocar- Os hidrocarbonetos cujas moléculas são maio- bonetos com até quatro átomos de carbono sãores - maiores massas molares -, ainda líquidos, gases a temperatura ambiente. Os que possuem depermanecem no fundo, os mais leves são vaporiza- cinco a 17 átomos de carbono são líquidos, e osdos e sobem pela coluna. Quando esses vapores maiores são sólidos.atingem bandejas de temperaturas inferiores àssuas temperaturas de ebulição, condensam-se esaem da coluna. - deClaC4 deC5aC6 20-60 deC6a~ 60-100 de C6 a ~2 50-200 de Cl0 a C14 150-275 deC12a~ de~aCas
  6. 6. Gasolina, a -- ._+- o A indústria petroquímica petróleo o petróleo, além de sua utilização como com- bustível, tem larga aplicação industrial, como Por ser o cornbustr.e _--"ccuo.: matéria-prima para a produção de enorme diversi- automóveis, a gas dade de outras substâncias, obtidas pela adição de tróleo que geram átomos de outros elementos químicos às suas tria petroleira. oléculas, ou pela quebra de moléculas grandes Ela correspon e a e moléculas menores. . netos que apresenta . dústria que utiliza o petróleo como matéria- bono em suas rnolé para transformá-Io em outras substâncias é a por moléculas menor~. a- - - - te::::D~!C.Jra petroquíniica. Os principais produtos dessa indús- ebulição relativame e - - vorece sua utilizaçã bustíveis e os plásticos. A reação de --- grande quan da e sui, e consideranoo-se ~ PENSE, DEBATA E ENTENDA tro e a boa anUdalje. na um combustfve. do processo usado para 5eJlar.ar as erentes frações do petróleo? e as íncipais frações do petróleo. O que têm em comum as substâncias de uma mesma fração do petróleo? 11 Em que fração do petróleo existe maior variedade de substâncias: no gás liquefeito de petróleo (GLP) ou no querosene? Jus- tifique. li Qual a importância de aproveitar tecnolo- gicamente todas as frações do petróleo? ~ Debata sobre as possíveis razões pelas quais o Brasil ainda não tem explorado su- ficientemente o gás natural. ~ Com base nas frações de petróleo, expli- que por que o Brasil pode, em determina- das épocas, exportar gasolina e necessi- tar importar óleo diesel ou vice-versa. D Debata com seus colegas sobre medidas que poderiam ser adotadas para evitar tal situação.II •
  7. 7. E ENERGIA Na escolha de um combustível, em função da aplicação a ser feita, consideram-se propriedades fí- sicas e químicas, tais como volatilidade e reativida- de. Além disso, é fundamental determinar seu po- tencial energético, ou seja, a quantidade de energia Como estud produzida por unidade de massa ou de volume (veja leo tem diversas a tabela abaixo). sua utilização co A combustão de materiais como álcool, gasoli- recurso não-renovãvei. na e óleo diesel é utilizada para fazer funcionar mo- dias contados e. orcr.i?~·~o:-t= ~L~, ~ tores. Nela, o combustível é misturado ao ar e le- 10 o petróleo ã vado aos cilindros, onde é queimado ao receber de combu e. uma faísca. Mas po como COIIlUU::>; .. ~. a PODER CALORíFICO DE ALGUNS COMBUSTíVEIS comb Combustível Calor produzido postas a indú Lenha 10550 J/g 2524 cal/g Gás canalizado 17974 J/g 4300 cal/g lor, Metanol 22200 J/g 5311 cal/g pri Álcool combustível 27200 J/g 6507 cal/g ma gía, Carvão metalúrgico 28424 J/g 6800 cal/g sen s •..