Curso: Farmácia

Disciplina: Gerenciamento Farmacêutico
MÁRCIA MARQUES ISAVA

PLANO DE NEGÓCIO: IMPLANTAÇÃO DA
“DINAMIZAR”...
MÁRCIA MARQUES ISAVA

PLANO DE NEGÓCIO: IMPLANTAÇÃO DA
“DINAMIZAR” - FARMÁCIA DE HOMEOPATIA
NA CIDADE DE BOA VISTA / RORAI...
AGRADECIMENTOS



À Faculdade Cathedral de Boa Vista/RR, pela oportunidade de avançar no
conhecimento.



Aos nossos fam...
EPÍGRAFE

““Quanto mais palpável é uma verdade, mais
tempo requer para conquistar o lugar a que
tem direito. Os obstáculos...
RESUMO

Um plano de negócios é um instrumento fundamental para os homens e mulheres
empreendedores que precisam tomar uma ...
RESUMEN
Un plan de negocios es un instrumento fundamental para los hombres y mujeres
emprendedores que precisan decidirse ...
SUMÁRIO

Pág
1.

INTRODUÇÃO

1.1

Objetivos

8
10

1.1.1

Objetivo Geral

10

1.1.2

Objetivos Específicos

10

1.2

Estud...
8

1.

INTRODUÇÃO

O homem, durante milênios, tem concentrado infindos recursos (humanos,
científicos, financeiros e natur...
9

à população uma saúde mais equilibrada, enquanto seus criadores derivam
benefícios econômicos.
Como a tendência da popu...
10

1.1

Objetivos

1.1.1 Objetivo Geral


Apresentar o Plano de Negócios para a implantação de Dinamizar –
Farmácia de H...
11

Se o pesquisador, cientista ou empreendedor descuidar esta parte, existe
uma grande probabilidade de que o planejament...
12

Derenusson, quem no período de 1944 e 1946 teve essa maravilhosa inspiração.
Este projeto foi desenvolvido durante o g...
13

1.2.2 Identificação do Problema
O Prof. José Dornelas (2001), um dos maiores escritores relacionados com o
empreendedo...
14

1.2.4 Caracterização da Pesquisa e Análise de Dados

Dado que este estudo era de natureza referencial e bibliográfica,...
15

2. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

2.1

Empreendedorismo e Empreendedor

O conceito de empreendedorismo é relativamente novo em...
16

empreende com o coração, mas se esquece da razão do negócio, o porquê, e o
para quê e por quanto tempo. O motivo está ...
17

sensibilidade. Se não existir uma boa gestão de farmácia homeopática, a empresa
poderia falir antes de começar a funci...
18

2. Visão da empresa: Atender as necessidades dos clientes e proporcionar
qualidade e eficácia na manipulação e comerci...
19

 Lei n.º 5.991, de 17 de dezembro de 1973: Dispõe sobre o controle
sanitário do comércio de drogas, medicamentos, ins...
20

da autorização de funcionamento dos estabelecimentos de dispensação de
medicamentos: farmácias e drogarias.
 Resoluçã...
21

3.

PLANO DE NEGÓCIOS

O plano de negócios (em inglês: business plan) é o elemento vital da uma
empresa que está sendo...
22

3.1 Plano Operacional

3.1.1 Abertura de empresa de homeopatia

a) Junta Comercial:


Contrato de Constituição;



R...
23



Autorização de Funcionamento de Empresa (AFE)



Documentos de Instrução

3.1.2 Infraestrutura Física

Todos os am...
24

homeopática

será

usado

exclusivamente

para

as

manipulações

homeopáticas.


Sala de Lavagem e Inativação: Área ...
25

a. Extintores


A distribuição e tipos de extintores serão determinados conforme a
legislação pertinente, fornecida p...
26

d. Higiene dos funcionários


Todos os funcionários, independente de sua função, serão incentivados
a estarem adequad...
27

3.1.5 Material Técnico-científico

a. Farmacopeia Homeopática Brasileira II

b. Manual de Normas Técnicas ABFH

c. Rea...
28

f. Manipulação:


A identificação do medicamento homeopático será realizada conforme
nomenclatura específica e ainda ...
29

3.1.6 Formas Farmacêuticas de Dispensação

1) Formas farmacêuticas de uso interno: Formas Farmacêuticas Líquidas:
dose...
30

Dinamizar – Farmácia de Homeopatia
Lista de Policrestos e Semipolicrestos
MEDICAMENTOS
Policrestos
Aconitum napellus

...
31

Apis mellifica

Eupatorium perfoliatum

Natrium muriaticum

Argentum nitricum

Ferrum metallicum

Opium(Portaria 344)
...
32

3.2

Plano dos Recursos Financeiros

A Dinamizar - Farmácia de Homeopatia terá por objetivo a produção e
comercializaç...
33

Este modelo é utilizado na administração de empresas para trabalhos de
gestão e planejamento estratégico. Devido a sua...
34

A Dinamizar - Farmácia de Homeopatia pretende se valer deste modelo com o
propósito de buscar alternativas rentáveis à...
35



Leis e normas específicas de órgãos públicos para o setor poderão
produzir restrições na atuação fluída da farmácia...
36

Como pode se observa, a matriz SWOT é uma ferramenta que poderá ajudar a
empresa na tomada de decisões, permitindo max...
37

Dinamizar – Farmácia de Homeopatia
Investimento Inicial
DESCRIÇÃO
Quant.
EQUIPAMENTOS
Alcoômetro
2
Ar condicionado (12...
38

Par de sapatos fechado
Pipetas, provetas, cálices e pêras vários volumes- conjunto
Placa de vidro retangular
Touca san...
39

Dinamizar – Farmácia de Homeopatia
DESPESAS FIXAS (MENSAL / ANUAL)
DESCRIÇÃO

Quant.

Custo R$

Valor Total
R$/Mês

Va...
40
TOTAL DAS DESPESAS COM
SALÁRIOS

R$ 6.500,00

R$ 78.000,00

ENCARGOS E PROVISSÕES
13.º Salário (8,33%)

4

R$ 58,31

R$...
41

Dinamizar – Farmácia de Homeopatia
Fluxo de Caixa
DESCRIÇÃO

Jan

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun

Jul

Ago

Set

Out

Nov

De...
42

Controle de Qualidade

230,00

230,00

230,00

230,00

230,00

230,00

230,00

230,00

230,00

230,00

230,00

230,00
...
43

Farmacêutico

1.500,00

1.500,00

1.500,00

1.500,00

1.500,00

1.500,00

1.500,00

1.500,00

1.500,00

1.500,00

1.50...
44

Embalagens

500,00

500,00

500,00

500,00

500,00

500,00

500,00

500,00

500,00

500,00

500,00

500,00

Manutenção...
Projeto de Estrutura Organizacional
45

Sócios

Representante Legal /
Gerente

Recepcionista

Operador de Caixa

Responsáv...
46

3.3

Plano dos Recursos Humanos

3.3.1 Ações de Recursos Humanos

Inicialmente,

a

empresa

trabalhará

com

um

núme...
47



Avaliar a prescrição quanto à concentração e compatibilidade físicoquímica dos componentes, dose e via de administr...
48

b) Representante Legal (RL) / Gerente

Responsabilidades:


Prever e promover os recursos financeiros, humanos e mate...
49



Atender os clientes pelo telefone;



Receber os produtos recebidos e conferir com as notas fiscais;



Organizar...
50



Estar atento às datas de validade das matrizes, insumos inertes e tinturasmãe.



Ajudar o RT no que for necessári...
51



Uma vez que o cliente/paciente concorda com o orçamento e autoriza o
aviamento da receita, o recepcionista/balconis...
52

referências internacionais.

f. Recebimento e Conferência de produtos/medicamentos


O encarregado da recepção de pro...
53



O responsável pelos produtos vencidos separará estes, pelos menos no
último dia útil do mês (o em qualquer data esp...
54

Dinamizar – Farmácia de Homeopatia
FLUXOGRAMA DE RECEITUÁRIO

Registro do
Paciente no
banco de Dados
Conferência das
M...
Dinamizar – Farmácia de Homeopatia
FLUXOGRAMA OPERACIONAL

Farmacêutico
–
Análise de
Receita

Cliente
Receita

Caixa
Pagam...
56

3.4

Planos das Ações de Marketing

3.4.1 Ações de Marketing
Conforme Kotler (1998), para alcançar os clientes, cada v...
57

atenção em todas as fases, desde a aquisição de matérias-primas selecionadas, até
a entrega das fórmulas.
O grande dif...
58



Endereço da empresa;



Nome do responsável técnico;



Peso ou volumem do produto;



Componentes da formulação...
59

2. Política de Preço dos Produtos
Diferentemente dos produtos industrializados, os oferecidos pela Dinamizar –
Farmáci...
60

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Na verdade, não é nada fácil preparar um plano de empresa. São uma série
de fatores e elementos ...
61

deve considerar todos os ângulos (positivos, negativos ou interessantes) na hora de
fazer seus estudos.
Também, no des...
62

REFERÊNCIAS

1)

AIUB, George Wilson. Plano de negócios: Serviços. 2.ª edição. Porto Alegre:
SEBRAE, 2000.

2)

BARBOS...
63

11) LAKATOS, Eva Maria; MARCOM, Marina de Andrade. Metodologia científica.
São Paulo: Editora Atlas, S.A., 1991.

12) ...
64

ANEXOS

Definições

Algumas definições gerais relacionadas com o processo de manipulação
farmacêutica, da farmácia hom...
65

 Droga: substância ou matéria-prima que tem finalidade medicamentosa ou
sanitária.
 Drogaria: estabelecimento de dis...
66

 Perfuro cortante: instrumento que perfura e corta ao mesmo tempo.
 Prazo de validade do produto: data limite para u...
67

Movimento de Capital Líquido p/ Mês
Jan
Fev
Mar
Abr
Mai
Jun
Jul
Ago
Set
Out
Nov
Dez
Total saldo em caixa

31.094,44
32...
68

DINAMIZAR – FARMÁCIA DE HOMEOPATIA
Resultado da Pesquisa de Mercado
Boa Vista / Roraima
Ano – 2011
69
70
71
72
73
74
75
76
77
78
79
80
81
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

PLANO DE NEGÓCIO: IMPLANTAÇÃO DA DINAMIZAR FARMÁCIA DE HOMEOPATIA NA CIDADE DE BOA VISTA RORAIMA BRASIL

6.072 visualizações

Publicada em

RESUMO: Um plano de negócios é um instrumento fundamental para os homens e mulheres empreendedores que precisam tomar uma decisão sobre a criação de uma empresa ou negócio, reduzindo ao máximo os riscos e as perdas. Este trabalho procurou usar essas ferramentas com o objetivo de ajudar os profissionais, assim como os estudantes de Farmácia, nos aspectos de conhecer os passos relacionados com a criação de negócios interligados com a sua área de estudo: a homeopatia. Para tal fim, foi necessário fazer um levantamento cuidadoso dos procedimentos e requisitos exigidos pelas autoridades para criar e administrar uma farmácia de homeopatia. Este estudo é, em grande parte um modelo a seguir por qualquer um que esteja interessado em trilhar os duros caminhos da vida empresarial e/ou profissional. A preparação, a Habilidade e a visão empreendedora do farmacêutico são importantíssimas, toda vez que, o farmacêutico exerce funções e responsabilidades de peso dentro das empresas e instituições. Esta pesquisa também deixa evidente que, na cidade de Boa Vista, não existem empresas de homeopatia totalmente dedicadas ao ramo. Estas oferecem algum que outro serviço relativo à homeopatia, mas não existe uma centralização de conceitos e atividades relativos ao ramo de estudo, o que deixa o mercado de trabalho à disposição de qualquer empresário visionário que tenha uma perspectiva empreendedora, tenha experiência e assuma o risco de levar adiante este projeto. Por outro lado, o uso de produtos homeopáticos vem com uma tendência ao crescimento, tanto no Brasil, como no mundo em geral. Esse interesse pela homeopatia é esperançoso e pode ser uma fonte de estudo para qualquer um que esteja interessado no tema. Assim, este modelo trabalha uma empresa fictícia e que poderia ser criada: a Dinamizar - Farmácia de Homeopatia. A materialização deste estudo deu-se graças ao trabalho duma equipe de estudantes de Farmácia, da Faculdade Cathedral de Boa Vista, seguindo, até onde foi possível, os modelos preexistentes de outros tipos de farmácias, especialmente as farmácias de manipulação. Os dados sugeridos foram analisados, processados, editados e verificados, com o objetivo de apresentar informações que se aproximem da realidade, representando um excelente modelo para a formação dos estudantes de farmácia. Espera-se, desta forma, que os interessados neste trabalho desenvolvam simultaneamente características empreendedoras, administrativas e científicas; demonstrem competência e habilidade e estejam preparados para enfrentar o exigente mercado de trabalho, que demanda uma multiplicidade de conhecimento do profissional.

Palavras-chave: Plano. Negócio. Farmácia. Homeopatia.

