Ensinar a Condição Humana - EDGAR MORIN, 2000

2.033 visualizações

Publicada em

Resumo do capítulo 3 do livro: Os Sete Saberes necessários à Educação do Futuro de Edgar Morin.
Elaborado pelo Prof. Dr. Eduardo Costa para a Formação em TransPsicomotricidade Educacional (UERJ/IFHT)

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.033
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
35
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ensinar a Condição Humana - EDGAR MORIN, 2000

  1. 1. Ensinar a Condição Humana Edgar Morin, 2000
  2. 2. ♦ “A educação do futuro deverá ser o ensino primeiro e universal, centrado na condição humana”. (p. 47) ♦ “Estamos simultaneamente dentro e fora da natureza”. (p.48) ♦ “Nós, os seres vivos, somos um elemento da diáspora cósmica, algumas migalhas da existência solar, um diminuto broto da existência terrena”.(p.49)
  3. 3. ♦ “Nosso planeta erra no cosmo. Devemos assumir as conseqüências da situação marginal, periférica que é a nossa”. (p.50) ♦ “A importância da hominização é primordial à educação voltada para a condição humana, porque mostra como a animalidade e a humanidade constituem, juntas, nossa condição humana”. (p.50,51)
  4. 4. ♦ “O humano é um ser a um só tempo plenamente biológico e plenamente cultural, que traz em si a unidualidade originária”. (p.52) ♦ “Homo Sapiens é também Homo Demens”. (p.52) ♦ Circuito cérebro/mente/cultura: “A mente é o surgimento do cérebro que suscita a cultura, que não existiria sem o cérebro”. (p.53)
  5. 5. ♦ Circuito razão/afeto/pulsão: “A racionalidade não dispõe, portanto de poder supremo. É uma instância concorrente e antagônica às outras instâncias de uma tríade inseparável, e é frágil: pode ser dominada, submersa ou mesmo escravizada pela afetividade ou pela pulsão”.( p.53)
  6. 6. ♦ Circuito indivíduo/sociedade/espécie: “Os indivíduos são produto do processo reprodutor da espécie humana, mas este processo deve ser ele próprio realizado por dois indivíduos. As interações entre os indivíduos produzem a sociedade, que testemunha o surgimento da cultura, e que retroage sobre os indivíduos pela cultura”. (p.54)
  7. 7. ♦ Circuito indivíduo/sociedade/espécie: “Todo desenvolvimento verdadeiramente humano significa o desenvolvimento conjunto das autonomias individuais, das participações comunitárias e do sentimento de pertencer à espécie humana”. (p.55)
  8. 8. Unitas Multiplex ♦ “Compreender o humano é compreender sua unidade na diversidade, sua diversidade na unidade. É preciso conceber a unidade no múltiplo, a multiplicidade do uno”. ♦ A Esfera Individual: - Unidade/Diversidade Genética;
  9. 9. Unitas Multiplex ♦ A Esfera Social: - Unidade/Diversidade das Línguas “(...) gêmeos pela linguagem e separados pelas línguas (...)” (p.56)
  10. 10. Unitas Multiplex ♦ Diversidade cultural e pluralidade de indivíduos: “O ser humano é ao mesmo tempo singular e múltiplo (...) todo ser humano, tal como o ponto de um holograma, traz em si o cosmo. Devemos ver também que todo ser, mesmo aquele fechado na mais banal das vidas, constitui ele próprio um cosmo”. (p.57)
  11. 11. Unitas Multiplex ♦ Sapiens/demens “O ser humano é complexo e traz em si, de modo bipolarizado, caracteres antagonistas: Sapiens e demens; faber e ludens; empiricus e consumans; prosaicus e poeticus”. (p.58)
  12. 12. Unitas Multiplex ♦ Homo Complexus “O ser humano é um ser racional e irracional, capaz de medida e desmedida; sujeito de afetividade intensa e instável. Sorri, ri, chora, mas sabe também conhecer com objetividade; é sério e calculista, mas também ansioso, angustiado, gozador, ébrio, extático; é um ser de violência e de ternura, de amor e de ódio; é um ser invadido pelo imaginário e pode reconhecer o real, que é consciente da morte, mas não pode crer nela; que secreta o mito e a magia, mas também a ciência e a filosofia; que é possuído pelos deuses e pelas ideias, mas que duvida dos deuses e critica as ideias; (...)
  13. 13. Unitas Multiplex ♦ Homo Complexus “ (...) nutre-se dos conhecimentos comprovados, mas também de ilusões e de quimeras. E quando, na ruptura de controles racionais, culturais, materiais, há confusão entre o objetivo e o subjetivo, entre o real e o imaginário, quando há hegemonia de ilusões, excesso desencadeado, então Homo demens submete o Homo sapiens e subordina a inteligência racional a serviço de seus monstros”. (págs. 59, 60)
  14. 14. Educação do Futuro: ♦ “(...) deveria mostrar e ilustrar o Destino multifacetado do humano: o destino da espécie humana, o destino individual, o destino social, o destino histórico, todos entrelaçados e inseparáveis. Assim, uma das vocações essenciais da educação do futuro será o exame e o estudo da complexidade humana. Conduziria à tomada de conhecimento, por conseguinte, de consciência, da condição comum a todos os humanos e da muito rica e necessária diversidade dos indivíduos, dos povos, das culturas, sobre nosso enraizamento como cidadãos da Terra...” (p.61)
  15. 15. Resumo feito por: ♦ Prof. Dr. Eduardo Costa www.facebook.com/DrEduardoCosta transpsicomotricidade@gmail.com FONTE: MORIN, E. Os Sete Saberes necessários à Educação do Futuro – Cortez Editora – SP - 2000

×