SUMÁRIOINTRODUÇÃO ...........................................................................................................
4                                INTRODUÇÃO       A vigorexia, transtorno dismórfico muscular ou Síndrome de Adônis, é uma...
5                                  1VIGOREXIA      A      adição       ou      dependência          ao     exercício,     ...
6ou adição. A palavra "adição", em português, é um neologismo técnico que querdizer, de fato, "drogadicção".        O term...
7acompanhadas de severa ansiedade, depressão, fobias, atitudes compulsivas erepetitivas (olhadas seguidas no espelho) e qu...
8assim "incompletos", faz com que eles invistam todas as horas possíveis emexercícios e ginásticas para aumentar sua muscu...
9costumam ser introvertidas e podem, com frequência, rejeitar ou aceitar comsofrimento a própria imagem corporal. Em algun...
10      A situação se agrava quando surge o consumo de esteroides e anabolizantescom o fim de conseguir "melhores resultad...
11gordos que realmente eram, e as pessoas do grupo controle não mostraramnenhuma tal distorção. Estes resultados foram mui...
12sendo este defeito imaginado ou, se uma ligeira anomalia física está realmentepresente,   a   preocupação   do   indivíd...
13                                  CONCLUSÃO      A vigorexia caracteriza-se pela distorção da autoimagem do corpo voltad...
14              REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICASINFOESCOLA, Vigorexia.Disponível em:<http://www.infoescola.com/doencas/vigorexia...
15                        ANEXOSSintoma da vigorexia.
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Ed. física vigorexia

8.896 visualizações

Publicada em

0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.896
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ed. física vigorexia

  1. 1. SUMÁRIOINTRODUÇÃO ............................................................................................................ 41 VIGOREXIA ............................................................................................................. 5 1.1 VIGOREXIA OU SÍNDROME DE ADÔNIS ........................................................ 6 1.2 PERSONALIDADE DA VIGOREXIA ................................................................. 8 1.3 CONSEQUÊNCIAS DA VIGOREXIA ................................................................ 9 1.4 SINTOMAS E PATOLOGIA DA VIGOREXIA.................................................. 10CONCLUSÃO ........................................................................................................... 13REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS ......................................................................... 14ANEXOS ................................................................................................................... 15
  2. 2. 4 INTRODUÇÃO A vigorexia, transtorno dismórfico muscular ou Síndrome de Adônis, é umadoença psicológica caracterizada por uma insatisfação constante com o corpo, queafeta maioritariamente os homens, levando-os à prática exaustiva de exercíciosfísicos. O principal sintoma a vigorexia é o fato de indivíduo estar em ótima formafísica e continuar achando que seu corpo é inadequado, por ser muito fraco. Outrossintomas são: dor muscular persistente por todo o corpo, cansaço ao extremo,irritabilidade, depressão, anorexia/ dieta muito restritiva,Insônia, aumento dafrequência cardíaca ao repouso, menor desempenho durante o contato íntimo,sentimento de inferioridade.
