SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 29
PROFª JANAINA DAL MAS
Seres vivos de uma mesma comunidade relacionam
entre si e com o meio. Tal interação ocorre não só
entre indivíduos da mesma espécie (relações
intraespecíficas), mas também de outras populações
(relações interespecíficas); podendo consistir em
laços benéficos, ou não.

Relações ecológicas podem ser harmônicas ou
desarmônicas. O primeiro caso ocorre quando
ambos os indivíduos são beneficiados; ou apenas
um, mas sem causar dano ao outro. Já o
segundo, quando isto não ocorre.
Relações entre os seres vivos
 Relações harmônicas: benefício mútuo de
  ambos os seres vivos, ou de apenas um, sem
  prejudicar o outro. (+ +) (+ 0)
 Relações desarmônicas: prejuízo de um de seus
  participantes em benefício do outro. (+ - )
 Relações intra-específicas: entre organismos de
  mesma espécie.
 Relações interespecíficas: entre organismos de
  espécies diferentes.
1. Relações Harmônicas
1.1) Relações Harmônicas Intra-específicas
   a. Colônias: Associações harmônicas entre
      indivíduos     de     mesma       espécie
      anatomicamente ligados que em geral
      perderam sua capacidade de viver
      isoladamente. A separação de um
      indivíduo da colônia determina a morte.
   Ex: Fungos, bactérias, corais, caravelas
CRACAS
CORAIS




         FUNGOS    BACTÉRIAS
a.1) Homomorfas ou Isomorfas todos os
indivíduos são iguais e executam as mesmas
funções. Não há divisão do trabalho. Ex.: Colônias
de corais, de cracas (Balanus), certos
protozoários e bactérias.

a.2) Heteromorfas indivíduos com formas e
funções diferentes, ocorre uma divisão do
trabalho. Ex.: Caravelas (Phisalia caravelas)
b. Sociedades: associações de indivíduos de
mesma espécie, organizados de um modo
cooperativo e não ligados anatomicamente.
Mantém unidos graças à estímulos recíprocos
entre eles.
Ex: Cupins, abelhas, formigas
Sociedade das abelhas (Apis mellifera)
• Divisão das castas: operárias, rainha e zangão.
• Cada colméia de abelhas melíferas só tem uma
  rainha adulta. Esta controla as operárias graças à
  secreção de uma substância chamada
  feromônio que inibe o desenvolvimento do
  ovário nas operárias.
• Durante o vôo nupcial, a abelha libera o
  feromônio, que atrai os zangões, e depois é
  fecundada. Dependendo da espécie de
  abelha, a rainha poderá ser fecundada por
  apenas um zangão ou por vários.
• As rainhas e as operárias são diplóides ou 2n. Os
  zangões são haplóides ou n.
1.2) Relações Harmônicas
  Interespecíficas
a. Mutualismo (=simbiose): associação entre
   indivíduos diferentes na qual ambos se
   beneficiam. Eles morreriam se fossem
   separados.

a.1) Liquens – associação mutualística entre algas
e fungos.
Alga realiza fotossíntese e cede ao fungo parte da
matéria orgânica sintetizada.
Fungo protege a alga, além de cede umidade e
sais minerais que absorve.
LIQUENS= ALGA + FUNGO




  Bacteriorrizas        Rhyzobium e raiz de
                            leguminosa
a.4) Cupins e protozoários – O protozoário
Tryconinpha ajuda a digerir a celulose para o
cupim.
a.5) Ruminantes e microrganismo – os
microrganismos ajudam a digerir a celulose
para os ruminantes que são herbívoros.
b. Protocooperação (=mutualismo): associação
entre indivíduos de espécies diferentes em que
ambos se beneficiam, mas cuja coexistência não
é obrigatória.

b.1) paguro-eremita e as anêmonas-do-mar: As
anêmonas dão segurança ao paguro que em
troca locomove a anêmona que está presa em
seu casco.
b.2) pássaro anu e certos mamíferos: o pássaro
alimenta-se de carrapatos e outros bichos
presos na pele dos mamíferos.
b.3) pássaro-pálito e o crocodilo: o pássaro
alimenta-se de restos de comida presos entre os
dentes, livrando o crocodilo de certos parasitas
c. Comensalismo: associação entre indivíduos
diferentes na qual um deles aproveita os restos
alimentares do outro sem prejudicá-lo.
Ex: Tubarão e rêmora, peixe palhaço e anêmona
do mar
Hum!! Estou
entendendo!!!
d. Inquilinismo: associação entre indivíduos de
espécies diferentes em que um deles procura
abrigo ou suporte no corpo do outro, sem
prejudicar.

