CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

AULA 0: ORTOGRAFIA
Olá, pessoal
Nossa proposta ness...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

Antigamente, lá por 1997 e 1998, era comum a ESAF
a...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

Então, é isso que acontece com a ORTOGRAFIA. As
pal...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

Outra dica: na dúvida com relação à grafia de uma p...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

Item ERRADO.
Comentário.
Se houvesse dúvida com rel...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

2 - (Fiscal do Trabalho/1998) Leia o texto seguinte...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

2)

linha 13 - periculosidade - do latim periculosu...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

acento), biquíni, item, domino (verbo), fênix, bíce...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

no plural desses verbos: crêem, dêem, lêem, vêem,
d...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

5

10

15

20

25

Em Direito Tributário, a express...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

b)

dois erros

c)

nenhum erro

d)

três erros

e)...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

c)
Renovou seu idealismo de puguinar para a escola ...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

b) Um povo não perde os seus mais fortes determinan...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

minhas dúvidas acerca do tempo que levarão para che...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

b) acerca de / quando / multiplicara / dobraram-se ...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

Não é muito difícil imaginar os motivos que teria a...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

8- (AFC/SFC/2000) Assinale, entre as substituições
...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

Com relação à opção b, observe o que mencionamos na...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

e) Algumas leis eminentemente federativas, como o
C...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

emoções simples, como medo e fome, esses macacos
pa...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

As formas verbais singulares tem e vem são monossíl...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

12 - (AFRF 2003) Indique o item em que todas as pal...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

c) Está incorreta a grafia da palavra HOMOGENEIZAR
...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

e) Não confunda estes vocábulos: BOM ≠ MAU (adjetiv...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

sociedade capitalista uma organização econômica que...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

presente para o passado e, desse, para o futuro. Nã...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

O ano de 2003 é marcado pela recessão econômica no ...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI
(Adaptado de Frei Betto)

a) 1
b) 2
c) 3
d) 4
e) 5
G...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

arsênico e inseticidas, ou ferimentos graves, como ...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

e) Desde o início da vigência do FEF, em 1994, (ant...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

“Precisamos deixar de lado a postura --------------...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

Provavelmente o vocábulo ascenso não faz parte do s...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

2 - (Fiscal do Trabalho/1998) Leia o texto seguinte...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

atividade lícita é inconstitucional, porque contrar...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

b) Agradeceu também aos professores e estudantes qu...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

questão do cruzamento; a fatalidade da luta das raç...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

d) em cerca de / em quanto / se multiplicava / dobr...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

nos últimos três anos -, talvez vale a pena pergunt...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

transitivas. / No gênero das leis federativas, pode...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

b) nenhum erro de ortografia
c) dois erros de ortog...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

13 - (TTN 1997) Assinale o item gramaticalmente cor...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

barreiras entre tempo e espaço. O tempo adquire car...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

construir e tempo para destruir; tempo para amar e ...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

e) Outro ponto lembrado na norma refere-se a
interf...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

do Ministério da Justiça pelo Comitê Nacional para ...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

AULA 1: VERBO
Olá a todos.
Daremos início, hoje, a ...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

a) A sensação de que o século XX ainda não acabou d...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

Opção e) a palavra correta é acaçapante ou acachapa...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

Se o verbo for irregular, ou seja, apresenta altera...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

equivalentes e gramaticalmente adequados ao padrão ...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

d) A interação entre as políticas estruturais e mac...
1.

CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

VERBOS TERMINADOS EM HIATO:

–OER: As 2ª e 3ª p...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

Pres.Indicativo: averiguo, averiguas, averigua, ave...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

b) Se, no mesmo contexto sintático de “defina e art...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

exercido sobre as instituições de Bretton Woods – F...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

8 - (AFRF 2002-2) Assinale a opção em que o trecho ...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

fundamental para a própria segurança e estabilidade...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

resultado que obterá. O fato situa-se no plano da C...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

De acordo com a lição que vimos no comentário anter...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

ou um dado (Todos os anos, muitas crianças morrem d...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

[HIPÓTESE].”) ou polidez (“Você poderia me passar o...
CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS
PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI

O texto, em sua primeira parte, apresenta situações...
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski

2.242 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.242
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
83
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Exercicios da-esaf-claudia-kozlowski

