SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 4
Baixar para ler offline
FÍSICA-
              RELATÓRIO DE FÍSICA- EFEITO FOTO
                       ELÉTRICO
POR: Irla Caldas, Kelvin Hamilton e Nillis Nery.


   •   INTRODUÇÃO

        No dia 17 de fevereiro foi realizada, no IFBA Campus Camaçari com a
orientação do Mestre em Física Dielson Horenfeld, uma atividade virtual simulando o
Efeito Fotoelétrico. Em seguida foi pedido o relatório da mesma. Antes de qualquer
coisa, é necessário entender alguns conceitos importantes.



                                Efeito Fotoelétrico
       Quando ondas eletromagnéticas atingem um corpo, às vezes observamos que
elétrons são “arrancados” desse corpo. Em princípio isso pode acontecer com vários
materiais, mas é um efeito mais facilmente observável em metais. A emissão de elétrons
pela absorção de radiação é chamada de efeito fotoelétrico.

O efeito fotoelétrico pode ser observado segundo a seguinte simulação:




                             Simulação do Efeito Fotoelétrico
Na figura acima vemos que existe uma fonte de potencial variável que tornará
possível a medição da energia cinética máxima dos elétrons emitidos. Aplicando uma
diferença de potencial V entre as placas A e C freia o movimento dos fotoelétrons
emitidos. Para uma voltagem V0 determinada, o amperímetro não marca a passagem de
corrente, o que significa que nenhuns dos elétrons mais rápidos chegam a placa C.
Nesse momento, a energia potencial dos elétrons se torna igual a energia cinética.



   • EXPERIMENTO
        Para fazer o nosso experimento, escolhemos o material da placa metálica que
experimenta o efeito fotoelétrico, no controle de seleção titulado Cátodo de cálcio.
Introduzimos o comprimento de onda da radiação que ilumina a placa, em angstrom
(quatro cifras) tomando-a das tabelas anteriores. Selecionamos a intensidade da
radiação um número maior que zero no controle de seleção titulado Intensidade da
luz. Isso para comprovar que quanto maior seja a intensidade maior é o desvio do
amperímetro quando passa corrente pela fotocélula. Clicamos no botão titulado Fóton.
Quando não houve emissão, introduzimos um valor menor do comprimento de onda
(maior frequência). Quando houve emissão, observamos o movimento do elétron. O
campo elétrico freia o elétron e eventualmente, o faz regressar a placa metálica se sua
energia cinética não é suficiente.

       Modificamos o potencial variável da bateria, colocamos outro valor no controle
de edição titulado Diferença de potencial, até conseguirmos que o elétron chegue justo a
placa oposta, o amperímetro deixa de marcar a passagem de corrente, ou começa a
marcar a passagem de corrente. Guardamos os dados. Repetimos a experiência
introduzindo um novo valor para o comprimento de onda da radiação que ilumina a
placa metálica. Quando coletamos um número suficiente de dados, nesse caso quatro,
clicamos no botão titulado Enviar para representar graficamente os dados da simulação.




                              Simulação do Efeito Fotoelétrico
•   DADOS OBTIDOS

METAL: Cálcio

Comprimento         de      onda Potencial V0 (volt)
(angstrom)

3261                               0,610

3404                               0,450

3466                               0,385

3611                               0,241

Energia de arranque f= -3.197 (valor de b)

Constante de Planck h= 6,608X10-34



     Ao fazermos todos esses procedimentos descritos no parágrafo anterior,
mandamos os dados para ser calculados e fornecer o gráfico. Tal como:




                             Gráfico com os resultados obtidos




        Para obtermos a energia de arranque dos elétrons do metal basta observar no
                                              
gráfico o valor do parâmetro b na parte de cima da simulação, que é de -3,197. A
inclinação da reta se deu pelo valor do parâmetro a, 0,413, e mede o cociente entre as
constantes fundamentais h/e. Lembremos que a frequência estar na ordem de 1014hz.
Para termos o valor da constante de Planck basta calcularmos conforme a
equação do coeficiente a= h/e.

                               0,413x10-14 = h/1.6x10-19

                                  h = 6,608x10-34 J.s

        À primeira vista o efeito fotoelétrico tem uma explicação simples. A onda
eletromagnética transfere energia ao elétron. Uma parte dessa energia é usada para
realizar o trabalho de extração do elétron; o restante transforma-se em energia cinética
(Ec) do elétron, que é o que descobrimos no experimento.



