Gênero autobiografia

787 visualizações

Publicada em

GÊNERO

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
787
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
246
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
15
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Gênero autobiografia

  1. 1. Crateús/CE Gênero TextualGênero Textual AutobiografiaAutobiografia Disciplina: Português Educador: Edson Alves
  2. 2. Autobiografia/História de Vida • A Abordagem (Auto)biográfica aproxima-se das Histórias de Vida como método, na medida em que visa “a construção de um sentido vital dos factos temporais” (Couceiro, 2002:31). Apela à interrogação permanente: “colocar-se face à vida, atribuir-lhe um sentido, construir um pensamento legitimado pela experiência existencial, compreender o modo como o sujeito se formou e deu forma à sua existência é, de facto, um processo de interrogação, de descoberta, de criação e não de adequação ou eventual transformação em função de algo previamente definido e conhecido.” (Honoré, 1992 in Couceiro, 1995:360).
  3. 3. Autobiografia/História de Vida
  4. 4. Autobiografia/História de Vida
  5. 5. Autobiografia/História de Vida
  6. 6. 7 Passos • A ideia de criar um conjunto de passos simples para a realização de uma organização estruturada da concepção de uma autobiografia, tem como base uma estratégia de facilitação de registo de indícios e/ou evidências face ao balanço de competências a realizar no âmbito do processo de RVCC. Deve ser visto como um ponto de partida adaptável e não como um manual de prática.
  7. 7. 1.º Passo – Encontrar. • Comece por dividir a sua história de vida em 4 partes: a) Infância. b) Adolescência. c) Adulto. d) Actualidade. Estas fases permitem que consiga analisar de forma isenta cada um dos momentos da sua história de vida de uma forma objectiva e consciente.
  8. 8. 2.º Passo – Dividir. • Depois de escrever o conteúdo destas quatro partes, divida-as. Isto é, para cada uma das partes descreva o que são vivências pessoais, profissionais e sociais. Procure sempre elaborar um contexto social, económico e cultural em que tiveram lugar. Pode, por exemplo, tomando como base os anos em que tiveram lugar, destacar os acontecimentos locais, regionais, nacionais ou internacionais de maior relevância. Pode ainda destacar as mudanças profissionais ocorridas no contexto em que se encontrava ou encontra nos momentos em que tiveram lugar. Numa palavra, explique o que o rodeia/rodeava nos momentos mais determinantes da sua vida.
  9. 9. 3.º Passo – Documentar. • Antes de avançar é bom que faça uma pausa. Comece por reunir todos os documentos que comprovam os seus relatos. Desde fotografias, a cartas, a certificados, a contratos, tudo o que possa demonstrar sem sombra de dúvida aquilo que relata na sua narrativa. Pense que está a fazer prova de tudo o que conta como verdade e que para tal precisa de apresentar documentos. É uma forma de descobrir novas coisas e ao mesmo tempo de relembrar partes que podiam estar esquecidas.
  10. 10. 4.º Passo – Problematizar. • Releia agora tudo o que já escreveu. Faça essa leitura tendo como base dois pontos de vista: a) O que foram vivências pessoais e o que foram aprendizagens profissionais. (Registe na sua história de vida). b) O que aprendi em cada um dos momentos mais importantes da minha vida a nível pessoal, profissional e no relacionamento com os outros.
  11. 11. 5.º Passo – Reescrever. • Agora que pensou todas estas vertentes da sua vida, reescreva as partes que acha que merecem ser melhoradas, acrescentadas e/ou destacadas. Lembre-se que tem que explicar o que aprendeu com os certificados que agora tem na sua posse, assim como, as fotografias, não bastando fazer uma legenda. Imagine que está a contar a história daquele momento. Mais do que indicar, descreva.
  12. 12. 6.º Passo – Propor. • Uma das actividades que pode fazer e que, geralmente dá muito resultado na melhoria da autobiografia/história de vida é bastante simples. Dê a ler o que escreveu a alguém que o/a conheça bem. Peça para fazerem uma análise crítica, destacando o que falta dizer e não foi escrito por si. Verá que, no final, terá muito mais para escrever do que pensa. Peça dentro da sua esfera familiar e também na esfera profissional.
  13. 13. 7.º Passo – Rever. • Depois de reescrever as partes que considera úteis do que lhe foi indicado pelas pessoas que leram o seu texto, faça uma revisão completa de tudo o que conseguiu fazer. Lembre-se que deve constantemente responder à pergunta: porquê?. Lembre-se também que deve acabar de ler a sua história de vida e dizer: Este/esta sou eu!
  14. 14. Conclusão • Estes 7 passos são apenas uma estratégia de construção de uma primeira abordagem para a realização de uma autobiografia. • A abordagem seguinte pode passar por responder a um conjunto de perguntas predefinidas, tais como: Quem sou eu ? O que quero ser ? O que gosto de fazer? o que vou vim fazer a procurar o processo RVCC ? O que vou fazer após este processo? (entre outras).

×