SlideShare uma empresa Scribd logo
SLIDE 5

JUST-IN-
JUST-IN-TIME
JUST-IN-TIME
                    Qualquer quantidade maior do
                     que o mínimo necessário de
                       equipamento, materiais,
                      componentes e tempo de
                       trabalho absolutamente
                        essencial à produção.



                       ELIMINAÇÃO
QUALIDADE                  DE
NA FONTE              DESPERDÍCIOS



  ENVOLVIMENTO DOS FUNCIONÁRIOS
JUST IN TIME - JIT

- SURGIU NO JAPÃO IDÉIA BÁSICA DESENVOLVIDA NA TOYOTA MOTOR COMPANY

 SEMPRE QUE POSSÍVEL, NENHUMA ATIVIDADE DEVE OCORRER EM UM SISTEMA
               ATÉ QUE OCORRA A NECESSIDADE PARA TAL.


    É UM SISTEMA QUE VISA SINCRONIZAR A ENTREGA DE PEÇAS PELO
    FORNECEDOR, CONFORME O SEQUENCIAMENTO DA LINHA, ASSEGURANDO O
    FORNECIMENTO DE PEÇAS À PRODUÇÃO COM INVENTÁRIO ZERO.




     A PEÇA CERTA
                                                       NA QUANTIDADE
                                                           CERTA




    NO MOMENTO CERTO
                                                            R.L.Lucchesi
SISTEMA TRADICIONAL X SISTEMA JUST-IN-TIME
                                        JUST-IN-

 SISTEMA EMPURRADO - TRADICIONAL

PRODUTOS FABRICADOS OU MONTADOS EM LOTES ANTES DA DEMANDA E
ESTOCADOS COMO ESTOQUES DE SEGURANÇA


                               X
 JIT - CONCEITO DE “PUXAR” A DEMANDA




                                   Produção “Empurrada”
                                            “Empurrada”



                                   Produção “Puxada”
INVESTIMENTOS EM ESTOQUE




 Problemas




Falhas de Previsão / Fornecedores não confiáveis / Problemas de
Qualidade / Gargalos / Retrabalho / Refugo (resto) / Quebra de Máquina ...

  O investimento em estoque é como um lago grande e profundo. Bem abaixo
 encontram-se inúmeras rochas pontiagudas, mas, em virtude da profundidade
  das águas, o capitão do navio não precisa ter medo de se chocar contra elas.

   ESTA CITAÇÃO ESTÁ COMPARANDO AS ÁGUAS DE UM LAGO PROFUNDO À QUE?

        No Japão, segundo a visão geral, o estoque é um desperdício.
JIT - Filosofia composta de práticas gerenciais que
podem ser aplicadas em qualquer parte do mundo

 ALGUMAS EXPRESSÕES SÃO GERALMENTE USADAS PARA TRADUZIR
            ASPECTOS DA FILOSOFIA JUST IN TIME:


PRODUÇÃO SEM ESTOQUE


                               ELIMINAÇÃO DE DESPERDÍCIOS


MANUFATURA DE FLUXO CONTÍNUO



             ESFORÇO CONTÍNUO NA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS



MELHORIA CONTÍNUA DOS PROCESSOS
KANBAN
  FILME APRESENTADO: TOYOTA – SISTEMA JIT / KANBAN

       http://www.youtube.com/watch?v=6vmdVR9dzPM



    DEBATE EM SALA:

A) QUANDO INICIOU? QUAL ERA A META?

B) NA ÉPOCA COMO ERA A PRODUÇÃO DE AUTOMÓVEIS NOS USA EM COMPARAÇÃO
AO JAPÃO?

C) O QUE PROCURARAM FAZER PARA MELHORIA DO PROCESSO?

D) QUAL CONCEITO FOI COLOCADO EM PRÁTICA?

E) COMO FUNCIONAVA O PROCESSO TRADICIONAL NA ÁREA DE PRODUÇÃO?

