6 anolp aluno2caderno de apoio pedagógico - aluno

2.270 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.270
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
38
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

6 anolp aluno2caderno de apoio pedagógico - aluno

  1. 1. Coordenadoria de EducaçãoII CADERNO DE APOIO PEDAGÓGICO Língua Portuguesa – aluno 6º ANO
  2. 2. Caderno 2 Atividade 3 Coordenadoria de Educação Eduardo Paes Prefeito da Cidade do Rio de Janeiro Profª Claudia Costin Secretária Municipal de Educação Profª Regina Helena Diniz Bomeny Subsecretária de EnsinoProfª Maria de Nazareth Machado de Barros Vasconcellos Coordenadora de Educação Apoio Pedagógico Profª Maria Socorro Ramos de Souza Profª Maria de Fátima Cunha Coordenação Língua Portuguesa Profª Drª Maria Teresa Tedesco (UERJ) Consultora Profª Ana Paula Lisboa Profª Gina Paula Capitão Mor Profª Sara Luisa Oliveira Loureiro Equipe Revisão Prof. Jaime Pacheco dos Santos Profª Leila Cunha de Oliveira Profª Leticia Carvalho Monteiro (diagramação) Prof. Maurício Mendes Pinto (diagramação)
  3. 3. Nome da escola:___________________________________________ 6º ANO BETA Sme Atividade 1 Nome:___________________________________________________ Coordenadoria de Educação Pessoas na praia e os maiôs da época . TEXTO 1 O passado do Rio em cliques Você já parou para imaginar como era o Rio deJaneiro há muitas décadas, antes do nascimento de seus pais eavós? As pessoas iam à praia com muita roupa, os bondesainda circulavam, desfiles carnavalescos aconteciam em carrosde passeio e Ipanema, por exemplo, nem tinha prédios altos.Tudo isso e muito mais sobre o passado da cidade pode servisto nas imagens registradas por Augusto Malta, fotógrafooficial da prefeitura por 30 anos. Parte desse verdadeiro tesouro fotográfico está As “patricinhas” de antigamente: luvas e chapéus .no livro “Augusto Malta e o Rio de Janeiro – 1903-1936”, deGeorge Ermakoff. A publicação tem 300 fotos em 288 páginas. Fonte: O Globo, Globinho, 23 de maio de 2009.Como Malta fotografava ruas, obras, praças, paisagens,pessoas e tudo mais que aparecia pela sua frente, o livropermite que o leitor compare o Rio do início do século 20 com a Após a leitura do texto, responda, em seu caderno, às perguntas abaixo:cidade nos dias atuais. E as mudanças são muitas: a maioriadas ruas está completamente diferente, outras vias mudaram de 1.Qual a finalidade do texto que você acabou de ler? Retire do textonome, e houve ainda as que desapareceram. um trecho que comprove sua resposta. A história de Augusto Malta também é retratada no livro. 2. No trecho “Você já parou para imaginar como era o Rio de Janeiro háTudo começou quando ele trocou uma bicicleta por uma muitas décadas, antes do nascimento de seus pais e avós?” Que ideia amáquina fotográfica e passou a fazer muitos e muitos cliques. expressão “há muitas décadas” reforça?Depois de ter trabalhado na prefeitura, Malta se aposentou, mas 3. Segundo o texto, como era o Rio de Janeiro no início do século XX?continuou vendendo suas fotos até 1957, quando morreu, aos 4. Diga como você conseguiu chegar a essa informação.93 anos. [...] 5. Como você acha que são as chamadas “patricinhas” de hoje? Em que Rua inundada do Flamengo se diferem das “patricinhas” de antigamente? 6. Observe as fotos, reflita sobre o que você vê da nossa cidade e preencha o quadro abaixo com características do Rio de Janeiro: Rio de antigamente Rio nos dias de hoje Ipanema repleta de casarões