  3. 3. 5 1VIGOREXIA A adição ou dependência ao exercício, chamadade Vigorexia ou Overtraining, em inglês, é um transtorno no qual as pessoasrealizam práticas esportivas de forma continua, com uma valorização praticamentereligiosa (fanatismo) ou a tal ponto de exigir constantemente seu corpo sem importarcom eventuais consequências ou contraindicações, mesmo medicamenteorientadas. Outra patologia solidamente associada à Vigorexia e já presente nasclassificações internacionais é o Transtorno Dismórfico Corporal É bastante curioso observar como as patologias mentais ou, no mínimo, ossintomas mentais evoluem e se transformam ao longo do tempo ou entre as diversasculturas, mostrando-se sensíveis às mudanças socioculturais. Observa-se que aprevalência das Doenças Mentais está absolutamente associada a uma épocadeterminada e a determinados valores culturais. A Vigorexia está nascendo no seio de uma sociedade consumista,competitiva, frívola até certo ponto e onde o culto à imagem acaba adquirindo,praticamente, a categoria de religião. A Vigorexia e, em geral os TranstornosAlimentares exemplificam bem a influência sociocultural na incidência de algunstranstornos emocionais. Com toda certeza, a Vigorexia é uma das mais recentes patologiasemocionais estimuladas pela cultura, e nem foi ainda catalogada como doençaespecífica pelos manuais de classificação (CID.10 e DSM.IV). A Vigorexia, mais comum em homens, se caracteriza por uma preocupaçãoexcessiva em ficar forte a todo custo. Apesar dos portadores desses transtornosserem bastante musculosos, passam horas na academia malhando e ainda assim seconsideram fracos, magros e até esqueléticos. Uma das observações psicológicasdesses pacientes é que têm vergonha do próprio corpo, recorrendo assim aosexercícios excessivos e à fórmulas mágicas para acelerar o fortalecimento, como porexemplo os esteroides anabolizantes. As pesquisas sobre dependência (ou adição) a quaisquer coisas caminham,hoje em dia, através da Psiquiatria, da Psicologia Experimental e da Neurobiologiano sentido de se identificar elementos emocionais e biológicos que contribuem paraalterar o equilíbrio do prazer (homeostasia hedonista), levando assim à dependência
  4. 4. 6ou adição. A palavra "adição", em português, é um neologismo técnico que querdizer, de fato, "drogadicção". O termo Vigorexia, romanticamente chamada de Síndrome de Adônis, foiprimeiramente assim denominado pelo psiquiatra americano Harrisom G. Pope, daFaculdade de Medicina de Harvard, Massachusetts. Os estudos de Pope forampublicados na revista Psychosomatic Medicine com a observação de que cerca deum milhão de norte-americanos entre os nove milhões adeptos à musculação podemestar acometidos pela patologia emocional. Asduas rexias, Anorexia e Vigorexia foram consideradas por Pope como doençasligadas à perda de controle de impulsos narcisistas. Apesar de todas as características clínicas da Vigorexia, vários autores não aconsideram uma nova doença ou uma entidade clínica própria, mas sim, umamanifestação clínica de um quadro já amplamente descrito; o Transtorno DismórficoCorporal. Essa manifestação clínica separada seria o chamado TranstornoDismórfico Muscular (ou Vigorexia). 1.1 VIGOREXIA OU SÍNDROME DE ADÔNISA escravização que as pessoas das sociedades civilizadas se submetem aospadrões de beleza tem sido um dos fatores socioculturais associados ao incrementoda incidência dos Transtornos Dismórficos, sejam Corporais (associadosà Anorexia eBulimia) ou Musculares (Vigorexia). O habitual desejável ao ser humano moderno é estar moderadamentepreocupado com seu corpo, sem que essa preocupação se converta numaobsessão. O ideal desejável e sadio não é o padrão imposto pelas revistas debeleza e pelos modelos publicitários, mas sim, estar satisfeito consigo mesmo eaceitar-se como é. Mas quem, na adolescência não se sentiu complexado algumavez, ao menos pelo tamanho de seu nariz? Quem não sofreu com a acne napuberdade? Tais complexos acabam gerando insegurança social, podem agravar aintroversão e timidez. A atitude mais habitual, apesar de inocente, é acreditar que atimidez e insegurança sociais seriam resolvidas caso a pessoa fosse bela, forte, ummodelo de homem perfeito, um corpo escultural. Nasce aí a obsessão de belezafísica e perfeição, os quais se convertem em autênticas doenças emocionais,