  1. 1. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI AULA 0: ORTOGRAFIA Olá, pessoal Nossa proposta nessa aula on line é apresentar questões de prova da ESAF e, a partir delas, rever o conteúdo de Língua Portuguesa. O programa, apesar de traçado em apenas uma linha no edital, é muito extenso. Por isso, abordaremos os principais temas gramaticais, ou seja, os que são recorrentemente exigidos nas provas dessa banca, como ortografia, verbos, concordância, regência, crase e pontuação. Como não se trata de um curso teórico, iremos fazer uma breve revisão de algumas regras gramaticais e, sempre que possível, apresentar dicas que possam auxiliar o candidato a compreendê-las e memorizá-las. Serão 10 (dez) encontros, nos quais serão comentadas questões aplicadas nas provas da ESAF sobre os principais pontos de Língua Portuguesa. Questões que abordem um único assunto serão reproduzidas na íntegra. As que explorem assuntos diversos na mesma questão serão tratadas de forma diferente: terão cada opção separada por assunto e sua correção será analisada (item correto ou errado). Se preciso for, o texto correspondente será reproduzido em cada uma delas. O objetivo é exclusivamente didático, de modo que possibilite ao aluno o estudo de cada ponto da disciplina separadamente. Ao fim de cada aula, será apresentada a lista com todos os exercícios nela comentados, para que o aluno, a seu critério, os resolva antes de ver o gabarito e ler seus comentários. O assunto de hoje é um dos pontos iniciais da disciplina – ORTOGRAFIA. Juntamente com exploração do vocabulário e processo de formação das palavras, costuma ser objeto de questões de prova. www.pontodosconcursos.com.br 1
  2. 2. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI Antigamente, lá por 1997 e 1998, era comum a ESAF abordar o assunto em questões exclusivas. Hoje, exige-se do candidato um bom vocabulário e o conhecimento do significado de expressões, especialmente das parônimas. Nas palavras de Pasquale Cipro Neto & Ulisses Infante (Gramática da Língua Portuguesa): “A competência para grafar corretamente as palavras está diretamente ligada ao contato íntimo com essas mesmas palavras. Isso significa que a freqüência do uso é que acaba trazendo a memorização da grafia correta. Além disso, deve-se criar o hábito de esclarecer as dúvidas com as necessárias consultas ao dicionário. Trata-se de um processo constante, que produz resultados a longo prazo.” Ninguém é obrigado a conhecer TODAS as palavras da língua. Logo, não é vergonha nenhuma desconhecer o significado de uma ou outra. Por isso, na dúvida, deixe a preguiça de lado e abra o dicionário para verificar como se escreve ou o que significa algumas delas. Já pensou se cai na prova? O remorso que você vai sentir? Algumas regras ajudam a entender o processo de formação de algumas palavras, mas o que ajuda mesmo a fixar a grafia é a memória visual. Já viu como faz uma criança que acabou de ser alfabetizada? Ela lê tudinho que passa na sua frente, de out-door a embalagem de biscoito. Vai juntando sílaba por sílaba até identificar a palavra, cujo significado conheça. Com o tempo, nos acostumamos a ler “o conjunto”, a “figura” que a palavra forma. Identificamos a grafia de uma palavra em seu todo, não lemos mais letra por letra, sílaba por sílaba, a não ser que a palavra seja totalmente desconhecida para nós. Quer ver só? INEXPUGNABILIDADE. Confesse: você leu “de primeira” ou teve de juntar as letrinhas? Mais outra: INEXTINGUIBILIDADE (essa tive de digitar aos poucos pra não errar... e você, ao ler, pronunciou ou não o u do dígrafo gui ? Viu algum trema ali? Daqui a pouco veremos se você leu certinho...). www.pontodosconcursos.com.br 2
  3. 3. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI Então, é isso que acontece com a ORTOGRAFIA. As palavras que você já conhece passam rápido. As que você desconhece tropeçam pelo caminho (ou porque você nunca viu, ou porque já viu, mas não sabe o seu significado). O estudo da ORTOGRAFIA abrange: 1 - EMPREGO DE LETRAS (s/z; sc/sç/ss; j/g; izar/isar; etc) 2 - ACENTUAÇÃO GRÁFICA 3 - USO DE OUTROS SINAIS DIACRÍTICOS (principalmente o HÍFEN e o TREMA) Com relação ao primeiro tópico (emprego de letras), há, no mercado, vasto material de qualidade que trata disso (uso do G / J, SC / SÇ / Ç / SS, etc). Vou-me ater a lembrar-lhes que a palavra derivada costuma conservar a grafia da palavra primitiva. Por exemplo, normalmente se usa “x” após “en” (enxuto, enxovalhar), mas isso não acontece com encher, que deriva de cheio, ou com encharcado, que provém de charco (pântano), pelo fato de o dígrafo “ch” já constar da palavra primitiva. “Costuma”, porque raras vezes podemos nos deparar com alguns casos (excepcionais) que buscam na etimologia a mudança das letrinhas, por exemplo, estender e extensão (o substantivo que manteve o x da forma verbal latina extendere, segundo Aurélio) ou catequese e catequizar. E por que “paralisar” (paralisia) se escreve com “s” e “imunizar” (imune) se escreve com “z”? Porque, quando as palavras primitivas já apresentam a letra “s”, ela é mantida nas palavras derivadas (exemplo: análise – analisar / atraso – atrasar / mesa – mesinha / país - paisinho). Caso não conste essa letra na palavra primitiva, entra em ação o “z” nas derivadas (exemplo: aval – avalizar / computador – computadorizado / comercial – comercializar / pai – paizinho). www.pontodosconcursos.com.br 3
  4. 4. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI Outra dica: na dúvida com relação à grafia de uma palavra que sofreu algum processo de transformação (substantivo derivado de verbo ou substantivo derivado de adjetivo), busque a grafia de outra palavra conhecida sua (que servirá de paradigma), tomando o cuidado de observar se esta sofreu o mesmo processo daquela. Aquilo que aconteceu com uma irá acontecer com a outra também. Veja os exemplos. compreender -> compreensão / pretender -> pretensão permitir -> permissão / emitir -> emissão conceder -> concessão / retroceder -> retrocessão Cuidado!!! EXCEÇÃO é derivado de EXCETUAR – e não de EXCEDER. Deve ser esse o motivo de tanta gente fazer confusão. Veja agora uma questão de prova da ESAF que abordou esse assunto: 01- (AFC/SFC 2002) No texto abaixo, foram introduzidos erros. Para saná-los, foram propostas algumas substituições. Julgue as substituições e depois assinale a opção que contém a seqüência das alterações necessárias para adequar o texto ao padrão culto formal do idioma. “O conceito de tributo, face sua interpretação nos conformes à Constituição, tem essa peculiaridade: deve obedecer ao princípio da legalidade estrita. Cumpre ressaltar mais uma vez: não há possibilidade de discricionariedade na definição legislativa do tributo, mas só teremos tributo se o dever de pagar uma importância ao Estado for vinculado à previsão de ter riqueza.” (Nina T. D. Rodrigues, com adaptações) IV. substituir “discricionariedade”(l “discricionaridade” .5 www.pontodosconcursos.com.br e 6) por 4
  5. 5. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI Item ERRADO. Comentário. Se houvesse dúvida com relação à grafia, o candidato poderia buscar uma outra palavra parecida (ou seja, um paradigma) que tivesse passado pelo mesmo processo: SÉRIO -> SERIEDADE SOLIDÁRIO -> SOLIDARIEDADE SÓCIO -> SOCIEDADE SÓBRIO -> SOBRIEDADE DISCRICIONÁRIO -> DISCRICIONARIEDADE Como é bem maior a quantidade de vocábulos terminados por IO, em comparação com os de terminação EO, pode ocorrer a “contaminação” e, por conseguinte, erro na grafia de vocábulos como HOMOGÊNEO (confira como foi a questão 17 da prova para AFRF 2003, mais adiante). Então, para dissipar dúvidas, vamos buscar um paradigma. O que acontece com essa palavra é o mesmo que ocorre com: CORPÓREO -> CORPOREIDADE IDÔNEO -> IDONEIDADE CONTEMPORÂNEO -> CONTEMPORANEIDADE INSTANTÂNEO -> INSTANTANEIDADE ESPONTÂNEO -> ESPONTANEIDADE Dos exemplos acima, é claro que o candidato inteligente vai buscar como paradigma o segundo, não é? Ou até outro mais comum ainda, pense aí você... Essa dica do paradigma vai também ajudar – e muito – em relação a conjugação verbal. Mas isso fica para um próximo ponto. www.pontodosconcursos.com.br 5
  6. 6. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI 2 - (Fiscal do Trabalho/1998) Leia o texto seguinte para responder às questões. Existe atualmente, uma série de leis que protegem o trabalhador. O trabalhador cede o seu trabalho e quem toma o trabalho do operário vê-se obrigado a cumprir um conjunto de obrigações, que estão agrupadas na lei denominada Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Sempre que houver a despedida de um trabalhador motivada ou imotivadamente, e qualquer uma das partes, principalmente o empregado, considerar que, aquilo que foi tratado por ocasião de seu contrato de trabalho não foi cumprido na sua demissão, ele vai ao seu sindicato e argüi perante as Juntas de Conciliação e Julgamento, os seus direitos. Quando é argüida a insalubridade ou a pericolosidade, o juíz requisitará perícias a cargo do médico do trabalho ou engenheiro do trabalho. (Baseado em João Alberto Maeso Montes e Dirceu Francisco Araújo Rodrigues) Com relação à ortografia, ocorre(m) no texto a) nenhum erro b) dois erros c) quatro erros d) três erros e) um erro GABARITO: D Comentário. São três os erros de ortografia: 1) linha 10 - argúi - quando o U do dígrafo “que”, “qui”, “gue” ou “gui” é pronunciado intensamente, recebe o acento agudo; www.pontodosconcursos.com.br 6
  7. 7. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI 2) linha 13 - periculosidade - do latim periculosus + o sufixo (i)dade; 3) linha 13 - juiz - sem acento por atender à regra das oxítonas. O assunto dessa questão foi ACENTUAÇÃO GRÁFICA. De uma maneira geral, a regra é ACENTUAR O MÍNIMO DE PALAVRAS. Então, acentua-se o que há em menor número. Se buscarmos nos dicionários, bem menor é a quantidade de proparoxítonas. A maior parte das palavras da língua portuguesa é composta de paroxítonas e oxítonas (neste último caso, por exemplo, classificam-se todos os verbos no infinitivo impessoal – fazer, comer, estabelecer, etc.). Por isso, uma das regras de acentuação é: TO D AS AS PR OPAR OXÍ T O NAS SÃO ACENT UA DAS (como são poucas, põe acento em todas elas). Por sua vez, é pequeno o número de oxítonas que terminam em A / E / O / EM, e seus respectivos plurais. Por isso, essas serão acentuadas. De acordo com essa regra, as oxítonas terminadas por R ficaram de fora e, com isso, todos os verbos no infinitivo impessoal. Veja, agora, o quadro resumidor sobre acentuação gráfica, ACENTUAÇÃO GRÁFICA – são acentuados os: MONOSSÍLABOS TÔNICOS TERMINADOS EM A(S), E(S), O(S) - cá, pé, pó, rés, mós, cós, nó, pôr (verbo), jus, bis, si, mim, sol, cor; OXÍTONOS TERMINADOS EM A(S), E(S), O(S), EM(NS) – café, caqui (fruta), também, vender, reféns, dominó, ardil, português, sermão, juiz, país, raiz, colher, ruim (a sílaba tônica é “im”), parabéns, sabiá; PAROXÍTONOS NÃO TERMINADOS EM A(S), E(S), O(S), EM(NS) - hífen (termina em EN), hifens (sem www.pontodosconcursos.com.br 7
  8. 8. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI acento), biquíni, item, domino (verbo), fênix, bíceps, fácil, coco (fruta), álbum, difícil, fácil, cáqui (cor), sabia (verbo), táxi; PAROXÍTONOS TERMINADOS EM DITONGO CRESCENTE (*), EM –ÃO, EM –ÔO - glória, indivíduos, sábia, concordância, acórdão, abençôo; TODAS AS PROPAROXÍTONAS matemática, hífenes - fósforo, (*) Segundo o Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa (V.O.L.P.), que tem força de lei no Brasil, a acentuação dos ditongos abertos é classificada na regra dos proparoxítonos (sé-ri-e / vi-tó-ri-a) e os monossílabos são classificados na mesma regra dos oxítonos. ENCONTROS VOCÁLICOS: OS DITONGOS ABERTOS –ÉI-, -ÉU-, -ÓI- : herói, apóiam, idéias, mausoléu NUM HIATO, RECEBEM ACENTO I OU U, COMO 2ª VOGAL DO HIATO, SOZINHO (DESDE QUE NÃO SEGUIDO DE NH) OU ACOMPANHADO DE S. COM QUALQUER OUTRA LETRA OU SOZINHO E SEGUIDO DE NH, NÃO RECEBE O ACENTO AGUDO. Ex: Piauí, juízes, raízes, rainha, campainha, juiz, Luís, ruim, Itaú (apesar de terminar com U – regra das oxítonas – é acentuada por tratar-se de U como segunda vogal do hiato, sozinho na sílaba – I-ta-ú) CUIDADO! A pronúncia de palavras como GRATUITO, FORTUITO FLUIDO (substantivo) assemelham-se à de MUITO. Nessas palavras não existe acento agudo na letra “i” (ao contrário do que acontece no particípio do verbo fluir - FLU-Í-DO), de modo que, naqueles casos, existe um ditongo, e não um hiato. -ÊEM DOS VERBOS LER, VER, CRER, DAR e derivados - O Vocabulário Ortográfico determina que se conserva, por clareza gráfica, o acento circunflexo www.pontodosconcursos.com.br 8
  9. 9. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI no plural desses verbos: crêem, dêem, lêem, vêem, descrêem, desdêem, relêem, revêem, etc. 3 - (Analista Com.Exterior/1998) Leia o texto seguinte para responder às questões. www.pontodosconcursos.com.br 9