• .."- -"", , Etanol 29636 J/g 7090 cal/g carvão Gasolinacom cia energé " 40546 J/g 9700 cal/g 20% de álcool das razões Acetileno 40964 J/g 9800 cal/g outros Óleo diesel 44851 J/g 10730 cal/g Para ciência eneJ:lééi:;::;c Querosene 45144 J/g 10800 cal/g nômicos e - _ = -- -=;::,-.-.-;=.0--:: Gasolina isenta 46900 J/g 11 220 cal/g combustã de álcooli que é Gás liquefeito de 49030 J/g 11 730 cal/gII Com petróleo (GLP) cia ou ma e a o "gê "o Butano 49324 J/g 11 800 cal/g são de luz e ca o. É considera o 5;: e Propano 11 950 cal/g 49951 J/g quer substãncia ou material q e reaía essas etano 53922 J/g 12900 cal/g condições. Os combustíveis podem ser sólidos, co- mo a lenha; líquidos, como a gasolina; ou gasosos, Hidrogênio 120802 J/g 28900 cal/g Fonte: Gepeq -Interaçães e Transformações, São Paulo: Editora da USP, 1993. p.2K , como o gás metano . •
  8. 8. üência. aca lançando fera do que se fossem Sum,JOOIS a:ri:r.::itN_ que geram mais gases tóxicos as lorífico maior. Por isso, a avaliação am íe combustível tem de levar em conta tam - rendimento energético. a estudo do rendimento energético que fazer neste capítulo nos ajudará a entender o s fenômenos, naturais ou não, presentes em no mundo. Você compreenderá, por exemplo, por q e um tronco de árvore, que levou décadas ou mesmo séculos para se formar, pode, em curtíssimo tempo, queimar e se transformar em cinzas. a ramo da Física que estuda as relações das transformações com a transferência de calor é a Ter- modinâmica, palavra criada a partir de termo, que Como estávamos estudando, um dos fatores se relaciona a calor, e dinâmica, que se relaciona apara a escolha de um combustível é o ambienta!. movimento ou mudanças. A área de estudo da Alguns combustíveis geram baixa quantidade de Termodinâmica ampliou-se, englobando os proces-gases tóxicos; no entanto, pelo fato de produzirem sos físicos relacionados à energia.pouco calor, precisam ser consumidos em quanti- Nessa área, foram desenvolvidas leis que per-dades maiores que outros combustíveis. Em conse- mitem prever se determinados sistemas materiais, como, por exemplo, um novo combustível na presen- ça de faísca em um motor, poderão ou não mudar. a estudo termodinâmico das transformações quími- cas é desenvolvido por uma área da Termodinâmica conhecida como Termoquímica . ./ o De acordo com o texto, por que o petró- leo vem sendo mais usado do que os de- mais combustíveis? f) Ao se procurar uma nova fonte de energia, que fatores devem ser analisados? 11 Analise a tabela do poder calorífico dos combustíveis na p. 358 para responder: se precisarmos de certa quantidade de ener- gia, a partir da queima da menor massa possível, qual seria o combustível mais indicado? 11 Com base nesta mesma tabela, coloque em ordem crescente de rendimento em quantidade de energia por grama de com- bustível, considerando a mesma massa. os seguintes combustíveis: gasolina, G álcool e hidrogênio. 11 Debata com seus colegas sobre as veis razões por que nem sempre os bustíveis com maior poder caloritico os mais utilizados.
