! 
PATERNIDADE E CORPO 
Maria Luiza de Carvalho 
Psicóloga / Professora 
Terapia Ocupacional 
FM UFRJ 
VI Simpósio Paterni...
Corpo de pai acolhedor nutrindo 
emocionalmente os filhos 
Foto: Ana Paula Cazeiro 
Formação do apego 
Segurança emocional
Encouraçamento psicocorporal 
da masculinidade 
Força física, trabalho remunerado e dominação 
sobre as mulheres. Negação ...
Paternidade cuidadora 
na construção social dos corpos 
Registro do afeto e da presença do pai 
no corpo da criança 
! 
Ma...
O corpo dos homens 
na gestação de seus filhos 
Os homens vivem a intensidade emocional das novas 
responsabilidades 
Sínd...
Foto Paulo Batistuta O corpo do pai no parto 
Mãe: Eu me senti muito feliz, muito segura porque ele ‘tava ao meu lado. E a...
Pesquisa com pais no parto em 2001: 
! 
! 
Já teve época em que o pai participava do pré-natal, 
fazia massagem, ajudava. ...
Com a participação paterna, recuperação de recém-nascidos é mais rápida. 
#métodocanguru:http://elosdasaude.wordpress.com/...
Pais que cuidam sozinhos 
! 
Pais sem experiência podem cuidar dos 
filhos com quem já tinham vínculos, sem a presença das...
Corpos de pais 
sobrecarregados 
! 
Sobrecarga da dupla-jornada 
! 
Falta de cuidado de si mesmo 
Necessidade de apoio 
! ...
ENFRENTAMENTO DE PRECONCEITOS 
! 
Outros pais e mães 
Meio social 
Conselho tutelar e na justiça 
Psicologia jurídica 
Tra...
Desafios enfrentados 
! 
Foram duas psicólogas da guarda da minha filha. Tem uma que eu 
achei que ela não foi nem profiss...
! 
! 
Prazer, 
desencouraçamento de gênero 
e autorregulação 
! 
Grandes alegrias por cuidarem. 
Seus olhos brilhavam ao f...
! 
Prazer com tarefas e sensibilidades 
ditas “femininas” 
! 
Aí de lá para cá, meu mundo mudou mesmo. Mudou, eu 
tive que...
! 
LIBERTAÇÃO DAS EXPECTATIVAS DA 
MASCULINIDADE 
! 
! 
É uma coisa ímpar, é uma coisa que não tem 
como descrever assim.....
Desencouraçamento da masculinidade 
!! 
Eu tinha que ganhar dinheiro pra 
botar essas coisas e eu trabalhava 
e ganhava co...
! 
! 
Então eu virei pai e mãe, e para você ver que eu tenho tanta 
facilidade de exercer esse papel de mãe que é uma cois...
Amadurecimento psicológico 
! 
Cerveja, mais cerveja, e álcool assim [antes da viuvez]. Mas 
isso me trouxe muita desilusã...
! 
Aumento da auto-estima 
Gratificados e orgulhosos com eles 
mesmos 
! 
E por isso que eu acho que a minha luta 
foi gra...
Eu [aprendi] sozinho (...) Até então, nem 
macarrão eu sabia fazer, só fritar ovo e fazia 
miojo. (...) Apanhei muito pra ...
FORTALECIMENTO DA PERCEPÇÃO DE SI MESMO 
! 
AUTONOMIA COM RELAÇÃO ÀS MULHERES 
! 
! 
Eu não quero mais ninguém mandando, f...
(cont) 
! 
Eu mando na minha casa! Eu estou curtindo 
isso assim ao extremo. Eu não quero 
ninguém. Eu tive uma namorada, ...
! 
As pessoas não acreditam que eu tomo conta dos 
meus filhos. Eu fico p... da minha vida. “Como você 
toma conta?” Eu di...
AUMENTO DA AUTO-ESTIMA 
! 
! 
E por isso que eu acho que a minha luta foi 
gratificante. [...] A Patrícia fazia desenho to...
! 
Gratificados com a experiência 
! 
Pra mim é ótimo, que dá mais grandeza, me projeta 
mais. Me dá mais responsabilidade...
Orgulhosos com eles mesmos 
O cara passou com maior notão e eu fui chamado no colégio 
(...). Conversou a Madre, a diretor...
Campanha do Cuidado Paterno 
www.aleitamento.com 
! 
Obrigada, 
Maria Luiza 
luiza.carvalho@globo.com
Onde está o corpo do pai no pré-natal? 