Publicada em: Negócios
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.072
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
14
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
133
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

PLANO DE NEGÓCIO: IMPLANTAÇÃO DA DINAMIZAR FARMÁCIA DE HOMEOPATIA NA CIDADE DE BOA VISTA RORAIMA BRASIL

  1. 1. Curso: Farmácia Disciplina: Gerenciamento Farmacêutico MÁRCIA MARQUES ISAVA PLANO DE NEGÓCIO: IMPLANTAÇÃO DA “DINAMIZAR” - FARMÁCIA DE HOMEOPATIA NA CIDADE DE BOA VISTA / RORAIMA Boa Vista 2011
  2. 2. MÁRCIA MARQUES ISAVA PLANO DE NEGÓCIO: IMPLANTAÇÃO DA “DINAMIZAR” - FARMÁCIA DE HOMEOPATIA NA CIDADE DE BOA VISTA / RORAIMA Trabalho apresentado à disciplina de Gerenciamento Farmacêutico, do Curso de Farmácia, Faculdade Cathedral, como requisito para obtenção de créditos. Orientadora: Profª. Shirley A. Carvalho Rabelo Boa Vista 2011
  3. 3. AGRADECIMENTOS  À Faculdade Cathedral de Boa Vista/RR, pela oportunidade de avançar no conhecimento.  Aos nossos familiares e amigos pelo apoio constante e paciente.  À professora de Gerenciamento Farmacêutico, Shirley Rabelo, por sua ajuda e orientação.  A todos aqueles que nos apoiaram neste estudo.
  4. 4. EPÍGRAFE ““Quanto mais palpável é uma verdade, mais tempo requer para conquistar o lugar a que tem direito. Os obstáculos que se colocam em seu caminho, se devem a que essa verdade desencadeia ao seu redor um verdadeiro ódio. Pois, ela anuncia uma revolução, uma perturbação dos interesses ” existentes e dos lugares conquistados”.. (Samuel Hahnemann)
  5. 5. RESUMO Um plano de negócios é um instrumento fundamental para os homens e mulheres empreendedores que precisam tomar uma decisão sobre a criação de uma empresa ou negócio, reduzindo ao máximo os riscos e as perdas. Este trabalho procurou usar essas ferramentas com o objetivo de ajudar os profissionais, assim como os estudantes de Farmácia, nos aspectos de conhecer os passos relacionados com a criação de negócios interligados com a sua área de estudo: a homeopatia. Para tal fim, foi necessário fazer um levantamento cuidadoso dos procedimentos e requisitos exigidos pelas autoridades para criar e administrar uma farmácia de homeopatia. Este estudo é, em grande parte um modelo a seguir por qualquer um que esteja interessado em trilhar os duros caminhos da vida empresarial e/ou profissional. A preparação, a habilidade e a visão empreendedora do farmacêutico são importantíssimas, toda vez que, o farmacêutico exerce funções e responsabilidades de peso dentro das empresas e instituições. Esta pesquisa também deixa evidente que, na cidade de Boa Vista, não existem empresas de homeopatia totalmente dedicadas ao ramo. Estas oferecem algum que outro serviço relativo à homeopatia, mas não existe uma centralização de conceitos e atividades relativos ao ramo de estudo, o que deixa o mercado de trabalho à disposição de qualquer empresário visionário que tenha uma perspectiva empreendedora, tenha experiência e assuma o risco de levar adiante este projeto. Por outro lado, o uso de produtos homeopáticos vem com uma tendência ao crescimento, tanto no Brasil, como no mundo em geral. Esse interesse pela homeopatia é esperançoso e pode ser uma fonte de estudo para qualquer um que esteja interessado no tema. Assim, este modelo trabalha uma empresa fictícia e que poderia ser criada: a Dinamizar - Farmácia de Homeopatia. A materialização deste estudo deu-se graças ao trabalho duma equipe de estudantes de Farmácia, da Faculdade Cathedral de Boa Vista, seguindo, até onde foi possível, os modelos preexistentes de outros tipos de farmácias, especialmente as farmácias de manipulação. Os dados sugeridos foram analisados, processados, editados e verificados, com o objetivo de apresentar informações que se aproximem da realidade, representando um excelente modelo para a formação dos estudantes de farmácia. Espera-se, desta forma, que os interessados neste trabalho desenvolvam simultaneamente características empreendedoras, administrativas e científicas; demonstrem competência e habilidade e estejam preparados para enfrentar o exigente mercado de trabalho, que demanda uma multiplicidade de conhecimento do profissional. Palavras-chave: Plano. Negócio. Farmácia. Homeopatia.
  6. 6. RESUMEN Un plan de negocios es un instrumento fundamental para los hombres y mujeres emprendedores que precisan decidirse sobre la creación de una empresa o negocio, reduciendo al máximo los riesgos y las pérdidas. Este trabajo procuró usar esas herramientas con el objetivo de ayudar a los profesionales, así como a los estudiantes de Farmacia, en el sentido de conocer los pasos relacionado con la creación de negocios interrelacionados con su área de estudio: la homeopatía. Para tal fin, fue necesario hacer un levantamiento cuidadoso de los procedimientos y requisitos exigidos por las autoridades para crear y administrar una farmacia de homeopatía. Este estudio es, en buena parte, un modelo a seguir por cualquiera que esté interesado en seguir los duros caminos de la vida empresarial y/o profesional. La preparación, la habilidad y la visión emprendedora del farmaceuta son importantísimos, siendo que, el farmaceuta ejerce funciones y responsabilidades de peso dentro de las empresas e instituciones. Aún cuando este estudio es, en gran parte, ficticio, es un modelo a seguir por cualquiera que esté interesado en andar por los duros caminos de la vida empresarial. La visión de este estudio es la capacitación profesional y emprendedora del futuro farmacéutico, a la vez que, el farmacéutico tiene una importantísima función dentro de las empresas e instituciones responsables por la salud del pueblo. Esta investigación deja en evidencia que, en la ciudad de Boa Vista, no existen empresas de homeopatía totalmente dedicadas al ramo. Estas ofrecen uno que otro servicio relativo a la homeopatía; sin embargo, no existe una centralización de conceptos y actividades relacionados con el ramo de estudio, lo que deja el mercado de trabajo a la disposición de cualquier empresario visionario que tenga una perspectiva emprendedora, tenga experiencia y asuma el riesgo de llevar adelante este proyecto. Por otro lado, el uso de productos homeopáticos viene con una tendencia al crecimiento, tanto en Brasil, como en el mundo en general. Este interés por la homeopatía es esperanzador y puede ser una fuente de estudio para cualquiera que esté interesado en el tema. Así, este modelo trabajó con una empresa ficticia y que podría ser creada: la Dinamizar - Farmacia de Homeopatía. La materialización de este estudio se dio gracias al trabajo de un equipo de estudiantes de Farmacia, de la Facultad Cathedral de Boa Vista, siguiendo, hasta donde fue posible, los métodos preexistentes de otros tipos de farmacias, especialmente las farmacias de manipulación. Los datos sugeridos fueron analizados, procesados, editados y verificados, con el objetivo de presentar informaciones que se aproximen de la realidad, representando un excelente modelo para la formación de los estudiantes de farmacia. Se espera, de esta forma, que los interesados en este trabajo desarrollen simultáneamente características emprendedoras, administradoras y científicas; demuestren competencia y habilidad y estén preparados para enfrentar el exigente y competitivo mercado de trabajo, que demanda una multiplicidad de conocimiento del profesional. Palabras-Claves: Plano. Negocio. Farmacia. Homeopatía.
  7. 7. SUMÁRIO Pág 1. INTRODUÇÃO 1.1 Objetivos 8 10 1.1.1 Objetivo Geral 10 1.1.2 Objetivos Específicos 10 1.2 Estudo de Mercado e Viabilidade do Projeto 10 1.2.1 Localização da Área de Estudo – Roraima 11 1.2.2 Identificação do Problema 13 1.2.3 Natureza da Pesquisa 13 1.2.4 Caracterização da Pesquisa 14 2. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA 15 2.1 Empreendedorismo e Empreendedor 15 2.2 Farmácia de Homeopatia 16 2.3 Definições do Negócio 17 2.4 Legislação Farmacêutica 18 3. PLANO DE NEGÓCIO 21 3.1 Plano do Sistema Operacional 22 3.2 Plano dos Recursos Financeiros 32 3.3 Plano dos Recursos Humanos 46 3.4 Plano das Ações de Marketing 56 4. CONCLUSÕES E CONSIDERAÇÕES FINAIS 60 5. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 62 ANEXOS 64
  8. 8. 8 1. INTRODUÇÃO O homem, durante milênios, tem concentrado infindos recursos (humanos, científicos, financeiros e naturais) à procura da saúde perfeita. Os chineses são mundialmente conhecidos por suas antigas técnicas no tratamento das doenças; os indianos projetaram ao mundo sua sabedoria relacionada com a saúde, e os árabes, aperfeiçoaram esses conhecimentos, que posteriormente passaram ao Ocidente graças à dedicação de homens estudiosos e sábios, que tomaram consciência da importância de aproveitar a sabedoria dos ancestrais. Os gregos se encarregaram dessa majestosa façanha: legar ao mundo ocidental a extensa sabedoria dos antigos, tanto que, até hoje vemos a influência da sabedoria grega nas mais diversas áreas do conhecimento humano, incluindo a medicina e a farmacologia. Nos tempos antigos, assim como nos atuais, a saúde da população das nações mais poderosas era determinante na dominação dos outros povos. O Império Romano chegava oferecer às nações dominadas condições de vida e saúde superiores àquelas prometidas pelos próprios governantes locais das nações a serem conquistadas. Dali que esses povos eram seduzidos pelas vantagens de pertencer ao Império, dado que este lhes oferecia incontáveis benefícios econômicos e sociais, como a cidadania romana, que era extremamente desejada nesses dias. Esta realidade atinge também o Brasil dos tempos modernos. Vemos um país extensamente distribuído, ao longo da América do Sul e que enfrenta um grande déficit no espectro da saúde pública. O Estado de Roraima não escapa dessa realidade, dado seu isolamento e distanciamento dos grandes centros administrativos, comerciais e industriais, como São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília. Entretanto, somos testemunhas do aparecimento de grandiosos impérios econômicos, que exploram o ramo farmacêutico, aplicando significativos recursos financeiros e humanos na criação de empresas, filiais, distribuidoras de medicamentos, farmácias e drogarias. Também chama a atenção o número, cada vez maior, de produtos e medicamentos farmacêuticos, que prometem proporcionar
  9. 9. 9 à população uma saúde mais equilibrada, enquanto seus criadores derivam benefícios econômicos. Como a tendência da população é ao envelhecimento, estamos diante duma perspectiva maravilhosa, desde o ponto de vista da comercialização de produtos farmacêuticos. Essa preocupação da população é considerada neste estudo e constitui o ponto de inspiração desta investigação. Homeopatia é um termo que foi criado por Christian Friedrich Samuel Hahnemann (1755-1843), tomado do grego hómoios + páthos (“semelhante” + “doença”). Esta especialidade médica e farmacêutica consiste em ministrar ao doente doses mínimas do medicamento, de acordo com a lei dos semelhantes, para evitar a agravação dos sintomas e estimular a reação do organismo em direção a cura. Dada a importância histórica do cuidado à saúde da população, este trabalho procura demonstrar os benefícios da implantação da Dinamizar – Farmácia de Homeopatia, na jurisdição da cidade de Boa Vista/RR, ainda quando existem algumas farmácias de manipulação que oferecem este serviço, mas não de maneira especializada. Estamos falando duma empresa que ofereceria um serviço profissional, com o diferencial de estar voltada principalmente à homeopatia; uma empresa que faria uso de instrumentos tecnológicos, com ênfase no atendimento ao público. Este trabalho procura demonstrar, por tanto, o plano de negócios para a criação da farmácia de homeopatia, e mostra os planos operacionais, financeiros e humanos que devem ser considerados para o correto funcionamento da farmácia, enquanto se definem todos os aspectos teóricos, essenciais para sua legalização.
  10. 10. 10 1.1 Objetivos 1.1.1 Objetivo Geral  Apresentar o Plano de Negócios para a implantação de Dinamizar – Farmácia de Homeopatia, na cidade de Boa Vista/RR. 1.1.2 Objetivos Específicos  Analisar a importância da implantação de farmácia de homeopatia na cidade de Boa Vista/RR;  Identificar os problemas de saúde enfrentados pela população;  Diagnosticar o ambiente e mercado de consumo;  Definir os planos de negócio (financeiros, humanos e de marketing), da farmácia de homeopatia;  Apresentar gráficos, modelos e plantas estruturais que exponham visualmente a ambientação da farmácia de homeopatia;  Demonstrar a viabilidade da implantação da farmácia de homeopatia, assim como a produção e distribuição produtos homeopáticos;  Expor os benefícios derivados da abertura duma farmácia de produtos homeopáticos. 1.2 Estudo de Mercado e Viabilidade do Projeto A metodologia consiste numa série de elementos fundamentais no processo de pesquisa. O propósito fundamental da metodologia é poder responder as perguntas que preocupam ao pesquisador. Neste caso, as questões: “que?”, “quanto?”, “até onde?”, “como?”, “de que forma?”, “quando?”, “quem?” e “por que?”, são respondidas nesta fase, ou pelo menos é aqui onde começam a ser delineados os passos que devem ser traçados para trilhar o caminho do conhecimento.