F) COMO FUNCIONAVA O PROCESSO COM BASE NO SISTEMA KANBAN?

G) QUAL O RETORNO DO SISTEMA JUST IN TIME?

H) QUAL A IDÉIA PRINCIPAL DESTE PROJETO?

Mais conteúdo relacionado

Destaque

5 Things to Stop Doing With Your Recruitment Technology in 2017
5 Things to Stop Doing With Your Recruitment Technology in 20175 Things to Stop Doing With Your Recruitment Technology in 2017
5 Things to Stop Doing With Your Recruitment Technology in 2017
Barclay Jones: Making Recruiters More Successful
 
USABILIDADE
USABILIDADEUSABILIDADE
USABILIDADE
Andrea Dalforno
 
What Is a Phase I Clinical Trial?
What Is a Phase I Clinical Trial?What Is a Phase I Clinical Trial?
What Is a Phase I Clinical Trial?
Dana-Farber Cancer Institute
 
Diapositiva de economia
Diapositiva de economiaDiapositiva de economia
Diapositiva de economia
Rosaluz Aguilar Contreras
 
Ppt peran argoindustri dalam pembangunan ekonomi
Ppt peran argoindustri dalam pembangunan ekonomi Ppt peran argoindustri dalam pembangunan ekonomi
Ppt peran argoindustri dalam pembangunan ekonomi
Putri Suwarno
 
2º de Bachillerato HES - Tema 3 - Siglo XX - La II República
2º de Bachillerato HES - Tema 3 - Siglo XX - La II República2º de Bachillerato HES - Tema 3 - Siglo XX - La II República
2º de Bachillerato HES - Tema 3 - Siglo XX - La II República
Sergio García Arama
 
Mempertanyakan Rasionalitas dan Estetika Matematika
Mempertanyakan Rasionalitas dan Estetika MatematikaMempertanyakan Rasionalitas dan Estetika Matematika
Mempertanyakan Rasionalitas dan Estetika Matematika
Iwan Pranoto
 

Destaque (7)

5 Things to Stop Doing With Your Recruitment Technology in 2017
5 Things to Stop Doing With Your Recruitment Technology in 20175 Things to Stop Doing With Your Recruitment Technology in 2017
5 Things to Stop Doing With Your Recruitment Technology in 2017
 
USABILIDADE
USABILIDADEUSABILIDADE
USABILIDADE
 
What Is a Phase I Clinical Trial?
What Is a Phase I Clinical Trial?What Is a Phase I Clinical Trial?
What Is a Phase I Clinical Trial?
 
Diapositiva de economia
Diapositiva de economiaDiapositiva de economia
Diapositiva de economia
 
Ppt peran argoindustri dalam pembangunan ekonomi
Ppt peran argoindustri dalam pembangunan ekonomi Ppt peran argoindustri dalam pembangunan ekonomi
Ppt peran argoindustri dalam pembangunan ekonomi
 
2º de Bachillerato HES - Tema 3 - Siglo XX - La II República
2º de Bachillerato HES - Tema 3 - Siglo XX - La II República2º de Bachillerato HES - Tema 3 - Siglo XX - La II República
2º de Bachillerato HES - Tema 3 - Siglo XX - La II República
 
Mempertanyakan Rasionalitas dan Estetika Matematika
Mempertanyakan Rasionalitas dan Estetika MatematikaMempertanyakan Rasionalitas dan Estetika Matematika
Mempertanyakan Rasionalitas dan Estetika Matematika
 

Semelhante a Slide 5

Just in time (jit)
Just in time (jit)Just in time (jit)
Just in time (jit)
Robson Costa
 
Sistema Toyota de Produção
Sistema Toyota de ProduçãoSistema Toyota de Produção
Sistema Toyota de Produção
Alexandre Bonifacio Silva
 
Lean Manufacturing 6
Lean Manufacturing 6Lean Manufacturing 6
Lean Manufacturing 6
daniellopesfranco
 
