Sugestões para adequações curriculares

644 visualizações

Publicada em

Trata-se de um documento para selecionar as adequações curriculares consoante o perfil do aluno.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
644
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
66
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sugestões para adequações curriculares

  1. 1. SUGESTÕES DE ESTRATÉGIAS PARA IMPLEMENTAÇÂO DAS ADEQUAÇÕES CURRICULARES CHECKLIST O que são adequações? São práticas e procedimentos das áreas de instrução, da resposta dos alunos, do contexto, do tempo e horário, que permitem igualdade no acesso durante a instrução e a avaliação; As adequações/acomodações destinam-se a reduzir ou a eliminar os efeitos da problemática, no entanto não reduzem as expectativas de aprendizagem. As adequações não reduzem os conteúdos, facultam o acesso ao currículo. A Aplicar  AMBIENTEDESALADEAULA ORGANIZAÇÃO DO ESPAÇO Organizar um canto de trabalho, quando necessário; Sentar o aluno num lugar livre de distrações; Eliminar todos os materiais desnecessários da mesa do aluno (para evitar distrações); Utilizar uma checklist para ajudar o aluno a organizar-se; Ter sempre na sala de aula um conjunto extra de canetas, lápis, livros e papel; Reduzir os distratores visuais na sala de aula; GESTÃO DE TEMPO E TRANSIÇÃO ENTRE ATIVIDADES Intercalar períodos de trabalho curtos com pausas; Proporcionar tempo extra para terminar o trabalho; Relembrar o aluno várias vezes, com antecedência, antes de mudar de uma atividade para outra; APRESENTAÇÃO DA LIÇÃO Adaptar os objetos com base nas necessidades dos alunos; Dividir os trabalhos em segmentos de atividades mais pequenas; Sugerir trabalhos alternativos em vez de longos trabalhos escritos; Mostrar um modelo do produto final; Sempre que possível fornecer orientações verbais em vez de visuais; Sempre que possível fornecer orientações visuais em complemento das verbais; Dividir os trabalhos longos em pequenos passos sequenciais, monitorizando cada nível; Destacar (sublinhar) os pontos-chave para alertar o aluno para a correta direção do trabalho; Verificar se todos os trabalhos de casa estão feitos corretamente no caderno de casa. Assinar e pedir aos pais que o assinem também; Numerar e ordenar sequencialmente as etapas de uma tarefa; Fornecer orientações, guias de estudo, cópias de resumos; Explicar ao aluno os objetivos da lição ou as atividades antes de começar a aula; Certificar-se de que o aluno está atento antes de começar a lição; Permitir que o aluno use computador, calculadora e dicionário para garantir o sucesso do trabalho; Limitar o número de conceitos apresentados ao mesmo tempo; Fornecer incentivos para completar o trabalho; AVALIAÇÃO, Proporcionar um ambiente tranquilo para a realização do teste; Permitir teste de forma oral; Permitir a leitura das perguntas e respostas orais; Dividir o teste em pequenas secções; Classificar a oralidade separadamente do conteúdo; 1
  2. 2. CLASSIFICAÇÃO E TESTES Permitir o tempo necessário para completar o teste; Permitir a realização do teste em dois momentos distintos (ex. metade num dia e a outra metade noutro dia); COMPORTAMENTO Evitar confrontos e lutas de poder; Fornecer um modelo de pares apropriado; Evitar regras que discriminem alguns alunos; Desenvolver um código ou sistema que permita ao aluno perceber quando o comportamento não é adequado; Ignorar comportamentos que não são prejudiciais na sala de aula; Proporcionar um lugar seguro para o aluno; Desenvolver um código de conduta na sala de aula, afixá-lo num lugar onde todos o possam ver e analisá-lo frequentemente; Desenvolver e implementar um plano de intervenção em comportamento, realista e de fácil aplicação; Fornecer reforço e feedback imediato ao aluno; TRABALHO DE GRUPO Organizar uma checklist sobre gestão de sala de aula; Fazer uma listagem de estratégias, recursos e pares pedagógicos que melhorem o ambiente de trabalho na sala de aula; ESTRATÉGIASDEENSINO-APRENDIZAGEM No caso de alunos com NEE por vezes há necessidade de se efetuarem adaptações nas estratégias de ensino tendo em conta o estilo de aprendizagem, a manutenção da atenção e capacidade de generalização do aluno Localizar o aluno na fila da frente na sala de aula pode ajudar a entender melhor