E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 1
GESTÃO DE
PESSOAS III
Prof. Elton Orris
E...
E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 2
1º MÓDULO
MÉTODOS DE DESENVOLVIMENTO DE
P...
E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 3
Conceito
Conjunto de experiências organiz...
E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 4
 Pode ser vertical (promoção provisória ...
E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 5
Posições de assessoria e aprendizagem prá...
E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 6
Aprendizagem Prática.
É uma técnica de tr...
E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 7
Centros de desenvolvimentos internos
Ou i...
E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 8
2º MÓDULO
Desenvolvimento de
pessoas fora...
E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 9
Os dois método de desenvolvimentos de pes...
E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 10
3º MÓDULO
Programa de relações com o
emp...
E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 11
Relações com Empregados
São atividades d...
E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 12
formas. O colaborador que se sente recon...
E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 13
Cogitações:
º Existem muitos tipos de co...
E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 14
Suponha por algum momento que o seu serv...
E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 15
Os tipos de recompensas
A intrínseca
Diz...
E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 16
- Bom...eu não vou demostrar grande disp...
E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 17
A comunicação interna dentro da empresa....
E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 18
4º Módulo
Principais conceitos e as melh...
E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 19
Introdução à Segurança do Trabalho em pe...
E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 20
Equiparam-se aos acidentes de trabalho:
...
E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 21
acidentes, orientando a CIPA, os trabalh...
E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 22
Errado. Em uma campanha de segurança da ...
E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 23
RISCOS DE ACIDENTES
Primário: é a própri...
E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 24
RISCOS ERGONÔMICOS
“Elementos físicos e ...
E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 25
Prevenção de acidentes
CONCEITO LEGAL
Ac...
E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 26
ACIDENTE POR ATO DE TERCEIRO:
 Quando o...
E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 27
ACIDENTE FORA DO LOCAL DE TRABALHO:
Cump...
E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 28
Abertura da CAT
De acordo com a legislaç...
E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 29
5 – não conter emendas ou rasuras;
6 – e...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apostila gestão de pessoas III 2014

1.045 visualizações

Publicada em

Apostila sobre recursos humanos

Publicada em: Carreiras
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.045
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
61
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apostila gestão de pessoas III 2014

  1. 1. E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 1 GESTÃO DE PESSOAS III Prof. Elton Orris E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ ETEC Alfredo de Barros Santos
  2. 2. E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 2 1º MÓDULO MÉTODOS DE DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS NO CARGO ATUAL
  3. 3. E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 3 Conceito Conjunto de experiências organizadas de aprendizagem (intencionais e propositais) proporcionadas pela organização dentro de um período específico de tempo para oferecer a oportunidade de melhoria do desempenho e/ou do crescimento humano. Inclui treinamento, educação e desenvolvimento. DESENVOLVIMENTO Experiências não necessariamente relacionadas com o cargo atual, mas que proporcionam oportunidades para desenvolvimento e crescimento profissional. TREINAMENTO Experiências organizadas de aprendizagem centradas na posição atual da organização. Deve aumentar possibilidades dos funcionários desempenhar melhor suas atuais responsabilidades. educação: experiências de aprendizagem que preparam o funcionário para desenvolver futuros deveres do cargo Métodos de desenvolvimento de pessoas- cargo atual 1. Rotação de cargos 2. Posições de assessoria 3. Aprendizagem prática 4. Atribuição de comissões 5. Participação em seminários externos 6. Exercícios de simulação 7. Treinamento fora da empresa 8. Estudo de casos 9. Jogos de empresas 10.Centros de desenvolvimento internos Rotação de cargos  Movimentação de pessoas em várias posições na organização visando expandir suas habilidades, conhecimentos e capacidades.
  4. 4. E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 4  Pode ser vertical (promoção provisória para posição mais complexa) ou horizontal (transferência lateral de curto prazo para absorção de conhecimentos e experiências da mesma complexidade. Vantagens  Ampliar as exposições da pessoa às operações da organização e transformar especialistas em generalistas.  permitir aumento das experiências individuais e estimular desenvolvimento de novas ideias.  proporcionar oportunidade de avaliação do desempenho mais ampla e confiável do funcionário
  5. 5. E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 5 Posições de assessoria e aprendizagem prática Oportunizar pessoa com elevado potencial a trabalhar provisoriamente sob supervisão de gerente bem-sucedido em diferentes áreas da organização (assistente de staff ou em equipes de assessoria direta). Técnica de treinamento: treinando se dedica a trabalho em tempo integral para analisar e resolver problemas em projetos ou outros departamentos. Aplicada em conjunto com outras técnicas, trabalhos conjuntos requerem cooperação.
