PORTIFÓLIO          PROINFOINTRODUÇÃO A EDUCAÇÃO DIGITAL : TECNOLOGIAS NA SOCIEDADE E NA           ESCOLA
CURSISTAS ELIANE APARECIDA    GERALDO   ALESSANDRA VEZANI   ANA MARIA LENCI    BORDINHÃO   RITA DE CASSIA DE    OLIVEI...
APRESENTAÇÃO    Iniciamos este curso commuita expectativa, poisreconhecemos sobre a importânciadas tecnologias para melhor...
Este curso tem como tutor o Professor Vanderlei Domingos que iniciouo trabalho na data 17/03/2012 as 07:00 hrs com uma apr...
UNIDADE 1 – Tecnologias no Cotidiano: Desafios aInclusão DigitalTECNOLOGIAS NA ESCOLA E NA SOCIEDADE   O uso da tecnologia...
Desta forma, as tecnologias podem ajudar a definir os currículos (seusconteúdos, objetivos e métodos), a definir a orienta...
Ninguém está anunciando o fim da autoridade do professor, massim o abandono do autoritarismo que está intrínseco ao ensino...
Na UNIDADE 1, reconhecemos agrande importância das tecnologiasem nossas vidas. Elas estão presentesem nosso lar, nas ruas,...
UNIDADE 2: NAVEGAÇÃO, PESQUISA NA    INTERNET E SEGURANÇA NA REDEEssa unidade foi muito interessante, pois tem como objeti...
Foi importante nessa unidadeaprender a utilizar o editor de textodo Broffice, aprendendo a suaorganização e utilizando-se ...
UNIDADE 3: Blogs: Por que? Para que? Como? Essa unidade foi a que despertou um grau a mais da nossa curiosidade, poisnão t...
UNIDADE 4: ELABORAÇÃO E EDIÇÃO DE              TEXTOSEssa unidade nos leva a refletir sobre o papel dos editores de texto ...
ATIVIDADE UNIDADE 4: GANHOS E PERDAS COM          O USO DA TECNOLOGIA   “Pela primeira vez na história, a tecnologia da do...
E os ganhos? Sob este aspecto, no processo da leitura e escrita digital há umganho em dinamismo e praticidade, em relação ...
Desta forma, agiliza-se o processo da escrita, evitando operações no suporte dopapel. Isso permite maior autoria com menor...
Será mais difícil, “mas não formaremos receptores passivos de umconteúdo, e sim pessoas que saibam criar novos saberes, a ...
UNIDADE 5: COOPERAÇÃO (OU             INTERAÇÃO) NA REDEA partir da unidade cinco, a internet já não é um oceano desconhec...
Atividade Unidade 5: O Computador vai               substituir o Professor ?    O profissional que forma todos os outros p...
Que bom! Assim, “ficaremos com a melhor parte, aquela para a qualnão nos sobrava tempo, porque pensávamos que tínhamos que...
Não se pode negar, entretanto, a necessidade de mudança, detransformação na forma de aprender e ensinar. É inútil tentar c...
ATIVIDADE 6: COOPERAÇÃO PRESSUPÕE               DIÁLOGO Estamos convictos de que as atividades de interação pelainternet s...
A unidade 06 apresentou contribuições relevantes ao conhecimento dos serviços decomunicação oferecidos pela internet. E-ma...
As listas de discussão podem ser bastante úteis para a comunicação, pois reúnenum único endereço eletrônico uma grande qua...
UNIDADE 7: SLIDES DIGITAIS NA               ESCOLA A unidade 6 evidenciou uma ferramenta tecnológica que deve ocupar lugar...
Esta indagação faz referência não só ao uso dos slides, mas também detodas as tecnologias que podemos utilizar na sala de ...
UNIDADE 8: RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS          COM PLANILHA ELETRÔNICA Uma das temáticas mais abrangentes e utilitárias do cur...
Estruturada em colunas, linhas e células as planilhas eletrônicas são usadas paracomunicar informações de maneira clara, p...
CONCLUSÃOAo concluirmos esta primeira etapa do curso Introdução a Educação Digital, comcarga horária de 40 horas, podemos ...