  11. 11. 11 Se o pesquisador, cientista ou empreendedor descuidar esta parte, existe uma grande probabilidade de que o planejamento fracasse. Os teóricos em metodologia deixam claro esta ideia nos seus escritos. Sendo este o caso, certamente é uma grande vantagem seguir as recomendações dos peritos. Este projeto pretende explicar os elementos externos que favorecem a criação da Dinamizar - Farmácia de Homeopatia. 1.2.1 Localização da Área de Estudo - Roraima O nome de Roraima procede das línguas indígenas. Etimologicamente, se teoriza que o nome tem os seguintes significados: “Monte Verde”; “Mãe dos Ventos”. Mas, o primeiro significado tem mais força e aceitação, já que “roro-” ou “rora” significa “verde” e “imã” significa “serra” ou “monte”, o que coincide com as características geográficas da região.1 Boa vista é a capital do Estado de Roraima, localizada na margem direita do grandioso Rio Branco, no extremo norte de Brasil, na fronteira com a Venezuela, a Guiana Inglesa, com o Estado de Amazonas e do Pará. Tem a maior população do Estado, concentrando aproximadamente dois terços da população. É única capital brasileira que se encontra acima da linha do Equador. É uma cidade moderna, com uma população jovem e com muito desejo de crescimento, destacando-se por seu número cada vez maior de estudantes universitários. Boa Vista se destaca do resto das capitais do país por seu formato de leque, em alusão às ruas de Paris (França), ideia do engenheiro civil Darcy Aleixo 1 “Roraima, de acordo com a língua tupi significa “serra verde” (ALVES FILHO, 2000) ou “monte verde” (GERARDI, 2007), palavra formada pela junção de roro ou rora (verde) com imã (serra ou monte). No entanto, há quem afirme que este nome venha da denominação dos índios pemon, no lado venezuelano, que chamam o monte de roroima, isto é, a “montanha verde-azulada”, ou, segundo a língua dos índios ianomâmi, a “montanha trovejante”, devido à instabilidade do tempo na região. No etmo dos índios caribes (CARDOSO, 1961), seria a junção de roro (papagaio) e imã (pai, formador), reportando-a como a “fonte dos papagaios”. Com seus 2.875 metros de altura, o referido Monte Roraima está localizado na Serra de Pacaraima, região de fronteira com a Venezuela e a Guiana, embora o restante da superfície do Estado não ultrapasse a cota dos novecentos metros de altitude.” (BERG, Tiago José. Território, Cultura e Regionalismo: Aspectos Geográficos em Símbolos Estaduais brasileiros, 2009: p. 172)
  12. 12. 12 Derenusson, quem no período de 1944 e 1946 teve essa maravilhosa inspiração. Este projeto foi desenvolvido durante o governo do capitão Ene Garcez, o primeiro governador, do anterior Território Federal do Rio Branco. Neste contexto geográfico e histórico se desenvolve a ideia teórica da criação da empresa Dinamizar - Farmácia de Homeopatia. Para tal fim, foi realizado um diagnóstico sobre: o campo a ser explorado, as potencialidades de consumo da população e as possibilidades da implantação da empresa, com o objetivo de ver as probabilidades de funcionamento e crescimento dentro da cidade de Boa Vista, no Estado, no Brasil inteiro e talvez até no mundo. Não pode ser deixado de lado o fato de que Roraima se encontra numa faixa de fronteira, que limita com países, como a Venezuela, a Guiana Inglesa e os países do Caribe, os quais poderiam se transformar, a mediano e longo prazo, consumidores dos produtos que ofereça a Farmácia Dinamizar; toda vez que, os índices indicam um significativo, ainda que tímido consumo de clientes procedentes dos países vizinhos, pelo que este mercado representa um campo a ser explorado pelos empresários de Roraima.
  13. 13. 13 1.2.2 Identificação do Problema O Prof. José Dornelas (2001), um dos maiores escritores relacionados com o empreendedorismo no Brasil, e escritor de best-sellers, reconhece que o pesquisador deve decifrar o problema que ele quer atingir, para poder identificar, analisar e implantar as oportunidades de negócio. Kahlmeyer-Mertens, em sua obra Como Elaborar Projetos de Pesquisa (2007), menciona que o problema ou questão “consiste numa indagação sobre o tema que vai ser proposto pelo pesquisador na tentativa de ser respondido. Precisa ser formulado de forma precisa, categórica e simples” (p. 39). Lakatos e Marconi (2005, p. 161), por sua vez, esclarecem que “o problema de pesquisa é definido como uma dificuldade, teórica ou prática, no conhecimento de alguma coisa de real importância, para qual se deve encontrar uma solução”. Neste respeito, a questão que se quer atingir é: que viabilidade existe na criação e funcionamento da Dinamizar - Farmácia de Homeopatia, na cidade de Boa Vista/RR? Existe uma certa probabilidade na originalidade da proposta, pelo menos no que se refere a Roraima, porque a presença de farmácias de homeopatia não é significativa na cidade; a tendência geral é a criação de drogarias. 1.2.3 Natureza da Pesquisa Esta pesquisa é fundamentalmente referencial e bibliográfica. A preocupação era proporcionar uma familiaridade com o problema, sem se aprofundar no tema de estudo. Não foi totalmente uma pesquisa de campo, por ser uma situação, em boa medida, hipotética, mas que proporcionou os elementos fundamentais para um estudo definido. Neste sentido, o método de pesquisa foi primário, sustentado basicamente em material bibliográfico, entrevista com pessoas experientes e que conhecem o assunto em estudo. Foram analisados exemplos existentes no mercado, o que permitiu ter uma visão sobre como pode ser criada uma farmácia de homeopatia, como deve funcionar e como se deve administrar. Este formato permitiu uma maior flexibilidade na pesquisa e elaboração do trabalho.
  14. 14. 14 1.2.4 Caracterização da Pesquisa e Análise de Dados Dado que este estudo era de natureza referencial e bibliográfica, foi uma pesquisa que procurou ser exploratória e descritiva. É uma proposição de um plano de criação de uma empresa (farmácia de homeopatia), fundamentada em teorias que podem ser concretizadas através dum estudo científico mais amplo e profundo. A ideia era abordar as dificuldades que enfrenta um empresário, ou um cidadão comum, na hora de abrir uma firma, para explorar este campo de trabalho. Procurou-se fazer uma abordagem quantitativa, dado os valores analisados (financeiros e estatísticos), com o fim de conhecer e adquirir experiência sobre como deveriam ser distribuídos os recursos financeiros e humanos dentro da empresa, sem deixar de lado a abordagem qualitativa. Existe uma altíssima probabilidade de um negócio deste tipo não dar certo nos próximos dois anos. Fica evidente que a criação de uma empresa não é tão traumática quanto a sua manutenção e sobrevivência, devido a que o tempo é o inimigo número um das empresas. Também, se uma firma não tiver uma administração forte, se seus objetivos e responsabilidades não são claros, a probabilidade do negócio não funcionar são inquestionáveis. Este fenômeno é presenciado diariamente. Quando andamos pelas ruas, notamos que certos negócios, lojas ou empresas, que estavam antes em certo local, agora não funcionam mais — seja por causas financeiras, por localização inapropriada ou por má administração. Isto demonstra a importância de fazer uma pesquisa de mercado e ver todas as possibilidades, antes de arriscar no negócio.
  15. 15. 15 2. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA 2.1 Empreendedorismo e Empreendedor O conceito de empreendedorismo é relativamente novo em seu uso, ainda quando sua definição original deriva-se do francês e foi incorporado ao português através do inglês: entrepreneurship. Esta palavra se usa para designar os estudos relacionados com o agente empreendedor. Neste sentido, é necessário definir o perfil do empreendedor, seu sistema de atividades e seu universo de atuação. Assim sendo, a palavra empreendedorismo é usado no sentido de sinalizar as atividades realizadas pela pessoa (empreendedor) que se dedica a um negócio determinado, seja com objetivos comerciais, religiosos, sociais ou políticos. Dali a existência de duas correntes dentro de esta rama econômica: o empreendedorismo comercial e o empreendedorismo social. Em relação ao Brasil, este país é conhecido pela forte tendência ao espírito empreendedor. A grande preocupação dos teóricos é que, uma boa parcela das empresas que são criadas no país não consegue decolar e logo se afundam na improdutividade, até chegarem à quebra; outras se precipitam e caem como um avião que, em pleno voo, apresenta problema nos motores. Muito deste mal está, não na falta de criatividade do brasileiro e sim na falta de uma política educativa que seja, logicamente, encabeçada pelo governo, onde se dê maior chance ao cidadão de conhecer as técnicas e procedimentos para criar e manter uma empresa ao longo do tempo. Isto demonstra a necessidade de que o ensino do empreendedorismo comece cedo, na escola, e não na universidade. Algumas instituições tratam de compensar essa deficiência oferecendo alguns cursos direcionados a profissionais e empresários, além do público em geral, cursos que ajudam a criar e manter empresas. Aplicando então este assunto ao ponto que interessa, a Farmácia Dinamizar procurará profissionais capacitados e competentes que tenham uma ampla visão empresarial e que entendam o propósito da existência de uma farmácia homeopática; treinará e capacitará o pessoal. Segundo informações, no Brasil existe um grande espírito empreendedor, mas pouco sucesso. Fala-se que o brasileiro
  16. 16. 16 empreende com o coração, mas se esquece da razão do negócio, o porquê, e o para quê e por quanto tempo. O motivo está na falta de planejamento e desconhecimento técnico, produto em grande medida pela falta de escolaridade ou deficiente educação empreendedora. Filión (1999) explica que o verdadeiro empreendedor é aquele que possui algumas características determinantes: energia; autoconfiança; autoconsciência; autoestima; aprendizagem; capacidade de correr riscos moderados; inovação; liderança; reconhecimento de oportunidades; tomada de decisões corretas; flexibilidade; habilidade para conduzir situações; orientação para resultados; originalidade; persistência; sensibilidade; tenacidade; confiança nas pessoas; tolerância. 2.2 A Farmácia de Homeopatia e Sua Gestão A farmácia de homeopatia é um tipo de empresa que vem ganhando espaço no mercado. Ainda enfrenta grandes dificuldades para ser aceita como qualquer outra tipo de negócio que trabalhe com o ramo da saúde. Logicamente, muito disto tem a ver com os grupos econômicos que financiam e são donos de farmácias tradicionais. Também, as farmácias de produtos homeopáticos enfrentam seu maior desafio: a aceitabilidade da população. Ainda quando esta tendência vem melhorando nos últimos anos, todavia existe uma forte rejeição de alguns que não percebem a aplicabilidade nem os benefícios neste tipo de “medicamento”. A definição de “homeopatia” provoca uma certa dicotomia de ideias e critérios. Homeopatia é entendida como “a cura pelos semelhantes” (do latim: simillia similibus curantur). Algumas vezes é confundida com a fitoterapia. Existem estudos que provam e demonstrem a eficiência dos produtos homeopáticos. Até organizações importantes, como a comunidade científica, os conselhos e/ou as ordens médicas, oferecem respaldo a este tipo de tratamento. O gestor da farmácia de homeopatia tem que considerar todos esses critérios (técnicos, morais, sociais, sanitários, religiosos, econômicos, etc.), com o objetivo de inserir a empresa dentro do mercado; sendo que o mercado se caracteriza pela
  17. 17. 17 sensibilidade. Se não existir uma boa gestão de farmácia homeopática, a empresa poderia falir antes de começar a funcionar. Por tais motivos, o empreendedor, gestor ou empresário tem que se aproveitar dos instrumentos propagandísticos para divulgar seus produtos e serviços, talvez até antes de qualquer informação negativa se espalhar entre a população. Olney L. Fontes define: A homeopatia baseia-se no princípio da similitude, apoiando-se na observação experimental de que toda substância capaz de provocar determinado sintoma em um indivíduo sadio é capaz de curar, desde que em doses adequadas, um doente que apresente sintomas semelhantes. (2005: 2, 3) No Brasil, a homeopatia é considerada uma especialidade médica, desde 1980, e foi incluída no Sistema Único de Saúde (SUS), em 2006. 2.3 Definições do Negócio A Dinamizar - Farmácia de Homeopatia é uma empresa que terá como objetivo manipular medicamentos homeopáticos, fornecendo tratamentos personalizados com substâncias e concentrações que atendem as necessidades individuais de cada paciente, fundamentado nos princípios de Hahnemann. A Farmácia Dinamizar garantirá o cuidado, a orientação, a segurança do uso adequado dos medicamentos e a observação dos efeitos de seu uso, por meio duma atenção farmacêutica qualificada, tendo o paciente como foco. A fim de estabelecer a qualidade de seus produtos, a empresa buscará estar em concordância com as Boas Práticas de Fabricação de Medicamentos, conforme os padrões estabelecidos pela ANVISA (RDC 67/2007). Para conseguir esses objetivos, a empresa se fundamentará nos seguintes valores: 1. Missão da empresa: Produzir e comercializar produtos homeopáticos de alta qualidade, que atendam aos desejos e as necessidades de saúde e bem-estar dos clientes, mantendo sempre uma postura ética junto a seus colaboradores internos e externos.
