SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 92
Baixar para ler offline
Fundamentos de Empreendedorismo


        Curso de Tecnologia em Hotelaria
                   NUCAN-UCS
              Prof. Eduardo Faraco
Ementa:

   Conceitos de Empreendedor e
    empreendedorismo, o perfil da micro e
    pequena empresa no Brasil,
    identificação e avaliação de
    oportunidades, elaboração de plano de
    negócios
Objetivo da Disciplina:

   A disciplina é destinada, a desenvolver
    a capacidade, empreendedora dos
    alunos, estimulando e dando
    ferramentas aqueles cuja vocação e ou
    vontade profissional estiver direcionada
    a criação de empresas.
Conteúdo Programático:
   Introdução ao Empreendedorismo,
    Motivação, Mitos e Realidade, Perfil
    Empreendedor(09-08)
   A Realidade de Micro e Pequena Empresa no
    Brasil e Incubadoras de Empresas(16-08)
   Processo Empreendedor(06-09)
   Idéias X Oportunidades, Caracteristicas,
    Fontes, Avaliação(04-10)
   Plano de negócios, O Que é, Porque
    Escrevê-lo, Importância, a quem se
    destina, Estrutura e Elaboração do
    Plano(18-10 e 01-11)
Metodologia

   Aulas Expositivas
   Estudos de caso
   Apresentação de vídeos
   Elaboração do plano de negócios
Formas de Avaliação

   80% elaboração de plano de
    negócios(08/11) e avaliações
    intermediárias;
   20% participação em aula
Bibliografia:
   Oficina do Empreendedor – Fernando Dolabela (B)
   Empreendedorismo – Transformando idéias em negócios – José
    Carlos Dornelas(B)
   O Empreendedor – Fundamentos da Iniciativa Empresarial –
    Ronald Degen(B)
   Empreendedorismo – Dando asas ao espirito empreendedor –
    Idalberto Chiavenato(B)
   O segredo de Luísa – Fernando Dolabela (Comp.)
   Manual de Gestão Empresarial – Sérgio Bulgacov (Comp.)
   O relatório Popcorn – Feith Popcorn (Comp.)
   A vez do sonho – Fernando Dolabela (Comp.)
Sites:
   www.planodenegocios.com.br
   www.empreendedor.com.br
   www.portaldoempreendedor.com.br
   www.dolabela.com.br
   www.bte.com.br
   www.entrepreneur.com
   www.widebiz.com.br
   www.geranegocio.com.br
   www.ibge.gov.br
   www.endeavor.org.br
“Tudo o que podia ser inventado já o
                foi.”



 Charles H. Duell, Diretor do Departamento de
     Patentes dos Estados Unidos em 1899 ao
 propor o fechamento da seção de registro de
                               novas patentes.
   “Todo empreendedor
    necessariamente deve ser um bom
    administrador para obter sucesso,
    no entanto, nem todo bom
    administrador é um
    empreendedor.”

    DORNELAS
O empreendedorismo é uma revolução
      silenciosa, que será para o século 21 mais
      do que a revolução industrial foi para o
      século 20.”

                                           Timmons, Jefrey A.,
                       New Venture Creation, Irwin, Boston, USA



   Previsão: Em 5 anos apenas 20 % da
    população economicamente ativa será
    constituída de empregados ( ABRH);
   A liderança é um lugar de solidão por
    isso é melhor que você saiba porque
                   está lá.
Motivação para o empreendedorismo:
   Grande mudança nos conceitos de trabalho e
    emprego no mundo atual;
   Redução na capacidade de absorção de mão
    de obra pelas empresas - Downsizing
    Organizacional;
   Introdução de inovações tecnológicas;
   Terceirização
   Eliminação do vínculo
    empregatício(cooperativas, prestação de
    serviços)
Análise Histórica
   Na Idade Média: empreendedor era
    quem gerenciava grandes projetos de
    produção, sem assumir grandes riscos;

   Século XVII: firmou-se a relação entre
    assumir riscos e empreendedorismo,
    através de acordo para realizar algum
    serviço ou fornecer produtos.
   Século XVIII: foi finalmente
    estabelecida diferença entre o
    capitalista e o empreendedor:

   Século XXI e XX: houve a vinculação
    entre empreendedor e inovador, como
    agente de mudança.
Definições do termo “Empreendedor e
Empreendedorismo”
(Áurélio B Holanda)



   empreender: [do latin imprendere]
    1.Deliberar-se a praticar, propor-se, tentar
    (empresa laboriosa e difícil). 2.Por em
    execução
   empreendimento: 1. Ato de empreender.
    2. Efeito de empreender; aquilo que se
    empreendeu e levou a cabo; empresa;
    realização; cometimento.
   empreendedor: 1. Que empreende; ativo;
    arrojado; cometedor.
Definições do termo “Empreendedor e
Empreendedorismo”
(Dicionário de Ciências Sociais)

   O termo empreendedor denota a
    pessoa que exercita total ou
    parcialmente as funções de:
       a) iniciar, coordenar, controlar e instituir
        maiores mudanças no negócio de empresa
        e/ou,
       b) assumir riscos nessa operação que
        decorrem da natureza dinâmica da
        sociedade e do conhecimento imperfeito do
        futuro e que não pode ser convertido em
        certos custos através de transferência,
        cálculo ou eliminação.
EMPREENDEDORISMO


 Say    Schumpete
(1800)       r
                      Timmons
  Kirzner (1949)
            Filion      (1994)
  (1973)   (1991)                  Garcia
                     Dolabela      (2003)
  Hornaday            (1999)
   (1982)                        Melo Neto
                                  (2003)
   Empreendedor: É alguém que define, o
    que vai fazer e em que contexto vai ser
    feito. Ao definir, o que vai fazer ele leva
    em conta, seus sonhos, desejos,
    preferências e o estilo de vida que
    deseja ter. Desta forma consegue se
    dedicar intensamente.
   Empreendedorismo: É o estudo relativo
    ao empreendedor, seu perfil, suas
    origens, seu sistema de atividades, seu
    universo de atuação.
   Empresário:É a condição jurídica do
    indíviduo, que foi aos orgãos públicos, e
    registrou uma empresa em seu nome.
Mas, nesses estudos, encontram-se,
pelo menos os seguintes aspectos:

   iniciativa e visão para criar algo novo e
    paixão pelo que faz;
   utiliza os recursos de forma criativa
    transformando o ambiente social e econômico
    onde vive; e
   aceita assumir riscos e a possibilidade de
    fracassar.
   utiliza os recursos de forma criativa
    transformando o ambiente social e econômico
    onde vive
Comunidad
                   e Local
Empresas                          Órgãos
                                 públicos
                 Atuação dos
               empreendedores

Cooperativas                    Instituições
     e                           de ensino
associações        ONG’s
Alguns Dados:
   Empregados têm em geral 3 vezes mais vontade de
    se aposentarem em relação aos empresários que
    dirigem seu próprio negócio.
   Empresários sentem-se bem consigo mesmos, com o
    trabalho e com a recompensa financeira. Têm os
    mais altos níveis de satisfação, desafio, orgulho e
    remuneração.
   A vasta maioria dos 2 milhões de milionários (em
    2002) acumularam a sua fortuna através de
    empreendimentos criados por eles mesmos !
   90% ou mais dos fundadores começaram
    suas empresas no mesmo mercado,
    tecnologia e ramo que eles trabalhavam
   Fundadores têm 8 a 10 anos de experiência
   Têm boa formação
   Têm larga experiência em produtos/mercados
    em áreas funcionais
   Fundam empresas quando tem entre 30 e 40
    anos
   Têm alto grau de satisfação
   Nos USA o volume de novas empresas
    criadas por mulheres cresce mais que
    as empresas criadas por homens.
   Cada vez mais as pessoas não querem
    aposentar, mas iniciar segunda carreira
    em pequenas empresas, de preferencia
    empresas próprias.
. Mito 1 - Empreendedores não são feitos,
nascem

   Realidade - A capacidade criativa de
    identificar e aproveitar uma oportunidade
    vem depois de 10 anos de experiência que
    conduz a um reconhecimento de padrões.
    O empreendedor é feito através da
    acumulação das habilidades, know-how,
    experiência e contatos em um período de
    anos
Mito 2 - Qualquer um pode começar um
negócio

   Realidade - Os empreendedores que
    reconhecem a diferença entre idéia e
    oportunidade e pensam grande o
    suficiente, têm maiores chances de
    sucesso. A parte mais fácil é começar.
    Difícil é sobreviver. Talvez somente 1
    entre 10 a 20 novas empresas que
    sobrevivem 5 anos ou mais, conseguem
    obter ganhos de capital.
Mito 3 - Empreendedores são jogadores

   Realidade - Empreendedores de
    sucesso assumem riscos calculados,
    minimizam riscos, tentam influenciar a
    sorte.
Mito 4 - Empreendedores querem o espetáculo
só para si

   Realidade - O empreendedor
    individual geralmente ganha a vida. É
    difícil ter um negócio de alto potencial
    sozinho. Os empreendedores de
    sucesso constróem uma equipe. Acham
    que 100% de nada é nada. Eles
    trabalham para aumentar o bolo, ao
    invés de tirar a maior parte dele
Mito 5 - Empreendedores são os seus próprios
chefes e completamente independentes.

   Realidade - Está longe de ser independente
    e serve muitos senhores (sócios, investidores,
    clientes, fornecedores, empregados,
    credores, família).
Mito 6 - Empreendedores trabalham mais
tempo e mais duro do que gerentes em grandes
empresas

   Realidade - Não há evidências nas
    pesquisas, cujos resultados às vezes
    dizem que sim, às vezes que não.
Mito 7 - Empreendedores experimentam
grande stress e pagam alto preço
empreendedores preferem não aposentar-se
em uma razão de 3 por 1 com os empregados)

   Realidade - É verdade, mas não mais
    que em outras profissões. Mas eles
    acham o seu trabalho mais gratificante.
    São mais ricos e não querem
    aposentar-se ( Os empreendedores
    preferem não aposentar-se em uma
    razão de 3 por 1 com os empregados.
Mito 8 - Começar um negócio é arriscado
e freqüentemente acaba em falência.