Acompanhou (o parceiro acompanhou) 
a parceira ao pré-natal? 
CP 
(H) 
CP 
(M) 
Eu...
Onde está o corpo do pai no parto? 
Onde você estava (o pai do seu 
CP 
filho estava) durante o nascimento 
(H) 
do último...
Onde está o corpo do pai 
no cuidado com os filhos? 
! 
Quem fica em casa com a criança 
quando ela está doente? 
CP 
(H) ...
Maria Luiza de Carvalho: Paternidade e Corpo
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Maria Luiza de Carvalho: Paternidade e Corpo

2.072 visualizações

Publicada em

Apresentação de Maria Luiza de Carvalho durante o VI Simpósio Paternidades, Singularidades e Políticas Públicas:
Paternidade e Cuidado, realizado em agosto de 2014 no Rio de Janeiro

Publicada em: Saúde
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.072
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Maria Luiza de Carvalho: Paternidade e Corpo

  1. 1. ! PATERNIDADE E CORPO Maria Luiza de Carvalho Psicóloga / Professora Terapia Ocupacional FM UFRJ VI Simpósio Paternidades, Singularidades e Políticas Públicas: Paternidade e Cuidado
  2. 2. Corpo de pai acolhedor nutrindo emocionalmente os filhos Foto: Ana Paula Cazeiro Formação do apego Segurança emocional
  3. 3. Encouraçamento psicocorporal da masculinidade Força física, trabalho remunerado e dominação sobre as mulheres. Negação das fragilidades e grande vulnerabilidade a doenças, violência e morte. Ausentes no cuidado em geral. ! Relações trabalhistas alienadoras (Marx) Homens e mulheres esquecemos e nos distanciamos de nós e dos outros, num encouraçamento emocional que se propaga nas relações (Reich)
  4. 4. Paternidade cuidadora na construção social dos corpos Registro do afeto e da presença do pai no corpo da criança ! Masculinidade cuidadora gravada na memória corporal de meninos e meninas ! Construção social de corpos masculinos cuidadores ! Identificação dos meninos com homens e pais cuidadores Foto: José Inácio Parente
  5. 5. O corpo dos homens na gestação de seus filhos Os homens vivem a intensidade emocional das novas responsabilidades Síndrome de couvade? Comportamento patológico? Desvalorização da experiência masculina? ! Variações hormonais no período em torno do parto !! Pesquisa com pais no parto em 2001: ! “É uma coisa que nasceu de mim. Pode ter nascido dela, mas é uma coisa minha. É produto meu”. Foto: José Inácio Parente
  6. 6. Foto Paulo Batistuta O corpo do pai no parto Mãe: Eu me senti muito feliz, muito segura porque ele ‘tava ao meu lado. E aí foi muito mais fácil porque ele nasceu logo, porque ele ‘tava ao meu lado. ! Pais: ... Para dar uma força, mais tranquilidade a ela. ... Eu sou um antes e outro depois de ver meu filho nascer. Carvalho, 2001,2003 Sensibilidade Sexualidade Amor
  7. 7. Pesquisa com pais no parto em 2001: ! ! Já teve época em que o pai participava do pré-natal, fazia massagem, ajudava. Os pais que colaboram de verdade, são os que participam, que atuam. Ele sabe o que é para fazer. Já vi cada coisa linda: homem ajoelhado com a mulher no parto.