Jit – just in time
Jit – just in timeJit – just in time
Jit – just in time
trainertek
 
Jit – just in time
Jit – just in timeJit – just in time
Jit – just in time
trainertek
 
Aula 02 just in time e kanban 1
Aula 02   just in time e kanban 1Aula 02   just in time e kanban 1
Aula 02 just in time e kanban 1
josmar faria
 
Mecanismo da Função Produção Perdas
Mecanismo da Função Produção PerdasMecanismo da Função Produção Perdas
Mecanismo da Função Produção Perdas
University
 
Aula 01 Planejamento e Controle de Obras
Aula 01 Planejamento e Controle de ObrasAula 01 Planejamento e Controle de Obras
Aula 01 Planejamento e Controle de Obras
Gabriel Do Nascimento Pereira
 
Lean Software Development
Lean Software DevelopmentLean Software Development
Lean Software Development
Rodrigo Branas
 
MATERIAL GENÉRICO DE APOIO A MENTALIDADE_ENXUTA_ALT.pptx
MATERIAL GENÉRICO DE APOIO A MENTALIDADE_ENXUTA_ALT.pptxMATERIAL GENÉRICO DE APOIO A MENTALIDADE_ENXUTA_ALT.pptx
MATERIAL GENÉRICO DE APOIO A MENTALIDADE_ENXUTA_ALT.pptx
Alessandro M da Rocha
 
Just in time 1
Just in time 1Just in time 1
Just in time 1
jucimario
 
Vantagens e desvantagens do justin time
Vantagens e desvantagens do justin timeVantagens e desvantagens do justin time
Vantagens e desvantagens do justin time
Danny Moura
 
Toyota
ToyotaToyota
STP - SHIGEO SHINGO
STP - SHIGEO SHINGOSTP - SHIGEO SHINGO
STP - SHIGEO SHINGO
Sandro Marques Solidario
 
Aula 2
Aula 2Aula 2
Lean Manufacturing
Lean ManufacturingLean Manufacturing
Lean Manufacturing
Daisy Marschalk
 
Aula 8 - Sistemas de Produção
Aula 8 - Sistemas de ProduçãoAula 8 - Sistemas de Produção
Aula 8 - Sistemas de Produção
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Unidade 7 - novas ferramentas de gestão
Unidade 7  - novas ferramentas de gestãoUnidade 7  - novas ferramentas de gestão
Unidade 7 - novas ferramentas de gestão
Daniel Moura
 
Aula 10 fadm
Aula 10 fadmAula 10 fadm
Aula 10 fadm
Francisco L Carvalho
 
Introdução à Gestão da Produção
Introdução à Gestão da ProduçãoIntrodução à Gestão da Produção
Introdução à Gestão da Produção
Eliseu Fortolan
 

Semelhante a Slide 5 (20)

Just in time (jit)
Just in time (jit)Just in time (jit)
Just in time (jit)
 
Sistema Toyota de Produção
Sistema Toyota de ProduçãoSistema Toyota de Produção
Sistema Toyota de Produção
 
Lean Manufacturing 6
Lean Manufacturing 6Lean Manufacturing 6
Lean Manufacturing 6
 
Jit – just in time
Jit – just in timeJit – just in time
Jit – just in time
 
Jit – just in time
Jit – just in timeJit – just in time
Jit – just in time
 
Aula 02 just in time e kanban 1
Aula 02   just in time e kanban 1Aula 02   just in time e kanban 1
Aula 02 just in time e kanban 1
 
Mecanismo da Função Produção Perdas
Mecanismo da Função Produção PerdasMecanismo da Função Produção Perdas
Mecanismo da Função Produção Perdas
 
Aula 01 Planejamento e Controle de Obras
Aula 01 Planejamento e Controle de ObrasAula 01 Planejamento e Controle de Obras
Aula 01 Planejamento e Controle de Obras
 
Lean Software Development
Lean Software DevelopmentLean Software Development
Lean Software Development
 