Sabemos que o curso não será suficiente para promover nossa alfabetizaçãodigital, uma vez que isso é um processo de busca ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Portifólio professoras do maya

293 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
293
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Portifólio professoras do maya

  1. 1. PORTIFÓLIO PROINFOINTRODUÇÃO A EDUCAÇÃO DIGITAL : TECNOLOGIAS NA SOCIEDADE E NA ESCOLA
  2. 2. CURSISTAS ELIANE APARECIDA GERALDO ALESSANDRA VEZANI ANA MARIA LENCI BORDINHÃO RITA DE CASSIA DE OLIVEIRA HOMEM BROGLIO LUCIANA POLIZEL DE MORAES
  3. 3. APRESENTAÇÃO Iniciamos este curso commuita expectativa, poisreconhecemos sobre a importânciadas tecnologias para melhorar aqualidade educacional das atuais efuturas gerações. Este trabalho tempor finalidade registrar nossasdificuldades, avanços, e desafiosdesta primeira etapa do cursoProinfo Integrado: Introdução àEducação Digital – NTE MogiMirim.
  4. 4. Este curso tem como tutor o Professor Vanderlei Domingos que iniciouo trabalho na data 17/03/2012 as 07:00 hrs com uma apresentação decomo seria e o cronograma com datas e outros dados em relação aocurso, logo a seguir formamos grupos de estudo e começamos a navegarpelo site da Proinfo. Tomamos conhecimento dos temas das oitounidades propostas, em seguida, orientados pelo tutor, iniciamos aleitura da UNIDADE 1: Tecnologias no Cotidiano Desafios a InclusãoDigital, o qual fizemos uma síntese do arquivo: Por que precisamosusar a tecnologia na escola? As relações entre a escola, a tecnologiae a sociedade. Veja a seguir.
  5. 5. UNIDADE 1 – Tecnologias no Cotidiano: Desafios aInclusão DigitalTECNOLOGIAS NA ESCOLA E NA SOCIEDADE O uso da tecnologia hoje é imprescindível, visto que não há comoretroceder no campo tecnológico. As mídias se tornaram cada vez maisacessíveis. De modo geral, pode-se dizer que a tecnologia abre muitaspossibilidades, mas a determinação do que se torna realidade, dentro doque é possível, é do âmbito político. Sabe-se que o mercado de trabalho abre as portas mais facilmente paraquem está inserido no mundo digital. Então, se queremos atecnodemocracia, vamos precisar formar sujeitos para isso. A escola é local privilegiado e especialmente adequado para apromoção da inclusão digital, visto que a maioria dos jovens a freqüentapor um tempo bastante prolongado.
  6. 6. Desta forma, as tecnologias podem ajudar a definir os currículos (seusconteúdos, objetivos e métodos), a definir a orientação da práticapedagógica. Assim, dominar uma ferramenta tecnológica é muito mais queaprender a usá-la, significa garantia da possibilidade de se definirconjuntamente o que vamos fazer com ela. Além de aprender a usar a tecnologia, é preciso ser capaz de dizer paraque usar e para que não usar, e dizer como deve ser a tecnologia a serusada. E qual a importância do professor nesse processo? Sem errar, não sechega ao conhecimento. É preciso experimentar, tentar. O professor que vaifazer uso das TICs precisa perder o medo de experimentar junto com seusalunos, precisa negar o verticalismo da sua relação com eles, buscandomais confiança e companheirismo.
  7. 7. Ninguém está anunciando o fim da autoridade do professor, massim o abandono do autoritarismo que está intrínseco ao ensino desoluções prontas e acabadas, adotada sem crítica nem compreensão. Aaprendizagem significativa pressupõe o coletivo, a cooperação entrepessoas e disciplinas, o diálogo franco e livre.
  8. 8. Na UNIDADE 1, reconhecemos agrande importância das tecnologiasem nossas vidas. Elas estão presentesem nosso lar, nas ruas, no trabalho,em todo lugar. Em função disso,começamos a compreender anecessidade de cada vez mais derefletirmos e buscarmos alternativaspara a inserção das TICs na nossaprática político pedagógica. Fizemosdiversas atividades, navegamos nainternet, assistimos a vídeos,participamos de algumas discussões,nos familiarizamos com ocomputador.
