O slideshow foi denunciado.
Myriam Veras Baptista. Planejamento
• O QUE É PLANEJAMENTO? São inúmeras as formas de definir
- Aplicação SISTEMÁTICA do c...
↓ ↑
reflexão →→→→→→→decisão→→→→→→→ ação→→→→→→→revisão
-conhecimento de dados
-estudo de alternativas
-adaptação e combinaç...
- a previsão de mudanças, legais, institucionais e administrativas necessárias à implementação;
- distribuição das respons...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Myriam+veras+baptista+planejamento[1]

19.379 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

Myriam+veras+baptista+planejamento[1]

  1. 1. Myriam Veras Baptista. Planejamento • O QUE É PLANEJAMENTO? São inúmeras as formas de definir - Aplicação SISTEMÁTICA do conhecimento humano para PREVER e AVALIAR cursos de ação alternativos com vistas à tomada de decisões adequadas e racionais que sirvam de base para AÇÃO FUTURA (Holanda, 1975). - “PLANEJAR É DECIDIR ANTECIPADAMENTE O QUE DEVE SER FEITO...” (Newman, ) Planejamento⇒planejamento estratégico⇒planejamento contingencial ⇒ contradição que Ansoff passa a tratar como administração/gestão estratégica • a relação TEMPORAL e as diferentes formas de abordagem • como PROCESSO - Processo PERMANENTE e METÓDICO de abordagem racional e científica de problemas - PERMANENTE porque supõe AÇÃO CONTINUADA sobre conjunto dinâmico de variáveis num dado momento histórico; - METÓDICO/RACIONAL/CIENTÍFICO porque supõe uma seqüência de atos decisórios, ORDENADOS em FASES definidas e baseados em CONHECIMENTOS CIENTÍFICOS e técnicos. - Ao mesmo tempo: -Definição de ATIVIDADES que objetivam atender a um problema, OTIMIZADAS em termos de uma SEQUÊNCIA e INTER-RELACIONAMENTO. - Tomar providências para ADOÇÃO, ACOMPANHAMENTO, CONTROLE, AVALIAÇÃO E REDEFINIÇÃO da AÇÃO. Independente da abordagem, Planejar é um conceito relacionado com ⇒ INTERFERIR MODIFICAR DECIDIR AGIR • a proposta para se fazer planejamento se insere num CONTEXTO, ou seja, se constrói a partir de uma determinada realidade - momento histórico - - é também um PROCESSO SOCIAL, uma vez que reflete as especificidades e contradições inerentes a este processo; - revela uma DICOTOMIA entre CONCEITOS E PRINCÍPIOS técnicos e metodológicos ligados ao planejar e a PRÁTICA REAL da elaboração de programas e projetos. Ex: projetos pró-forma, programas para justificar ação política, retóricos, etc. • O PAPEL histórico-social-econômico do planejamento (o planejamento econômico em países subdesenvolvidos como forma sistematizada, racional de desenvolvimento econômico e social) Um falso questionamento sobre a dimensão temporal em relação ao planejamento, uma vez que PLANEJAR pode ser entendido COMO UMA ATITUDE presente ao administrar. Este posicionamento é importante para o administrador, significa uma diferença substancial em relação ao ADMINISTRADOR AGENTE e o ADMINISTRADOR MEIO. Do ponto de vista estratégico a atitude do planejamento pode ser avaliada como ATIVA ou PASSIVA. A importância do planejamento como INSTRUMENTO DE MUDANÇA SOCIAL e de RACIONALIZAÇÃO da atividade humana. Sua inserção histórica no processo administrativo, principalmente na esfera pública representa um avanço da racionalidade técnico-administrativa sobre formas tradicionais (ARBÍTRIO PESSOAL) de ação administrativa. A dimensão POLÍTICA do planejamento é muito importante no processo de DEMOCRATIZAÇÃO do Estado. • a NATUREZA do processo de planejamento envolve: - DIMENSÃO RACIONAL ⇒ prática que norteia (naturalmente) as ações ⇒ “hábito de pensar e agir dentro de uma sistemática própria” (Holanda) ⇒ “mais importante raciocinar como planejador que produzir planos acabados” (Friedmann) - processo racional (Whitaker): ←←←←←←←←←←←←←←←←←←←←←←←←←←←←
  2. 2. ↓ ↑ reflexão →→→→→→→decisão→→→→→→→ ação→→→→→→→revisão -conhecimento de dados -estudo de alternativas -adaptação e combinação de técnicas e conceitos -escolha de alternativas -determinação de meios -definição de prazos -execução das decisões (foco central do planejamento) -crítica dos efeitos da ação - DIMENSÃO POLÍTICA ⇒ processo contínuo de tomada de decisões (pública ou privada); - ocorrem (normalmente): - definição de objetivos e metas, escolha de prioridades e de alternativas de intervenção, definição do volume e composição de recursos, etc. - elemento técnico x elemento político equacionamento→→→decisão→→→→→operacionalização→→→→→→ação conjunto de informações para a tomada de decisão escolha de alternativas (participação variável) detalhamento das atividades efetivação das decisões (PLANOS,PROGRAMAS