MATERIAL GENÉRICO DE APOIO A MENTALIDADE_ENXUTA_ALT.pptx
MATERIAL GENÉRICO DE APOIO A MENTALIDADE_ENXUTA_ALT.pptxMATERIAL GENÉRICO DE APOIO A MENTALIDADE_ENXUTA_ALT.pptx
MATERIAL GENÉRICO DE APOIO A MENTALIDADE_ENXUTA_ALT.pptx
 
Just in time 1
Just in time 1Just in time 1
Just in time 1
 
Vantagens e desvantagens do justin time
Vantagens e desvantagens do justin timeVantagens e desvantagens do justin time
Vantagens e desvantagens do justin time
 
Toyota
ToyotaToyota
Toyota
 
STP - SHIGEO SHINGO
STP - SHIGEO SHINGOSTP - SHIGEO SHINGO
STP - SHIGEO SHINGO
 
Aula 2
Aula 2Aula 2
Aula 2
 
Lean Manufacturing
Lean ManufacturingLean Manufacturing
Lean Manufacturing
 
Aula 8 - Sistemas de Produção
Aula 8 - Sistemas de ProduçãoAula 8 - Sistemas de Produção
Aula 8 - Sistemas de Produção
 
Unidade 7 - novas ferramentas de gestão
Unidade 7  - novas ferramentas de gestãoUnidade 7  - novas ferramentas de gestão
Unidade 7 - novas ferramentas de gestão
 
Aula 10 fadm
Aula 10 fadmAula 10 fadm
Aula 10 fadm
 
Introdução à Gestão da Produção
Introdução à Gestão da ProduçãoIntrodução à Gestão da Produção
Introdução à Gestão da Produção
 

Mais de Edvaldo Viana

7 ferram qual cd
7 ferram qual cd7 ferram qual cd
7 ferram qual cd
Edvaldo Viana
 
Gurus-da-qualidade pptm
Gurus-da-qualidade  pptmGurus-da-qualidade  pptm
Gurus-da-qualidade pptm
Edvaldo Viana
 
Manual de normalizacao
Manual de normalizacaoManual de normalizacao
Manual de normalizacao
Edvaldo Viana
 
Capa apostila metrologia 2 mod. mecanica
Capa   apostila metrologia 2 mod. mecanicaCapa   apostila metrologia 2 mod. mecanica
Capa apostila metrologia 2 mod. mecanica
Edvaldo Viana
 
29. calibração de paquímetros e micrômetros
29. calibração de paquímetros e micrômetros29. calibração de paquímetros e micrômetros
29. calibração de paquímetros e micrômetros
Edvaldo Viana
 
28.terminologia e conceitos de metrologia
28.terminologia e conceitos de metrologia28.terminologia e conceitos de metrologia
28.terminologia e conceitos de metrologia
Edvaldo Viana
 
27.tolerância geométrica de posição
27.tolerância geométrica de posição27.tolerância geométrica de posição
27.tolerância geométrica de posição
Edvaldo Viana
 
26.tolerância geométrica de orientação
26.tolerância geométrica de orientação26.tolerância geométrica de orientação
26.tolerância geométrica de orientação
Edvaldo Viana
 
25.tolerância geometrica de forma
25.tolerância geometrica de forma25.tolerância geometrica de forma
25.tolerância geometrica de formaEdvaldo Viana
 
23.medição tridimensional
23.medição tridimensional23.medição tridimensional
23.medição tridimensional
Edvaldo Viana
 
22.máquina universal de medir
22.máquina universal de medir22.máquina universal de medir
22.máquina universal de medir
Edvaldo Viana
 
21.projetores
21.projetores21.projetores
21.projetores
Edvaldo Viana
 
20.representação de rugosidade
20.representação de rugosidade20.representação de rugosidade
20.representação de rugosidade
Edvaldo Viana
 
19.parâmetros de rugosidade
19.parâmetros de rugosidade19.parâmetros de rugosidade
19.parâmetros de rugosidade
Edvaldo Viana
 
