O slideshow foi denunciado.
A Independência do Brasil:
Primeiro Reinado,
o Governo de D. Pedro I

1
A chegada da Família Real
Em janeiro de 1808, a Família Real chegou ao Brasil e
implantou diversas mudanças:
• A abertura ...
• Em 24 de agosto de 1820, na cidade do Porto ao Norte
de Portugal, começou a chamada Revolução do
Porto.
• Os rebelados e...
• Entre 1822 e 1889, O Brasil foi governado
pela monarquia e quem exercia o poder era o
imperador. Por isso, esse período ...
Algumas informações sobre D. Pedro I
• D. Pedro I, nasceu em Portugal e veio para o
Brasil junto com a Família Real.
• Foi...
• Em 1826, foi rei de Portugal por alguns
meses sob o nome de D. Pedro IV, mas
abdicou do trono em favor de sua filha,
D. ...
Independência do Brasil

• Nossa independência foi retratada por
diversos pintores.
• No detalhe ao lado, o quadro de
Fran...
Museu Paulista

Óleo sobre tela, 1888. O quadro Independência ou Morte é conhecido como Grito do Ipiranga.

8
Primeira Constituição do Brasil - 1824
• Em algumas províncias, D. Pedro I ao proclamar
a independência enfrentou resistên...
• O Poder Moderador, exclusivo do
imperador:
 nomeava os presidentes das
províncias,
Nomeava os chefes das Forças
Armada...
Do Equador à Cisplatina
• As atitudes do imperador geraram um clima de
insatisfação e descontentamento entre os
brasileiro...
• Em março de 1825, um grupo de uruguaios, os
chamados Trinta e Três, apoiado pelo governo
de Buenos Aires, iniciou a luta...
• Por todas estas disputas internas e externas, o
governo de D. Pedro I estava enfraquecido.
• Com a morte de D. João VI, ...
• D. Pedro I enfrentou graves crises:
– o sul do país estava em guerra(Cisplatina).
– a produção agrícola passava por prob...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