  9. 9. COMBUSTÍVEIS E AMBIENTE Como vimos, a combustão é uma das principais ntes geradoras de energia. Cerca de 90% dos ga- .-ses liberados na atmosfera, resíduos de atividades umanas, originam-se de reações de combustão pro- uzidas, em sua grande maioria, por veículos auto- tivos e atividades industriais. A nossa sociedade consome muita energia e, nseqüentemente, produz enorme quantidade depoluição. A quantidade de fumaça despejada naatmosfera é tão grande que preocupa a comunidade . ntífica que estuda o ambiente. ° carvão é um bomexemplo, pois, para cada 1000 toneladas quei-madas, são lançadas na atmosfera cerca de 9 000 neladas de gases poluentes e partículas sólidas. Além de causar danos à saúde humana, essesgases provocam a deterioração de diversos mate- ais, como couro, borracha, materiais sintéticos, te- dos, pigmentos, papel, metais, entre outros, Essa deterioração exige uma freqüente manuten-ção dos equipamentos, levando muitas vezes à ne-cessidade de conserto ou substituição de peças.Esse e outros fatos mostram que é preciso maior ponsabilidade na escolha das fontes de energia. ° carvão, a gasolina e o óleo diesel, entre outros,são combustíveis fósseis originados da decompo- , ão de organismos vivos. Por isso, possuem em sua stituição pequenas quantidades de substâncias contêm átomos de enxofre, queima dessas substâncias libera gases que, contato com o oxigênio do ar e o vapor de água, - origem ao ácido sulfúrico, uma das substânciasresponsáveis pelas chuvas ácidas. reação de formação do ácido sulfúrico pode oescnta pelas equações: S02{g) 1 + 2 02(g) -----7 S03(g) 20(g) -----7 2S04(aq) H
  10. 10. o crescente aumento da queima de combus-tíveis fósseis tem levado a um aumento da concen-tração de gases de dióxido de enxofre na atmos-fera, agravando o problema de chuva ácida. Outro fator que contribui muito para a poluição doar é a falta de regulagem dos motores automotivos. , .•.. Um motor mal regulado não fornece misturasadequadas de ar-combustível e por isso a combus- -tão não é peta, gerando o gás tóxico monóxido ,de carbo o CO) e fuligem (e). Os motores devem ..ser bem reg lados para que produzam menor quan- a wtidade entes e consumam menos combus-tível. o exemplo da combustão do álcool A combustão incompleta produz gases maisco principal constituinte é o etanol, tóxicos e gera menos energia, sendo, portanto, =-,.Ja,....,.::~ a seguir representam duas pos- desuconselhável em todos os sentidos. combustão do etanol. - 2 02(g) --7 2 eO(g) + 3 H20(l) - - - -- ---- - ~- - 3 :Ag) --7 2 e02(g) + 3 H20(I) : : DEBATA E ENTENDA t PENSE, Oi1I<:Pn.r.::-.VI as equações, é possível constatar pleta (2~ equação) consome o Que critérios devemos adotar na seleção igênio do que a combustão de um combustível? eQuaçãcJ) , para uma mesma quanti- f) De que modo os carros com motores des- regulados afetam o ambiente? reoresenta a variação energética IJ Como os químicos podem contribuir para a -.::uUidl.,;ut:~ também nos fornece um bom redução dos efeitos ambientais da queimamo es estejam bem regulados. de combustíveis? eor calorífico de um com-bU~lun:~. nF»af:.r-",.:::; ...,..~ conta seu custo ambien- ,0lTIta. s.•
  11. 11. ENERGIA AlTERNATIVA, UMA OpçÃO ECOLÓGICA Quando a humanidade descobriu como produzir Atualmente, as necessidades energéticaso fogo para se aquecer e preparar seus alimentos, um país são diretamente proporcionais ao seu graestava dando um grande salto para o desenvolvi- de industrialização. Assim, sociedades altamentemento da sociedade que hoje conhecemos. industrializadas são grandes consumidoras de ener- No entanto, iniciava com isso uma trilha sem gia. Esse alto consumo exige também a utilizaçãovolta. Parece-nos impossível retroceder e voltar a viver de variadas fontes, renováveis ou não.sem a tecnologia que tanto gera e consome energia. Os combustíveis fósseis representam 95% daImaginar uma grande cidade sem energia elétrica e energia consumida no mundo, sendo