  4. 4. Nome da escola:___________________________________________ 6º ANO BETA Sme BETA Sme Nome:___________________________________________________ Atividade 1 Coordenadoria de Educação TEXTO 2 O Arco e a Flecha Han Feizi, trad. de Márcia Schmaltz e Sérgio Capparelli Um homem contava vantagens da qualidade deseu arco: -Olha meu arco. Ele é tão bom que nem preciso deflecha. Outro vangloriava-se da qualidade de sua flecha. -Olha minha flecha. Ela é tão boa que nem preciso dearco. Nesse momento passava um mestre arqueiro Agora, responda em seu caderno:que parou e disse aos dois contadores de prosa: 1.No último parágrafo qual é a mensagem que o mestre arqueiro O que estão falando não tem sentido. Sem arco, como transmite para os dois homens?atirar a flecha? E sem flecha, como atingir o alvo? 2.No trecho “Ele é tão bom que nem preciso de flecha.” o termo Ele pediu então emprestado o arco e a flecha e destacado se refere a que palavra no texto? Qual o papel da palavracomeçou a ensinar aos dois a arte do arco e da flecha. destacada? Só então os dois faladores compreenderam pela 3.No trecho “O que estão falando não tem sentido”primeira vez que um arco precisa de uma flecha e uma flecha a) a que ideia a expressão “o que” está se referindo?precisa de um arco. b) Por que o Mestre Arqueiro faz esse comentário? Esse texto que você acabou de ler é um dos contos chineses para crianças. Se quiser ler outros, acesse www..caparelli.com.br
  5. 5. Nome da escola:___________________________________________ 6º ANO BETA Sme BETA Sme Nome:___________________________________________________ Atividade 2 Coordenadoria de Educação Ler e escrever cartas é delicioso. Podemos, inclusive, encontrar subentendidos nas linhas e entrelinhas, levantar hipóteses do relacionamento entre remetente e destinatário, imaginar respostas... O texto abaixo é uma carta escrita por Carlos Drummond de Andrade e enviada ao pai dele. Observe a linguagem utilizada... coisas de antigamente... Comunicar-se a distância já foi um problema. Velhos tempos, TEXTO 1 Data e local da escrita quando se vivia sem telefone, telégrafo ou internet. Como as pessoas da carta. Neste texto se comunicavam? Na maioria das vezes por cartas. falta a informação do Antigamente quase sempre manuscritas ou datilografadas, as dia e do mês. cartas precisavam de envelope e selo para chegarem ao seu destino. O gênero carta é antigo e manifesta-se em diferentesDestinatário. formatos. Traços constantes desse gênero são a indicação: Friburgo 1919: a) do local e data de envio; Amado Pae b) da pessoa a quem a carta é destinada [por isso chamada de destinatário(a)]; 5ª feira recebi vossa carta-bilhete do dia 29, que me c) da saudação;alegrou, Pois por ela fui informado que tudo, graças a Deus, vai d) da interlocução com o destinatário;na forma costumeira, sem novidades. e) da despedida; Por aqui, a cousa é a mesma. Eu já estou f) da pessoa que remete a carta (por isso chamada de remetente).restabelecido de todo e não é sem tempo, pois fiquei quatrodias tomando apenas canja, em virtude de prescrição médica.Ora, quatro dias de canja não é nenhuma brincadeira... Enfim,estou são, graças a Deus. Observando a estrutura da carta escrita por Carlos Drummond de Andrade Estou muito e muito saudoso, mas o que me (Texto 1), responda em seu caderno:consola muito é a certeza de que falta pouco tempo. Estamos 1. Quem escreveu a carta?quase no fim do ano ginasial. Deus permita que isso passe 2. Para quem a carta foi escrita?depressa! Por hoje basta. Envio-vos saudosíssimos e 3. Em que lugar a carta foi redigida?respeitosos abraços. Beijando-vos a mão, peço a vossa bênção. 4. Em que data? O filho muito amoroso. 5. O trecho “Beijando-vos a mão, peço a vossa benção.”, indica uma fala típica do registro . Carlos Cartas, muitas vezes, encerram- 6. Observe como Carlos se dirige ao pai. As palavras que ele escolhe para se com uma apresentação do fazer isso revelam que sentimentos entre pai e filho?Remetente. remetente, resumindo a auto- imagem com que ele pretende(u) apresentar-se ao destinatário. Adaptado de http://revistalingua.uol.com.br/ObraAberta/42_34_ObraAberta.pdf.Acesso 19/05/2009.
