Introdução a Plataforma Android

600 visualizações

Publicada em

Workshop ministrado em 10/10/2012 durante o Media Week II promovido pelo curso de Sistemas e Mídias Digitais na Universidade Federal do Ceará.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
600
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
27
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Introdução a Plataforma Android

  1. 1. Dêmora Bruna Sousa Édipo da Silva Souza
  2. 2. O que é Android exatamente? • Android é uma pilha de software que inclui um sistema operacional, um middleware e aplicações chaves. • Ele foi projetado com amplo suporte ao desenvolvimento de aplicativos por parte de terceiros. • Desenvolvedores que almejem criar aplicativos para essa plataforma possuem acesso a mesma API utilizada na criação dos aplicativos nativos do Android. Isso permite o desenvolvimento de aplicativos bastante flexíveis e que usam recursos avançados do sistema.
  3. 3. Ferramentas utilizadas • Para o desenvolvimento de aplicações Android utilizaremos as seguintes ferramentas: 1. JDK (Java Development Kit) 2. Eclipse 3. Android SDK (Android Standard Development Kit) 4. ADT (Android Development Tools) para o Eclipse
  4. 4. Instalação do ADT • Help > Install New Software e em seguida aperte o botão Add. • Window > Preferences e depois Android. No campo SDK Location, deve ser colocado o caminho onde instalação do Android SDK foi realizada.
  5. 5. Visão geral do ambiente ADT • O plugin ADT é uma ferramenta de apoio muito poderosa que permite o controle minucioso de um dispositivo Android, quer seja ele emulado ou não. Entre suas funcionalidades, podemos citar: emulação de GPS, recebimento de chamadas e de SMS, acesso ao diretório de arquivos e captura de tela do dispositivo, etc.
  6. 6. Download da versão 2.3 • No menu superior do Eclipse, escolha Window > Android SDK Manager. • Selecione para instalação os itens Tools e SDK Platform dentro de Android, e 2.3.3 (API10).
  7. 7. Criação de um Virtual Device • Window > AVD Manager • Apete o botão New...
  8. 8. Hello World • Tendo o seu ambiente de desenvolvimento configurado, a criação de um primeiro aplicativo Android é bastante simples: 1. Acesse o menu File > New > Android Project.
  9. 9. • O projeto de sua primeira aplicação foi criado com sucesso. Agora já é possível visualizar o projeto no canto esquerdo da tela. • Os principais diretórios e arquivos dessa estrutura são: • src: Pasta que conterá o código- fonte Java escrito pelo desenvolvedor. • gen: Esse diretório contem código-fonte gerado automaticamente pelo eclipse. • res: Diretório onde todos os recursos (imagens, arquivos em geral, etc...) do aplicativo são armazenados. • AndroidManifest.xml: Arquivo onde metadados da sua aplicação serão informados. Aqui vão informações como, por exemplo, as permissões que o aplicativo necessita do sistema funcionar corretamente.
  10. 10. • Ao abrir o arquivo res > layout > main.xml, poderemos visualizar o layout da aplicação:
  11. 11. Executando a aplicação 1. Click com o botão direito do mouse na raiz da estrutura do projeto. 2. Selecione Run As > Android Application.
  12. 12. Activity • Activity é um tipo de classe do framework Android que provê uma tela (interface) com a qual o usuário interage. Comumente essas classes podem utilizar arquivos XML de layout para definir suas telas. A maioria das aplicações conterá múltiplas activities fracamente acopladas, sendo uma a sua inicial (tela inicial do aplicativo).
  13. 13. Activity • O fluxo comum em um programa se dá a partir de activities que iniciam novas acitivities. Quando uma activity é iniciada, a anterior para de executar e entra em uma pilha. O botão “back” presente nos dispositivo Android permite que o usuário seja capaz de voltar activities.
