SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 16
Baixar para ler offline
1
Câmara de Comércio e Indústria Japonesa no Brasil
1º Seminário Alterações Fiscais 2015
Impactos Fiscais das Avaliações a Valor Justo
São Paulo, 28 de abril de 2015
2
Lei 11.638/07
(CPC)
Lei 11.941/09
(RTT)
IN RFB
1.397/13
Lei 12.973/14
(Extinção
RTT)
IN RFB
1.515/14
Introdução à Legislação
28/12/2007 27/05/2009 16/09/2013 13/05/2014 24/11/2014
Dispõe sobre a determinação e o pagamento do imposto sobre a renda e
da contribuição social sobre o lucro líquido das pessoas jurídicas,
disciplina o tratamento tributário da Contribuição para o PIS/Pasep e da
Cofins no que se refere às alterações introduzidas pela Lei nº 12.973, de
13 de maio de 2014, e dá outras providências.
IN nº 1.515, de 24 de Novembro de 2014:
3
Avaliação a Valor Justo (AVJ)
Conceito de Valor Justo:
“o preço que seria recebido pela venda de um ativo ou que seria pago
pela transferência de um passivo em uma transação ordenada entre
participantes do mercado na data de mensuração”.
(Pronunciamento Técnico CPC nº 46)
Principais casos de aplicação da AVJ: (i) custo atribuído (deemed cost), (ii)
ativos financeiros, (iii) propriedade para investimento e (iv) combinação de
negócios.
4
A Lei nº. 12.973/14 e a IN 1.515/14 (artigo 41 e seguintes) autorizam o
diferimento da tributação dos ganhos (e perdas) desde que os valores
sejam evidenciados em “subcontas”.
O ganho (ou perda) evidenciado contabilmente em “subcontas” será
computado no lucro real na medida que o ativo seja realizado.
AVJ não é tributável pelo PIS e COFINS (Lei nº. 10.833/03, artigo 1º,
parágrafo 3º, inciso VIII)
Avaliação a Valor Justo (AVJ)
NEUTRALIDADE FISCAL DO AJUSTE A VALOR JUSTO
5
Exemplo: Aquisição de imóvel em 02/02/2015 por R$ 100.000 classificado
como propriedade para investimento. Após reconhecimento inicial, imóvel
passar a ser mensurado pelo valor justo.
Valor justo em 31/12/2015: R$ 120.000.
Imóvel vendido em 2016: R$ 120.000.
Avaliação a Valor Justo (AVJ)
6
Aquisição do Imóvel em 2015:
1) D – Imóvel (Propr. p/ Invest) 100.000
C – Bancos 100.000
Registro do AVJ em 2015:
2) D – Imóvel (Subconta) 20.000
C – Receita de AVJ 20.000
Avaliação a Valor Justo (AVJ)
Receita Bruta de Vendas 0
(=) Receita Líquida 0
(–) CMV 0
(=) Lucro Bruto 0
(+) AVJ 20.000
(=) Lucro líq. antes do IRPJ 20.000
DRE em 2015: LALUR em 2015:
Lucro líq. antes do IR e CS 20.000
(–) AVJ (DRE) -20.000
(=) Lucro Real 0
PIS/COFINS Receita Bruta 0
(=) Base de Cálculo 0
7
Alienação do Imóvel em 2016:
1) D – Caixa 120.000
C – Receita 120.000
2) D – Custo de Venda 120.000
C – Imóvel (Subconta) 20.000
C – Imóvel (Propried. Inv.) 100.000
Avaliação a Valor Justo (AVJ)
Receita de Vendas 120.000
(-) Custo de Venda 120.000
(=) Lucro Bruto 0
DRE em 2015: LALUR em 2015:
Lucro líq. antes do IR e CS 0
(+) AVJ +20.000
(=) Lucro Real 20.000
PIS/COFINS Receita Bruta 0
(=) Base de Cálculo 0
8
 Ponto de Discussão: A legislação determina, como forma de se diferir a
tributação do AVJ e de se manter a neutralidade fiscal, a condição de que
tais ajustes sejam mantidos em subcontas contábeis. Contudo, se por uma
falha procedimental se deixar de escriturar tais subcontas, poderia ser
questionada a tributação imediata desse valor justo?
 Entendemos que sim, tendo em vista que este valor justo, ainda não
realizado, não se enquadra no conceito de renda sujeita ao IRPJ,
constante do artigo 43 do CTN.
Avaliação a Valor Justo (AVJ)
9
Ajuste de AVJ na Subscrição de Ações
IN 1.515/14 (artigo 54) – O ganho decorrente de AVJ de ativo incorporado
ao patrimônio de outra PJ, na subscrição em bens de capital social, não
será computado no lucro real, desde que tal ganho seja evidenciado
contabilmente em subconta vinculada à participação societária, com
discriminação do bem objeto do AVJ, em condições de permitir a
determinação da parcela realizada em cada período.
Se não houver evidenciação em subconta, o ganho será tributado de
imediato na investidora, não podendo tal ganho acarretar redução de
prejuízo fiscal do período, devendo, neste caso, ser computado quando
houver lucro.
10
Ajuste de AVJ na Subscrição de Ações
O ganho evidenciado por meio de subconta será computado na
determinação do lucro real (da investidora):
