Internacionalização do ensino
superior: tendências
contemporâneas
Profª Drª Elizabeth Balbachevsky
A produção do conhecimento
científico: um trabalho em redes
 Ciência e cooperação: atenção para as redes técno-
sociais q...
A rede que sustentou a
produção da obra de Newton
Simon Schaffer,2008, The information order of Isaac Newton’s Principia
M...
Ciência, centro e periferia
 Redes locais e globais:
 Slavo Radosevic e Esin Yoruk (scientometrics, 2014):
ciência como ...
Globalização da ciência e seus
limites
 A globalização da ciência (de espaços multi-
domésticos interconectados para espa...
Redes de conhecimento: modelo
multi-doméstico e global
Globalização do ensino
superior
 Elementos relevantes: Ensino superior, instituições de
ensino superior, universidade
 A...
A internacionalização do
ensino superior
 Tendências recentes para a internacionalização
 Emergência de pressões extra-n...
Modalidades de
internacionalização
 Atividade acadêmica trans-fronteiriça
 O desafio da presença virtual
 Presença físi...
Configurações do espaço acadêmico
global: diversificação e multi-hierarquias
Conclusão: dinâmicas locais e globais
configurando a ciência e o ensino superior
 Diferenciação e competitividade das
ins...
Fim da apresentação
Obrigado!
(e-mail de contato: balbasky@usp.br)
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Internacionalização es

248 visualizações

Publicada em

Apresentação realizada na SPBC, Rio Branco, 2014. Uma análise do significado e dinâmicas recentes dos fenômenos de internacionalização do ensino superior, comparando experiências internacionais relevantes

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
248
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Internacionalização es

  1. 1. Internacionalização do ensino superior: tendências contemporâneas Profª Drª Elizabeth Balbachevsky
  2. 2. A produção do conhecimento científico: um trabalho em redes  Ciência e cooperação: atenção para as redes técno- sociais que sustentam a produção do conhecimento  Ex: a teia que sustentou a produção do livro Principia Mathematica de Newton  Homogeneidade e heterogeneidade das redes técno- científicas: uma variável importante para se entender as dinâmicas de produção de conhecimento  Homogêneas: dinâmicas centrípetas, alta concentração, competição em alguns temas/questões  Heterogêneas: Dinâmicas centrífugas predominam com a proliferação de questões, temas e domínios de aplicação.  Dinâmicas históricas relevantes
  3. 3. A rede que sustentou a produção da obra de Newton Simon Schaffer,2008, The information order of Isaac Newton’s Principia Mathematica, Upsala: Salvia Smasckrifter
  4. 4. Ciência, centro e periferia  Redes locais e globais:  Slavo Radosevic e Esin Yoruk (scientometrics, 2014): ciência como atividade de produção na fronteira do conhecimento (world frontier knowledge activity)  atividade que expande a capacidade de absorção (absorptive capacity, ie: ability to learn and implement knowledge), atividade científica que re-combina e contextualize o conhecimento existente, gerando novidade, mas não necessariamente na fronteira do conhecimento mundial
  5. 5. Globalização da ciência e seus limites  A globalização da ciência (de espaços multi- domésticos interconectados para espaços globalizados  Limites:  o significado local e global do conhecimento  Redes sociais de suporte à ciência e suas demandas locais e globais e a importância das atividades de contextualização do conhecimento  É sempre possível eliminar os “nomes próprios” do desenho de uma pesquisa?
  6. 6. Redes de conhecimento: modelo multi-doméstico e global
  7. 7. Globalização do ensino superior  Elementos relevantes: Ensino superior, instituições de ensino superior, universidade  As relações entre ciência, ensino superior, comunidades científica e acadêmica: relações pouco estudadas  Fatores de convergência: carreira, governança e autonomia  Fatores de divergência: a multi-dimensionalidade do ensino superior  Os diferentes “stakeholders” do ensino superior e duas demandas e expectativas  Stakeholders internos  Demandas e expectativas locais  Demandas e expectativas globais
  8. 8. A internacionalização do ensino superior  Tendências recentes para a internacionalização  Emergência de pressões extra-nacionais  Novos níveis de governança do sistema (ex: EU)  Fóruns internacionais e disseminação de políticas  Rankings  “Utilidades” do ensino superior num ambiente de extrema competição  Redes de experimentação e a aceleração do des. tecnológico  Prospecção de oportunidades, questões, talentos
  9. 9. Modalidades de internacionalização  Atividade acadêmica trans-fronteiriça  O desafio da presença virtual  Presença física  Barreiras nacionais e dinâmicas internacionais  Mobilidade acadêmica  Cooperação internacional entre acadêmicos  Mobilidade estudantil e atração/ formação de talentos  Ganhos em “wet-ware” (Nelson) e prospecção de talentos  Pólos de atração: redesenho da mobilidade estudantil
  10. 10. Configurações do espaço acadêmico global: diversificação e multi-hierarquias
  11. 11. Conclusão: dinâmicas locais e globais configurando a ciência e o ensino superior  Diferenciação e competitividade das instituições  Diversidade e empreendedorismo institucional (Burton Clark, 1998: diferenciar, diversificar para crescer e se fortalecer, o exemplo de 10 pequenas universidades européias)  Mercados locais, regionais e globais e sua inter-relação:  O caso da pós-graduação  A língua franca e as línguas nacionais
  12. 12. Fim da apresentação Obrigado! (e-mail de contato: balbasky@usp.br)

×