  5. 5. 7acompanhadas de severa ansiedade, depressão, fobias, atitudes compulsivas erepetitivas (olhadas seguidas no espelho) e que conduzem ao chamado TranstornoDismórfico Corporal. O termo Dismorfia Corporal foi proposto em 1886 pelo italiano Morselli. Freuddescreveu o caso "Homem Lobo", uma pessoa que, apesar de ter um excesso depelos no corpo, centrava sua excessiva preocupação na forma e tamanho de seunariz. Ele o via horrível, proeminente e cheio de cicatrizes. Embora exista um grande número de pessoas mais ou menos preocupadascom sua aparência, para ser diagnosticado Dismorfia, deve haver sofrimentosignificativo e uma reiterada obsessão com alguma parte do corpo que impeça umavida normal. Quando esse quadro todo se fixa na questão muscular, havendo umabusca obsessiva para uma silhueta perfeita, o transtorno sechamará Vigorexia ou Transtorno Dismórfico Muscular. A Vigorexia, como vimos pode sersinônima de Dismorfia Muscular (ouTranstorno Dismórfico Muscular) e não é casualidade que o nome Vigorexia rimecom Anorexia. As duas doenças promovem a distorção da imagem que os pacientes têmsobre si mesmos: os anoréxicos nunca se acham suficientemente magros, osvigoréxicos nunca se acham suficientemente musculosos. Ambas podem serconsideradas como "patologias do narcisismo". Alguns autores já estão atribuindo oaparecimento daVigorexia à moda de um estilo de vida tipo "vigilante da praia". Não se trata, simplesmente, de fazer exercícios para receber o diagnósticodeVigorexia. Os exercícios orientados, com indicação médica ou terapêutica,recreativos e de condicionamento continuam sendo muito bem vindos à medicina ena psiquiatria. Entretanto, as pessoas que treinam exaustivamente, não apenas para sesentirem bem, mas para ficarem estupendos e perfeitos, são sérios candidatos aodiagnóstico deVigorexia. Normalmente essas pessoas estão dispostas a manter umadieta rigorosa, a tomar fármacos e a treinar duro para conseguir seu objetivo. Elasperdem a noção de sua própria corporeidade e nunca param ou ficam satisfeitos. Os sintomas da Vigorexia se evidenciam pela obsessão em tornar-semusculosos. Essas pessoas olham-se constantemente no espelho e, apesar demusculosos, podem ver-se enfraquecidos ou distantes de seus ideais. Sentirem-se
  6. 6. 8assim "incompletos", faz com que eles invistam todas as horas possíveis emexercícios e ginásticas para aumentar sua musculatura. Es difícil estabelecer limites entre um exercício saudável e um exercícioobsessivo, mas é bom lembrar que os vigoréxicos, além da musculação continuada,comem de forma atípica e exagerada. Esses pacientes se pesam várias vezes pordia e fazem continuadas comparações com outros companheiros de academia. Adoença vai derivando num quadro obsessivo-compulsivo, de tal forma que eles sesentem fracassados, abandonam suas atividades e se isolam em academias dia enoite. Alguns anoréxicos podem chegar a ingerir mais de 4.500 calorias diárias (onormal para uma pessoa é 2.500), e sempre acompanhado por numerosos eperigosos complementos vitamínicos, hormonais e anabolizantes. Tudo isso é feitocom o propósito de aumentar a massa muscular, mesmo tendo sido alertadosquanto aos graves efeitos colaterais desse estilo de vida. A Vigorexia deve ser considerada um transtorno da linhagem obsessivo-compulsiva, tanto pela obsessão em musculatura, pela compulsão aos exercícios eingestão de substâncias que aumentam a massa muscular, quanto pela fragrantedistorção do esquema corporal. Todavia, apesar de ser clinicamente característica, a Vigorexia não está aindaincluída nas classificações tradicionais de transtornos mentais (CID.10 e DSM.IV),embora possa ser considerada uma espécie de Dismorfia Corporal, já que também éconhecida com o nome de Dismorfia Muscular. 1.2 PERSONALIDADE DA VIGOREXIAPodemos encontrar, entre portadores de Vigorexia, pessoas que só buscam a figuraperfeita, influenciadas por modelos culturais atuais, ou esportistas que queremobsessivamente chegar a serem os melhores, exigindo insensatamente de seuorganismo até sua meta ser alcançada. Recentemente temos visto também, entre osvigoréxicos, pessoas portadoras de personalidade introvertida, cuja timidez ouretraimento social favorece uma busca do corpo perfeito como compensação aossentimentos de inferioridade. Estas pessoas possuem alguns traços característicos de personalidade,costumam ter baixa autoestima e muitas dificuldades para integrar-se socialmente,
