Esmirna, a igreja confessante e mártir

822 visualizações

Publicada em

uma série de estudos sobre as 7 cartas escritas às 7 igreja da Ásia Menor por Jesus através de João na Ilha de Patmos.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
822
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
19
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Esmirna, a igreja confessante e mártir

  1. 1. Esmirna, a Igreja Confessante e Mártir"Sirvo a Cristo há oitenta e seis anos, e ele nunca me fez mal, sóo bem. Então como posso maldizer o meu Rei e Salvador?" [...](Policarpo no ano 155 d.C, momentos antes de sua execução)
  2. 2. A Cidade de Esmirna• Encontra-se no pequeno Continente da Ásia Menor (hoje, atual porção da Turquia Asiática);• Atualmente, a principal cidade turca, denominada Izmir.• É famosa por ser a terra natal de Homero;
  3. 3. Uma Cidade Soberba• Próspero centro portuário;• Possuía um pitoresco cenário natural;• Ruas bem pavimentadas e delineadas por arvoredos;• Esmirna a cidade-modelo da Grécia• Maior teatro da Ásia;• Era uma cidade em desenvolvimento;
  4. 4. O centro pagão.• Em Esmirna eram adorados os deuses Cibele, Apolo, Asclépio, Afrodite e Zeus.• O culto ao imperador, que incluía a queima de incenso à imagem de César, foi bastante difundido e praticado em Esmirna. Conforme Kistemaker, em 26 d.C. ela dedicou um templo ao imperador Tibério e se gabava de ser a principal no culto ao imperador (KISTEMAKER, Simon. Apocalipse. São Paulo: Cultura Cristã, 2004, p. 163-164).
  5. 5. A Igreja em Esmirna• Provavelmente estabelecida pela influências dos ensinos de Paulo quando esteve em Éfeso durante sua terceira viagem missionária. (At. 19.10);• Segundo relatos históricos, de uma única só vez 1.200 crentes foram lançados do alto do monte Pagos. Em outro momento, lançaram 800 crentes. Os crentes estavam morrendo por causa de sua fé e fidelidade a Deus.• Um dos mais notáveis bispos de Esmirna foi Policarpo (69-155 d.C), que morreu queimado numa fogueira.• É possível que Policarpo fosse o bispo da igreja de Esmirna naquele tempo (período das cartas). Era um discípulo de João.
  6. 6. Jesus o Missivista.• “E ao anjo da igreja que está em Esmirna escreve: Isto diz o Primeiro e o Último”(Ap 2:8). Essa expressão aponta para a eternidade de Jesus Cristo.• A cidade de Esmirna tinha a pretensão de ser a primeira, mas Jesus diz: "Eu sou o Primeiro e o Último" (Ap 1:17).• “... foi morto e reviveu” (Ap 2:8). Para a igreja de Esmirna, que estava passando pelo sofrimento, Jesus se apresenta como aquele que esteve morto e tornou a viver, mostrando que a morte não é o fim para aqueles que professam o nome do Senhor.
  7. 7. As Condições da Igreja emEsmirna.• Tribulação (Ap 2:9,10)• 1. Tereis uma tribulação de dez dias. Os “dez dias” do presente texto, tem referência “histórica”, no primeiro caso, e profética no segundo. A Igreja sofreu de fato “dez perseguições” distintas, desde o reinado do imperador Nero até ao de Diocleciano. “As dez grandes perseguições podem ser relacionadas desta forma:
  8. 8. As Condições da Igreja emEsmirna.• (1) Nero: 64-68 d. C.• (2) Dominiciano: 68-96 d. C.• (3) Trajano: 104-117 d. C.• (4) Aurélio: 161-180 d. C.• (5) Severo: 200-211 d. C.• (6) Máximo: 235-237 d. C.• (7) Décio: 250-253 d. C.• (8) Valériano: 257-260 d. C.• (9) Auréliano: 270-275 d. C.• (10) Diocleciano: 303- 312 d.C.Ç4)• Durante esse tempo, a matança de cristãos foi tremenda. No campo profético as perseguições desencadeadas por Diocleciano perduraram dez anos

×