   • CONCLUSÃO
        A explicação dada a esse fenômeno por Einstein é que a radiação é formada por
quanta (fótons). Cada elétron absorve apenas um fóton. Se a energia desse fóton for
menos do que a necessária para extrair o elétron, este não será emitido, por mais tempo
que a radiação fique incidindo sobre o corpo.




   • REFERÊNCIAS

   Dos sites:

   http://www.fisica.ufs.br/egsantana/cuantica/fotoelectrico/fotoelectrico.ht
   m. Acessado em 05 de Março de 2012.

   http://www.brasilescola.com/fisica/o-efeito-fotoeletrico.htm. Acessado
   em 05 de Março de 2012.

   http://www.infoescola.com/fisica/efeito-fotoeletrico/. Acessado em 06
   de Março de 2012.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (19)

Lei de coulomb
Lei de coulombLei de coulomb
Lei de coulomb
 
Lei de Coulomb - 3º Ano EM
Lei de Coulomb - 3º Ano EMLei de Coulomb - 3º Ano EM
Lei de Coulomb - 3º Ano EM
 
Efeito fotoelétrico
Efeito fotoelétricoEfeito fotoelétrico
Efeito fotoelétrico
 
Eletrostatica caj terceirão
Eletrostatica caj terceirãoEletrostatica caj terceirão
Eletrostatica caj terceirão
 
Cargas puntiformes lei de coulomb
Cargas puntiformes   lei de coulombCargas puntiformes   lei de coulomb
Cargas puntiformes lei de coulomb
 
Eletricidade aula 02 lei de coulomb
Eletricidade   aula 02 lei de coulombEletricidade   aula 02 lei de coulomb
Eletricidade aula 02 lei de coulomb
 
3º Ano Eletrostática
3º Ano Eletrostática3º Ano Eletrostática
3º Ano Eletrostática
 
1ª lei de coulomb
1ª lei de coulomb1ª lei de coulomb
1ª lei de coulomb
 
Pratica 3 - Experiência de Milikan
Pratica 3 - Experiência de MilikanPratica 3 - Experiência de Milikan
Pratica 3 - Experiência de Milikan
 
Aula 1 eletricidade
Aula 1 eletricidadeAula 1 eletricidade
Aula 1 eletricidade
 
Eletricidade capítulo 01
Eletricidade capítulo 01Eletricidade capítulo 01
Eletricidade capítulo 01
 
Física - Lei de Coulomb
Física - Lei de CoulombFísica - Lei de Coulomb
Física - Lei de Coulomb
 
trabalho de física!
trabalho de física!trabalho de física!
trabalho de física!
 
Força elétrica
Força elétricaForça elétrica
Força elétrica
 
Força elétrica parte 1
Força elétrica parte 1Força elétrica parte 1
Força elétrica parte 1
 
Física 4º
Física 4ºFísica 4º
Física 4º
 
Eletrostática
EletrostáticaEletrostática
Eletrostática
 
Força Magnética e Regra da Mão - Conteúdo vinculado ao blog http://fisic...
Força Magnética e Regra da Mão - Conteúdo vinculado ao blog      http://fisic...Força Magnética e Regra da Mão - Conteúdo vinculado ao blog      http://fisic...
Força Magnética e Regra da Mão - Conteúdo vinculado ao blog http://fisic...
 
Efeito Fotoelétrico
Efeito FotoelétricoEfeito Fotoelétrico
Efeito Fotoelétrico
 

Destaque

Física b relátório 1
Física b   relátório 1Física b   relátório 1
Física b relátório 1Laiana Bentes
 
Relatorio fisica ou quimica queda livre
Relatorio fisica ou quimica queda livre Relatorio fisica ou quimica queda livre
Relatorio fisica ou quimica queda livre Maria Oliveira
 
Relatório de física ( molas elásticas )
Relatório de física ( molas elásticas )Relatório de física ( molas elásticas )
Relatório de física ( molas elásticas )Karina Costa
 
Relatorio Resumo
Relatorio  ResumoRelatorio  Resumo
Relatorio Resumoguesta96e9e
 
Relatório de física resistência e resistividade
Relatório de física   resistência e resistividadeRelatório de física   resistência e resistividade
Relatório de física resistência e resistividadeVictor Said
 