as questões e a minimizar os problemas de comportamento; Apresentar a nova informação de forma cuidada, tendo em atenção: a estrutura, clarificação, entusiasmo, ritmo apropriado e envolvimento máximo; Utilizar experiências multidimensionais, uma vez que este tipo de atividade tem um grande impacto na aprendizagem; Programar a aula de forma a existirem mais pausas entre exposição de conteúdos; Organizar as tarefas utilizando diversos métodos de ensino; Fornecer um maior número de explicações para os alunos, realçando os pontos/aspetos mais importantes; Utilizar tecnologias de apoio: (ex. computador, gravador áudio, vídeos), uma vez que o uso das TIC influencia o sucesso académico destes alunos; OUTRAS ESCUTA ATIVA: Alunos que apresentam dificuldades na atenção selectiva (focagem imediata) ou na atenção permanente (mantida por um determinado período de tempo), necessitam de estratégias que os ajudem a assimilar a informação. Salientar os aspectos relevantes dos conteúdos através de repetições, ênfase vocal e indicação de pistas; Fornecer informação com significado, lógica e bem organizada; Facultar a informação em pequenas unidades estruturadas e sequenciais; Fazer a aplicação dos conteúdos, através de exercícios práticos, no imediato e de acordo com o modelo dado; Incentivar a participação do aluno de várias formas, na clarificação ou respostas a perguntas, e fornecer feedback sobre essa participação; Realizar apresentações orais acompanhadas por ajudas visuais que enfatizem a importância de determinados aspetos; Planificar as tarefas orais de forma a que os alunos sejam ativamente envolvidos nos conteúdos a assimilar; Organizar bem os conteúdos, repetindo os seus aspetos mais importantes; Fornecer informações em pequenas quantidades; Utilizar a aprendizagem em cooperação; Ajudar os alunos a tomar notas e a fazer resumos; Utilizar ajudas verbais, pictogramas ou gráficos durante a aula para que os 2
  3. 3. TÉCNICAS A UTILIZAR PELOS PROFESSORES alunos com mais dificuldades compreendam as informações relevantes; Ajudar os alunos a memorizar através de mnemónicas,… Rever as regras de sala de aula (estar sentado sossegado, não se levantar, estar atento antes de iniciar as atividades; Utilizar ajudas verbais (do tipo” que mais”) que possam auxiliar o aluno a responder; APRESENTAÇÃO EFICAZ DOS CONTEÚDOS Ajudar os alunos a utilizar técnicas de auto-regulação enquanto ouvem as apresentações do professor; Utilizar conceitos concretos antes de ensinar os abstratos (por exemplo: ensinar o conceito de liberdade através da discussão dos direitos específicos dos alunos); Relacionar os conteúdos com as experiências dos alunos; Fazer uma abordagem genérica de conteúdos antes de iniciar a sua apresentação da matéria; Reduzir o número de conceitos novos; Encorajar os alunos a perguntar o que não compreendem; Monitorizar e adaptar a linguagem nas apresentações orais de forma a assegurar que todos os alunos a compreendam; ADAPTAÇÕES PARA APRESENTAÇÃO DOS CONTEÚDOS Ajustar o vocabulário e a complexidade das estruturas frásicas de acordo com as competências dos alunos; Rever os conteúdos anteriores antes de iniciar a apresentação de novos conteúdos; Reduzir ao mínimo os distratores do ambiente (visuais e auditivos); Fornecer orientações orais, curtas e diretas, enriquecendo-as com orientações escritas, sempre que necessário; Repetir, rever e adicionar exemplos, quando necessário; Solicitar respostas, considerar aulas práticas ou calendarizar aulas extra, sempre que necessário; Clarificar as orientações para as atividades, para que possam ser executadas com sucesso; DESENVOLVIMENTO COMPETÊNCIAS NA RECOLHA DE INFORMAÇÃO Organizar e apresentação dos conteúdos; Utilizar palavras-chave como: “primeiro devemos…” ou “ a ideia principal deste texto é …”; Resumir conteúdos; Repetir informações importantes de modo a salientar a sua relevância; Fazer pausas ocasionais de forma a permitir que os alunos tenham tempo de realizar algumas tarefas (preenchimento de fichas com espaços em branco) ou de acompanhar a apresentação de conteúdos; Fornecer organizadores (tópicos, apontamentos, etc.) de apoio aos alunos; Escrever os pontos, regras e informação importante no quadro; Simplificar a informação considerada no material de apoio à apresentação, pois