d.1) Peixe-agulha e a holotúria
d.2) Orquídeas e bromélias que vivem em troncos:
recebem também o nome de epifitismo. Elas
conseguem, vivendo sobre os troncos de árvores, o
suprimento ideal de luz para realizarem a
fotossíntese.
e. Foresia: associação entre indivíduos de espécies
diferentes em que se utiliza do outro para
transporte, sem prejudicá-lo.
2) Relações Desarmônicas
2.1) Relações Desarmônicas Intra-específicas

a) Canibalismo: interação desarmônica onde
   um indivíduo mata e devora outro da mesma
   espécie.
Ex.: Viúva Negra - a fêmea mata e devora o
macho após o ato sexual.
2.2) Relações Desarmônicas
 Interespecíficas
a) Parasitismo: associação entre indivíduos de
espécies diferentes na qual um vive à custa do
outro, prejudicando-o . Eles podem ou não
determinar a morte do hospedeiro.
Ex.: fungos, vírus, bactérias, vermes, etc.
a.1) Holoparasitas: são os vegetais que não
realizam a fotossíntese ou a quimiossíntese.
Parasitam os vegetais superiores, roubando-lhes a
seiva elaborada.
Ex.: cipó-chumbo

  a.2) Hemiparasitas: são os vegetais que, embora
realizando a fotossíntese, retiram do hospedeiro
apenas a seiva bruta. Apresentam nutrição
autótrofa e heterótrofa.
 Ex.: erva-de-passarinho.
b) Predatismo: interação desarmônica na qual
um indivíduo (predador) ataca, mata e devora
outro (presa) de espécie diferente.
b.1) Camuflagem: ocorre quando uma espécie
adquire a mesma cor (homocromia) ou a mesma
forma (homotipia) do meio ambiente.
 Ex.: urso polar, aves e insetos de cor verde, etc.
b.2) Mimetismo: ocorre quando uma espécie
adquire o aspecto da outra.
 Ex.: mariposas imitando vespas, moscas inócuas
imitando abelhas, etc.
c) Amensalismo: interação desarmônica onde uma
espécie produz e libera substâncias que dificultam
o crescimento ou a reprodução de outras podendo
até mesmo matá-las. Ex.: fungos do gênero
penicillium produzem penicilina, antibiótico que
mata bactérias.

d) Esclavagismo ou sinfilia: interação desarmônica
na qual uma espécie captura e faz uso do
trabalho, das atividades e até dos alimentos de
outra espécie. Ex.: relação entre formigas e os
pulgões.
E aí! Tudo explicadinho?
Você entendeu?
Ecologia

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Interações ecológicas
Interações ecológicasInterações ecológicas
Interações ecológicasRaquel Freiry
 
Interaçoes ecológicas
Interaçoes ecológicasInteraçoes ecológicas
Interaçoes ecológicasJoão Marcos
 
Fatores bióticos e abióticos
Fatores bióticos e abióticosFatores bióticos e abióticos
Fatores bióticos e abióticosmmbbss
 
Ecologia-Relações Ecológicas
Ecologia-Relações Ecológicas Ecologia-Relações Ecológicas
Ecologia-Relações Ecológicas Antonio Fernandes
 
Relações ecológicas 2
Relações ecológicas 2Relações ecológicas 2
Relações ecológicas 2XPaulinhaSilva
 
Interações ecológicas
Interações ecológicasInterações ecológicas
Interações ecológicasAna Quijada
 
Factores Bióticos
Factores BióticosFactores Bióticos
Factores BióticosCatir
 
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completaInterações ecologicas completa
Interações ecologicas completaVjezhtitza
 
Relacoes entre os_seres_vivos
Relacoes entre os_seres_vivosRelacoes entre os_seres_vivos
Relacoes entre os_seres_vivosAltair Hoepers
 