  9. 9. UNIDADE 2: NAVEGAÇÃO, PESQUISA NA INTERNET E SEGURANÇA NA REDEEssa unidade foi muito interessante, pois tem como objetivo,compreender a estrutura do conteúdo web, e como devemos procederpara navegar na internet usando um software de navegação. Para nósprofessores esse é um tema importantíssimo porque vivemos em ummundo globalizado o qual se faz necessário estarmos informados sobreessas novas tecnologias que estão nosso redor tomando nosso cotidianomais confortável, facilitando as atividades do cotidiano de maneira maiseficiente e rápida. O professor deve estar apto desses novos recursospara utilizá-lo em seu meio profissional como uma ferramenta paraenriquecer sua prática pedagógica. É papel também do professor orientarseus alunos sob a forma correta de buscar informações na web, como sebeneficiar dessa ferramenta de comunicação de maneira que venhacontribuir em suas aprendizagens identificando os procedimentos iniciaisde segurança necessários para uma boa pesquisa.
  10. 10. Foi importante nessa unidadeaprender a utilizar o editor de textodo Broffice, aprendendo a suaorganização e utilizando-se dos seusrecursos mais simples de formataçãoe edição. O professor orientadorVanderlei Domingues também nosorientou a acessar o site do portal doprofessor, pois nele encontraremospropostas metodológicasinteressantes de todas as áreas doconhecimento, que ~podemenriquecer nosso currículo. Enfim,aprendemos mais possibilidades depesquisa na internet, como utilizá-lascom segurança.
  11. 11. UNIDADE 3: Blogs: Por que? Para que? Como? Essa unidade foi a que despertou um grau a mais da nossa curiosidade, poisnão tínhamos conhecimento aprofundado sobre blogs. Dessa forma sabíamosque essa unidade seria um desafio, que irá enriquecer nosso aprendizado. Deprincípio o professor Vanderlei nos orientou o que era um blog e suaimportância na educação, em seguida realizamos algumas leituras de textopara termos o conhecimento das principais características dos blogs, eposteriormente realizamos algumas atividades práticas, criamos uma conta nogmail para o nosso grupo de estudo, em seguida, criamos nosso próprio blogpara postar nossas atividades, fotos, projetos, vídeos, e tudo o que for solicitadopelo professor no desenrolar deste curso. Enfim, refletimos sobre o papel dosblogs na aprendizagem e comunicação, bem como a possibilidade deconteúdos de textos na internet.
  12. 12. UNIDADE 4: ELABORAÇÃO E EDIÇÃO DE TEXTOSEssa unidade nos leva a refletir sobre o papel dos editores de texto aoacesso da produção de determinados gêneros textuais e nodesenvolvimento da habilidade da escrita digital. Nesta perspectivaprocuramos observar o papel do professor em orientar o uso datecnologia no meio pedagógico de modo positivo, pois sabemos queessas TICs tem seu lado positivo e seu lado negativo,por esse motivotemos que saber lidar com essas inovações tecnológicas utilizando-asde forma benéfica no processo de ensino aprendizagem. Aprendemossobre gerenciamento de arquivos, salvar documentos em localadequado. Aprendemos como nos beneficiarmos dessas tecnologiastanto no meio profissional como em nossa vida pessoal.
  13. 13. ATIVIDADE UNIDADE 4: GANHOS E PERDAS COM O USO DA TECNOLOGIA “Pela primeira vez na história, a tecnologia da dominação é mais conhecidapelo ‘dominado’. Em outros termos: até hoje o professor trazia o saber, anorma culta, a escrita ‘correta’ para os não letrados. Hoje, ocorre um paradoxo:aquele a ser educado é o que melhor domina os instrumentos simbólicos dopoder, o aparato de maior prestígio: a tecnologia”(Ramal/2000). Até que ponto este paradoxo pode ser considerado bom ou ruim? Não setrata de classificá-lo assim, mas de aproveitar a tecnologia conhecida pelosjovens para aprimorar seu aprendizado. Neste sentido, podemos pensar: “o quevamos perder, quando deixarmos para trás a escrita manual e a leitura do livroimpresso, e passarmos para a leitura e a escrita digital?” Certamente, haverá ganhos, e não são poucos. Mas quais seriam as perdas?O treino caligráfico é a mais visível das perdas, tendo em vista que otreinamento manual da escrita ficará prejudicado. Também pode ocorrer ofenômeno do plágio (copiar e colar), reduzindo a capacidade de raciocínio eelaboração de textos. Além de outros fatores que podem ser elencados.