(a) Na alienação da participação societária, pelo montante realizado;
(b) Proporcionalmente ao valor realizado, no período-base em que a pessoa
jurídica que houver recebido o bem realizar seu valor, inclusive mediante
depreciação, amortização, exaustão, alienação ou baixa, ou com ele
integralizar capital de outra pessoa jurídica; OU
(c) Na hipótese de bem não sujeito à realização por depreciação, nos 5 anos-
calendário subsequentes à subscrição, à razão de 1/60, no mínimo, para cada
mês do período de apuração.
11
Ajuste de AVJ na Investida
• Antiga “reserva de reavaliação reflexa” – manutenção do conceito de
neutralidade fiscal.
• A contrapartida do ajuste positivo, na participação societária,
mensurada pelo patrimônio líquido, decorrente do AVJ da investida,
deverá ser compensada pela baixa do respectivo saldo da mais-valia.
(24-A da Lei nº. 12.973/14).
12
Ajuste de AVJ na Investida
• No caso de bens diferentes dos que serviram de fundamento à mais-valia
ou relativo à contrapartida superior ao saldo da mais-valia, o ganho
relativo à contrapartida deverá ser computado na determinação do lucro
real, salvo se for evidenciado contabilmente em subconta vinculada à
participação societária (art. 24-A, §1º da Lei nº. 12.973/14):
IN 1.515/14:
 o ganho será registrado pela investidora a crédito em conta de receita em
contrapartida à subconta vinculada à participação societária. O ganho poderá
ser excluído do lucro real.
 o valor registrado na subconta será baixado à medida que o ativo da
investida for realizado (depreciação, amortização, exaustão, alienação ou
baixa); o valor da subconta baixado não será adicionado ao lucro real caso a
investida tenha computado o ganho no lucro real.
13
Ajuste de AVJ na Investida
Exemplo:
• BETA possui o terreno ‘X’ registrado por R$ 1.000; (1) ALFA adquire em 2015
100% do capital de BETA por R$ 1.100;VJ do terreno ‘X’ nesta data: R$ 1.100;
• Em 2016, (2) (3) VJ passa a ser R$ 1.300; Em 2017, (4) (5) Beta vende o
terreno por R$ 1.350.
ALFA
Caixa
1100(1) (1)1000
Invest. em B
(1)100
Mais-Valia em B
BETA Imóvel
1000
DRE
(2) 300
Imóvel - Subconta
300 (2)
100 (2)
(2)100
50
(3) 200
AVJ em B DRE
200 (3)
1350 (4)
(4)1350 1000 (5)
300 (5)
Caixa
(5) 1300
0
0
200 (4)
(4)200 0 50 (5)
(5) 50
0
Lucro líq. antes do IR e CS 200
(-) Ganho AVJ 200
(=) Lucro Real 0
Lucro líq. antes do IR e CS 50
(-) MEP 50
(=) Lucro Real 0
LALUR (ALFA)
2
0
x
2
2
0
x
3
14
Ajuste de AVJ na Investida
 Ponto de Discussão: A IN diz que o ganho de AVJ da investida, na
investidora, “poderá ser excluído” e que, no momento da realização, o
valor da subconta baixado “não será adicionado”. Seria intenção da IN
excluir o ganho e deduzir a baixa?
 A nosso ver, não, pois a ideia do novo regime jurídico-tributário é neutralizar os
efeitos da nova contabilidade, mas, neste caso, estaria concedendo uma benesse
à investidora (exclusão + dedução); e, além disso
 A própria RFB, em uma apresentação direcionada ao público, efetua a baixa da
subconta direto contra investimento (como em nosso exemplo acima), sem trânsito
em resultado e, portanto, sem dedução, mantendo o conceito de neutralidade.
Obrigado!
Georgios Theodoros Anastassiadis – georgios.anastassiadis@gsga.com.br
Gaia, Silva, Gaede & Associados – Sociedade de Advogados
Rua da Quitanda, 126 – Centro – 01012-010 – São Paulo – SP
www.gaiasilvagaede.com.br
Esta apresentação é de autoria dos advogados da Gaia, Silva, Gaede & Associados, a
quem pertencem todos os direitos, e sem cuja autorização não deve ser, de forma
alguma, fornecida, reproduzida ou divulgada. Seu conteúdo não tem por finalidade o
alcance de um determinado resultado específico, mas sim a demonstração do
panorama legal sobre a matéria no momento de sua elaboração, sobre cuja atualização
não nos responsabilizamos, não consistindo em qualquer aconselhamento jurídico,
que deve ser fornecido apenas mediante a análise de cada situação concreta.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Teoria da contabilidade i exercicios contabilidade ativo gabarito 2
Teoria da contabilidade i exercicios contabilidade ativo gabarito 2Teoria da contabilidade i exercicios contabilidade ativo gabarito 2
Teoria da contabilidade i exercicios contabilidade ativo gabarito 2gabaritocontabil
 