o transporte esem combustíveis nos evoca a idéia de caos. a indústria os principais consumidores. Também é Nesse contexto, o grande problema que enfren- considerável, até mesmo em países súbdesenvolvi-tamos é o fato de a principal fonte de energia em dos ou em desenvolvimento, o consumo residencialtodo o mundo ser o petróleo, recurso que vem se desses combustíveis.esgotando. A queima de combustíveis também é utilizada Será que podemos fazer alguma coisa para para gerar energia elétrica em usinas termelétricas.diminuir nossa dependência de energia em relação No Brasil, graças ao potencial hidrográfico exis-ao petróleo? tente, a exploração de usinas termelétricas não é Para responder a essa questão, devemos con- muito comum. Todavia, um grande aumento no con-siderar que qualquer espécie viva interage de forma sumo de energia elétrica poderá nos levar a fazermodificadora com o ambiente em que vive. Um uso mais intenso desse tipo de usina, que já é uti- lizado nos três Estados da Região Sul.grande impacto histórico no modo de intervençãohumana no ambiente aconteceu no período Pós- A necessidade de buscar novas fontes de ener-Revolução Industrial (séculos XVIII e XIX). gia justifica-se não só pelos problemas ambientais, mas pelo risco de colapsos, causados pela falta de Nessa época, a densidade demográfica de mui- energia, aos quais estamos sujeitos.tas regiões já era considerável, iniciando uma mu-dança no modo de vida e de produção. Essa mudan- Sabemos que as reservas de petróleo são dis-ça acentuou-se nos séculos XIX e XX, com o surgi- tribuídas de forma desigual pelo mundo. Estima-semento e o desenvolvimento de motores movidos que, enquanto a Arábia Saudita possui petróleo porpela queima de combustíveis fósseis, com a expan- mais oito décadas, alguns países, como os Estadossão da indústria siderúrgica e com o desenvolvimen- Unidos, possuem reservas suficientes para umto da Química. Tudo isso levou ao crescimento período bem menor. . exagerado do con- No Brasil, a estimativa é de que as reservas du- sumo de energia. rem menos de duas décadas, um prazo também pre- ocupante. No caso do carvão, outra fonte esgotável (não-renovável) de energia, a estimativa é de que nos- sas reservas durem JX)r mais dois séculos. As reservas de gás na- tural em terrttórí brasileiro ta têm suas décadas contadas: a madamente
  12. 12. É devido a esse contexto que se ~osta oaumento da oferta de energia gerada por fontes re-nováveis alternativas. Certamente, no final do sécu-lo XXI não teremos uma única fonte de energia p~e-dominante, como ocorreu no século XIX com o car-vão e no século XX com o petróleo. Espera-se, para COMO DIMinUIR O conSUMOessa época, a coe is ê ia de variadas fontes de DOMÉSTICO DE EnERGIA ElÉTRICenergia, renováveis e poluidoras. Quanto maior o desperdício de energia, maior é O modo co o a iedade organizou sua pro- seu custo ambiental. Ao usar a energia elétrica dedução industrial e a interferiu no modelo de maneira racional, você paga menos e ainda ajudaorganização e energia. A utilização de país a preservar suas reservas ecológicas. Um dosenergia baseia-se ilação da economia e segredos está no uso de equipamentos elétricosnem sem e é o pode ser exemplifi- mais eficientes e econômicos.cado co o faz do petróleo como fonte O gráfico abaixo mostra como é o consumode energia. médio de energia elétrica em nossas residências. O petrók:lO <;jnrnPf"l1p uma fonte (esgotável)de energia. prnrlCilpallmelnte uma importante Outrosfonte de ...-n<:"";";""tv"Ílrn::> tanto, seu consumo Máquina de lavar 4%como o.,u•••.•.. ••..••• er!XXJra ,....;:: t:"--. se muita poluição, é 5% ---bem ma- como matéria-primapara milhares strializados. Iluminação Desse ssa sociedade vem 20% Forno elétrico ao queimar, de forma 6% versátil e esgotável. s futuras gerações Chuveiro elétrico cada residência não é de água num oceano. faz a diferença. .. 