O Blues, a Depressão e a Psicose Pós-Parto          Elisa Brietzke   Departamento de Psiquiatria   Escola Paulista de Medi...
Introdução
A complicação obstétrica mais comum                 Wisner 2et al., 2002; Bick e Howard 2010; Rotinas em Obstetrícia
Puerpério
Alterações de Humor no Puerpério  Normalidade          Transtorno do Humor
Transtornos do Humor no Puerpério   Normalidade                             Transtorno do Humor                         BL...
Transtornos Puerperais     Depressão Pós-Parto     Psicose Pós-Parto
Depressão Pós-PartoHumor Deprimido • Tristeza, Depressão                   • Perda de interesse ou prazer                 ...
Impacto na mulher•Grave sofrimento psicológico•Disfunção social•Prejuízos profissionais e financeiros•Inabilidade de adapt...
Suicídio
Suicídio•38%: ideação suicida: mais frequente do que nadepressão comum.•18%: comportamento suicida•5%: tentativa•Distorçõe...
Risco de Suicídio•História familiar de comportamento suicida.•História de tentativa prévia•Intencionalidade e letalidade•P...
Avaliação do Risco de Suicídio•Entrevista•Ambiente calmo e com privacidade•Paciente sozinho•Familiar•Perguntas que se diri...
Impacto da Depressão no Bebê              Comportamento materno•Menor interação•Desconexão•Menos falas•Menos expressão fac...
Impacto no bebê              Comportamento materno•Menor interação•Desconexão                         •Prejuízo no apego•M...
Impacto no bebê
Impacto no bebê            Maus tratos e negligência•Reprogramação do eixo HPA na criança•Redução na transcrição gênica de...
Curso•Remissão e resolução do quadro•Transtorno Depressivo Recorrente•Transtorno Bipolar: 25 a 50%                        ...
Transtorno Bipolar
Fisiopatologia
Morte celular ou disfunção neuronal          •Apoptose          •  resiliência celular          •  arborização dentrític...
Morte celular ou disfunção neuronal
Estrogênio- Neuroproteção
Psicose Pós-Parto•Rara (0,1 a 0,2 % das mulheres)•Associada ao Transtorno Bipolar•Início em 2 semanas de pós-parto•Persist...
Psicose Pós-Parto•Sintomas Psicóticos   •Delírios   •Alucinações   •Desorganização•Mudanças rápidas no quadro clínico
Tratamento•PSICOTERAPIAS•PSICOFARMACOTERAPIA•ELETROCONVULSOTERAPIA
Psicoterapias•Depressões leves ou moderadas•Evita exposição a fármacos ou suspensão da amamentação•Modalidades (Terapias f...
PsicofármacosDEPRESSÃO•Depressões moderadas ou graves•ISRS: poucos efeitos adversos e baixo risco em overdose(sertralina, ...
Psicofármacos- amamentação•Passam para o leite, mas raramente causam efeitos no RN(citalopram)•Meia-vida curta•Dependem da...
LactMed http://toxnet.nlm.nih.gov
Antidepressivos- sempre alertar!•Tempo de ação•Síndrome serotonérgica:triptanos, triptofano, hipérico, associações de anti...
PsicofármacosPSICOSE•Emergência médica      •Avaliação psiquiátrica imediata      •Internação      •Uso de antipsicóticos
Intervenções Hormonais•3 estudos com estrogênio oral com N pequeno•Relatos de caso•Resultados contraditórios              ...
Eletroconvulsoterapia•Depressões graves•O tratamento mais potente tratamento para depressão•EA: dificuldades de memória
Eletroconvulsoterapia
Prevenção PrimáriaScreening no pré-natal para doença psiquiátrica e abusode álcool ou drogas (15% das gestantes)Avaliação ...
Prevenção SecundáriaEscala de Edimburgh Postnatal Depression ScaleNos últimos 7 dias,1. Eu fui capaz de dar risada e de ve...
Prevenção SecundáriaEscala de Edimburgh Postnatal Depression Scale (0 a 30)             acima de 12: provável             ...
