Ciências do Ambiente - Cap 1.1 - Conceitos básicos

2.193 visualizações

Publicada em

Disciplina de Ciências do Ambiente
Curso de Engenharia de Produção - UEMA
Capítulo 1: Conceitos Básicos - Crise Ambiental
Conteúdo: contexto da disciplina; Crise ambiental - problemas, poluição, aspectos e impactos ambientais, e meio ambiente; Desenvolvimento sustentável.

Publicada em: Engenharia
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.193
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
97
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ciências do Ambiente - Cap 1.1 - Conceitos básicos

  1. 1. Universidade Estadual do Maranhão Engenharia de Produção Ciências do Ambiente Conceitos Básicos Me. Elon Vieira Lima São Luis – Agosto de 2014
  2. 2. 2 Introdução Contexto da disciplina
  3. 3. 3 Introdução Contexto da disciplina  Ciência do Ambiente  Conteúdo básico, conforme DCN dos cursos de engenharia (CNE 11/2002).  Áreas do conhecimento da Eng. de Produção (ABEPRO):  Engenharia de Operações e Processos da Produção;  Logística;  Pesquisa Operacional;  Engenharia da Qualidade;  Engenharia do Produto;  Engenharia Organizacional;  Engenharia Econômica;  Engenharia do Trabalho;  Engenharia da Sustentabilidade;  Educação em Engenharia de Produção
  4. 4. 4 Introdução Contexto da disciplina  Engenharia da Sustentabilidade  Planejamento da utilização eficiente dos recursos naturais nos sistemas produtivos diversos, da destinação e tratamento dos resíduos e efluentes destes sistemas, bem como da implantação de sistema de gestão ambiental e responsabilidade social.  Gestão ambiental;  Sistemas de gestão ambiental e certificação;  Gestão de Recursos Naturais e Energéticos;  Gestão de Efluentes e Resíduos Industriais;  Produção mais Limpa e Ecoeficiência;  Responsabilidade Social;  Desenvolvimento Sustentável.
  5. 5. 5 Crise Ambiental Problemas ambientais
  6. 6. 6 Crise Ambiental Problemas ambientais
  7. 7. 7 Crise Ambiental Modelo de desenvolvimento atual  O homem, utilizando-se da inesgotável energia solar, processa, por meio de sua tecnologia, algum tipo de poluição. Fonte: Braga et al. (2005)
  8. 8. 8 Crise Ambiental Modelo de desenvolvimento atual  O modelo representa um sistema aberto, com as seguintes premissas:  Suprimento inesgotável de energia;  Suprimento inesgotável de matéria; e  Capacidade infinita de meio de reciclar matéria e absorver resíduos.  A humanidade tem observado a existência de limites no meio, devido à incapacidade de absorver e reciclar resíduos, e precisa conviver com níveis indesejáveis e preocupantes de poluição.  Este quadro pode piorar com o aumento do consumo individual.
  9. 9. 9 Crise Ambiental Principais componentes Recursos Naturais Poluição População
  10. 10. 10 Crise Ambiental População  Aumento exponencial da população mundial. Fonte: Braga et al. (2005)
  11. 11. 11 Crise Ambiental População  Aumento exponencial da população mundial.  Redução da taxa de mortalidade.  Densidade populacional  Distribuição espacial.  Hábitos de consumo  Distribuição de renda
  12. 12. 12 Crise Ambiental Recursos naturais  Recurso natural é qualquer insumo de que os organismos, as populações e os ecossistemas necessitam para sua manutenção.  Necessita ser economicamente viável. Fonte: Braga et al. (2005)
  13. 13. 13 Crise Ambiental Recursos naturais  Há situações que um recurso renovável se torna não renovável.  A manutenção dos recursos é importante ainda para a biodiversidade.  Fonte de recursos naturais mais importante da Terra:  as plantas e os animais fornecem produtos imprescindíveis, desde alimentos, medicamentos, matérias-primas a artigos diversos para as indústrias; e supre, ainda, necessidades psicológicas, filosóficas e éticas.
  14. 14. 14 Crise Ambiental Poluição  De acordo com a Política Nacional do Meio Ambiente, poluição é a degradação da qualidade ambiental resultante de atividades que direta ou indiretamente:  Prejudiquem a saúde, a segurança e o bem estar da população;  Criem condições adversas às atividades sociais e econômicas;  Afetem desfavoravelmente a biota;  Afetem as condições estéticas ou sanitárias do meio ambiente;  Lancem matérias ou energia em desacordo com os padrões ambientais estabelecidos.
  15. 15. 15 Crise Ambiental Poluição  Fontes de Poluição:  Pontual (Local)  São facilmente identificadas e o perfil de lançamento de poluentes segue um determinado padrão, também são conhecidas como fontes estacionárias.  Difusa (Dispersa)  São de difícil identificação e o perfil de lançamento dos poluentes não segue nenhum padrão.  Os efeitos da poluição podem ter escala localizada, regional ou global.
  16. 16. 16 Conceitos Meio ambiente  Política Nacional do Meio Ambiente (Lei 6.938/81)  É o conjunto de condições, leis, influência e interações de ordem física, química e biológica, que permite, abriga e rege a vida em todas as suas formas.  Etimologia da palavra  O termo meio deriva do latim mediu e significa o lugar onde se vive.  O termo ambiente deriva do latim ambiente e denomina aquilo que cerca ou envolve os seres vivos por todos os lados.  Pode ser definido como o lugar onde os seres vivos habitam.