   Realidade - Os empreendedores
    talentosos e experientes (que sabem
    identificar e agarrar oportunidades e atrair
    os recursos financeiros e outros)
    freqüentemente alcançam o sucesso. Além
    disso, a empresa entra em falência, mas o
    empreendedor não. A falência é, muitas
    vezes, o fogo que tempera o aço da
    experiência de aprendizado do
    empreendedor
Mito 9 - O dinheiro é o mais importante
ingrediente para começar-se o negócio

   Realidade - Se as outras partes e talentos
    existirem, o dinheiro virá. Não quer dizer que se
    o empreendedor tem dinheiro vá ter sucesso. O
    dinheiro é um dos ingredientes menos
    importantes. É, para o empreendedor, o que o
    pincel e a tinta são para o pintor: ferramenta
    inerte que, nas mãos certas, podem criar
    maravilhas. Mesmo depois de ter feito alguns
    milhões de dólares, um empreendedor irá
    trabalhar incessantemente em uma nova visão
    para construir outra empresa.
Mito 10 - Empreendedores devem ser novos e
com energia

   Realidade - Idade não é barreira. A
    idade média de empreendedores de
    sucesso (Higher potential business) é
    perto dos 35, mas há numerosos
    exemplos de empreendedores de 60
    anos de idade. O que é importante:
    know-how, experiência e relações.
Mito 11 - Se o empreendedor é talentoso, o
sucesso vai acontecer em um ou dois anos

   Realidade - Raramente um negócio
    tem solidez em menos de 3 ou 4 anos.
    Máxima entre os capitalistas de risco: “o
    limão amadurece em 2,5 anos, mas as
    pérolas levam 7 ou 8.
   Formar um empreendedor ?
       ou despertá-lo - motivá-lo !
   Em geral 30 % dos alunos submetidos a um
    programa se tornam empresários;
   Destaque na formação empreendedora como
    um diferencial competitivo do profissional
    mesmo para aquele que vai para o mercado
    de trabalho - mudança de postura;
O Perfil do Empreendedor: Algumas
das características mais marcantes

   Autoconfiança: Ter consciência de seu valor,
    sentir-se seguro em relação a si mesmo, e
    com isso poder agir com firmeza e
    tranquilidade;
   Automotivação: Poder buscar a realização
    pessoal através do trabalho, com, com
    entusiasmo e independência;
   Comunicação: Capacidade para transmitir e
    expressar, pensamentos e emoções com
    clareza e objetividade
   Criatividade: Capacidade de buscar soluções
    viáveis e adequadas para a resolução de
    problemas;
   Flexibilidade: Capacidade para compreender
    situações novas, estar disponível para rever
    posições, aprender
   Energia: força vital que comanda as ações
    dos indíviduos(“pique”)
   Iniciativa: Capacidade de agir de maneira
    oportuna e adequada sobre a realidade,
    apresentando soluções, influenciando
    acontecimentos e se antecipando as
    situações;
   Integridade: Qualidade do caráter ligada a
    retidão, de principios, imparcialidade,
    honestidade, coerência e
    comprometimento(com as pessoas, com o
    negócio e consigo mesmo)
   Liderança: Capacidade para mobilizar as
    energias, de um grupo, de forma a
    atingir objetivos,a através de uma
    relação de parceria, estimulando, o
    crescimento das pessoas num clima de
    motivação e moral elevados.
   Negociação: Capacidade para fazer
    acordos cooperativos, como meio de
    obter o ajustamento de interesses entre
    as partes envolvidas;
   Perseverança: Capacidade de manter-se
    firme e constante em seus propósitos,
    porém sem perder a objetividade e
    clareza frentes as situações;
   Convencimento: Habilidade para apresentar
    suas idéias e argumentos de maneira
    convincente;
   Planejamento: Capacidade para mapear o
    meio ambiente, analisar recursos e condições
    existentes, buscando estruturar uma visão de
    longo prazo dos rumos a serem seguidos
    para se atingir os objetivos
   Relacionamento Interpessoal:Habilidade
    de conviver e interagir adequadamente
    com as outras pessoas;
   Resistência a frustração: Capacidade de
    suportar situações de não satisfação de
    necessidades pessoais ou profissionais,
    sem se comportar de maneira
    derrotista, negativa ou confusa.
   Sensibilidade Administrativa:
    Capacidade para perceber, identificar e
    avaliar variações diversas nas pessoas,
    no ambiente e nos processos, podendo
    assim, interferir de maneira oportuna
    buscando soluções adequadas para a
    prevenção ou eventualmente a correção
    de problemas.
   Planejamento e monitoramento
    sistemáticos: Planeja dividindo tarefas
    de grande porte em subtarefas com
    prazos definidos. Constantemente
    revisa seus planos levando em conta os
    resultados obtidos e mudanças
    circunstanciais. Mantém registros
    financeiros e utiliza-os para tomar
    decisões
Principais motivações para iniciar o
empreendimento
       Quadro 3 - Fatores motivacionais importantes para pensar em se tornar empr
EMPREENDEDORISMO POR
OPORTUNIDADE E POR NECESSIDADE,
SEGUNDO PAÍSES - 2001
Síndrome do Empregado
   É dependente no sentido de que necessita alguém
    para se tornar produtivo
   Descuida de outros conhecimentos que não sejam
    aqueles voltados a sua área de atuação
   Não se preoucupa em transformar as vontades dos
    clientes em produtos-serviços
   Não sabe “ler” o ambiente externo
   Mais faz do que aprende,

   OU
Qual a forma mais eficiente de conduzi-lo
a um ideal
   Conseguindo um emprego, ou
   Trabalhando por conta própria

Se você respondeu a segunda opção, quais são suas
  características
- Como gosta de usar o tempo
- Voce teria o apoio de sua família
- O que as pessoas dizem que vc sabe fazer bem
- Qual seu potencial profissional(conhecimento ou
  habilidades)
- Quanto tempo vc dedicaria a sua empresa
   Experiência e saber uma quantidade de
       coisas que você não deve fazer.
Empreendedorismo no Brasil

   GEM Global Entrepreneuship Monitor
   Empreendedorismo 2003

   Pesquisa 31 países e constatou que o Brasil:

       SEXTO PAÍS EM EMPREENDEDORISMO DO MUNDO
            53% POR OPORTUNIDADE;
            43% POR NECESSIDADE
       ÚLTIMO LUGAR NO QUESITO “BARREIRAS À
        ENTRADA NO MERCADO
        (CUSTOS, CONCORRÊNCIA E LEGISLAÇÃO)
       28º LUGAR NA EFETIVIDADE DE POLÍTICAS
        GOVERNAMENTAIS (NAS 3 ESFERAS)
   MPE no Brasil

   72% dos CNPJ

   Mortalidade das empresas, três primeiros anos
    de vida:
            Microempresas:                50%
            Pequenas e médias:            30%
            Grandes:                      15%
   99% dos estabelecimentos (IBGE)

   De 1995 a 2000
        saldo líquido de postos de trabalho 1.429.652 novos
        postos;
        1.400.000 foram originados nos pequenos negócios
        (BNDES, 2002)

   Produz 20% do PIB

   Responde por 12% das exportações (Funcex)-
    EUA(20%) e Japão(35%)
   Setor informal

   Empresas do setor informal : 9.477.973 (IBGE 2001)
   4,1 milhões de empresas formais
   Trabalhadores do setor informal: 12.870.421 (IBGE
    2001)

   FGV – Março de 2004:
           Universo de 50 mil pequenos negócios
           85% não pagam tributos
           Dos 15% que pagam, gastam 6,29% da receita da empresa
           Apenas 12,3% têm CNPJ
           se carga tributária reduzir para 3.31% FGV estima aumento
            na arrecadação de 1.170%
   50% não utilizam planejamento de
    vendas
   47% não utilizam controle de estoque
   80% não utilizam técnicas de MKT
   75% não realizam treinamento de
    pessoal
   60% não utilizam recursos de
    informática
Resultados Semana da MPE – 6.000 participantes
PRINCIPAIS PREOCUPAÇÕES DA PEQUENA EMPRESA NO
BRASIL
LEVANTAMENTO COM EMPREENDEDORES DO SEGMENTO EM
TODO O PAÍS (OUTUBRO DE 2003




                              Gerencial             Licitações          Crédito

            Governo               6%         6%
                                                                     23%
                          9%

                10%
           Burocracia                                                             Tributos

                                                                             13%
                        10%
                                          12%                    12%
            Informação
                                                                 Investimentos
                                       Financiamentos
Classificação do Porte segundo SEBRAE, de
acordo com a receita bruta anual:

   Micro Empresa: Igual ou inferior a R$
    244,000,00
   Pequena Empresa: Superior a R$
    244,000,00 e igual ou inferior a R$
    1,200,000,00
Classificação do Porte segundo SEBRAE,
de acordo com o critério do número de
empregados:

    Porte – Indústria:
   Micro: de 1 a 19
   Pequena: de 20 a 99
   Média: de 100 a 499
   Grande: acima de 500
   Porte Comércio e Serviços:
   Micro: de 1 a 9
   Pequena: de 10 a 49
   Média: de 50 a 99
   Grande: acima de 500
O

   1. Aproximadamente 55 obrigações
    para que a empresa com 1
    empregado inicie e opere
             10 livros
             7 inscrições e matrículas
             3 números de identificação
             16 registros e controles trabalhistas
             Caixa diário + 7 datas no mês (rotinas
   2.- Aproximadamente 11 obrigações para
    que a empresa encerre as atividades
            Algumas como pré-requisitos de outras.
            Uma obrigação se desdobra em várias.
            Prazos para processamento e baixa sem
            limite.
Incubadoras de empresas
   São instrumentos de apoio para empresas e
    empreendedores nascentes;
   Visam combater a mortalidade juvenil das
    empresas;
    Podem ser focadas ou generalistas
       de informática
       de base tecnológica
       convencional
       de mulheres, da terceira idade, etc.
Características:
   Incubadoras - apoiam empresas constituídas- com
    CNPJ !
   Empresa já constituída - Plano de Negócio
   ( “business plan”) elaborado;
   Foco na fase inicial de produção e venda da empresa
    nascente;
   Custos reduzidos de instalação - áreas de apoio
    compartilhadas;
   Consultorias em gestão, finanças, marketing, etc.
   Apoio na busca de financiamentos e investidores;
   Recursos geralmente fornecidos:
       área física privada,
       equipamentos e instalações especiais
       salas para reunião, treinamento e auditório,
       telefonia, internet,
       treinamentos e consultorias,
       serviços de apoio tais como limpeza, secretária,
        etc.
   O “cliente” em geral é ex aluno - graduado.
   Mais de 200 incubadoras no país
Seleção de empreendimentos a serem
apoiados:

     que o empreendimento gere produtos, processos
      ou serviços inovadores, de alto valor agregado e
      de base tecnológica em informática -software,
      hardware ou serviços;
     que seja demonstrada a viabilidade econômica e
      mercadológica do empreendimento;
     que a equipe demonstre capacitação técnica e/ou
      experiência para conduzir o empreendimento;
Processo Empreendedor