Palestra PIS e COFINS - Receita e Créditos - ABAT
Palestra PIS e COFINS - Receita e Créditos - ABATPalestra PIS e COFINS - Receita e Créditos - ABAT
Palestra PIS e COFINS - Receita e Créditos - ABATFabio Rodrigues de Oliveira
 
Exercicios resolvidos contabilidade aula 05
Exercicios resolvidos contabilidade   aula 05Exercicios resolvidos contabilidade   aula 05
Exercicios resolvidos contabilidade aula 05contacontabil
 
Contabilidade i 10 - unidade x – demonstração dos lucros ou prejuízos acumu...
Contabilidade i   10 - unidade x – demonstração dos lucros ou prejuízos acumu...Contabilidade i   10 - unidade x – demonstração dos lucros ou prejuízos acumu...
Contabilidade i 10 - unidade x – demonstração dos lucros ou prejuízos acumu...geral contabil
 
Fórum 2016 - Recuperação de créditos de ICMS, PIS e Cofins nas vendas interes...
Fórum 2016 - Recuperação de créditos de ICMS, PIS e Cofins nas vendas interes...Fórum 2016 - Recuperação de créditos de ICMS, PIS e Cofins nas vendas interes...
Fórum 2016 - Recuperação de créditos de ICMS, PIS e Cofins nas vendas interes...E-Commerce Brasil
 
Dra. marina aula dia 02-10-13
Dra. marina   aula dia 02-10-13Dra. marina   aula dia 02-10-13
Dra. marina aula dia 02-10-13Fernanda Moreira
 
Correção Prova de Contabilidade p/ Julgador Sefaz-PE
Correção Prova de Contabilidade p/ Julgador Sefaz-PECorreção Prova de Contabilidade p/ Julgador Sefaz-PE
Correção Prova de Contabilidade p/ Julgador Sefaz-PEEstratégia Concursos
 
Apresentação III - Fórum ABAT - SPED - Pis e Cofins - Receitas e Créditos - F...
Apresentação III - Fórum ABAT - SPED - Pis e Cofins - Receitas e Créditos - F...Apresentação III - Fórum ABAT - SPED - Pis e Cofins - Receitas e Créditos - F...
Apresentação III - Fórum ABAT - SPED - Pis e Cofins - Receitas e Créditos - F...Tania Gurgel
 
Tc58 renato vila nova - contabilidade geral - aula 9 .:. www.tc58n.wordpres...
Tc58   renato vila nova - contabilidade geral - aula 9 .:. www.tc58n.wordpres...Tc58   renato vila nova - contabilidade geral - aula 9 .:. www.tc58n.wordpres...
Tc58 renato vila nova - contabilidade geral - aula 9 .:. www.tc58n.wordpres...Claudio Parra
 
