UM PASTOR COMO JESUS
Mateus 9.35-38
Jesus é o nosso modelo de pastor; nunca chegaremos a ser
como o nosso modelo; não deve...
Nunca chegaremos a ser pastores como Jesus,
...pois não sabemos viver sem ter onde reclinar a cabeça (Mt
8.20).
...porque ...
I – COMO EXEMPLO NO TRABALHO
1. Jesus percorria todas as cidades e povoados.
2. Jesus percorria as cidades cumprindo as ob...
II – COMO EXEMPLO DE PERCEPÇÃO (v. 36).
1.Por se misturar entre as pessoas das cidades e povoados,
Jesus pode ver as suas ...
III – COMO EXEMPLO DE SOLUÇÃO (v.37-38).
1. Jesus se dirige aos seus discípulos e faz uma constatação:
há trabalho, mas nã...
CONCLUSÃO
Que possamos entender e aprender com o estilo pastoral de
Jesus.
Aprender com sua disposição para o trabalho; co...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Um pastor como Jesus

377 visualizações

Publicada em

Publicada em: Espiritual
  • Seja o primeiro a comentar

Um pastor como Jesus

  1. 1. UM PASTOR COMO JESUS Mateus 9.35-38 Jesus é o nosso modelo de pastor; nunca chegaremos a ser como o nosso modelo; não devemos desanimar de perseguir o modelo Jesus (Hb 12.2). Nunca chegaremos a ser como Jesus porque não podemos dar a vida pelas ovelhas (Jo 10.11), no máximo, enfrentar uma situação difícil; outra implicação, é que não somos tão bons como é o Pastor Jesus. Por não sermos bons, Deus nos chama para o ministério por pura misericórdia.
  2. 2. Nunca chegaremos a ser pastores como Jesus, ...pois não sabemos viver sem ter onde reclinar a cabeça (Mt 8.20). ...porque não abriríamos mão de entrar em Jerusalém, ou em outro lugar qualquer, em ‘pompa e circunstância’. ...porque não somos muito bons em perdoar, embora preguemos sobre perdão (Lc 23.33-34). ...porque muitas vezes ensinamos como quem não tem autoridade (Mt 7.29). Como disse um pastor amigo, ‘Jesus é o titular e nos os auxiliares’; Ele está sempre em campo, quando muitas vezes, nós estamos aguardando ou descansando na reserva. Mas é certo que podemos melhorar. Continuemos tendo Jesus como nosso exemplo.
  3. 3. I – COMO EXEMPLO NO TRABALHO 1. Jesus percorria todas as cidades e povoados. 2. Jesus percorria as cidades cumprindo as obrigações do Reino; entre as obrigações do reino, preparar o terreno para a edificação da igreja. 3. Jesus percorria os lugares para serem evangelizados em companhia dos discípulos; discípulo aprende a partir do ensino do seu mestre, e isto não era diferente em relação aos apóstolos. 4. O trabalho realizado por Jesus compreendia a pessoa em sua totalidade; era a missão integral realizada por Jesus: Ensino Evangelização Cura
  4. 4. II – COMO EXEMPLO DE PERCEPÇÃO (v. 36). 1.Por se misturar entre as pessoas das cidades e povoados, Jesus pode ver as suas necessidades. 2. Jesus viu as multidões nas suas dificuldades. Ele não as viu e as considerou apenas uma estatística para a economia na Palestina; Ele as viu o foi tomado por um sentimento, Ele se sentiu tocado pela crise da multidão. 3. Houve uma revolução, uma comoção no interior de Jesus. Champlin explica que como substantivo, compadecer pode indicar compaixão, amor, simpatia, afeição e misericórdia. 4. 4. Jesus viu as multidões muito cansadas, muito aflitas, sem rumo, sem pastor, sem apoio, sem direção, sem razão para viver. A Bíblia do Peregrino (Paulus) traz em nota que “a multidão tinha seus chefes: sacerdotes e doutores; no entanto, Jesus se comove ao vê-la”.
  5. 5. III – COMO EXEMPLO DE SOLUÇÃO (v.37-38). 1. Jesus se dirige aos seus discípulos e faz uma constatação: há trabalho, mas não há quem trabalhe. Há muito para ser feito, mas quem pode fazer? 2. Jesus estava preparando os discípulos para a tarefa da evangelização e consolidação da igreja que Ele edificaria. Para que eles entendessem o tamanho do problema, Jesus fez com eles um trabalho de campo; os discípulos acompanham Jesus em suas tarefas. 3. Jesus então delega responsabilidades: “Rogai”. Os discípulos precisariam de muitos outros colaboradores para a tarefa que tinham que realizar. 4. Jesus colocou sobre os discípulos a responsabilidade do cuidado com a seara; mas eles não teriam condições de fazer o trabalho em tão pequeno número (Mt 10.1).
  6. 6. CONCLUSÃO Que possamos entender e aprender com o estilo pastoral de Jesus. Aprender com sua disposição para o trabalho; com sua percepção dos problemas e dores do rebanho; da nossa necessidade de ajudadores para o trabalho na seara. Que sejamos pastores como Jesus.

×