  17. 17. 17 Conceitos Meio ambiente  Um erro muito comum é confundir meio ambiente com fauna e flora, como se fossem sinônimos. É grave também constatar que a maioria das pessoas não se percebe como parte do meio ambiente, normalmente entendido como algo de fora, que não nos inclui.  Classificação (BATALHA, 2008)  Meio ambiente natural  abrange os recursos naturais, a flora, a fauna, ou seja, a natureza;  Meio ambiente cultural  abrange a cultura das civilizações, incluindo áreas e monumentos tombados pelo patrimônio cultural da humanidade;  Meio ambiente artificial  relaciona-se a tudo o que não é natural, mas é inerente à vida humana, como as construções.  Meio ambiente do trabalho  diz respeito a tudo aquilo relacionado à vida no trabalho.
  18. 18. 18 Conceitos Ecologia  Etimologia da palavra  O termo eco deriva do grego oikos e significa casa.  O termo logia deriva do grego logos e denomina estudo.  Pode ser definido como o “estudo da casa”.  É a ciência que estuda as interações entre os organismos e seu ambiente, ou seja, é o estudo científico da distribuição e abundância dos seres vivos e das interações que determinam a sua distribuição.  As interações podem ser entre seres vivos e/ou com o meio ambiente.
  19. 19. 19 Conceitos Ecossistema  Etimologia da palavra  O termo eco deriva do grego oikos e significa casa.  O termo sistema deriva do grego systema.  Pode ser definido como o “sistema da casa”.  É a unidade básica no estudo da ecologia.  Em um ecossistema, o conjunto de seres vivos interage entre si e com o meio natural de maneira equilibrada, pela reciclagem de matéria e pelo uso eficiente de energia solar.  Compõe-se de elementos abióticos, ou seja, matéria inorgânica ou sem vida (como água, ar e solo) e elementos bióticos, os seres vivos.
  20. 20. 20 Conceitos Ecossistema  É a união dos conjuntos biótipo e biocenose.  Comunidade ou biocenose  É o conjunto de populações de diversas espécies que habita uma mesma região num determinado período.  Biótipo  Fatores abióticos encontrados no meio físico (ambiente) que fornece condições necessárias à sobrevivência dos seres vivos  luz, temperatura, umidade, salinidade, etc.
  21. 21. 21 Conceitos Aspecto ambiental  É qualquer intervenção direta ou indireta das atividades e serviços de uma organização sobre o meio ambiente, quer seja adversa ou benéfica.  São os elementos das atividades, produtos, serviços, rejeitos de quem pode interagir com o meio ambiente.
  22. 22. 22 Conceitos Impacto ambiental  Resolução CONAMA nº 01/86:  Qualquer alteração das propriedades físicas, químicas e biológicas do meio ambiente, causada por qualquer forma de matéria ou energia resultante das atividades humanas que, direta ou indiretamente, afetam: I - a saúde, a segurança e o bem-estar da população; II - as atividades sociais e econômicas; III - a biota; IV - as condições estéticas e sanitárias do meio ambiente; V - a qualidade dos recursos ambientais.  NBR ISO 14.001  é toda ação ou atividade de uma organização, quer adversa ou benéfica, que produz alterações em todo o meio ambiente ou apenas em alguns de seus componentes.
  23. 23. 23 Conceitos Poluição e contaminação  Poluição  Alteração de suas características por quaisquer ações ou interferências, sejam elas naturais ou provocadas pelo homem, podendo produzir impactos estéticos, fisiológicos ou ecológicos.  É um impacto ambiental adverso.  Não implica necessariamente em riscos à saúde dos organismos.  Contaminação  Transmissão de substâncias ou microorganismos nocivos à saúde pela água;  Não implica em um desequilíbrio ecológico.
  24. 24. 24 Desenvolvimento Sustentável Conceitos  Documento “Estratégia de conservação mundial: conservação dos recursos vivos para o desenvolvimento sustentável”, do PNUMA (BATALHA, 2008):  “Para ser sustentável, o desenvolvimento precisa levar em conta fatores como sociais e ecológicos, assim como os econômicos; as bases dos recursos vivos e não vivos; as vantagens de ações alternativas, a longo e a curto prazos”
  25. 25. 25 Desenvolvimento Sustentável Conceitos  Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, em 1987:  “Aquele que atende às necessidades do presente sem comprometer a possibilidade de gerações futuras atenderem às suas próprias necessidades”.  Preservação  o preservacionismo, aborda a proteção da natureza independentemente de seu valor econômico e/ou utilitário, apontando o homem como o causador da quebra desse “equilíbrio”.  Conservação  o conservacionismo, contempla o amor à natureza, mas aliado ao seu uso racional e manejo criterioso pela nossa espécie, executando um papel de gestor e parte integrante do processo.  Meio-termo entre o preservacionismo e o desenvolvimentismo,
  26. 26. 26 Desenvolvimento Sustentável Proposta de modelo  Sistema fechado:  Dependência da energia solar;  Uso racional de energia e matéria;  Reciclagem e reuso;  Controle de poluição;  Controle do crescimento populacional. Fonte: Braga et al. (2005)
  27. 27. 27 Referências  BATALHA, M. O. (org.). Introdução à engenharia de produção. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008.  BRAGA, B.; et al. Introdução à engenharia ambiental. 2. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2005.  PEARSON EDUCATION DO BRASIL. Gestão ambiental. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2011.  PHILIPPI JR., A.; ROMÉRO, M. A.; BRUNA, G. C. (ed.). Curso de gestão ambiental. Barueri, SP: Manole, 2004.

×