Contabilidade topicos avançados 4
Contabilidade topicos avançados 4Contabilidade topicos avançados 4
Contabilidade topicos avançados 4J M
 
Balanço patrimonial passivo e pl vf lfg
Balanço patrimonial passivo e pl vf lfgBalanço patrimonial passivo e pl vf lfg
Balanço patrimonial passivo e pl vf lfgLane78
 

Mais procurados (20)

Teoria da contabilidade i exercicios contabilidade ativo gabarito 2
Teoria da contabilidade i exercicios contabilidade ativo gabarito 2Teoria da contabilidade i exercicios contabilidade ativo gabarito 2
Teoria da contabilidade i exercicios contabilidade ativo gabarito 2
 
Palestra PIS e COFINS - Receita e Créditos - ABAT
Palestra PIS e COFINS - Receita e Créditos - ABATPalestra PIS e COFINS - Receita e Créditos - ABAT
Palestra PIS e COFINS - Receita e Créditos - ABAT
 
Contabilidade nocoes basicas
Contabilidade nocoes basicasContabilidade nocoes basicas
Contabilidade nocoes basicas
 
Exercicios resolvidos contabilidade aula 05
Exercicios resolvidos contabilidade   aula 05Exercicios resolvidos contabilidade   aula 05
Exercicios resolvidos contabilidade aula 05
 
Contabilidade i 10 - unidade x – demonstração dos lucros ou prejuízos acumu...
Contabilidade i   10 - unidade x – demonstração dos lucros ou prejuízos acumu...Contabilidade i   10 - unidade x – demonstração dos lucros ou prejuízos acumu...
Contabilidade i 10 - unidade x – demonstração dos lucros ou prejuízos acumu...
 
Fórum 2016 - Recuperação de créditos de ICMS, PIS e Cofins nas vendas interes...
Fórum 2016 - Recuperação de créditos de ICMS, PIS e Cofins nas vendas interes...Fórum 2016 - Recuperação de créditos de ICMS, PIS e Cofins nas vendas interes...
Fórum 2016 - Recuperação de créditos de ICMS, PIS e Cofins nas vendas interes...
 
PIS E COFINS
PIS E COFINSPIS E COFINS
PIS E COFINS
 
Dra. marina aula dia 02-10-13
Dra. marina   aula dia 02-10-13Dra. marina   aula dia 02-10-13
Dra. marina aula dia 02-10-13
 
Resumo ativo
Resumo ativoResumo ativo
Resumo ativo
 
Correção Prova de Contabilidade p/ Julgador Sefaz-PE
Correção Prova de Contabilidade p/ Julgador Sefaz-PECorreção Prova de Contabilidade p/ Julgador Sefaz-PE
Correção Prova de Contabilidade p/ Julgador Sefaz-PE
 
Exercicios passivo
Exercicios passivoExercicios passivo
Exercicios passivo
 
Apresentação III - Fórum ABAT - SPED - Pis e Cofins - Receitas e Créditos - F...
Apresentação III - Fórum ABAT - SPED - Pis e Cofins - Receitas e Créditos - F...Apresentação III - Fórum ABAT - SPED - Pis e Cofins - Receitas e Créditos - F...
Apresentação III - Fórum ABAT - SPED - Pis e Cofins - Receitas e Créditos - F...
 
Tc58 renato vila nova - contabilidade geral - aula 9 .:. www.tc58n.wordpres...
Tc58   renato vila nova - contabilidade geral - aula 9 .:. www.tc58n.wordpres...Tc58   renato vila nova - contabilidade geral - aula 9 .:. www.tc58n.wordpres...
Tc58 renato vila nova - contabilidade geral - aula 9 .:. www.tc58n.wordpres...
 
cpc 30
cpc 30cpc 30
cpc 30
 
Balanco patrimonial
Balanco patrimonialBalanco patrimonial
Balanco patrimonial
 
Exercicios contabeis 04
Exercicios contabeis 04Exercicios contabeis 04
Exercicios contabeis 04
 