18.rugosidade
18.rugosidade18.rugosidade
18.rugosidade
Edvaldo Viana
 
17. régua e mesa de seno
17. régua e mesa de seno17. régua e mesa de seno
17. régua e mesa de seno
Edvaldo Viana
 
16.goniômetro
16.goniômetro16.goniômetro
16.goniômetro
Edvaldo Viana
 
15.relógio comparador
15.relógio comparador15.relógio comparador
15.relógio comparador
Edvaldo Viana
 
14.verificadores
14.verificadores14.verificadores
14.verificadores
Edvaldo Viana
 
14.controle trigonométrico
14.controle trigonométrico14.controle trigonométrico
14.controle trigonométrico
Edvaldo Viana
 

Mais de Edvaldo Viana (20)

7 ferram qual cd
7 ferram qual cd7 ferram qual cd
7 ferram qual cd
 
Gurus-da-qualidade pptm
Gurus-da-qualidade  pptmGurus-da-qualidade  pptm
Gurus-da-qualidade pptm
 
Manual de normalizacao
Manual de normalizacaoManual de normalizacao
Manual de normalizacao
 
Capa apostila metrologia 2 mod. mecanica
Capa   apostila metrologia 2 mod. mecanicaCapa   apostila metrologia 2 mod. mecanica
Capa apostila metrologia 2 mod. mecanica
 
29. calibração de paquímetros e micrômetros
29. calibração de paquímetros e micrômetros29. calibração de paquímetros e micrômetros
29. calibração de paquímetros e micrômetros
 
28.terminologia e conceitos de metrologia
28.terminologia e conceitos de metrologia28.terminologia e conceitos de metrologia
28.terminologia e conceitos de metrologia
 
27.tolerância geométrica de posição
27.tolerância geométrica de posição27.tolerância geométrica de posição
27.tolerância geométrica de posição
 
26.tolerância geométrica de orientação
26.tolerância geométrica de orientação26.tolerância geométrica de orientação
26.tolerância geométrica de orientação
 
25.tolerância geometrica de forma
25.tolerância geometrica de forma25.tolerância geometrica de forma
25.tolerância geometrica de forma
 
23.medição tridimensional
23.medição tridimensional23.medição tridimensional
23.medição tridimensional
 
22.máquina universal de medir
22.máquina universal de medir22.máquina universal de medir
22.máquina universal de medir
 
21.projetores
21.projetores21.projetores
21.projetores
 
20.representação de rugosidade
20.representação de rugosidade20.representação de rugosidade
20.representação de rugosidade
 
19.parâmetros de rugosidade
19.parâmetros de rugosidade19.parâmetros de rugosidade
19.parâmetros de rugosidade
 
18.rugosidade
18.rugosidade18.rugosidade
18.rugosidade
 
17. régua e mesa de seno
17. régua e mesa de seno17. régua e mesa de seno
17. régua e mesa de seno
 
16.goniômetro
16.goniômetro16.goniômetro
16.goniômetro
 
15.relógio comparador
15.relógio comparador15.relógio comparador
15.relógio comparador
 
14.verificadores
14.verificadores14.verificadores
14.verificadores
 
14.controle trigonométrico
14.controle trigonométrico14.controle trigonométrico
14.controle trigonométrico
 

Último

497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
JoanaFigueira11
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
erssstcontato
 
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃOAUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
FernandaOliveira758273
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
AntonioLobosco3
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
MARCELARUBIAGAVA
 
A importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino MédioA importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino Médio
nunesly
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
bmgrama
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptxTudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
IACEMCASA
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
sjcelsorocha
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 

Último (20)

497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
497417426-conheca-os-principais-graficos-da-radiestesia-e-da-radionica.pdf
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
 
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃOAUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
 
A importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino MédioA importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino Médio
 