                                                              Etapas
                                                  Incubação    Início   Consolidação
     Fatores necessários




                           Motivações

                           Competências

                           Redes

                           Recursos financeiros
O Processo Empreendedor


Identificar e           Desenvolver o              Determinar e captar     Gerenciar a
avaliar a               Plano de Negócios          os recursos             empresa criada
oportunidade            1. Sumário Executivo       necessários             estilo de gestão
criação e abrangência   2. O Conceito do Negócio   recursos pessoais       fatores críticos de
 da oportunidade        3. Equipe de Gestão        recursos de amigos       sucesso
valores percebidos e    4. Mercado e                e parentes             identificar problemas
 reais                     Competidores            angels                   atuais e potenciais
riscos e retornos da    5. Marketing e Vendas      capitalistas de risco   implementar um
 oportunidade           6. Estrutura e Operação    bancos                   sistema de controle
oportunidade versus     7. Análise Estratégica     governo                 profissionalizar a
 habilidades e metas    8. Plano Financeiro        incubadoras              gestão
 pessoais               Anexos                                             entrar em novos
situação dos                                                                mercados
 competidores
   “Um otimista vê uma oportunidade em
    uma calamidade. Um pessimista vê uma
    calamidade em cada oportunidade”
              Winston Churchill
Imagine um pedaço de queijo, daqueles bem
              cheio de buracos.
     Quanto mais queijos, mais buracos
 Cada buraco ocupa o lugar em que haveria
                    queijo
 Assim, quanto mais buracos menos queijo.
Quanto mais queijos, mais buracos, e quanto
         mais buracos menos queijo.
  Loco, quanto mais queijo, menos queijo.
Idéia X Oportunidade
“Nada é mais perigoso do que uma idéia quando ela é a única que
                             temos.”
                      autor desconhecido

  “É melhor, estar preparado para uma oportunidade e não ter
   nenhuma do que ter uma oportunidade e não estar preparado
                             para ela”
                       Whitney Young Jr.

  “ Um otimista vê uma oportunidade em cada calamidade, um
      pessimista vê uma calamidade em cada oportunidade”
                      Winston Churchill
Idéia X Oportunidade

   Oportunidade é uma idéia que está vinculada
    a um produto ou serviço que agrega valor ao
    consumidor, seja através da inovação ou da
    diferenciação.
   É atrativa, tem potencial para gerar lucros e
    está disponível em momento e/ou local
    adequado para quem vai utilizá-la
Características das oportunidades
   Idéias não são necessariamente oportunidades
   Características da oportunidade:
      atraente,
      durável,
      tem uma hora certa,
      é ancorada em um produto ou serviço que cria ou adiciona
       valor para o seu comprador
   É um alvo móvel. Se alguém a vê, ainda há tempo de
    aproveitá-la.
   Um empreendedor habilidoso dá forma à uma oportunidade
    onde outros nada vêem, ou vêem muito cedo ou tarde.
   Não é questão de usar técnicas, checklists e outro métodos, a
    sua identificação depende de habilidades do empreendedor.
   Surgem em função de identificação de
    desejos e necessidades insatisfeitas;
   Estão em qualquer lugar;
   São um presente para a mente
    preparada - experiência- intuição;
   São simples na sua concepção -
    raramente coisas complicadas dão
    certo.
   Ajusta-se ao empreendedor - uma
    oportunidade para um empreendedor pode
    não ser para outro;
   Boas oportunidades são menos numerosas
    que boas idéias.
   Identifica-las é um desafio - em geral estão
    camufladas em gaps tecnológicos, atrasos,
    avanços, caos - quanto mais imperfeito o
    mercado maiores as oportunidades.
Como e onde encontrar oportunidades:

   Brainstormings: permitem estimular a criatividade e
    identificar oportunidades - técnica de grupo;
   Estudos de mercados segmentados: regional ou por
    industria
   Análise de pauta de exportações e importações;
   Mudanças de hábitos, transformações.
   Mercados emergentes: lazer, saúde, educação,
    varejo financeiro, turismo;
   Análise de empresas/setores - cadeias de produção.
   Análise de movimentos demográficos
   etc.
Fontes de idéias - exemplos

   Negócios existentes - inclusive falências
   Franquias e licenças
   Patentes
   Revistas de negócios
   Universidade e institutos de pesquisa
   Feiras e exposições
   Empregos anteriores
   Contatos com compradores
    (imperfeições de produtos existentes)
   Consultoria - prestar serviços
   Observação no dia a dia - nas ruas
   Idéias que deram certo em outros
    lugares
   Nosso dia a dia como consumidor
Avaliação de oportunidades - erros a
evitar

   Paixão cega pelo produto.
   Paranóia do negócio - não posso mostrar a
    idéia se não vão me rouba-la.
   Perfeccionismo: ainda não está pronta.
   Não reconhecer a concorrência - evita-la.
   Preço baixo como estratégia única de
    entrada.
   Impaciência: 30 dias ou perdemos.
   Desejo e necessidade de lucro imediato
Plano de Negócios
   É um poderoso e eficiente instrumento para tomada
    de decisões quanto a viabilidade ou não de um
    determinado empreendimento e também para a sua
    administração. Embora o ideal é que o plano de
    negócios, seja elaborado antes do início do
    empreendimento, é fundamental que as empresas
    que já estão em atividade elaborem o seu. Também
    será útil para conseguir financiamentos junto a
    bancos e outras instituições.
Possíveis Públicos para o seu plano de
negócios:

   Sócios potenciais;
   Bancos;
   Investidores;
   Fornecedores;
   Futuros Colaboradores;
   Clientes Potenciais;
   A própria empresa.
Roteiro para o plano de negócios
   Parte I – Introdução ou Sumário Executivo:
   A. Capa com o nome do negócio, empresa,
    local, mês e ano;
   B. Carta de apresentação do projeto
   C. Caracterização dos produtos e ou serviços
   D. Público – Alvo
   E. Pontos Inovadores do Projeto
   F. Breve apresentação dos responsáveis
   Parte II – A Empresa:
   A. Missão da empresa
   B. Metas à curto, médio e longo prazo
   C. Natureza Jurídica
   D. Aspectos tributários
   E. Organograma e descrição dos principais cargos
   F. Principais processos(3)
   G. Política de recursos humanos
   H. Terceirizações
   Parte III – Plano de Marketing
   A. O segmento é bom para se investir Porque
   B. Pontos fortes e fracos do negócio;
   C. Concorrentes: identificação, pontos fortes
    e fracos;
   D. Fornecedores: identificação, pontos fortes
    e fracos
   E. Riscos e Oportunidades.
   Parte IV – As vendas
   A. Preço de venda: definição e
    justificativa;
   B. Formas de distribuição;
   C. Publicidade e promoções
   D. Atendimento ao cliente – venda e
    pós venda
   Parte V – Plano Financeiro
   A. Investimento Inicial
   B. Custo dos produtos ou serviços
   C. Preços unitários e projeção de
    vendas(3 meses)
   D. Projeção de resultados(3 meses) e
    pay-back;
   E. Ponto de equilíbrio
   Parte VI – Documentação Acessória:
   A. Contrato Social;
   B. Registros, alvarás e licenças.
   - Processo para obter esta
    documentação.
   Parte VII
   A. Entrevista estruturada com
    empresário do mesmo segmento.
Sugestões de Perguntas:
   Entrevista
   Perguntas para obter informações
   Você poderia contar-me a seu respeito antes de começar o seu primeiro negócio.
   Os seus pais, parentes ou amigos próximos eram empreendedores? De que forma?
   Você tinha algum modelo?
   Qual foi a sua educação? Analisando a posteriori, ela foi útil? De que forma, especificamente?
   Qual era a sua experiência anterior no trabalho? Ela foi útil? Qual experiência particular foi especialmente importante e qual foi
    irrelevante?
   Em particular, você tinha alguma experiências em vendas ou marketing? Quanto foi importante esta experiência ou a sua falta
    na criação da sua empresa?
   Como você começou o negócio?
   Como você localizou a oportunidade? Como ela veio à tona?
   Quais eram as suas metas? Qual era o seu estilo de vida ou outras necessidades pessoais? Como você combinava isto?
   Como você avaliou a oportunidade em termos dos fatores críticos de sucesso? Da competição? Do mercado?
   Tinha sócios? Qual espécie de planejamento você fez? Que espécie de financiamento você teve?
   Você teve um Projeto de Negócios inicial, de qualquer espécie? Conte-me a respeito.
   Quanto tempo levou da concepção ao primeiro dia de trabalho? Quantas horas por dia você empenhou nesta tarefa?
   Qual foi o capital necessário? Quanto tempo levou para alcançar um fluxo de caixa positivo e o ponto de equilíbrio no volume de
    vendas? Se você não tinha dinheiro suficiente na época, quais foram as maneiras que encontrou para financiar o negócio?
    Conte-me a respeito das crises e pressões sofridas durante os primeiros períodos de sobrevivência.
   Qual ajuda externa você teve? Você teve conselheiros? Advogados? Contadores? Especialistas em impostos? Em patentes? Como
    você desenvolveu essas “redes” e quanto tempo isto levou?
   Qual era a situação de sua família na época? (Casado, tinha apoio, compreensão?)
   O que você percebia serem as suas forças? E fraquezas?
   O que você percebia serem as forças do seu negócio? E fraquezas?
   Qual foi o seu momento mais triunfante? E o pior?
   Você queria ter sócios ou estar sozinho? Por que?
Apresentação:
   Utilize linguagem clara e concisa;
   Utilize papel de boa qualidade;
   Elabore um sumário e numere as páginas
   Evite parágrafos longos – use tópicos para
    destacar as informações
   Defina margens e espaçamento confortáveis
    para leitura
   Invista na capa
   Zero erros(revise, revise, revise)
  Errar é humano, mas quando a
borracha, acaba antes que o lápis você
           está exagerando.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Teoria comportamental slide
Teoria comportamental  slideTeoria comportamental  slide
Teoria comportamental slideSabrina Suellen
 