Balanço patrimonial
Balanço patrimonialBalanço patrimonial
Balanço patrimonial
 
Contabilidade topicos avançados 4
Contabilidade topicos avançados 4Contabilidade topicos avançados 4
Contabilidade topicos avançados 4
 
Balanço patrimonial passivo e pl vf lfg
Balanço patrimonial passivo e pl vf lfgBalanço patrimonial passivo e pl vf lfg
Balanço patrimonial passivo e pl vf lfg
 
Poc aula impressao
Poc aula impressaoPoc aula impressao
Poc aula impressao
 

Semelhante a Impactos Fiscais das Avaliações a Valor Justo

07 contabilidade (balanço patrimonial)
07   contabilidade (balanço patrimonial)07   contabilidade (balanço patrimonial)
07 contabilidade (balanço patrimonial)Elizeu Ferro
 
Charles mc naughton dia 23 09-14
Charles mc naughton dia 23 09-14Charles mc naughton dia 23 09-14
Charles mc naughton dia 23 09-14Fernanda Moreira
 
Aula i - ate-fiscal-ms-prof. onei f. savioli
Aula   i - ate-fiscal-ms-prof. onei f. savioliAula   i - ate-fiscal-ms-prof. onei f. savioli
Aula i - ate-fiscal-ms-prof. onei f. savioliNeon Online
 
Sistema tributario nacional prof roberto e luiz gustavo decac
Sistema tributario nacional prof roberto e luiz gustavo decacSistema tributario nacional prof roberto e luiz gustavo decac
Sistema tributario nacional prof roberto e luiz gustavo decacRossandro Nogueira Rodrigues
 
PIS e COFINS Lei nº 12.973/14, Riscos, Benefícios e Impactos da EFD-Contribui...
PIS e COFINS Lei nº 12.973/14, Riscos, Benefícios e Impactos da EFD-Contribui...PIS e COFINS Lei nº 12.973/14, Riscos, Benefícios e Impactos da EFD-Contribui...
PIS e COFINS Lei nº 12.973/14, Riscos, Benefícios e Impactos da EFD-Contribui...Fabio Rodrigues de Oliveira
 
Aula I - ate-fiscal-ms-prof. onei f. savioli
Aula   I - ate-fiscal-ms-prof. onei f. savioliAula   I - ate-fiscal-ms-prof. onei f. savioli
Aula I - ate-fiscal-ms-prof. onei f. savioliNeon Online
 
Apresentação planejamento tributário faap
Apresentação planejamento tributário faapApresentação planejamento tributário faap
Apresentação planejamento tributário faapTacio Lacerda Gama
 
Treinamento Retenção Fonte (PCC, IRRF, INSS e ISSQN)
Treinamento Retenção Fonte (PCC, IRRF, INSS e ISSQN)Treinamento Retenção Fonte (PCC, IRRF, INSS e ISSQN)
Treinamento Retenção Fonte (PCC, IRRF, INSS e ISSQN)Grupo Krypton
 
Avaliacao de investimentos_agio_ou_desagio_na_aquisicao
Avaliacao de investimentos_agio_ou_desagio_na_aquisicaoAvaliacao de investimentos_agio_ou_desagio_na_aquisicao
Avaliacao de investimentos_agio_ou_desagio_na_aquisicaostefanycamilapereira
 
Apresentação tacio congresso uberlândia 1
Apresentação  tacio congresso   uberlândia 1Apresentação  tacio congresso   uberlândia 1
Apresentação tacio congresso uberlândia 1luciapaoliello
 
Incidência tributária no setor de mineração no brasil
Incidência tributária no setor de mineração no brasilIncidência tributária no setor de mineração no brasil
Incidência tributária no setor de mineração no brasilRinaldo Maciel de Freitas
 
Contabilidade geral exerc 6
Contabilidade geral exerc 6Contabilidade geral exerc 6
Contabilidade geral exerc 6J M
 
Formação OE 2007Formação Formação OE 2007OE 2007.ppt
Formação OE 2007Formação Formação OE 2007OE 2007.pptFormação OE 2007Formação Formação OE 2007OE 2007.ppt
Formação OE 2007Formação Formação OE 2007OE 2007.pptmonicapacouto
 
Crédito acumulado icms
Crédito acumulado icmsCrédito acumulado icms
Crédito acumulado icmsJessica Santos
 