  6. 6. Nome da escola:___________________________________________ 6º ANO BETA Sme BETA Sme Nome:___________________________________________________ Atividade 2 Coordenadoria de Educação TEXTO 2 Rio de Janeiro, 03/02/08 Querida Marcinha: Use seu Você deve achar estranho receber uma carta caderno paraminha, visto que não tenho o hábito de escrever. Mas, derepente, me deu uma vontade louca de te confessar o quanto é responder...bom te amar, o quanto me faz bem esta ternura que nos cerca,mesmo quando você não está exatamente ao meu lado. Sabe, te amar e me sentir amado por você é amelhor de todas as sensações que já experimentei na vida. TEXTO 3Contigo me sinto feliz e poderoso. Me sinto livre, no sentido deter a segurança de tomar qualquer atitude, qualquer rumo, Glamourosa,sabendo que estou agindo em busca do melhor para nós dois. Tenho sempre muitas saudades suas, mas são .Sei que esta carta com certeza ñ vai te deixar de queixo caído.saudades boas de sentir, saudades doces e ternas, tranquilas, Porque você ,mina, compreendeu com certeza que, depois deporque sabem que serão saciadas assim que os meus olhos tanta insistência tirada sem dó, eu não podia continuarvirem o brilho dos teus. sofrendo pakas desse jeito. Dizem que tu me ama. Dizem, Minha querida e adorável criatura, te adoro. porque vc nunca me disse. Mas... se tá entendendo q me ama, Sinceramente. mina, nunca me fez sacar este teu sentimento, toda essa Flávio consideração. Trocentas vezes te pedi uma palavra de PS. Te adoro. consideração, cara. Vc nunca me deu contexto, ou ficava na tua ou me dava logo uma queimada. Não entendo esses barato: acho q amor pra mim, já era. Cada um pro seu canto. Agora, vamos analisar a segunda carta (Texto2).No texto 2: Tigrão 1. Quem escreveu a carta? Adaptado de respondidashttp://br.answers.yahoo.com/question/ 2. Para quem a carta foi escrita? 3. Em que lugar a carta foi redigida? 4. Em que data? 5. Com relação ao conteúdo, podemos dizer que o texto 2 é uma carta de 1) Compare os textos 2 e 3. Podemos dizer que as duas (A)reivindicação. cartas são de amor? O que elas têm de diferente, quanto: (B)pedido de desculpas. a) ao conteúdo – (C)reclamação. b) ao formato – (D)amor. c) à linguagem - 6. No trecho “Contigo me sinto feliz e poderoso.”, a quem se refere palavra contigo?
  7. 7. Nome da escola:___________________________________________ 6º ANO BETA Sme BETA Sme Nome:___________________________________________________ Atividade 3 Coordenadoria de Educação TEXTO 1 Na atividade abaixo você vai ler o texto: o primeiro é uma fábula; O cão e o lobo o segundo é a letra de uma música que faz parte do musical Os saltimbancos e do filme Os saltimbancos trapalhões. Um cão passeava pela floresta quando topoucom um lobo magro. Aos poucos os dois fizeram amizade. – Puxa, cachorro! Como você está gordo e bem-tratado... – É que eu tenho um dono. Meu dono me dá trêsboas refeições por dia, escova meu pelo, me dá uma casa demadeira... Em troca disso, pede que eu lhe guarde a casa dosassaltantes e lhe faça uns agrados de vez em quando. Agora, responda: – Só isso? Mas deve ser maravilhoso ter um 1.Segundo o texto 1, por que o lobo achou que era bom ter um dono?dono – concluiu o lobo. 2. O que fez com que o lobo, ao final, mudasse de opinião? O cão então convenceu o lobo a acompanhá-lo, 3. No trecho “Em troca disso, pede que eu lhe guarde a casa doscerto de que seu dono gostaria de ter mais um animal de assaltantes e lhe faça uns agrados de vez em quando.” A que palavraestimação. destacada se refere? Os dois andaram por um certo tempo, até que o 4.No texto 1, a frase que expressa uma opinião élobo percebeu uma coleira no cachorro. (A) “Os dois andaram por um certo tempo, até que o lobo percebeu – O que é isso? – perguntou o lobo. uma coleira no cachorro.” – Ah, isto é uma coleira. Às vezes, meu dono se (B) “Eu sei que mais vale a liberdade com fome do que o luxo na prisão.”irrita e me prende numa corrente. Mas é por pouco tempo, (C) “Um cão passeava pela floresta quando topou com um lobo magro.”logo eu estou solto de novo. (D) “Às vezes, meu dono se irrita e me prende numa corrente.” O lobo parou, pensou um pouco... e voltou atrás.De longe, ainda falou para o cachorro: – Não, cachorro. Não sirvo para essa vida. Eu seique mais vale a liberdade com fome do que o luxo na prisão. Fábula recontada por Márcia Kupstas, Sete faces da Use seufábula. São Paulo: Moderna, 1993. Texto adaptado. In: SAEB 2001. caderno paraLíngua Portuguesa. responder...