Capítulo 1 evolução na gestão de pessoas
Capítulo 1   evolução na gestão de pessoasCapítulo 1   evolução na gestão de pessoas
Capítulo 1 evolução na gestão de pessoasmvaf_rj
 
Aula 1 empreendedorismo - conceitos e caracteristicas.pptm
Aula 1   empreendedorismo - conceitos e caracteristicas.pptmAula 1   empreendedorismo - conceitos e caracteristicas.pptm
Aula 1 empreendedorismo - conceitos e caracteristicas.pptmClaudio Parra
 
Perfil Empreendedor
Perfil EmpreendedorPerfil Empreendedor
Perfil EmpreendedorUEG
 
Aula 16 Motivação
Aula 16  MotivaçãoAula 16  Motivação
Aula 16 MotivaçãoLuiz Siles
 
Criatividade e Inovaçao
Criatividade e InovaçaoCriatividade e Inovaçao
Criatividade e InovaçaoJairo Siqueira
 
Gestão de recursos humanos
Gestão de recursos humanosGestão de recursos humanos
Gestão de recursos humanosRafael Pozzobon
 
Unidade 1 GestãO De Pessoas Unidade 01
Unidade 1   GestãO De Pessoas Unidade 01Unidade 1   GestãO De Pessoas Unidade 01
Unidade 1 GestãO De Pessoas Unidade 01milkinha
 
Slides avaliacao de desempenho - curso belém
Slides   avaliacao de desempenho - curso belémSlides   avaliacao de desempenho - curso belém
Slides avaliacao de desempenho - curso belémRoberta Trigo
 
Aula planejamento de carreira
Aula planejamento de carreiraAula planejamento de carreira
Aula planejamento de carreiraAndré Boaratti
 

Mais procurados (20)

Teoria comportamental slide
Teoria comportamental  slideTeoria comportamental  slide
Teoria comportamental slide
 
Capítulo 1 evolução na gestão de pessoas
Capítulo 1   evolução na gestão de pessoasCapítulo 1   evolução na gestão de pessoas
Capítulo 1 evolução na gestão de pessoas
 
Aula 1 empreendedorismo - conceitos e caracteristicas.pptm
Aula 1   empreendedorismo - conceitos e caracteristicas.pptmAula 1   empreendedorismo - conceitos e caracteristicas.pptm
Aula 1 empreendedorismo - conceitos e caracteristicas.pptm
 
Perfil Empreendedor
Perfil EmpreendedorPerfil Empreendedor
Perfil Empreendedor
 
História e conceito do empreendedorismo
História e conceito do empreendedorismoHistória e conceito do empreendedorismo
História e conceito do empreendedorismo
 
Gestão Empreendedora
Gestão EmpreendedoraGestão Empreendedora
Gestão Empreendedora
 
Aula 16 Motivação
Aula 16  MotivaçãoAula 16  Motivação
Aula 16 Motivação
 
Plano de Negócios - Slides facilitadores
Plano de Negócios - Slides facilitadoresPlano de Negócios - Slides facilitadores
Plano de Negócios - Slides facilitadores
 
Empreendedorismo 2015 01 - Empreendedorismo
Empreendedorismo 2015 01 - EmpreendedorismoEmpreendedorismo 2015 01 - Empreendedorismo
Empreendedorismo 2015 01 - Empreendedorismo
 
Aula de gestão empresarial 11 01-2014
Aula de gestão empresarial 11 01-2014Aula de gestão empresarial 11 01-2014
Aula de gestão empresarial 11 01-2014
 
Criatividade e Inovaçao
Criatividade e InovaçaoCriatividade e Inovaçao
Criatividade e Inovaçao
 
Gestão de recursos humanos
Gestão de recursos humanosGestão de recursos humanos
Gestão de recursos humanos
 
Empregabilidade
EmpregabilidadeEmpregabilidade
Empregabilidade
 
Aula empreendedorismo
Aula empreendedorismoAula empreendedorismo
Aula empreendedorismo
 
Unidade 1 GestãO De Pessoas Unidade 01
Unidade 1   GestãO De Pessoas Unidade 01Unidade 1   GestãO De Pessoas Unidade 01
Unidade 1 GestãO De Pessoas Unidade 01
 
Slides avaliacao de desempenho - curso belém
Slides   avaliacao de desempenho - curso belémSlides   avaliacao de desempenho - curso belém
Slides avaliacao de desempenho - curso belém
 
Aula planejamento de carreira
Aula planejamento de carreiraAula planejamento de carreira
Aula planejamento de carreira
 
Gestão empreendedorismo
Gestão empreendedorismoGestão empreendedorismo
Gestão empreendedorismo
 
Introdução a administração 2012_01
Introdução a administração 2012_01Introdução a administração 2012_01
Introdução a administração 2012_01
 
Empreendedorismo
EmpreendedorismoEmpreendedorismo
Empreendedorismo
 

Destaque

Estratégias de competitividade em hospitalidade eduardo faraco
Estratégias de competitividade em hospitalidade   eduardo faracoEstratégias de competitividade em hospitalidade   eduardo faraco
Estratégias de competitividade em hospitalidade eduardo faracoEduardo Faraco
 
Gestao de novos negocios completo
Gestao de novos negocios completoGestao de novos negocios completo
Gestao de novos negocios completoEduardo Faraco
 
Oficina analise-e-solucao-de-problemas
Oficina analise-e-solucao-de-problemasOficina analise-e-solucao-de-problemas
Oficina analise-e-solucao-de-problemasLeonardo
 
Empreendedorismo e desenvolvimento gerencial eduardo faraco
Empreendedorismo e desenvolvimento gerencial eduardo faracoEmpreendedorismo e desenvolvimento gerencial eduardo faraco
Empreendedorismo e desenvolvimento gerencial eduardo faracoEduardo Faraco
 
Apresentacao faraco consultoria
Apresentacao faraco consultoriaApresentacao faraco consultoria
Apresentacao faraco consultoriaEduardo Faraco
 
Marketing Hoteleiro 2008
Marketing Hoteleiro 2008Marketing Hoteleiro 2008
Marketing Hoteleiro 2008tonisando
 
Serviços Hoteleiros 2
Serviços Hoteleiros 2Serviços Hoteleiros 2
Serviços Hoteleiros 2progressoretec
 
Organizaç]ao geral de empresas hoteleiras eduardo faraco
Organizaç]ao geral de empresas hoteleiras   eduardo faracoOrganizaç]ao geral de empresas hoteleiras   eduardo faraco
Organizaç]ao geral de empresas hoteleiras eduardo faracoEduardo Faraco
 
Empreendedorismo e Plano de Negócios
Empreendedorismo e Plano de NegóciosEmpreendedorismo e Plano de Negócios
Empreendedorismo e Plano de NegóciosKenneth Corrêa
 
Serviços Hoteleiros 3
Serviços Hoteleiros 3Serviços Hoteleiros 3
Serviços Hoteleiros 3progressoretec
 
exercicios-direito-das-obrigacoes
 exercicios-direito-das-obrigacoes exercicios-direito-das-obrigacoes
exercicios-direito-das-obrigacoesHenrique Araújo
 
Respostas mankiw - capítulo 5 (superior)
Respostas mankiw  - capítulo 5 (superior)Respostas mankiw  - capítulo 5 (superior)
Respostas mankiw - capítulo 5 (superior)Luciano Pires
 
Gestão de empreendedorísmo Sebrae
Gestão de empreendedorísmo SebraeGestão de empreendedorísmo Sebrae
Gestão de empreendedorísmo SebraeMah1986mah
 
Apostila Empreendedorismo - Prof. Ivan Jacomassi Junior
Apostila Empreendedorismo - Prof. Ivan Jacomassi JuniorApostila Empreendedorismo - Prof. Ivan Jacomassi Junior
Apostila Empreendedorismo - Prof. Ivan Jacomassi Juniorivanjacomassi
 
Hotelaria história e classificação
Hotelaria história e classificaçãoHotelaria história e classificação
Hotelaria história e classificaçãoMarcos Alves
 

Destaque (20)

Palestra unipampa
Palestra unipampaPalestra unipampa
Palestra unipampa
 
Palestra fortaleza
Palestra fortalezaPalestra fortaleza
Palestra fortaleza
 
Estratégias de competitividade em hospitalidade eduardo faraco
Estratégias de competitividade em hospitalidade   eduardo faracoEstratégias de competitividade em hospitalidade   eduardo faraco
Estratégias de competitividade em hospitalidade eduardo faraco
 
Gestao de novos negocios completo
Gestao de novos negocios completoGestao de novos negocios completo
Gestao de novos negocios completo
 
Oficina analise-e-solucao-de-problemas
Oficina analise-e-solucao-de-problemasOficina analise-e-solucao-de-problemas
Oficina analise-e-solucao-de-problemas
 
Empreendedorismo e desenvolvimento gerencial eduardo faraco
Empreendedorismo e desenvolvimento gerencial eduardo faracoEmpreendedorismo e desenvolvimento gerencial eduardo faraco
Empreendedorismo e desenvolvimento gerencial eduardo faraco
 
Apresentacao faraco consultoria
Apresentacao faraco consultoriaApresentacao faraco consultoria
Apresentacao faraco consultoria
 
Marketing Hoteleiro 2008
Marketing Hoteleiro 2008Marketing Hoteleiro 2008
Marketing Hoteleiro 2008
 
Serviços Hoteleiros 2
Serviços Hoteleiros 2Serviços Hoteleiros 2
Serviços Hoteleiros 2
 
Organizaç]ao geral de empresas hoteleiras eduardo faraco
Organizaç]ao geral de empresas hoteleiras   eduardo faracoOrganizaç]ao geral de empresas hoteleiras   eduardo faraco
Organizaç]ao geral de empresas hoteleiras eduardo faraco
 
Empreendedorismo e Plano de Negócios
Empreendedorismo e Plano de NegóciosEmpreendedorismo e Plano de Negócios
Empreendedorismo e Plano de Negócios
 