Semelhante a Impactos Fiscais das Avaliações a Valor Justo (20)

ABC lucro
ABC lucroABC lucro
ABC lucro
 
Lucro real (parte 1)
Lucro real (parte 1)Lucro real (parte 1)
Lucro real (parte 1)
 
07 contabilidade (balanço patrimonial)
07   contabilidade (balanço patrimonial)07   contabilidade (balanço patrimonial)
07 contabilidade (balanço patrimonial)
 
Charles mc naughton dia 23 09-14
Charles mc naughton dia 23 09-14Charles mc naughton dia 23 09-14
Charles mc naughton dia 23 09-14
 
Estrutura dre
Estrutura dreEstrutura dre
Estrutura dre
 
Aula i - ate-fiscal-ms-prof. onei f. savioli
Aula   i - ate-fiscal-ms-prof. onei f. savioliAula   i - ate-fiscal-ms-prof. onei f. savioli
Aula i - ate-fiscal-ms-prof. onei f. savioli
 
Sistema tributario nacional prof roberto e luiz gustavo decac
Sistema tributario nacional prof roberto e luiz gustavo decacSistema tributario nacional prof roberto e luiz gustavo decac
Sistema tributario nacional prof roberto e luiz gustavo decac
 
PIS e COFINS Lei nº 12.973/14, Riscos, Benefícios e Impactos da EFD-Contribui...
PIS e COFINS Lei nº 12.973/14, Riscos, Benefícios e Impactos da EFD-Contribui...PIS e COFINS Lei nº 12.973/14, Riscos, Benefícios e Impactos da EFD-Contribui...
PIS e COFINS Lei nº 12.973/14, Riscos, Benefícios e Impactos da EFD-Contribui...
 
Aula I - ate-fiscal-ms-prof. onei f. savioli
Aula   I - ate-fiscal-ms-prof. onei f. savioliAula   I - ate-fiscal-ms-prof. onei f. savioli
Aula I - ate-fiscal-ms-prof. onei f. savioli
 
Apresentação planejamento tributário faap
Apresentação planejamento tributário faapApresentação planejamento tributário faap
Apresentação planejamento tributário faap
 
Treinamento Retenção Fonte (PCC, IRRF, INSS e ISSQN)
Treinamento Retenção Fonte (PCC, IRRF, INSS e ISSQN)Treinamento Retenção Fonte (PCC, IRRF, INSS e ISSQN)
Treinamento Retenção Fonte (PCC, IRRF, INSS e ISSQN)
 
Avaliacao de investimentos_agio_ou_desagio_na_aquisicao
Avaliacao de investimentos_agio_ou_desagio_na_aquisicaoAvaliacao de investimentos_agio_ou_desagio_na_aquisicao
Avaliacao de investimentos_agio_ou_desagio_na_aquisicao
 
49744356 pis-e-cofins
49744356 pis-e-cofins49744356 pis-e-cofins
49744356 pis-e-cofins
 
Apresentação tacio congresso uberlândia 1
Apresentação  tacio congresso   uberlândia 1Apresentação  tacio congresso   uberlândia 1
Apresentação tacio congresso uberlândia 1
 
Incidência tributária no setor de mineração no brasil
Incidência tributária no setor de mineração no brasilIncidência tributária no setor de mineração no brasil
Incidência tributária no setor de mineração no brasil
 
Contabilidade geral exerc 6
Contabilidade geral exerc 6Contabilidade geral exerc 6
Contabilidade geral exerc 6
 
DFC - SILVIO SANDE
DFC - SILVIO SANDEDFC - SILVIO SANDE
DFC - SILVIO SANDE
 
Formação OE 2007Formação Formação OE 2007OE 2007.ppt
Formação OE 2007Formação Formação OE 2007OE 2007.pptFormação OE 2007Formação Formação OE 2007OE 2007.ppt
Formação OE 2007Formação Formação OE 2007OE 2007.ppt
 
Crédito acumulado icms
Crédito acumulado icmsCrédito acumulado icms
Crédito acumulado icms
 
Apostila depreciacao
Apostila  depreciacaoApostila  depreciacao
Apostila depreciacao
 

Mais de Edgar Gonçalves

Substituição Tributária do ICMS/SP
Substituição Tributária do ICMS/SPSubstituição Tributária do ICMS/SP
Substituição Tributária do ICMS/SPEdgar Gonçalves
 
