Aula 01 linguagem gráfica jornalismo

1.188 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
1 comentário
1 gostou
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.188
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
95
Comentários
1
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula 01 linguagem gráfica jornalismo

  1. 1. LINGUAGEM GRÁFICA NO JORNALISMO AULA 01 Prof. Ms. Elizeu N. Silva
  2. 2. PRINCÍPIOS DE DESIGN a) Composição b) Unidade c) Harmonia d) Equilíbrio e) Contraste
  3. 3. PRINCÍPIOS DE DESIGN: COMPOSIÇÃO É o passo mais crucial na solução dos problemas visuais. É nessa etapa do processo criativo que o comunicador visual exerce o mais forte controle sobre seu trabalho e tem a maior oportunidade de expressar o estado de espírito que a obra se destina a transmitir. Cada elemento serve a determinado propósito específico. Elementos não são intercambiáveis. Os melhores resultados são alcançados através da combinação dos princípios com a criatividade.
  4. 4. PRINCÍPIOS DE DESIGN: COMPOSIÇÃO CLASSIFICAÇÃO: a composição pode ser formal ou informal; simétrica ou assimétrica. SIMETRIA É repousada e digna, porém estática. Traçando-se uma linha vertical imaginária pelo centro da composição, os elementos de ambos os lados são análogos.
  5. 5. SIMETRIA
  6. 6. SIMETRIA
  7. 7. SIMETRIA / ASSIMETRIA A simetria pode ser axial (simetria de reflexão) ou rotacional (simetria de rotação). SIMETRIA AXIAL
  8. 8. SIMETRIA / ASSIMETRIA SIMETRIA ROTACIONAL
  9. 9. ASSIMETRIA É dinâmica e facilita a variedade. Equilíbrio dos elementos sobre uma vertical, assimetricamente dispostos. É o mais usado em Publicidade, por sua dinâmica e interesse natural.
  10. 10. ASSIMETRIA
  11. 11. PRINCÍPIOS DE DESIGN: COMPOSIÇÃO SINTAXE VISUAL Diferentemente da sintaxe verbal, na linguagem visual as regras não são absolutas. O que existe é um alto grau de compreensão do que vai acontecer em termos de significado, se fizermos determinadas ordenações das partes. Percepção e significado Na criação de mensagens visuais, o significado se encontra nos efeitos cumulativos e no mecanismo perceptivo universalmente compartilhado pelas pessoas.
  12. 12. PRINCÍPIOS DE DESIGN: COMPOSIÇÃO DIRIGINDO O OLHAR O designer deve usar cuidadosamente a colocação dos elementos para dirigir o olhar do leitor através da peça. Uma falha neste aspecto leva ao bloqueio da interpretação do conceito. Os signos adotados para isso são: • Posicionamento dos elementos no layout; • Tamanho dos elementos; • Conteúdo e valor; • Cores.
  13. 13. Belém, PA Belo Horizonte, MG
  14. 14. Brasília, DF Florianópolis, SC
  15. 15. Fortaleza, CE Porto Alegre, RS
  16. 16. Rio de Janeiro, RJ Salvador, BA
  17. 17. Áustria Portugal
  18. 18. Bulgária Bélgica
  19. 19. Dinamarca Canadá
  20. 20. Holanda Guatemala
  21. 21. EUA Portugal
  22. 22. EspanhaInglaterra
  23. 23. PRINCÍPIOS DE DESIGN: UNIDADE “O todo é maior que a soma de suas partes”. Em uma composição é possível se usar cada elemento - linha, letras, forma e textura... - de forma independente, mas existe uma força maior quando se coordena de maneira inteligente estes elementos. Elementos que são adequados quando utilizados independentemente, muitas vezes não o são quando utilizados em conjunto. Aspectos da composição a ser trabalhados para se alcançar a unidade: a modulação do espaço, a proximidade, o alinhamento e a repetição.
  24. 24. PRINCÍPIOS DE DESIGN: UNIDADE
  25. 25. PRINCÍPIOS DE DESIGN: UNIDADE
  26. 26. PRINCÍPIOS DE DESIGN: HARMONIA No layout, expressa ordem, proporção, boa disposição e regularidade visual. Os elementos são dispostos de forma que se perceba concordância e uniformidade. Não há rupturas formais significativas no layout. A harmonia por ordem resulta meramente da boa disposição dos elementos no layout. Também se obtém harmonia pela regularidade com que os elementos se alternam no layout, resultando num conjunto harmônico.
  27. 27. PRINCÍPIOS DE DESIGN: HARMONIA
  28. 28. PRINCÍPIOS DE DESIGN: HARMONIA x TENSÃO
  29. 29. PRINCÍPIOS DE DESIGN: EQUILÍBRIO Ponto de atenção: O centro geométrico é o ponto onde se cruzam as diagonais de qualquer forma geométrica. O centro real ou centro óptico de um projeto gráfico não é o geométrico, está situado acima daquele. Sua altura é variável, dependendo da relação entre a largura e a altura. Obtém-se o equilíbrio pela boa disposição dos elementos na página,
  30. 30. PRINCÍPIOS DE DESIGN: EQUILÍBRIO
  31. 31. PRINCÍPIOS DE DESIGN: EQUILÍBRIO x TENSÃO
  32. 32. PRINCÍPIOS DE DESIGN: CONTRASTE Propriedade do layout no qual elementos se diferenciam fortemente entre si. O uso do contraste visa diferenciar o layout, tornando-o mais estimulante e interessante. Obtém-se contraste por: Cor: uso de cores complementares ou variações de iluminação.
  33. 33. PRINCÍPIOS DE DESIGN: CONTRASTE Escala: variação da dimensão dos elementos do layout.
  34. 34. PRINCÍPIOS DE DESIGN: CONTRASTE Forma: variação das formas dos elementos do layout.
  35. 35. GESTALT Escola de Psicologia Experimental. Considera os fenômenos psicológicos como totalidades organizadas, indivisíveis, articuladas, isto é, como configurações. Teoria explica o porquê de algumas formas agradarem mais que outras. Opõe-se ao subjetivismo por apoiar-se na fisiologia.
  36. 36. Expressão Gestalt: Integração de “partes” em oposição ao “todo”. Segundo a Gestalt, o que acontece no cérebro não é idêntico ao que acontece na retina. A excitação cerebral não se dá em pontos isolados, mas por extensão. Não existe, na percepção da forma, um processo posterior de associação das várias sensações. A primeira sensação já é de forma, já é global e unificada
  37. 37. Ilusão de ótica
  38. 38. Ilusão de ótica
  39. 39. Ilusão de ótica
  40. 40. Ilusão de ótica
  41. 41. Ilusão de ótica
  42. 42. Pregnância da forma • substantivo feminino 1 Rubrica: psicologia > forma e estabilidade de uma percepção, na teoria da forma; 2 qualidade ou virtude do que se impõe ao espírito, do que produz forte impressão Dicionário Eletrônico Houaiss. Condição de estar “prenhe”. Sentido latente.
  43. 43. Alta pregnância
  44. 44. Alta pregnância
  45. 45. Baixa pregnância
  46. 46. Baixa pregnância
  47. 47. Baixa pregnância
  48. 48. Referência bibliográfica DONDIS, Donis A. Sintaxe da linguagem visual. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1997-2000 GOMES FILHO, João. Gestalt do objeto. Sistema de leitura visual da forma. São Paulo, Ed. Escrituras, 2002. RIBEIRO, Milton. Planejamento visual gráfico. 8ª ed. Brasília: LGE Editora, 2003

×