  8. 8. Nome da escola:___________________________________________ 6º ANO BETA Sme BETA Sme Nome:___________________________________________________ Atividade 3 Coordenadoria de Educação De manhã eu voltei pra casa TEXTO 2 Fui barrada na portaria História de uma gata Sem filé e sem almofada Composição: Enriquez/Bardotti – Por causa da cantoria versão: Chico Buarque Mas agora o meu dia a diaMe alimentaram É no meio da gatariaMe acariciaramMe aliciaram Pela rua virando lata Use seu Eu sou mais eu, mais gata caderno paraMe acostumaram Numa louca serenata responder... Que de noite sai cantando assimO meu mundo era o apartamentoDetefon, almofada e trato Nós, gatos, já nascemos pobresTodo dia filé mignon Porém, já nascemos livresOu mesmo um bom filé... de gato Senhor, senhora, senhorioMe diziam todo momento Felino, não reconhecerásFique em casa, não tome ventoMas é duro ficar na suaQuando à luz da lua http://letras.terra.com.br/chico-buarque/85973/Tantos gatos pela ruaToda a noite vão cantando assim O texto 2 é narrado por uma gata. 1. Como era a vida dela no apartamento? 2. Por que a gata foi barrada na portaria?Nós, gatos, já nascemos pobres 3. Podemos dizer que os textos 1 e 2 têm o mesmo tema?Porém, já nascemos livres Explique.Senhor, senhora, senhorioFelino, não reconhecerás
  9. 9. Nome da escola:___________________________________________ 6º ANO BETA Sme BETA Sme Nome:___________________________________________________ Atividade 3 Coordenadoria de Educação TEXTO 3 1.Nesse cartum, qual a relação entre a expressão da pulga e o “rodamoinho? 2.Por que a pulga disse: “Bailarina nunca mais.”? Use seu caderno para responder...NANI. Jornal do Menininho. Rio de Janeiro: Record, 1998.
  10. 10. Nome da escola:___________________________________________ 6º ANO BETA Sme BETA Sme Nome:___________________________________________________ Atividade 4 Coordenadoria de Educação TEXTO 1 No supermercado Gosto de supermercados. São grandes, cheios de coisas, cheios Alexandre Honrado de cores e de pessoas. Gosto dos carrinhos dos supermercados. Gosto da seção de doces dos supermercados. E gosto de andar O fim-de-semana é um par de dias pequeninos que sozinha nos supermercados:vivem a correr. Chega o sábado, dá duas piruetas e chove. Chega o - Avó, vou dar uma volta. Encontramo-nos na zona das caixas.domingo e, se não há sol, não presta para nada. Pousa e levanta voo E cá vou eu, com um carrinho vazio, que conduzo com perícia,num instante. entre todos os carrinhos cheios que andam à minha volta. Se oNo sábado fartei-me de escrever. Escrevi o dia todo, passei cadernos meu pai me visse... bem podia aprender alguma coisa. Quandoe caderninhos, fiz trabalhos para casa, e até estudei Matemática. eu tiver idade, sou eu que o levo de automóvel pelas ruas daEspantoso! É como um jogo que, quanto mais se joga, mais se cidade e então ele vai ver quem é que sabe conduzir...aprecia. No supermercado vê-se de tudo. Encontra-se gente de todos os No domingo, ouvi os meus discos e li, mas houve uma tamanhos e feitios. Até gente conhecida...surpresa. A avó Luisa chegou ao meu quarto e disse: https:// woc.uc.pt/fluc - Vamos às compras? Eu adoro ir às compras. Mesmo quando não compronada, o que acontece com muita frequência. - E não ponhas aquele vestido horrível! - advertiualegremente a avó Luisa. Compras no supermercado... Você gosta? Leu o texto com Fomos ao supermercado. O dia estava seco, mas as atenção? Então responda em seu caderno:nuvens reuniam-se no céu a anunciarem uma segunda-feira muito 1.Quem conta a história (narrador)? De que forma vocêaborrecida. descobriu isso? No entanto, quando se faz compras, nada disso conta. 2.Segundo o texto, o narrador gosta dos sábados e dosPode chover e trovejar que eu não me importo. domingos. Explique como você pode perceber isso. No supermercado, corri para a seção dos discos. A avó 3. De acordo com a opinião do narrador, o que é “umaLuisa, por estranho que pareça, esteve montes de tempo na seção segunda-feira muito aborrecida”?das bicicletas. 4. No texto, o trecho “É como um jogo que, quanto mais se - O que é que achas? Ouvi dizer que faz muito bem à joga, mais se aprecia.” refere-se a quê?saúde andar de bicicleta... A avó Luisa está mudando. É como o meu corpo, só queum bom pedaço mais velha. Que mude para melhor. É o que eudesejo.