  10. 10. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI 5 10 15 20 25 Em Direito Tributário, a expressão sanções políticas corresponde a restrições ou proibições impostas ao contribuinte, como forma indireta de obrigá-lo ao pagamento do tributo, tais como a interdição do estabelecimento, a apreensão de mercadorias, o regime especial de fiscalização, entre outras. Qualquer que seja a restrição que implique cerceamento da liberdade de exercer atividade lícita é inconstitucional, porque contraria o disposto nos artigos 5o, inciso XIII, e 170, parágrafo único, do estatuto maior do país. O Supremo Tribunal Federal sumulou sua jurisprudência no sentido de serem inconstitucionais as sanções políticas. A Súmula 70 diz que é inadimissível a interdição de estabelecimento como meio coercitivo para cobrança de tributo. Diz a Súmula 323 que é inaceitável a apreensão de mercadorias como meio coercitivo para pagamento de tributo, e a 547, estabelece que não é lícito à autoridade proibir que o contribuinte em débito adquira estampílias, despache mercadorias nas alfândegas e exerça suas atividades profissionais. Não obstante inconstitucionais, as sanções políticas, que no Brasil remontam aos tempos da ditadura de Vargas, vêm-se tornando, a cada dia, mais numerosas e arbitrárias, consubstanciando as mais diversas formas de restrições a direitos do contribuinte, como forma oblíqua de obrigá-lo ao pagamento de tributos ou, às vezes, como forma de retaliação contra o contribuinte que vai a juízo pedir proteção contra cobranças ilegais. (Baseado em Hugo de Brito Machado, Direito e Justiça, CB, 27/04/1998) Em relação à ortografia, ocorre(m) no texto a) um erro www.pontodosconcursos.com.br 10
  11. 11. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI b) dois erros c) nenhum erro d) três erros e) quatro erros Gabarito: B Comentário. Os dois erros são inadmissível (linha 12), com “d” mudo, e estampilha (l.19) com LH, que nada mais é do que o diminutivo irregular de estampa. Cuidado!!! Já que o assunto é ortografia, falemos sobre consoantes mudas. Devemos ter cuidado com algumas palavras especiais: AFICIONADO (tem apenas um “c” – formalmente, não existe “aficcionado”), ABRUPTO , OPTAR (cuidado na conjugação do verbo, em que a letra “p” é muda – eu opto, tu optas...). Outras (e suas derivadas) facultam a colocação da letra muda – CONTA(C)TO, INFE(C)ÇÃO, CORRU(P)ÇÃO, A(C)CESSÍVEL (com o “c” dobrado, pronuncia-se <cs>), como o “x” de táxi). Não acredita? Consulte o Aurélio. Outra palavra perigosa é “CARÁTER”. O plural correspondente busca em sua origem latina a grafia CARACTERES (“Aquele rapaz é um mau caráter. Aqueles rapazes são uns maus caracteres”). 4 - (Analista Com.Exterior/1998) Assinale o período com grafia inteiramente correta. a) Na solenidade de inauguração da escola, o diretor revelou alviçareira notícia: a liberação de recursos para a construção de uma quadra poliesportiva. b) Agradeceu também aos professores e estudantes que sempre perfilharam ao lado da direção na busca de um ensino de melhor qualidade. www.pontodosconcursos.com.br 11
  12. 12. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI c) Renovou seu idealismo de puguinar para a escola alçarse à categoria de escola-padrão do município. d) Enfatizou serem as escolas, ocupem-se elas do grau de ensino que for, o lugar em que se vai construindo o cidadão consciente e crítico. e) Reinterou sua convicção no atingimento das metas a que se propôs como fundador e primeiro diretor da escola. GABARITO: D Comentário. Os erros das demais opções são: a) “alvissareira” – palavra derivada de alvíssaras, interjeição que serve para anunciar boas novas (Aurélio) b) Mais um par de parônimos – perfilar significa organizar em filas, enquanto que perfilhar significa dar a paternidade a alguém (filho). No caso, a grafia é do primeiro. c) Pugnar tem o “g” mudo e significa “combater, lutar, brigar”. Na dúvida, poderia lembrar de uma derivada dessa – impugnação. e) A grafia correta é reiterar, cujo sinônimo é iterar, repetir. Além disso, não há registro formal da palavra atingimento. 5 – (MPU/2005) Marque o item em que uma das sentenças não está gramaticalmente correta. a) A literatura depende muito de condições subjetivas, raramente satisfaz apenas os sentidos, exige colaboração, embora muitos acreditem que as obras literárias possam brotar de cérebros insulados. / A literatura depende muito de condições subjetivas, raramente satisfaz apenas aos sentidos, exige colaboração, embora muitos acreditem que as obras literárias possam brotar de cérebros insulados. www.pontodosconcursos.com.br 12
  13. 13. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI b) Um povo não perde os seus mais fortes determinantes se recebe, aceita e pratica a pintura e a música de outra origem, mas dificilmente adotará literatura estranha sem perda de alguns de seus valores. / Um povo não perderá os seus mais fortes determinantes se receber, aceitar e praticar a pintura e a música de outra origem, mas dificilmente adotará literatura estranha sem perda de alguns de seus valores. c) Já tive ocasião de mostrar quanto me parecem precárias três afirmativas de Euclides da Cunha: a questão do cruzamento; a fatalidade da luta das raças e o autoctonismo do homem americano. / Já tive ocasião de mostrar como me parecem precárias três afirmativas de Euclides da Cunha: a questão do cruzamento; a fatalidade da luta das raças e o autoctonismo do homem americano. d) Quando surgiu Euclides da Cunha, nossa literatura podia enumerar grandes nomes pertencentes ao “sistema” de que falei há pouco. / Quando surgiu Euclides da Cunha, nossa literatura podia enumerar grandes nomes pertencentes ao “sistema” de que faz pouco falei. e) No Brasil, a nacionalidade e a literatura formaram um “sistema” interessantíssimo, que a cerca de trezentos anos desenvolve-se. / No Brasil, a nacionalidade e a literatura formaram um “sistema” interessantíssimo, que há cerca de trezentos anos se desenvolve. (Baseado em Roquette Pinto) GABARITO: E Comentário. Vamos estabelecer a diferença entre três expressões muito parecidas: há cerca de / a cerca de / acerca de, a partir do seguinte exemplo: “Eles saíram de casa há cerca de uma hora em direção à fazenda que fica a cerca de 30 km de São Paulo. Tenho www.pontodosconcursos.com.br 13
  14. 14. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI minhas dúvidas acerca do tempo que levarão para chegar lá, já que a estrada está em péssimas condições.” “CERCA DE” significa “aproximadamente”. Ela consta das duas primeiras expressões, sendo que, na primeira, percebe-se o emprego do verbo impessoal “haver” na indicação de tempo decorrido (há cerca de). Com relação à segunda (a cerca de), a preposição “a” precede a expressão por indicar distância (“A fazenda fica a 30 km de São Paulo.”). Já a expressão “acerca de” equivale a “sobre”. Não se pode confundi-las. Logo, um dos erros da opção E está na construção “que a cerca de trezentos anos”. Por indicar tempo decorrido, o correto é o emprego do verbo haver (“que há cerca de trezentos anos”), como na segunda proposição do mesmo item. O outro erro refere-se à colocação pronominal em “desenvolve-se”, que será objeto de estudo posteriormente. 6 - (TRF/2002) Indique a opção que completa com correção gramatical e com coerência as lacunas do texto abaixo. O Estado cresceu em termos de pessoal e, principalmente, em termos de receita e despesa. Em muitos países, os servidores públicos, excluídos os trabalhadores das empresas estatais, correspondem ___________10 a 20 por cento da força de trabalho, __________no início do século XX essa proporção estava próxima de 5 por cento. As despesas do Estado, por sua vez, ___________ nesse período: nos últimos trinta anos ____________, variando entre 30 e 50 por cento do PIB. Naturalmente, esse processo de crescimento ocorria ao mesmo tempo em que _________________as funções do Estado, principalmente na área social. (Luiz Carlos Bresser Pereira, com adaptações) a) a cerca de / enquanto / multiplicaram-se / dobraram / se ampliavam www.pontodosconcursos.com.br 14
  15. 15. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI b) acerca de / quando / multiplicara / dobraram-se / ampliava-se c) cerca de / quanto / multiplicaram / dobravam-se / se ampliava d) em cerca de / em quanto / se multiplicava / dobrou / ampliavam e) de cerca de / por quanto / multiplicavam / dobravam-se / ampliava GABARITO: A Comentário. As opções correspondentes às três últimas lacunas tratam de concordância verbal e colocação pronominal. Por isso, serão comentadas posteriormente. Para resolver essa questão, bastaria ao candidato verificar o item que preenche a primeira lacuna para garantir um pontinho. Na hora da prova, tempo é precioso. Por isso, se você já tiver certeza da resposta, não perca tempo: assinale a opção correta e passe para a próxima questão. Na passagem “os servidores públicos, (...) , correspondem ____ 10 a 20 por cento da força de trabalho,...”, o verbo “corresponder” exige a preposição “a” (“X corresponde a Y.”). Na seqüência, verifica-se a indicação de número aproximado (“10 a 20 por cento”). Por isso, usa-se a expressão “cerca de” que, como vimos, equivale a “aproximadamente”. Assim, a expressão que irá preencher a primeira lacuna é “a cerca de” e a única opção que apresenta essa resposta é a letra A. 7 - (Auditor de Fortaleza/1998) Nas questões seguintes, indique entre os itens sublinhados o que contém erro gramatical ou impropriedade vocabular. www.pontodosconcursos.com.br 15
  16. 16. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI Não é muito difícil imaginar os motivos que teria a Argentina para entabular(A) agora uma conversa mais séria com o Brasil a cerca(B) da criação de uma moeda única no Mercosul. Existe uma motivação não reconhecida oficialmente mas plenamente visível: o receio das desvalorizações do real – na base de(C) 0,6% ao mês – e o impacto que isso já está tendo sobre os preços das exportações argentinas ao mercado brasileiro. O tema é complexo e tem muito mais implicações(D) do que a decisão de mandar um argentino em viagem à(E) Lua. (Maria Clara R. M. Prado - Gazeta Mercantil - 21 e 22/2/1998, adaptado) a) A b) B c) C d) D e) E GABARITO: B Comentário. Mais uma vez, a banca exigiu conhecimento sobre esses vocábulos. Relembrando: a locução prepositiva acerca de equivale a “sobre”, “a respeito de”, “relativamente a”. A expressão “cerca de” significa “aproximadamente” e pode vir antecedida do verbo haver (há cerca de) para indicar tempo decorrido aproximado ou da preposição a (a cerca de), indicando distância ou tempo futuro aproximados. O candidato não pode confundi-las. Essa é uma questão clássica, abordada também em questões de crase (com lacunas) ou nas em que a banca pede que se assinale a questão com erro gramatical. www.pontodosconcursos.com.br 16
  17. 17. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI 8- (AFC/SFC/2000) Assinale, entre as substituições propostas, a que corrige adequadamente o erro do trecho seguinte: Antes de digladiar sobre como os novos impostos deveriam ser distribuídos entre as três esferas de governo - questão que consumiu a melhor parte dos humores e energia de prefeitos, governadores e autoridades fazendárias federais nos últimos três anos -, talvez vale a pena perguntar como, de um ponto de vista agregado, deixando por um momento de lado as complexidades do federalismo fiscal, poderiam ser os R$ 131 bilhões arrecadados de forma mais racional. (Adaptado de Rogério L. F. Werneck , O Estado de S. Paulo, 27/10/2000) SUBSTITUIR POR a) Digladiar degladiar b) Sobre a cerca da forma c) Entre dentre d) Vale valha e) poderiam ser poderia ser GABARITO: D Como nosso assunto é ortografia, vocabulário e afins, vamos comentar somente as substituições propostas nas opções a e b, tidas como INCORRETAS. Nessa questão, o enunciado poderia levar o candidato a uma interpretação equivocada do que deveria ser assinalado. O examinador pede que seja marcada a troca válida para correção de um erro no texto. Na primeira opção, a palavra correta é DIGLADIAR, apresentada originalmente no texto, e não existe a forma proposta na opção a (“degladiar”). www.pontodosconcursos.com.br 17
  18. 18. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI Com relação à opção b, observe o que mencionamos na correção da prova para Fiscal de Fortaleza - 1998, sobre “cerca de” (que significa aproximadamente) e “acerca de” (que equivale a sobre) e perceba que a troca sugerida é inválida, sendo o correto “acerca da forma”. 9 -(TCE RN/2000) Marque o item em que um dos dois períodos está gramaticalmente incorreto. a) Entre as leis editadas pela União, algumas há que se destinam à organização político-administrativa do Estado brasileiro, penetrando na estrutura da República Federativa, para nela dispor instituições e institutos, quer essenciais, quer acidentais à república e à federação. / Entre as leis editadas pela União, algumas há que se destinam à organização política-administrativa do Estado brasileiro, penetrando na estrutura da República Federativa, para nela dispôr instituições e institutos, quer essenciais, quer acidentais à república e à federação. b) O federalismo brasileiro é de duplo grau, declinando por dois degraus entre três patamares, pelo que suporta, em três níveis de poder, três repartições genéricas de competência. / O federalismo brasileiro é de duplo grau, declinando por dois degraus entre três patamares, razão por que suporta, em três níveis de poder, três repartições genéricas de competência. c) No gênero das leis federativas, é possível discernir duas espécies bem visíveis: leis federais intransitivas e transitivas. / No gênero das leis federativas, podem-se discernir duas espécies bem visíveis: leis federais intransitivas e transitivas. d) As leis nacionais podem ser de ordem pública ou de ordem privada, guardando preponderante interesse público ou administrativo, ou social, ou privado. / As leis nacionais podem ser de ordem pública ou de ordem privada, e guardam preponderante interesse público ou administrativo, ou social, ou privado. www.pontodosconcursos.com.br 18