a informação em demasia pode confundir o aluno, dificultando a memorização; Encorajar os alunos a relembrar os materiais mostrados visualmente, tal como forma apresentados, deixar espaços entre a informação dada para os alunos formularem as suas questões; Utilizar questões divertidas e com humor para ilustrar pontos importantes; Utilizar a modelagem para facilitar o processo de aquisição de competências de tirar apontamentos (projetor ou outro equipamento); Ordenar, pela sua importância, as fichas fornecidas; Sublinhar as palavras-chave, as frases e os conceitos mais relevantes; Encorajar os alunos a dar feedback periodicamente, para se verificar a compreensão dos conteúdos apresentados; Ver antecipadamente os materiais de leitura com os alunos de forma a estabelecer objetivos, a ativar conhecimentos posteriores e a organizar melhor o tempo; 3
  4. 4. DESENVOLVER COMPETÊNCIAS DE LEITURA Ensinar o vocabulário ao aluno e assegurar-se de que ele consegue utilizá-lo sempre que necessário; Fornecer os números das páginas onde podem ser encontradas as respostas de uma determinada ficha curricular; Ter frequentemente pequenas conversas com os alunos para se assegurar da compreensão dos conteúdos, Organizar, dentro da mesma temática, materiais curriculares de níveis académicos inferiores para os alunos com problemas de leitura; Gravar os textos (em áudio) ou ler os textos em voz alta aos alunos (deve considerar-se os pares e os encarregados de educação para a realização destas tarefas); Reescrever os materiais de forma a simplificar a leitura; Utilizar organizadores e ajudas visuais (gráficos, tabelas), na orientação, como suplemento, das tarefas de leitura; Demonstrar como os novos conteúdos podem estar relacionados com conteúdos anteriormente apresentados; Encorajar os alunos a colocar questões para facilitar a compreensão dos conteúdos; Ensinar os alunos a efetuarem pausas que lhes permitam perceber melhor o que leram; Utilizar o ensino recíproco. (Os alunos podem liderar debates em que se levantem questões acerca dos conteúdos lidos, resumam as informações mais importantes, clarifiquem conceitos que não estejam bem definidos e prevejam o que poderá ocorrer a seguir); DESENVOLVER COMPETÊNCIAS ESCRITAS: (A escrita é considerada pelos investigadores como a forma mais complexa de comunicação humana. No caso dos alunos com NEE é nesta área que muitos problemas estão localizados. Pode ser vantajoso os professores utilizarem adaptações para minimizar as dificuldades que alguns alunos apresentam quando têm de responder a tarefas que exigem a escrita como meio de comunicação.) Evitar fichas de trabalho com muitas respostas escritas, tanto na aula como para trabalho para casa; Permitir aos alunos, sempre que possível, seleccionar um método de escrita (manuscrito/impresso); Tentar alterar a forma de resposta, de escrita para oral, sempre que seja apropriado; Permitir que os alunos sublinhem ou circundem as respostas escritas; Permitir que os alunos escrevam no computador, ou gravem as respostas, em vez de as escreverem na ficha de trabalho; Dispor os materiais na mesa de trabalho do aluno de forma a evitar problemas de coordenação, caso este os apresente; Antes da aula dar ao aluno notas e/ou resumos de trabalhos a efetuar; Reduzir ao mínimo a quantidade de cópias a efetuar pelo aluno; Dar ao aluno informações escritas ou linhas gerais sobre os conteúdos; Dar tempo suficiente ao aluno para este responder às questões; Dar ao aluno a oportunidade de formular respostas escritas realizadas em grupo; ORIENTAÇÕES PARA FINALIZAR TAREFAS Prender a atenção dos alunos antes de se darem explicações sobre a tarefa; Utilizar pistas que possam orientar os alunos na tarefa a realizar; Dar instruções orais e escritas; Dar uma explicação de cada vez; Repetir ao aluno as explicações em voz baixa, depois de terem sido dadas à turma; Verificar se o aluno compreende as instruções, pedindo-lhe que as repita; Fasear a tarefa para que o aluno possa terminar cada uma das fases antes de passar à seguinte; Fornecer exemplos e especificar os passos necessários para completar a tarefa; Verificara execução das tarefas designadas, com alguma frequência; Escolher para o aluno “um amigo de estudo”, para cada área curricular (se necessário); 4

×