Serviços Hoteleiros 3
Serviços Hoteleiros 3Serviços Hoteleiros 3
Serviços Hoteleiros 3
 
A história da hotelaria
A história da hotelariaA história da hotelaria
A história da hotelaria
 
exercicios-direito-das-obrigacoes
 exercicios-direito-das-obrigacoes exercicios-direito-das-obrigacoes
exercicios-direito-das-obrigacoes
 
Hotelaria E GestãO
Hotelaria E GestãOHotelaria E GestãO
Hotelaria E GestãO
 
Departamentos do hotel
Departamentos do hotelDepartamentos do hotel
Departamentos do hotel
 
Respostas mankiw - capítulo 5 (superior)
Respostas mankiw  - capítulo 5 (superior)Respostas mankiw  - capítulo 5 (superior)
Respostas mankiw - capítulo 5 (superior)
 
Gestão de empreendedorísmo Sebrae
Gestão de empreendedorísmo SebraeGestão de empreendedorísmo Sebrae
Gestão de empreendedorísmo Sebrae
 
Apostila Empreendedorismo - Prof. Ivan Jacomassi Junior
Apostila Empreendedorismo - Prof. Ivan Jacomassi JuniorApostila Empreendedorismo - Prof. Ivan Jacomassi Junior
Apostila Empreendedorismo - Prof. Ivan Jacomassi Junior
 
Hotelaria história e classificação
Hotelaria história e classificaçãoHotelaria história e classificação
Hotelaria história e classificação
 

Semelhante a Fundamentos de empreendedorismo eduardo faraco

Apostilha Empreendedorismo senai
Apostilha Empreendedorismo senaiApostilha Empreendedorismo senai
Apostilha Empreendedorismo senaiJohnatan Andrade
 
Empreendedorismo aula 1
Empreendedorismo   aula 1Empreendedorismo   aula 1
Empreendedorismo aula 1Itamar Pereira
 
emprendedorismo & inovação
emprendedorismo & inovaçãoemprendedorismo & inovação
emprendedorismo & inovaçãoannoni
 
Empreendedorismo
EmpreendedorismoEmpreendedorismo
Empreendedorismocattonia
 
Empreendedorismo 1 e 2
Empreendedorismo 1 e 2Empreendedorismo 1 e 2
Empreendedorismo 1 e 2siqueiralc
 
Aula 10 a 11 2 - empreendedorismo
Aula 10 a 11   2 - empreendedorismoAula 10 a 11   2 - empreendedorismo
Aula 10 a 11 2 - empreendedorismoAngelo Peres
 
Empreendedorismo Motivacao
Empreendedorismo MotivacaoEmpreendedorismo Motivacao
Empreendedorismo Motivacaogeceli
 
Empreendedorismo na enfermagem- campo mourao1
Empreendedorismo na enfermagem-  campo mourao1Empreendedorismo na enfermagem-  campo mourao1
Empreendedorismo na enfermagem- campo mourao1Toni Magalhaes
 
Módulo empreendedorismo
Módulo empreendedorismoMódulo empreendedorismo
Módulo empreendedorismoetealcides
 
Introdução ao Empreendedorismo .pptx
Introdução ao Empreendedorismo .pptxIntrodução ao Empreendedorismo .pptx
Introdução ao Empreendedorismo .pptxDemetriusNarciso
 
aula 6, empreendedorismo.pptx
aula 6, empreendedorismo.pptxaula 6, empreendedorismo.pptx
aula 6, empreendedorismo.pptxEdsonMariano11
 
2024 disciplina empreendedorismo inicial FBV.pptx
2024 disciplina empreendedorismo inicial FBV.pptx2024 disciplina empreendedorismo inicial FBV.pptx
2024 disciplina empreendedorismo inicial FBV.pptxRodrigo Duguay
 
Empreendedorismo.pptxaula1.pdf
Empreendedorismo.pptxaula1.pdfEmpreendedorismo.pptxaula1.pdf
Empreendedorismo.pptxaula1.pdfalexandrenakaUFPI
 
Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Empreendedorismo e Inovação
Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Empreendedorismo e InovaçãoAula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Empreendedorismo e Inovação
Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Empreendedorismo e InovaçãoProf. Leonardo Rocha
 

Semelhante a Fundamentos de empreendedorismo eduardo faraco (20)

Apostilha Empreendedorismo senai
Apostilha Empreendedorismo senaiApostilha Empreendedorismo senai
Apostilha Empreendedorismo senai
 
Aulaempreendedorismo 120410185052-phpapp01
Aulaempreendedorismo 120410185052-phpapp01Aulaempreendedorismo 120410185052-phpapp01
Aulaempreendedorismo 120410185052-phpapp01
 
Empreendedorismo aula 1
Empreendedorismo   aula 1Empreendedorismo   aula 1
Empreendedorismo aula 1
 
emprendedorismo & inovação
emprendedorismo & inovaçãoemprendedorismo & inovação
emprendedorismo & inovação
 
Empreendedorismo
EmpreendedorismoEmpreendedorismo
Empreendedorismo
 
Empreendedorismo 1 e 2
Empreendedorismo 1 e 2Empreendedorismo 1 e 2
Empreendedorismo 1 e 2
 
Aula 10 a 11 2 - empreendedorismo
Aula 10 a 11   2 - empreendedorismoAula 10 a 11   2 - empreendedorismo
Aula 10 a 11 2 - empreendedorismo
 
Aula 1 (1)
Aula 1 (1)Aula 1 (1)
Aula 1 (1)
 
Empreendedorismo Motivacao
Empreendedorismo MotivacaoEmpreendedorismo Motivacao
Empreendedorismo Motivacao
 
Empreendedorismo na enfermagem- campo mourao1
Empreendedorismo na enfermagem-  campo mourao1Empreendedorismo na enfermagem-  campo mourao1
Empreendedorismo na enfermagem- campo mourao1
 
Módulo empreendedorismo
Módulo empreendedorismoMódulo empreendedorismo
Módulo empreendedorismo
 
Introdução ao Empreendedorismo .pptx
Introdução ao Empreendedorismo .pptxIntrodução ao Empreendedorismo .pptx
Introdução ao Empreendedorismo .pptx
 
Tid ii atual
Tid ii atualTid ii atual
Tid ii atual
 
Empreendedorismo corporativo aula 1 e 2 slides
Empreendedorismo corporativo   aula 1 e 2 slidesEmpreendedorismo corporativo   aula 1 e 2 slides
Empreendedorismo corporativo aula 1 e 2 slides
 
aula 6, empreendedorismo.pptx
aula 6, empreendedorismo.pptxaula 6, empreendedorismo.pptx
aula 6, empreendedorismo.pptx
 
Empreendedorismo
EmpreendedorismoEmpreendedorismo
Empreendedorismo
 
Apresentação
ApresentaçãoApresentação
Apresentação
 
2024 disciplina empreendedorismo inicial FBV.pptx
2024 disciplina empreendedorismo inicial FBV.pptx2024 disciplina empreendedorismo inicial FBV.pptx
2024 disciplina empreendedorismo inicial FBV.pptx
 
Empreendedorismo.pptxaula1.pdf
Empreendedorismo.pptxaula1.pdfEmpreendedorismo.pptxaula1.pdf
Empreendedorismo.pptxaula1.pdf
 
Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Empreendedorismo e Inovação
Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Empreendedorismo e InovaçãoAula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Empreendedorismo e Inovação
Aula de Empreendedorismo Social Unibrasil - Empreendedorismo e Inovação
 

Mais de Eduardo Faraco

Diagnóstico empresarial faraco consultoria
Diagnóstico empresarial   faraco consultoriaDiagnóstico empresarial   faraco consultoria
Diagnóstico empresarial faraco consultoriaEduardo Faraco
 
Artigo perfil empreendedor por eduardo faraco
Artigo perfil empreendedor por eduardo faracoArtigo perfil empreendedor por eduardo faraco
Artigo perfil empreendedor por eduardo faracoEduardo Faraco
 
Dissertacao eduardofaraco1310
Dissertacao eduardofaraco1310Dissertacao eduardofaraco1310
Dissertacao eduardofaraco1310Eduardo Faraco
 
Planejamento hoteleiro eduardo faraco
Planejamento hoteleiro eduardo faracoPlanejamento hoteleiro eduardo faraco
Planejamento hoteleiro eduardo faracoEduardo Faraco
 
Palestra economia da experiencia eduardo faraco
Palestra economia da experiencia eduardo faracoPalestra economia da experiencia eduardo faraco
Palestra economia da experiencia eduardo faracoEduardo Faraco
 
Modelos de operação e gestão hoteleira na região das hortênsias – estudos de ...
Modelos de operação e gestão hoteleira na região das hortênsias – estudos de ...Modelos de operação e gestão hoteleira na região das hortênsias – estudos de ...
Modelos de operação e gestão hoteleira na região das hortênsias – estudos de ...Eduardo Faraco
 
Meios de hospedagem procedimentos, parcerias e hospitalidade ao atender - e...
Meios de hospedagem   procedimentos, parcerias e hospitalidade ao atender - e...Meios de hospedagem   procedimentos, parcerias e hospitalidade ao atender - e...
Meios de hospedagem procedimentos, parcerias e hospitalidade ao atender - e...Eduardo Faraco
 
Cenário turismo no mundo e qualidade no atendimento eduardo faraco
Cenário turismo no mundo e qualidade no atendimento   eduardo faracoCenário turismo no mundo e qualidade no atendimento   eduardo faraco
Cenário turismo no mundo e qualidade no atendimento eduardo faracoEduardo Faraco
 
Palestra hotel show eduardo faraco 14.6
Palestra hotel show eduardo faraco 14.6Palestra hotel show eduardo faraco 14.6
Palestra hotel show eduardo faraco 14.6Eduardo Faraco
 

Mais de Eduardo Faraco (9)

Diagnóstico empresarial faraco consultoria
Diagnóstico empresarial   faraco consultoriaDiagnóstico empresarial   faraco consultoria
Diagnóstico empresarial faraco consultoria
 
Artigo perfil empreendedor por eduardo faraco
Artigo perfil empreendedor por eduardo faracoArtigo perfil empreendedor por eduardo faraco
Artigo perfil empreendedor por eduardo faraco
 
Dissertacao eduardofaraco1310
Dissertacao eduardofaraco1310Dissertacao eduardofaraco1310
Dissertacao eduardofaraco1310
 
Planejamento hoteleiro eduardo faraco
Planejamento hoteleiro eduardo faracoPlanejamento hoteleiro eduardo faraco
Planejamento hoteleiro eduardo faraco
 
Palestra economia da experiencia eduardo faraco
Palestra economia da experiencia eduardo faracoPalestra economia da experiencia eduardo faraco
Palestra economia da experiencia eduardo faraco
 
Modelos de operação e gestão hoteleira na região das hortênsias – estudos de ...
Modelos de operação e gestão hoteleira na região das hortênsias – estudos de ...Modelos de operação e gestão hoteleira na região das hortênsias – estudos de ...
Modelos de operação e gestão hoteleira na região das hortênsias – estudos de ...
 