  19. 19. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI e) Algumas leis eminentemente federativas, como o Código Tributário Nacional, autoproclamam-se ‘nacionais’. / Algumas leis eminentemente federativas, como o Código Tributário Nacional, se autoproclamam ‘nacionais’. (Baseado em Sérgio Resende de Barros) GABARITO: A ACENTOS DIFERENCIAIS – A partir da mudança ortográfica, em 1971, conservaram-se somente os acentos diferenciais abaixo indicados: DE TIMBRE (vogal aberta ou fechada) – o único que restou foi: pode (pres.indicativo) – pôde (pret.perf.ind) DE INTENSIDADE ou TONICIDADE (vogal átona ou tônica). Os mais comuns são: pôr (verbo) – por (preposição) pára (verbo) – para (preposição) pêlo (substantivo) – pelo (contração de por + o) O acento circunflexo do verbo pôr é usado para diferenciá-lo da preposição átona por (um dos casos de acento diferencial de tonicidade). Por isso, não há acento nos verbos derivados do “pôr”, como propor, dispor, contrapor, indispor, repor, cuja (falta de) acentuação gráfica se justifica pela norma das oxítonas. 10 - (TTN 1998) Leia o texto seguinte e responda à questão abaixo. Segundo os cientistas, os macacos pongídeos – termo usado para designar os bichos mais próximos do homem, como gorilas, orangotangos, chimpansés e bonobos – vivem em sociedades organizadas, em que as relações entre os individuos são semelhantes às humanas. Diferentemente dos animais mais primitivos, aos quais se atribuem apenas www.pontodosconcursos.com.br 19
  20. 20. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI emoções simples, como medo e fome, esses macacos parecem possuir compaixão e solidariedade. Sua capacidade intelectual está muito acima de todo o restante dos bichos e a diferença entre seu código genético e o dos seres humanos é de apenas 1,6%. As pesquisas com essas espécies vem causando tanta comoção que, no final de 1997, um grupo de biólogos, assessorado por advogados ambientalistas, publicou um documento pedindo a extensão dos direitos humanos aos pongídeos! (Valéria França - Veja - 28/1/98, adaptado) Há, no texto, a) três erros de ortografia b) nenhum erro de ortografia c) dois erros de ortografia d) um erro de ortografia e) quatro erros de ortografia GABARITO: A Comentários. Já apresentamos essa questão na área aberta do sítio. Mas, dada a sua importância, a repetimos aqui, nesta aula de ortografia. Os três erros são: - CHIMPANZÉ (linha 2) letra Z; ou chipanzé, mas sempre com a - INDIVÍDUOS (linha 3), que está grafado sem o acento agudo; - VÊM (linha 11), tendo sido considerada a ausência do acento circunflexo da forma plural (o sujeito é pesquisas) como erro de ortografia. Alguns gramáticos classificam o acento circunflexo dos verbos ter e vir (e derivados) na 3ª pessoa do plural (têm, vêm, contêm, entretêm, detêm, retêm etc.) como ACENTO DIFERENCIAL DE NÚMERO. www.pontodosconcursos.com.br 20
  21. 21. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI As formas verbais singulares tem e vem são monossílabos tônicos e, por isso, dispensariam a acentuação (a regra é acentuar somente os monossílabos tônicos terminados em A / E / O). A conjugação na 3ª pessoa do singular dos verbos derivados recebe acentuação (detém, contém, entretém etc.) em atendimento à regra dos oxítonos terminados por “EM”. Esses gramáticos consideram, então, que o acento circunflexo (têm, vêm, detêm, contêm, entretêm) serve tãosomente para indicar que o verbo está no plural. Dessa forma, a regra de acentuação, segundo eles, é: têm (acento diferencial de número) vêm (acento diferencial de número) detém (oxítona terminada em EM) detêm (acento diferencial de número c/c oxítona terminada em EM). 11 -(AFTN/1998) Marque a afirmação falsa. a) O acento circunflexo diferencial na forma verbal ‘pôr’(l.3) explica-se, também, porque este monossílabo é tônico. Item CORRETO. Comentário. O que nos interessa nessa questão é comentar a opção que aborda o tema de hoje – ORTOGRAFIA, VOCÁBULOS E AFINS. Por isso, não chegamos nem a transcrever o texto que serve de base para a questão. Perceba que na opção (a), que foi considerada correta, o examinador usou a palavra “também” para reforçar que, além do caráter diferencial, seu acento circunflexo se deve ao fato de o verbo “pôr” ser um monossílabo tônico, em comparação com a preposição por, que é átona. www.pontodosconcursos.com.br 21
  22. 22. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI 12 - (AFRF 2003) Indique o item em que todas as palavras estão corretamente empregadas e grafadas. a) A pirâmide carcerária assegura um contexto em que o poder de infringir punições legais a cidadãos aparece livre de qualquer excesso e violência. b) Nos presídios, os chefes e exatamente nem juízes, contramestres, nem suboficiais, a si um pouco de tudo isso, específico. subchefes não devem ser nem professores, nem nem “pais”, porém avocam num modo de intervenção c) O carcerário, ao homogeinizar o poder legal de punir e o poder técnico de disciplinar, ilide o que possa haver de violento em um e de arbitrário no outro, atenuando os efeitos de revolta que ambos possam suscitar. d) No singular poder de punir, nada mais lembra o antigo poder do soberano iminente que vingava sua autoridade sobre o corpo dos supliciados. e) A existência de uma proibição legal cria em torno dela um campo de práticas ilegais, sob o qual se chega a exercer controle e aferir lucro ilícito, mas que se torna manejável por sua organização em delinqüência. (Itens adaptados de Michel Foucault) GABARITO: B Comentário. Nessa questão, a ESAF testou o conhecimento de alguns parônimos (palavrinhas parecidas, mas cujos significados são diferentes). Estão incorretas: a) INFRINGIR – cometer infração / INFLIGIR (correto) – aplicar uma pena www.pontodosconcursos.com.br 22
  23. 23. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI c) Está incorreta a grafia da palavra HOMOGENEIZAR (HOMOGÊNEO + IZAR). Sobe esse processo de formação da palavra, reveja as observações iniciais deste ponto. d) IMINENTE – prestes a acontecer / EMINENTE (correto) – importante e) AFERIR – medir / AUFERIR (correto) – ganhar, obter. 13 - (TTN 1997) Assinale o item gramaticalmente correto. d) O relatório conclue que não é preciso haver um Estado reduzido no mínimo, mas um Estado que funciona. e) Política, história, instituições e leis, todos esses fatores vão determinar o bom ou mal funcionamento da economia, e não existe estratégia de desenvolvimento que seja adequada a todos os casos. (Folha de S. Paulo - 13.7.97, com adaptações) Itens INCORRETOS. Comentário. d) CONCLUI – Essa confusão - tão comum - tem uma explicação (explica mas não justifica o erro): os verbos terminados em “ir” conjugam-se normalmente com um “e” na desinência das terceiras pessoas do Presente do Indicativo – PARTIR: ele parte / eles partem - FERIR: ele fere / eles ferem - DECIDIR: ele decide / eles decidem. Esse raciocínio leva os falantes da língua a fazerem a mesma conjugação com os verbos terminados em hiato, como é o caso de ‘CONCLUIR’. Contudo, nesses verbos, a conjugação da 3ª pessoa do singular (ele/ela/você) termina com a letra “i” – CONCLUIR: ele conclui – OBSTRUIR: ele obstrui – POSSUIR: ele possui. Mas, na 3ª pessoa do plural, retoma-se a desinência “EM” (com “E”): CONCLUIR: eles concluem - OBSTRUIR: eles obstruem – POSSUIR: eles possuem. www.pontodosconcursos.com.br 23
  24. 24. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI e) Não confunda estes vocábulos: BOM ≠ MAU (adjetivos) / BEM ≠ MAL (advérbios) Ex: Eu nado muito BEM / MAL. (advérbios) Ele é um rapaz BOM / MAU. (adjetivos) O texto da opção “e”: “Política, história, instituições e leis, todos esses fatores vão determinar o bom ou mal funcionamento da economia,...” – Opa! Um dos dois está errado! Temos de identificar a classe gramatical dos vocábulos. Eles apresentam uma idéia circunstancial (advérbio) ou uma qualidade (adjetivo) ao substantivo “funcionamento”? Nessa construção, por estarem modificando um SUBSTANTIVO (“funcionamento”), são ADJETIVOS, e não advérbios. ADVÉRBIO é palavra invariável que, apresentando uma idéia circunstancial, modifica um VERBO, um ADJETIVO ou outro ADVÉRBIO. ADJETIVO atribui ao substantivo (ou um termo que o represente) uma característica, qualidade ou estado. Logo, são dois adjetivos – BOM e MAU. Sendo assim, a forma correta seria “...o bom ou mau funcionamento da economia,...”. Não foi à toa que escolhi Classes de palavras e Função Sintática para o nosso primeiro encontro, lá no meu primeiro ponto. Muitas vezes, a partir do conhecimento desses conceitos, é possível resolver uma questão de prova. 14 - (MPOG/ 2003) Assinale a opção que corresponde a erro gramatical ou de grafia das palavras. Considerando que a constituição de uma nova cultura do trabalho nos empreendimentos populares só pode ser(1) compreendida como um processo que perspassa(2) o conjunto mais amplo das relações sociais, seria(3) uma ilusão imaginar que é possível encontrar no interior da www.pontodosconcursos.com.br 24
  25. 25. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI sociedade capitalista uma organização econômica que, mesmo gerida(4) pelos próprios trabalhadores, pudesse se(5) caracterizar, em seu conjunto, como “cultura de novo tipo”. (Adaptado de Lia Tiriba) a) 1 b) 2 c) 3 d) 4 e) 5 GABARITO: B Comentário. O verbo perpassar (olha a grafia), como transitivo direto, significa – segundo o Aurélio – postergar, preterir. Talvez, a intenção da banca tenha sido promover uma “contaminação” desse verbo com outros mais comuns, com o transpassar, ou até com os substantivos perspectiva, perspicácia. Quer uma surpresa? Olhe a próxima questão, da prova para AFC CGU, aplicada meses após a do MPOG, que acabamos de ver. 15 - (AFC/CGU 2003/2004) Assinale a opção que corresponde a palavra ou expressão do texto que contraria a prescrição gramatical. No século XX, a arte cinematográfica introduziu um novo conceito de tempo. Não mais o conceito linear, histórico, que perspassa(1) a Bíblia e, também, as pinturas de Fra Angelico ou o Dom Quixote, de Miguel de Cervantes. No filme, predomina a simultaneidade(2). Suprimem-se(3) as barreiras entre tempo e espaço. O tempo adquire caráter espacial, e o espaço, caráter temporal. No filme, o olhar da câmara e do espectador(4) passa, com toda a liberdade, do www.pontodosconcursos.com.br 25
  26. 26. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI presente para o passado e, desse, para o futuro. Não há continuidade ininterrupta(5). (Adaptado de Frei Betto) a) 1 b) 2 c) 3 d) 4 e) 5 GABARITO: A Comentário. Assim não vale! Agora ficou fácil! Você já tinha visto como se escreve o verbo do item (1). E é por essas e outras que não me canso de recomendar a resolução de provas anteriores da ESAF (ou até de outras bancas) como método de estudo. As questões muitas vezes se repetem, e isso se aplica a todas as disciplinas. Item (2) - O que você achou do “simultaneidade”? É familiar para você? Não preciso comentar, não é mesmo? Na dúvida, releia este ponto desde o começo. Item (3) – por tratar de construção de voz passiva e concordância, esse comentário fica para a aula sobre verbos. Item (4) - “Espectador” é o que vê ou testemunha certos atos (ou programas de televisão), enquanto que seu parônimo expectador é o que está na expectativa. O uso daquele vocábulo está certinho de acordo com o contexto. Item (5) - Estamos diante de mais um caso de substantivo com letrinha indispensavelmente muda – ININTERRUPTA. 16 – (AFTE RN/2005) Marque a assertiva errada em relação ao texto seguinte: www.pontodosconcursos.com.br 26
  27. 27. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI O ano de 2003 é marcado pela recessão econômica no Brasil e em vários países do mundo. Aqui, o clima foi de expectativa em relação a um novo governo que assumiu o País diante de um grave quadro de desigualdade social. O Brasil assistiu, estarrecido, no outro lado do mundo, a uma invasão no Oriente Médio promovida pela dupla Bush/Blair. E o terrorismo só recrudesceu. De que forma todos esses acontecimentos podem ter influído no imaginário do executivo brasileiro? (Carta Capital, n° 307) c) “Expectador” é uma palavra cognata de “Expectativa”, mas ao contrário dessa pode também ser grafada com “s” na primeira sílaba, sem alteração de sentido. Item INCORRETO. Comentário. O problema desse item está na parte final, em que afirma não ocorrer alteração de sentido na grafia de expectador com “s” (espectador). Como vimos, são parônimos: “espectador” significa o que assiste a algo e “expectador”, o que possui expectativa sobre algo. 17 - (AFC/CGU 2003/2004) Assinale a opção que corresponde a palavra ou expressão do texto que contraria a prescrição gramatical. Aos poucos, o horizonte histórico apaga-se(1), como as luzes de um palco após o espetáculo. A utopia sai de cena, o que(2) permite a Fukuyama vatiscinar(3): "A história acabou". Ao contrário do que(4) adverte Coélet, no Eclesiastes, não há mais tempo para construir e tempo para destruir; tempo para amar e tempo para odiar; tempo para fazer a guerra e tempo para estabelecer a paz. O tempo é agora. E nele se sobrepõem(5) construção e destruição, amor e ódio, guerra e paz. www.pontodosconcursos.com.br 27