  7. 7. 9costumam ser introvertidas e podem, com frequência, rejeitar ou aceitar comsofrimento a própria imagem corporal. Em alguns casos, a obsessão com o própriocorpo se parece muito com o mesmo fenômeno observado na anorexia nervosa. O fisiculturismo é um dos esportes que mais comumente se relaciona comeste tipo de transtorno, mas isso não significa que todos os fisiculturistastenham Vigorexia. Os vigoréxicos praticam seus esportes e ginásticas sem levar emconta ou sem se importarem com as condições climáticas, condições físicaslimitadoras ou mesmo inadequações circunstanciais do dia-a-dia, chegando asentirem-se incomodados ou culpados quando não podem realizar essas atividades. Os critérios de diagnóstico para a Vigorexia ainda não estão claramenteestabelecidos por tratar-se de um transtorno tornado frequente mais recentemente,possivelmente depois da última edição do CID.10 e DSM.IV, portanto, ainda nãoreconhecido como um uma doença clássica e característica pelas classificaçõesinternacionais. 1.3 CONSEQUÊNCIAS DA VIGOREXIAUma das consequências da vigorexia ou overtraining, dizem respeito ao excesso detreinamento e às reações corporais que avisam, por assim dizer, que algo estáerrado. São reações semelhantes ao estresse tais como: insônia, falta de apetite,irritabilidade, desinteresse sexual, fraqueza, cansaço constante, dificuldade deconcentração entre outras. Além da obsessão com o corpo perfeito, a Vigorexia também produz umaimportante mudança nos hábitos e atitudes dos pacientes, notadamente na questãoalimentar. Até a mínima caloria ingerida será contabilizada e medida com máximaatenção, pois a beleza corporal dependerá disso. A vida do anoréxico gira em tornodos cuidados com seu corpo, sua dieta é minuciosamente regulada, eliminando-setotalmente as gorduras e, ao contrário, consumindo-se excessivamente as proteínas.Esse desequilíbrio alimentar acaba por sobrecarregar o fígado, obrigando-o adesempenhar um trabalho extra. A Vigorexia causa problemas físicos e estéticos, como por exemplo, adesproporção displásica, também entre o corpo e cabeça, problemas ósseos earticulares devido ao peso excessivo, falta de agilidade e encurtamento de músculose tendões.
  8. 8. 10 A situação se agrava quando surge o consumo de esteroides e anabolizantescom o fim de conseguir "melhores resultados". O consumo destas sustânciasaumenta o risco de doenças cardiovasculares, lesões hepáticas, disfunções sexuais,diminuição do tamanho dos testículos e maior propensão ao câncer da próstata. Emocionalmente, segundo estudos de Pope, a Vigorexia pode ter comoconsequência um quadro de Transtorno Obsessivo-Compulsivo, fazendo com queos pacientes se sintam fracassados e abandonem suas atividades sociais, inclusivede trabalho, com o propósito de treinar e exercitar-se sem descanso. Costuma haver algum grau significativo de comprometimento social e/ouocupacional nos pacientes portadores de Vigorexia, e sua qualidade de vida podeser agravada ainda por procedimentos potencialmente iatrogênicos e onerosos,como tratamentos cirúrgicos e dermatológicos desnecessários. 1.4 SINTOMAS E PATOLOGIA DA VIGOREXIAPsiquiatricamente o quadro mais diretamente associado à Vigorexia é achamadaDismorfia Muscular (ou Transtorno Dismórfico Muscular), uma patologiapsíquica das pessoas excessivamente preocupadas com a própria aparência,constantemente insatisfeitas com seus músculos e continuadamente em obsessivabusca da perfeição. O sintoma central parece ser uma distorção na percepção do próprio corpo edeste sintoma decorrem os demais, como por exemplo, a obsessão pelos exercíciose dietas especiais. Esse tipo de sintoma básico (percepção distorcida do própriocorpo) também é o sintoma principal dos transtornos alimentares. Estudos compararam 27 homens com diagnóstico de transtorno alimentar(sendo 17 com anorexia nervosa e 10 com bulimia nervosa), com 21 atletasmasculinos e 21 homens normais não atletas, usando um teste computadorizado daimagem do corpo, o "matrix somatomorphic". Quando era pedido para todos elesescolherem o corpo ideal que gostariam de ter, os homens com transtornosalimentares selecionaram uma imagem com a gordura de corpo muito próximaàquela escolhida pelos homens atletas e do grupo de controle. Entretanto, havia grande diferença entre esses grupos quanto à percepção daimagem corporal, principalmente no tanto de gordura que a pessoa acredita ter. Oshomens com transtornos alimentares se percebiam ser quase duas vezes mais