Meios de hospedagem procedimentos, parcerias e hospitalidade ao atender - e...
Meios de hospedagem   procedimentos, parcerias e hospitalidade ao atender - e...Meios de hospedagem   procedimentos, parcerias e hospitalidade ao atender - e...
Meios de hospedagem procedimentos, parcerias e hospitalidade ao atender - e...
 
Cenário turismo no mundo e qualidade no atendimento eduardo faraco
Cenário turismo no mundo e qualidade no atendimento   eduardo faracoCenário turismo no mundo e qualidade no atendimento   eduardo faraco
Cenário turismo no mundo e qualidade no atendimento eduardo faraco
 
Palestra hotel show eduardo faraco 14.6
Palestra hotel show eduardo faraco 14.6Palestra hotel show eduardo faraco 14.6
Palestra hotel show eduardo faraco 14.6
 

Fundamentos de empreendedorismo eduardo faraco

  • 1. Fundamentos de Empreendedorismo Curso de Tecnologia em Hotelaria NUCAN-UCS Prof. Eduardo Faraco
  • 2. Ementa:  Conceitos de Empreendedor e empreendedorismo, o perfil da micro e pequena empresa no Brasil, identificação e avaliação de oportunidades, elaboração de plano de negócios
  • 3. Objetivo da Disciplina:  A disciplina é destinada, a desenvolver a capacidade, empreendedora dos alunos, estimulando e dando ferramentas aqueles cuja vocação e ou vontade profissional estiver direcionada a criação de empresas.
  • 4. Conteúdo Programático:  Introdução ao Empreendedorismo, Motivação, Mitos e Realidade, Perfil Empreendedor(09-08)  A Realidade de Micro e Pequena Empresa no Brasil e Incubadoras de Empresas(16-08)  Processo Empreendedor(06-09)  Idéias X Oportunidades, Caracteristicas, Fontes, Avaliação(04-10)
  • 5. Plano de negócios, O Que é, Porque Escrevê-lo, Importância, a quem se destina, Estrutura e Elaboração do Plano(18-10 e 01-11)
  • 6. Metodologia  Aulas Expositivas  Estudos de caso  Apresentação de vídeos  Elaboração do plano de negócios
  • 7. Formas de Avaliação  80% elaboração de plano de negócios(08/11) e avaliações intermediárias;  20% participação em aula
  • 8. Bibliografia:  Oficina do Empreendedor – Fernando Dolabela (B)  Empreendedorismo – Transformando idéias em negócios – José Carlos Dornelas(B)  O Empreendedor – Fundamentos da Iniciativa Empresarial – Ronald Degen(B)  Empreendedorismo – Dando asas ao espirito empreendedor – Idalberto Chiavenato(B)  O segredo de Luísa – Fernando Dolabela (Comp.)  Manual de Gestão Empresarial – Sérgio Bulgacov (Comp.)  O relatório Popcorn – Feith Popcorn (Comp.)  A vez do sonho – Fernando Dolabela (Comp.)
  • 9. Sites:  www.planodenegocios.com.br  www.empreendedor.com.br  www.portaldoempreendedor.com.br  www.dolabela.com.br  www.bte.com.br  www.entrepreneur.com  www.widebiz.com.br  www.geranegocio.com.br  www.ibge.gov.br  www.endeavor.org.br
  • 10. “Tudo o que podia ser inventado já o foi.” Charles H. Duell, Diretor do Departamento de Patentes dos Estados Unidos em 1899 ao propor o fechamento da seção de registro de novas patentes.
  • 11. “Todo empreendedor necessariamente deve ser um bom administrador para obter sucesso, no entanto, nem todo bom administrador é um empreendedor.” DORNELAS
  • 12. O empreendedorismo é uma revolução silenciosa, que será para o século 21 mais do que a revolução industrial foi para o século 20.” Timmons, Jefrey A., New Venture Creation, Irwin, Boston, USA  Previsão: Em 5 anos apenas 20 % da população economicamente ativa será constituída de empregados ( ABRH);
  • 13. A liderança é um lugar de solidão por isso é melhor que você saiba porque está lá.
  • 14. Motivação para o empreendedorismo:  Grande mudança nos conceitos de trabalho e emprego no mundo atual;  Redução na capacidade de absorção de mão de obra pelas empresas - Downsizing Organizacional;  Introdução de inovações tecnológicas;  Terceirização  Eliminação do vínculo empregatício(cooperativas, prestação de serviços)
  • 15. Análise Histórica  Na Idade Média: empreendedor era quem gerenciava grandes projetos de produção, sem assumir grandes riscos;  Século XVII: firmou-se a relação entre assumir riscos e empreendedorismo, através de acordo para realizar algum serviço ou fornecer produtos.
  • 16. Século XVIII: foi finalmente estabelecida diferença entre o capitalista e o empreendedor:  Século XXI e XX: houve a vinculação entre empreendedor e inovador, como agente de mudança.
  • 17. Definições do termo “Empreendedor e Empreendedorismo” (Áurélio B Holanda)  empreender: [do latin imprendere] 1.Deliberar-se a praticar, propor-se, tentar (empresa laboriosa e difícil). 2.Por em execução  empreendimento: 1. Ato de empreender. 2. Efeito de empreender; aquilo que se empreendeu e levou a cabo; empresa; realização; cometimento.  empreendedor: 1. Que empreende; ativo; arrojado; cometedor.
  • 18. Definições do termo “Empreendedor e Empreendedorismo” (Dicionário de Ciências Sociais)  O termo empreendedor denota a pessoa que exercita total ou parcialmente as funções de:  a) iniciar, coordenar, controlar e instituir maiores mudanças no negócio de empresa e/ou,  b) assumir riscos nessa operação que decorrem da natureza dinâmica da sociedade e do conhecimento imperfeito do futuro e que não pode ser convertido em certos custos através de transferência, cálculo ou eliminação.
  • 19. EMPREENDEDORISMO Say Schumpete (1800) r Timmons Kirzner (1949) Filion (1994) (1973) (1991) Garcia Dolabela (2003) Hornaday (1999) (1982) Melo Neto (2003)
  • 20. Empreendedor: É alguém que define, o que vai fazer e em que contexto vai ser feito. Ao definir, o que vai fazer ele leva em conta, seus sonhos, desejos, preferências e o estilo de vida que deseja ter. Desta forma consegue se dedicar intensamente.
  • 21. Empreendedorismo: É o estudo relativo ao empreendedor, seu perfil, suas origens, seu sistema de atividades, seu universo de atuação.
  • 22. Empresário:É a condição jurídica do indíviduo, que foi aos orgãos públicos, e registrou uma empresa em seu nome.
  • 23. Mas, nesses estudos, encontram-se, pelo menos os seguintes aspectos:  iniciativa e visão para criar algo novo e paixão pelo que faz;  utiliza os recursos de forma criativa transformando o ambiente social e econômico onde vive; e  aceita assumir riscos e a possibilidade de fracassar.  utiliza os recursos de forma criativa transformando o ambiente social e econômico onde vive
  • 24. Comunidad e Local Empresas Órgãos públicos Atuação dos empreendedores Cooperativas Instituições e de ensino associações ONG’s
  • 25. Alguns Dados:  Empregados têm em geral 3 vezes mais vontade de se aposentarem em relação aos empresários que dirigem seu próprio negócio.  Empresários sentem-se bem consigo mesmos, com o trabalho e com a recompensa financeira. Têm os mais altos níveis de satisfação, desafio, orgulho e remuneração.  A vasta maioria dos 2 milhões de milionários (em 2002) acumularam a sua fortuna através de empreendimentos criados por eles mesmos !
  • 26. 90% ou mais dos fundadores começaram suas empresas no mesmo mercado, tecnologia e ramo que eles trabalhavam  Fundadores têm 8 a 10 anos de experiência  Têm boa formação  Têm larga experiência em produtos/mercados em áreas funcionais  Fundam empresas quando tem entre 30 e 40 anos  Têm alto grau de satisfação
  • 27. Nos USA o volume de novas empresas criadas por mulheres cresce mais que as empresas criadas por homens.  Cada vez mais as pessoas não querem aposentar, mas iniciar segunda carreira em pequenas empresas, de preferencia empresas próprias.
  • 28. . Mito 1 - Empreendedores não são feitos, nascem  Realidade - A capacidade criativa de identificar e aproveitar uma oportunidade vem depois de 10 anos de experiência que conduz a um reconhecimento de padrões. O empreendedor é feito através da acumulação das habilidades, know-how, experiência e contatos em um período de anos
  • 29. Mito 2 - Qualquer um pode começar um negócio  Realidade - Os empreendedores que reconhecem a diferença entre idéia e oportunidade e pensam grande o suficiente, têm maiores chances de sucesso. A parte mais fácil é começar. Difícil é sobreviver. Talvez somente 1 entre 10 a 20 novas empresas que sobrevivem 5 anos ou mais, conseguem obter ganhos de capital.
  • 30. Mito 3 - Empreendedores são jogadores  Realidade - Empreendedores de sucesso assumem riscos calculados, minimizam riscos, tentam influenciar a sorte.
  • 31. Mito 4 - Empreendedores querem o espetáculo só para si  Realidade - O empreendedor individual geralmente ganha a vida. É difícil ter um negócio de alto potencial sozinho. Os empreendedores de sucesso constróem uma equipe. Acham que 100% de nada é nada. Eles trabalham para aumentar o bolo, ao invés de tirar a maior parte dele
  • 32. Mito 5 - Empreendedores são os seus próprios chefes e completamente independentes.  Realidade - Está longe de ser independente e serve muitos senhores (sócios, investidores, clientes, fornecedores, empregados, credores, família).
  • 33. Mito 6 - Empreendedores trabalham mais tempo e mais duro do que gerentes em grandes empresas  Realidade - Não há evidências nas pesquisas, cujos resultados às vezes dizem que sim, às vezes que não.
  • 34. Mito 7 - Empreendedores experimentam grande stress e pagam alto preço empreendedores preferem não aposentar-se em uma razão de 3 por 1 com os empregados)  Realidade - É verdade, mas não mais que em outras profissões. Mas eles acham o seu trabalho mais gratificante. São mais ricos e não querem aposentar-se ( Os empreendedores preferem não aposentar-se em uma razão de 3 por 1 com os empregados.