  28. 28. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI (Adaptado de Frei Betto) a) 1 b) 2 c) 3 d) 4 e) 5 GABARITO: C Comentário. Como é o verbo que corresponde à prática de um VATICÍNIO? O verbo é VATICINAR, que significa predizer, prenunciar. A regra da “palavra derivada conserva a grafia da palavra primitiva” é aplicável aqui nesta questão. Ambas são escritas com “c” e não “sc”. 18 - (TTN/ 1997) Assinale o item incorreto em relação às exigências do padrão culto da língua escrita. a) A Organização Internacional de Aviação Civil (OECI) considera todo passageiro aéreo um terrorista inocente em potencial. b) A entidade das Nações Unidas encarregada de cuidar da segurança de vôo, com sede no Canadá, emitiu, ano passado, alerta aos organismos governamentais sobre produtos perigosos carregados em bagagens. c) O alerta lista 3.291 itens e solicita que os governos criem campanhas publicitárias para concientizar os passageiros sobre o risco de levar na bagagem explosivos que se escondem sob a forma de objetos aparentemente inofensivos, como sprays para cabelos, isqueiros a gás, caixas de fósforos, kits de limpeza de computadores e pilhas alcalinas. d) A recomendação não pára aí. Alguns produtos podem causar irritação ou sufocamento, como ácido fórmico, www.pontodosconcursos.com.br 28
  29. 29. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI arsênico e inseticidas, ou ferimentos graves, como oxidantes, ácido sulfúrico, produtos alcalinos e soda cáustica. e) Outro ponto lembrado na norma refere-se a interferências em equipamentos aeronáuticos causadas por ímãs e equipamentos eletrônicos, como celulares. (Correio Braziliense - 15.7.97, com adaptações) GABARITO: C Comentário. Houve um erro de ortografia na palavra CONSCIENTIZAR. Esse vocábulo deriva de consciência e apresenta o dígrafo “sc”. Mais uma vez, bastaria lembrar a regra “palavra derivada conserva a grafia da palavra primitiva”. 19 - (TTN/1997) Assinale o item incorreto em relação às exigências do padrão culto da língua escrita. a) O Fundo de Estabilização Fiscal (FEF) permite ao governo remanejar recursos do orçamento e fazer uma reserva para cobrir despesas extras. O FEF é composto de recursos diversos, entre eles parte do Imposto de Renda (IR) de funcionários públicos e fornecedores da União. b) Sem o FEF, o governo só pode realizar despesas previstas no orçamento, conforme as regras da Constituição. Sem o fundo não é possível usar para pagar salários um dinheiro destinado à saúde, por exemplo. O FEF, portanto, garante maior mobilidade. c) Entretanto, o IR é também o principal item do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), uma espécie de mesada paga pelo governo aos municípios. d) Por determinação da Constituição, todos os municípios têm direito a 17% do FPM (que reune recursos do IR e do Imposto sobre Produtos Industrializados). www.pontodosconcursos.com.br 29
  30. 30. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI e) Desde o início da vigência do FEF, em 1994, (antes chamava-se Fundo Social de Emergência) os municípios já perderam R$ 1 bilhão/ano. Isso porque a principal fonte do FEF e do FPM é a mesma: o IR. (Correio Braziliense - 15.7.97, com adaptações) GABARITO: D Comentário. Faltou um acento agudo no vocábulo reúne. A letra “i” ou “u”, segunda vogal de um hiato, sozinha na sílaba (desde que não seguida de NH) ou acompanhada da letra “s”, deve receber o acento agudo, como ruído, egoísta, maniqueísta. A dica do paradigma ajuda bastante: na dúvida, procure uma outra palavra parecida cuja grafia você conheça (servirá de paradigma) e verifique com se escreve. Parecida com reúne, existe ciúme. 20 - (AFC/STN 2002) - Marque o item em que a forma proposta não preenche a lacuna do respectivo segmento do texto com precisão vocabular e correção gramatical. a) No âmbito das políticas públicas, houve mudanças concretizadas através das propostas coletadas no Relatório do Ministério da Justiça pelo Comitê Nacional para a participação brasileira na III Conferência Mundial das Nações Unidas contra o Racismo, --------------------- Racial, Xenofobia e Intolerância Correlata. Descriminação b) No documento oficial está a seguinte proposta: “adição de cotas ou outras medidas afirmativas que promovam ---------------------------------------------- universidades públicas.” o ascenso de negros às c) O próprio presidente do Supremo Tribunal Federal defende a ação afirmativa, que considera constitucional: www.pontodosconcursos.com.br 30
  31. 31. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI “Precisamos deixar de lado a postura ---------------------- e partir para atos concretos.” contemplativa d) “O único modo de se ---------------------- desigualdades é colocar a lei a favor daquele que é tratado de modo desigual.” corrigirem e) Em vários setores do Governo Federal, medidas de ação afirmativa já foram ou -------------------- implantadas. têm sido (Baseado em UnB Revista, n° 6) GABARITO: A Comentário. Nessa questão, a banca voltou a exigir o conhecimento sobre parônimos: DISCRIMINAÇÃO e DESCRIMINAÇÃO. DISCRIMINAÇÃO equivale a SEGREGAÇÃO, SEPARAÇÃO (“A discriminação contra imigrantes é uma das causas dos recentes protestos na França.”) ou, em outro contexto, significa a faculdade de discernir, distinguir (“Ele discriminou os itens que gostaria de abordar em sua tese.”). DESCRIMINAÇÃO, por sua vez, significa retirar a criminalidade de um fato (ato de descriminar). Somente uma atenta leitura poderá elucidar qual desses vocábulos deve ser empregado na lacuna. Os vocábulos “Racismo, Xenofobia, Intolerância Correlata” apontam para o primeiro conceito – DISCRIMINAÇÃO. Os itens b e c também exploram o vocabulário do candidato. Não me canso de repetir: havendo dúvidas, pense na ortografia de uma palavra correlata (regra do paradigma) ou em como se escreve a palavra originária (regra “palavra derivada conserva a grafia da palavra primitiva”). www.pontodosconcursos.com.br 31
  32. 32. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI Provavelmente o vocábulo ascenso não faz parte do seu vocabulário cotidiano, mas quase todos os dias você se depara com aquele trabalhador que tem muitos sobes-edesces na vida: fica dentro do elevador, apertando os botõezinhos dos andares. Quem é ele? O ASCENSORISTA (boa essa dica, hem?). Então, o que faz o ascensorista? ASCENDER (subir, elevar-se, segundo Aurélio). Talvez, alguém, alguma vez na vida, o tenha chamado (ou pelo menos pensado em chamá-lo) de “acessorista”, sim ou não? Isso poderia ter acontecido por analogia à palavra “acesso”. Tudo bem, isso acontece... O problema é que “acessorista”, segundo o dicionário, é “a pessoa responsável pelos acessórios”, ou seja, não tem nada a ver com aquele sujeito simpático que o leva ao andar desejado. Até o próximo encontro. LISTA DAS QUESTÕES COMENTADAS 01- (AFC/SFC 2002) No texto abaixo, foram introduzidos erros. Para saná-los, foram propostas algumas substituições. Julgue as substituições e depois assinale a opção que contém a seqüência das alterações necessárias para adequar o texto ao padrão culto formal do idioma. “O conceito de tributo, face sua interpretação nos conformes à Constituição, tem essa peculiaridade: deve obedecer ao princípio da legalidade estrita. Cumpre ressaltar mais uma vez: não há possibilidade de discricionariedade na definição legislativa do tributo, mas só teremos tributo se o dever de pagar uma importância ao Estado for vinculado à previsão de ter riqueza.” (Nina T. D. Rodrigues, com adaptações) IV. substituir “discricionariedade”(l “discricionaridade” .5 www.pontodosconcursos.com.br e 6) por 32
  33. 33. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI 2 - (Fiscal do Trabalho/1998) Leia o texto seguinte para responder às questões. Existe atualmente, uma série de leis que protegem o trabalhador. O trabalhador cede o seu trabalho e quem toma o trabalho do operário vê-se obrigado a cumprir um conjunto de obrigações, que estão agrupadas na lei denominada Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Sempre que houver a despedida de um trabalhador motivada ou imotivadamente, e qualquer uma das partes, principalmente o empregado, considerar que, aquilo que foi tratado por ocasião de seu contrato de trabalho não foi cumprido na sua demissão, ele vai ao seu sindicato e argüi perante as Juntas de Conciliação e Julgamento, os seus direitos. Quando é argüida a insalubridade ou a pericolosidade, o juíz requisitará perícias a cargo do médico do trabalho ou engenheiro do trabalho. (Baseado em João Alberto Maeso Montes e Dirceu Francisco Araújo Rodrigues) Com relação à ortografia, ocorre(m) no texto a) nenhum erro b) dois erros c) quatro erros f) três erros g) um erro 3 - (Analista Com.Exterior/1998) Leia o texto seguinte para responder às questões. Em Direito Tributário, a expressão sanções políticas corresponde a restrições ou proibições impostas ao contribuinte, como forma indireta de obrigá-lo ao pagamento do tributo, tais como a interdição do estabelecimento, a apreensão de mercadorias, o regime especial de fiscalização, entre outras. Qualquer que seja a restrição que implique cerceamento da liberdade de exercer www.pontodosconcursos.com.br 33
  34. 34. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI atividade lícita é inconstitucional, porque contraria o disposto nos artigos 5o, inciso XIII, e 170, parágrafo único, do estatuto maior do país. O Supremo Tribunal Federal sumulou sua jurisprudência no sentido de serem inconstitucionais as sanções políticas. A Súmula 70 diz que é inadimissível a interdição de estabelecimento como meio coercitivo para cobrança de tributo. Diz a Súmula 323 que é inaceitável a apreensão de mercadorias como meio coercitivo para pagamento de tributo, e a 547, estabelece que não é lícito à autoridade proibir que o contribuinte em débito adquira estampílias, despache mercadorias nas alfândegas e exerça suas atividades profissionais. Não obstante inconstitucionais, as sanções políticas, que no Brasil remontam aos tempos da ditadura de Vargas, vêm-se tornando, a cada dia, mais numerosas e arbitrárias, consubstanciando as mais diversas formas de restrições a direitos do contribuinte, como forma oblíqua de obrigá-lo ao pagamento de tributos ou, às vezes, como forma de retaliação contra o contribuinte que vai a juízo pedir proteção contra cobranças ilegais. (Baseado em Hugo de Brito Machado, Direito e Justiça, CB, 27/04/1998) Em relação à ortografia, ocorre(m) no texto a) um erro b) dois erros c) nenhum erro d) três erros e) quatro erros 4 - (Analista Com.Exterior/1998) Assinale o período com grafia inteiramente correta. a) Na solenidade de inauguração da escola, o diretor revelou alviçareira notícia: a liberação de recursos para a construção de uma quadra poliesportiva. www.pontodosconcursos.com.br 34
  35. 35. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI b) Agradeceu também aos professores e estudantes que sempre perfilharam ao lado da direção na busca de um ensino de melhor qualidade. c) Renovou seu idealismo de puguinar para a escola alçarse à categoria de escola-padrão do município. d) Enfatizou serem as escolas, ocupem-se elas do grau de ensino que for, o lugar em que se vai construindo o cidadão consciente e crítico. e) Reinterou sua convicção no atingimento das metas a que se propôs como fundador e primeiro diretor da escola. 5 – (MPU/2005) Marque o item em que uma das sentenças não está gramaticalmente correta. a) A literatura depende muito de condições subjetivas, raramente satisfaz apenas os sentidos, exige colaboração, embora muitos acreditem que as obras literárias possam brotar de cérebros insulados. / A literatura depende muito de condições subjetivas, raramente satisfaz apenas aos sentidos, exige colaboração, embora muitos acreditem que as obras literárias possam brotar de cérebros insulados. b) Um povo não perde os seus mais fortes determinantes se recebe, aceita e pratica a pintura e a música de outra origem, mas dificilmente adotará literatura estranha sem perda de alguns de seus valores. / Um povo não perderá os seus mais fortes determinantes se receber, aceitar e praticar a pintura e a música de outra origem, mas dificilmente adotará literatura estranha sem perda de alguns de seus valores. c) Já tive ocasião de mostrar quanto me parecem precárias três afirmativas de Euclides da Cunha: a questão do cruzamento; a fatalidade da luta das raças e o autoctonismo do homem americano. / Já tive ocasião de mostrar como me parecem precárias três afirmativas de Euclides da Cunha: a www.pontodosconcursos.com.br 35
  36. 36. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI questão do cruzamento; a fatalidade da luta das raças e o autoctonismo do homem americano. d) Quando surgiu Euclides da Cunha, nossa literatura podia enumerar grandes nomes pertencentes ao “sistema” de que falei há pouco. / Quando surgiu Euclides da Cunha, nossa literatura podia enumerar grandes nomes pertencentes ao “sistema” de que faz pouco falei. e) No Brasil, a nacionalidade e a literatura formaram um “sistema” interessantíssimo, que a cerca de trezentos anos desenvolve-se. / No Brasil, a nacionalidade e a literatura formaram um “sistema” interessantíssimo, que há cerca de trezentos anos se desenvolve. (Baseado em Roquette Pinto) 6 - (TRF/2002) Indique a opção que completa com correção gramatical e com coerência as lacunas do texto abaixo. O Estado cresceu em termos de pessoal e, principalmente, em termos de receita e despesa. Em muitos países, os servidores públicos, excluídos os trabalhadores das empresas estatais, correspondem ___________10 a 20 por cento da força de trabalho, __________no início do século XX essa proporção estava próxima de 5 por cento. As despesas do Estado, por sua vez, ___________ nesse período: nos últimos trinta anos ____________, variando entre 30 e 50 por cento do PIB. Naturalmente, esse processo de crescimento ocorria ao mesmo tempo em que _________________as funções do Estado, principalmente na área social. (Luiz Carlos Bresser Pereira, com adaptações) a) a cerca de / enquanto / multiplicaram-se / dobraram / se ampliavam b) acerca de / quando / multiplicara / dobraram-se / ampliava-se c) cerca de / quanto/ multiplicaram / dobravam-se / se ampliava www.pontodosconcursos.com.br 36