  14. 14. Uma nova activity • Para criar uma nova activity, é necessário implementar uma subclasse de Activity e sobrescrever alguns métodos.
  15. 15. Adicionando layout • Clique com o botão direito do mouse no código-fonte de sua Activity e selecione Source > Override/Implement Methods... . Marque o item onCreate(Bundle) e aperte o botão Ok. • Agora, dentro do diretório res/layout do projeto, crie uma copia do arquivo main.xml e renomeie como mylayout.xml. • Dentro do método onCreate(), faça uma chamada ao método setContentView() passando R.layout.mylayout como parâmetro.
  16. 16. Declarando • Para que a activity seja executada pela aplicação é necessário declará-la no AndroidManifest.xml. • O trecho de código abaixo deve ser inserido dentro da tag <application>: <activity android:name=”.NomeDaActivityCriada” />
  17. 17. Chamando a Activity • Uma activity pode ser chamada utilizando o método startActivity() Intent i = new Intent(this, NomeActivity.class); startActivity(i);
  18. 18. Ciclo de Vida • Durante a vida de uma activity, muitos eventos podem ocorrer. Ações do usuário como apertar os botões “home” e “back”, abrir novas telas (activities), ou o recebimento de chamadas como receber uma ligação, etc., geram vários eventos que podem ser capturados dentro de uma activity.
  19. 19. Interface com usuário • Uma interface de usuário em uma aplicação Android é um conjunto de objetos do tipo View. Todo e qualquer componente de interface gráfica é uma subclasse de View. Por exemplo: EditText, TextView, Button, LinearLayout, ImageView. • Em Interfaces de usuário (UI) existem views chamadas layout. Um layout define como views que estarão dentro dele serão dispostas.
  20. 20. LinearLayout • Alinha todos os elementos em uma unica direção, horizontal ou vertical.
  21. 21. RelativeLayout • A posição de cada elemento é especificado em relação a posicao dos elementos irmãos ou em relação ao RelativeLayout pai.
  22. 22. ListView • Mostra uma lista de itens.
  23. 23. GridView • Exibe itens em uma grade bidimensional, rolável.
  24. 24. AndroidManifest • Toda aplicação necessita de um arquivo AndroidManifest.xml. Esse arquivo contém informações sobre sua aplicação que o Android necessita para que seu código seja executado corretamente e em segurança. Entre as principais informações que estão ou podem estar presentes no AndroidManifest.xml, podemos citar: • Nome do pacote Java da aplicação (serve como identificador único da aplicação);
  25. 25. • Descrição dos componentes que sua aplicação contem (ex.: activities e services); • Permissões de usuário que seu aplicativo necessita para rodar em um dispositivo (ex.: acesso a internet e localização de usuário); • Declaração de qual API Android mínima é necessária para rodar o aplicativo.
  26. 26. Aplicações Exemplo • Mini-Web-Browser • Mini-Mp3-Player Projeto hospedado no Google Code. http://code.google.com/p/mini-web-browser-exemplo Projeto hospedado no Google Code. http://code.google.com/p/mini-mp3-player/
  27. 27. Mini-Web-Browser • Estrutura • Interface. • Activity. • Listener. • Permissões.
  28. 28. Mini-Web-Browser • Estrutura. • src:Activity e Classes em Geral • gen: Classe R gerada automaticamente • assets: Arquivos extras (não temos) • bin: Classes e Apk compilados • libs: Bibliotecas no projeto (não temos) • res/drawable: Imagens em cada resolução • res/layout: XML das Interfaces • res/menu: XML dos Menus • res/values: XML com Strings e Styles
  29. 29. Mini-Web-Browser • Interface: Nossa interface será composta por: • Botão Voltar; (id = ibVoltar) • Botão Home; (id = ibHome) • Botão Ir; (id = ibIR) • Editor de Texto URL; (id = etURL) • WebView; (id = browser)