  14. 14. E os ganhos? Sob este aspecto, no processo da leitura e escrita digital há umganho em dinamismo e praticidade, em relação aos livros tradicionais e à escrita nopapel. Já não se torna necessário memorizar tudo o que já foi lido ou se quertransmitir, pois é possível retornar às partes anteriores de forma muito rápida esimples. Quanto à produção textual, há o processo de seleção, reescrita ereelaboração do texto escrito. Já não é necessário refazer todo o texto paraaprimorá-lo, mas é possível reeditá-lo, mudá-lo, sem a necessidade de refazê-lointegralmente, “passando tudo a limpo”. Assim, ao inserir o uso da tecnologia nas atividades escolares, torna-seimprescindível potencializar os ganhos e minimizar as perdas. Mas como? Umpossível caminho pode ser rascunhar idéias no papel, fazer tópicos, expandi-losmanualmente, em um projeto de texto, como início da produção textual. O próximopasso é a digitação, a formatação digital, que alia dinamismo na finalização dotrabalho, além de permitir a co-autoria entre diversos alunos, em um mesmo texto.
  15. 15. Desta forma, agiliza-se o processo da escrita, evitando operações no suporte dopapel. Isso permite maior autoria com menor perda de tempo, potencializando acapacidade de se produzir textos mais elaborados. Sendo assim, para minimizar a tensão da inserção das atividades de leitura eescrita no novo suporte digital, o professor do próximo milênio será um“estrategista da aprendizagem”, que entende como o aluno aprende, criandomodos de aprendizagem no computador. Pois, nele, a aprendizagem se dá porsimulação, tentativa e erro, em que se pode refazer, para aprimorar. De acordo com Pierre Lévy, “o professor será um profissional responsávelpor traçar e sugerir caminhos para a construção do saber”. Essa “nova profissão”exige mudanças: uma visão crítica na seleção de informações e uma sintonia comos novos desafios, com atenção constante aos processos educacionais, tantoquanto aos resultados obtidos.
  16. 16. Será mais difícil, “mas não formaremos receptores passivos de umconteúdo, e sim pessoas que saibam criar novos saberes, a serviço dahumanidade. É hora de deixar a escola de janelas abertas para omundo”(Andrea Cecília Ramal)
  17. 17. UNIDADE 5: COOPERAÇÃO (OU INTERAÇÃO) NA REDEA partir da unidade cinco, a internet já não é um oceano desconhecido para nós,abre inúmeras possibilidades de cooperação tanto entre professores como navida pessoal e profissional. É importante realizarmos uma leitura prévia doconteúdo das unidades, conhecer as informações para interagir com outros asdúvidas e o que nós aprendemos. Nesta perspectiva é importante refletir sobre aimportância da cooperação no aprendizado e destacar a relevância dessasferramentas na construção de novas práticas pedagógicas. Assim, o texto deAndréa Cecília Ramal “O COMPUTADOR VAI SUBSTITUIR OPROFESSOR, promove a discussão para que nós professores possamos refletirsobre nossa ação educativa, precisamos incorporar as TICs em nosso plano deaula, em nosso currículo.” Analisamos o papel das ações cooperativas em redeno aprendizado. Conversamos sobre os repositórios de compartilhamento deconteúdos em diversos formatos, vídeos, slides, etc.
