Psicoterapias (1)

1.707 visualizações

Publicada em

Aula de psicoterapias comportamental e cognitiva para 3o ano do curso de medicina da UNIFESP.

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Psicoterapias (1)

  1. 1. Terapia Comportamental
  2. 2. Terapia Comportamental • A maioria dos comportamentos problemáticos foi aprendido e pode ser modificado mediante nova aprendizagem. • Terapia = Experiência educativa • Observação dos próprios comportamentos • Aprendizagem de novos comportamentos • Incorporação de formas efetivas para mudar comportamentos
  3. 3. Comportamentos são o problema • ...não reflexos do problema. • Mudança pode ocorrer sem insight. • Intervenções: • Condicionamento clássico
  4. 4. Comportamentos são o problema • ...não reflexos do problema. • Mudança pode ocorrer sem insight. • Intervenções: • Condicionamento clássico • Condicionamento operante – Reforço positivo – Reforço negativo
  5. 5. Comportamentos são o problema • ...não reflexos do problema. • Mudança pode ocorrer sem insight. • Intervenções: • Condicionamento clássico • Condicionamento operante – Reforço positivo – Reforço negativo • Teorias da aprendizagem social
  6. 6. Características da Terapia Comportamental • Análise do comportamento – Identificação dos comportamentos problemáticos – Análise dos pontos fracos e fortes – Situações em que ocorrem – Análise dos fatores de reforço • Adoção de critérios objetivos de melhora • Plano adaptado para cada paciente
  7. 7. O terapeuta na terapia comportamental • Função: aplicação dos princípios da aprendizagem humana para substituir comportamentos problemáticos por outros mais adaptados. • Técnicas: orientadas para ação, para o presente e para a resolução do problema.
  8. 8. Reforços • Métodos para dar forma e manter comportamentos desejados: – Apoio, elogio e atenção. – Auto-reforço – Social
  9. 9. Contratos de contingência • Explicitam comportamentos que devem ser executados, modificados ou eliminados. • Especificação do reforço que se receberá. • Descrição do meio através do qual se observará, medirá e registrará o comportamento.
  10. 10. Técnicas de terapia comportamental • Modelagem: Terapeuta, grupo ou outros. • Ensaio de comportamento: na terapia e fora dela. • Feedback
  11. 11. Exemplo- Tratamento de Fobias • Exposição gradual • Extinção do medo
  12. 12. Terapia Cognitiva
  13. 13. Fundamentos Históricos e Filosóficos da TC • Aaron Beck (Filadélfia, 1956) • Questionamentos sobre a teoria psicanalítica • Origens filosóficas: Grécia antiga Epiteto (sec I): “Os homens não são perturbados pelas coisas, mas pelas opiniões que extraem delas.”
  14. 14. Princípio fundamental da TC • A maneira como as pessoas interpretam os eventos influencia diretamente suas emoções e comportamentos (Beck, 1979). • Beck e Alford (2000): a posição filosófica da teoria da TC integra: Dimensões Externas (contexto ambiental) Dimensões Internas (percepções fenomenológicas)
  15. 15. O modelo cognitivo
  16. 16. Pressupostos da TC De acordo com Beck e Alford (2000), a teoria cognitiva baseia-se nas seguintes formulações: • A noção de esquemas - estruturas cognitivas que integram e atribuem significado aos eventos. • A atribuição de significado ativa ou controla sistemas psicológicos, como a atenção, memória, percepção, e o conteúdo emocional e comportamental.
  17. 17. Distorção cognitiva: • significados disfuncionais ou maladaptativos que o indivíduo usa numa determinada situação. Também são considerados erros no conteúdo cognitivo (significado) e no processamento cognitivo (elaboração de significado). Vulnerabilidades cognitivas: predisposições dos indivíduos a cometerem distorções específicas. Dessa forma, as pessoas podem desenvolver síndromes específicas.
  18. 18. Características da TC • Abordagem psico-educativa. • Diretiva e estruturada. • Orientada ao presente. • Focalizada em problemas. • Direcionada em metas. • Utiliza planos de tratamento. • Aplicações da TCC: crianças, adolescentes e adultos. • Tratamento de problemas e transtornos específicos (depressão, ansiedade, fobias, etc).
  19. 19. Fundamentos Técnicos • Avaliação e objetivos • Agenda e sessão estruturada • Foco • Tarefas de casa
  20. 20. Algumas técnicas • Empirismo colaborativo: descoberta guiada • Questionamento socrático • Dramatização ou role-play • Testagem e avaliação das crenças e pensamentos disfuncionais. • Cartões de enfrentamento • Gráficos em forma de torta • Técnicas experienciais
  21. 21. Objetivos das Técnicas • Monitorar pensamentos negativos automáticos (cognições). • Reconhecer as conexões entre cognição, afeto e comportamento. • Examinar as evidências a favor e contra do pensamento automático distorcido. • Substituir estas cognições tendenciosas por interpretações mais orientadas à realidade. • Aprender a identificar e alterar as crenças disfuncionais que o predispõem a distorcer suas experiências .
  22. 22. Técnicas Comportamentais • Escala para avaliar o humor (0 a 100). • Treinamento em habilidades sociais. • Experimentos comportamentais. • Registro diário de atividades atribuindo escores aos níveis de domínio e prazer. • Exposição graduada. • Técnicas de relaxamento.
  23. 23. Terapia Sistêmica
  24. 24. Humanidade e sistemas
  25. 25. Terapia Sistêmica (Família) • O todo é mais do que a soma de suas partes. • A família funciona como sistema (complexo de elementos em interação). • Elementos: • Interatuantes • Interdependentes
  26. 26. Avaliação • Vínculo com a família • Equidistante dos seus membros • Paciente identificado • Estabelecimento do objetivos: • Comunicação • Descoberta de novos caminhos relacionais • Amadurecimento do paciente e do sistema.

×