  6. 6. E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 6 Aprendizagem Prática. É uma técnica de treinamento através do qual o treinando se dedica a um trabalho de tempo integral para analisar e resolver problemas em certos projetos ou em outros departamentos. Em geral, é aplicada a um conjunto em conjunto com outras técnicas. Atribuição de Comissões Significa uma oportunidade para a pessoa participar de comissões de trabalho compartilhando da tomada de decisões. Aprender pela observação das outros e pesquisar problemas específicos da organização. Geralmente estas comissões são de natureza temporária. Participação em Cursos e Seminários Externo. É uma forma tradicional de desenvolvimento através de cursos formais de leitura e seminários. Oferece a oportunidade de adquirir novos conhecimentos e desenvolver habilidades conceituais e analíticas. Pode ser feita através de cursos ou seminários in-house (in company), com ajuda de consultores, fornecedores etc. Modernamente, as organizações estão utilizando a tecnologia da informação para proporcionar a aprendizagem a distancia. Exercícios de simulação. A simulação extrapolou a seleção de pessoal e tornou-se também uma técnica de treinamento e desenvolvimento. Os exercícios de simulação incluem estudo de casos, jogos de empresa, simulação de papeis (role playing) etc. Nas análises de estudos de casos, utiliza-se a experiência de outras organizações para que a pessoa descreva e diagnostique os problemas reais, analise as causas, desenvolva soluções alternativas, selecione aquela que julgue mais adequada e a implante. Os estudo de casos proporciona discussões estimulantes entre os participantes, bem como excelentes oportunidades para que a pessoa defenda as sua habilidades analíticas e julgamentais. Os jogos de empresas e os exercícios de dramatização colocam a pessoa no papel do ator ou participando de problemas gerenciais. Os exercícios de simulação apresentam a vantagem de criar um ambiente similar em relação as situações reais em que a pessoa trabalha sem o alto custo envolvido em ações reais indesejáveis . Contudo é difícil simular todas as situações reais da vida cotidiana. Jogos de empresas Também denominados mangement games ou business games, são técnicas de desenvolvimento nas quais equipes de funcionários ou de gerentes competem umas com as outras tomando decisões computadorizadas a respeito de situações reais ou simuladas de empresas.
  7. 7. E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 7 Centros de desenvolvimentos internos Ou in-house developoment centers, são métodos baseados em centros localizados na empresa para expor os gerentes e as pessoas a exercícios realísticos para desenvolver e melhorar habilidades pessoais. É o caso das universidades corporativas. Coaching O gerente pode integrar vários papéis como líder renovador, preparador, orientador e impulsionador para se transformar em um coach. O coaching significa o conjunto de todas as facetas.
  8. 8. E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 8 2º MÓDULO Desenvolvimento de pessoas fora do cargo
  9. 9. E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 9 Os dois método de desenvolvimentos de pessoa fora do cargo são: a tutoria e o aconselhamento. Tutoria ou mentoring É a assistência que executivos da cúpula oferecem as pessoas que aspiram subir a níveis mais elevados dentro da organização. A progressão na carreira requer que as pessoas sejam favorecidas por pessoas com posições dominantes na organização e que definem os objetivos corporativos , prioridade e padrões. Dá-se o nome de tutoria, quando um executivo exerce um papel ativo em guiar e orientar uma pessoa em sua carreira. Assim como técnico de esportes observa , analisa e tenta melhorar o desempenho dos atletas. Aconselhamento de funcionários O gerente proporciona aconselhamento no sentido de assessorar as pessoas no desempenho de suas atividades. O aconselhamento se aproxima da abordagem da tutoria, mas difere em uma aspecto: ocorre quando surge algum problema de desempenho e o foco da discussão é relacionado com o processo da disciplina. Quando o colaborador apresenta um comportamento inconsistente com o ambiente de trabalho (ausências, atrasos, irritação, insubordinação) ou é incapaz de desempenhar o cargo satisfatoriamente.