  • 35. Mito 8 - Começar um negócio é arriscado e freqüentemente acaba em falência.  Realidade - Os empreendedores talentosos e experientes (que sabem identificar e agarrar oportunidades e atrair os recursos financeiros e outros) freqüentemente alcançam o sucesso. Além disso, a empresa entra em falência, mas o empreendedor não. A falência é, muitas vezes, o fogo que tempera o aço da experiência de aprendizado do empreendedor
  • 36. Mito 9 - O dinheiro é o mais importante ingrediente para começar-se o negócio  Realidade - Se as outras partes e talentos existirem, o dinheiro virá. Não quer dizer que se o empreendedor tem dinheiro vá ter sucesso. O dinheiro é um dos ingredientes menos importantes. É, para o empreendedor, o que o pincel e a tinta são para o pintor: ferramenta inerte que, nas mãos certas, podem criar maravilhas. Mesmo depois de ter feito alguns milhões de dólares, um empreendedor irá trabalhar incessantemente em uma nova visão para construir outra empresa.
  • 37. Mito 10 - Empreendedores devem ser novos e com energia  Realidade - Idade não é barreira. A idade média de empreendedores de sucesso (Higher potential business) é perto dos 35, mas há numerosos exemplos de empreendedores de 60 anos de idade. O que é importante: know-how, experiência e relações.
  • 38. Mito 11 - Se o empreendedor é talentoso, o sucesso vai acontecer em um ou dois anos  Realidade - Raramente um negócio tem solidez em menos de 3 ou 4 anos. Máxima entre os capitalistas de risco: “o limão amadurece em 2,5 anos, mas as pérolas levam 7 ou 8.
  • 39. Formar um empreendedor ?  ou despertá-lo - motivá-lo !  Em geral 30 % dos alunos submetidos a um programa se tornam empresários;  Destaque na formação empreendedora como um diferencial competitivo do profissional mesmo para aquele que vai para o mercado de trabalho - mudança de postura;
  • 40. O Perfil do Empreendedor: Algumas das características mais marcantes  Autoconfiança: Ter consciência de seu valor, sentir-se seguro em relação a si mesmo, e com isso poder agir com firmeza e tranquilidade;  Automotivação: Poder buscar a realização pessoal através do trabalho, com, com entusiasmo e independência;  Comunicação: Capacidade para transmitir e expressar, pensamentos e emoções com clareza e objetividade
  • 41. Criatividade: Capacidade de buscar soluções viáveis e adequadas para a resolução de problemas;  Flexibilidade: Capacidade para compreender situações novas, estar disponível para rever posições, aprender  Energia: força vital que comanda as ações dos indíviduos(“pique”)
  • 42. Iniciativa: Capacidade de agir de maneira oportuna e adequada sobre a realidade, apresentando soluções, influenciando acontecimentos e se antecipando as situações;  Integridade: Qualidade do caráter ligada a retidão, de principios, imparcialidade, honestidade, coerência e comprometimento(com as pessoas, com o negócio e consigo mesmo)
  • 43. Liderança: Capacidade para mobilizar as energias, de um grupo, de forma a atingir objetivos,a através de uma relação de parceria, estimulando, o crescimento das pessoas num clima de motivação e moral elevados.
  • 44. Negociação: Capacidade para fazer acordos cooperativos, como meio de obter o ajustamento de interesses entre as partes envolvidas;  Perseverança: Capacidade de manter-se firme e constante em seus propósitos, porém sem perder a objetividade e clareza frentes as situações;
  • 45. Convencimento: Habilidade para apresentar suas idéias e argumentos de maneira convincente;  Planejamento: Capacidade para mapear o meio ambiente, analisar recursos e condições existentes, buscando estruturar uma visão de longo prazo dos rumos a serem seguidos para se atingir os objetivos
  • 46. Relacionamento Interpessoal:Habilidade de conviver e interagir adequadamente com as outras pessoas;  Resistência a frustração: Capacidade de suportar situações de não satisfação de necessidades pessoais ou profissionais, sem se comportar de maneira derrotista, negativa ou confusa.
  • 47. Sensibilidade Administrativa: Capacidade para perceber, identificar e avaliar variações diversas nas pessoas, no ambiente e nos processos, podendo assim, interferir de maneira oportuna buscando soluções adequadas para a prevenção ou eventualmente a correção de problemas.
  • 48. Planejamento e monitoramento sistemáticos: Planeja dividindo tarefas de grande porte em subtarefas com prazos definidos. Constantemente revisa seus planos levando em conta os resultados obtidos e mudanças circunstanciais. Mantém registros financeiros e utiliza-os para tomar decisões
  • 49. Principais motivações para iniciar o empreendimento Quadro 3 - Fatores motivacionais importantes para pensar em se tornar empr
  • 50. EMPREENDEDORISMO POR OPORTUNIDADE E POR NECESSIDADE, SEGUNDO PAÍSES - 2001
  • 51. Síndrome do Empregado  É dependente no sentido de que necessita alguém para se tornar produtivo  Descuida de outros conhecimentos que não sejam aqueles voltados a sua área de atuação  Não se preoucupa em transformar as vontades dos clientes em produtos-serviços  Não sabe “ler” o ambiente externo  Mais faz do que aprende,  OU
  • 52. Qual a forma mais eficiente de conduzi-lo a um ideal  Conseguindo um emprego, ou  Trabalhando por conta própria Se você respondeu a segunda opção, quais são suas características - Como gosta de usar o tempo - Voce teria o apoio de sua família - O que as pessoas dizem que vc sabe fazer bem - Qual seu potencial profissional(conhecimento ou habilidades) - Quanto tempo vc dedicaria a sua empresa
  • 53. Experiência e saber uma quantidade de coisas que você não deve fazer.
  • 54. Empreendedorismo no Brasil  GEM Global Entrepreneuship Monitor  Empreendedorismo 2003  Pesquisa 31 países e constatou que o Brasil:  SEXTO PAÍS EM EMPREENDEDORISMO DO MUNDO  53% POR OPORTUNIDADE;  43% POR NECESSIDADE  ÚLTIMO LUGAR NO QUESITO “BARREIRAS À ENTRADA NO MERCADO  (CUSTOS, CONCORRÊNCIA E LEGISLAÇÃO)  28º LUGAR NA EFETIVIDADE DE POLÍTICAS GOVERNAMENTAIS (NAS 3 ESFERAS)
  • 55. MPE no Brasil  72% dos CNPJ  Mortalidade das empresas, três primeiros anos de vida:  Microempresas: 50%  Pequenas e médias: 30%  Grandes: 15%
  • 56. 99% dos estabelecimentos (IBGE)  De 1995 a 2000  saldo líquido de postos de trabalho 1.429.652 novos postos;  1.400.000 foram originados nos pequenos negócios (BNDES, 2002)  Produz 20% do PIB  Responde por 12% das exportações (Funcex)- EUA(20%) e Japão(35%)
  • 57. Setor informal  Empresas do setor informal : 9.477.973 (IBGE 2001)  4,1 milhões de empresas formais  Trabalhadores do setor informal: 12.870.421 (IBGE 2001)  FGV – Março de 2004:  Universo de 50 mil pequenos negócios  85% não pagam tributos  Dos 15% que pagam, gastam 6,29% da receita da empresa  Apenas 12,3% têm CNPJ  se carga tributária reduzir para 3.31% FGV estima aumento na arrecadação de 1.170%
  • 58. 50% não utilizam planejamento de vendas  47% não utilizam controle de estoque  80% não utilizam técnicas de MKT  75% não realizam treinamento de pessoal  60% não utilizam recursos de informática
  • 59. Resultados Semana da MPE – 6.000 participantes PRINCIPAIS PREOCUPAÇÕES DA PEQUENA EMPRESA NO BRASIL LEVANTAMENTO COM EMPREENDEDORES DO SEGMENTO EM TODO O PAÍS (OUTUBRO DE 2003 Gerencial Licitações Crédito Governo 6% 6% 23% 9% 10% Burocracia Tributos 13% 10% 12% 12% Informação Investimentos Financiamentos
  • 60. Classificação do Porte segundo SEBRAE, de acordo com a receita bruta anual:  Micro Empresa: Igual ou inferior a R$ 244,000,00  Pequena Empresa: Superior a R$ 244,000,00 e igual ou inferior a R$ 1,200,000,00
  • 61. Classificação do Porte segundo SEBRAE, de acordo com o critério do número de empregados: Porte – Indústria:  Micro: de 1 a 19  Pequena: de 20 a 99  Média: de 100 a 499  Grande: acima de 500  Porte Comércio e Serviços:  Micro: de 1 a 9  Pequena: de 10 a 49  Média: de 50 a 99  Grande: acima de 500
  • 62. O  1. Aproximadamente 55 obrigações para que a empresa com 1 empregado inicie e opere  10 livros  7 inscrições e matrículas  3 números de identificação  16 registros e controles trabalhistas  Caixa diário + 7 datas no mês (rotinas
  • 63. 2.- Aproximadamente 11 obrigações para que a empresa encerre as atividades  Algumas como pré-requisitos de outras.  Uma obrigação se desdobra em várias.  Prazos para processamento e baixa sem limite.
  • 64. Incubadoras de empresas  São instrumentos de apoio para empresas e empreendedores nascentes;  Visam combater a mortalidade juvenil das empresas;  Podem ser focadas ou generalistas  de informática  de base tecnológica  convencional  de mulheres, da terceira idade, etc.
  • 65. Características:  Incubadoras - apoiam empresas constituídas- com CNPJ !  Empresa já constituída - Plano de Negócio  ( “business plan”) elaborado;  Foco na fase inicial de produção e venda da empresa nascente;  Custos reduzidos de instalação - áreas de apoio compartilhadas;  Consultorias em gestão, finanças, marketing, etc.  Apoio na busca de financiamentos e investidores;
  • 66. Recursos geralmente fornecidos:  área física privada,  equipamentos e instalações especiais  salas para reunião, treinamento e auditório,  telefonia, internet,  treinamentos e consultorias,  serviços de apoio tais como limpeza, secretária, etc.  O “cliente” em geral é ex aluno - graduado.  Mais de 200 incubadoras no país