  18. 18. 18 2. Visão da empresa: Atender as necessidades dos clientes e proporcionar qualidade e eficácia na manipulação e comercialização dos medicamentos homeopáticos. 3. Valores da empresa: A ética; a legalidade; o comprometimento com o cliente; a qualidade dos produtos e serviços; e a responsabilidade social e ambiental. 2.4 Legislação Farmacêutica a) Leis:  Lei n.º 9.782, de 27 de janeiro de 1999: Define o Sistema Nacional de Vigilância Sanitária, e dá outras providências. A Medida Provisória n.° 2.190/01 altera alguns dispositivos da Lei n.° 9.782.  Lei n.º 9.677, de 03 de julho de 1998: Altera dispositivos do Capítulo II do Título VIII do Código Penal, incluindo na classificação dos delitos considerados hediondos crimes contra a saúde pública, e dá outras providências.  Lei n.º 8.137, de 27 de dezembro de 1990: Define os crimes contra a ordem tributária, econômica e contra as relações de consumo, e dá outras providências.  Lei n.º 8.078 de 11 de setembro de 1990: Código de Proteção ao Consumidor.  Lei n.º 6.360, de 23 de setembro de 1976: Dispõe sobre vigilância sanitária a que ficam sujeitos medicamentos, drogas, insumos, farmacêuticos e correlatos, cosméticos, providências. saneantes e outros produtos, e dá outras
  19. 19. 19  Lei n.º 5.991, de 17 de dezembro de 1973: Dispõe sobre o controle sanitário do comércio de drogas, medicamentos, insumos farmacêuticos e correlatos, e dá outras providências. b) Portarias:  Portaria n.º 344, de 12 de maio de 1998: Aprova o regulamento técnico sobre substâncias e medicamentos sujeitos a controle especial.  Portaria n.º 17, de 22 de agosto de 1996: Dispõe sobre manipulação, receituário, industrialização e venda de produtos homeopáticos. c) Resoluções  Resolução RDC n.º 67, de 08 de outubro de 2007: Aprovar o Regulamento Técnico sobre Boas Práticas de Manipulação de Preparações Magistrais e Oficinais para Uso Humano em farmácias e seus Anexos.  Resolução RDC n.º 151, de 17 de junho de 2003: Aprova o Fascículo 1.º da Parte II, da 2.ª Farmacopeia Homeopática Brasileira.  Resolução RDC n.º 33, de 25 de fevereiro de 2003: Dispõe sobre o Regulamento Técnico para o Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde.  Resolução n.º 378, de 25 de abril de 2002: Proíbe a responsabilidade técnica de profissional farmacêutico a estabelecimento em desacordo com a Lei Federal n.° 5.991/73 (Conselho Regional de Farmácia).  Resolução RDC n.º 238, de 27 de dezembro de 2001: Uniformização dos critérios relativos à autorização, à renovação, ao cancelamento e à alteração
  20. 20. 20 da autorização de funcionamento dos estabelecimentos de dispensação de medicamentos: farmácias e drogarias.  Resolução RDC n.º 33, de 19 de abril de 2000: Regulamento técnico que institui as Boas Práticas de Manipulação em Farmácias (BPMF).  Resolução n° 335, de 17 de novembro de 1998: Dispõe sobre prerrogativas para o exercício da responsabilidade técnica em homeopatia e revoga a Resolução n.° 319/97.  Resolução n.º 2667, de 09 de fevereiro de 1995: Dispõe sobre o registro de títulos de especialista pelos Conselhos Regionais de Farmácia (Conselho Federal de Farmácia). d) Decreto:  Decreto n.º 57.477, de 20 de dezembro de 1965: Dispõe sobre manipulação, receituário, industrialização e venda de produtos utilizados em homeopatia e dá outras providências.
  21. 21. 21 3. PLANO DE NEGÓCIOS O plano de negócios (em inglês: business plan) é o elemento vital da uma empresa que está sendo criada ou que já está em funcionamento. É chamado também de “plano empresarial”. É um documento que determina, de forma escrita, o negócio que se pretende iniciar, ou descreve aqueles procedimentos que estão sendo usado. Se o plano de negócios não chega a ser entendido, nem assimilado corretamente pelos componentes da empresa, as consequências podem ser desastrosas. Os teóricos reconhecem que as microempresas enfrentam suas maiores dificuldades nesta etapa, diferentemente das empresas de grande porte, dado que estas últimas dispõem de instrumentos e de pessoal especializado, que orientam os capitalistas, baseados em informações claras e estatísticas bem definidas. As grandes corporações devem cuidar de não cometerem erros graves na hora de fazerem seus cálculos, devido a que, erros que aparentam serem nada significativos, podem produzir efeitos colaterais não previsíveis e desastrosos. Por isso vemos o mercado saturado com empresas que pareciam fortes, mas que estavam corroídas, consumidas pelas más políticas administrativas ou gerenciais. Planejar é o processo de formular metas, estabelecer objetivos e definir as orientações que deve seguir a firma para alcançar os objetivos. A Farmácia Dinamizar tomará em consideração os elementos relacionados com o planejamento: as metas, os prazos, os compromissos e as contingências. A ideia é que a proposta possa atrair recursos, financiamentos e investimentos que permitam o desenvolvimento do projeto. A Dinamizar - Farmácia de Homeopatia procurará que seu plano de negócios seja dinâmico e sistemático, exigindo a participação e sincronização de todos os elementos empresariais, os quais serão coordenados e controlados, de tal forma que não produzam despesas desnecessárias e permitam a consecução dos objetivos da empresa. O plano de negócios será tão ativo que poderá sofrer modificações, com o propósito de se adaptar às novas tendências do mercado. Isto permitirá que a empresa se apresente ao mundo como moderna e flexível.
  22. 22. 22 3.1 Plano Operacional 3.1.1 Abertura de empresa de homeopatia a) Junta Comercial:  Contrato de Constituição;  Requerimento empresarial;  Declaração para ME e / ou EPP;  Ficha de Cadastro Nacional de Empresas b) Secretaria Estadual da Fazenda (SEFAZ):  Ficha de Atualização Cadastral (FAC)  Cartão de Autógrafos  Croqui de Localização da Empresa  Declaração de Inscrição c) Secretaria Municipal de Planejamento, Economia e Finanças  Requerimento de Alvará de Funcionamento d) Corpo de Bombeiros  Requerimento de Vistoria e) Vigilância Sanitária  Requerimento de Alvará Sanitário f) Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA)
  23. 23. 23  Autorização de Funcionamento de Empresa (AFE)  Documentos de Instrução 3.1.2 Infraestrutura Física Todos os ambientes da Dinamizar - Farmácia de Homeopatia estarão protegidos contra a entrada de aves, insetos, roedores e poeira. Em geral, as janelas serão mantidas fechadas e protegidas com telas. Os ralos serão sifonados. A farmácia possuirá em todos os ambientes equipamentos para combate a incêndios. Conforme é mostrado na planta, a estrutura física da empresa estará composta por:  Recepção: Área de no mínimo 20m² destinada ao atendimento, orientação, entrega da prescrição e dispensação de medicamento.  Administração: Área restrita, destinada a assuntos financeiros, bancários, administrativos e pessoais. Nesta área haverá no mínimo um arquivo para guardar a documentação geral da farmácia, bem como para procedimentos e laudos de análise.  Área de atenção farmacêutica: A prestação do serviço farmacêutico será em local reservado e dotado de pia com água corrente.  Área de Serviço (DML): Área reservada à guarda dos materiais de limpeza e germicidas em estoque.  Banheiro: Existirão sanitários em número suficiente para os funcionários. Os sanitários não terão comunicação direta com os laboratórios.  Sala de Paramentação (Vestiário): Ambiente dotado de armários, saboneteira, pia com água corrente, lixeira com pedal. Esta sala estará sempre munida de EPIs.  Área Limpa: Esta área será a barreira de acesso entre o laboratório e a paramentação. Somente o pessoal do laboratório deverá entrar neste local.  Laboratório de Manipulação Homeopática: Área de no mínimo 12m², destinada à manipulação de fórmulas. O laboratório de manipulação
  24. 24. 24 homeopática será usado exclusivamente para as manipulações homeopáticas.  Sala de Lavagem e Inativação: Área com estufa para secagem e inativação de materiais, com termômetro, mantendo-se respectivos registros de temperatura e tempo do processo de inativação.  Refeitório: Ambiente para pequenas refeições e descanso dos colaboradores.  Laboratório de Controle de Qualidade: Esta área estará destinada ao controle de qualidade dos produtos. Disporá de recursos adequados que assegurem confiabilidade e efetividade de todas as providências relativas à qualidade dos produtos.  Almoxarifado: Local para guardar matérias-primas e material de embalagem. O ambiente da farmácia, especialmente o de manipulação de medicamentos, terá de ser seco, limpo, isolado, livre de poeira e de outros contaminantes.  Paredes e forros: Deverão ser pintados de cor clara e deverão ser constituídos de material liso e impermeável; resistente e com divisões ininterruptas.  Ventilação: Natural, desde que haja um sistema adequado de circulação de ar ou artificial. No segundo caso, a ventilação deverá ser realizada com o uso de ar-condicionado. Para a renovação do ar, recomenda-se o uso de exaustor. 3.1.3 Equipamentos Dentre os equipamentos a serem utilizados pela farmácia estarão: Alcoômetro de Gay-Lussac; aparelho de fluxo contínuo; balança analítica de precisão; braço mecânico; central de ar; computadores; destilador de água; estufa que atinja a temperatura de 180ºC; impressora; peso padrão rastreável; pinça metálica; refrigerador (opcional); termômetro, dentre outros descritos na Planilha de Investimentos.
  25. 25. 25 a. Extintores  A distribuição e tipos de extintores serão determinados conforme a legislação pertinente, fornecida pelo Corpo de Bombeiros, que também será responsável pela vistoria e liberação de certificado de aprovação;  Os extintores terão sempre livre sua área de acesso;  A empresa possuirá assessoria de engenharia e segurança no trabalho, para fornecer informações e auditorias periódicas quanto à escolha, uso e manutenção dos extintores e/ou assuntos aplicáveis;  Os extintores serão revisados periodicamente, de acordo com a legislação, quanto à sua validade, conteúdo e integridade da carcaça. b. Uniformes  Os uniformes serão de uso obrigatório a todos os funcionários da empresa;  Cada funcionário terá, pelo menos, 02 (dois) jogos de uniforme, que serão trocados conforme necessidade. c. Sanitização, Higiene e Controle Preventivo de Pragas  Placas de sinalização na entrada da farmácia indicarão a proibição e advertência a não fumar nas dependências da farmácia;  Exames médicos admissional e demissional nos funcionários serão feitos a cada período, de conformidade com o estabelecido em lei;  Em caso de suspeita ou confirmação de enfermidade, ou lesão exposta, o funcionário será afastado temporariamente.
  26. 26. 26 d. Higiene dos funcionários  Todos os funcionários, independente de sua função, serão incentivados a estarem adequadamente vestidos para executar suas funções, conforme as boas práticas de higiene;  Os uniformes serão trocados regularmente, quando houver necessidade. e. Controle de infestações  A empresa deverá possuir procedimento periódico de controle ambiental por meio da contratação de empresa especializada em desinfecção, para analisar possíveis problemas e propor as medidas cabíveis;  Periodicamente se aplicará controle ambiental, conforme orientação de empresa especializada. 3.1.4 Material de Acondicionamento para Medicamentos Frascos de vidro âmbar de capacidade de 20 ml, 30 ml, 60 ml, 100 ml, munidos de tampas, batoques, conta-gotas (cânulas de vidro), bulbos, tampas, gotejadores internos, tampas com lacre, flaconetes, saches, potes para cremes e pomadas. Utensílios: Gral de porcelana, pistilo de porcelana, espátulas, bastões de vidro, provetas, pipetas, cálices, alcoômetro e repipetadores ou dispensadores. Todos os equipamentos que entram em contato direto com os medicamentos deverão ser de fácil limpeza e passíveis de inativação térmica, a menos que só sejam utilizados para insumo inerte, e não para medicamentos já prontos que contenham dinamizações.
