Mª Esmeralda Rodrigues - Direitos dos Animais

778 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
778
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
109
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Mª Esmeralda Rodrigues - Direitos dos Animais

  1. 1. • Todos os animais têm direito à vida. • Todos os animais têm direito ao respeito e à proteção do homem. • Nenhum animal deve ser maltratado. • Todos os animais selvagens têm o direito de viver livres no seu habitat. • O animal que o homem escolher para companheiro não deve nunca ser abandonado. • Nenhum animal deve ser usado em experiências que lhe causem dor. • Todo o ato que põe em risco a vida de um animal é um crime contra a vida. • A poluição e a destruição do meioambiente são considerados crimes contra os animais. • Os direitos dos animais devem ser defendidos por lei. • O ser humano deve ser educado desde a infância para observar, respeitar e compreender os animais.
  2. 2. Os animais, sejam grandes ou pequenos, bonitos ou feios,domésticos ou selvagens, têm direito à vida, assim como o direito à liberdade nas suas selvas e nos seus habitats.
  3. 3. Não há direitos sem deveres. Para que os animais tenham direitos, cabe ao serhumano o dever de os proteger. Alguns dos deveres passam porsensibilizar as pessoaspara verem o quanto é injusto este tipo de atrocidades infligidas aos animais.
  4. 4. Um debate sobre direitos dos animais no século XXI, pode sertraçado no passado, na história dos primeiros filósofos. No séculoVI a.C., Pitágoras, filósofo e matemático, já falava sobre respeito animal, pois acreditava na transmigração de almas.
  5. 5. Acreditamos nossentimentos dos animais. É nosso dever e nossaobrigação denunciar todo e qualquer mau trato causado a um animal.
  6. 6. Temos que lutar severamente contra tudo e contratodos para que se pare de uma vez por todas com as atrocidades cometidas contra ao animais.Ninguém poderá continuar a ganhar dinheiro à custa do sofrimento dos animais.
  7. 7. Pobres animais... São touradas, são circos, são testes em laboratórios, lutas ilegais, vidas encarcerados em espaçosminúsculos, nos corredores da morte dos matadouros, entre tantas outras atrocidades. Até quando?
  8. 8. Recentemente, o escândalo que envolveu a Casa Real Espanhola.Leva-nos a não ter grandes dúvidas em classificar de grotesco e boçal o comportamento de Juan Carlos I. A legalidade do ato não está em causa, o que está em causa é a sua moralidade.”Amaldiçoada toda a moralidade que não veja uma unidade essencial em todos os olhos que não enxergam o sol”.
  9. 9. Animais utilizados em guerras Que Barbaridade, que Crueldade... Durante a Segunda Guerra, o exército britânico treinava cachorros para correrem debaixo dos tanques e deixar explosivos em território inimigo.Sem sucesso, a ideia foi abandonada, uma vez que as bombas explodiram tanques aliados. O exército americano, por sua vez, fez com que gatos fossem atirados de aviões, amarrados abombas, para que chegassem até os navios alemães.A experiência foi suspensa porque os felinos ficavam inconscientes com a queda e não alcançavam o território visado.
  10. 10. O problema é a inércia dosportugueses no que diz respeitoaos direitos dos animais. Existemmuitas associações, sempredispostas e prontas a dar o seutestemunho, mas o que falta éativismo. Escrever, comentar,criticar, não chega. Apenas umaonda de ativismo poderá acordara sociedade e despertá-la para acruel realidade em que vivemestes animais. Para que istoaconteça todos contam, todos sãoprecisos.
  11. 11. Vamos animar um pouco. De facto existem animais com muito pouca sorte, mas hátambém outros com vidas de lorde! Ora estou-me a lembrar daqueles animaizinhos de estimação, que para além de terem passado uma boa vida, com família e com tudo o que têm direito (e, por vezes, mais ainda), os seus donos doaram-lhe os seus bens. Pois bem, será caso para dizer uns com tanto e outros sem nada.
  12. 12. DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS DO ANIMAL Preâmbulo Considerando que todo o Animal tem direitos. Considerando que o desconhecimento edesrespeito dos ditos direitos conduziram e continuam a conduzir o homem a cometer crimes contra a natureza e contra os animais.Considerando que o reconhecimento por parte da espécie humana dos direitos àexistência das outras espécies de animais constitui o fundamento da coexistência das espécies no mundo.
