Leishmaniose

925 visualizações

Publicada em

Leishmaniose- tegumenta, tegumentar americana e visceral

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
925
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
25
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Leishmaniose

  1. 1. Parasitologia Humana Acadêmicos: Erick Bruno Rosângela Alves Elizângela Guedes Soliane Silva; Erlandi Leal Marlinda Mattos Sheila Silva Docente: Nadiane Dantas Faculdade de Teologia , Filosofia e Ciências Humanas Gamaliel - FATEFIG Centro Cultural e Educacional da Amazônia - CECAM Graduação em Enfermagem
  2. 2. Leishmaniose Leishmaniose Cutânea Leishmaniose Cutânea Difusa Leishmaniose Visceral
  3. 3. Apresentação  A leishmaniose é uma doença crônica, de manifestação cutânea ou visceral (pode-se falar de leishmanioses, no plural), causada porprotozoários flagelados do gênero Leishmania, da família Trypanosomatidae. Erlandi Rocha
  4. 4. Leishmania  Existem diversas espécies de Leishmania que podem atingi os humanos causando duas formas distintas de leishmaniose sendo: A forma que atinge a pele e mucosa e a forma que atinge as vísceras. As principais espécies são: L. braziliensis, L. Guyanensis, L. Mexicana, L. Amazonensis, L. donovani, L. Infantum, L. Chagasi, L.Tropica, L. major. Erlandi Rocha Leishmaniose - Leishmaniose Cutânea, Leishmaniose Cutânea Difusa e Leishmaniose Visceral
  5. 5. Agente Etiológico  Filo: Sarcomastigophora  Subfilo: Mastigophora  Ordem: Kinetoplastida  Família: Trypanosomatidae  Gênero: Leishmania Erlandi Rocha Leishmaniose - Leishmaniose Cutânea, Leishmaniose Cutânea Difusa e Leishmaniose Visceral
  6. 6. Agente Etiológico  Para a Leishmaniose tegumentar americana as espécies incriminadas são: Leishmania braziliensis, amazonensis e mexicana.  Para a leishmaniose Visceral a espécie responsável e a Leishmania chagasi, atualmente denominada de L. infantum. Erlandi Rocha Leishmaniose - Leishmaniose Cutânea, Leishmaniose Cutânea Difusa e Leishmaniose Visceral
  7. 7. Morfologia e Hábitat  As espécies que causam as Leishmanioses possuem duas forma básicas:  Amastigota : Encontrada dentro dos macrófagos presentes nos órgãos atingidos. Arredondada, 2 a 5 micrometros de diâmetro e não possuem flagelo  Promastigota: Forma infectante, encontrada nos insetos Vetores. Alongada, 20 micrometros de comprimento, apresenta flagelo livre. Erlandi Rocha Leishmaniose - Leishmaniose Cutânea, Leishmaniose Cutânea Difusa e Leishmaniose Visceral
  8. 8. Forma Amastigota Forma Promastigota Erlandi Rocha Leishmaniose - Leishmaniose Cutânea, Leishmaniose Cutânea Difusa e Leishmaniose Visceral
  9. 9. Ciclo Biológico  Flebótomo se infecta ao pica um animal infectado  Ingere as formas Amastígotas  No intestino do inseto se transforma em Promastigota  Reprodução das Promostigotas por divisão binaria  Forma promastigota se dirige para o parelho bucal do inseto  Quando vai se alimenta de sangue em um novo hospedeiro inocula as formas promastigotas na pele  Estas forma invadem os macrófagos e se transformam em Amastigotas  Reiniciando o processo Erick Bruno Leishmaniose - Leishmaniose Cutânea, Leishmaniose Cutânea Difusa e Leishmaniose Visceral
  10. 10. Ciclo Biológico Erick Bruno Leishmaniose - Leishmaniose Cutânea, Leishmaniose Cutânea Difusa e Leishmaniose Visceral
  11. 11. Erick Bruno Leishmaniose - Leishmaniose Cutânea, Leishmaniose Cutânea Difusa e Leishmaniose Visceral
  12. 12. Patogenia  Leishmaniose Tagumentar Americana ou Cutânia: As amastigotas que permanenceram na pele ou mucosa formando nódulos, depois uma ulcera ou ferida.  Leishmaniose Tagumentar Cutânia Difusa: Caracteriza-se pelas lesões difusas não ulceradas por toda a pele, contendo grande números de amastigotas.  Leishmaniose Visceral ou Calazar: As amastigotas migrarão para as vísceras via corrente sanguínea. Promovendo a esplenomegalia, a hepatomegalia e a disfunção da medula óssea. Leishmaniose - Leishmaniose Cutânea, Leishmaniose Cutânea Difusa e Leishmaniose Visceral Sheila Silva