  8. 8. Com a participação paterna, recuperação de recém-nascidos é mais rápida. #métodocanguru:http://elosdasaude.wordpress.com/2013/11/26/biblioteca-metodo- canguru-para-recem-nascidos-de-baixo-peso/
  9. 9. Pais que cuidam sozinhos ! Pais sem experiência podem cuidar dos filhos com quem já tinham vínculos, sem a presença das mães, motivados por amor e responsabilidade, em situações de crise provocadas por ausência ou falha materna no cuidado. O trabalho de cuidar faz o cuidador. ! Desempenho de todas as funções de cuidado ! Acolhimento amoroso Educação de limites Higiene, vestir, alimentação, Instrução, saúde e educação de valores. Diferentes estilos de cuidar Vínculo intenso/simbiose? Filho como prioridade Valorização do trabalho doméstico
  10. 10. Corpos de pais sobrecarregados ! Sobrecarga da dupla-jornada ! Falta de cuidado de si mesmo Necessidade de apoio ! Dilemas entre trabalho e cuidado dos filhos Empobrecimento ! Dificuldade para vida social e relações amorosas
  11. 11. ENFRENTAMENTO DE PRECONCEITOS ! Outros pais e mães Meio social Conselho tutelar e na justiça Psicologia jurídica Trabalho Banheiro de shopping Rua Instituições de saúde Reunião de mães e professoras
  12. 12. Desafios enfrentados ! Foram duas psicólogas da guarda da minha filha. Tem uma que eu achei que ela não foi nem profissional na parte dela, né? Porque ela pendeu pelo lado da mãe. Eu como homem, né cara, eu sou visto, visto como que uma pessoa que não é adequada pra criar, ainda mais uma filha menina. Aí, quer dizer, eu sentia aquilo ali. Eu pressenti isso, porque eu fui chamado de alcoólatra, foi falado no processo todo que ... que eu não queria pagar a pensão, que eu tinha ciúmes. Foram várias coisas a meu respeito. Foi falado bastante coisa, né cara. Um processo árduo, né cara, prá mim.. ! Clóvis, 40, separado, Bombeiro, filhos de 16 e 14, filha de 5 anos
  13. 13. ! ! Prazer, desencouraçamento de gênero e autorregulação ! Grandes alegrias por cuidarem. Seus olhos brilhavam ao falarem emocionados, felizes e satisfeitos com as tarefas cuidadoras e com o contato amoroso diário com seus filhos. ! Nas entrevistas, suas emoções fluíam com facilidade, profundas e conscientes. Suas falas eram calorosas sobre a intensidade afetiva que experimentavam com seus filhos.
  14. 14. ! Prazer com tarefas e sensibilidades ditas “femininas” ! Aí de lá para cá, meu mundo mudou mesmo. Mudou, eu tive que aprender tudo, eu tive que descobrir tudo. E aí eu entrei no mundo feminino, por causa das minhas duas filhas. Esse mundo feminino, esse mundo me fez ver a mulher, o outro lado da mulher. Me fez ver a paciência, o amor que triplicou, me fez ver como a mulher se sente do outro lado e eu sinto como uma mulher se sente, eu homem, eu tive que aprender isto. (...) Você conhece seu filho só no olhar e esse olhar eu tive que descobrir, porque eu era só pai dela, não era pai e mãe, pai e mãe é diferente...É esse amor que eu te falei, é esse mundo feminino, o mundo da mulher; e o homem não, o homem se exclui desse mundo...Aí então eu tive que descobrir esse mundo feminino, a sensibilidade, né? Isaías, 50, desempregado, filhas de 18 e 20 a.
  15. 15. ! LIBERTAÇÃO DAS EXPECTATIVAS DA MASCULINIDADE ! ! É uma coisa ímpar, é uma coisa que não tem como descrever assim... Foram vários momentos. Eu acho uma coisa, como posso dizer? Muito emocionante, é uma coisa muito legal. Eu nunca imaginei, quando eu era adolescente, ou início da minha fase adulta, de eu passar por uma situação dessas, né? Aí, de repente, a coisa acontece e eu vi que não tem nenhum bicho de sete cabeças. É bom, é legal, eu estou gostando. Alfredo, 39, oficial PM, divorciado, filha de 14 anos
  16. 16. Desencouraçamento da masculinidade !! Eu tinha que ganhar dinheiro pra botar essas coisas e eu trabalhava e ganhava comissão. Então eu não podia parar, porque era uma dificuldade muito grande. (...) Eu tenho aprendido com ela muitas coisas o que eu não aprendia, porque não tinha tempo pra ficar com ela e hoje eu aprendo muitas coisas com ela. ! Jonathan, 37, desempregado, filha de 5 anos
