O Cavaleiro da Dinamarca

6.647 visualizações

Publicada em

Trabalho elaborado por um grupo de alunos do 7º ano. Biografia de Sophia de Mello B Andresen e uma visão de Jerusalém.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.647
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
54
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
86
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O Cavaleiro da Dinamarca

  1. 1. Trabalho realizado para a disciplina de Língua Portuguesa Trabalho elaborado por: Beatriz Nunes; Carlota Correia; Carolina Matos; Inês Braz.
  2. 2. Introdução <ul><li>Com este trabalho realizado no âmbito da disciplina de Língua Portuguesa, pretendemos dar a conhecer um pouco sobre a famosa escritora, Sophia de Mello Breyner. Durante o decorrer do trabalho apresentaremos o nome das mais conhecidas obras da escritora. </li></ul><ul><li>Falaremos também sobre a cidade de Jerusalém (a terra Santa). Daremos a conhecer algumas curiosidades da cidade e referiremos alguns dos seus principais monumentos. </li></ul>
  3. 3. Sophia de Mello Breyner Andersen Jerusalém
  4. 4. Trabalho realizado para a disciplina de Língua Portuguesa 7ºC 2009/2010
  5. 5. Í n d i c e <ul><li>Biografia </li></ul><ul><li>Um pouco sobre Sophia </li></ul><ul><li>Obras publicadas </li></ul>
  6. 6. Sophia de Mello Breyner Andresen nasceu na cidade do Porto, em 1919. Viveu em Lisboa, onde estudou e tirou o curso de Filologia Clássica e faleceu no dia 2 de Julho de 2004. É considerada uma das poetisas e escritoras de livros para crianças mais importantes da Literatura Portuguesa. Possui uma obra vastíssima, que inclui, contos e obras poéticas. Biografia
  7. 7. <ul><li>Os seus livros relatam as vivências da autora durante a infância. Por exemplo, para escrever A Floresta a autora inspirou-se na quinta da avó onde costumava passar férias enquanto criança. </li></ul><ul><li>Em 1999 Sophia de Mello Breyner Andresen recebeu o Prémio Camões, sobre o qual muito se falou e escreveu na altura. </li></ul>
  8. 8. Um pouco sobre Sophia <ul><li>Sophia de Mello Breyner começou a escrever histórias para crianças numa fase em que os seus filhos estavam doentes, com sarampo. Em casa, começou a ler-lhes histórias para os entreter. Mas os livros que lhes lia, achava-os piegas demais, por isso resolveu contar-lhes as suas próprias histórias, nas quais recordava momentos de infância e juventude. </li></ul>A poesia foi sempre para Sophia, uma perseguição do real. Um poema foi sempre um círculo traçado à roda duma coisa, um círculo onde o pássaro do real fica preso.
  9. 9. <ul><li>Quando começou a escrever, não o sabia fazer. Pediu à mãe papel e caneta e escreveu uma caligrafia que tinha imaginado. </li></ul><ul><li>Tinha uma forte relação com o mar, ele estava muito ligado á sua infância. Sophia recordava-se dos imensos verões que passou na praia e era através destas recordações que escrevia poemas e contos; era nelas que se baseava. (Acabando isso por trespassar nos seus contos). </li></ul>
  10. 10. <ul><li>Nunca teve nenhuma preferência, sobre o que escrevia, mas, desde sempre a poesia foi para Sophia uma perseguição do real. </li></ul><ul><li>A sua memória mais antiga é de um quarto em frente ao mar dentro do qual estava, poisada em cima de uma mesa, uma maçã enorme e vermelha. Do brilho do mar e do vermelho da maçã erguia-se uma felicidade irrecusável, nua e inteira. Não era nada de fantástico, não era nada de imaginário: era a própria presença do real que Sophia descobria. </li></ul>Exemplo de um livro de Poesia escrito por Sophia de Mello Breyner