RETENÇÃO de TRIBUTOS (IR, PIS, COFINS, CSLL, INSS e ISS)
RETENÇÃO de TRIBUTOS (IR, PIS, COFINS, CSLL, INSS e ISS)RETENÇÃO de TRIBUTOS (IR, PIS, COFINS, CSLL, INSS e ISS)
RETENÇÃO de TRIBUTOS (IR, PIS, COFINS, CSLL, INSS e ISS)Edgar Gonçalves
 
A Carga Tributária no Brasil: Repercussões na Indústria de Transformação
A Carga Tributária no Brasil: Repercussões na Indústria de TransformaçãoA Carga Tributária no Brasil: Repercussões na Indústria de Transformação
A Carga Tributária no Brasil: Repercussões na Indústria de TransformaçãoEdgar Gonçalves
 
Emenda Constitucional 87/2015 - DIFAL - Perguntas e Respostas'
Emenda Constitucional 87/2015 - DIFAL - Perguntas e Respostas'Emenda Constitucional 87/2015 - DIFAL - Perguntas e Respostas'
Emenda Constitucional 87/2015 - DIFAL - Perguntas e Respostas'Edgar Gonçalves
 
Emenda Constitucional 87/2015 - Adequações paulistas à nova legislação do ICMS
Emenda Constitucional 87/2015 - Adequações paulistas à nova legislação do ICMSEmenda Constitucional 87/2015 - Adequações paulistas à nova legislação do ICMS
Emenda Constitucional 87/2015 - Adequações paulistas à nova legislação do ICMSEdgar Gonçalves
 
NOVA CONTRIBUIÇÃO PARA O PIS/PASEP
NOVA CONTRIBUIÇÃO PARA O PIS/PASEPNOVA CONTRIBUIÇÃO PARA O PIS/PASEP
NOVA CONTRIBUIÇÃO PARA O PIS/PASEPEdgar Gonçalves
 
Geração do Bloco K no SPED Fiscal: Registro de Controle da Produção e do Estoque
Geração do Bloco K no SPED Fiscal: Registro de Controle da Produção e do EstoqueGeração do Bloco K no SPED Fiscal: Registro de Controle da Produção e do Estoque
Geração do Bloco K no SPED Fiscal: Registro de Controle da Produção e do EstoqueEdgar Gonçalves
 
Maturidade do Compliance no Brasil
Maturidade do Compliance no BrasilMaturidade do Compliance no Brasil
Maturidade do Compliance no BrasilEdgar Gonçalves
 
Painel Escrituração Contábil Fiscal 2015
Painel Escrituração Contábil Fiscal 2015Painel Escrituração Contábil Fiscal 2015
Painel Escrituração Contábil Fiscal 2015Edgar Gonçalves
 
BIPBOP - Automação de consultas à CNPJ, CPF e outros
BIPBOP - Automação de consultas à CNPJ, CPF e outrosBIPBOP - Automação de consultas à CNPJ, CPF e outros
BIPBOP - Automação de consultas à CNPJ, CPF e outrosEdgar Gonçalves
 
OEA - Operador Economico Autorizado
OEA - Operador Economico AutorizadoOEA - Operador Economico Autorizado
OEA - Operador Economico AutorizadoEdgar Gonçalves
 
Construindo as condições para a retomada do crescimento
Construindo as condições para a retomada do crescimentoConstruindo as condições para a retomada do crescimento
Construindo as condições para a retomada do crescimentoEdgar Gonçalves
 
Aspectos Tributários no Comércio Exterior de Serviços
Aspectos Tributários no Comércio Exterior de ServiçosAspectos Tributários no Comércio Exterior de Serviços
Aspectos Tributários no Comércio Exterior de ServiçosEdgar Gonçalves
 
Alterações no SPED para 2015
Alterações no SPED para 2015Alterações no SPED para 2015
Alterações no SPED para 2015Edgar Gonçalves
 

Mais de Edgar Gonçalves (20)

EFD ICMS/IPI - Bloco K
EFD ICMS/IPI - Bloco KEFD ICMS/IPI - Bloco K
EFD ICMS/IPI - Bloco K
 