  11. 11. Nome da escola:___________________________________________ 6º ANO BETASme BETASme Nome:___________________________________________________ Atividade 4 Coordenadoria de Educação TEXTO 2 TEXTO 3
  12. 12. Nome da escola:___________________________________________ 6º ANO BETA Sme BETA Sme Nome:___________________________________________________ Atividade 4 Coordenadoria de Educação TEXTO 4 Cuidado com o rótulo De acordo com as informações obtidas após a leitura do texto “CUIDADO COM O RÓTULO”, analise o produto abaixo: Leia com atenção a lista de ingredientes. Modere o consumo dealimentos que tenham níveis elevados ou cujos primeiros ingredientes sejamgorduras, óleos, sal, açúcar, sacarose, mel, melaço ou ainda outras formas deaçúcar (maltose, lactose, glucose, frutose, dextrose, xarope de açúcarinvertido...) Verifique o prazo de validade e o estado das embalagens. Se aembalagem estiver danificada (amassada, inchada ou com sinais de ferrugem)não compre. Caso as embalagens de produtos congelados estejam úmidas ouapresentem cristais de gelo no interior, rejeite-as. Isto indica que os produtossofreram descongelamento. Observe se o local da compra está respeitando rigorosamente ascondições de conservação e o modo de emprego ou utilização dos alimentosque dão esta indicação. Leia cuidadosamente a informação nutricional do rótulo. Tenhasempre atenção à quantidade dos lipídios (ou gorduras). Dê preferência aosprodutos com baixo teor em lipídios. Verifique a quantidade de sal (sódio).Para reduzir o seu consumo é importante não só diminuir a ingestão deprodutos ricos neste elemento, mas também a quantidade de sal utilizada napreparação e confecção dos alimentos. Escolha produtos com o maiorconteúdo de fibras alimentares. Dê preferência aos alimentos que tenham maishidratos de carbono, mas com menos quantidade de açúcares. Os rótulos de produtos alimentares devem incluir sempre a http://caraih.files.wordpress.com/2007/05/sabor-tropical.jpgdenominação de venda que corresponde ao tipo de produto (leite, iogurte,pão, manteiga etc.). Qualquer tipo de processamento tem de ser mencionado(defumado, pasteurizado, concentrado, congelado etc.). Na lista de ingredientes devem constar todos aqueles quefazem parte do produto, indicados por ordem decrescente, da maior para a 1. Qual a denominação de venda do produto?menor quantidade. 2. Qual é o seu peso líquido? O prazo de validade pode ser indicado de 2 formas: Consumir até (dia e mês): para produtos de fácil deterioração, 3. Onde fica localizada a empresa fabricante do produto?como iogurtes ou queijo fresco. 4. Quando o iogurte foi fabricado? Consumir de preferência antes de ou do fim de (dia e mês): para 5. Qual é o prazo de validade do produto?todos os alimentos. Quando a duração é superior a 18 meses, basta a 6. Se você, hoje, fosse comprar este produto, você o levariaindicação do ano. ou não para sua casa? Por quê? Texto adaptado de Teresa Branco site www.sapo.pt
  13. 13. Nome da escola:___________________________________________ 6º ANO BETA Sme BETA Sme Nome:___________________________________________________ Atividade 5 Coordenadoria de Educação TEXTO 1 Sete anos e mais sete Era uma vez um rei que tinha uma filha. Não tinha Sete anos se passaram e mais sete. As plantasduas, tinha uma, e como só tinha essa, gostava mais dela do que de cresceram ao redor. Os guardas desapareceram debaixo dasqualquer outra. plantas. As aranhas teceram cortinados de prata ao redor das A princesa também gostava muito do pai, mais do que camas, nas salas enormes, nos enormes corredores. E osde qualquer outro, até o dia em que chegou o príncipe. Aí ela gostou príncipes dormiram nos seus casulos.do príncipe mais do que de qualquer outro. Mas a princesa não sonhou com ninguém a não O pai, que não tinha outra para gostar, achou logo ser com o príncipe. De manhã sonhava que o via debaixo da suaque o príncipe não servia. Mandou investigar e descobriu que o rapaz janela tocando alaúde. De tarde sonhava que sentavam nanão tinha acabado os estudos, não tinha posição, e o reino