  37. 37. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI d) em cerca de / em quanto / se multiplicava / dobrou / ampliavam e) de cerca de / por quanto / multiplicavam / dobravam-se / ampliava 7 - (Auditor de Fortaleza/1998) Nas questões seguintes, indique entre os itens sublinhados o que contém erro gramatical ou impropriedade vocabular. Não é muito difícil imaginar os motivos que teria a Argentina para entabular(A) agora uma conversa mais séria com o Brasil a cerca(B) da criação de uma moeda única no Mercosul. Existe uma motivação não reconhecida oficialmente mas plenamente visível: o receio das desvalorizações do real – na base de(C) 0,6% ao mês – e o impacto que isso já está tendo sobre os preços das exportações argentinas ao mercado brasileiro. O tema é complexo e tem muito mais implicações(D) do que a decisão de mandar um argentino em viagem à(E) Lua. (Maria Clara R. M. Prado - Gazeta Mercantil - 21 e 22/2/1998, adaptado) a) A b) B c) C d) D e) E 8- (AFC/SFC/2000) Assinale, entre as substituições propostas, a que corrige adequadamente o erro do trecho seguinte: Antes de digladiar sobre como os novos impostos deveriam ser distribuídos entre as três esferas de governo - questão que consumiu a melhor parte dos humores e energia de prefeitos, governadores e autoridades fazendárias federais www.pontodosconcursos.com.br 37
  38. 38. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI nos últimos três anos -, talvez vale a pena perguntar como, de um ponto de vista agregado, deixando por um momento de lado as complexidades do federalismo fiscal, poderiam ser os R$ 131 bilhões arrecadados de forma mais racional. (Adaptado de Rogério L. F. Werneck , O Estado de S. Paulo, 27/10/2000) SUBSTITUIR POR a) Digladiar degladiar b) Sobre a cerca da forma c) Entre dentre d) Vale valha e) poderiam ser poderia ser 9 - (TCE RN/2000) Marque o item em que um dos dois períodos está gramaticalmente incorreto. a) Entre as leis editadas pela União, algumas há que se destinam à organização político-administrativa do Estado brasileiro, penetrando na estrutura da República Federativa, para nela dispor instituições e institutos, quer essenciais, quer acidentais à república e à federação. / Entre as leis editadas pela União, algumas há que se destinam à organização política-administrativa do Estado brasileiro, penetrando na estrutura da República Federativa, para nela dispôr instituições e institutos, quer essenciais, quer acidentais à república e à federação. b) O federalismo brasileiro é de duplo grau, declinando por dois degraus entre três patamares, pelo que suporta, em três níveis de poder, três repartições genéricas de competência. / O federalismo brasileiro é de duplo grau, declinando por dois degraus entre três patamares, razão por que suporta, em três níveis de poder, três repartições genéricas de competência. c) No gênero das leis federativas, é possível discernir duas espécies bem visíveis: leis federais intransitivas e www.pontodosconcursos.com.br 38
  39. 39. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI transitivas. / No gênero das leis federativas, podem-se discernir duas espécies bem visíveis: leis federais intransitivas e transitivas. d) As leis nacionais podem ser de ordem pública ou de ordem privada, guardando preponderante interesse público ou administrativo, ou social, ou privado. / As leis nacionais podem ser de ordem pública ou de ordem privada, e guardam preponderante interesse público ou administrativo, ou social, ou privado. e) Algumas leis eminentemente federativas, como o Código Tributário Nacional, autoproclamam-se ‘nacionais’. / Algumas leis eminentemente federativas, como o Código Tributário Nacional, se autoproclamam ‘nacionais’. (Baseado em Sérgio Resende de Barros) 10 - (TTN 1998) Leia o texto questão abaixo. seguinte e responda à Segundo os cientistas, os macacos pongídeos – termo usado para designar os bichos mais próximos do homem, como gorilas, orangotangos, chimpansés e bonobos – vivem em sociedades organizadas, em que as relações entre os individuos são semelhantes às humanas. Diferentemente dos animais mais primitivos, aos quais se atribuem apenas emoções simples, como medo e fome, esses macacos parecem possuir compaixão e solidariedade. Sua capacidade intelectual está muito acima de todo o restante dos bichos e a diferença entre seu código genético e o dos seres humanos é de apenas 1,6%. As pesquisas com essas espécies vem causando tanta comoção que, no final de 1997, um grupo de biólogos, assessorado por advogados ambientalistas, publicou um documento pedindo a extensão dos direitos humanos aos pongídeos! (Valéria França - Veja - 28/1/98, adaptado) Há, no texto, a) três erros de ortografia www.pontodosconcursos.com.br 39
  40. 40. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI b) nenhum erro de ortografia c) dois erros de ortografia d) um erro de ortografia e) quatro erros de ortografia 11 - (AFTN/1998) Marque a afirmação falsa. a) O acento circunflexo diferencial na forma verbal ‘pôr’(l.3) explica-se, também, porque este monossílabo é tônico. 12 - (AFRF 2003) Indique o item em que todas as palavras estão corretamente empregadas e grafadas. a) A pirâmide carcerária assegura um contexto em que o poder de infringir punições legais a cidadãos aparece livre de qualquer excesso e violência. b) Nos presídios, os chefes e exatamente nem juízes, contramestres, nem suboficiais, a si um pouco de tudo isso, específico. subchefes não devem ser nem professores, nem nem “pais”, porém avocam num modo de intervenção c) O carcerário, ao homogeinizar o poder legal de punir e o poder técnico de disciplinar, ilide o que possa haver de violento em um e de arbitrário no outro, atenuando os efeitos de revolta que ambos possam suscitar. d) No singular poder de punir, nada mais lembra o antigo poder do soberano iminente que vingava sua autoridade sobre o corpo dos supliciados. e) A existência de uma proibição legal cria em torno dela um campo de práticas ilegais, sob o qual se chega a exercer controle e aferir lucro ilícito, mas que se torna manejável por sua organização em delinqüência. (Itens adaptados de Michel Foucault) www.pontodosconcursos.com.br 40
  41. 41. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI 13 - (TTN 1997) Assinale o item gramaticalmente correto. d) O relatório conclue que não é preciso haver um Estado reduzido no mínimo, mas um Estado que funciona. e) Política, história, instituições e leis, todos esses fatores vão determinar o bom ou mal funcionamento da economia, e não existe estratégia de desenvolvimento que seja adequada a todos os casos. (Folha de S. Paulo - 13.7.97, com adaptações) 14 - (MPOG/ 2003) Considerando que a constituição de uma nova cultura do trabalho nos empreendimentos populares só pode ser(1) compreendida como um processo que perspassa(2) o conjunto mais amplo das relações sociais, seria(3) uma ilusão imaginar que é possível encontrar no interior da sociedade capitalista uma organização econômica que, mesmo gerida(4) pelos próprios trabalhadores, pudesse se(5) caracterizar, em seu conjunto, como “cultura de novo tipo”. (Adaptado de Lia Tiriba) a) 1 b) 2 c) 3 d) 4 e) 5 15 - (AFC/CGU 2003/2004) Assinale a opção que corresponde a palavra ou expressão do texto que contraria a prescrição gramatical. No século XX, a arte cinematográfica introduziu um novo conceito de tempo. Não mais o conceito linear, histórico, que perspassa(1) a Bíblia e, também, as pinturas de Fra Angelico ou o Dom Quixote, de Miguel de Cervantes. No filme, predomina a simultaneidade(2). Suprimem-se(3) as www.pontodosconcursos.com.br 41
  42. 42. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI barreiras entre tempo e espaço. O tempo adquire caráter espacial, e o espaço, caráter temporal. No filme, o olhar da câmara e do espectador(4) passa, com toda a liberdade, do presente para o passado e, desse, para o futuro. Não há continuidade ininterrupta(5). (Adaptado de Frei Betto) a) 1 b) 2 c) 3 d) 4 e) 5 16 – (AFTE RN/2005) Marque a assertiva errada em relação ao texto seguinte: O ano de 2003 é marcado pela recessão econômica no Brasil e em vários países do mundo. Aqui, o clima foi de expectativa em relação a um novo governo que assumiu o País diante de um grave quadro de desigualdade social. O Brasil assistiu, estarrecido, no outro lado do mundo, a uma invasão no Oriente Médio promovida pela dupla Bush/Blair. E o terrorismo só recrudesceu. De que forma todos esses acontecimentos podem ter influído no imaginário do executivo brasileiro? (Carta Capital, n° 307) c) “Expectador” é uma palavra cognata de “Expectativa”, mas ao contrário dessa pode também ser grafada com “s” na primeira sílaba, sem alteração de sentido. 17 - (AFC/CGU 2003/2004) Aos poucos, o horizonte histórico apaga-se(1), como as luzes de um palco após o espetáculo. A utopia sai de cena, o que(2) permite a Fukuyama vatiscinar(3): "A história acabou". Ao contrário do que(4) adverte Coélet, no Eclesiastes, não há mais tempo para www.pontodosconcursos.com.br 42
  43. 43. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI construir e tempo para destruir; tempo para amar e tempo para odiar; tempo para fazer a guerra e tempo para estabelecer a paz. O tempo é agora. E nele se sobrepõem(5) construção e destruição, amor e ódio, guerra e paz. (Adaptado de Frei Betto) a) 1 b) 2 c) 3 d) 4 e) 5 18 - (TTN/ 1997) Assinale o item incorreto em relação às exigências do padrão culto da língua escrita. a) A Organização Internacional de Aviação Civil (OECI) considera todo passageiro aéreo um terrorista inocente em potencial. b) A entidade das Nações Unidas encarregada de cuidar da segurança de vôo, com sede no Canadá, emitiu, ano passado, alerta aos organismos governamentais sobre produtos perigosos carregados em bagagens. c) O alerta lista 3.291 itens e solicita que os governos criem campanhas publicitárias para concientizar os passageiros sobre o risco de levar na bagagem explosivos que se escondem sob a forma de objetos aparentemente inofensivos, como sprays para cabelos, isqueiros a gás, caixas de fósforos, kits de limpeza de computadores e pilhas alcalinas. d) A recomendação não pára aí. Alguns produtos podem causar irritação ou sufocamento, como ácido fórmico, arsênico e inseticidas, ou ferimentos graves, como oxidantes, ácido sulfúrico, produtos alcalinos e soda cáustica. www.pontodosconcursos.com.br 43
  44. 44. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI e) Outro ponto lembrado na norma refere-se a interferências em equipamentos aeronáuticos causadas por ímãs e equipamentos eletrônicos, como celulares. (Correio Braziliense - 15.7.97, com adaptações) 19 - (TTN/1997) Assinale o item incorreto em relação às exigências do padrão culto da língua escrita. a) O Fundo de Estabilização Fiscal (FEF) permite ao governo remanejar recursos do orçamento e fazer uma reserva para cobrir despesas extras. O FEF é composto de recursos diversos, entre eles parte do Imposto de Renda (IR) de funcionários públicos e fornecedores da União. b) Sem o FEF, o governo só pode realizar despesas previstas no orçamento, conforme as regras da Constituição. Sem o fundo não é possível usar para pagar salários um dinheiro destinado à saúde, por exemplo. O FEF, portanto, garante maior mobilidade. c) Entretanto, o IR é também o principal item do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), uma espécie de mesada paga pelo governo aos municípios. d) Por determinação da Constituição, todos os municípios têm direito a 17% do FPM (que reune recursos do IR e do Imposto sobre Produtos Industrializados). e) Desde o início da vigência do FEF, em 1994, (antes chamava-se Fundo Social de Emergência) os municípios já perderam R$ 1 bilhão/ano. Isso porque a principal fonte do FEF e do FPM é a mesma: o IR. (Correio Braziliense - 15.7.97, com adaptações) 20 - (AFC/STN 2002) - Marque o item em que a forma proposta não preenche a lacuna do respectivo segmento do texto com precisão vocabular e correção gramatical. a) No âmbito das políticas públicas, houve mudanças concretizadas através das propostas coletadas no Relatório www.pontodosconcursos.com.br 44
  45. 45. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI do Ministério da Justiça pelo Comitê Nacional para a participação brasileira na III Conferência Mundial das Nações Unidas contra o Racismo, --------------------- Racial, Xenofobia e Intolerância Correlata. Descriminação b) No documento oficial está a seguinte proposta: “adição de cotas ou outras medidas afirmativas que promovam ---------------------------------------------- universidades públicas.” o ascenso de negros às c) O próprio presidente do Supremo Tribunal Federal defende a ação afirmativa, que considera constitucional: “Precisamos deixar de lado a postura ---------------------- e partir para atos concretos.” contemplativa d) “O único modo de se ---------------------- desigualdades é colocar a lei a favor daquele que é tratado de modo desigual.” corrigirem e) Em vários setores do Governo Federal, medidas de ação afirmativa já foram ou -------------------- implantadas. têm sido (Baseado em UnB Revista, n° 6) www.pontodosconcursos.com.br 45