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdfApostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
Apostila-Microbiologia-e-Parasitologia-doc.pdf
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptxTudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
Tudo sobre a Inglaterra, curiosidades, moeda.pptx
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 

Slide 5

  • 2. JUST-IN-TIME Qualquer quantidade maior do que o mínimo necessário de equipamento, materiais, componentes e tempo de trabalho absolutamente essencial à produção. ELIMINAÇÃO QUALIDADE DE NA FONTE DESPERDÍCIOS ENVOLVIMENTO DOS FUNCIONÁRIOS
  • 3. JUST IN TIME - JIT - SURGIU NO JAPÃO IDÉIA BÁSICA DESENVOLVIDA NA TOYOTA MOTOR COMPANY SEMPRE QUE POSSÍVEL, NENHUMA ATIVIDADE DEVE OCORRER EM UM SISTEMA ATÉ QUE OCORRA A NECESSIDADE PARA TAL. É UM SISTEMA QUE VISA SINCRONIZAR A ENTREGA DE PEÇAS PELO FORNECEDOR, CONFORME O SEQUENCIAMENTO DA LINHA, ASSEGURANDO O FORNECIMENTO DE PEÇAS À PRODUÇÃO COM INVENTÁRIO ZERO. A PEÇA CERTA NA QUANTIDADE CERTA NO MOMENTO CERTO R.L.Lucchesi
  • 4. SISTEMA TRADICIONAL X SISTEMA JUST-IN-TIME JUST-IN- SISTEMA EMPURRADO - TRADICIONAL PRODUTOS FABRICADOS OU MONTADOS EM LOTES ANTES DA DEMANDA E ESTOCADOS COMO ESTOQUES DE SEGURANÇA X JIT - CONCEITO DE “PUXAR” A DEMANDA Produção “Empurrada” “Empurrada” Produção “Puxada”
  • 5. INVESTIMENTOS EM ESTOQUE Problemas Falhas de Previsão / Fornecedores não confiáveis / Problemas de Qualidade / Gargalos / Retrabalho / Refugo (resto) / Quebra de Máquina ... O investimento em estoque é como um lago grande e profundo. Bem abaixo encontram-se inúmeras rochas pontiagudas, mas, em virtude da profundidade das águas, o capitão do navio não precisa ter medo de se chocar contra elas. ESTA CITAÇÃO ESTÁ COMPARANDO AS ÁGUAS DE UM LAGO PROFUNDO À QUE? No Japão, segundo a visão geral, o estoque é um desperdício.
  • 6. JIT - Filosofia composta de práticas gerenciais que podem ser aplicadas em qualquer parte do mundo ALGUMAS EXPRESSÕES SÃO GERALMENTE USADAS PARA TRADUZIR ASPECTOS DA FILOSOFIA JUST IN TIME: PRODUÇÃO SEM ESTOQUE ELIMINAÇÃO DE DESPERDÍCIOS MANUFATURA DE FLUXO CONTÍNUO ESFORÇO CONTÍNUO NA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS MELHORIA CONTÍNUA DOS PROCESSOS
  • 7. KANBAN FILME APRESENTADO: TOYOTA – SISTEMA JIT / KANBAN http://www.youtube.com/watch?v=6vmdVR9dzPM DEBATE EM SALA: A) QUANDO INICIOU? QUAL ERA A META? B) NA ÉPOCA COMO ERA A PRODUÇÃO DE AUTOMÓVEIS NOS USA EM COMPARAÇÃO AO JAPÃO? C) O QUE PROCURARAM FAZER PARA MELHORIA DO PROCESSO? D) QUAL CONCEITO FOI COLOCADO EM PRÁTICA? E) COMO FUNCIONAVA O PROCESSO TRADICIONAL NA ÁREA DE PRODUÇÃO? F) COMO FUNCIONAVA O PROCESSO COM BASE NO SISTEMA KANBAN? G) QUAL O RETORNO DO SISTEMA JUST IN TIME? H) QUAL A IDÉIA PRINCIPAL DESTE PROJETO?