  13. 13. Considerando que o homem As imagens dizem tudocomete genocídios e que existaa ameaça de os continuar acometer.Considerando que o respeitopelos animais, por parte dohomem, está relacionado com orespeito dos homens entre elespróprios.Considerando que faz parte daeducação, ensinar, desde ainfância, a observar,compreender, respeitar eamar os animais.
  14. 14. PROCLAMA-SEO SEGUINTE:Artigo 1ºTodos os animais nascemiguais perante a vida e têm osmesmos direitos à existência.Artigo 2ºa) Todo o animal tem odireito de ser respeitado
  15. 15. b) O homem, enquanto espécie animal, não pode atribuir-se odireito de exterminar os outros animais ou de os explorar, violandoesse direito. Tem a obrigação de empregar os seus conhecimentosao serviço dos animais.c) Todos os animais têm direito à atenção, aos cuidados e àprotecção do homem.
  16. 16. Artigo 3ºa) Nenhum animal será submetido amaus trato nem a actos cruéis.b) Se a morte de um animal énecessária, esta deve ser instantânea,indolor e não geradora de angústia.Artigo 4ºa) Todo o animal pertencente a umaespécie selvagem tem o direito de viverlivre no seu próprio ambiente natural,terrestre, aéreo ou aquático, e areproduzir-se.b) Toda a privação de liberdade,incluindo aquela que tenha finseducativos, é contrária a este direito.
  17. 17. Artigo 5ºa) Todo o animal pertencente a uma espécieque viva tradicionalmente em contacto como homem, tem o direito a viver e a crescer aoritmo das condições de vida e liberdade quesejam próprias da sua espécie.b) Toda a modificação do dito ritmo ou dasditas condições, que seja imposta pelohomem com fins comerciais, é contrária aoreferido direito.Artigo 6ºa) Todo o animal que o homem tenhaescolhido por companheiro, tem direito aque a duração da sua vida seja conforme àsua longevidade natural.b) O abandono de um animal é um actocruel e degradante.
  18. 18. Artigo 7ºTodo o animal de trabalho tem direitoa um limite razoável de tempo eintensidade de trabalho, a umaalimentação reparadora e ao repouso.Artigo 8ºa) A experimentação animal queimplique um sofrimento físico epsicológico é incompatível com osdireitos do animal, quer se trate deexperimentações médicas, cientificas,comerciais ou qualquer outra formade experimentação.b) As técnicas experimentaisalternativas devem ser utilizadas edesenvolvidas.
  19. 19. Artigo 9ºQuando um animal é criado para a alimentação humana, deve ser nutrido, instaladoe transportado, assim como sacrificado sem que desses actos resulte para elemotivo de ansiedade ou de dor.Artigo 10ºa) Nenhum animal deve ser explorado para entretenimento do homem.b) As exibições de animais e os espectáculos que se sirvam de animais, sãoincompatíveis com a dignidade do animal.
  20. 20. Artigo 11ºTodo o acto que implique amorte de um animal, semnecessidade, é um biocídio, ouseja, um crime contra a vida.Artigo 12ºa) Todo o acto que implique amorte de um grande número deanimais selvagens é umgenocídio, ou seja, um crimecontra a espécie.b) A contaminação e destruiçãodo ambiente natural conduzemao genocídio
  21. 21. Artigo 13ºa) Um animal morto deve ser tratado com respeito.b) As cenas de violência nas quais os animais são vítimas, devem ser proibidasno cinema e na televisão, salvo se essas cenas têm como fim mostrar osatentados contra os direitos do animal.Artigo 14ºa) Os organismos de protecção e salvaguarda dos animais devem serrepresentados a nível governamental.b) Os direitos dos animais devem ser defendidos pela Lei, assim como o são osdireitos do homem.
  22. 22. Os atos de crueldade e maus-tratos a animaisconfiguram crime ambiental.Sempre que você presenciar uma cena de maus-tratos , avise as autoridades.Os direitos dos animais são garantidos por lei, e asautoridades são obrigadas a proceder àinvestigação dos factos.
  23. 23. Atualmente, a lei que rege os direitos dos animais é a Lei n.º 92/95 de 12 de Setembro, já bastante desatualizada.Urge a criação de uma nova lei, que penalize severamente os criminosos que maltratam os animais.
  24. 24. http://pan.com.pt/ http://pt.wikipedia.org/wiki/Direitos_dos_animaisCURSO EFA - Ano Letivo 2011/2012Esmeralda Rodrigues

×