  10. 10. E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 10 3º MÓDULO Programa de relações com o empregado
  11. 11. E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 11 Relações com Empregados São atividades de Rh associadas com o tratamento e movimentação dos colaboradores dentro da organização. São as relações internas da organização com seus colaboradores e relacionadas com promoções, transferências, demissões e afastamentos por aposentadoria, também, podemos citar como aspecto crucial dessa relação interna disciplina e medidas disciplinares. Um programa de relações com empregados deve incluir: Comunicações: a organização deve comunicar sua filosofia de RH aos funcionários solicitando sugestões e opiniões. Cooperação: a organização deve compartilhar a tomada de decisões e o controle das atividades com os funcionários. Proteção: o ambiente psicológico de trabalho deve contribuir para o bem-estar dos funcionários e proporcionar proteção contra possíveis retaliações e perseguições. Assistência: a organização deve responder à necessidades específicas de cada funcionário dando-lhe assistência. Disciplina e conflito: a organização deve definir regras claras para lidar com a disciplina e o conflito. Empenho X Desempenho: avaliar o desempenho dos colaboradores é um direito e um dever de toda organização, inclusive para promover o comprometimento de todos e avaliar se as diretrizes organizacionais estão sendo comunicadas de forma adequada. Desempenho e resultados são completamente diferentes de suor e esforço. Práticas de reconhecimento e recompensa: Reconhecimento esta ligado aos fatores motivacionais, levando assim a um estado de satisfação no trabalho, o que pode aumentar a produtividade, e o rendimento do colaborador. Recompensas é relacionada com o reconhecimento na medida em que é uma forma de reconhecer o valor do colaborador. A recompensa pode se apresentar nas mais variadas
  12. 12. E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 12 formas. O colaborador que se sente reconhecido ou recompensado entrega um desempenho melhor de que aqueles que não possuem esse sentimento. Práticas de reconhecimento e recompensa ligação entre o termo reconhecimento é motivação e visão. Reconhecimento é como uma bola, sempre tem dois lados, tudo funciona através de um ´´elo'' (pois, sempre estão ligados). A Visão lado empresa A visão lado empresa é essa: A empresa que realmente se preocupa com seus colaboradores internos, investe neles e no que eles vão utilizar como colaboradores. Então essa visão se resume á dizer a própria pessoa que esta sendo reconhecida, que ela esta fazendo um bom trabalho que seu rendimento melhorou, falar sobre sua pontualidade, elogiar, falar pra sobre os outros cargos na empresa, qual o setor ou departamento que a pessoa gostaria de trabalhar, incentivar ao colaborador a crescer. Erros graves:  Muitas empresas se auto-reconhecem, que no meu ponto de vista é horrível. Claro tenta passar isto para o colaborador como, você deve reconhecer o que ´´eu'' a empresa te dou. São esses os autos-reconhecimentos camuflados:  A empresa dizer: que o colaborador tem o direito de almoçar na empresa de graça ou por um custo menor que em um restaurante.  A empresa dizer: que tem um banheiro de qualidade, com toalhas de papel, sabonete líquido e higienizado.  A empresa dizer: que paga hora extra em dinheiro não em folgas.  A empresa dizer: que dar o vale-transporte para quem mora longe e não possui o próprio veiculo para seu deslocamento. Isso não é reconhecer o colaborador isto é, se auto-reconhecer e fazer com que o colaborador pense que se sair daquela empresa não vai encontrar isto em outra. Isto que foi dito acima é um direito do colaborador que consta na C.L.T (Consolidação das Leis Trabalhistas) sendo assim obrigação do empregador! A Visão lado colaborador A visão do colaborador é essa: Em reuniões tanto ordinárias quanto extraordinárias, temos o direito de ser ouvidos, ter nossa opinião, reclamar sem o medo de sermos punidos, sugerir mudanças etc. É o colaborador receber um bom dia quando chega à empresa ser lembrado por algo de bom que fez ou sugeriu receber atenção tanto dos demais colaboradores e superiores, sem ser chamado de puxa saco. No entanto na maioria das vezes o colaborador vê o reconhecimento como obrigação ou cogitações, veja como:
  13. 13. E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 13 Cogitações: º Existem muitos tipos de colaboradores que assim que entram na empresa, já entram com o pensamento de vou fazer a minha parte e a empresa a dela. No termo mais comum na minha visão corporativa: a minha educação depende da sua.  O ponto chave, porque aquele colaborador mal chegou e já foi promovido, reconhecido etc.  O colaborador começa a ver que tudo que ele fizer ou for mandado para fazer, merece um elogio, um reconhecimento. Ou na linguagem mais comum uma moral com o chefe.  E tem também o colaborador competitivo, que se dispõe a fazer tudo que é de seu interesse, se acha o colaborador de confiança do chefe e manda em seus colegas de trabalho. Em nenhum momento se deve deixar subir a cabeça todos esses fatos, isso além de ser antiético e anti-profissional, não se cresce mais do que a empresa nem se torna dono dela com promoções, elogios e reconhecimentos. A sua importância? (vida corporativa) O reconhecimento tem a importância de que o colaborador consiga associar o reconhecimento com o resultado de seu trabalho. O sentimento de reconhecimento é despertado quando o colaborador se sentiu notado, valorizado em seu trabalho, tanto pelos seus superiores quanto pelos demais colaboradores. No mundo corporativo vence aquele que procura as circunstancias e quando não as encontra as cria. Isso é fato, na vida corporativa se vive pessoalmente e profissionalmente. Pessoalmente é que antes de ter um emprego normalmente ou moramos com nossos pais ou já temos nossa própria família e problemas pessoais também. É muito importante na vida pessoal termos o reconhecimento da nossa família, amigos, parentes etc. quando não estamos em sincronia de reconhecimentos pessoais e profissionais muitas vezes cobramos isso da empresa. E quando estamos acostumados a vários tipos de reconhecimentos pessoais achamos que é de obrigação da empresa nos reconhecer por tudo que fazermos. O foco é nos mantermos firmes e fortes quando reconhecidos e do mesmo jeito quando não reconhecidos. Todos estamos sujeitos aos mesmos sentimentos de dor, alegria, tristeza, felicidades realizações etc. Mais nem todos sabemos lidar com tudo isso ao mesmo tempo. Para uma estabilidade deve-se aprender a separar as coisas os momentos pessoais dos profissionais e dos bons dos ruins. Essa é a importância no mundo corporativo. Motivação e Satisfação Motivação: é o que nos coloca a realizar algo. Satisfação: é o que vem depois da motivação, ou seja, o sucesso.