Relatorio de fisica construao de um termmetro
Relatorio de fisica   construao de um termmetroRelatorio de fisica   construao de um termmetro
Relatorio de fisica construao de um termmetroGabriela Mendes
 
Relatorio fisica experimental trilho de ar
Relatorio  fisica experimental trilho de arRelatorio  fisica experimental trilho de ar
Relatorio fisica experimental trilho de arToninha Silva
 
10ºano unidade 2 fisica para 11ºano revisão
10ºano unidade 2 fisica para 11ºano revisão10ºano unidade 2 fisica para 11ºano revisão
10ºano unidade 2 fisica para 11ºano revisãoadelinoqueiroz
 
Relatório de química
Relatório de químicaRelatório de química
Relatório de químicaADSONTORREZANE
 
Abnt referencias bibliograficas
Abnt   referencias bibliograficasAbnt   referencias bibliograficas
Abnt referencias bibliograficasManoela Fischer
 
Modelo de relatório experimental.pdf fim
Modelo de relatório experimental.pdf fimModelo de relatório experimental.pdf fim
Modelo de relatório experimental.pdf fimrenataiatsunik
 
Relatório de Atividades 2008
Relatório de Atividades 2008Relatório de Atividades 2008
Relatório de Atividades 2008lealtran
 
Modelo relatorio
Modelo relatorioModelo relatorio
Modelo relatoriorsaloes
 

Destaque (18)

Fisica relatorio 1
Fisica   relatorio 1Fisica   relatorio 1
Fisica relatorio 1
 
Relatorio de fisica.
Relatorio de fisica.Relatorio de fisica.
Relatorio de fisica.
 
Relatório física
Relatório físicaRelatório física
Relatório física
 
Física b relátório 1
Física b   relátório 1Física b   relátório 1
Física b relátório 1
 
Relatorio fisica ou quimica queda livre
Relatorio fisica ou quimica queda livre Relatorio fisica ou quimica queda livre
Relatorio fisica ou quimica queda livre
 
Relatorio de fisica 3
Relatorio de fisica 3Relatorio de fisica 3
Relatorio de fisica 3
 
Relatório de física ( molas elásticas )
Relatório de física ( molas elásticas )Relatório de física ( molas elásticas )
Relatório de física ( molas elásticas )
 
Relatorio Resumo
Relatorio  ResumoRelatorio  Resumo
Relatorio Resumo
 
Relatório de física resistência e resistividade
Relatório de física   resistência e resistividadeRelatório de física   resistência e resistividade
Relatório de física resistência e resistividade
 
Relatorio de fisica construao de um termmetro
Relatorio de fisica   construao de um termmetroRelatorio de fisica   construao de um termmetro
Relatorio de fisica construao de um termmetro
 
Relatorio fisica experimental trilho de ar
Relatorio  fisica experimental trilho de arRelatorio  fisica experimental trilho de ar
Relatorio fisica experimental trilho de ar
 
10ºano unidade 2 fisica para 11ºano revisão
10ºano unidade 2 fisica para 11ºano revisão10ºano unidade 2 fisica para 11ºano revisão
10ºano unidade 2 fisica para 11ºano revisão
 
Relatório de química
Relatório de químicaRelatório de química
Relatório de química
 
Abnt referencias bibliograficas
Abnt   referencias bibliograficasAbnt   referencias bibliograficas
Abnt referencias bibliograficas
 
Modelo de relatório experimental em química
Modelo de relatório experimental em químicaModelo de relatório experimental em química
Modelo de relatório experimental em química
 
Modelo de relatório experimental.pdf fim
Modelo de relatório experimental.pdf fimModelo de relatório experimental.pdf fim
Modelo de relatório experimental.pdf fim
 
Relatório de Atividades 2008
Relatório de Atividades 2008Relatório de Atividades 2008
Relatório de Atividades 2008
 
Modelo relatorio
Modelo relatorioModelo relatorio
Modelo relatorio
 

Semelhante a Relatório de fisica(1)

Semelhante a Relatório de fisica(1) (20)

Efeito Fotoelétrico
Efeito FotoelétricoEfeito Fotoelétrico
Efeito Fotoelétrico
 
Pratica 2 - Carga específica do Elétron
Pratica 2 - Carga específica do ElétronPratica 2 - Carga específica do Elétron
Pratica 2 - Carga específica do Elétron
 
Corrente elétrica
Corrente elétricaCorrente elétrica
Corrente elétrica
 
Espectrometria de massas v1.1.09
Espectrometria de massas v1.1.09Espectrometria de massas v1.1.09
Espectrometria de massas v1.1.09
 