  46. 46. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI AULA 1: VERBO Olá a todos. Daremos início, hoje, a um dos assuntos mais importantes no estudo da Língua Portuguesa – VERBO. Quase tudo no estudo da gramática envolve verbo – concordância verbal, regência verbal, conjugação verbal (englobando, inclusive, questões de ortografia, como vimos na aula zero), colocação pronominal (a posição do pronome em relação ao verbo), análise sintática etc. Ele é um verdadeiro coração do conjunto oracional – à sua volta, funcionam os demais elementos. O tópico de hoje abordará conjugação verbal. Para isso, temos de relembrar alguns conceitos básicos (como sempre). Falaremos, inicialmente, sobre a estrutura de um verbo (formação da palavra). Conceito: VERBO é uma palavra variável (pode flexionarse em número, pessoa, modo, tempo e voz) que indica uma ação, estado ou fenômeno. As questões de prova podem abordar diversos aspectos relacionados a verbo – conjugação, voz verbal, correlação entre verbos no período, dentre tantos outros. Então, vamos lá. Lembro que na parte final do nosso estudo estão todas as questões comentadas. Por isso, se você preferir, imprima as últimas páginas, faça os exercícios e, somente depois disso, veja os comentários. Bom estudo. CONJUGAÇÃO VERBAL 1 - (ACE TCU –2002) Identifique o segmento inteiramente correto quanto à ortografia e morfologia. www.pontodosconcursos.com.br 1
  47. 47. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI a) A sensação de que o século XX ainda não acabou dificilmente pôde perdurar até a ocorrência de um cataclisma como foi a guerra de 14, mesmo porque há um sentimento catastrófico na vida desta virada de tempo. O excesso de tecnologia corre no rumo da desesperação. b) O homem, cada vez mais angustiado, tenta encontrar refrigério nas miragens do lazer, fazendo do turismo um campo formidável de negócios. A tragédia ecológica aponta para a escassez de água como primeiro item na lista das penúrias a que poderá submeter-se o cidadão do futuro. c) A prevalescência do alusivo na dinâmica dos tempos atuais refere a força da realidade virtual, a que todos se entregam na certeza de sua primazia. d) O fato do patrimônio gerar empregos e receitas por meio do turismo não abule o paradoxo de que nativos e visitantes se distanciam do fenômeno cultural tanto quanto pessoas que, longe daquelas paragens, pouco valor atribuem a heranças destituídas de familiaridade. e) As cidades perdem em qualidade estética porque não há, na descaracterização avassaladora dos espaços urbanos, fontes capazes de saciar prazeres que há muito deixaram de sê-lo, na acaxapante rotina que uniformiza os cenários e robotiza o cidadão. (Ângelo Oswaldo, “A herança do futuro”, com adaptações) GABARITO: B Comentário. Os erros das demais opções são: Opção a) A palavra certa é cataclismo (aliás, essa palavrinha já foi objeto de prova, no concurso de TTN 1997 – questão 15); Opção c) não existe o vocábulo “prevalescência”, mas prevalência (ato de prevalecer, cuja grafia, por si só, já poderia ajudar na identificação do erro) e houve um erro de sintaxe de regência do verbo referir; www.pontodosconcursos.com.br 2
  48. 48. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI Opção e) a palavra correta é acaçapante ou acachapante (significa esmagador). O mais importante nessa questão é o erro do item d) que envolve conjugação verbal. Para ajudar a resolver questões de conjugação verbal, usamos a técnica do paradigma. Como é isso? Na dúvida com relação à conjugação de determinado verbo regular (geralmente o examinador busca um verbo pouco utilizado no seu dia-a-dia), basta observar a conjugação dos paradigmas clássicos (FALAR – 1ª conjugação, BEBER – 2ª conjugação, PARTIR – 3ª conjugação). Extraia o radical, que é o que sobra do verbo após retirar a terminação “ar”, “er” ou “ir” do infinitivo (exemplo: FAL(AR) = radical FAL-), e empregue as desinências, que são idênticas nos demais verbos regulares de mesma conjugação: Por exemplo: CONSUMAR (verbo regular de 1ª conjug.): Presente do Indicativo: Eu consum.... (???) Presente do Subjuntivo: (que) eu consum... (???) CONSUMIR (verbo regular de 3ª conjug.): Presente do Indicativo: Eu consum.... (???) Presente do Subjuntivo: (que) eu consum... (???) E aí, como você preencheu? Vamos buscar a desinência dos verbos “paradigmas”. Infinitivo Pres.Indicativo Pres.Subjuntivo Falar Eu falo (que) eu fale Consumar Eu consumo (que) eu consume Partir Eu parto (que) eu parta Consumir Eu consumo (igual) (que) eu consuma www.pontodosconcursos.com.br 3
  49. 49. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI Se o verbo for irregular, ou seja, apresenta alteração no radical em determinadas conjugações, procure outro verbo, também irregular, de mesma construção. Por exemplo: COMPETIR (3ª conjugação) – Eu comp.... (???) Esse verbo é irregular, ou seja, não mantém o radical nas conjugações. Normalmente não conjugamos esse verbo (pelo menos, não com convicção) fora de uma locução verbal. Mas usamos bastante outro verbo de idêntica estrutura. Já sabe qual é??? REPETIR. Então, como fica a conjugação desse paradigma? Eu repito => Eu compito E “ADERIR”? Como você conjugaria a primeira pessoa do singular do Presente do Indicativo? Está com dúvida? Busque um paradigma. Aceito sugestões.... Lembrou de algum? Eu conheço um – FERIR. Como fica a conjugação do paradigma? Eu firo. Logo, “eu adiro”. Voltando à questão da ESAF, você percebeu qual foi o erro da letra d? O que significa “abule”? O contexto indica tratar-se do verbo ABOLIR. Se não tivermos certeza da conjugação desse verbo, vamos fazer o quê??? Buscamos o paradigma. Sugiro o verbo ENGOLIR. Na passagem, o verbo “abolir” está na terceira pessoa do singular, no Presente do Indicativo. O verbo “engolir” ficaria “Ele engole”. Logo, a conjugação correta é abole. 2 - (PROCURADOR BACEN/ 2002) Assinale a opção correta. a) A forma verbal “intermedeia”(l.9) pode ser substituída por “intermedia” sem que haja transgressão à norma culta formal. 3 - (TTN/1997) Assinale o item correto em relação aos elementos do texto. a) Os períodos “A venda é intermediada por uma empresa localizada em um paraíso fiscal” (l.22 e 23) e “Uma Empresa localizada em paraíso fiscal intermedia a venda” são www.pontodosconcursos.com.br 4
  50. 50. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI equivalentes e gramaticalmente adequados ao padrão culto da língua escrita. Itens INCORRETOS. Comentário. Como abordam o mesmo verbo, terão o mesmo comentário. Não existe a forma verbal sugerida (“intermedia”). Os verbos terminados em –IAR são regulares, ou seja, seguem a conjugação do paradigma ‘falar’. Exemplos: ADIAR (radical é adi) – Pres.Indicativo: adio, adias, adia, adiamos, adiais, adiam VARIAR (radical é vari) - Pres.Indicativo: vario, varias, varia... Dessa mesma forma, MAQUIAR, VICIAR. conjugam-se os verbos ARRIAR, Por isso, nada de “VAREIA”, senão “VICEIA”!!! Como vimos, esses verbos são REGULARES. Mas, então, por que será que tanta gente se engana? Porque ocorre uma “contaminação” com os verbos terminados em “EAR”. Há cinco verbos terminados em -IAR que recebem a letra ‘e’ nas formas rizotônicas (Pres.Indicativo e Pres.Subjuntivo). Suas iniciais formam o anagrama M-A-R-I-O: Mediar (e derivados), Ansiar, Remediar, Incendiar, Odiar Pres.Indicativo: intermedeio, intermedeia, intermediamos, intermediais, intermedeiam intermedeia, Para facilitar, lembre-se da conjugação do verbo ODIAR, o mais comum deles. 4 - (Auditor do Trabalho/2003) No texto abaixo, assinale o trecho transcrito de forma gramaticalmente correta. www.pontodosconcursos.com.br 5
  51. 51. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI d) A interação entre as políticas estruturais e macroeconômicas constitue elemento de grande força explicativa para a trajetória da economia brasileira na última década. Item INCORRETO Comentário. Há erro de conjugação verbal. Os verbos, como o constituir, terminados pelo hiato –UIR, exceto no caso dos defectivos (verbos que não apresentam todas as formas de conjugação, como ruir), apresentam duas formas de conjugação: 1ª) O paradigma será POSSUIR (o radical é possu) – De acordo com esta regra, classificam-se praticamente todos os verbos com essa terminação. Nas 2ª e 3ª do singular trocam a letra ‘e’ da conjugação regular (como em ‘partir’) pela letra ‘i’. Mantém as demais conjugações inalteradas em relação à conjugação do verbo ‘partir’: possuo, possuis, possui, possuímos, possuís, possuem. Dessa forma, conjugam verbos como OBSTRUIR, AFLUIR, INFLUIR, ANUIR, ARGUIR (respeitada a acentuação), CONCLUIR, DISTRIBUIR, INCLUIR 2ª) CONSTRUIR (o radical é constru) e DESTRUIR (o radical é destru)– São verbos abundantes. Além da forma regular de conjugação (igual à do verbo POSSUIR: construo, construis, construi, construímos, construís, construem), mais comum em Portugal, apresenta também a conjugação irregular, em que as 2ª e 3ª pessoas do singular do Presente do Indicativo formam o ditongo aberto “ói": construo, constróis, constrói, construimos, construís, constroem, da mesma forma que os verbos terminados em –OER. Assim, vimos que os verbos terminados em –uir recebem, na 3ª pessoa do singular, a letra “i” – constitui, e não o “e” como apresentado na questão. Vamos analisar outras conjugações especiais. www.pontodosconcursos.com.br 6
  52. 52. 1. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI VERBOS TERMINADOS EM HIATO: –OER: As 2ª e 3ª pessoas do singular do Presente do Indicativo formam o ditongo aberto ‘ói’. As demais pessoas, em todos os outros tempos verbais seguem o paradigma ‘beber’, respeitadas as devidas acentuações tônicas. Na hora de escolher um exemplo, lembrem que DOER e SOER (costumar, ter hábito de) são defectivos e só se conjugam nas terceiras pessoas. Exemplos: MOER (o radical é mo) - môo, móis, mói, moemos, moeis, moem –EAR: recebem a letra ‘i’ nas formas rizotônicas (sílaba tônica no radical). Nas demais, segue o paradigma ‘falar’. Exemplo: pentear (radical pente). A sílaba tônica foi sublinhada. Pres.Indicativo penteais, penteiam Pres.Subjuntivo – penteeis, penteiem penteio, penteie, Pret.Perfeito: penteei, penteastes, pentearam penteia, penteia, penteamos, penteies, penteie, penteemos, penteaste, penteou, penteamos, 2. VERBOS “DERIVADOS” DE ÁGUA – DESAGUAR, ENXAGUAR - mantém a acentuação de água na conjugação. Pres.Indicativo: deságuo, deságuas, deságuas, desaguamos, desaguais, deságuam Pres.Subjuntivo: deságüe, deságües, deságüe, desagüemos, desagüeis, deságüem 3. AVERIGUAR, APAZIGUAR, APANIGUAR - Não seguem a regra dos “derivados” de água. Têm a acentuação tônica nas formas rizotônicas (no radical). O radical de averiguar é [averigu-] e segue o paradigma “falar”, ressalvada a acentuação gráfica (especialmente no Pres.Subjuntivo). www.pontodosconcursos.com.br 7
  53. 53. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI Pres.Indicativo: averiguo, averiguas, averigua, averiguamos, averiguais, averiguam Pres.Subjuntivo: averigúe, averigúes, averigúe, averigüemos, averigüeis, averigúem (Quando o u é pronunciado sem intensidade, leva trema; com intensidade, leva acento agudo) 5 - (Auditor do Trabalho/2003) No texto abaixo, assinale o trecho transcrito de forma gramaticalmente correta. d) A interação entre as políticas estruturais e macroeconômicas constitue elemento de grande força explicativa para a trajetória da economia brasileira na última década. Item INCORRETO. Comentário. Perceba como as questões (e os erros) se repetem. Por isso é tão importante praticar com provas anteriores da ESAF. Como já vimos, a forma verbal correta é constitui. 6 - (AFRF/2002-2) A reforma tributária não pode ser realizada, na verdade, para livrar o orçamento da sangria dos juros exorbitantes, embora enfeitada com os argumentos apelativos, tanto da simplificação fiscal para todo o empresariado quanto do milagre fiscal da multiplicação dos empregos para os mais despossuídos. Trata-se do contrário. Os de baixo vão, de fato, pagar mais e não há garantia nenhuma da boa teoria econômica de que o emprego possa crescer sem o planejamento de um projeto nacional digno do nome, que defina e articule todas as potencialidades existentes para tanto. (Fátima Gondim Farias, “Reforma Tributária”, em Tributação em revista, abril/junho de1999, com adaptações) Identifique a asserção incorreta, a respeito dos elementos lingüísticos do texto. www.pontodosconcursos.com.br 8