  14. 14. E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 14 Suponha por algum momento que o seu serviço foi reconhecido que recebeu aumento fora de época, que a empresa disse a você que vai investir no seu serviço, que você é importante para a empresa. Que você chegue todos os dias de cabeça erguida cumprimentando todos seus colegas, que participa de todas as reuniões, que o seu nome é o mais chamado que outras empresas também estão interessadas no seu serviço. Maravilhoso desde que esse colaborador mantenha a humildade e não mude seu caráter sendo a mesma pessoa que conquistou tudo isto! Os tipos de reconhecimento Entende-se sobre este tema Dinheiro: quando uma operadora de caixa passa o mês inteiro sem quebrar, ou seja, sem deixar faltar dinheiro no final do dia durante um mês, quando recebe maior numero de fregueses, não recebeu cheques borrachudos, se ganha então o P.L (participação nos lucros). Interno: é quando um colaborador em uma reunião ou treinamento tem o nome mencionado dizendo: você foi o que mais cresceu dentre os demais colegas, foi o que mais se aprimorou que dialogou que buscou novas promoções e realizações, parabéns! Que os seus colegas sigam o seu exemplo. Externo: quando uma operadora de caixa recebe vários elogios tem maior número de clientes, quando estar de folga os clientes sentem a sua falta quando esta de férias o clientes se alegram pelo seu descanso quando a empresa coloca uma foto dela no mural, para que todos vejam o reconhecimento pelo excelente trabalho. Recompensas: A sua importância? (vida corporativa) É preciso muito cuidado na aplicação de sistemas de Recompensa uma vez que a satisfação com o ofertado varia de pessoa para pessoa. Além disso, em alguns casos em que a recompensa é conhecida por todos, pode-se gerar sentimentos de desigualdade, o que prejudica o sentimento de reconhecimento. A recompensa do colaborador esta liga a satisfação, pois, de nada adianta a empresa recompensar um colaborador e ele não ficar satisfeito com o que ganhou. A empresa ganha em recompensar seus colaboradores quando os mesmos ficam satisfeitos com o que receberam e ao mesmo tempo, começam a estimular os demais colegas para que também sejam recompensados. Mora-se um grande perigo no termo recompensar seu colaborador, no sentido que, quando recompensados como equipe todo mundo ganha. Mas quando individualmente tende a criar um atrito entre os colaboradores que não sabem reconhecer o mérito do colega.
  15. 15. E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 15 Os tipos de recompensas A intrínseca Diz a respeito ao trabalho em si, resultado da execução da tarefa que pode levar a satisfação da pessoa pela sua conclusão. Quando uma mulher entra no período de gestação, depara-se com muitos obstáculos, aumento de peso, crescimentos de seios, consulta freqüentes ao médico e tudo mais. Mas ao dar a luz á uma criança a dor é incomparável um sofrimento enorme, porém o prazer e satisfação de poder ver e pegar o teu próprio filho nos braços é tanta que nem se lembra de tudo que passou na gestação. Para um contador o período de balanço requer muita paciência, dedicação e atenção um simples erro e tudo pode ir por água a baixo, mas quando termina de fazer o balanço e viu que tudo correu bem, a empresa esta lucrando as receitas superaram as despesas e que esta fazendo um bom trabalho a sua satisfação é grandiosa. Extrínseca Relaciona-se com o que é oferecido pela empresa, por bônus ou promoções ou ainda reconhecimento pelos seus pares (colegas de trabalho e superiores). Temos então reconhecimento como forma de recompensa. Existem empresas que oferecem aumento de salário para um determinado setor ou departamento, outra que tem como costume oferecer jantar familiar em bons restaurantes, uma pequena porcentagem nos lucros quando naquele mês obtiveram um lucro maior, a escolha de quando quer tirar suas férias etc. Algumas empresas têm um plano de carreira, que, no devido tempo escolhe, treina e promove um novo encarregado/gerente de setor, outras deixam os temas de avaliação em reuniões com um colaborador mais responsável etc. Empenho X Desempenho Imagine que você está entrevistando um candidato a uma vaga qualquer na sua empresa. Depois de algum tempo de conversa, você joga a bola para o candidato e diz: - Fale-me como vai ser a sua atuação aqui na empresa. - Ao que ele responde:
  16. 16. E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 16 - Bom...eu não vou demostrar grande disposição e interesse. Afinco é uma palavra que não existe no meu dicionário e se houver alguma dificuldade para que eu atinja o meu objetivo, não estou disposto a insistir obstinadamente, sabe aquela tal de tenacidade? Pois é, eu acho aquilo uma perda de energia tremenda e... Você deixaria esse candidato concluir seu discurso ou iria expulsá-lo de sua sala imediatamente? Estou certo de que a segunda opção é a que lhe parece a melhor pedida. Sabe o que isso significa? Que uma pessoa que busca uma entrevista de emprego já está, tácita e explicitamente "empenhando" sua palavra de que empenho é o mínimo que oferecerá ao seu futuro empregador. Empenho, segundo o dicionário Houaiss significa grande disposição, interesse, afinco, insistência obstinada, tenacidade. A menos que o objetivo seja a falência, desconheço qualquer recrutador, seja ele o dono ou o Departamento de RH, que não busque no mínimo esta postura em um futuro integrante do time. Empenho é como pão na padaria, carne no açougue e remédio na farmácia. Se você veio até minha empresa respondendo a um anúncio ou convite, assumiu que me oferece o seu "empenho" mesmo sem ter aberto a boca. Desempenho não, desempenho é outra história! Segundo o mesmo dicionário, desempenho é "recuperação do que estava empenhado, atuação desejada e observada por alguém cujos resultados são posteriormente analisados para avaliar a necessidade de modificação ou melhoria". Empenho é firmado. Desempenho é medido. Empenho é o processo. Desempenho é o resultado. A eterna insatisfação que geralmente assola aqueles que apresentam resultados medíocres vem sob a forma de: "Eu me esforcei tanto! Eu me empenhei tanto! Eu ralei tanto!" - e se torna uma cobrança por reconhecimento, de quem na verdade tem algo a pagar e não a receber. Entenda de uma vez por todas que nenhuma empresa poderá te remunerar pelo que você já deu para ela, o seu empenho! Foi ele, como o de qualquer outro trabalhador, que avalizou a sua contratação. Recupere o que estava empenhado em forma de desempenho. Apresente resultados! Suados ou não esta é a única forma de resgatar o seu "empenho" e já que você "suou" tanto, pare de chorar, pelo menos para economizar energia para o próximo período avaliativo.
  17. 17. E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 17 A comunicação interna dentro da empresa. É fundamental ter em conta que o universo da comunicação empresarial é imenso. A empresa representa um conjunto de deferentes tipos de comunicação e tendo como instrumento fundamental a gestão global. Eis alguns tipos de comunicação dentro da empresa:  Comunicação comercial - constituída pelo marketing e publicidade  Comunicação financeira - pela gestão da informação e das relações que se estabelece com os seus públicos ,sejam eles accionistas, bancos, imprensa financeira e analistas.  Comunicação institucional - como expressão da legitimidade económica, social, política e cultural da empresa.  Comunicação interna - a comunicação interna pode-se definir como o processo comunicativo pela qual se cria, desenvolve e evolui uma entidade empresa utilizando as meras acções que visam informar ao público interno, criando relações verticais nos dois sentidos(ascendentes e descendentes) e relações horizontais no interior da empresa com os objectivos de facilitar não só a produção, circulação e gestão da informação ,passando pela relação e interacção entre os agentes, atingindo os níveis de funcionamento de outros sistemas. Existem três formas ou tipos de comunicação interna: Comunicação descendente - é um tipo de comunicação em que a informação desloca desde a direcção até os demais membros da organização seguindo a linha hierárquica. As suas funções são:  Enviar ordens múltiplas ao longo da hierarquia.  Proporcionar os membros da empresa informações relacionadas com os trabalhos realizados.  Facilitar um resumo do trabalho realizado e doutrinar os empregados para que reconhecem os objectivos da organização. Os problemas com que se encontra na comunicação descendente são os que muitas organizações saturam nos canais de comunicação descendente sobrecarregando de mensagens dando como resultados ordem que podem confundir e frustar os subordinados. Comunicação ascendente - uma comunicação difícil nas organização tradicionais devido a sua estrutura hierárquica e mais complicada ainda nas organizações modernas no sentido de que se generalizam a comunicação mediantizado.
  18. 18. E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 18 4º Módulo Principais conceitos e as melhores práticas de higiene, segurança e qualidade de vida no trabalho.