Aula 2 - Eletricidade e Eletrônica - Eletrização e Cargas elétricas
Aula 2 - Eletricidade e Eletrônica - Eletrização e Cargas elétricasAula 2 - Eletricidade e Eletrônica - Eletrização e Cargas elétricas
Aula 2 - Eletricidade e Eletrônica - Eletrização e Cargas elétricas
 
A Física do século XX
A Física do século XXA Física do século XX
A Física do século XX
 
Fisica sec xx
Fisica sec xxFisica sec xx
Fisica sec xx
 
Fisica Sec Xx
Fisica Sec XxFisica Sec Xx
Fisica Sec Xx
 
Fisica Sec Xx
Fisica Sec XxFisica Sec Xx
Fisica Sec Xx
 
Kuantica
KuanticaKuantica
Kuantica
 
Kuantica
KuanticaKuantica
Kuantica
 
Kuantica
KuanticaKuantica
Kuantica
 
Postulados de bohr
Postulados de bohrPostulados de bohr
Postulados de bohr
 
Modelo de bohr e aplicações atualizado
Modelo de bohr e aplicações   atualizadoModelo de bohr e aplicações   atualizado
Modelo de bohr e aplicações atualizado
 
NOÇÕES DE ELETROSTÁTICA
NOÇÕES DE ELETROSTÁTICANOÇÕES DE ELETROSTÁTICA
NOÇÕES DE ELETROSTÁTICA
 
Eletricidade básica
Eletricidade básicaEletricidade básica
Eletricidade básica
 
Aula 03 - Estrutura dos átomos e moléculas
Aula 03 - Estrutura dos átomos e moléculasAula 03 - Estrutura dos átomos e moléculas
Aula 03 - Estrutura dos átomos e moléculas
 
Kuantica
KuanticaKuantica
Kuantica
 
Experimento de carater quantico da luz
Experimento de carater quantico da luzExperimento de carater quantico da luz
Experimento de carater quantico da luz
 
A Fisica do seculo XX Nicolau Gilberto Ferrato
A Fisica do seculo XX Nicolau Gilberto FerratoA Fisica do seculo XX Nicolau Gilberto Ferrato
A Fisica do seculo XX Nicolau Gilberto Ferrato
 

Mais de eletrofisica

Física relatório - o efeito fotoelétrico
Física   relatório - o efeito fotoelétricoFísica   relatório - o efeito fotoelétrico
Física relatório - o efeito fotoelétricoeletrofisica
 
Entrevista com weber ofciial2
Entrevista com weber  ofciial2Entrevista com weber  ofciial2
Entrevista com weber ofciial2eletrofisica
 
Entrevista com oerested ok
Entrevista com oerested okEntrevista com oerested ok
Entrevista com oerested okeletrofisica
 
Entrevista com hertz
Entrevista com hertzEntrevista com hertz
Entrevista com hertzeletrofisica
 

Mais de eletrofisica (6)

Física relatório - o efeito fotoelétrico
Física   relatório - o efeito fotoelétricoFísica   relatório - o efeito fotoelétrico
Física relatório - o efeito fotoelétrico
 
Entrevista com weber ofciial2
Entrevista com weber  ofciial2Entrevista com weber  ofciial2
Entrevista com weber ofciial2
 
Entrevista com oerested ok
Entrevista com oerested okEntrevista com oerested ok
Entrevista com oerested ok
 
Biografia 2 blog
Biografia 2 blogBiografia 2 blog
Biografia 2 blog
 
Biografia 2 blog
Biografia 2 blogBiografia 2 blog
Biografia 2 blog
 
Entrevista com hertz
Entrevista com hertzEntrevista com hertz
Entrevista com hertz
 

Relatório de fisica(1)