  9. 9. 11gordos que realmente eram, e as pessoas do grupo controle não mostraramnenhuma tal distorção. Estes resultados foram muito semelhantes aos estudosrealizados com mulheres portadoras de anorexia e bulimia, as quais tambémmostram uma percepção anormal da gordura corporal. Há, nos vigoréxicos, uma inclinação patológica para o que se considera oprotótipo do homem moderno, supostamente (e erroneamente, segundo pesquisade Pope) desejável pelas mulheres. Há uma busca obsessiva em se tornar o modelode homem, com um corpo fibroso, definido, musculoso, e devidamente glorificadopela televisão, pelo cinema, pelas revistas e passarelas de moda.A Vigorexia representa bem a sociedade onde "uma imagem vale mais que milpalavras", tornando os homens obcecados por seus corpos perfeitos. A mesma preocupação e distorção com o esquema corporal constatadona Anorexia observam-se na Vigorexia. Na Anorexia as pacientes - geralmentemulher - acham-se ainda gordas, apensar de notavelmente magras e, na Vigorexia,acham-se fracas, apesar de notavelmente musculosas. O problema é mais comum ter início na adolescência, período onde,naturalmente, as pessoas tendem a ser insatisfeitas com o próprio corpo e sesubmetem exageradamente aos ditames da cultura. Na adolescência existe umapressão para as meninas se manterem magras e uma cobrança para que osmeninos fiquem fortes e musculosos. A importância da identificaçãoda Vigorexia precocemente é no sentido de evitar que os adolescentes façam uso dedrogas para obter os resultados desejados (ou fantasiados). A Dismorfia Muscular é uma espécie de subdivisão de um quadro maisabrangente chamado de Transtorno Dismórfico Corporal, definido como umapreocupação com algum defeito imaginário na aparência física numa pessoa comaparência normal. ADismorfia Muscular seria uma alteração na percepção doesquema corporal especificamente referente à estética muscular do corpo e não umdefeito na percepção imaginária qualquer do corpo . Os quadros mais comunsno Transtorno Dismórfico envolvem, principalmente, preocupações com defeitosfaciais ou outras partes do corpo, cheiro corporal e aspectos da aparência. Quandodiz respeito à visão distorcida e irreal da estética muscular falamos em DismorfiaMuscular. A característica essencial do Transtorno Dismórfico Corporal (historicamenteconhecido como Dismorfofobia) é uma preocupação com um defeito na aparência,
  10. 10. 12sendo este defeito imaginado ou, se uma ligeira anomalia física está realmentepresente, a preocupação do indivíduo é acentuadamente excessiva edesproporcional.
  11. 11. 13 CONCLUSÃO A vigorexia caracteriza-se pela distorção da autoimagem do corpo voltadapara a questão da força. Os indivíduos vigoréxicos usualmente se descrevem comofracos, pequenos, mesmo tendo desenvolvido musculatura acima da média. Oresultado é que acabam desenvolvendo a dependência pelo exercício físico e umaespécie de obsessão pelo corpo musculoso, uma vez que nunca se satisfazem coma condição em que se encontram, ou seja, nunca se sentem suficientemente fortesou musculosos. As causas da vigorexia são psicológicas, mas acredita-se que possa haveralguma relação com os neurotransmissores do sistema nervoso central, pois algunscasos de vigorexia foram precedidos por doenças como meningite ou encefalite. Com o passar do tempo, a vigorexia pode gerar consequências danosas aoorganismo como insuficiência renal, hepática; problemas de circulação sanguínea edepressão.Se houver abuso do uso de anabolizantes, pode haver doençascardiovasculares envolvidas, câncer de próstata e diminuição do tecido testicular.
  12. 12. 14 REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICASINFOESCOLA, Vigorexia.Disponível em:<http://www.infoescola.com/doencas/vigorexia.htm>.Acesso em 31 de out. 2012.BRASIL ESCOLA, Vigorexia.Disponível em:<http://www.brasilescola.com/psicologia/vigorexia.htm>.Acesso em 31 de out. 2012.PSIQWEB, Vigorexia.Disponível em:<http://www.psiqweb.med.br/site/?area=NO/LerNoticia&idNoticia=94.htm>.Acesso em 31 de out. 2012.
  13. 13. 15 ANEXOSSintoma da vigorexia.

×