  19. 19. E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 19 Introdução à Segurança do Trabalho em perguntas e Respostas 1. Que é Segurança do Trabalho ? Segurança do trabalho pode ser entendida como os conjuntos de medidas que são adotadas visando minimizar os acidentes de trabalho, doenças ocupacionais, bem como proteger a integridade e a capacidade de trabalho do trabalhador. Área de Estudo da Engenharia de Segurança A Segurança do Trabalho estuda diversas disciplinas como Introdução à Segurança, Higiene e Medicina do Trabalho, Prevenção e Controle de Riscos em Máquinas, Equipamentos e Instalações, Psicologia na Engenharia de Segurança, Comunicação e Treinamento, Administração aplicada à Engenharia de Segurança, O Ambiente e as Doenças do Trabalho, Higiene do Trabalho, Metodologia de Pesquisa, Legislação, Normas Técnicas, Responsabilidade Civil e Criminal, Perícias, Proteção do Meio Ambiente, Ergonomia e Iluminação, Proteção contra Incêndios e Explosões e Gerência de Riscos. O quadro de Segurança do Trabalho de uma empresa compõe-se de uma equipe multidisciplinar composta por Técnico de Segurança do Trabalho, Engenheiro de Segurança do Trabalho, Médico do Trabalho e Enfermeiro do Trabalho. Estes profissionais formam o que chamamos de SESMT - Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho. Também os empregados da empresa constituem a CIPA - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes, que tem como objetivo a prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho, de modo a tornar compatível permanentemente o trabalho com a preservação da vida e a promoção da saúde do trabalhador. Equipe de Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho Leis de Segurança do Trabalho A Segurança do Trabalho é definida por normas e leis. No Brasil, a Legislação de Segurança do Trabalho compõe-se de Normas Regulamentadoras, leis complementares, como portarias e decretos e também as convenções Internacionais da Organização Internacional do Trabalho, ratificadas pelo Brasil. 2. Porque minha empresa precisa constituir equipe de Segurança do Trabalho? Porque é exigido por lei. Por outro lado, a Segurança do Trabalho faz com que a empresa se organize, aumentando a produtividade e a qualidade dos produtos, melhorando as relações humanas no trabalho. 3. Que é acidente de trabalho? Acidente de trabalho é aquele que acontece no exercício do trabalho a serviço da empresa, provocando lesão corporal ou perturbação funcional podendo causar morte, perda ou redução permanente ou temporária, da capacidade para o trabalho.
  20. 20. E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 20 Equiparam-se aos acidentes de trabalho: o acidente que acontece quando você está prestando serviços por ordem da empresa fora do local de trabalho o acidente que acontece quando você estiver em viagem a serviço da empresa o acidente que ocorre no trajeto entre a casa e o trabalho ou do trabalho para casa. doença profissional (as doenças provocadas pelo tipo de trabalho. doença do trabalho (as doenças causadas pelas condiçoes do trabalho. O acidente de trabalho deve-se principalmente a duas causas: I. ato inseguro é o ato praticado pelo homem, em geral consciente do que está fazendo, que está contra as normas de segurança. São exemplos de atos inseguros: subir em telhado sem cinto de segurança contra quedas, ligar tomadas de aparelhos elétricos com as mãos molhadas e dirigir a altas velocidades. Ato Inseguro II. Condição Insegura é a condição do ambiente de trabalho que oferece perigo e ou risco ao trabalhador. São exemplos de condições inseguras: instalação elétrica com fios desencapados, máquinas em estado precário de manutenção, andaime de obras de construção civil feitos com materiais inadequados. Ambiente Inseguro Eliminando-se as condições inseguras e os atos inseguros é possível reduzir os acidentes e as doenças ocupacionais. Esse é o papel da Segurança do Trabalho. 4. Onde atua o profissional de Segurança do Trabalho? O profissional de Segurança do Trabalho tem uma área de atuação bastante ampla. Ele atua em todas as esferas da sociedade onde houver trabalhadores. Em geral ele atua em fábricas de alimentos, construção civil, hospitais, empresas comerciais e industriais, grandes empresas estatais, mineradoras e de extração. Também pode atuar na área rural em empresas agro- industriais. 5. O que faz o profissional de Segurança do Trabalho? Símbolo da Engenharia de Segurança O profissional de Segurança do Trabalho atua conforme sua formação, quer seja ele médico, técnico, enfermeiro ou engenheiro. O campo de atuação é muito vasto. Em geral o engenheiro e o técnico de segurança atuam em empresas organizando programas de prevenção de
  21. 21. E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 21 acidentes, orientando a CIPA, os trabalhadores quanto ao uso de equipamentos de proteção individual, elaborando planos de prevenção de riscos ambientais, fazendo inspeção de segurança, laudos técnicos e ainda organizando e dando palestras e treinamento. Muitas vezes esse profissional também é responsável pela implementação de programas de meio ambiente e ecologia na empresa. O médico e o enfermeiro do trabalho dedicam-se a parte de saúde ocupacional, prevenindo doenças, fazendo consultas, tratando ferimentos, ministrando vacinas, fazendo exames de admissão e periódicos nos empregados. 6. O que exatamente faz cada um dos profissionais de Segurança do Trabalho? A seguir a descrição das atividades dos profissionais de Saúde e Segurança do Trabalho, de acordo com a Classificação Brasileira de Ocupações - CBO.  