  27. 27. 27 3.1.5 Material Técnico-científico a. Farmacopeia Homeopática Brasileira II b. Manual de Normas Técnicas ABFH c. Reagentes: Ácido clorídrico; ácido nítrico; ácido sulfúrico; alaranjado de metila; cloreto de bário; cloreto férrico; clorofórmio; éter; fenolftaleína; hidróxido de cálcio; hidróxido de potássio; hidróxido de sódio; Iodeto de potássio; iodo; nitrato de prata; oxalato de amônio; permanganato de potássio; sulfato de cobre; sulfato ferroso; tartarato de sódio e potássio. Os reagentes acima citados serão utilizados para a preparação de soluções reagentes (SR). As técnicas de preparação dessas soluções seguirão as normas estabelecidas no Manual de Boas Práticas de Manipulação da Empresa. As soluções serão preparadas conforme preconizado na Farmacopeia Homeopática Brasileira II e Manual de Normas Técnicas Homeopática 3.ª Ed. d. Limpeza e Sanitização: Para a limpeza e sanitização de piso, parede e mobiliário da sala de manipulação de preparações homeopáticas, será usado solução de hipoclorito de sódio e solução hidroalcoólica de álcool 70%. e. Vidraria: Balão volumétrico; bastão de vidro; béquer de vidro; bureta; cápsula de porcelana; erlenmayer de vidro; funil de separação; pipeta graduada e volumétrica; proveta de vidro com rolha esmerilhada; tubo de ensaio; tubo de Nessler.
  28. 28. 28 f. Manipulação:  A identificação do medicamento homeopático será realizada conforme nomenclatura específica e ainda apresentar potência, escala, método, forma farmacêutica, quantidades e unidades.  O local de trabalho e os equipamentos serão limpos periodicamente, de forma a garantir higiene da área de manipulação.  Os utensílios, acessórios e recipientes utilizados nas preparações homeopáticas serão descartados ou, na possibilidade da reutilização, os mesmos serão submetidos a procedimentos adequados de higienização e inativação.  Após a inativação e higienização dos utensílios, recipientes e acessórios, estes serão guardados ao abrigo de sujidades e odores. g. Rotulagem e embalagem:  A tintura-mãe será identificada por meio do rótulo interno ou do fornecedor, contendo os seguintes dados: nome científico da droga; data da fabricação; prazo de validade; parte usada; conservação; teor alcoólico; número do lote; classificação toxicológica, quando for o caso.  A matriz deverá ser rotulada com os seguintes dados: dinamização escala e método; insumo inerte e grau alcoólico, quando for o caso; data da manipulação; prazo de validade; origem; o teor das matrizes que sejam estocadas seguirá o que determina a Farmacopeia Homeopática Brasileira, a saber, 70º.  Os medicamentos homeopáticos manipulados, considerados produtos oficinais, deverão ter nos rótulos os seguintes elementos: nome da farmácia; endereço e dados cadastrais (CNPJ, inscrição estadual, etc.); número da licença de funcionamento (AFE); farmacêutico responsável; nome homeopático do medicamento; dinamização escala e método; forma farmacêutica; quantidade; data de fabricação; prazo de validade.
  29. 29. 29 3.1.6 Formas Farmacêuticas de Dispensação 1) Formas farmacêuticas de uso interno: Formas Farmacêuticas Líquidas: dose única líquida; preparação líquida administrada sob forma de gotas. Formas Farmacêuticas Sólidas: comprimidos; dose única sólida; glóbulos; pós e tabletes. 2) Formas farmacêuticas de uso externo  Formas Farmacêuticas Líquidas: linimentos; preparações nasais; preparações oftálmicas; preparações otológicas.  Formas Farmacêuticas Sólidas: apócitos medicinais; pós-medicinais (talcos medicinais); supositórios retais e vaginais (óvulos).  Formas Farmacêuticas Semi-sólidas: cremes; géis; pomadas; gliceróleo (10% de TM, 45% de glicerina e 45% de água purificada), pseudohidrolato (10% de tintura mãe, 5% de glicerina e qs para 100mL de solução hidroalcoólica a 10%) e sabonetes (TM incorporadas à 10%). 3.1.7 Estoque Mínimo Para atender as prescrições, será necessário ter o máximo dos produtos solicitados, porém, sempre em quantidades mínimas. Hahneman elaborou uma lista de 24 policrestos (medicamentos homeopáticos muito utilizados na clínica diária). Existem, ainda, os semipolicrestos (medicamentos que apresentam rica patogenesia, porém, não tão usados quanto os policrestos), estes medicamentos devem obrigatoriamente compor o estoque mínimo da farmácia homeopática.
  30. 30. 30 Dinamizar – Farmácia de Homeopatia Lista de Policrestos e Semipolicrestos MEDICAMENTOS Policrestos Aconitum napellus Dulcamara Nux vomica Arnica Montana Hepar sulfur Psorinum Arsenicum album Hyoscyamus Pulsatilla Belladona Ipecaunha Rhus toxicodendron Byonia Lachesis muta Sépia Calcarea carbonica Lycopodium Silicea Chamomila Mercurium solubilis Sulfur China Mercurium vivus Veratrum album Natrium sulfuricum Semipolicrestos Acidum nitricum Coctud cacti Lycoperdon bovista Acidum phosphoricum Coffea cruda Magnesium carbonicum Aesculus hippocastanum Colocynthis Magnesium muriaticum Aloe socotrina Conium maculatum Magnesium phosphoricum Antimonium crudum Digitalis purpúrea Medhorrinum Antiminium tartaricum Drosera rotundifolia Natrium carbonicum
  31. 31. 31 Apis mellifica Eupatorium perfoliatum Natrium muriaticum Argentum nitricum Ferrum metallicum Opium(Portaria 344) Aurum metallicum Ferrum phosphoricum Petroleum Baptisia tinctoria Gelsemium Phosphorus Barium carbonicum Graphites Platinum Berberis vulgaris Ignatia amara Stannum metallicum Calcium fluoratum Iodum Staphysagria Calcium phosphoricum Kalium bichromicum Stramonium Cantharis vesicatoria Kalium carbonicum Sulfur iodatum Carbo vegetabilis Kalium phosphoricum Thuya occidentalis Chelidonium majus Ledum palustre Tuberculinum Cina Leusinum Zincum metallicum
  32. 32. 32 3.2 Plano dos Recursos Financeiros A Dinamizar - Farmácia de Homeopatia terá por objetivo a produção e comercialização de medicamentos homeopáticos a partir de fórmulas prescritas por médicos, e a distribuição e vendas de outros produtos farmacêuticos. Será inicialmente uma microempresa, pelo que será enquadrada no sistema do Simples Nacional (SN). Inicialmente, contará com um número determinado de funcionários ou colaboradores em seu quadro funcional, que será fixado pela administração, sob a supervisão dos proprietários e investidores. As responsabilidades e funções dos componentes humanos serão definidas e informadas a cada participante na hora da contratação, a fim de evitar duplicidade de funções ou perda de produtividade. A Dinamizar - Farmácia de Homeopatia estará localizada na Avenida Ville Roy, Bairro Centro n.º 1989, Boa Vista, Roraima – CEP: 693001-01; fone: (095) 4525-0102 A estratégia a ser empregada pela empresa será: busca pelo diferencial no atendimento ao público; treinamento e qualificação dos colaboradores; investimento em novas tecnologias; e procura de certificações que comprovem a qualidade dos produtos manipulados. O investimento inicial do negócio será de R$ 85.000,00 que, dentro de um cenário realista e conforme as projeções, produzirá retornos financeiros significativos em aproximadamente três anos e seis meses. Estes recursos serão aplicados, conforme mostrado nos quadros apresentados em anexo, não deixando de lado o fato de que estes valores são projeções e que o comportamento do mercado não é fácil de predizer, sendo que a economia representa um fenômeno em constante evolução e muitas vezes é difícil prognosticar o comportamento da economia mundial, nacional e regional. 3.2.1 Análise da Matriz SWOT O termo SWOT procede do inglês: Strengths + Weaknesses + Opportunities + Threats. Isto é: Forças + Fraquezas + Oportunidades + Ameaças. Acrônico utilizado para representar a análise de cenário (também chamado de “análise ambiental”).
  33. 33. 33 Este modelo é utilizado na administração de empresas para trabalhos de gestão e planejamento estratégico. Devido a sua simplicidade, poderia ser empregado para analisar qualquer tipo de cenário. Esta técnica é atribuída a Albert Humphrey, quem liderou a pesquisa do modelo na Universidade de Stanford, nas décadas de 1960 e 1970, quando realizava estudo sobre as maiores corporações do mundo. Outros indicam que os verdadeiros criadores de este modelo foram os professores Kenneth Andrews e Roland Christensen, da Universidade de Harvard. Finalmente, outra corrente indica que a sua origem é muita antiga e que até Sun Tzu (500 a.C.) tocava no assunto, quando falou: “Concentra-se nos pontos fortes, reconheça as fraquezas, agarre as oportunidades e proteja-se contra as ameaças”. Ao final das contas, o conhecimento humano consiste em se apegar à sabedoria antiga e modernizar seus preceitos e princípios. Considerando esse modelo de gestão, a empresa Dinamizar - Farmácia de Homeopatia procurará aplicar seus investimentos seguindo o modelo de Humphrey, dada sua simplicidade de uso.
  34. 34. 34 A Dinamizar - Farmácia de Homeopatia pretende se valer deste modelo com o propósito de buscar alternativas rentáveis à proposta de negócio que se deseja levar adiante. Aplicando este conceito, a farmácia pretende aplicar esta teoria da seguinte forma: 1. Forças (Strengths):  Localização da empresa, já que a maioria dos clientes prefere comprar no centro da cidade;  O preço dos medicamentos homeopáticos será relativamente mais baixo que o preço dos medicamentos de referência, genéricos e similares;  Farmacêutico responsável trabalhando em período integral;  Assistência e atenção farmacêutica personalizada aos clientes;  Investimento em treinamento e educação contínua dos colaboradores;  Desenvolvimento de políticas e estratégias para a dinamização do fluxograma de trabalho;  Qualificação técnica e profissional dos integrantes da empresa;  Programa de incentivo à produtividade e rendimento dos trabalhadores. 2. Fraquezas (Weaknesses):  Por ser inicialmente uma micro-empresa, não terá a credibilidade total dos fornecedores e clientes;  Dificuldade nos cálculos dos custos dos produtos;  Haverá um período de adaptação operacional que pode influenciar negativamente nas vendas;  Elevada carga de trabalho, pois exige dedicação dos sócios até que a empresa se estabilize no mercado;  Devido aos elevados custos do novo empreendimento, não será possível repassar melhores preços aos clientes, como já fazem as farmácias que atuam há mais tempo no mercado.
  35. 35. 35  Leis e normas específicas de órgãos públicos para o setor poderão produzir restrições na atuação fluída da farmácia;  Custo de manutenção e controle do estoque de produtos controlados e homeopáticos;  Efeitos negativos da elevação dos custos das matérias primas;  Dificuldades na consecução de financiamento dos bancos; 3. Oportunidades (Opportunities):  Controle governamental sobre drogarias e farmácias que funcionam de maneira irregular;  Mercado de medicamentos homeopáticos em crescimento no país;  Possibilidade de manipular os medicamento de acordo com as necessidades dos pacientes;  Desenvolvimento de políticas de atendimento personalizado aos clientes;  Diversificação de produtos homeopáticos; 3. Ameaças (Threats):  Elevação das taxas de juros que prejudica os financiamento para o negócio;  Alterações das leis que regulam o setor de produtos homeopáticos;  Aumento das atividades da concorrência;  Publicidade contra o uso de produtos homeopáticos;  Abertura de empresas concorrentes;  Distanciamento da região ao resto do país.  Mudanças constantes e confusas das políticas de governo quanto aos produtos homeopáticos e farmacêuticos;  Mudanças repentinas e constantes das políticas econômicas do governo;  Rígida fiscalização pelos órgãos do governo.
  36. 36. 36 Como pode se observa, a matriz SWOT é uma ferramenta que poderá ajudar a empresa na tomada de decisões, permitindo maximizar as oportunidades e reduzindo os custos. Enquanto se trabalha em torno dos pontos fortes, serão enfrentados os pontos fracos e as ameaças ao funcionamento da empresa. 3.2.2 Estudo de Modelo Financeiro Abaixo se apresenta um modelo de Investimento Inicial e depois um modelo mostrando as despesas (fixas e variáveis) de mão de obra e dos custos de produção da empresa. Logicamente, determinar a exatidão das despesas e ingressos que teria a empresa longo de um período (01 ano, por exemplo), não é fácil, nem exato, mas da uma visão, uma perspectiva do que poderia acontecer se certas condições de produção, distribuição ou marketing se dessem. Inicialmente, a empresa disponibilizará de um capital de líquido de R$ 85.000,00 (oitenta e cinco mil reais), os quais serão investidos pelos sócios para poder compras os equipamentos, máquinas, móveis, utensílios e o resto dos materiais necessários para o empreendimento. Destes, se optará por deixar disponível uns R$ 30.000,00 (trinta mil reais), considerando a conveniência de liberar este capital de giro, já que não se dispõe de recursos procedentes de terceiros (bancos, prestamistas, etc.). Este último valor representa um 35,29% do investimento e da uma certa garantia para o funcionamento da empresa durante alguns meses. Por outro lado, se observa que a empresa gastará uns R$ 55.000,00 (cinquenta e cinco mil reais) em bens e serviços para dar os primeiros passos. Estima-se que as vendas somem uma media de R$ 20.000,00 (vinte mil reais) brutos x mês, o que representa uns R$ 240.000,00 (duzentos e quarenta mil reais) x ano. Como se observa no Fluxo de Caixa, em condições normais, a tendência da empresa, caso se disponha de um capital de giro de R$ 30.000,00 (trinta mil reais), e diminuindo os custos fixos e variáveis, mas os encargos legais e imposto (supondo que os valores são iguais para todos os meses do ano), a empresa poderá sobreviver até o final do ano e seu capital de giro passará de R$ 30.000,00 (trinta mil reais) para R$ 59.952, 00 (cinquenta e nove mil e novecentos e cinquenta e dois reais).
