DINÂMICA:Congresso dos personagens da literatura infantil

2.796 visualizações

Publicada em

Esta dinâmica é uma adaptação do congresso das flores e as fotos foras retiradas do Google imagens.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.796
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
41
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

DINÂMICA:Congresso dos personagens da literatura infantil

  1. 1. Esta dinâmica foi adaptada do congresso das flores.Os cartões abaixo dever ser recortados em quantidades iguais e distribuídas com os alunos que serão os personagens do congresso e vão ler e interagir DINÂMICA: CONGRESSO Dos personagens das histórias infantis – Tema: O QUE É A VIDA? Certa vez, no Reino da Floresta Encantada, no dia do livro infantil. Um dia muito especial comemorado na floresta, o Rei convocou todos os personagens dos contos infantis para o congresso. O Rei falou: queridos amigos (as), neste dia especial, vocês todos estão convocadas para um Congresso muito importante. Venham todos, pois o tema em questão é: O QUE É A VIDA Todos os personagens se preparam para o tal congresso, com suas características mais marcantes. Cada uma no Reino tinha seu próprio perfil e todas sabiam que cada um era importante para o Reino. E elas se animaram muito, pois falar de vida era um tesouro. Naquele Reino, era a coisa mais importante. Sabiam que a vida era um tesouro extremamente valioso. Eis que o Congresso se inicia: O VISCONDE DE SABUGOSA foi o primeiro a falar, e com todo respeito, foi logo dizendo que a amizade é distribuir Aperto de Mão a Todos que Encontrar. E todos os presentes concordaram. RAPUNZEL logo se levantou e disse que ter vida Para ele era sorrir em qualquer situação. A BELA ADORMECIDA cheia de encanto olhou todos e disse: ter vida É acariciar a todos. BRANCA DE NEVE cheia de charme disse que ter vida, era Beijar a todos que encontrar. O GATO DE BOTAS muito afetuoso na sua vez de falar, com os braços erguidos, disse que a vida era Dar abraços a todos. A FADA AZUL muito transcendental, comentou que sendo os olhos o espelho da alma, a vida era Ter olhar cheio de ternura. A PEQUENA SEREIA na sua vez, muito tímida e discreta, que nunca dá palpite sussurrou bem baixinho: ter vida É saber ouvir o outro. CHAPEUZINHO VERMELHO que já não se agüentava mais quieta, pois quase sempre queria falar sem ser sua vez, finalmente pode dizer empolgada que ter vida era exclamar sempre, a qualquer hora e em qualquer lugar Eu adoro você. De repente, um vento forte, soprou tanto que todos os presentes quase foram levadas. já estavam quase voando de tão delicadas que eram. Todas teriam sido levados pelo vento se elas ñ tivessem se unido ( todos se abraçam), para superarem aquele vento forte que logo iria embora. E o ventou parou. Passou o perigo, nossa que alegria ( volta-se ao normal) O rei muito compreensivo, aproveitou o momento para finalizar o Congresso. Pediu silêncio a todos e concluiu: Meus queridos amigos, o aperto de mão, o sorriso, o acariciar, o beijo, o abraço, o olhar cheio de ternura, o saber ouvir e falar o que se sente sinceramente, tudo isso é importante. E nesta manifestação, seja como ela for o principal na vida é a união.
  2. 2. O VISCONDE DE SABUGOSA foi o primeiro a falar, e com todo respeito, foi logo dizendo que amizade é distribuir aperto de mão a todos que encontrar. E todos os presentes concordaram. RAPUNZEL logo se levantou e disse que ter vida Para ele era sorrir em qualquer situação. A BELA ADORMECIDA cheia de encanto olhou todos e disse: ter vida É acariciar a todos.
  3. 3. BRANCA DE NEVE cheia de charme disse que ter vida, era Beijar a todos que encontrar. O GATO DE BOTAS muito afetuoso na sua vez de falar, com os braços erguidos, disse que a vida era dar abraços a todos. A FADA AZUL muito transcendental comentou que sendo os olhos o espelho da alma, a vida era Ter olhar cheio de ternura.
  4. 4. A PEQUENA SEREIA na sua vez, muito tímida e discreta, que nunca dá palpite sussurrou baixinho: ter vida é saber ouvir o outro. CHAPEUZINHO VERMELHO que já não se agüentava mais quieta, pois quase sempre queria falar sem ser sua vez, finalmente pode dizer empolgada que ter vida era exclamar sempre, a qualquer hora e em qualquer lugar Eu adoro você

×