Engenheiro de Segurança do Trabalho - CBO 0-28.40  Técnico de Segurança do Trabalho - CBO 0-39.45  Médico do Trabalho - CBO - 0-61.22  Enfermeiro do Trabalho CBO - 0-71.40  Auxiliar de Enfermagem do trabalho Fonte: Código Brasileiro de Ocupação - CBO Economizar Investindo em Segurança 7. Como minimizar os custos com a Segurança do Trabalho? A melhor maneira de minimizar os custos da empresa é investir na prevenção de acidentes. Muitos empresários tem a idéia errônea que devem diminuir seus investimentos em equipamentos de proteção individual, contratação de pessoal de segurança do trabalho e medidas de segurança. O custo de um acidente pode trazer inúmeros prejuízos à empresa. O acidente leva a encargos com advogados, perdas de tempo e materiais e na produção. Sabem-se casos de empresas que tiveram que fechar suas portas devido à indenização por acidentes de trabalho. Com certeza seria muito mais simples investir em prevenção e em regularização da segurança nesta empresa, evitando futuras complicações legais. 8. Na minha empresa nunca teve acidente de trabalho. Acho que investir em Segurança atualmente é perda de tempo. Isso não é correto. Investir em segurança também vai aumentar o grau de conscientização dos empregados. Fazer treinamento de segurança vai melhorar o relacionamento entre eles. Se nunca aconteceu acidente não quer dizer que nunca vai acontecer. Já diz a Bíblia, "Vigiai e orai, pois não sabeis o dia nem a hora" . Nunca sabermos a hora que um acidente pode acontecer, por isso devemos estar sempre prevenidos. É tempo de se investir em Segurança 9. Acho que meu dever como administrador de empresas e ou dono da empresa é contratar o serviço de segurança do trabalho da empresa e ponto final.
  22. 22. E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 22 Errado. Em uma campanha de segurança da empresa toda a diretoria deve estar envolvida. De nada adianta treinar os funcionários, fazer campanhas, se a diretoria, a maior responsável pela empresa, não estiver envolvida e engajada com a Segurança do Trabalho. Se isso acontecer a empresa fica sendo acéfala, isto é, sem cabeça, sem coordenação, perdendo-se tudo o que foi feito, caindo a Segurança do Trabalho no esquecimento em poucos meses. Segurança é dever de todos 10. O que fazer então se, sendo da diretoria da empresa, não sou profissional da área de segurança? A primeira coisa a fazer é manter a mente aberta, conversar com os empregados, com o pessoal da área de segurança, participar do processo. Também é de muita valia assistir palestras e seminários, fazer cursos de atualização sobre gerenciamento, qualidade e meio ambiente. Em muitos desses cursos são ministradas tópicos envolvendo Segurança do Trabalho, que vem somar-se ao conhecimento necessário para fazer a empresa mais eficiente, segura, organizada e produtiva. Legislação Aplicada à Saúde e Segurança do Trabalho A sociedade é regida por algumas regras de comportamento, ou seja, por leis que são fundamentais no ordenamento social. Entre outros “bens” protegidos pela legislação, está a vida. E para garantir a nossa segurança e sobrevivência, existem regras específicas. Assim como nos demais segmentos, o ambiente de trabalho possui suas regras próprias que visam garantir a saúde e a segurança das pessoas. No âmbito privado, por exemplo, aplicam-se as Normas Regulamentadoras (NRs) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). O MTE já editou, ao todo, 34 NRs. Riscos ambientais Perigo: “Estado ou situação que inspira cuidado”. Risco: “Perigo ou possibilidade de perigo”. Perigo: Risco?
  23. 23. E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 23 RISCOS DE ACIDENTES Primário: é a própria fonte de risco, quando por si só já é um risco Ex. frasco de éter, material pérfuro-cortante Secundário: é a própria fonte de riscos + a condição insegura ligada ao humano Ex. frasco de éter colocado próximo a fonte de calor, material pérfuro-cortante descartado em lixos comuns e o não gerenciamento dos resíduos (que deixa somente com risco primário). TIPOS DE RISCO  Físicos  Químicos  Ergonômicos  Biológicos  Acidentes RISCOS FÍSICOS “Riscos provocados por algum tipo de energia”  Equipamentos que geram calor ou chamas  Equipamentos de baixa temperatura (frio)  Radiação:Raio X, Não ionizante (LN, UV, IV, RL)  Pressões anormais  Umidade  Ruídos e vibrações  Campos elétricos RISCOS QUÍMICOS  Contaminantes do ar (poeira)  Fumos, névoas, neblinas, gases, vapores  Substâncias tóxicas (inalação, absorção ou ingestão)  Substâncias explosivas e inflamáveis  Substâncias irritantes e nocivas  Substâncias oxidantes  Substâncias corrosivas  Líquidos voláteis  Substâncias cancerígenas  Degermantes: Iodo
  24. 24. E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 24 RISCOS ERGONÔMICOS “Elementos físicos e organizacionais que interferem no conforto e saúde”  Postura inadequada no trabalho  Iluminação e ventilação inadequadas  Jornada de trabalho prolongada, monotonia  Esforços físicos intensos repetitivos  Assédio moral (efeito psicológico)  Lesões: calor localizado, choques, dores, dormência, formigamentos, fisgadas, inchaços, pele avermelhada, e perda de força muscular. RISCOS BIOLÓGICOS  “Amostras provenientes de seres vivos”  Plantas  Animais  Bactérias (incluindo OGM’s)  Fungos  Protozoários  Insetos  Amostras biológicas de animais e seres humanos como sangue, urina, escarro, fezes, secreções...) MAPA DE RISCO “Representação gráfica de um conjunto de fatores presentes nos locais de trabalho, capazes de acarretar prejuízos à saúde dos trabalhadores.”