dele ela varanda e que ele brincava com o falcão e com os cãespobre. Era bonzinho, disseram, mas enfim, não era nenhum marido enquanto ela bordava no bastidor .E de noite sonhava que a Luaideal para uma filha de quem o pai gosta mais do que de qualquer ia alta e que as aranhas teciam sobre o seu sono.outra. E o príncipe não sonhou com ninguém a não ser com a princesa. O rei então chamou a fada, madrinha da princesa. De manhã sonhava que via seus cabelos na janela, e que tocavaPensaram, pensaram, e chegaram à conclusão de que o jeito melhor alaúde para ela. De tarde sonhava que sentavam na varanda, eera botar a moça para dormir. Quem sabe, no sono, sonhava e se que ela bordava enquanto ele brincava com os cães e com oesquecia dele. falcão. E de noite sonhava que a Lua ia alta e que as aranhas Dito e feito, deram uma bebida mágica para a jovem, teciam.que adormeceu na hora sem nem dizer boa-noite. Até o dia em que ambos sonharam que era chegada a hora de Deitaram a moça numa cama enorme, num quarto enorme, dentro casar, e sonharam um casamento cheio de festa e de música ede outro quarto enorme, onde se chegava por um corredor enorme. de danças. E sonharam que tiveram muitos filhos e que foramSete portas enormes escondiam a entrada pequena do enorme muito felizes para o resto da vida.corredor. Cavaram sete fossos ao redor do castelo. Plantaram setetrepadeiras nos sete cantos do castelo. E puseram sete guardas. O príncipe, ao saber que sua bela dormia por obra de COLASANTI, Marina. Uma idéia toda azul. Rio de Janeiro: Globalmagia, e que pensavam assim afastá-la dele, não teve dúvidas. Editora, 2001.Mandou construir um castelo com sete fossos e sete plantas. Deitou-se numa cama enorme, num quarto enorme, onde se chegava por umcorredor enorme disfarçado por sete enormes portas e começou adormir.
  14. 14. Nome da escola:___________________________________________ 6º ANO BETA Sme BETA Sme Nome:___________________________________________________ Atividade 5 Coordenadoria de Educação TEXTO 2 A bela adormecida Passaram 15 anos. A princesa cresceu e tornou-se a mais bela Era uma vez um Rei e uma Rainha que há muito desejavam ter menina do reino, tal como as boas fadas tinham predito. Jáfilhos. Quando, por fim, a Rainha deu à luz uma menina, decidiram ninguém se lembrava da horrível maldição. No dia em que faziacelebrar o acontecimento com uma grande festa. Foram convidadas 7 16 anos, a jovem princesa brincava com o seu cãozinho e foifadas e cada uma delas concedeu uma prenda especial à princesinha. atrás dele até o alto da torre e encontrou uma velhinha junto aA fada mais nova concedeu-lhe o dom de ser a mais bela do mundo; a um objeto estranho.seguinte, que ela fosse espirituosa como um anjo; a terceira, que ela A princesa ficou tão curiosa que perguntou:fosse graciosa em tudo o que fizesse; a quarta, que ela dançasse - O que é que você está fazendo com essa roda?melhor que ninguém; a quinta, que ela cantasse lindamente; a sexta, - Estou fiando, minha querida. Você quer que eu te ensine?que ela tocasse perfeitamente qualquer instrumento musical. - Claro que sim! Deve ser divertido! - respondeu a princesa Quando a sétima fada ia conceder o seu dom, irrompeu na sala sentando-se ao lado da velhinha.uma velha fada a quem o Rei e a Rainha tinham esquecido de enviar Foi então que tudo aconteceu: ao pegar no fuso ela picou-se eum convite. A fada malvada estava tão furiosa que, logo ali, fez a caiu no chão. A velha era a fada má, disfarçada.terrível profecia de que a princesa, ao completar 16 anos, se picaria Foi só à tardinha que o Rei a encontrou. Ele ficou profundamentenum fuso e morreria. E com uma terrível gargalhada desapareceu, desgostoso, mas a jovem fada entrou e disse:deixando todos a chorar. - Não se preocupe! A princesa vai apenas dormir muitos anos. E Porém, nesse momento, aproximou-se a fada mais nova e disse- eu vou adormecê-los a todos para que a princesa não se sintalhes: sozinha quando acordar.