Prevenção Terciária- PsicoseRecorrência em gravidez subsequente: 57%ECR com N pequeno (máximo: 29 pacientes)Psicofármacos:...
PRISMA- Quartas-feiras das 9 às 16 horasRua Machado Bittencourt, 222 – Vila ClementinoFone 5084-1137 com secretária Síntia
elisabrietzke@hotmail.com
Depressao puerperal 09.09.12
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Depressao puerperal 09.09.12

855 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
855
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
18
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Depressao puerperal 09.09.12

  1. 1. O Blues, a Depressão e a Psicose Pós-Parto Elisa Brietzke Departamento de Psiquiatria Escola Paulista de MedicinaUniversidade Federal de São Paulo Setembro de 2012
  2. 2. Introdução
  3. 3. A complicação obstétrica mais comum Wisner 2et al., 2002; Bick e Howard 2010; Rotinas em Obstetrícia
  4. 4. Puerpério
  5. 5. Alterações de Humor no Puerpério Normalidade Transtorno do Humor
  6. 6. Transtornos do Humor no Puerpério Normalidade Transtorno do Humor BLUES •50 a 80% das mulheres •Sintomas leves e transitórios •Pico em 5 dias •Resolução em 10 dias •20 a 25% evoluirão para um transtorno maior
  7. 7. Transtornos Puerperais Depressão Pós-Parto Psicose Pós-Parto
  8. 8. Depressão Pós-PartoHumor Deprimido • Tristeza, Depressão • Perda de interesse ou prazer • Dificuldade de pensar ou seFuncionamento concentrar cognitivo • Indecisão • Sono Sintomas • Apetiteneurovegetativos • Atividade psicomotora • Libido • Desesperança Pessimismo • Desamparo • Ideação e comportamento suicida
  9. 9. Impacto na mulher•Grave sofrimento psicológico•Disfunção social•Prejuízos profissionais e financeiros•Inabilidade de adaptar-se às transições•Aumento do uso de álcool e drogas•Ideação suicida
  10. 10. Suicídio
  11. 11. Suicídio•38%: ideação suicida: mais frequente do que nadepressão comum.•18%: comportamento suicida•5%: tentativa•Distorções na maneira de pensar: desesperança,desamparo. Babu et al., 2008; Pinheiro et al., 2008
  12. 12. Risco de Suicídio•História familiar de comportamento suicida.•História de tentativa prévia•Intencionalidade e letalidade•Possibilidades de resgate•Uso de álcool•Transtorno de Personalidade•Fragilidade de vínculos•Estressor recente
  13. 13. Avaliação do Risco de Suicídio•Entrevista•Ambiente calmo e com privacidade•Paciente sozinho•Familiar•Perguntas que se dirigem gradualmente paraideação, plano e comportamento suicida.•Desejo de escapar da situação•Defesa contra o infanticídio
  14. 14. Impacto da Depressão no Bebê Comportamento materno•Menor interação•Desconexão•Menos falas•Menos expressão facial•Menos toques Slade et al., 2005; Field et al., 2007
  15. 15. Impacto no bebê Comportamento materno•Menor interação•Desconexão •Prejuízo no apego•Menos falas •Aprendizado social•Menos expressão facial •Regulação das emoções•Menos toques PSICOPATOLOGIA PROBLEMAS COMPORTAMENTAIS DEFICITS COGNITIVOS Feldman e Eidelman 2009; Slade et al., 2005; Field et al., 2007
  16. 16. Impacto no bebê
  17. 17. Impacto no bebê Maus tratos e negligência•Reprogramação do eixo HPA na criança•Redução na transcrição gênica de fatores neurotróficos•Redução de corpo caloso•Prejuízos cognitivos importantes (inteligência)•Impulsividade•Suicídio Chandra et al., 2006
  18. 18. Curso•Remissão e resolução do quadro•Transtorno Depressivo Recorrente•Transtorno Bipolar: 25 a 50% Kim et al., 2008
  19. 19. Transtorno Bipolar