  30. 30. Mini-Web-Browser • XML da Interface
  31. 31. Mini-Web-Browser • Activity • Bloco de variáveis para podermos fazer referencia aos componentes. • Comandos de configuração no onCreate.
  32. 32. Mini-Web-Browser • Activity • Método de configuração dos componentes para suas respectivas variáveis de referência.
  33. 33. • Activity • Adicionado variáveis de referência dos componentes, configurações da activity no onCreate e método de configuração dos componentes. • Mas ainda esta faltando a classe MyWebViewClien te()
  34. 34. Mini-Web-Browser • Activity • Aqui temos a classe MyWebViewCliente que é responsável por gerenciar o componente WebView e nela implementamos uma ação para ocorrer após a página ser carregada.
  35. 35. Mini-Web-Browser • Activity • Método onClick(View v), verifica qual botão o chamou e toma a devida ação para ele.
  36. 36. Mini-Web-Browser • Listener • Adicionamos uma constante URL_INICIAL e implementaremos a interface OnKeyListener para gerenciarmos com o ENTER no campo de texto o carregamento da página.
  37. 37. Mini-Web-Browser • Listener • O método sobrescrito onKey é chamado toda vez que digitamos algo no campo de texto. Então verificamos se foi um ENTER e se foi, mandamos carregar a URL digitada.
  38. 38. Mini-Web-Browser • Permissão • Por fim, falta somente darmos permissão para o aplicativo acessar a internet. Basta inserir o comando no arquivo androidManifest .xml.
  39. 39. Mini-Web-Browser • Funciona!
  40. 40. Aplicações Exemplo • Mini-Web-Browser • Mini-Mp3-Player Projeto hospedado no Google Code. http://code.google.com/p/mini-web-browser-exemplo Projeto hospedado no Google Code. http://code.google.com/p/mini-mp3-player/
  41. 41. Mini-Mp3-Player • Estrutura • Interface. • Activity. • Classe Filtro Mp3.
  42. 42. Mini-Mp3-Player • Estrutura. • src: Activity e Classes em Geral • gen: Classe R gerada automaticamente • assets:Arquivos extras (não temos) • bin: Classes e Apk compilados • libs: Bibliotecas no projeto (não temos) • res/drawable: Imagens em cada resolução • res/layout: XML das Interfaces • res/menu: XML dos Menus • res/values: XML com Strings e Styles
  43. 43. Mini-Mp3-Player • InterfaceInterface. Nossa interface será composta por: • Texto MusicaAtual; (id = txMusicaAtual) • Botão Anterior; (id = ibAnterior) • Botão Play; (id = ibPlay) • Botão Pause; (id = ibPause) • Botão Stop; (id = ibStop) • Botão Proxima; (id = ibProxima) • ListView list; (id = @android:id/list)
  44. 44. • XML da Interface
  45. 45. Mini-Mp3-Player • Activity • Bloco de variáveis para podermos fazer referencia aos componentes. • Comandos de configuração no onCreate.
  46. 46. Mini-Mp3-Player • Activity • Método de configuração dos componentes para suas respectivas variáveis de referência.
  47. 47. Mini-Mp3-Player • Activity • Método de leitura das músicas no cartão de memória.
  48. 48. Mini-Mp3-Player • Activity • Para termos o gerenciamento automático da Lista, estendemos nossa activity de ListActivity. • E Sobre-escrevemos o método onListItemClick() para tomarmos uma ação quando um item for selecionado.
  49. 49. Mini-Mp3-Player • Activity • Método onClick(View v), verifica qual botão o chamou e toma a devida ação para ele.
  50. 50. Mini-Mp3-Player • Activity • Método para carregar e tocar música. O método OnCompletion é chamado pelo Listener quando a música terminar de tocar.
  51. 51. Mini-Mp3-Player • Activity • Método para passar e para voltar música.
  52. 52. Mini-Mp3-Player • Classe Filtro Mp3 • Adicionamos uma constante URL_INICIAL e implementaremos a interface OnKeyListener para gerenciarmos com o ENTER no campo de texto o carregamento da página.
  53. 53. Mini-Mp3-Player • Funciona!

×