Factores bioticos TC_20102011
Factores  bioticos TC_20102011Factores  bioticos TC_20102011
Factores bioticos TC_20102011Teresa Monteiro
 
Relacoes ecologicas
Relacoes ecologicasRelacoes ecologicas
Relacoes ecologicassabrina lima
 
Relações ecológicas 2
Relações ecológicas 2Relações ecológicas 2
Relações ecológicas 2hugocampos2
 
8ºano relações intra-específicas
8ºano relações intra-específicas8ºano relações intra-específicas
8ºano relações intra-específicasMaria Rocha R
 
Relações Ecológicas
Relações EcológicasRelações Ecológicas
Relações EcológicasBellllafarias
 

Mais procurados (20)

Interações ecológicas
Interações ecológicasInterações ecológicas
Interações ecológicas
 
Interaçoes ecológicas
Interaçoes ecológicasInteraçoes ecológicas
Interaçoes ecológicas
 
Fatores bióticos e abióticos
Fatores bióticos e abióticosFatores bióticos e abióticos
Fatores bióticos e abióticos
 
Ecologia-Relações Ecológicas
Ecologia-Relações Ecológicas Ecologia-Relações Ecológicas
Ecologia-Relações Ecológicas
 
Relações ecológicas 2
Relações ecológicas 2Relações ecológicas 2
Relações ecológicas 2
 
RELAÇÕES ECOLÓGICAS
RELAÇÕES ECOLÓGICASRELAÇÕES ECOLÓGICAS
RELAÇÕES ECOLÓGICAS
 
Relações ecológicas
Relações ecológicasRelações ecológicas
Relações ecológicas
 
Interações ecológicas
Interações ecológicasInterações ecológicas
Interações ecológicas
 
Factores Bióticos
Factores BióticosFactores Bióticos
Factores Bióticos
 
Interações ecológicas
Interações ecológicasInterações ecológicas
Interações ecológicas
 
Interações ecologicas completa
Interações ecologicas completaInterações ecologicas completa
Interações ecologicas completa
 
Relacoes entre os_seres_vivos
Relacoes entre os_seres_vivosRelacoes entre os_seres_vivos
Relacoes entre os_seres_vivos
 
Biologia Relações Ecologicas
Biologia Relações EcologicasBiologia Relações Ecologicas
Biologia Relações Ecologicas
 
Factores bioticos TC_20102011
Factores  bioticos TC_20102011Factores  bioticos TC_20102011
Factores bioticos TC_20102011
 
Factores bioticos
Factores bioticosFactores bioticos
Factores bioticos
 
Relacoes ecologicas
Relacoes ecologicasRelacoes ecologicas
Relacoes ecologicas
 
Relações ecológicas 2
Relações ecológicas 2Relações ecológicas 2
Relações ecológicas 2
 
8ºano relações intra-específicas
8ºano relações intra-específicas8ºano relações intra-específicas
8ºano relações intra-específicas
 
Relações Ecológicas
Relações EcológicasRelações Ecológicas
Relações Ecológicas
 
Relações bióticas
Relações bióticasRelações bióticas
Relações bióticas
 

Destaque

Vida e ambiente grupo 4
Vida e ambiente grupo 4Vida e ambiente grupo 4
Vida e ambiente grupo 4marcia683
 
Situação de aprendizagem - Teia alimentar
Situação de aprendizagem - Teia alimentarSituação de aprendizagem - Teia alimentar
Situação de aprendizagem - Teia alimentarrenatafloresta
 
Relações ecológicas, Cadeias e Teias Alimentares
Relações ecológicas, Cadeias e Teias AlimentaresRelações ecológicas, Cadeias e Teias Alimentares
Relações ecológicas, Cadeias e Teias AlimentaresMarcos Medeiros
 
O maravilhoso mundo das abelhas
O maravilhoso mundo das abelhasO maravilhoso mundo das abelhas
O maravilhoso mundo das abelhasescola2011jr
 
Aula Relações Ecológicas
Aula Relações EcológicasAula Relações Ecológicas
Aula Relações EcológicasRosalia Azambuja
 
As abelhas atividades
As abelhas   atividadesAs abelhas   atividades
As abelhas atividadesTonia Souza
 