  • 67. Seleção de empreendimentos a serem apoiados:  que o empreendimento gere produtos, processos ou serviços inovadores, de alto valor agregado e de base tecnológica em informática -software, hardware ou serviços;  que seja demonstrada a viabilidade econômica e mercadológica do empreendimento;  que a equipe demonstre capacitação técnica e/ou experiência para conduzir o empreendimento;
  • 68. Processo Empreendedor Etapas Incubação Início Consolidação Fatores necessários Motivações Competências Redes Recursos financeiros
  • 69. O Processo Empreendedor Identificar e Desenvolver o Determinar e captar Gerenciar a avaliar a Plano de Negócios os recursos empresa criada oportunidade 1. Sumário Executivo necessários estilo de gestão criação e abrangência 2. O Conceito do Negócio recursos pessoais fatores críticos de da oportunidade 3. Equipe de Gestão recursos de amigos sucesso valores percebidos e 4. Mercado e e parentes identificar problemas reais Competidores angels atuais e potenciais riscos e retornos da 5. Marketing e Vendas capitalistas de risco implementar um oportunidade 6. Estrutura e Operação bancos sistema de controle oportunidade versus 7. Análise Estratégica governo profissionalizar a habilidades e metas 8. Plano Financeiro incubadoras gestão pessoais Anexos entrar em novos situação dos mercados competidores
  • 70. “Um otimista vê uma oportunidade em uma calamidade. Um pessimista vê uma calamidade em cada oportunidade”  Winston Churchill
  • 71. Imagine um pedaço de queijo, daqueles bem cheio de buracos. Quanto mais queijos, mais buracos Cada buraco ocupa o lugar em que haveria queijo Assim, quanto mais buracos menos queijo. Quanto mais queijos, mais buracos, e quanto mais buracos menos queijo. Loco, quanto mais queijo, menos queijo.
  • 72. Idéia X Oportunidade “Nada é mais perigoso do que uma idéia quando ela é a única que temos.” autor desconhecido “É melhor, estar preparado para uma oportunidade e não ter nenhuma do que ter uma oportunidade e não estar preparado para ela” Whitney Young Jr. “ Um otimista vê uma oportunidade em cada calamidade, um pessimista vê uma calamidade em cada oportunidade” Winston Churchill
  • 73. Idéia X Oportunidade  Oportunidade é uma idéia que está vinculada a um produto ou serviço que agrega valor ao consumidor, seja através da inovação ou da diferenciação.  É atrativa, tem potencial para gerar lucros e está disponível em momento e/ou local adequado para quem vai utilizá-la
  • 74. Características das oportunidades  Idéias não são necessariamente oportunidades  Características da oportunidade:  atraente,  durável,  tem uma hora certa,  é ancorada em um produto ou serviço que cria ou adiciona valor para o seu comprador  É um alvo móvel. Se alguém a vê, ainda há tempo de aproveitá-la.  Um empreendedor habilidoso dá forma à uma oportunidade onde outros nada vêem, ou vêem muito cedo ou tarde.  Não é questão de usar técnicas, checklists e outro métodos, a sua identificação depende de habilidades do empreendedor.
  • 75. Surgem em função de identificação de desejos e necessidades insatisfeitas;  Estão em qualquer lugar;  São um presente para a mente preparada - experiência- intuição;  São simples na sua concepção - raramente coisas complicadas dão certo.
  • 76. Ajusta-se ao empreendedor - uma oportunidade para um empreendedor pode não ser para outro;  Boas oportunidades são menos numerosas que boas idéias.  Identifica-las é um desafio - em geral estão camufladas em gaps tecnológicos, atrasos, avanços, caos - quanto mais imperfeito o mercado maiores as oportunidades.
  • 77. Como e onde encontrar oportunidades:  Brainstormings: permitem estimular a criatividade e identificar oportunidades - técnica de grupo;  Estudos de mercados segmentados: regional ou por industria  Análise de pauta de exportações e importações;  Mudanças de hábitos, transformações.  Mercados emergentes: lazer, saúde, educação, varejo financeiro, turismo;  Análise de empresas/setores - cadeias de produção.  Análise de movimentos demográficos  etc.
  • 78. Fontes de idéias - exemplos  Negócios existentes - inclusive falências  Franquias e licenças  Patentes  Revistas de negócios  Universidade e institutos de pesquisa  Feiras e exposições  Empregos anteriores
  • 79. Contatos com compradores (imperfeições de produtos existentes)  Consultoria - prestar serviços  Observação no dia a dia - nas ruas  Idéias que deram certo em outros lugares  Nosso dia a dia como consumidor
  • 80. Avaliação de oportunidades - erros a evitar  Paixão cega pelo produto.  Paranóia do negócio - não posso mostrar a idéia se não vão me rouba-la.  Perfeccionismo: ainda não está pronta.  Não reconhecer a concorrência - evita-la.  Preço baixo como estratégia única de entrada.  Impaciência: 30 dias ou perdemos.  Desejo e necessidade de lucro imediato
  • 81. Plano de Negócios  É um poderoso e eficiente instrumento para tomada de decisões quanto a viabilidade ou não de um determinado empreendimento e também para a sua administração. Embora o ideal é que o plano de negócios, seja elaborado antes do início do empreendimento, é fundamental que as empresas que já estão em atividade elaborem o seu. Também será útil para conseguir financiamentos junto a bancos e outras instituições.
  • 82. Possíveis Públicos para o seu plano de negócios:  Sócios potenciais;  Bancos;  Investidores;  Fornecedores;  Futuros Colaboradores;  Clientes Potenciais;  A própria empresa.
  • 83. Roteiro para o plano de negócios  Parte I – Introdução ou Sumário Executivo:  A. Capa com o nome do negócio, empresa, local, mês e ano;  B. Carta de apresentação do projeto  C. Caracterização dos produtos e ou serviços  D. Público – Alvo  E. Pontos Inovadores do Projeto  F. Breve apresentação dos responsáveis
  • 84. Parte II – A Empresa:  A. Missão da empresa  B. Metas à curto, médio e longo prazo  C. Natureza Jurídica  D. Aspectos tributários  E. Organograma e descrição dos principais cargos  F. Principais processos(3)  G. Política de recursos humanos  H. Terceirizações
  • 85. Parte III – Plano de Marketing  A. O segmento é bom para se investir Porque  B. Pontos fortes e fracos do negócio;  C. Concorrentes: identificação, pontos fortes e fracos;  D. Fornecedores: identificação, pontos fortes e fracos  E. Riscos e Oportunidades.
  • 86. Parte IV – As vendas  A. Preço de venda: definição e justificativa;  B. Formas de distribuição;  C. Publicidade e promoções  D. Atendimento ao cliente – venda e pós venda
  • 87. Parte V – Plano Financeiro  A. Investimento Inicial  B. Custo dos produtos ou serviços  C. Preços unitários e projeção de vendas(3 meses)  D. Projeção de resultados(3 meses) e pay-back;  E. Ponto de equilíbrio
  • 88. Parte VI – Documentação Acessória:  A. Contrato Social;  B. Registros, alvarás e licenças.  - Processo para obter esta documentação.
  • 89. Parte VII  A. Entrevista estruturada com empresário do mesmo segmento.
  • 90. Sugestões de Perguntas:  Entrevista  Perguntas para obter informações  Você poderia contar-me a seu respeito antes de começar o seu primeiro negócio.  Os seus pais, parentes ou amigos próximos eram empreendedores? De que forma?  Você tinha algum modelo?  Qual foi a sua educação? Analisando a posteriori, ela foi útil? De que forma, especificamente?  Qual era a sua experiência anterior no trabalho? Ela foi útil? Qual experiência particular foi especialmente importante e qual foi irrelevante?  Em particular, você tinha alguma experiências em vendas ou marketing? Quanto foi importante esta experiência ou a sua falta na criação da sua empresa?  Como você começou o negócio?  Como você localizou a oportunidade? Como ela veio à tona?  Quais eram as suas metas? Qual era o seu estilo de vida ou outras necessidades pessoais? Como você combinava isto?  Como você avaliou a oportunidade em termos dos fatores críticos de sucesso? Da competição? Do mercado?  Tinha sócios? Qual espécie de planejamento você fez? Que espécie de financiamento você teve?  Você teve um Projeto de Negócios inicial, de qualquer espécie? Conte-me a respeito.  Quanto tempo levou da concepção ao primeiro dia de trabalho? Quantas horas por dia você empenhou nesta tarefa?  Qual foi o capital necessário? Quanto tempo levou para alcançar um fluxo de caixa positivo e o ponto de equilíbrio no volume de vendas? Se você não tinha dinheiro suficiente na época, quais foram as maneiras que encontrou para financiar o negócio? Conte-me a respeito das crises e pressões sofridas durante os primeiros períodos de sobrevivência.  Qual ajuda externa você teve? Você teve conselheiros? Advogados? Contadores? Especialistas em impostos? Em patentes? Como você desenvolveu essas “redes” e quanto tempo isto levou?  Qual era a situação de sua família na época? (Casado, tinha apoio, compreensão?)  O que você percebia serem as suas forças? E fraquezas?  O que você percebia serem as forças do seu negócio? E fraquezas?  Qual foi o seu momento mais triunfante? E o pior?  Você queria ter sócios ou estar sozinho? Por que?
  • 91. Apresentação:  Utilize linguagem clara e concisa;  Utilize papel de boa qualidade;  Elabore um sumário e numere as páginas  Evite parágrafos longos – use tópicos para destacar as informações  Defina margens e espaçamento confortáveis para leitura  Invista na capa  Zero erros(revise, revise, revise)
  • 92.  Errar é humano, mas quando a borracha, acaba antes que o lápis você está exagerando.