  37. 37. 37 Dinamizar – Farmácia de Homeopatia Investimento Inicial DESCRIÇÃO Quant. EQUIPAMENTOS Alcoômetro 2 Ar condicionado (12.000 BTUs) 3 Balança analítica com capela 1 Computador 3 Destilador 3,8 litros 1 Desumidificador de ar ambiente 1 Dinamizador 4 pontas 1 Estufa de esterilização e secagem (10 litros) 1 Exaustor 2 Extintor de incêndios 4 Impressora fiscal 1 Impressora multifuncional 3 Mesa antivibratória 1 Telefone 3 Telefone e Fax 1 Termômetro digital de temperatura 2 TOTAL DOS EQUIPAMENTOS MÓVEIS E UTENSÍLIOS Avental c/ manga longa descartável (pacote c/ 10 unidades) 2 Bastão de vidro 10 Bebedouro 1 Béqueres 20 Dispensador para álcool gel 4 Dispensador para copos 1 Dispensador para sabonete líquido 4 Dispensador para toalha interfolhas 3 Espatuladoras 10 Frigobar 1 Gral e Pistilo (conjunto) 2 Lixeira (aço inox 20 litros) 1 Lixeira (aço inox 5 litros) 8 Luva descartável (caixa c/ 100 unidades) 2 Máscara descartável (pacote c/ 100 unidades) 4 Micro-ondas 1 Móveis e Utensílios – Geral 1 Óculos de proteção 4 Custo R$ Valor Total R$ R$ 110,00 R$ 1.500,00 R$ 2.500,00 R$ 1.300,00 R$ 590,00 R$ 1.300,00 R$ 2.000,00 R$ 220,00 R$ 4.500,00 R$ 2.500,00 R$ 3.900,00 R$ 590,00 R$ 1.300,00 R$ 2.000,00 R$ 800,00 R$ 200,00 R$ 60,00 R$ 1.500,00 R$ 500,00 R$ 1.750,00 R$ 30,00 R$ 350,00 R$ 50,00 R$ 800,00 R$ 400,00 R$ 240,00 R$ 1.500,00 R$ 1.500,00 R$ 1.750,00 R$ 90,00 R$ 350,00 R$ 100,00 R$ 21.740,00 R$ 30,00 R$ 15,00 R$ 1,00 R$ 200,00 R$ 12,50 R$ 30,00 R$ 20,00 R$ 30,00 R$ 40,00 R$ 2,20 R$ 650,00 R$ 36,00 R$ 160,00 R$ 75,00 R$ 10,00 R$ 200,00 R$ 250,00 R$ 120,00 R$ 20,00 R$ 120,00 R$ 120,00 R$ 22,00 R$ 650,00 R$ 72,00 R$ 160,00 R$ 600,00 R$ 25,00 R$ 50,00 R$ 10,00 R$ 270,00 R$ 12.500,00 R$ 5,00 R$ 40,00 R$ 270,00 R$ 12.500,00 R$ 20,00
  38. 38. 38 Par de sapatos fechado Pipetas, provetas, cálices e pêras vários volumes- conjunto Placa de vidro retangular Touca sanfonada descartável (pac. c/ 100 unidades) TOTAL DOS MÓVEIS E UTENSÍLIOS CUSTOS DAS DESPESAS PRÉOPERACIONAIS Capital de giro Autorização de Funcionamento – AFE Anvisa Alvará Sanitário Municipal Embalagens para Acondicionamento Inscrição no Conselho Regional de Farmácia + Taxa Emissão Certificado Material de Expediente Matéria-prima manipulação homeopática Outros custos pré-operacionais Produtos para revenda Reforma das salas e laboratórios Software de gestão farmacêutica Uniformes (2 p/ cada funcionário) TOTAL DOS CUSTOS E DESPESAS PRÉ-OPERACIONAIS DESPESAS C/ MARKETING E PUBLICIDADE INICIAL Calendário de mesa Cartão de visita Folders Imã de Geladeira Letreiro luminoso Rádio e TV Sacola plástica (p/ kg) Sacolas de papel Web Site - criação TOTAL DAS DESPESAS MARKETING E PUBLICIDADE INIC. CAPITAL DE GIRO TOTAL INVESTIMENTO INICIAL TOTAL INVESTIM. INICIAL + CAPITAL DE GIRO 4 R$ 50,00 R$ 200,00 2 1 R$ 580,00 R$ 40,00 R$ 1.160,00 R$ 40,00 4 R$ 10,00 R$ 40,00 R$ 16.694,00 R$ 30.000,00 1 R$ 30.000,00 1 1 1 R$ 500,00 R$ 190,00 R$ 600,00 1 1 R$ 600,00 R$ 200,00 R$ 600,00 R$ 200,00 1 1 1 1 1 8 R$ 3.000,00 R$ 300,00 R$ 2.600,00 R$ 3.000,00 R$ 1.000,00 R$ 80,00 R$ 3.000,00 R$ 300,00 R$ 2.600,00 R$ 3.000,00 R$ 1.000,00 R$ 640,00 R$ 500,00 R$ 190,00 R$ 600,00 R$ 42.630,00 100 1000 2000 1000 1 1 2 1000 1 R$ 1,36 R$ 0,05 R$ 0,14 R$ 0,08 R$ 500,00 R$ 1.500,00 R$ 45,00 R$ 0,30 R$ 1.000,00 R$ 136,00 R$ 50,00 R$ 280,00 R$ 80,00 R$ 500,00 R$ 1.500,00 R$ 90,00 R$ 300,00 R$ 1.000,00 R$ 3.936,00 R$ 30.000,00 R$ 55.000,00 R$ 85.000,00
  39. 39. 39 Dinamizar – Farmácia de Homeopatia DESPESAS FIXAS (MENSAL / ANUAL) DESCRIÇÃO Quant. Custo R$ Valor Total R$/Mês Valor Total R$/Ano DESPESAS FIXAS Água e Esgoto 1 R$ 200,00 R$ 200,00 R$ 2.400,00 Aluguel máquina cartão de crédito 1 R$ 80,00 R$ 80,00 R$ 960,00 Aluguel Sala Comercial + IPTU 1 R$ 2.330,00 R$ 2.330,00 R$ 27.960,00 Controle de Qualidade 1 R$ 230,00 R$ 230,00 R$ 2.760,00 Depreciação de equipamentos, móveis e utensílios 1 R$ 300,00 R$ 300,00 R$ 3.600,00 Energia Elétrica 1 R$ 280,00 R$ 280,00 R$ 3.360,00 Honorário Contador 1 R$ 500,00 R$ 500,00 R$ 6.000,00 Linha Telefônica + Internet 1 R$ 120,00 R$ 120,00 R$ 1.440,00 Serviços gerais + produtos de higiene 1 R$ 150,00 R$ 150,00 R$ 1.800,00 Suporte Software 1 R$ 100,00 R$ 100,00 R$ 1.200,00 Outras despesas fixas 1 R$ 200,00 R$ 200,00 R$ 2.400,00 R$ 4.290,00 R$ 53.880,00 TOTAL DAS DESPESAS FIXAS DESCRIÇÃO Quant. Custo R$ Valor Total R$/Mês Valor Total R$/Ano SALÁRIOS Atendente 1 R$ 700,00 R$ 700,00 R$ 8.400,00 Auxiliar de laboratório 1 R$ 700,00 R$ 700,00 R$ 8.400,00 Auxiliar de Sérvios Gerais 1 R$ 700,00 R$ 700,00 R$ 8.400,00 Operador de Caixa 1 R$ 700,00 R$ 700,00 R$ 8.400,00 Recepcionista 1 R$ 700,00 R$ 700,00 R$ 8.400,00 Farmacêutico 1 R$ 1.500,00 R$ 1.500,00 R$ 18.000,00 Gerente 1 R$ 1.500,00 R$ 1.500,00 R$ 18.000,00
  40. 40. 40 TOTAL DAS DESPESAS COM SALÁRIOS R$ 6.500,00 R$ 78.000,00 ENCARGOS E PROVISSÕES 13.º Salário (8,33%) 4 R$ 58,31 R$ 233,24 R$ 2.798,88 Férias (11,11%) 4 R$ 77,77 R$ 311,08 R$ 3.732,96 FGTS (8%) 4 R$ 56,00 R$ 224,00 R$ 2.688,00 FGTS (Provisão Multa Rescisória 4%) 4 R$ 28,00 R$ 112,00 R$ 1.344,00 FGTS Férias e 13.º (2,33%) 4 R$ 16,31 R$ 65,24 R$ 782,88 Vale Transporte (4 VT/dia x 24 dias) 4 R$ 192,00 R$ 768,00 R$ 9.216,00 Outras despesas c/ mão de obra 1 R$ 100,00 R$ 100,00 R$ 1.200,00 R$ 1.813,56 R$ 21.762,72 TOTAL DOS ENCARGOS E PROVISSÕES DESCRIÇÃO Quant. Custo R$ Valor Total R$/Mês Valor Total R$/Ano CUSTOS VARIÁVEIS Embalagens 1 R$ 500,00 R$ 500,00 R$ 6.000,00 Manutenção de equipamentos 1 R$ 180,00 R$ 180,00 R$ 2.160,00 Marketing e Publicidade 1 R$ 200,00 R$ 200,00 R$ 2.400,00 Material de Expediente 1 R$ 180,00 R$ 180,00 R$ 2.160,00 Matéria-prima manipulação homeopática 1 R$ 1.700,00 R$ 1.700,00 R$ 20.400 Produtos para revenda 1 R$ 2.500,00 R$ 2.500,00 R$ 30.000,00 Sacola de papel reciclado 1 R$ 261,00 R$ 261,00 R$ 3.132,00 Sacola plástica (p/ kg) 1 R$ 81,00 R$ 81,00 R$ 972,00 Outros custos variáveis 1 R$ 200,00 R$ 200,00 R$ 2.400,00 R$ 5.602,00 R$ 69.624,00 R$ 1.200,00 R$ 14.400,00 R$ 7.002,00 R$ 84.024,00 SUBTOTAL CUSTOS VARIÁVEIS Impostos [Apx. 6%/Receita (R$ 20.000,00xmês)] TOTAL DOS CUSTOS VARIÁVES + IMPOSTO 1
  41. 41. 41 Dinamizar – Farmácia de Homeopatia Fluxo de Caixa DESCRIÇÃO Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Saldo Caixa Inicial 85.000,00 (-) Investimento Inicial 55.000,00 31.094,44 32.188,88 33.283,32 34.377,76 35.472,20 36.566,64 37.661,08 38.755,52 39.849,96 40.944,40 42.038,84 (=) SALDO 30.000,00 31.094,44 32.188,88 33.283,32 34.377,76 35.472,20 36.566,64 37.661,08 38.755,52 39.849,96 40.944,40 42.038,84 (+) Receita de vendas e serviços 20.000,00 20.000,00 20.000,00 20.000,00 20.000,00 20.000,00 20.000,00 20.000,00 20.000,00 20.000,00 20.000,00 20.000,00 (=) SALDO DE ENTRADAS 50.000,00 51.094,44 52.188,88 53.283,32 54.377,76 55.472,20 56.566,64 57.661,08 58.755,52 59.849,96 60.944,40 62.038,84 200,00 200,00 200,00 200,00 200,00 200,00 200,00 200,00 200,00 200,00 200,00 200,00 80,00 80,00 80,00 80,00 80,00 80,00 80,00 80,00 80,00 80,00 80,00 80,00 2.330,00 2.330,00 2.330,00 2.330,00 2.330,00 2.330,00 2.330,00 2.330,00 2.330,00 2.330,00 2.330,00 2.330,00 Entrada em caixa Saída de Caixa (-) DESPESAS FIXAS Água e Esgoto Aluguel máquina cartão de crédito Aluguel sala comercial + IPTU
  42. 42. 42 Controle de Qualidade 230,00 230,00 230,00 230,00 230,00 230,00 230,00 230,00 230,00 230,00 230,00 230,00 Depreciação de equipamento, móveis e utensílios 300,00 300,00 300,00 300,00 300,00 300,00 300,00 300,00 300,00 300,00 300,00 300,00 Energia elétrica 280,00 280,00 280,00 280,00 280,00 280,00 280,00 280,00 280,00 280,00 280,00 280,00 Honorário Contador 500,00 500,00 500,00 500,00 500,00 500,00 500,00 500,00 500,00 500,00 500,00 500,00 Linha telefônica c/ Internet 120,00 120,00 120,00 120,00 120,00 120,00 120,00 120,00 120,00 120,00 120,00 120,00 Serviços gerais + produtos de higiene 150,00 150,00 150,00 150,00 150,00 150,00 150,00 150,00 150,00 150,00 150,00 150,00 Suporte de software 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00 Outras despesas fixas 200,00 200,00 200,00 200,00 200,00 200,00 200,00 200,00 200,00 200,00 200,00 200,00 4.490,00 4.490,00 4.490,00 4.490,00 4.490,00 4.490,00 4.490,00 4.490,00 4.490,00 4.490,00 4.490,00 4.490,00 Atendente 700,00 700,00 700,00 700,00 700,00 700,00 700,00 700,00 700,00 700,00 700,00 700,00 Auxiliar de Laboratório 700,00 700,00 700,00 700,00 700,00 700,00 700,00 700,00 700,00 700,00 700,00 700,00 Auxiliar Serviços Gerais 700,00 700,00 700,00 700,00 700,00 700,00 700,00 700,00 700,00 700,00 700,00 700,00 Operador de Caixa 700,00 700,00 700,00 700,00 700,00 700,00 700,00 700,00 700,00 700,00 700,00 700,00 TOTAL DAS DESPESAS FIXAS DESPESAS COM SALÁRIOS
  43. 43. 43 Farmacêutico 1.500,00 1.500,00 1.500,00 1.500,00 1.500,00 1.500,00 1.500,00 1.500,00 1.500,00 1.500,00 1.500,00 1.500,00 Gerente 1.500,00 1.500,00 1.500,00 1.500,00 1.500,00 1.500,00 1.500,00 1.500,00 1.500,00 1.500,00 1.500,00 1.500,00 TOTAL DESPESAS C/ SALÁRIOS 5.800,00 5.800,00 5.800,00 5.800,00 5.800,00 5.800,00 5.800,00 5.800,00 5.800,00 5.800,00 5.800,00 5.800,00 13.º Salário (8,33%) 233,24 233,24 233,24 233,24 233,24 233,24 233,24 233,24 233,24 233,24 233,24 233,24 Férias (11,11%) 311,08 311,08 311,08 311,08 311,08 311,08 311,08 311,08 311,08 311,08 311,08 311,08 FGTS (8%) 224,00 224,00 224,00 224,00 224,00 224,00 224,00 224,00 224,00 224,00 224,00 224,00 FGTS (Provisão Multa Rescisória 4%) 112,00 112,00 112,00 112,00 112,00 112,00 112,00 112,00 112,00 112,00 112,00 112,00 FGTS Férias e 13º (2.33%) 65,24 65,24 65,24 65,24 65,24 65,24 65,24 65,24 65,24 65,24 65,24 65,24 Vale transporte (4 VT/d x 24 dias) 768,00 768,00 768,00 768,00 768,00 768,00 768,00 768,00 768,00 768,00 768,00 768,00 Outras despesas c/ mão de obra 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00 100,00 1.813,56 1.813,56 1.813,56 1.813,56 1.813,56 1.813,56 1.813,56 1.813,56 1.813,56 1.813,56 1.813,56 1.813,56 12.103,56 12.103,56 12.103,56 12.103,56 12.103,56 12.103,56 12.103,56 12.103,56 12.103,56 12.103,56 12.103,56 12.103,56 ENCARGOS E PROVISÕES TOTAL DOS ENCARGOS E PROVISÕES (=) CUSTO TOTAL FIXO (-) CUSTOS VARIÁVEIS
  44. 44. 44 Embalagens 500,00 500,00 500,00 500,00 500,00 500,00 500,00 500,00 500,00 500,00 500,00 500,00 Manutenção de equipamento 180,00 180,00 180,00 180,00 180,00 180,00 180,00 180,00 180,00 180,00 180,00 180,00 Material de expediente 180,00 180,00 180,00 180,00 180,00 180,00 180,00 180,00 180,00 180,00 180,00 180,00 Matéria prima manipulação homeopática 1.700,00 1.700,00 1.700,00 1.700,00 1.700,00 1.700,00 1.700,00 1.700,00 1.700,00 1.700,00 1.700,00 1.700,00 Produtos para revenda 2.500,00 2.500,00 2.500,00 2.500,00 2.500,00 2.500,00 2.500,00 2.500,00 2.500,00 2.500,00 2.500,00 2.500,00 261,00 261,00 261,00 261,00 261,00 261,00 261,00 261,00 261,00 261,00 261,00 261,00 81,00 81,00 81,00 81,00 81,00 81,00 81,00 81,00 81,00 81,00 81,00 81,00 200,00 200,00 200,00 200,00 200,00 200,00 200,00 200,00 200,00 200,00 200,00 200,00 5.602,00 5.602,00 5.602,00 5.602,00 5.602,00 5.602,00 5.602,00 5.602,00 5.602,00 5.602,00 5.602,00 5.602,00 17.705,56 17.705,56 17.705,56 17.705,56 17.705,56 17.705,56 17.705,56 17.705,56 17.705,56 17.705,56 17.705,56 17.705,56 1.200,00 1.200,00 1.200,00 1.200,00 1.200,00 1.200,00 1.200,00 1.200,00 1.200,00 1.200,00 1.200,00 1.200,00 (=) TOTAL DOS CUSTOS + IMPOSTO 18.905,56 18.905,56 18.905,56 18.905,56 18.905,56 18.905,56 18.905,56 18.905,56 18.905,56 18.905,56 18.905,56 18.905,56 (=) SALDO FINAL 31.094,44 32.188,88 33.283,32 34.377,76 35.472,20 36.566,64 37.661,08 38.755,52 39.849,96 40.944,40 42.038,84 43.133,28 Sacola de papel reciclado Sacola plástica (p/kg) Outros custos variáveis (=) CUSTO TOTAL VARIÁVEL TOTAL DOS CUSTOS IMPOSTOS [Apx. 6%/Receita (R$ 20.000,00xmês)]
  45. 45. Projeto de Estrutura Organizacional 45 Sócios Representante Legal / Gerente Recepcionista Operador de Caixa Responsável Técnico / Farmacêutico Auxiliar de Laboratório Auxiliar Serviços Gerais
  46. 46. 46 3.3 Plano dos Recursos Humanos 3.3.1 Ações de Recursos Humanos Inicialmente, a empresa trabalhará com um número reduzido de colaboradores, restringindo-se apenas a: 01 (um) atendente, 01 (um) operador de caixa, 01 (um) auxiliar de laboratório, 01 (um) gerente e 01 (um) farmacêutico. Os serviços de assessoria legal e contábil serão contratados. Visando o cumprimento da Resolução RDC n.º 67/07, da ANVISA, abaixo seguem os requisitos e atribuições de cada cargo: 3.3.2. Descrição da Estrutura Organizacional Todos os funcionários, independente de sua atividade, terão suas responsabilidades e atribuições descritas e compreendidas, conforme descrito a continuação: a) Responsável Técnico (RT - Farmacêutico Responsável): Profissional graduado no Curso de Farmácia Generalista (com registro no Conselho Regional de Farmácia – CRF) e especializado em Manipulação Homeopática Magistral. Responsabilidades:  Conhecer, interpretar, cumprir e estabelecer condições para cumprimento da legislação em vigor;  Especificar, selecionar, inspecionar e armazenar, criteriosamente os medicamentos;  Participar no processo de qualificação de novos funcionários;  Estabelecer critérios e supervisionar o processo de aquisição;