25% ---------------------------------- Consumo médio de energia elétrica em residências brasileiras. .. " > ~ colaborem. Fonte: Adaptado de www.pea.usp.br/enerq/racionamento acessado em maio de 2004. """"".....o.lIL..••.•••• d~>ôc:aCl"lel"Ttle nosso consu- Como você pode perceber nesse gráfico, como abrir mão geladeira, chuveiro elétrico e lâmpadas são os recessícade: desen- maiores consumidores de energia elétrica nasvo ::>it:PITT="tTv:::.s energia de residências. o;..••.••..••. -,r,:::r •.•~~ máquinas. Muitas vezes, para diminuir o consumo, são alternativas necessárias revisões nas redes elétricas. Issode ene~ajá acontece principalmente quando essas redes são mooOOe de ma- antigas ou foram construídas sem planejamentotérias-prímas ap"r::Mlrtac:iaspara pro- adequado.dução e .0. •••••,.,-,.." . fIeI~ai-s {soja, Outra forma de diminuir o gasto de energiaarnendoí • g-~>so !:".ar:JOC"iâ_ aigCKÍiÊio e m u i- elétrica é utilizar os aparelhos de forma maistos outros oesoertando o racional. Veja algumas dicas a seguir.interesse góleos vegeta- adição de cerca de 30% de óleo vegetal ao óleo die-em mo sel, visando minimizar os problemas nos motores:na nos modificação e adaptação de motores; ou ainda mo-resíd os a dificação de óleos vegetais para que se pareçampotência dos com o óleo diesel.para limpeza e esen pime o O biodiesel é um combustível renovável, biode- As pesquisas na área já pro overam vanos gradável e correto do ponto de vista ambienta!. C0-avanços para o favorecimento da utilização do bio- mo o óleo diesel extraído do petróleo (óleo didiesel, como: utilização de misturas formadas pela mineral) é uma mistura de ésteres e ácidos grax•
  13. 13. de energia elétrica. O a:vr,..oe~ mento direto é feito pe o a~aut::;:)!- mento de ambientes e de ág • Nas regiões Sul e Sudest Geladeira: não abra a porta sem necessidade ou devido às condições climáticas. a por tempo prolongado; coloque e retire os alimen- energia solar é muito utiliza a tos e bebidas de uma só vez; não forre as para aquecimento de água. Já prateleiras da geladeira com plásticos ou vidros; nas regiões Norte e Nordeste, em faça o degelo periodicamente; no inverno, diminua comunidades isoladas, é utiliza- a regulagern da temperatura; mantenha limpa e da para geração de energia elétri- desobstruída a parte traseira do aparelho; man- ca por meio de células foto- tenha as borrachas de vedação das portas em voltaicas. bom estado. Chuveiro elétrico: evite banhos quentes demora- dos; utilize a posição "inverno" somente em dias frios (na posição "verão" o consumo é 40% menor); não reaproveite resistência queimada; a fiação deve ser adequada e bem instalada; não use água quente do chuveiro para lavar o banheiro. Iluminação: evite acender lâmpadas durante o dia - aproveite ao máximo a luz do Sol; use cores claras nas paredes internas de sua residência; prefira lâmpadas fluorescentes, pois iluminam melhor, consomem menos energia e duram mais; apague sempre as luzes dos ambientes desocu- pados; limpe regularmente luminárias e globos para melhorar a iluminação. Televisor, aparelho de som, computador e outros: mantenha ligado somente o aparelho que você está utilizando, evite dormir ou deixar aparelhos ligados desnecessariamente. Ferro elétrico: acumule boa quantidade de roupa e passe tudo de uma vez, aproveitando melhor o ca- lor; use o aquecimento indicado para cada tipo de tecido e inicie pelas roupas que requerem tempera- turas mais baixas; desligue o ferro quando ele não estiver em uso, mesmo que por intervalos curtos. Condicionador de ar: mantenha as portas e ja- nelas fechadas ao usar o condicionador de ar; ve- de bem o ambiente; mantenha os filtros do apa- relho limpos; desligue o aparelho se for ficar fora do ambiente. Adaptado de: www.copelconforto.comlinformacoes/uso_eficiente.htm. acessado em 10/3/2005. combustão gera gases poluentes inconvenientes para o equilíbrio iental. O biodiesel, associado ao óleo diesel, produz um combustível com~>.Iht .•respropriedades. Há uma melhoria nas características dos ga- . dos na atmosfera, resultantes da combustão, além de apre- or teor de enxofre e hidrocarbonetos. Sendo assim, o im- iental provocado pela emissão desses gases é minimizado. a ca tada pela radiação solar pode ser utilizada direta- e e ergia térmica, ou indiretamente, para geração
