FORMAÇÃO DASOCIEDADE BRASILEIRA   Prof. Ms. Elizeu N. Silva
Modernidade: Mais que designar um período histórico dasociedade, indica uma mudança de paradigmas no modo como ohomem ocid...
A modernidade representa um processo deanulação das fronteiras geográficas, declasse e nacionalidade, de religião eideolog...
Tem como característica comum a ―mudançaconstante, rápida e permanente‖, sendo esta aprincipal diferença entre ―as socieda...
• Grandes descobertas da Ciência:1687: Isaac Newton descreve a Lei da Gravidade;1705: Edmund Haley descreve a órbita dos p...
• Grandes descobertas da Ciência:1835: Norteamericanos Joseph Henry e Samuel Morse criam oprimeiro telégrafo;1839: Louis-J...
• Grandes descobertas da Ciência:1835: Norteamericanos Joseph Henry e Samuel Morse criam oprimeiro telégrafo;1839: Louis-J...
Alimentam a sensação de transitoriedade:• Descobertas nas ciências físicas;• Mudança da nossa imagem do universo e do luga...
• Sistemas de comunicação de massa, dinâmicos em seu  desenvolvimento, que embrulham e amarram, no mesmo  pacote, os mais ...
A despeito das datações históricas (1453–1789), o conceito demodernidade avança sobre a idade Contemporânea até asprimeira...
b) Segunda fase começa com a grande onda revolucionária de1790. Com a Revolução Francesa e suasreverberações, ganha vida, ...
c) No século XX, terceira e última fase, o processo demodernização se expande a ponto de abarcar virtualmente omundo todo,...
O mundo moderno é aquele em que ―o bom, o mau, o belo, ofeio, a verdade, a virtude, têm uma existência apenas local elimit...
―Com tal quantidade de objetos desfilando diante de meusolhos, eu vou ficando aturdido. De todas as coisas que meatraem, n...
Karl Marx (1818–1883):―A burguesia não podesobreviver sem revolucionarconstantemente osinstrumentos de produção, ecom eles...
Friedrich Nietzsche (1844–1900)Niilismo: ―Para alguns, a soluçãopara o caos da vida moderna étentar deixar de viver: torna...
Referência bibliográfica:BERMAN, Marshall. Tudo que é sólido desmancha no ar - aaventura da modernidade. São Paulo, ed. Sc...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Aula 02 formação da sociedade brasileira o homem moderno

1.145 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.145
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
29
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula 02 formação da sociedade brasileira o homem moderno