Destaque (8)

Vida e ambiente grupo 4
Vida e ambiente grupo 4Vida e ambiente grupo 4
Vida e ambiente grupo 4
 
Situação de aprendizagem - Teia alimentar
Situação de aprendizagem - Teia alimentarSituação de aprendizagem - Teia alimentar
Situação de aprendizagem - Teia alimentar
 
Apresent cie ed_fis
Apresent cie ed_fisApresent cie ed_fis
Apresent cie ed_fis
 
Relações ecológicas, Cadeias e Teias Alimentares
Relações ecológicas, Cadeias e Teias AlimentaresRelações ecológicas, Cadeias e Teias Alimentares
Relações ecológicas, Cadeias e Teias Alimentares
 
O maravilhoso mundo das abelhas
O maravilhoso mundo das abelhasO maravilhoso mundo das abelhas
O maravilhoso mundo das abelhas
 
Texto informativo abelhas
Texto informativo  abelhasTexto informativo  abelhas
Texto informativo abelhas
 
Aula Relações Ecológicas
Aula Relações EcológicasAula Relações Ecológicas
Aula Relações Ecológicas
 
As abelhas atividades
As abelhas   atividadesAs abelhas   atividades
As abelhas atividades
 

Semelhante a Ecologia

Relacoes entre-seres-vivos-pdf2
Relacoes entre-seres-vivos-pdf2Relacoes entre-seres-vivos-pdf2
Relacoes entre-seres-vivos-pdf2Eduardo Henrique
 
Ecologia com exercícios
Ecologia com exercíciosEcologia com exercícios
Ecologia com exercícioshelder raposo
 
Aula relações ecológicas
Aula relações ecológicasAula relações ecológicas
Aula relações ecológicasMarcia Bantim
 
Relacoes ecológicas
Relacoes ecológicasRelacoes ecológicas
Relacoes ecológicasEstude Mais
 
Aula Relações Ecológicas - Curso Preparatório - Prof. Ewerthon Gomes.ppt
Aula Relações Ecológicas - Curso Preparatório - Prof. Ewerthon Gomes.pptAula Relações Ecológicas - Curso Preparatório - Prof. Ewerthon Gomes.ppt
Aula Relações Ecológicas - Curso Preparatório - Prof. Ewerthon Gomes.pptEwerthonGomes1
 
Relações ecológicas entre seres vivos
Relações ecológicas entre seres vivos Relações ecológicas entre seres vivos
Relações ecológicas entre seres vivos Vanessa Anzolin
 
Aula Ecologia introdução para o setimo ano
Aula Ecologia introdução para o setimo anoAula Ecologia introdução para o setimo ano
Aula Ecologia introdução para o setimo anoPatriciaZanoli
 
2012_-_relacoes_ecologicas(1).ppt
2012_-_relacoes_ecologicas(1).ppt2012_-_relacoes_ecologicas(1).ppt
2012_-_relacoes_ecologicas(1).pptAna Paula Lapponi
 
Aula 6º e 7º ano BOMM - Relações Ecologicas - Muito BOMMM.ppt
Aula 6º e 7º ano BOMM - Relações Ecologicas - Muito BOMMM.pptAula 6º e 7º ano BOMM - Relações Ecologicas - Muito BOMMM.ppt
Aula 6º e 7º ano BOMM - Relações Ecologicas - Muito BOMMM.pptRodrigoLucas51
 
Interação entre os seres vivos
Interação entre os seres vivosInteração entre os seres vivos
Interação entre os seres vivoswenea
 
Cap 6 um jeito de se virar no ambiente
Cap 6 um jeito de se virar no ambienteCap 6 um jeito de se virar no ambiente
Cap 6 um jeito de se virar no ambienteSarah Lemes
 
Ecologia e sustentabilidade
Ecologia e sustentabilidadeEcologia e sustentabilidade
Ecologia e sustentabilidadeLuciara Andrade
 
8e8d209cd3f44ed453d461abc6dd0561.ppt
8e8d209cd3f44ed453d461abc6dd0561.ppt8e8d209cd3f44ed453d461abc6dd0561.ppt
8e8d209cd3f44ed453d461abc6dd0561.pptDaniPaiva7
 
