O slideshow foi denunciado.

Gerenciamento de risco em projetos

870 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Gerenciamento de risco em projetos

  1. 1. Gerenciamento de Risco em Projetos Integração do Gerenciamento de Risco no Sistema da QualidadeGerenciamento de Risco Elaine Koda
  2. 2. Ciclo Vicioso - Controle de ProjetoEntusiasmo total Pânico Cair na real Promoção dos Punição dos inocentes Busca aos culpados“não-envolvidos”
  3. 3. Sistema da Qualidade – Controle de Projeto O que (equipamento, Quem realiza as atividades ? ferramentas, etc.) é Como suas qualificações necessário para completar foram verificadas? as atividades PROCESSO Cliente tem uma A necessidade do ENTRADA uma série de SAÍDA CLIENTE foi necessidade passos ou atingida atividades Que medições foram utilizadas Quais documentos (procedimentos, para avaliar a eficácia e a registros) são necessários para garantir que as atividades são completadas efetividade do processo? como planejado?1. Medições devem ser baseadas em Objetivos para o Processo2. Análise deve ser baseada no risco de se atingir uma Saída que está de acordo com a necessidade de Entrada identificada
  4. 4. Gerenciamento de Risco – ISO 14971:2009 Ciclo de Vida Ciclo de Vida1 2 Decisão baseada no risco Determinação Determinação Controle Avaliação do Avaliação do Produção eePós- Produção Pós- Análise Controle do produto / do Risco do Risco do Risco Risco Residual Risco Residual Produção Produção do Risco processo Refletir o “estado da arte” Associações especializadas Pesquisa de produto similar O produto está sendo desenvolvido O produto está sendo desenvolvido O produto éé O produto para ser seguro? para ser seguro? realmente seguro? realmente seguro? Revisão anual Revisão anual 3 Política rdo Decisã o de aco ític a co m a Pol Investigar para Investigar para definida Aceitável Aceitável Inaceitável Inaceitável reduzir reduzir
  5. 5. Análise de risco Análise preliminar de perigos • Identificação da utilização destinada “Fator Humano” • Identificação de perigos FTA • Estimativa de risco Análise funcional Determinação de risco Avaliação de risco Tolerância do risco Análise custo-benefício • Decisão da aceitabilidade de risco Análise sócio-éticaGerenciamento de risco Controle de risco FMEA / FMECA • Análise de opções HACCP • Implementação HAZOP • Avaliação do risco residual PAT • Aceitação do risco geral Informação pós-produção Seis Sigma • Experiência pós-produção SPC • Identificação de novos perigos CAPA • Controle de mudanças e loop de Gestão de reclamação • realimentação
  6. 6.  Fase de Transferência  Identificar os “pontos” / características de segurança dos processos e avaliar seus efeitos no produto final. – Definir controles no processo – Garantir que as especificações de produção não introduzam riscos residuais adicionais ao produto
  7. 7. Análise de probabilidades Quando o produto é utilizado? Qual o tempo de vida útil do produto? Quem são os usuários (operadores e pacientes)? Quantos usuários? Por quanto tempo e sob quais circunstâncias os usuários são expostos ao produto?
  8. 8. Comparativo entre FTA e FMEA  FTA FMEA Identificação das causas Identificação das falhas primárias das falhas críticas em cada componente, suas causas e conseqüênciasObjetivo Elaboração de uma relação Hierarquizar as falhas lógica entre falhas primárias e falha final do produto Identificação da falha que é Análise dos falhas em detectada pelo usuário do potencial de todos os produto elementos do sistema, e previsão das conseqüênciasProcedimento Relacionar essa falha com Relação de ações corretivas falhas intermediárias e (ou preventivas) a serem eventos mais básicos por tomadas meio de símbolos lógicos Melhor método para análise Pode ser utilizado na análise individual de uma falha de falhas simultâneas ou específica correlacionadasAplicação O enfoque é dado à falha Todos os componentes do final do sistema sistema são passíveis de análise
  9. 9. Gerenciamento de Risco em ProjetosIniciar Planejar (P) Monitorar (A) Executar (D) Controlar (C) ≠ Movimentar Encerrar
  10. 10. A Definir Meta P Ação: Corretiva Preventiva Melhoria Definir Método Educar e Treinar Controle Metas x Resultados Executar Coletar C D Dados Do Risco à Qualidade. A Vigilância Sanitária no Serviço de Saúde. Ed. ANVISA, 2008.Gerência de Risco
  11. 11. RE CU ( T) RS OS O AZ /CPR RESULTADOS QUALIDADE US TO S ESCOPO
  12. 12. Custo da ineficiência em projetos Perda em projetos TI: US$ 55b/ano 34% dos projetos terminam no prazo, dentro do orçamento e atendendo aos requisitos do cliente. 15% dos projetos são cancelados antes do término. 51% dos projetos chegam ao final, mas acima do custo, atrasados e com qualidade menor do que a esperada. Em média, 163% acima do custo e 183% do prazo. Fonte: Standish Group
  13. 13. GR Controle de ProjetosQualidade
  14. 14. Como o cliente Como o líder de Como o analista Como o programador Como o Consultorexplicou... projeto entendeu... projetou... construiu... descreveu...Como o projeto foi Que funcionalidades Como o cliente foi O que o cliente Como foi mantido....documentado... foram instaladas... Cobrado... realmente queria....

×