E PROJETOS) providências para transformar em realidade (implantação, controle e avaliação). - DIMENSÃO VALORATIVA ⇒ conteúdo ÉTICO e desenvolvimento de tecnologias que implicam na CENTRALIZAÇÃO DE PODER. - Necessidade de o técnico ter presente no processo o sistema de valores e as idéias que norteiam o processo, análise CRÍTICA dos resultados, perspectiva de PARTICIPAÇÃO dos influenciados pela ação. - DIMENSÃO TÉCNICO-ADMINISTRATIVA ⇒ atividades que dizem respeito à organização à ação, sob a linha mestra da política de ação. Deve conter: - estrutura organizacional; - normas de conduta; - sistema de informações; - sistema de avaliação e controle. • o conceito de planejamento como PROCESSO, como PRODUTO (seus documentos) e como EMPREENDIMENTO (a implementação do processo, dos programas e planos) • relação entre PLANEJAMENTO, PLANO, PROGRAMA E PROJETO (DOCUMENTOS - conhecimento materialmente fixado) A planificação se dá APÓS a tomada de um CONJUNTO DE DECISÕES para a realização de uma política, de uma ação face um problema, uma conjuntura, uma determinada realidade que foi o fermento da atividade de planejamento até este momento. - necessidade, de APROFUNDAR, ESPECIFICAR, EXPLICITAR e DETALHAR. - agora, um DOCUMENTO começa a ser elaborado, preliminarmente até um documento final que SISTEMATIZA, INTERPRETA e OPERACIONALIZA a ação decidida. - o documento tem um TEMPO onde se realiza, um ESPAÇO onde atua e um VOLUME (uma quantidade) a ser aplicado e esperado. PLANO Decisões de caráter geral, grandes linhas políticas, estratégias, diretrizes e responsabilidades. Fornecer referencial para planos setoriais (coerência) Componentes estruturais de um PLANO: - síntese dos fatos, necessidades que motivam o plano e a formulação de objetivos; - política de prioridades (com justificativa da escolha); - o quadro ordenado das mudanças a operar; - quadro cronológico das metas ou resultados esperados em cada mudança a operar; - volume e composição das inversões e gastos; - especificação das fontes e modalidades de financiamento;
  3. 3. - a previsão de mudanças, legais, institucionais e administrativas necessárias à implementação; - distribuição das responsabilidades na execução e avaliação. PROGRAMA Aprofundamento do plano, os objetivos setoriais do plano são os centrais do programa. Detalha por setor a política, as diretrizes, metas e medidas planejadas. Quadro de referência do projeto Elementos básicos do programa: - síntese de informações a respeito da mudança a ser programada; - formulação explícita das funções de cada agente do programa; - formulação de objetivos gerais e específicos em coerência explícita com o plano e o relacionamento com outros programas; - atividades e projetos que comporão o programa e sumário de objetivos e ação; - recursos humanos, físicos e materiais mobilizados; - explicitação das medidas administrativas necessárias à execução e manutenção. PROJETO Traçado prévio da operação de uma unidade de ação (mais abstrato). Unidade elementar do processo sistemático de racionalização de decisões. Proposição de produção de algum bem ou serviço, com emprego de técnicas determinadas e com objetivo de resultados definidos (mais material) Meios necessários à realização e adequação de meios aos fins pretendidos. Instrumental mais próximo da execução (estabelece prazos, recursos, materiais, custos e receitas). - administrar como a arte de tomar decisões geração de recursos ⇐CURTO PRAZO⇒ produzir hoje com a estrutura existente aplicação de recursos ⇐ LONGO PRAZO ⇒ planejar, projetar a ação - EX: - projeto de ampliação de capacidade, - análise de viabilidade (maximizar retornos e minimizar riscos); - captação de recursos (importante no Brasil, análise racional para concessão de recursos) PLANO/PROGRAMA/PROJETO - níveis de HIERARQUIZAÇÃO sistematizados de decisões e objetivos de longo prazo ⇓ ⇓ cuja OTIMIZAÇÃO pretende o melhor projeto ⇔ o melhor programa - PROJETO como soma de diversas ferramentas e técnicas de administração como MKT (determinação de demanda, preço, etc.), PRODUÇÃO (dimensionamento, tecnologia, localização) e FINANCEIRA (estrutura do capital, determinação de receitas e custos, análise viabilidade) - nenhuma ferramenta nova mas uma SÍNTESE de ferramentas ⇒ poderoso processo de tomada de decisão ⇓ INTERRELACIONADAS, de tal forma que, separadamente não podem ser utilizadas nem se prestam a um resultado satisfatório. - processo que parte da identificação de idéias - pré-viabilidade - viabilidade final (aproximações sucessivas)

×