  18. 18. Atividade Unidade 5: O Computador vai substituir o Professor ? O profissional que forma todos os outros profissionais deixaria deexistir devido à presença do computador nas atividades escolares? Comcerteza, não! A figura do mestre, orientador de caminhos para oaprendizado jamais será substituída por uma máquina. Porém, é inegávelque muita coisa deve mudar no modelo de aula mais comum, que todosconhecem tão bem. Curiosamente, então, a resposta para o questionamento inicial é sim!“A nossa pior aula, o lado repetitivo, burocrático, e por vezes acomodadoda escola, esse vamos deixar para o computador. Ele saberá transformarnossas exposições maçantes em aulas multimídia interativas, emhipertextos fascinantes, em telas coloridas e interfaces amigáveispreparadas para a construção do saber”.(Andréa Cecília Ramal)
  19. 19. Que bom! Assim, “ficaremos com a melhor parte, aquela para a qualnão nos sobrava tempo, porque pensávamos que tínhamos que transmitirconhecimento. Está em nossas mãos a derrubada dos muros para fazerconexões com o mundo, para a criação do espaço para a arte e a poesia, otempo para o diálogo amigo, o trabalho cooperativo, a discussão coletiva,a partilha de sentido”. (Ramal) Vamos, juntos, abrir as janelas da escola para o mundo. “Está emnossas mãos a construção de uma escola mais feliz, feita por mestres ealunos que saibam, juntos, propor links para a sala de aula, onde aprendernão seja uma tarefa árdua e penosa, mas sim uma aventura”.(Ramal)
  20. 20. Não se pode negar, entretanto, a necessidade de mudança, detransformação na forma de aprender e ensinar. É inútil tentar concorrercom a quantidade e qualidade de informações disponíveis na internet. E,tampouco podemos ignorar sua existência. Assim, a figura do professortransmissor de conteúdos e do aluno receptor passivo deverá ceder seulugar para um aprendizado construído em conjunto. E, nessa aula, todosseremos mestres e aprendizes. Curiosamente, todos aprenderão comonunca.
  21. 21. ATIVIDADE 6: COOPERAÇÃO PRESSUPÕE DIÁLOGO Estamos convictos de que as atividades de interação pelainternet são múltiplas. Amizades podem ser iniciadas emsala de bate papo; fóruns podem ser criados debatendosituações que vão desde comentários sobre as escolasmunicipais de Pedreira até o problema da prostituiçãoinfantil no Brasil. Todos cooperam para o processo deformação de opinião, onde debatemos de forma imparcialtudo o que acontece em nossa cidade, nosso estado e nomundo. Tanto de forma síncrona como assíncrona,dialogamos e sabemos de tudo o que nos cerca.
  22. 22. A unidade 06 apresentou contribuições relevantes ao conhecimento dos serviços decomunicação oferecidos pela internet. E-mails, fóruns, salas de bate-papo(chats), aslistas de discussões e as redes de relacionamento: Orkut, facebook dentre outras. Oestudo dessa temática evidenciou o impacto da tecnologia sobre a dinamização doprocesso educativo e as relações interpessoais. O correio eletrônico ou e-mail já éuma ferramenta tecnológica bastante popular no nosso cotidiano; no entanto, osfóruns e os chats ouvia-se falar ,mas, não despertava interesse por conhecer nemtampouco utilizá-las. Esta unidade do curso aliada a consciência de que devemosexplorar o potencial das TICs nos levou a buscar entender o funcionamento dessasferramentas de comunicativas ditas síncronas e assíncronas; a experiência revelouque na verdade são meios de comunicação alternativos e de enriquecimento culturalque estão entre as funcionalidades da web para serem usufruídas.
  23. 23. As listas de discussão podem ser bastante úteis para a comunicação, pois reúnenum único endereço eletrônico uma grande quantidade destinatários.Na ocasião foi possibilitado uma nova visita ao chat do e-Proinfo com orientaçõesde segurança e lista de endereços de chats voltados a inclusão de pessoas surdas.A temática apresentou ainda dicas de como se proteger dos spams (e-mails falsos);o cuidado com a etiqueta na internet e um detalhamento das principais ferramentasde comunicação da rede: e-mails, fóruns, redes de relacionamentos, chats (bate-papo). Compreender esses diversos recursos comunicativos possibilita aosprofessores a escolha das ferramentas mais adequadas ao propósito educativodesejado.
  24. 24. UNIDADE 7: SLIDES DIGITAIS NA ESCOLA A unidade 6 evidenciou uma ferramenta tecnológica que deve ocupar lugar dedestaque no contexto escolar, além do uso integrado de textos, voz, música eimagem, temos a possibilidade da animação. Trata-se dos slides digitais; umatemática com conceitos e orientações desafiadoras que propiciou dentre outrascontribuições nesse processo de inclusão digital o conhecimento de váriasapresentações digitais disponíveis num site de compartilhamento de slides; oslideshare, nele podemos também publicar nossas produções mediante umcadastro gratuito. Dentro da proposta de construção de slides, aprendemos areconhecer boas apresentações e através de um vídeo conhecemos dez dicaspara criar uma apresentação de slides, salientando que a qualidade daapresentação depende de um planejamento que contempla várias etapas. Nofinal da unidade direcionamos nossos olhares a um questionamento que nos fazolhar a tecnologia com criticidade: Por que e como devemos usarapresentações de slides na escola?