Aula relações ecológicas
Aula relações ecológicasAula relações ecológicas
Aula relações ecológicasGabriela de Lima
 
Factores bióticos
Factores bióticosFactores bióticos
Factores bióticosTânia Reis
 
129876887788470 relacoes ecologicas
129876887788470 relacoes ecologicas129876887788470 relacoes ecologicas
129876887788470 relacoes ecologicasViviane Godoi
 

Semelhante a Ecologia (20)

Relacoes entre-seres-vivos-pdf2
Relacoes entre-seres-vivos-pdf2Relacoes entre-seres-vivos-pdf2
Relacoes entre-seres-vivos-pdf2
 
Ecologia com exercícios
Ecologia com exercíciosEcologia com exercícios
Ecologia com exercícios
 
Aula relações ecológicas
Aula relações ecológicasAula relações ecológicas
Aula relações ecológicas
 
Relações ecológicas
Relações ecológicasRelações ecológicas
Relações ecológicas
 
Relacoes ecológicas
Relacoes ecológicasRelacoes ecológicas
Relacoes ecológicas
 
Aula Relações Ecológicas - Curso Preparatório - Prof. Ewerthon Gomes.ppt
Aula Relações Ecológicas - Curso Preparatório - Prof. Ewerthon Gomes.pptAula Relações Ecológicas - Curso Preparatório - Prof. Ewerthon Gomes.ppt
Aula Relações Ecológicas - Curso Preparatório - Prof. Ewerthon Gomes.ppt
 
Relações ecológicas entre seres vivos
Relações ecológicas entre seres vivos Relações ecológicas entre seres vivos
Relações ecológicas entre seres vivos
 
3 ano relações ecológicas
3 ano relações ecológicas3 ano relações ecológicas
3 ano relações ecológicas
 
Aula Ecologia introdução para o setimo ano
Aula Ecologia introdução para o setimo anoAula Ecologia introdução para o setimo ano
Aula Ecologia introdução para o setimo ano
 
2012_-_relacoes_ecologicas(1).ppt
2012_-_relacoes_ecologicas(1).ppt2012_-_relacoes_ecologicas(1).ppt
2012_-_relacoes_ecologicas(1).ppt
 
Interacções entre seres vivos
Interacções entre seres vivosInteracções entre seres vivos
Interacções entre seres vivos
 
Aula 6º e 7º ano BOMM - Relações Ecologicas - Muito BOMMM.ppt
Aula 6º e 7º ano BOMM - Relações Ecologicas - Muito BOMMM.pptAula 6º e 7º ano BOMM - Relações Ecologicas - Muito BOMMM.ppt
Aula 6º e 7º ano BOMM - Relações Ecologicas - Muito BOMMM.ppt
 
Interação entre os seres vivos
Interação entre os seres vivosInteração entre os seres vivos
Interação entre os seres vivos
 
Cap 6 um jeito de se virar no ambiente
Cap 6 um jeito de se virar no ambienteCap 6 um jeito de se virar no ambiente
Cap 6 um jeito de se virar no ambiente
 
Ecologia e sustentabilidade
Ecologia e sustentabilidadeEcologia e sustentabilidade
Ecologia e sustentabilidade
 
8e8d209cd3f44ed453d461abc6dd0561.ppt
8e8d209cd3f44ed453d461abc6dd0561.ppt8e8d209cd3f44ed453d461abc6dd0561.ppt
8e8d209cd3f44ed453d461abc6dd0561.ppt
 
Interações ecológicas lara 1ano
Interações ecológicas lara 1anoInterações ecológicas lara 1ano
Interações ecológicas lara 1ano
 
Aula relações ecológicas
Aula relações ecológicasAula relações ecológicas
Aula relações ecológicas
 
Factores bióticos
Factores bióticosFactores bióticos
Factores bióticos
 
129876887788470 relacoes ecologicas
129876887788470 relacoes ecologicas129876887788470 relacoes ecologicas
129876887788470 relacoes ecologicas
 

Mais de eebniltonkucker (15)

Comunicação
ComunicaçãoComunicação
Comunicação
 
Hábitos alimentares e qualidade de vida
Hábitos alimentares e qualidade de vidaHábitos alimentares e qualidade de vida
Hábitos alimentares e qualidade de vida
 