- Coragem, Majestade! Ainda não concedi o meu dom. Não tenho E, conforme ia agitando a varinha mágica, todos os habitantes dopoder suficiente para desfazer totalmente o que a perversa fada palácio foram adormecendo, num profundo e mágico sono.profetizou, mas posso modificá-lo. Apesar de se picar num fuso, ela Dentro do castelo a vida parou. Com o passar dos anos, asnão morrerá. Ficará profundamente adormecida durante 100 anos até plantas foram crescendo em redor do castelo criando um muroque um jovem príncipe a venha a acorde. invencível e espalhou-se o boato de que lá dentro vivia um O Rei mandou imediatamente proclamar pelo reino um édito terrível dragão. Um príncipe que ali passava quis saber o que láespecial, na esperança de poder proteger a princesa da maldição. havia de verdade. Um velhote avançou e disse-lhe: - Todas as rocas do reino deverão ser queimadas, sob pena de - Quando era pequeno o meu pai disse-me que tinha ouvido oprisão! avô contar-lhe que no castelo dormia uma princesa encantada. Todos obedeceram entregando as rocas com que fabricavam os O príncipe, que era valente, ficou excitadíssimo com a notícia efios para os tecidos e todas foram queimadas. Algum tempo depois correu para o castelo Foi com grande dificuldade que o príncipenão havia um único fuso em todo o reino. conseguiu abrir caminho para entrar. Mal conseguia cortar as trepadeiras, elas voltavam a crescer ainda mais fortes.
  15. 15. Nome da escola:___________________________________________ 6º ANO BETA Sme BETA Sme Nome:___________________________________________________ Atividade 5 Coordenadoria de Educação- Nunca vi plantas assim na minha vida! - queixou-se.Foi então que apareceu uma das fadas e lhe deu uma espadaespecial. Era muito grande e tinha uma cruz no punho. "A Bela Adormecida" nos foi contada por Charles Perrault (1628-1703)Com o auxílio desta espada o príncipe lá foi abrindo caminho para o e baseava-se numa antiga lenda. A Primeira versão fazia parte do livrointerior do castelo quando, de repente, um dragão enorme o atacou de Perrault “Os Contos da Mãe Gansa”, publicado no fim do séc. XVII, em 1697.com o seu bafo ardente. O príncipe protegeu-se das chamas com a Adaptado de : http://web.rcts.pt/~pr1304/bela_adormecida_4.htmespada e um raio de sol refletiu-se na cruz do seu punho,transformando-se numa luz fortíssima. O dragão ficou ofuscado peloclarão e o príncipe aproveitou para lançar a espada, que atravessou opeito do dragão. Este transformou-se na velha fada má e morreu alimesmo.. Mal o corpo da bruxa desapareceu, as plantas que cobriam ocastelo também desapareceram e o sol voltou a brilhar. Ficou tudoflorido e os pássaros começaram a cantar. O palácio vivia de novo aprimavera ao fim de 100 anos. O príncipe estava estupefato. E a fadaveio dizer-lhe:- Temos estado à tua espera. Agora tens de ir acordar a princesa. 1. Podemos dizer que os textos 1 e 2 são contos de fadas?Ele dirigiu-se ao castelo e encontrou os guardas e todos os cortesãos Que elementos justificam essa afirmação?dormindo. Por fim entrou num quarto onde estava uma princesa, 2. No trecho do texto 1 - “Mandou investigar e descobriu que olindíssima. Ele pegou-lhe na mão e beijou-lhe as pálpebras. E nesse rapaz não tinha acabado os estudos, não tinha posição [...]” - omomento ela acordou de um sono de 100 anos. A maldição tinha que significa “não tinha posição”passado e todos os habitantes do castelo começaram a acordar 3. Com relação ao conteúdo da história, o que há de diferentetambém. entre os textos 1 e 2 ? E de semelhante?O Rei fez uma grande festa para o príncipe e agradeceu-lhe dizendo: 4. Os contos de fadas costumam ter finais felizes. Podemos- Podes pedir-nos tudo o que quiseres. dizer que o texto 2 tem um final feliz? Explique.- Não consigo pensar em nada que me faça mais feliz do que casarcom a sua filha - respondeu o príncipe. Comente com seu professor e seus colegas o texto 2 e O casamento do valoroso príncipe e da bela princesa foi responda: que elementos não podem faltar nos contos deabençoado por todos no reino. As 7 fadas vieram ao casamento e, fadas?desta vez, todas desejaram ao feliz casal a chegada breve de umacriança.