  47. 47. 47  Avaliar a prescrição quanto à concentração e compatibilidade físicoquímica dos componentes, dose e via de administração;  Estabelecer critérios para qualificar fabricantes e fornecedores;  Notificar às autoridades sanitárias sobre desvios de qualidades de insumos farmacêuticos;  Avaliar as prescrições médicas quanto à concentração e compatibilidade físico-química dos componentes, dose e via de administração, forma farmacêutica e grau de risco;  Assegurar o cumprimento das normas técnicas e legais relacionadas com o processo de manipulação homeopática;  Acompanhar a certificação dos fornecedores;  Velar que somente pessoal autorizado e competente manipule os produtos homeopáticos;  Manter arquivo, informatizado ou não, da documentação sanitária;  Manipular as medicações de acordo a prescrição médica e/ou avaliar a correta dosagem;  Determinar o prazo de validade de cada produto farmacêutico e homeopático;  Informar às autoridades sobre ocorrências e efeitos adversos de produtos e medicamentos;  Sugerir e opinar sobre compras de materiais, medicamentos e insumos farmacêuticos.  Guardar e monitorar as substâncias sujeitas a controle especial;  Prestar assistência e orientar os pacientes sobre o consumo de medicamentos;  Fazer inspeções frequentes dos laboratórios onde são produzidos os medicamentos e produtos homeopáticos.
  48. 48. 48 b) Representante Legal (RL) / Gerente Responsabilidades:  Prever e promover os recursos financeiros, humanos e materiais necessários ao funcionamento do estabelecimento;  Estar comprometido com as atividades das Boas Práticas de Dispensação de Medicamentos;  Assegurar as condições para o cumprimento das atribuições gerais de todos os envolvidos, visando prioritariamente à qualidade;  Favorecer e incentivar programas de educação continuada para todos os envolvidos nas atividades realizadas na farmácia;  Comprar os materiais produtivos e não produtivos: medicamentos, embalagens e complementos, materiais de escritório, materiais de limpeza e materiais de informática;  Cotar os preços, condições de pagamento e frete;  Pesquisar novos fornecedores;  Transmitir informações quanto a qualquer contratempo com os materiais produtivos ou não produtivos;  Participar no processo de qualificação de novos fornecedores;  Analisar as sugestões e opiniões do farmacêutico sobre compras e a contratação e/ou demissão de funcionários; c) Recepcionista / Atendente Responsabilidades:  Atender os clientes no balcão;  Executar o orçamento em sistema informatizado;  Conferir os produtos antes da entrega ao cliente;  Solicitar a presença do farmacêutico, quando necessário;
  49. 49. 49  Atender os clientes pelo telefone;  Receber os produtos recebidos e conferir com as notas fiscais;  Organizar os produtos / medicamentos nas prateleiras;  Verificar regularmente a data de validade dos produtos/medicamentos;  Verificar os preços nos produtos/medicamentos e no sistema de informática;  Manter e arrumar as prateleiras, gôndolas e balcões de vidro;  Anotar os produtos/medicamentos em falta, bem como os produtos/medicamentos procurados pelos clientes e ausentes no estoque, ou no mix de produtos. d) Operador de Caixa Responsabilidades:  Operar a caixa registradora;  Conferir os produtos/medicamentos existentes no boleto e na cesta; evitando prejuízos ao cliente ou à farmácia;  Informar as opções de pagamento ao cliente para efetuar a cobrança;  Emitir cupom fiscal;  Empacotar os produtos/medicamentos vendidas. e) Auxiliar de Laboratório  Separar utensílios, equipamentos, vidrarias, matérias-primas, manipulação individual de cada medicamento;  Lavar os utensílios usados na preparação dos medicamentos;  Conferir as requisições, etiquetas, rótulos de matérias-primas;  Fazer assepsia de bancadas e equipamentos;  Envasar as fórmulas;  Organizar os gaveteiros; para
  50. 50. 50  Estar atento às datas de validade das matrizes, insumos inertes e tinturasmãe.  Ajudar o RT no que for necessário para manipulação eficiente dos medicamentos; f) Auxiliar de Serviços Gerais Responsabilidades:  Higienizar e sanitizar todas as áreas da farmácia (internas e externas);  Recolher e dispor o lixo;  Controlar o estoque do material de limpeza;  Solicitar a compra de material de limpeza quando necessário. 3.3.3 Descrição do Fluxograma Funcional a. Recebimento da Receita  O cliente/paciente virá até a empresa trazendo o receituário médico e solicita o medicamento;  O cliente/paciente será atendido pelo recepcionista/balconista e orientado pelo mesmo;  O recepcionista/balconista verificará se a prescrição está sem rasuras na data, na dosagem ou nas substâncias. b. Orçamento  O recepcionista/balconista efetuará o cálculo do preço do medicamento e repassará ao cliente o orçamento para a sua aprovação. c. Solicitação de Aviamento da Prescrição
  51. 51. 51  Uma vez que o cliente/paciente concorda com o orçamento e autoriza o aviamento da receita, o recepcionista/balconista protocolará o pedido e conduzirá o cliente ao caixa para efetuar o pagamento. d. Fluxo do processo de compra  O responsável pelas compras entregará a cotação aos fornecedores, via telefone ou presencial;  Definirá o fornecedor, após a análise das cotações, levará em consideração a lista de fornecedores de produtos/medicamentos qualificados e suas prioridades;  Anotará sempre os pedidos, a quantidade solicitada, a data do pedido e o valor total da nota fiscal, já calculada pela empresa no ato do pedido;  O responsável emitirá e enviará a ordem de compra ao fornecedor;  Realizará o acompanhamento da ordem de compra;  Registrará no próprio documento as eventuais ocorrências. e. Critérios para qualificação de fornecedor/distribuidor  A qualificação de fornecedor/distribuidor estará fundamentada nos critérios abaixo;  O fornecedor deverá possuir licença sanitária;  Estará certificado pela ISO 9000;  Possuirá os elementos para esclarecimento ao cliente, tais como: atendente disponível; linha 0800; declaração de orçamentos com informações precisas; pessoal técnico qualificado (preferencialmente um farmacêutico) para a resolução de questões técnicas, dentre outros;  Procurará reconhecimento do público e da PROCON pela qualidade e idoneidade no fornecimento de materiais a farmácias e drogarias;  Fornecerá laudo técnico da qualidade de todos os materiais fornecidos;  Oferecerá especificações precisas que estejam em conformidade com as
  52. 52. 52 referências internacionais. f. Recebimento e Conferência de produtos/medicamentos  O encarregado da recepção de produtos/medicamentos receberá somente os produtos/medicamentos que estejam acompanhados da nota fiscal;  Informará à gerência a falta de produtos solicitados; g. Armazenamento  O balconista ou responsável pelo armazenamento, após o recebimento dos produtos/medicamentos, armazenará estes em prateleiras próprias, localizadas na recepção ou na área reservada para tal fim;  Classificará os medicamentos pela ação terapêutica e os distribuirá em ordem alfabética;  Revisará periodicamente as condições de conservação das embalagens e etiquetas de identificação e as datas de vencimento dos medicamentos;  Armazenará os medicamentos seguindo as recomendações do fabricante, tais como: sob refrigeração, abrigo da luz, cuidados com a umidade;  Nunca utilizará grampeador para fechar as embalagens. h. Fluxo de Materiais  A empresa utilizará o método de controle de estoque FIFO (First-In/FirstOut), isto é, o primeiro produto que entra é o primeiro que sai, consumindo sempre o lote mais antigo, antes de consumir o mais novo;  Na prateleira, os medicamentos serão dispostos em ordem crescente de validade, ou seja, os de vencimentos primário ficam á frente dos com vencimento posterior. i. Produtos Vencidos
  53. 53. 53  O responsável pelos produtos vencidos separará estes, pelos menos no último dia útil do mês (o em qualquer data específica), conforme exigência da gerência, os deixará em local específico e os identificará;  Informará à gerência sobre as condições dos medicamentos e a quantidade de produtos vencidos. j. Reclamações e/ou Sugestões  O setor de reclamações ou a gerência atenderá prontamente às reclamações e oferece as soluções correspondentes;  O recepcionista/balconista atenderá as reclamações dos clientes e fornecedores e encaminha-as ao gerente, quem tomará as medidas cabíveis;  As sugestões serão anotadas, arquivadas e enviadas à gerência, após o que serão analisadas, discutidas e implantadas, quando couber. k. Devoluções de Produtos/Medicamentos  O setor de devoluções clientes de produtos/medicamentos conferirá o cupão fiscal;  Verificará a data da compra;  Avaliará a Embalagem;  Documentará a devolução de mercadoria, assinado e datado pelo responsável.
  54. 54. 54 Dinamizar – Farmácia de Homeopatia FLUXOGRAMA DE RECEITUÁRIO Registro do Paciente no banco de Dados Conferência das Matrizes Dispensação (Estoque) Rotulagem e Conferência Rotulagem RECEITA Laboratório Separação das Matrizes Envase do Medicamento Manipulação do Medicamento Pesagem ou Separação do Insumo Inerte
  55. 55. Dinamizar – Farmácia de Homeopatia FLUXOGRAMA OPERACIONAL Farmacêutico – Análise de Receita Cliente Receita Caixa Pagamento Entrega Balconista Orçamento
  56. 56. 56 3.4 Planos das Ações de Marketing 3.4.1 Ações de Marketing Conforme Kotler (1998), para alcançar os clientes, cada vez mais exigentes, as empresa devem definir suas ações estratégicas de marketing, de forma a comunicar aos clientes seus produtos e serviços, apresentando seus produtos e serviços como os melhores e mais eficientes do mercado. Considerando isto, a Dinamizar - Farmácia de Homeopatia definirá sua estratégia de marketing em função dos seguintes princípios: 1. Política de promoção dos produtos e sua qualidade O maior diferencial perante a concorrência será que a Farmácia Dinamizar atuará de forma especializada na manipulação homeopática, considerará a tendência do mercado e a vontade de uma população voltada a novos e eficientes produtos farmacêuticos. Dinamizar procurará que se possam atender as necessidades dos clientes de terem uma boa saúde. O farmacêutico será um especialista na matéria e terá qualificação profissional suficiente para desenvolver e garantir novas fórmulas que ofereçam segurança, qualidade e eficiência dos produtos. Munido desta política, a empresa procurará reduzir os custos dos medicamentos e fará que estes tenham um preço acessível à população. Os processos de manipulação serão rigorosamente cumpridos, conforme as normas e orientações estabelecidas pela ANVISA, os quais serão criteriosamente supervisionados por controles internos de qualidade, que garantam cuidado e
  57. 57. 57 atenção em todas as fases, desde a aquisição de matérias-primas selecionadas, até a entrega das fórmulas. O grande diferencial da farmácia de manipulação homeopática será a personalização do medicamento e a sua elaboração artesanal. Aliando os conhecimentos técnicos com os de gestão, os clientes serão atraídos por meio de técnicas de publicidade, por um atendimento personalizado, dignificante e profissional. Será enviado a alguns clientes informação contendo mala direta, contendo informação de valor, mas sem sufocar sua necessidade de informação. Será criado um cadastro contendo os prescritores registrados e autorizados pelo Conselho Regional de Medicina (CRM), com o objetivo de verificar quais são os medicamentos homeopáticos mais recomendados e lucrativos. Com bases nessas informações, serão divulgados, para conhecimento do público, seus usos e benefícios. Outras formas de marketing que a empresa aproveitará estão pautadas na RDC n.° 96, de 17 de dezembro de 2008, que dispõe sobre a propaganda, a publicidade, a informação e sobre outras práticas, cujo objetivo seja a divulgação e promoção comercial de medicamento. A empresa usará a mídia local (jornais, televisão); distribuirá folders, que serão distribuídos em locais estratégicos da cidade, como rodovias, paradas de ônibus; entregará botões e imãs de geladeira. Devido aos extraordinários efeitos da propaganda e a publicidade nos consumidores, a empresa não deixará de lado esse aspecto da comercialização dos produtos e serviços, sempre lembrando trabalhar a sua imagem e diferencial. Assim temos que os produtos da Dinamizar conterão os seguintes elementos informativos, conforme recomendado na RDC n.º 67/07 da ANVISA, que regula todo o relacionado com a rotulagem dos produtos manipulados:  Nome do prescritor;  Nome do paciente;  Data da manipulação  Número de unidades;  Logomarca da empresa;  CNPJ