  20. 20. Fisiopatologia
  21. 21. Morte celular ou disfunção neuronal •Apoptose •  resiliência celular •  arborização dentrítica •Prejuízo na neuroplasticidade
  22. 22. Morte celular ou disfunção neuronal
  23. 23. Estrogênio- Neuroproteção
  24. 24. Psicose Pós-Parto•Rara (0,1 a 0,2 % das mulheres)•Associada ao Transtorno Bipolar•Início em 2 semanas de pós-parto•Persistência por períodos longos
  25. 25. Psicose Pós-Parto•Sintomas Psicóticos •Delírios •Alucinações •Desorganização•Mudanças rápidas no quadro clínico
  26. 26. Tratamento•PSICOTERAPIAS•PSICOFARMACOTERAPIA•ELETROCONVULSOTERAPIA
  27. 27. Psicoterapias•Depressões leves ou moderadas•Evita exposição a fármacos ou suspensão da amamentação•Modalidades (Terapias focais- psicodinâmica, interpessoal oucognitivo-comportamental)•Devem incluir: •Psicoeducação •Controle de ritmos biológicos •Mudanças de papéis •Coping
  28. 28. PsicofármacosDEPRESSÃO•Depressões moderadas ou graves•ISRS: poucos efeitos adversos e baixo risco em overdose(sertralina, paroxetina, citalopram)•Fluoxetina•Escolha de um ISRS: resposta prévia, uso na família, meia-vida, perfil de sintomas.
  29. 29. Psicofármacos- amamentação•Passam para o leite, mas raramente causam efeitos no RN(citalopram)•Meia-vida curta•Dependem da dose e do metabolismo•Administrados após a mamada da noite•Ausência de efeitos deletérios na criança a longo prazo Epperson et al., 2001
  30. 30. LactMed http://toxnet.nlm.nih.gov
  31. 31. Antidepressivos- sempre alertar!•Tempo de ação•Síndrome serotonérgica:triptanos, triptofano, hipérico, associações de anti-depressivos•Aumento do risco de sangramento GI (associação com AINE)•Possível aumento do risco de suicídio no primeiro mês•Virada maníaca
  32. 32. PsicofármacosPSICOSE•Emergência médica •Avaliação psiquiátrica imediata •Internação •Uso de antipsicóticos
  33. 33. Intervenções Hormonais•3 estudos com estrogênio oral com N pequeno•Relatos de caso•Resultados contraditórios Doucet et al., 2011
  34. 34. Eletroconvulsoterapia•Depressões graves•O tratamento mais potente tratamento para depressão•EA: dificuldades de memória
  35. 35. Eletroconvulsoterapia
  36. 36. Prevenção PrimáriaScreening no pré-natal para doença psiquiátrica e abusode álcool ou drogas (15% das gestantes)Avaliação e abordagem dos recursos pessoais e familiarespara ligar com a gestação e o bebêOrientação para reconhecimento precoce Bick e Howard 2010; Oates et al., 1985
  37. 37. Prevenção SecundáriaEscala de Edimburgh Postnatal Depression ScaleNos últimos 7 dias,1. Eu fui capaz de dar risada e de ver o lado divertido das coisas( ) tanto quanto eu sempre fui( ) um pouco menos do que eu sempre fui( ) bem menos do que eu sempre fui( ) não fui capaz Bick e Howard 2010
  38. 38. Prevenção SecundáriaEscala de Edimburgh Postnatal Depression Scale (0 a 30) acima de 12: provável acima de 9: possívelUso e desempenho da escala variam conforme o país(VPP de 30 a 93%). Bick e Howard 2010
  39. 39. Prevenção Terciária- PsicoseRecorrência em gravidez subsequente: 57%ECR com N pequeno (máximo: 29 pacientes)Psicofármacos: Lítio (22 X 75%),Carbamazapina (27 X60%), Olanzapina (18 X 45%).Hormônios: Estrogênio oral ou transdérmico (não reduziutaxa, mas reduziu gravidade), progesterona (inefetiva). Doucet et al., 2011; Bick e Howard 2010
  40. 40. PRISMA- Quartas-feiras das 9 às 16 horasRua Machado Bittencourt, 222 – Vila ClementinoFone 5084-1137 com secretária Síntia
  41. 41. elisabrietzke@hotmail.com

×