O governo de d. pedro i

2.618 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

O governo de d. pedro i

  1. 1. A Independência do Brasil: Primeiro Reinado, o Governo de D. Pedro I 1
  2. 2. A chegada da Família Real Em janeiro de 1808, a Família Real chegou ao Brasil e implantou diversas mudanças: • A abertura dos portos decretada por D. João VI Biblioteca Nacional de Portugal representou o fim do monopólio. • Assim, o Brasil ficou livre para comercializar com as nações amigas, principalmente com a Inglaterra. • Os portugueses residentes no Brasil viam grandes possibilidades comerciais no Rio de Janeiro. • Em 1815, O Brasil foi elevado à categoria de Embarque de D. João, príncipe regente de Portugal e da família real no porto de Belém. Quadro de 1815, de Henry L'Évêque (1768-1845). Reino Unido, isto significou o fim da condição de colônia e favoreceu o processo de Independência. 2
  3. 3. • Em 24 de agosto de 1820, na cidade do Porto ao Norte de Portugal, começou a chamada Revolução do Porto. • Os rebelados estavam descontentes e exigiam:  O retorno de D. João VI à Portugal,  Eleições para deputados,  Uma nova constituição,  A volta do Pacto Colonial. (exclusividade do comércio com o Brasil). • Os portugueses achavam que D. João VI dava mais Museu Paulista importância ao Brasil do que a Portugal. Retrato de dom João VI, pintado por Jean-Baptiste Debret em 1816. • Diante desta crise política, D. João retornou à Portugal e encontrou o país numa grande crise econômica e política. • Está revolução foi essencial para a Independência do Brasil. 3
  4. 4. • Entre 1822 e 1889, O Brasil foi governado pela monarquia e quem exercia o poder era o imperador. Por isso, esse período é chamado de Brasil Império ou Período Imperial. • Nesse período tivemos dois imperadores: D. Pedro I (1822-1831) e D. Pedro II (1840-1889). • De 1831 a 1840 tivemos um período chamado Museu Imperial em Petrópolis Regencial, pois D. Pedro I abdicou do poder e deixou seu filho de apenas 5 anos como imperador. • Regentes foram nomeados para governar o Brasil, enquanto D. Pedro II não se tornava maior de idade para assumir o trono. D. Pedro II quando bebê. Óleo sobre tela, de Arnaud Julien Pallière (1784-1862. 4
  5. 5. Algumas informações sobre D. Pedro I • D. Pedro I, nasceu em Portugal e veio para o Brasil junto com a Família Real. • Foi nomeado príncipe regente do Brasil por seu pai, D. João VI, quando este retornou à Portugal. • No Brasil, se aproximou de grupos políticos que desejavam a separação política e Museu Imperial de Petrópolis econômica entre Brasil e Portugal. • Devido às pressões portuguesas, proclamou a Independência do Brasil, no dia 7 de setembro de 1822. D. Pedro I, 1830, Simplício Rodrigues de Sá. 5
  6. 6. • Em 1826, foi rei de Portugal por alguns meses sob o nome de D. Pedro IV, mas abdicou do trono em favor de sua filha, D. Maria da Glória. • O governo de D. Pedro I no Brasil, foi autoritário com caráter absolutista. • Envolveu-se com grupos de comerciantes, militares e altos funcionários portugueses, formou-se Wikimedia Foundation assim, o Partido Português. • Grupos político brasileiros, a imprensa, tropas militares e a população, juntaramse em oposição ao governo português. Coroação de D. Pedro I, pintado por Jean-Baptiste Debret. 6
  7. 7. Independência do Brasil • Nossa independência foi retratada por diversos pintores. • No detalhe ao lado, o quadro de François-René Moreaux, pintado em 1844 a pedido do Senado Imperial. D. Pedro é saudado por populares após a proclamação da independência. Museu Imperial de Petrópolis • A seguir, no quadro do pintor Pedro Américo, que também representa nossa Independência, vemos outro “olhar” do mesmo acontecimento. 7
  8. 8. Museu Paulista Óleo sobre tela, 1888. O quadro Independência ou Morte é conhecido como Grito do Ipiranga. 8
  9. 9. Primeira Constituição do Brasil - 1824 • Em algumas províncias, D. Pedro I ao proclamar a independência enfrentou resistências, foi preciso organizar rapidamente o novo Estado. • Para isso, foi convocada uma Assembléia Constituinte que tinha a função de elaborar • A Constituição foi elaborada por D. Pedro I e um grupo de viscondes e marqueses. Foi outorgada em 25 de março de 1824, não foi aprovada, nem elaborada pelos representantes eleitos pelos cidadãos. • Algumas características da nossa primeira constituição: uma constituição para o Império do Brasil. – Somente homens livres com mais de 21 anos e com uma determinada renda anual • A Assembléia Constituinte era formada por tinham direito ao voto (voto censitário). homens eleitos nas províncias, no entanto, – O senado era vitalício. – representavam a elite aristocrática brasileira. O Imperador não podia ser responsabilizado por seus atos. • O voto não era permitido para as mulheres, para os homens de baixa renda e para os – Império. escravos. Só votavam os senhores de escravos e os donos de terras no Brasil. O catolicismo era a religião oficial do – Foi instituído quatro poderes: o Legislativo, o Executivo, o Judiciário e o Poder Moderador • A Assembléia Constituinte foi dissolvida por D. Pedro I. que tinha poderes acima dos demais e era exercido pelo Imperador. 9
  10. 10. • O Poder Moderador, exclusivo do imperador:  nomeava os presidentes das províncias, Nomeava os chefes das Forças Armadas, Podia também dissolver a Câmara dos Deputados e demitir ministros. Além disso, permitia a D. Pedro ocupar ao mesmo tempo, o trono brasileiro e um trono estrangeiro. 10
  11. 11. Do Equador à Cisplatina • As atitudes do imperador geraram um clima de insatisfação e descontentamento entre os brasileiros. A centralização do poder e a proximidade de D. Pedro I com o Partido Português piorava esta situação. • Contra a dissolução da constituinte e o centralismo da constituição levantaram-se as forças federalistas e • Em Pernambuco, a 2 de julho de 1824, os federalistas e republicanos proclamaram a Confederação do Equador, uma república Colégio São Francisco republicanas. federalista independente. • A confederação foi derrotada pelas tropas do governo e muitos revolucionários foram executados, dentre os quais Frei Caneca. Frei Caneca, um dos revolucionários que foi executado. 11
  12. 12. • Em março de 1825, um grupo de uruguaios, os chamados Trinta e Três, apoiado pelo governo de Buenos Aires, iniciou a luta pela independência da província Cisplatina, atual Uruguai. • O Brasil declarou guerra à Argentina e bloqueou o porto de Buenos Aires. • Por intervenção da Inglaterra, Argentina e Wikimedia Foundation Brasil reconheceram, em agosto de 1828, a independência da República da Banda Oriental do Uruguai. • A guerra da Cisplatina representou grande desgaste para o governo de D. Pedro I. Ele Juramento dos Trinta e Três orientais, óleo sobre tela de Juan Manuel Blanes. era acusado pelos insucessos militares da guerra e, ao mesmo tempo, criticado por negar aos uruguaios os mesmos direitos e liberdades dos súditos brasileiros. 12
  13. 13. • Por todas estas disputas internas e externas, o governo de D. Pedro I estava enfraquecido. • Com a morte de D. João VI, em 1826, o trono português foi disputado entre D. Pedro I e seu irmão, D. Miguel. • D. Pedro I sabia que a elite brasileira não aceitaria que ele assumisse o trono de Portugal, pois isso significaria a união das duas nações. Assim, levaria o Brasil, a uma recolonização. Wikimedia Foundation • D. Maria II assumiu o trono português após a abdicação de D. Pedro I ao trono, no entanto, D. Miguel, apoiado por setores mais conservadores de Portugal deu um golpe de Estado e subiu ao trono de Portugal. A rainha D. Maria II assume o poder em Portugal. 13
  14. 14. • D. Pedro I enfrentou graves crises: – o sul do país estava em guerra(Cisplatina). – a produção agrícola passava por problemas. – o Banco do Brasil estava á beira da falência. – a moeda brasileira sofreu uma desvalorização enorme, o que gerou um aumento de preços nas mercadorias. • Por causa desse conjunto de fatores a impopularidade do imperador cresceu e a insatisfação do povo aumentou. • No dia 7 de abril de 1831, D. Pedro I não teve saída abdicou do trono brasileiro, deixou seu filho Pedro de Alcântara de 5 anos na sucessão. Partiu para Portugal no dia 13 do mesmo mês com o simples título de duque de Bragança. • Morreu em 1834, (Aos 36 anos de idade, provavelmente de tuberculose). Curiosidade: O nome de batismo de Dom Pedro I é: "Pedro de Alcântara Francisco Antônio João Carlos Xavier de Paula Miguel Rafael Joaquim José Gonzaga Pascoal Cipriano Serafim de D. Pedro II, na abertura da assembléia geral, óleo sobre tela, 1872, tela pintada por Pedro Américo. Bragança e Bourbon". 14

×