  13. 13. Leishmaniose Tegumentar Difusa Leishmaniose Tegumentar Leishmaniose Visceral Leishmaniose - Leishmaniose Cutânea, Leishmaniose Cutânea Difusa e Leishmaniose Visceral Sheila Silva
  14. 14. Diagnóstico Varia de procedimento conforme a doença, tanto sendo leishmaniose tegumentar ou visceral, podendo ser:  Parasitológico: Leishmaniose Tegumentar, onde será realizado uma biopsia na lesão, faz-se um esfregaço do fragmento em uma lamina de vidro e leva ao microscópio. Leishmaniose Visceral, Faz-se uma punção da medula óssea externa e com o produto pode se fazer um esfregaço ou semear em meio de cultura.  Imunológico: Leishmaniose Tegumentar, intradermorreação de Montenegro, que consiste na injeção intradermica de 0,1ml de antígeno no antebraço, leitura há 49/72 horas depois. Leishmaniose Visceral, Reação de imunofluorescência indireta, ELISA e TraLd. Leishmaniose - Leishmaniose Cutânea, Leishmaniose Cutânea Difusa e Leishmaniose Visceral Marlinda Matos
  15. 15. Epidemiologia  Distribuição geográfica da leishmaníase cutânea e visceral no Brasil Elizângela Guedes Leishmaniose - Leishmaniose Cutânea, Leishmaniose Cutânea Difusa e Leishmaniose Visceral
  16. 16. Epidemiologia Leishmaniose Tegumentar:  Distribuição Geográfica: Distribuição quase mundial, já a causa por L. braziliensis ocorre apenas nas américas.  Fonte de infecções: Roedores silvestres, endentados, marsupiais, carnívoros, humanos e equinos.  Forma de transmissão: Promastigota  Veiculo de transmissão: hospedeiro intermediário  Via de penetração: Inoculação na pele, por formas promastigotas pelo flebótomo. Elizângela Guedes Leishmaniose - Leishmaniose Cutânea, Leishmaniose Cutânea Difusa e Leishmaniose Visceral
  17. 17. Epidemiologia Leishmaniose Visceral  Distribuição Geográfica: Mundial, sendo L. chagasi exclusiva das américas.  Forma de infecção: Raposas e Cães.  Forma de transmissão: Promastigotas  Veiculo de transmissão: Hospedeiro Intermediário  Via de Penetração: Inoculação das formas promastigotas na pele através da picada do flebótomo. Elizângela Guedes Leishmaniose - Leishmaniose Cutânea, Leishmaniose Cutânea Difusa e Leishmaniose Visceral
  18. 18. Epidemiologia Municipal  Em Tucuruí foram casos notificados de Leishmaniose Tegumentar Americana nos últimos 5 anos: 20148 - 80 casos 2013 – 62 casos 2012 – 82 caos 2011 – 46 casos 2010 – 35 casos  Tendo como área endêmica rural mais endêmica a comunidade de Bom Jesus. Elizângela Guedes Leishmaniose - Leishmaniose Cutânea, Leishmaniose Cutânea Difusa e Leishmaniose Visceral
  19. 19. Profilaxia  Proteção individual com repelente  Combate ao vetor  Tratar os doentes  Sacrificar os reservatórios  Pulverização de inseticida nas casas e acampamentos  Vacinação dos reservatórios  Evitar construir casas próximo a matas  Evitar banho de rios ou igarapés pertos de matas Soliane Alencar Leishmaniose - Leishmaniose Cutânea, Leishmaniose Cutânea Difusa e Leishmaniose Visceral
  20. 20. Tratamento  Ainda não existe tratamento para os reservatórios do parasitos.  Para o tratamento de humanos existem as drogas eficientes: Glucantime Anfotericina B  Dieta equilibrada para repor perdas orgânicas provocadas pela doença. Rosângela Alves Leishmaniose - Leishmaniose Cutânea, Leishmaniose Cutânea Difusa e Leishmaniose Visceral
  21. 21. Biografia e Referências  Neves, David Pereira; Parasitologia Humana/ Neves, David Pereira; 12º edição; São Paulo; Atheneu Editora; 2011  Neves, David Pereira; Parasitologia Básica/ Neves, David Pereira, Thelma de Filippis.; 2º edição; São Paulo; Atheneu Editora; 2010 Rosângela Alves Leishmaniose - Leishmaniose Cutânea, Leishmaniose Cutânea Difusa e Leishmaniose Visceral
  22. 22. “ Pode parecer ousadia pensar assim, mais aos ousados e permitido grandes sonhos.” Dr. David Pereira Neves Parasitologia básica 2º ed

×