  25. 25. E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 25 Prevenção de acidentes CONCEITO LEGAL Acidente de Trabalho – É o que ocorre pelo exercício do trabalho a serviço da empresa, provocando lesão corporal ou perturbação funcional que cause a morte, perda ou redução, permanente ou temporária da capacidade para o trabalho. CONCEITO PREVENCIONISTA Acidente do Trabalho - é toda ocorrência não programada que interfere no andamento normal do trabalho dos quais resultem, separadamente ou em conjunto, lesões, danos materiais ou perda de tempo. CONCEITO “Acidente de trabalho é qualquer ocorrência não programada, inesperada ou não, que interfere ou interrompe o processo normal de uma atividade, trazendo como consequência isolada ou simultaneamente perda de tempo, dano material ou lesões ao homem.”
  26. 26. E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 26 ACIDENTE POR ATO DE TERCEIRO:  Quando outra pessoa “provoca o acidente”.  Culposo - sem intenção, por negligência, imprudência.  Doloso – Com intenção, por sabotagem, ofensa física. ACIDENTE POR FORÇA MAIOR: Oriunda de fenômenos da natureza, incêndios, inundações, descargas elétricas (raios), desde que ocorridas no local e horário de trabalho.
  27. 27. E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 27 ACIDENTE FORA DO LOCAL DE TRABALHO: Cumprimento de Ordem de Serviço, sob autoridade da empresa. Ex.: Viagens a serviço, sob qualquer meio de locomoção. ACIDENTE DE TRAJETO: É quando o empregado sofre um acidente no percurso da sua residência para o trabalho ou do trabalho para sua residência. NÃO IMPORTANDO O meio de locomoção O caminho O QUE PODE DESCARACTERIZAR O ACIDENTE DE TRAJETO Exceder o tempo habitual - Realização do percurso além do tempo habitual Se ocorrer uma parada entre esses dois pontos (residência/trabalho – trabalho/residência) o acidente de trajeto poderá ser descaracterizado, sendo de responsabilidade do acidentado e não da empresa, qualquer despesa salvo, se em jurisprudência for decidido em contrário.
  28. 28. E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 28 Abertura da CAT De acordo com a legislação trabalhista, todo acidente do trabalho deve ser registrado e investigado pela CIPA, a fim de conhecer suas causas e evitar sua reincidência. A CIAT possibilita o controle dos acidentes por meio de dados estatísticos. De acordo com a legislação, todo acidente do trabalho deve ser imediatamente comunicado à previdência social por meio de formulário próprio denominado CAT. A comunicação do acidente poderá ser realizada pela empresa, pelo acidentado ou por qualquer pessoa que dele tiver conhecimento. Em caso de morte, é obrigatória a comunicação à autoridade policial. A empresa por sua vez, deve comunicar o acidente do trabalho à Previdência Social até o primeiro dia útil seguinte ao da ocorrência. Recomendações gerais Em face dos aspectos legais envolvidos, recomenda-se que sejam tomadas algumas precauções para o preenchimento da CAT, dentre elas: 1 – não assinar a CAT em branco; 2 – ao assinar a CAT, verificar se todos os itens de identificação foram devida e corretamente preenchidos; 3 – o atestado médico da CAT é de competência única e exclusiva do médico; 4 – o preenchimento deverá ser feito a máquina ou em letra de forma, de preferência com caneta esferográfica;
  29. 29. E-mail: prof.orris@gmail.com Blog: http://profeltonorris.wordpress.com/ Página 29 5 – não conter emendas ou rasuras; 6 – evitar deixar campos em branco; 7 – apresentar a CAT, impressa em papel, em duas vias ao INSS, que reterá a primeira via, observada a destinação das demais vias, prevista no subitem 1.2; 8 – o formulário “Comunicação de Acidente do Trabalho – CAT” poderá ser substituído por impresso da própria empresa, desde que esta possua sistema de informação de pessoal mediante processamento eletrônico, cabendo observar que o formulário substituído deverá ser emitido por computador e conter todas as informações exigidas pelo INSS.

×