  17. 17. ! ! Então eu virei pai e mãe, e para você ver que eu tenho tanta facilidade de exercer esse papel de mãe que é uma coisa incrível. Eu falei: ‘meu, como Deus é perfeito’! Porque arrumo, eu faço trancinha no cabelo dela igual mulher faz, essas coisas toda, eu nunca imaginava. [...] Então isso é papel de mãe e Deus me concedeu esses dons, que nem eu sabia que eu tinha esse dote de cuidar. Quando a minha filha sai e vai para escola muita gente: “Oh! quem te arrumou, porque muita gente sabe que eu sou viúvo pensa que outra pessoa que arrumou, mais eu que arrumei, Eu sei colocar as roupas certinho, eu sei combinar as roupas, então ela fica uma boneca, entendeu? ! Jonathan, 37, desempregado, filha de 5 anos
  18. 18. Amadurecimento psicológico ! Cerveja, mais cerveja, e álcool assim [antes da viuvez]. Mas isso me trouxe muita desilusão, muita falsidade de amizade, só quando eu tinha dinheiro. [...] Por todas as coisas que eu passei né, e a Ingrid [filha], Deus me colocou me confiou, porque Deus me confiou, [...]Então é um amor incondicional né, e isso está mudando a minha vida [...] Eu comecei a mudar e eu virei um homem muito assim ... Então isso fez com que a minha personalidade, o respeito voltasse das outras pessoas que me rodeiam, da minha própria família e até por eu ter mudado tanto para melhor, causou até algum espanto nas pessoas. Às vezes, da minha própria família por não acreditarem o quanto eu mudei para melhor, o quanto a minha filha me ama, o quanto ela [a filha] é apegada a mim [...] Jonathan, 37, desempregado, filha de 5 anos
  19. 19. ! Aumento da auto-estima Gratificados e orgulhosos com eles mesmos ! E por isso que eu acho que a minha luta foi gratificante. [...] A Patrícia fazia desenho todo dia: “Pai eu te amo”, um coração assim pai eu te amo, todo dia, todo dia. Agora ela parou um pouco, mas todo dia um desenho: pai eu te amo, pai eu te adoro, pai não sei o que. No Dia dos Pais eles encheram a geladeira de tanto desenho disso e coisa e tal. Então eu me sinto bem com isso, me sinto que a minha missão não está sendo em vão. ! Jerônimo, 50, divorciado,peixeiro, filhas de 12 e 11, filho de 8 anos
  20. 20. Eu [aprendi] sozinho (...) Até então, nem macarrão eu sabia fazer, só fritar ovo e fazia miojo. (...) Apanhei muito pra fazer macarrão. Que coisa mais fácil, depois que eu vi que coisa mais fácil, né? Como é que a gente é homem, né? É porque, trabalhava, mamãe fazia tudo, já chegava com comida pronta já no prato né. [...] Quando eu juntei com ela [a esposa], (...) deixei tudo por conta dela, fiquei dependente, fiquei dependente. Hoje eu já me sinto mais capaz você não viu? [...] Hoje eu faço um feijão, um macarrão, faço uma carne. Jerônimo, 50, divorciado, comerciante, filhas de 12 e 11, filho de 8 anos
  21. 21. FORTALECIMENTO DA PERCEPÇÃO DE SI MESMO ! AUTONOMIA COM RELAÇÃO ÀS MULHERES ! ! Eu não quero mais ninguém mandando, finalmente! Eu digo: Olha, até os dezoito anos, eu fiz o que o meu pai e a mãe quiseram. De dezoito até... depois eu fiz o que tinha que fazer, porque tinha que me posicionar profissionalmente. Depois eu me formei, eu [fui] lá pra São Paulo. Eu disse: “Agora chegou a minha vez, agora eu mando ni mim, agora eu conduzo a minha vida”. Porque o homem quando casa, a mulher mais uma vez, acho que vou virar viado, a mulher vem e surrupia da gente. A mulher passa a ser a dona da casa. A gente sai da casa da mamãe e vai pra casa da mulher. Então, finalmente eu estou tendo a minha casa, eu decido. Envernizo aqui, o bar ali, deixo ali assim... (cont)
  22. 22. (cont) ! Eu mando na minha casa! Eu estou curtindo isso assim ao extremo. Eu não quero ninguém. Eu tive uma namorada, ela veio e eu: “Olha, vou colocar uma coisinha pra você bem clara, número um: meus filhos, número dois: meus filhos, número três: meus filhos. Em quarto lugar venho eu, em quinto vem você. Gostou ou não, essa é a minha regra. Não vou mentir mais pra ninguém. ! Filipe, 43, divorciado, advogado, filhos de 7 e 5 anos