  14. 14. Fontes de energia limpa A energia eólica destaca-se, principalmente,pelo seu reduzido impacto ambiental e baixo custopara geração de eletricidade, visto que suamatéria-prima é o vento. Ge-ralmente, a avaliação do poten-cial eólico de uma regiãorequer uma análise de da ssobre a rapidez e a constãn-cia de seus ventos. energiacinética contida nas massasde ar (energia eólica)captada por uma hnhõTY-lmeio de um conjun otrês pás. A operação de sistemas vas de energia sendo estudadas eca depende do destino utilizadas no mundo inteiro. Oenergia gerada. Com a ínrtpCrssItN:la:1e aumento do preço do petróleo, ini-a energia cinética d ciado em 1973, gerou uma novaacabam estocando e consciência mundial a respeito da pro-interligando-se com o si dução e do consumo de energia, especialmentevencional, com sistemas quando originadas de fontes renováveis.baterias de acumuladores Na época de escassez do petróleo, tambémmédio portes. surgiu uma crise internacional do açúcar, motivando Grandes turbinas eoUCC!.S a- o direcionamento do álcool para fins combustíveis.mente instaladas, eEtricas. Entre erros e acertos, pode-se considerar que oPequenas turbinas eõli aonJVei1tadas Programa Nacional do Álcool obteve algum saldocomo cata-ventos e rnr,inl"VlC: : m!Deanento de positivo, pois várias metas foram alcançadas,água e outras a ícações, demonstrando o potencial da biomassa no Brasil, No ano de 2 apesar de severas críticas que o programa sofreu.grama Emerge . Um ponto negativo do Programa Nacional do vo de i a Pnlr:>l"t1~ Álcool foi a exagerada invasão da fronteira agrícola alimentar pelos superextensivos canaviais, com mão- de-obra desprotegida de seus benefícios sociais: os bóias-frias. Além disso, verificaram-se vários proble- Os biodigestores, além de produzirem energia, ajudam a diminuir um sério problema das sociedades modernas: o lixo. Alguns projetos governamentais vêm aproveitando recursos da biomassa para a produção de eletricidade a partir da cana-de-açúcar, de resíduos agrícolas, de resíduos da madeira e de óleos vegetais.
  15. 15. mas de poluição ambiental provocados pela mo Descobriremos novas fon es altaor-:::n.,.",.,cultura, com uso intensivo de agrotóxicos e o lança- energia e viveremos felizes para semento do vinhoto nos rios. Temos de tomar muito cuidado para ã A energia advinda da biomassa e demais fontes mos erros, como fizemos diversas vezescitadas, tidas como fontes renováveis de energia, do, investindo em fontes que inicialmente -ambientalmente corretas, pode contribuir para a re- gadas inofensivas e só depois de anos em uso -dução da poluição de nosso planeta. descobertas suas conseqüências. Quando encontrarmos um modo coerente e Por isso, o melhor mesmo é economizarmos cadaequilibrado de explorar essas fontes de energia, de vez mais, aprendendo a viver com cada vez menos modo a não causar danos ambientais, estaremos energia. Assim, poderemos interagir com o meio am-justificando a inteligência humana. biente e seus recursos de um modo mais equilibrado. o Aponte vantagens e desvantagens de cada fonte alternativa de energia. fi Pesquise sobre outras fontes alternativas de energia e apresente-as em forma de cartaz. IBJ Indique medidas que precisam ser adotadas visando a economia de energia e a substituição dos atuais combustíveis fósseis pelos seguintes setores: indústria, governo e população. li Debata sobre as possíveis razões pelas quais outras fontes de energia ainda não foram muito exploradas, apesar da crise do petróleo do início da década de 1970. m Debata sobre as possíveis medidas que sua comunidade pode tomar para diminuir o consumo de energia.

×