  58. 58. 58  Endereço da empresa;  Nome do responsável técnico;  Peso ou volumem do produto;  Componentes da formulação;  Posologia;  Prazo de validade. As fórmulas serão identificadas com frases como de alerta, quando necessário, tais como: “Agite antes de usar”; “Uso interno”; “Uso externo”; “Conservar em ambiente fresco”; “Não deixar ao alcance das crianças”; “Perigo”, etc. A Dinamizar também fará uso das páginas web para divulgar seus produtos e serviços, considerando que o acesso à Internet é cada vez mais comum, pelo que empresas especializadas na matéria serão contratadas para divulgar os produtos da empresa e para criar uma página web que ofereça os suportes necessários para divulgação da marca e atendimento aos pedidos dos clientes. Igualmente, a empresa procurará oferecer serviços de entrega domiciliar, atendimento telefônico, orientações via web a dúvidas e necessidades dos clientes.
  59. 59. 59 2. Política de Preço dos Produtos Diferentemente dos produtos industrializados, os oferecidos pela Dinamizar – Farmácia Homeopática se caracterizarão por serem de menor custo e exequíveis à população. A empresa partirá da tese de que os rendimentos e benefícios dar-se-ão em função de uma maior distribuição de medicamentos, sem esquecer a qualidade do produto. A empresa procurará abaratar seus produtos por meio de uma estrita política de cálculo dos custos de produção, estocagem e distribuição, pelo que será preciso um programa especial para análise financeiro. A Dinamizar considerará os três elementos fundamentais que conformam o preço do produto: mão de obra + custo de produção + custo de distribuição e venda. Para conseguir regular os preços, a empresa procurará trabalhar com uma margem de lucro variável (entre 50 e 20%), dependendo do produto, e usará três cenários para determinar o preço do bem: cenário otimista (100%), cenário realista (70%) e cenário pessimista (40%). Porcentuais que serão jogados, principalmente, nos custos variáveis, para conseguir fazer os cálculos que permitam determinar o preço de venda. Para tal fim, a Dinamizar ficará de olho nas variações que sofra o Fluxo de Caixa e o Demonstrativo do Resultado do Exercício (DRE), os quais serão instrumentos de análise financeiro que permitirão ter uma visão sobre o comportamento da economia da empresa, sem esquecer a margem de lucro esperado pelos investidores, pela comunidade e pelos trabalhadores. O propósito da empresa é se estabelecer com firmeza no mercado, pelo que procurará aumentar o número de funcionários na medida que passar o tempo, cumprindo assim com seu propósito social de ajudar ao crescimento da cidade, do Estado e do país. A empresa não deixará de lado a política de desconto, tanto a legal quanto a comercial. A cada certo tempo, alguns produtos serão oferecidos a preços competitivos, a fim de estimular o consumo e atrair o cliente.
  60. 60. 60 CONSIDERAÇÕES FINAIS Na verdade, não é nada fácil preparar um plano de empresa. São uma série de fatores e elementos (internos e externos) que devem ser considerados para poder armar coerentemente um plano de negócios. Na medida do possível, procurou-se atingir os objetivos que foram traçados para esta pesquisa. Foram muitas as consultas a pessoas experientes, literaturas, referências, sites da Internet, para poder ter uma noção sobre este tipo de trabalho. Algumas instituições oferecem orientação profissional, até cursos, para aquelas pessoas que desejam abrir alguma empresa, especialmente relacionada com o ramo da saúde. Este estudo demonstrou que aquele indivíduo com visão empreendedora que desejar se adentrar no mundo comercial ou profissional deve sopesar uma série de fatores: econômico, social, político, cultural, moral, etc., devido a que um erro nos cálculos poderia produzir resultados negativos nos negócios. O empreendedor deve analisar aspectos como: estratégia comercial, marketing, recursos humanos e financeiros, porém, o aspecto humano nunca deve ser desconsiderado por nenhuma empresa. A experiência demonstra que quando uma empresa se esquece do aspecto humano, isto é, o que pensam, desejam e aspiram os clientes ou consumidores, fracassa na tentativa de se estabelecer no mercado. Ademais, abrir um negócio relacionado com a homeopatia pode ter seus riscos, pelo fato desse tipo de negócio ser relativamente novo, é pouco conhecido pelo público. Temos também uma série de fatores externos que interferem no funcionamento da empresa. Muitas empresas não conseguem sobreviver por culpa das incontáveis mudanças do mercado ou por aquelas que são promovidas especialmente pelo governo. Este estudo demonstrou precisamente que para investir em algum negócio, o empresário poderia se valer do modelo que foi considerado aqui, quer dizer o modelo denominado de SWOT, termo que procede do inglês, e que traduzido significa Forças, Fraquezas, Oportunidades e Ameaças. Esta teoria indica que o empresário
  61. 61. 61 deve considerar todos os ângulos (positivos, negativos ou interessantes) na hora de fazer seus estudos. Também, no desenvolvimento da pesquisa observamos que os gestores devem se manter em dia com as notícias, as tendências, os novos estudos e modelos econômicos, porque o sistema é exigente, instável e imprevisível. Se o analista ou profissional que fizer o estudo de mercado não levar em consideração as diferentes vertentes, poderia estar condenando a empresa à falência antes mesmo de começar. Dentre as dificuldades para operacionalizar uma farmácia de homeopatia em Roraima podem-se citar: o custo das matérias-primas, a legislação irregular, a distância da região do resto do país. O pesquisador tem que retratar em algum modelo matemático todas essas vertentes para poder chegar a uma conclusão aceitável e relativamente boa. Afinal, se o mercado não é estático, por que a empresa tem que ser? Por isso, a empresa deve revisar seu planejamento constantemente, já que as oportunidades são menores que as ameaças. Em síntese, o plano de negócio atende aos objetivos propostos e serve de base para estudos mais aprofundados. Também, este estudo oferece uma excelente oportunidade para analisar a viabilidade de abrir uma farmácia de manipulação homeopática na cidade.
  62. 62. 62 REFERÊNCIAS 1) AIUB, George Wilson. Plano de negócios: Serviços. 2.ª edição. Porto Alegre: SEBRAE, 2000. 2) BARBOSA, Mônica de Barros; LIMA, Carlos Eduardo de. A cartilha do ponto comercial: Como escolher o lugar certo para o sucesso do seu negócio. São Paulo: Clio Editora, 2004. 3) BIRLEY, Sue e MUZYKA, Daniel F. Dominando empreendedor. São Paulo: Pearson/Prentice Hall, 2004. 4) COSTA, Nelson Pereira. Marketing para empreendedores: um guia para montar e manter um negócio. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2003. 5) DAUD, Miguel e RABELLO, Walter. Marketing de varejo: Como incrementar resultados com a prestação de Serviços. São Paulo: Artmed Editora, 2006. 6) DOLABELA, Fernando. O segredo de Luísa. 14ª edição. São Paulo: Cultura Editores Associados, 1999. 7) DOLABELA, Fernando. Oficina do empreendedor. São Paulo: Cultura Editores Associados, 1999. 8) DORNELAS, José Carlos Assis. Empreendedorismo: transformando ideias em negócios. 6.ª ed. Rio de Janeiro: Campus, 2001. 9) FILIO, L. J. Empreendedorismo: empreendedores e proprietários-gerentes de pequenos negócios. Revista de Administração. Abr/Jun 1999. os desafios do 10) KOTLER, Philip. Administração de marketing: a edição do novo milênio. 10.ª edição. São Paulo: Prentice Hall, 2000.
  63. 63. 63 11) LAKATOS, Eva Maria; MARCOM, Marina de Andrade. Metodologia científica. São Paulo: Editora Atlas, S.A., 1991. 12) LIMA, A. A. T. F. C. Meta-modelo de diagnóstico para pequenas empresas. Universidade Federal de Santa Catarina – PPGEP. Dissertação, 2001. 13) FONTES, Olney Leite. Farmácia homeopática: Teoria e Prática. Barueri, São Paulo: Editora Manole, Ltda., 2005. 14) PINCHOT III, G. Intrapreneuring: por que você não precisa deixar a empresa para tornar-se um empreendedor. São Paulo: Harbra, 1989. 15) SEBRAE. Informativo balcão do Sebrae. 2001 16) Sebrae-MG. Ponto de partida para início de negócio. Belo Horizonte: Sebrae-MG. 17) SILVA, José Pereira. Análise financeira das empresas. 4ª edição. São Paulo: Atlas, 2006. 18) TONELLI, A. Elaboração de uma metodologia de capacitação aplicada ao estudo das características comportamentais dos empreendedores. Universidade Federal Santa Catarina. 19) ULLMAN, Dana. Homeopatia – Medicina para o Século XXI. Editora Cultrix, 1988. 20) VILANOVA CHUERI, Luciana de O.; MAGNO, Carlos. Metodologia de gerenciamento de projetos no terceiro setor: uma estratégia para condução de projetos. Rio de Janeiro: Editora Brasport, 2008.
  64. 64. 64 ANEXOS Definições Algumas definições gerais relacionadas com o processo de manipulação farmacêutica, da farmácia homeopatia, são as seguintes:  AFE: Autorização de Funcionamento Especial, outorgado pela Agência Federal de Vigilância Sanitária (ANVISA).  Antissepsia: procedimento para a utilização de substâncias capazes de impedir a ação dos microorganismos, pela inativação ou destruição dos mesmos.  Armazenamento / Estocagem: procedimento que possibilita o estoque ordenado e racional de várias categorias de materiais e produtos.  Correlato: substância, produto ou aparelho, cujo uso e aplicação está ligado à defesa e proteção da saúde individual ou coletiva.  DCB: denominação comum brasileira do fármaco ou princípio farmacologicamente ativo, aprovado pelo órgão federal responsável e autorizado pela Vigilância Sanitária.  DCI: denominação comum internacional do fármaco ou farmacologicamente aprovado pela princípio ativo, Organização Mundial da Saúde (OMS).  Dispensação: ato de fornecimento e orientação ao consumidor de drogas, medicamentos, insumos farmacêuticos e correlatos, a título remunerado ou não.
  65. 65. 65  Droga: substância ou matéria-prima que tem finalidade medicamentosa ou sanitária.  Drogaria: estabelecimento de dispensação e comércio de drogas, medicamentos, insumos farmacêuticos e correlatos, em suas embalagens originais.  Especialidade farmacêutica: produto oriundo da indústria farmacêutica, com registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).  Homeopatia: tomado do grego hómoios + páthos (“semelhante” + “doença”). Consiste numa terapia baseada no princípio similia similibus curantur (“os semelhantes curam-se pelos semelhantes”). Consiste em fornecer a um paciente com sintomas doses extremamente diluídas de compostos que são tidos como as causas dos sintomas que se pretendem contrariar.  Licença de Funcionamento: permissão concedida pelo órgão de saúde competente dos Estados, Municípios e/ou Distrito Federal, para o funcionamento de estabelecimento, vinculado à empresa que desenvolva qualquer das atividades enunciadas na legislação pertinente.  Lote ou Partida: quantidade definida de matéria-prima, material de embalagem ou produto, obtido em um único processo, cuja característica essencial é a homogeneidade.  Medicamento: produto farmacêutico, tecnicamente obtido ou elaborado, com finalidades profiláticas, curativas e paliativas ou para fins de diagnóstico.  Número de lote: designação impressa na etiqueta de um medicamento e de produtos submetidos ao regime de vigilância sanitária, que permite identificar o lote ou partida a que pertença.
  66. 66. 66  Perfuro cortante: instrumento que perfura e corta ao mesmo tempo.  Prazo de validade do produto: data limite para utilização de um produto ou medicamento.  Procedimento Operacional Padrão – POP: descrição pormenorizada de técnicas e operações a serem utilizadas na farmácia ou drogaria, visando proteger, garantir a preservação da qualidade das produtos/medicamentos e a segurança dos trabalhadores.  Produto descartável: qualquer produto de uso único e temporário.  Receita: prescrição escrita de medicamento contendo orientação de uso para o paciente, efetuada por profissional legalmente habilitado.  Registro do produto: ato privativo do órgão competente do Ministério da Saúde, destinado a comprovar o direito de fabricação do produto, submetido ao regime de vigilância sanitária.  Responsável Técnico (RT): profissional habilitado inscrito no Conselho Regional de Farmácia (CRF), na forma da lei.  Sanitização: conjunto de procedimentos que visam à manutenção das condições de higiene.
  67. 67. 67 Movimento de Capital Líquido p/ Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Total saldo em caixa 31.094,44 32.188,88 33.283,32 34.377,76 35.472,20 36.566,64 37.661,08 38.755,52 39.849,96 40.944,40 42.038,84 43.133,28 445.366,32
  68. 68. 68 DINAMIZAR – FARMÁCIA DE HOMEOPATIA Resultado da Pesquisa de Mercado Boa Vista / Roraima Ano – 2011
  69. 69. 69
  70. 70. 70
  71. 71. 71
  72. 72. 72
  73. 73. 73
  74. 74. 74
  75. 75. 75
  76. 76. 76
  77. 77. 77
  78. 78. 78
  79. 79. 79
  80. 80. 80
  81. 81. 81

×