  23. 23. ! As pessoas não acreditam que eu tomo conta dos meus filhos. Eu fico p... da minha vida. “Como você toma conta?” Eu digo : “Filho, quem toma conta não é o piru, nem a xoxota ... (risos)... Quem toma conta sou eu, pô! Piru não toma conta de filho, nem xoxota toma conta de filho!” (risos)... Mas é verdade, as pessoas acham que é a xoxota que toma conta, p...! Caramba! Sou eu que tomo conta, sou eu o pai, né? Aí eu digo, mas isso é assim uma... . Vai se resumir sempre nisso: qual é a diferença minha pra você [dirigindo-se à pesquisadora]? Qual é a diferença? Só são os órgãos sexuais, o resto é tudo igual. ! Filipe, 43, divorciado, advogado, filhos de 7 e 5 anos
  24. 24. AUMENTO DA AUTO-ESTIMA ! ! E por isso que eu acho que a minha luta foi gratificante. [...] A Patrícia fazia desenho todo dia: “Pai eu te amo”, um coração assim pai eu te amo, todo dia, todo dia. Agora ela parou um pouco, mas todo dia um desenho: pai eu te amo, pai eu te adoro, pai não sei o que. No Dia dos Pais eles encheram a geladeira de tanto desenho disso e coisa e tal. Então eu me sinto bem com isso, me sinto que a minha missão não está sendo em vão. Jerônimo, 50, divorciado,peixeiro, filhas de 12 e 11, filho de 8 anos
  25. 25. ! Gratificados com a experiência ! Pra mim é ótimo, que dá mais grandeza, me projeta mais. Me dá mais responsabilidade. Me segura mais. É, buscar outras coisas pra eles, vamos dizer, melhorar (...) Você sente que o amor que você tem pelos seus filhos ajuda a você se projetar. É em tudo, tudo, tudo. Nas dificuldades deles. Por exemplo, assim, é, passar uma necessidade, meu filho quer isso, isso, isso, isso e eu não posso dar. É porque eu quero dar pra eles o que eu não tive. Clóvis, 40, separado, Bombeiro, filhos de 16 e 14, filha de 5 anos
  26. 26. Orgulhosos com eles mesmos O cara passou com maior notão e eu fui chamado no colégio (...). Conversou a Madre, a diretora, a professora, a orientadora educacional: ‘A gente está aqui para te dar os parabéns. Você mudou a situação, a gente não acreditava, achava que teu filho ia repetir. Você chegou aqui falou tudo que tinha acontecido, mostrou documento, a gente meio que ficou assim de receber o teu filho, você pediu para que isso acontecesse...’ (...) eu estava num desespero total [no momento da matrícula]. Mas [depois] elas me chamaram para me dar os parabéns, porque elas viram que tinha o meu dedo ali. Roberto, 37, solteiro, gerente financeiro, filho de 12 anos
  27. 27. Campanha do Cuidado Paterno www.aleitamento.com ! Obrigada, Maria Luiza luiza.carvalho@globo.com
  28. 28. Onde está o corpo do pai no pré-natal? Acompanhou (o parceiro acompanhou) a parceira ao pré-natal? CP (H) CP (M) Eu não sei se ela fez/faz pré-natal 0.6 1.2 Eu vou/fui em algumas visitas 33.9 38.1 Eu vou/fui em todas as visitas 42.4 16.5 Eu não vou/fui em nenhuma visita 23.2 41.0 PESQUISA INTERNACIONAL DE HO MENS E EQÜIDADE DE GÊNERO Dados preliminares da Pesquis a IMAGES 2010 PROMUNDO Pais no parto em 2001: ! Eles [no pré-natal] falavam mais com ela. E às vezes eu até me recolhia um pouco, afastado. ! A médica geralmente não está acostumada. Muitas até estranham. E esperam até pra você se retirar. Ela pediu pra mim: ‘O senhor poderia aguardar lá fora? ! Homem não entra [em hospital de emergência]. Eu fico bobo é de ver chegar com um filho no colo e você não poder entrar. Você ter que dar o filho nos braços de outro.
  29. 29. Onde está o corpo do pai no parto? Onde você estava (o pai do seu CP filho estava) durante o nascimento (H) do último filho? PESQUISA INTERNACIONAL DE HO MENS E EQÜIDADE DE GÊNERO Dados preliminares da Pesquisa IMAGES 2010 PROMUNDO CP (M) Na sala de parto 5.3 5.4 Na sala de espera 35.0 37.3 Em casa 20.5 11.4 Trabalhando 32.6 27.1 Pesquisa com pais no parto em 2001: ! “Tem pai que desmaia, não está preparado”. “Tem pai bêbado, agressivo, que não respeita. Nós trabalhamos com uma classe social com valores muito diferentes”.
  30. 30. Onde está o corpo do pai no cuidado com os filhos? ! Quem fica em casa com a criança quando ela está doente? CP (H) CP Sempre você 5.8 5(9M.)4 Geralmente você 5.0 6.5 Igualmente ou fazemos juntos 29.0 8.1 Geralmente a (o) parceira (o) 29.3 0.3 PESQUISA INTERNACIONAL DE HO MENS E EQÜIDADE DE GÊNERO Dados preliminares da Pesquisa IMAGES 2010 PROMUNDO

×