  25. 25. Esta indagação faz referência não só ao uso dos slides, mas também detodas as tecnologias que podemos utilizar na sala de aula. Vivemosuma realidade de exigências em que se cobra de nós professores,conhecimento e adaptação as novas tecnologias, mas, será que elas sótrazem benefícios? Acreditamos que sim, desde que sejam monitoradase muito bem planejadas. Discutimos também a importância que osdocumentos digitais promovem tanto aos que assistem quanto aos queproduzem. Assim, é bom analisar os efeitos que uma apresentação deslides produzem sobre os participantes e sobre a aprendizagem. Essa émais uma ferramenta que deve ser usada para enriquecer a nossa práticapedagógica.
  26. 26. UNIDADE 8: RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS COM PLANILHA ELETRÔNICA Uma das temáticas mais abrangentes e utilitárias do curso” Resoluçãode problemas eletrônicos “ refere-se a organização e sistematização dedados e vem nos auxiliar na resolução de muitos problemas cotidianos,sobretudo algumas tarefas maçantes típicas do trabalho docente.Nessa unidade conhecemos mais uma das ferramentas do BrOffice; osoftware Calc um programa de planilha que você pode usar paraorganizar e manipular dados que contêm texto, números, valores atémesmo o orçamento doméstico. Com suas múltiplas funcionalidadesdentre elas as planilhas eletrônicas, o Calc instigou a curiosidade e aempolgação por se apresentar como recurso facilitador do processo deelaboração dos diários de classe. A ferramenta está preparada paraefetuar cálculos, operações matemáticas, projeções, gráficos ou qualquertipo de operação que envolva números, oferecendo métodos simples paraefetuar operações aritméticas comuns aquelas que realizamos ao final doano letivo para obter as médias anuais dos alunos.
  27. 27. Estruturada em colunas, linhas e células as planilhas eletrônicas são usadas paracomunicar informações de maneira clara, precisa. Além dessa possibilidade elastambém permitem a manipulação dessas informações através de fórmulas. Oestudo da unidade revelou a importância desse software na otimização da nossaprática docente. Com o Calc é possível ainda a criação de gráficos para ilustrarinformações da planilha e uma infinidade de funcionalidades podem ser exploradascom finalidades diversas usando este recurso que semelhante a Excel da Microsoftfoi projetado para tornar nossa vida menos problemática.
  28. 28. CONCLUSÃOAo concluirmos esta primeira etapa do curso Introdução a Educação Digital, comcarga horária de 40 horas, podemos afirmar foi de grande valia pois, aprendemosa utilizar alguns programas e ferramentas educacionais que eram desconhecidaspelo grupo. A experiência do Curso de Introdução à Educação Digital apontounovas possibilidades para os professores junto as suas escolas possam integraros alunos ao mundo das TICs. Tivemos a oportunidade de adquirir conhecimentode ferramentas tecnológicas que podem tornar nossas aulas mais dinâmicas,prazerosas, com muito significado, auxiliando em nossa prática pedagógica,através de um planejamento direcionado.Atualmente o acesso as tecnologias devido a melhora das condições de vida deuma boa parte da população, crianças e jovens vivem conectados a umarealidade que atende pelos nomes de Orkut, facebook, Twitter, dentre outros;então se o papel da escola é promover a formação integral do sujeito. Temos queensinar,aproveitando todo o conhecimento que os alunos trazem do seu cotidianoe utilizá-lo para facilitar sua aprendizagem. Somos todos aprendizes. Não tenhamedo de aprender a aprender.
  29. 29. Sabemos que o curso não será suficiente para promover nossa alfabetizaçãodigital, uma vez que isso é um processo de busca e incorporação do novo, é alongo prazo, mas servirá de base para nos lançar nesse mundo mágico defacilidades que já é realidade. Nossa participação nessa primeira etapa do cursofoi muito positiva. As atividades propostas, o trabalho em grupo, cooperativo esobretudo a produção do portifólio, enriqueceu e muito nosso conhecimento.Todo trabalho em grupo é promissor quando todos caminham na mesma direção,buscam o mesmo objetivo: a aprendizagem.

×