  11. 11. Obras publicadas <ul><li>Dual (1972) </li></ul><ul><li>Antologia (1975) </li></ul><ul><li>O Nome das Coisas (1977) </li></ul><ul><li>Navegações (1983) </li></ul><ul><li>Ilhas (1989) </li></ul><ul><li>Musa (1994) </li></ul><ul><li>Signo (1994) </li></ul><ul><li>O Búzio de Cós (1997) </li></ul><ul><li>Mar (2001) </li></ul><ul><li>Primeiro Livro de Poesia (1999)- Infanto-juvenil </li></ul><ul><li>Orpheu e Eurydice (2001) </li></ul>Poesia: <ul><li>Poesia (1945) </li></ul><ul><li>O Dia da Mar (1947) </li></ul><ul><li>Coral (1950) </li></ul><ul><li>No Tempo Dividido (1954) </li></ul><ul><li>Mar Novo (1958) </li></ul><ul><li>Livro Sexto (1962) </li></ul><ul><li>O Cristo Cigano (1961) </li></ul><ul><li>Geografia (1967) </li></ul><ul><li>Antologia (1968) </li></ul><ul><li>Grades (1970) </li></ul><ul><li>11 Poema s (1971) </li></ul>
  12. 12. <ul><li>Contos Infantis: </li></ul><ul><li>A Menina do Mar (1958) </li></ul><ul><li>A Fada Oriana (1958) </li></ul><ul><li>Noite de Natal (1959) </li></ul><ul><li>O Cavaleiro da Dinamarca (1964) </li></ul><ul><li>O Rapaz de Bronze (1965) </li></ul><ul><li>A Floresta (1968) </li></ul><ul><li>O Tesouro (1970) </li></ul><ul><li>A Árvore (1985) </li></ul>
  13. 13. Contos: Contos Exemplares (1962) Histórias da Terra e do Mar (1984) Voltar
  14. 15. Í n d i c e <ul><li>Definição da cidade. </li></ul><ul><li>Curiosidades </li></ul>
  15. 16. Jerusalém, é a capital declarada (mas não reconhecida pela comunidade internacional) de Israel. É a sua maior cidade tanto em população quanto em área. Localizada nas Montanhas Judaicas, entre o mar mediterrâneo e o norte do Mar Morto, a Jerusalém moderna tem crescido aos arredores da cidade antiga. Jerusalém é a cidade santa dos judeus, cristãos e muçulmanos, e o centro espiritual desde o século X a.C. Contém significativos lugares antigos cristãos. Definição:
  16. 17. Curiosidades A cidade foi indicada para inclusão na lista do património mundial em perigo, pela Jordânia em 1892. No curso da história, Jerusalém foi destruída duas vezes, sitiada 23, atacada cinquenta e duas vezes, e capturada e recapturada quarenta e quatro. Sobre Jerusalém: A cidade antiga hospedava os principais pontos religiosos, entre eles a Esplanada das Mesquitas , o Muro das lamentações , o Santo Sepulcro , a Cúpula da Rocha e a Mesquita de Aliança .
  17. 18. <ul><li>Uma mesquita é o local de culto para os seguidores do islão. A palavra mesquita é utilizada para se referir a todos os tipos de edifícios dedicados ao culto muçulmano, embora em árabe seja feita uma distinção entre a mesquitas de dimensões menores e as mesquita de maior dimensão, que possuem estruturas sociais. </li></ul><ul><li>O objectivo principal da mesquita é servir como local onde os muçulmanos se possam encontrar para rezar. No entanto, as mesquitas são também conhecidas pelo seu papel comunitário e por serem as formas mais expressivas da arquitectura islâmica. Hoje em dia, a maioria possuem cúpulas, minaretes e salas de oração que podem assumir formas elaboradas. </li></ul>O que é, uma mesquita?
  18. 19. <ul><li>Surgidas na Península Arábica, as mesquitas podem ser encontradas em todos os continentes em que existem comunidades muçulmanas. Não são apenas locais para o culto e a oração, mas também locais onde se pode aprender sobre o islão e conviver com outros crentes. </li></ul>Cúpula da Rocha Muro das lamentações

×