Diet x light
Diet x lightDiet x light
Diet x light
 
Conhecimento geral das diversas lutas
Conhecimento geral das diversas lutasConhecimento geral das diversas lutas
Conhecimento geral das diversas lutas
 
Educaçãofisica
EducaçãofisicaEducaçãofisica
Educaçãofisica
 
Ciclos
CiclosCiclos
Ciclos
 
Anelídeos
AnelídeosAnelídeos
Anelídeos
 
Poriferos
PoriferosPoriferos
Poriferos
 
Introducao
IntroducaoIntroducao
Introducao
 
Tabela comparativa reino animal
Tabela comparativa reino animalTabela comparativa reino animal
Tabela comparativa reino animal
 
Bases cromossomicas da hereditariedade
Bases cromossomicas da hereditariedadeBases cromossomicas da hereditariedade
Bases cromossomicas da hereditariedade
 
Reino fungi
Reino fungiReino fungi
Reino fungi
 
Atividade
AtividadeAtividade
Atividade
 
Atividades 2011
Atividades 2011Atividades 2011
Atividades 2011
 
Linux Educacional - Nilton Kucker
Linux Educacional - Nilton KuckerLinux Educacional - Nilton Kucker
Linux Educacional - Nilton Kucker
 

Ecologia

  • 2. Seres vivos de uma mesma comunidade relacionam entre si e com o meio. Tal interação ocorre não só entre indivíduos da mesma espécie (relações intraespecíficas), mas também de outras populações (relações interespecíficas); podendo consistir em laços benéficos, ou não. Relações ecológicas podem ser harmônicas ou desarmônicas. O primeiro caso ocorre quando ambos os indivíduos são beneficiados; ou apenas um, mas sem causar dano ao outro. Já o segundo, quando isto não ocorre.
  • 3. Relações entre os seres vivos  Relações harmônicas: benefício mútuo de ambos os seres vivos, ou de apenas um, sem prejudicar o outro. (+ +) (+ 0)  Relações desarmônicas: prejuízo de um de seus participantes em benefício do outro. (+ - )  Relações intra-específicas: entre organismos de mesma espécie.  Relações interespecíficas: entre organismos de espécies diferentes.
  • 4. 1. Relações Harmônicas 1.1) Relações Harmônicas Intra-específicas a. Colônias: Associações harmônicas entre indivíduos de mesma espécie anatomicamente ligados que em geral perderam sua capacidade de viver isoladamente. A separação de um indivíduo da colônia determina a morte. Ex: Fungos, bactérias, corais, caravelas
  • 5. CRACAS CORAIS FUNGOS BACTÉRIAS
  • 6. a.1) Homomorfas ou Isomorfas todos os indivíduos são iguais e executam as mesmas funções. Não há divisão do trabalho. Ex.: Colônias de corais, de cracas (Balanus), certos protozoários e bactérias. a.2) Heteromorfas indivíduos com formas e funções diferentes, ocorre uma divisão do trabalho. Ex.: Caravelas (Phisalia caravelas)
  • 7. b. Sociedades: associações de indivíduos de mesma espécie, organizados de um modo cooperativo e não ligados anatomicamente. Mantém unidos graças à estímulos recíprocos entre eles. Ex: Cupins, abelhas, formigas
  • 8. Sociedade das abelhas (Apis mellifera) • Divisão das castas: operárias, rainha e zangão. • Cada colméia de abelhas melíferas só tem uma rainha adulta. Esta controla as operárias graças à secreção de uma substância chamada feromônio que inibe o desenvolvimento do ovário nas operárias. • Durante o vôo nupcial, a abelha libera o feromônio, que atrai os zangões, e depois é fecundada. Dependendo da espécie de abelha, a rainha poderá ser fecundada por apenas um zangão ou por vários. • As rainhas e as operárias são diplóides ou 2n. Os zangões são haplóides ou n.
  • 9. 1.2) Relações Harmônicas Interespecíficas a. Mutualismo (=simbiose): associação entre indivíduos diferentes na qual ambos se beneficiam. Eles morreriam se fossem separados. a.1) Liquens – associação mutualística entre algas e fungos. Alga realiza fotossíntese e cede ao fungo parte da matéria orgânica sintetizada. Fungo protege a alga, além de cede umidade e sais minerais que absorve.