  • 1. FÍSICA- RELATÓRIO DE FÍSICA- EFEITO FOTO ELÉTRICO POR: Irla Caldas, Kelvin Hamilton e Nillis Nery. • INTRODUÇÃO No dia 17 de fevereiro foi realizada, no IFBA Campus Camaçari com a orientação do Mestre em Física Dielson Horenfeld, uma atividade virtual simulando o Efeito Fotoelétrico. Em seguida foi pedido o relatório da mesma. Antes de qualquer coisa, é necessário entender alguns conceitos importantes. Efeito Fotoelétrico Quando ondas eletromagnéticas atingem um corpo, às vezes observamos que elétrons são “arrancados” desse corpo. Em princípio isso pode acontecer com vários materiais, mas é um efeito mais facilmente observável em metais. A emissão de elétrons pela absorção de radiação é chamada de efeito fotoelétrico. O efeito fotoelétrico pode ser observado segundo a seguinte simulação: Simulação do Efeito Fotoelétrico
  • 2. Na figura acima vemos que existe uma fonte de potencial variável que tornará possível a medição da energia cinética máxima dos elétrons emitidos. Aplicando uma diferença de potencial V entre as placas A e C freia o movimento dos fotoelétrons emitidos. Para uma voltagem V0 determinada, o amperímetro não marca a passagem de corrente, o que significa que nenhuns dos elétrons mais rápidos chegam a placa C. Nesse momento, a energia potencial dos elétrons se torna igual a energia cinética. • EXPERIMENTO Para fazer o nosso experimento, escolhemos o material da placa metálica que experimenta o efeito fotoelétrico, no controle de seleção titulado Cátodo de cálcio. Introduzimos o comprimento de onda da radiação que ilumina a placa, em angstrom (quatro cifras) tomando-a das tabelas anteriores. Selecionamos a intensidade da radiação um número maior que zero no controle de seleção titulado Intensidade da luz. Isso para comprovar que quanto maior seja a intensidade maior é o desvio do amperímetro quando passa corrente pela fotocélula. Clicamos no botão titulado Fóton. Quando não houve emissão, introduzimos um valor menor do comprimento de onda (maior frequência). Quando houve emissão, observamos o movimento do elétron. O campo elétrico freia o elétron e eventualmente, o faz regressar a placa metálica se sua energia cinética não é suficiente. Modificamos o potencial variável da bateria, colocamos outro valor no controle de edição titulado Diferença de potencial, até conseguirmos que o elétron chegue justo a placa oposta, o amperímetro deixa de marcar a passagem de corrente, ou começa a marcar a passagem de corrente. Guardamos os dados. Repetimos a experiência introduzindo um novo valor para o comprimento de onda da radiação que ilumina a placa metálica. Quando coletamos um número suficiente de dados, nesse caso quatro, clicamos no botão titulado Enviar para representar graficamente os dados da simulação. Simulação do Efeito Fotoelétrico
  • 3. DADOS OBTIDOS METAL: Cálcio Comprimento de onda Potencial V0 (volt) (angstrom) 3261 0,610 3404 0,450 3466 0,385 3611 0,241 Energia de arranque f= -3.197 (valor de b) Constante de Planck h= 6,608X10-34 Ao fazermos todos esses procedimentos descritos no parágrafo anterior, mandamos os dados para ser calculados e fornecer o gráfico. Tal como: Gráfico com os resultados obtidos Para obtermos a energia de arranque dos elétrons do metal basta observar no gráfico o valor do parâmetro b na parte de cima da simulação, que é de -3,197. A inclinação da reta se deu pelo valor do parâmetro a, 0,413, e mede o cociente entre as constantes fundamentais h/e. Lembremos que a frequência estar na ordem de 1014hz.
  • 4. Para termos o valor da constante de Planck basta calcularmos conforme a equação do coeficiente a= h/e. 0,413x10-14 = h/1.6x10-19 h = 6,608x10-34 J.s À primeira vista o efeito fotoelétrico tem uma explicação simples. A onda eletromagnética transfere energia ao elétron. Uma parte dessa energia é usada para realizar o trabalho de extração do elétron; o restante transforma-se em energia cinética (Ec) do elétron, que é o que descobrimos no experimento. • CONCLUSÃO A explicação dada a esse fenômeno por Einstein é que a radiação é formada por quanta (fótons). Cada elétron absorve apenas um fóton. Se a energia desse fóton for menos do que a necessária para extrair o elétron, este não será emitido, por mais tempo que a radiação fique incidindo sobre o corpo. • REFERÊNCIAS Dos sites: http://www.fisica.ufs.br/egsantana/cuantica/fotoelectrico/fotoelectrico.ht m. Acessado em 05 de Março de 2012. http://www.brasilescola.com/fisica/o-efeito-fotoeletrico.htm. Acessado em 05 de Março de 2012. http://www.infoescola.com/fisica/efeito-fotoeletrico/. Acessado em 06 de Março de 2012.