  16. 16. Nome da escola:___________________________________________ 6º ANO BETA Sme BETA Sme Nome:___________________________________________________ Atividade 5 Coordenadoria de Educação TEXTO 3 TEXTO 4 A fabrudaxa O feitiço do sapo Stella Carr– Será aqui mesmo, Olhorão? Eu nunca vi bruxa morar em prédio de Todo lugar sempre tem um doido. Piririca da Serraapartamentos. Ainda por cima no 20º. andar! tem Zóio. Ele é um sujeito cheio de ideias, fica horas falando e anda– Deve facilitar a voagem da vassoura – respondeu Olhorão. pra cima e pra baixo, numa bicicleta pra lá de doida. Que só faltaQuando eles, minutos depois, disseram isso pra Fabrudaxa, ela morre de voar. O povo da cidade conta mais de mil casos de Zóio, e acha querir. tudo acontece, coitado, por causa da sua sincera mania de fazer– Francamente, rapazes. P, meu aspirador de pó a jato, não precisa “boas ações”. Outro dia, Zóio estava passando em frente à casa dedessas coisas pra levantar voo. Bem se vê que vocês andaram lendo Carmela, quando ouviu cantar uma bela e triste canção. Zóio parouhistórias do tempo em que fadas eram boas e as bruxas más. e pensou: que pena, uma moça tão bonita, de voz tão doce, ficar– E não são mais? – perguntou Joãozinho. assim triste e sem apetite de tanto esperar um príncipe encantado.– Claro que não! Hoje em dia ninguém faz mais só maldades Isto não era justo. Achou que poderia ajudar Carmela a realizar seuhorripilantes ou bondades maravilhosas. Todo mundo é bom-e-mau ao sonho e tinha certeza de que justamente ele era a pessoa certa paramesmo tempo, dependendo da hora e dos interesses. Não existem mais isso. Zóio se pôs a imaginar como iria achar um príncipe parabruxas nem fadas. Carmela. Pensou muito para encontrar uma solução e finalmente– E você, o que é então? teve uma grande ideia de jerico: foi até a beira do rio, pegou um– Eu sou uma fabrudaxa e minha maior preocupação é ver se consigo sapo verde e colocou – o numa caixa bem na porta da casa dela.acabar com a burrice humana. Tenho feito tudo que é magia, simpatia,bruxaria, fadaria e tá difícil! FURNARI, Eva. O feitiço do sapo. São Paulo: Ática, 2006. http://www.inep.gov.br/download/saeb/2001/relatorioSAEB_portugues.pdf Fragmento. In: Secretaria de Estado de Educação. Boletim pedagógico de avaliação de educação: SIMAVE PROEB – 2007/ Universidade Federal de Juiz de Fora, Faculdade de Educação, CAED. No texto, existem elementos que se referem à vida moderna da Fabrudaxa. Quais são eles? Segundo a Fabrudaxa, como são as pessoas atualmente? Você percebeu como foi construído o nome da personagem 1.“O povo da cidade conta mais de mil casos de Zóio, e acha principal? Quais as duas palavras que entram nessa construção? O que tudo acontece, coitado, por causa da sua sincera mania de que essa mistura nos diz da personagem? fazer “boas ações”.” Por que a expressão “boas ações” está Que palavras foram criadas pela autora do texto? (Elas não existem entre aspas? nos dicionários) 2. Você sabe o que significa “ideia de jerico”? Consulte um (A) Magia e simpatia. dicionário ou pergunte ao seu professor. (B) Preocupação e voagem. 3. Agora, responda: por que, segundo o texto 4 , Zóio teve uma (C) Fabrudaxa e fadaria. ideia de jerico? (D) Bruxaria e fadaria.

×