  • 10. LIQUENS= ALGA + FUNGO Bacteriorrizas Rhyzobium e raiz de leguminosa
  • 11. a.4) Cupins e protozoários – O protozoário Tryconinpha ajuda a digerir a celulose para o cupim. a.5) Ruminantes e microrganismo – os microrganismos ajudam a digerir a celulose para os ruminantes que são herbívoros.
  • 12. b. Protocooperação (=mutualismo): associação entre indivíduos de espécies diferentes em que ambos se beneficiam, mas cuja coexistência não é obrigatória. b.1) paguro-eremita e as anêmonas-do-mar: As anêmonas dão segurança ao paguro que em troca locomove a anêmona que está presa em seu casco.
  • 13. b.2) pássaro anu e certos mamíferos: o pássaro alimenta-se de carrapatos e outros bichos presos na pele dos mamíferos.
  • 14. b.3) pássaro-pálito e o crocodilo: o pássaro alimenta-se de restos de comida presos entre os dentes, livrando o crocodilo de certos parasitas
  • 15. c. Comensalismo: associação entre indivíduos diferentes na qual um deles aproveita os restos alimentares do outro sem prejudicá-lo. Ex: Tubarão e rêmora, peixe palhaço e anêmona do mar
  • 17. d. Inquilinismo: associação entre indivíduos de espécies diferentes em que um deles procura abrigo ou suporte no corpo do outro, sem prejudicar. d.1) Peixe-agulha e a holotúria
  • 18. d.2) Orquídeas e bromélias que vivem em troncos: recebem também o nome de epifitismo. Elas conseguem, vivendo sobre os troncos de árvores, o suprimento ideal de luz para realizarem a fotossíntese.
  • 19. e. Foresia: associação entre indivíduos de espécies diferentes em que se utiliza do outro para transporte, sem prejudicá-lo.
  • 20. 2) Relações Desarmônicas 2.1) Relações Desarmônicas Intra-específicas a) Canibalismo: interação desarmônica onde um indivíduo mata e devora outro da mesma espécie. Ex.: Viúva Negra - a fêmea mata e devora o macho após o ato sexual.
  • 21.
  • 22. 2.2) Relações Desarmônicas Interespecíficas a) Parasitismo: associação entre indivíduos de espécies diferentes na qual um vive à custa do outro, prejudicando-o . Eles podem ou não determinar a morte do hospedeiro. Ex.: fungos, vírus, bactérias, vermes, etc.
  • 23. a.1) Holoparasitas: são os vegetais que não realizam a fotossíntese ou a quimiossíntese. Parasitam os vegetais superiores, roubando-lhes a seiva elaborada. Ex.: cipó-chumbo a.2) Hemiparasitas: são os vegetais que, embora realizando a fotossíntese, retiram do hospedeiro apenas a seiva bruta. Apresentam nutrição autótrofa e heterótrofa. Ex.: erva-de-passarinho.
  • 24. b) Predatismo: interação desarmônica na qual um indivíduo (predador) ataca, mata e devora outro (presa) de espécie diferente.
  • 25. b.1) Camuflagem: ocorre quando uma espécie adquire a mesma cor (homocromia) ou a mesma forma (homotipia) do meio ambiente. Ex.: urso polar, aves e insetos de cor verde, etc.
  • 26. b.2) Mimetismo: ocorre quando uma espécie adquire o aspecto da outra. Ex.: mariposas imitando vespas, moscas inócuas imitando abelhas, etc.
  • 27. c) Amensalismo: interação desarmônica onde uma espécie produz e libera substâncias que dificultam o crescimento ou a reprodução de outras podendo até mesmo matá-las. Ex.: fungos do gênero penicillium produzem penicilina, antibiótico que mata bactérias. d) Esclavagismo ou sinfilia: interação desarmônica na qual uma espécie captura e faz uso do trabalho, das atividades e até dos alimentos de outra espécie. Ex.: relação entre formigas e os pulgões.
  • 28. E aí! Tudo explicadinho? Você entendeu?