  1. 1. FORMAÇÃO DASOCIEDADE BRASILEIRA Prof. Ms. Elizeu N. Silva
  2. 2. Modernidade: Mais que designar um período histórico dasociedade, indica uma mudança de paradigmas no modo como ohomem ocidental vê a si mesmo.Historicamente, compreende o período desde o século XV até finaldo século XVIII.• Queda de Constantinopla (maio/1453) – Revolução Francesa(julho/1789).Trata-se de um conceitoextremamente paradoxal: aomesmo tempo que permite aaproximação dos homens –navegações, comunicações, vidaurbana –, caracteriza-se também A liberdade guiando o povo (1830)pelo individualismo. Eugène Delacroix (1798–1863)
  3. 3. A modernidade representa um processo deanulação das fronteiras geográficas, declasse e nacionalidade, de religião eideologia. Nesse sentido, pode-se dizer que amodernidade une a espécie humana.Porém, trata-se de uma unidade dedesunidade: ela promove um turbilhão depermanente desintegração e mudança, deluta e contradição, de ambiguidade eangústia.Definição de Karl Marx para a Modernidade:―Tudo o que é sólido desmancha no ar‖.
  4. 4. Tem como característica comum a ―mudançaconstante, rápida e permanente‖, sendo esta aprincipal diferença entre ―as sociedades ―tradicionais‖e as ―modernas‖ .As pessoas que se encontramem meio a esse turbilhãosentem-se como as primeiras, etalvez as últimas, a passar porisso – consequência dafragilidade das referênciashistóricas.
  5. 5. • Grandes descobertas da Ciência:1687: Isaac Newton descreve a Lei da Gravidade;1705: Edmund Haley descreve a órbita dos planetas;1712: Invenção da máquina a vapor por ThomasNewcomen e aperfeiçoada por James Watt;1735: Classificação dos seres vivos pelo botânicosueco Carl von Lineé;1751: Norteamericano Benjamin Franklin descobre aeletricidade e cria o para-raios;1751: Denis Diderot e Jean d’Alembert criam aprimeira enciclopédia – Dicionário Racional daCiência;1777: Lavoisier estuda a química orgânica e identificaa combinação de átomos que resulta no oxigênio;
  6. 6. • Grandes descobertas da Ciência:1835: Norteamericanos Joseph Henry e Samuel Morse criam oprimeiro telégrafo;1839: Louis-Jacques-Mandé Daguerre desenvolve a fotografia.Em 1888 George Eastman cria a primeira câmera de filme emrolo (Kodak);1842: Crawford Long usa éter como anestésico pela primeiravez;1859: Charles Darwin publica a tese ―Sobre a Origem dasEspécies‖;1876: Escocês Alexander Bell inventa o telefone;1879: Thomas Alva Edson inventa a lâmpada elétrica;1888: Heinrich Hertz faz primeira transmissão de rádio.1895: August e Louis Lumière fazem primeira exibição
  7. 7. • Grandes descobertas da Ciência:1835: Norteamericanos Joseph Henry e Samuel Morse criam oprimeiro telégrafo;1839: Louis-Jacques-Mandé Daguerre desenvolve a fotografia.Em 1888 George Eastman cria a primeira câmera de filme emrolo (Kodak);1842: Crawford Long usa éter como anestésico pela primeiravez;1859: Charles Darwin publica a tese ―Sobre a Origem dasEspécies‖;1876: Escocês Alexander Bell inventa o telefone;1879: Thomas Alva Edson inventa a lâmpada elétrica;1888: Heinrich Hertz faz primeira transmissão de rádio.1895: August e Louis Lumière fazem primeira exibição
  8. 8. Alimentam a sensação de transitoriedade:• Descobertas nas ciências físicas;• Mudança da nossa imagem do universo e do lugar que ocupamos nele;• Industrialização da produção, que transforma conhecimento científico em tecnologia, cria novos ambientes humanos e destrói os antigos, acelera o próprio ritmo de vida, gera novas formas de poder corporativo e de luta de classes• Descomunal explosão demográfica, que penaliza milhões de pessoas arrancadas de seu habitat ancestral, empurrando-as pelos caminhos do mundo em direção a novas vidas;• Rápido e muitas vezes catastrófico crescimento urbano;
  9. 9. • Sistemas de comunicação de massa, dinâmicos em seu desenvolvimento, que embrulham e amarram, no mesmo pacote, os mais variados indivíduos e sociedades;• Estados nacionais cada vez mais poderosos, burocraticamente estruturados e geridos, que lutam com obstinação para expandir seu poder;• Movimentos sociais de massa e de nações, desafiando seus governantes políticos ou econômicos, lutando por obter algum controle sobre suas vidas; enfim, dirigindo e manipulando todas as pessoas e instituições, um mercado capitalista mundial, drasticamente flutuante, em permanente expansão.
  10. 10. A despeito das datações históricas (1453–1789), o conceito demodernidade avança sobre a idade Contemporânea até asprimeiras décadas do século XX.Pode ser dividida em três fases:a) Do início do século XVI até o fim do século XVIII, aspessoas estão apenas começando a experimentar a vidamoderna; mal fazem ideia do que as atingiu. Elas tateiam,desesperadamente masem estado de semi-cegueira, no encalço de um vocabulárioadequado; têm pouco ou nenhum senso de um público oucomunidade moderna, dentro da qual seus julgamentos eesperanças pudessem ser compartilhados;
  11. 11. b) Segunda fase começa com a grande onda revolucionária de1790. Com a Revolução Francesa e suasreverberações, ganha vida, de maneira abrupta edramática, um grande e moderno público. Esse público partilhao sentimento de viver em uma era revolucionária, uma era quedesencadeia explosivas convulsões em todos os níveis de vidapessoal, social e política. Ao mesmo tempo, o públicomoderno do século XIX ainda se lembra do que éviver, material e espiritualmente, em um mundo que não chegaa ser moderno por inteiro. É dessa profunda dicotomia, dessasensação de viver em dois mundos simultaneamente, queemerge e se desdobra a ideia de modernismo e modernização.
  12. 12. c) No século XX, terceira e última fase, o processo demodernização se expande a ponto de abarcar virtualmente omundo todo, e a cultura mundial do modernismo emdesenvolvimento atinge espetaculares triunfos na arte e nopensamento. Por outro lado, à medida que se expande, opúblico moderno se multiplica em uma multidão defragmentos, que falam linguagens incomensuravelmentediferentes; a ideia de modernidade, concebida em inúmeros efragmentários caminhos, perde muito de suanitidez, ressonância e profundidade e perde sua capacidade deorganizar e dar sentido à vida das pessoas.
  13. 13. O mundo moderno é aquele em que ―o bom, o mau, o belo, ofeio, a verdade, a virtude, têm uma existência apenas local elimitada‖. Saint-Preux, em A nova Heloisa, de Jean-JacquesRousseau (1712–1778).Perturbado, o personagem descreve a vida urbana como ―umapermanente colisão de grupos e conluios, um contínuo fluxo erefluxo de opiniões conflitivas. (...) Todos se colocamfrequentemente em contradição consigo mesmos‖.―Tudo é absurdo, mas nada é chocante, porque todos seacostumam a tudo‖.
  14. 14. ―Com tal quantidade de objetos desfilando diante de meusolhos, eu vou ficando aturdido. De todas as coisas que meatraem, nenhuma toca o meu coração, embora todas juntasperturbem meus sentimentos, de modo a fazer que eu esqueçao que sou e qual meu lugar‖.Essa atmosfera — de agitação e turbulência, aturdimentopsíquico e embriaguez, expansão das possibilidades deexperiência e destruição das barreiras morais e doscompromissos pessoais, autoexpansão e auto-desordem,fantasmas na rua e na alma — é a atmosfera que dá origem àsensibilidade moderna.
  15. 15. Karl Marx (1818–1883):―A burguesia não podesobreviver sem revolucionarconstantemente osinstrumentos de produção, ecom eles as relações deprodução, e com eles todasas relações sociais. (...)Revolução ininterrupta daprodução, contínuaperturbação de todas asrelações sociais, interminávelincerteza eagitação, distinguem a era
  16. 16. Friedrich Nietzsche (1844–1900)Niilismo: ―Para alguns, a soluçãopara o caos da vida moderna étentar deixar de viver: tornar-semedíocre é a única moralidade quefaz sentido‖.―Nós modernos, nós semibárbaros.Nós só atingimos nossabemaventurança quando estamosrealmente em perigo. O únicoestímulo que efetivamente noscomove é o infinito, oincomensurável‖.
  17. 17. Referência bibliográfica:BERMAN, Marshall. Tudo que é sólido desmancha no ar - aaventura da modernidade. São Paulo, ed. Schwarcz, 1986Website de referência:República Online:http://www.republicaonline.org.br/reponlinenav/

×