  54. 54. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI b) Se, no mesmo contexto sintático de “defina e articule”(l.9) estivessem os verbos argüir e averiguar, a expressão correta (deixando-se de lado os ajustes de sentido) seria “argua e averigúe”. Item CORRETO. Comentário. A estrutura oracional proposta apresenta os verbos no presente do subjuntivo. Os verbos argüir e averiguar são regulares e se conjugam como os paradigmas partir e falar, respectivamente. Vamos, então, relembrar como seria: 1 – extraia o radical – argu / averigu 2 - inclua a desinência correspondente ao tempo, modo, pessoa e número – 3ª pessoa do singular do presente do subjuntivo. DICA: busque essa desinência nos verbos paradigmas - parta (part + a) e fale (fal + e). Então, seria argu + a = argua e averigu + e = averigúe. Neste último verbo, como ocorreria um dígrafo (gue), considerando o fato de que a letra u deve ser pronunciada com tonicidade (fortemente), devemos colocar o acento agudo nela. 7 - (Oficial de Chancelaria/2002) Marque o conjunto de itens que completa de forma coerente e gramaticalmente correta as lacunas do respectivo texto. Durante a maior parte do pós-guerra, os Estados Unidos __________ claramente a hegemonia econômica mundial e, em grande medida também, a ____________ político-estratégica sobre os negócios internacionais. A primeira era assegurada pela sua _____________ força econômica, comercial e tecnológica em face dos parceiros capitalistas tradicionais – Europa Ocidental e Japão – que ________________ a reconstrução de seus _________________ econômicos destruídos pela guerra, mas também pelo relativo controle www.pontodosconcursos.com.br 9
  55. 55. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI exercido sobre as instituições de Bretton Woods – FMI, Banco Mundial e Gatt – que determinavam o padrão de comportamento esperado de economias colocadas em situação de _____________ no quadro de uma mesma ordem liberalcapitalista. (Baseado em Paulo Roberto de Almeida) a) detêem, proeminência, singular, desenvolvia, equipamentos, interdependência b) detiveram, preeminência, singular, empreendiam, aparelhos, interdependência c) deteriam, relevância, relevante, empreendia, aparelhos, interdependência d) detêm, proeminência, independência e) detêem, liderança, independência especial, isolada, empreendia, desenvolvia, acervos, equipamentos, Gabarito: B Comentário. Para acertar essa questão, bastaria preencher corretamente a primeira lacuna. Perceba que as demais formas verbais estão conjugadas em tempos pretéritos (“A primeira era assegurada...”; “...que determinavam...”) e se reportam a fatos já ocorridos. Assim, o verbo deter somente poderia estar conjugado no passado. A única opção válida é a de letra b - detiveram. As opções a e e foram descartadas por apresentarem uma conjugação incorreta do verbo deter, que, por ser derivado do verbo ter, conserva a mesma grafia da forma plural (detêm). A opção c apresenta um verbo no futuro do pretérito, que, como veremos a seguir, situa a ação no campo da hipótese, da condição, do fato não real, o que contraria o contexto. www.pontodosconcursos.com.br 10
  56. 56. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI 8 - (AFRF 2002-2) Assinale a opção em que o trecho apresentase coeso, coerente e gramaticalmente correto. b) Pelo princípio da igualdade material o Estado tem obrigação de intervim e retificar a ordem social, a fim de remover as mais profundas e perturbadoras injustiças sociais. Item INCORRETO. Comentário. Na passagem “o Estado tem obrigação de ...”, o verbo que irá completar esse raciocínio deve estar no infinitivo impessoal, por exercer a função de complemento nominal. Não é possível, neste caso, qualquer conjugação por não existir sujeito da forma verbal. O verbo intervir é derivado do verbo vir e acompanha sua conjugação. A forma grafada foi intervim, que é a conjugação de primeira pessoa do singular do pretérito perfeito do indicativo (Eu vim ontem aqui / Eu intervim na conversa dos rapazes). Como o verbo deve ficar no infinitivo, corrigindo-o, ficaria: “o Estado tem obrigação de intervir”. MODOS E TEMPOS VERBAIS 9 - (Procurador do BACEN/ 2002) Uma crise bancária pode ser comparada a um vendaval. Suas conseqüências são imprevisíveis sobre a economia das famílias e das empresas. Os agentes econômicos relacionam-se em suas operações de compra, venda e troca de mercadorias e serviços, de modo que, a cada fato econômico, seja ele de simples circulação, de transformação ou de consumo, corresponde, ao menos, uma operação de natureza monetária realizada junto a um intermediário financeiro, em regra um banco comercial, que recebe um depósito, paga um cheque, desconta um título ou antecipa a realização de um crédito futuro. A estabilidade do sistema que intermedeia as operações monetárias, portanto, é www.pontodosconcursos.com.br 11
  57. 57. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI fundamental para a própria segurança e estabilidade das relações entre os agentes econômicos. (www.bcb.gov.br) Assinale a opção correta. b) O emprego do modo indicativo em “corresponde”(l.5) deve ser substituído pelo subjuntivo “corresponda” para que o texto respeite a norma culta. Item INCORRETO. Comentário. A classificação dos verbos nos modos verbais depende da relação que o falante tem com aquilo que enuncia – se constata um fato (indicativo); se apresenta uma hipótese, uma suposição (subjuntivo); se faz um pedido (imperativo). Em outras palavras, depende do modo com que enuncia a ação verbal. São três modos verbais: INDICATIVO - como sugere o nome, indica um fato real, que pode pertencer ao presente, ao passado ou ao futuro. SUBJUNTIVO - enuncia um fato hipotético, duvidoso, provável ou possível. IMPERATIVO - expressa idéias de ordem, pedido, desejo, convite. Enquanto que o modo INDICATIVO situa o fato no plano da realidade, da certeza, o SUBJUNTIVO coloca o fato no plano do que é provável, hipotético, possível, sem a certeza apresentada pelo modo indicativo. O modo SUBJUNTIVO também é bastante usado com determinadas conjunções (embora, caso, que etc.) Perceba a diferença entre as duas orações abaixo. Ele procura um remédio que acaba com a dor de cabeça. Ele procura um remédio que acabe com a dor de cabeça. Na primeira, o sujeito já sabe qual é o medicamento que produz resultado. Vai à farmácia e pede ao balconista, porque sabe o www.pontodosconcursos.com.br 12
  58. 58. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI resultado que obterá. O fato situa-se no plano da CERTEZA – modo INDICATIVO. Na segunda, o sujeito não tem certeza de qual medicamento poderia surtir efeito. Vai ao balcão da farmácia, pede ao farmacêutico uma indicação, mas não tem certeza se irá surtir o efeito esperado. Por isso, está no plano da possibilidade – modo SUBJUNTIVO. Essa assertiva foi considerada errada porque os verbos, no modo subjuntivo, enunciam situações no campo da hipótese, suposição, possibilidade ou probabilidade. Não é o que se verifica. Trata-se de texto enunciativo, que relata fatos e situações reais. As formas verbais “são” (l.1), “relacionam-se” (l.3) e “é” (l.9) corroboram essa afirmação. 10 - (TRF 2002) Quem não declarou no ano passado está classificado pela Receita como “pendente”. Embora não tenha o CPF cancelado agora, sua situação será considerada irregular perante a Receita. O cancelamento do documento pode significar muitos problemas, pois o CPF passou a ser mais solicitado do que a carteira de identidade. Sem ele, é impossível abrir uma conta bancária, comprar a prazo, prestar concurso público. Caso ganhe em uma loteria, também será impedido de retirar o prêmio. (Correio Braziliense, 16/2/2002, com adaptações) Assinale a opção correta a respeito das estruturas lingüísticas do texto. d) O emprego das duas formas verbais no subjuntivo, “tenha”(l.3) e “ganhe”(l.11) justifica-se por exigência da estrutura sintática em que ocorrem. Item CORRETO. Comentário. www.pontodosconcursos.com.br 13
  59. 59. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI De acordo com a lição que vimos no comentário anterior, o modo subjuntivo é empregado em hipóteses (“Caso ganhe em uma loteria...”) ou em construções com algumas conjunções (“Embora não tenha o CPF cancelado agora...”). Essa é a tal da “exigência da estrutura sintática em que ocorrem” enunciada no item d. 11 - (TRF 2003) Assinale a opção correta a respeito do emprego dos verbos no texto. e) A dupla possibilidade verbal que o texto oferece, “torcíamos/torcemos”(l.29 e 30) envolve variação no tempo e modo verbais, mas preserva a pessoa gramatical. Item INCORRETO. Comentário. Questão capciosa essa, que pode ter levado muitos candidatos a erro. “Torcíamos” é verbo conjugado na 1ª pessoa do plural (nós), no tempo Pretérito Imperfeito do modo indicativo. “Torcemos” está conjugado na 1ª pessoa do plural (nós), no tempo Presente do modo indicativo. Houve somente variação no tempo verbal, conservando-se a pessoa (1ª p.p.) e o modo (indicativo), e não somente a pessoa, como asseverado. Os tempos verbais têm a função de indicar o momento em que são enunciados os fatos. No modo INDICATIVO: PRESENTE – fato ocorre no momento em que se fala (Ouço ruídos na cozinha.); ou fato que é comum de ocorrer (Eu morro de inveja dele. / Chove todos os dias em Belém.); ou apresenta um princípio, um conceito www.pontodosconcursos.com.br 14
  60. 60. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI ou um dado (Todos os anos, muitas crianças morrem de desnutrição no Brasil.) PRETÉRITO PERFEITO – fato ocorrido e perfeitamente concluído antes do momento em que se fala (Todos souberam do assassinato de Celso Daniel.) PRETÉRITO PERFEITO COMPOSTO – denota continuidade do ato, com início no passado (Eu tenho cometido muitos erros na escolha dos meus namorados.) PRETÉRITO IMPERFEITO – fato realizado e não concluído (Ele buscava a perfeição antes de morrer.) ou que apresenta uma certa duração (Ele andava pela rua quando foi abordado pelos ladrões.) PRETÉRITO MAIS-QUE-PERFEITO – fato realizado antes de outro fato também no passado (Antes de sua morte, ele pedira o perdão aos filhos.) PRETÉRITO MAIS-QUE-PERFEITO COMPOSTO – forma mais comum de expressar o fato realizado antes de outro fato também no passado (Antes de sua morte, ele tinha pedido perdão aos filhos.) FUTURO DO PRESENTE – fato posterior certo de ocorrer no futuro (Doarei todo o material de estudo após a minha aprovação.) FUTURO DO PRESENTE COMPOSTO – denota futura ocorrência de um fato que se iniciou no presente (Até o próximo ano, terei acumulado quase um milhão de reais em dívidas.) FUTURO DO PRETÉRITO – 1) fato posterior a um fato passado (Você me garantiu [FATO PASSADO] que o nosso amor não morreria [FATO FUTURO EM RELAÇÃO AO FATO PASSADO].); ou 2) fato não chegou a se realizar (Eu iria à sua casa, mas tive um problema.); 3) também pode denotar incerteza (“Acharam um corpo que seria do chefe do tráfico.”), hipótese relacionada a uma condição (“Se você tivesse comprado o carro [CONDIÇÃO], não teria perdido o dinheiro no jogo www.pontodosconcursos.com.br 15
  61. 61. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI [HIPÓTESE].”) ou polidez (“Você poderia me passar o sal?”). FUTURO DO PRETÉRITO COMPOSTO – o mesmo que o Futuro do Pretérito com relação aos dois primeiros aspectos. 12 - (TRF 2002.2) Leia o texto a seguir para responder às questões. No passado, para garantir o sucesso de um filho ou de uma filha, bastava conseguir que eles tirassem um diploma de curso superior. Uma vez formados, seriam automaticamente chamados de “doutor” e teriam um salário de classe média para o resto da vida. De uns anos para cá, essa fórmula não funciona mais. Quem pretende garantir o futuro dos filhos, além do curso superior, terá de lhes arrumar um capital inicial. Esse capital deverá ser suficiente para o investimento que gerará um emprego para seu filho. Todo emprego requer investimentos prévios, algo óbvio mas esquecido por nossos políticos e governantes. (Stephen Kanitz, VEJA, 5/6/2002, com adaptações) O texto apresenta dois grupos de formas verbais: um expressa situações ligadas ao passado; outro, ao presente. Marque a opção em que a substituição proposta para a forma verbal provoca erro gramatical ou desrespeita as relações temporais do texto. a) “seriam”(l.2) > eram b) “teriam”(l.3) > tinham c) “funciona”(l.4) > tem funcionado d) “pretende”(l.4) > pretendia e) “terá”(l.5) > tem GABARITO: D Comentário. www.pontodosconcursos.com.br 16
  62. 62. CURSOS ON-LINE – PORTUGUÊS EM EXERCÍCIOS PROFESSORA CLAUDIA KOZLOWSKI O texto, em sua primeira parte, apresenta situações condicionais e, para isso, usa o futuro do pretérito (“Uma vez formados [condição], seriam automaticamente chamados de ‘doutor’ e teriam um salário de classe média [conseqüência hipotética]”). Na segunda parte, utiliza o presente do indicativo para retratar fatos reais (“...essa fórmula não funciona mais.”). Na questão, sugere trocas que devem atender a dois preceitos: manter a correção gramatical e respeitar as relações temporais do texto. É nesse segundo aspecto que apresenta erro quando sugere a troca de “pretende” – presente – por “pretendia” – passado (pretérito imperfeito). 13 – (AFRF/2002-1) Leia o texto abaixo para responder à questão. A moral e a ética não são fatos ou institutos jurídicos. Direito é uma coisa, moral é outra. Todo ser humano informado sabe disso. O comportamento das pessoas em grupo, tornando suas ações conhecidas e avaliadas, segundo critérios éticos do mesmo grupo quanto ao caráter, às condutas ou às intenções manifestadas e assim por diante, só repercutem no direito se extrapolarem os limites deste. A manifestação ofensiva a respeito de outrem confunde os dois elementos no plano individual. (Walter Ceneviva, Moralidade como Fato Jurídico, com adaptações) Assinale a opção incorreta a respeito das estruturas lingüísticas do texto. b) Altera-se o tempo verbal, mas garante-se a correção gramatical, se no lugar de “se extrapolarem”(ls.6 e 7), for empregado quando extrapola. Item CORRETO. Comentário. www.pontodosconcursos.com.br 17

×