Substituição Tributária do ICMS/SP
Substituição Tributária do ICMS/SPSubstituição Tributária do ICMS/SP
Substituição Tributária do ICMS/SP
 
RETENÇÃO de TRIBUTOS (IR, PIS, COFINS, CSLL, INSS e ISS)
RETENÇÃO de TRIBUTOS (IR, PIS, COFINS, CSLL, INSS e ISS)RETENÇÃO de TRIBUTOS (IR, PIS, COFINS, CSLL, INSS e ISS)
RETENÇÃO de TRIBUTOS (IR, PIS, COFINS, CSLL, INSS e ISS)
 
A Carga Tributária no Brasil: Repercussões na Indústria de Transformação
A Carga Tributária no Brasil: Repercussões na Indústria de TransformaçãoA Carga Tributária no Brasil: Repercussões na Indústria de Transformação
A Carga Tributária no Brasil: Repercussões na Indústria de Transformação
 
Emenda Constitucional 87/2015 - DIFAL - Perguntas e Respostas'
Emenda Constitucional 87/2015 - DIFAL - Perguntas e Respostas'Emenda Constitucional 87/2015 - DIFAL - Perguntas e Respostas'
Emenda Constitucional 87/2015 - DIFAL - Perguntas e Respostas'
 
Emenda Constitucional 87/2015 - Adequações paulistas à nova legislação do ICMS
Emenda Constitucional 87/2015 - Adequações paulistas à nova legislação do ICMSEmenda Constitucional 87/2015 - Adequações paulistas à nova legislação do ICMS
Emenda Constitucional 87/2015 - Adequações paulistas à nova legislação do ICMS
 
NOVA CONTRIBUIÇÃO PARA O PIS/PASEP
NOVA CONTRIBUIÇÃO PARA O PIS/PASEPNOVA CONTRIBUIÇÃO PARA O PIS/PASEP
NOVA CONTRIBUIÇÃO PARA O PIS/PASEP
 
Geração do Bloco K no SPED Fiscal: Registro de Controle da Produção e do Estoque
Geração do Bloco K no SPED Fiscal: Registro de Controle da Produção e do EstoqueGeração do Bloco K no SPED Fiscal: Registro de Controle da Produção e do Estoque
Geração do Bloco K no SPED Fiscal: Registro de Controle da Produção e do Estoque
 
Maturidade do Compliance no Brasil
Maturidade do Compliance no BrasilMaturidade do Compliance no Brasil
Maturidade do Compliance no Brasil
 
ECF/ECD - Infográfico
ECF/ECD - InfográficoECF/ECD - Infográfico
ECF/ECD - Infográfico
 
Painel Escrituração Contábil Fiscal 2015
Painel Escrituração Contábil Fiscal 2015Painel Escrituração Contábil Fiscal 2015
Painel Escrituração Contábil Fiscal 2015
 
DRAWBACK
DRAWBACKDRAWBACK
DRAWBACK
 
DCTF Web
DCTF WebDCTF Web
DCTF Web
 
BIPBOP - Automação de consultas à CNPJ, CPF e outros
BIPBOP - Automação de consultas à CNPJ, CPF e outrosBIPBOP - Automação de consultas à CNPJ, CPF e outros
BIPBOP - Automação de consultas à CNPJ, CPF e outros
 
OEA - Operador Economico Autorizado
OEA - Operador Economico AutorizadoOEA - Operador Economico Autorizado
OEA - Operador Economico Autorizado
 
Construindo as condições para a retomada do crescimento
Construindo as condições para a retomada do crescimentoConstruindo as condições para a retomada do crescimento
Construindo as condições para a retomada do crescimento
 
Desafios do Contencioso
Desafios do ContenciosoDesafios do Contencioso
Desafios do Contencioso
 
Aspectos Tributários no Comércio Exterior de Serviços
Aspectos Tributários no Comércio Exterior de ServiçosAspectos Tributários no Comércio Exterior de Serviços
Aspectos Tributários no Comércio Exterior de Serviços
 
Entendendo o eSocial
Entendendo o eSocialEntendendo o eSocial
Entendendo o eSocial
 
Alterações no SPED para 2015
Alterações no SPED para 2015Alterações no SPED para 2015
Alterações no SPED para 2015
 

Impactos Fiscais das Avaliações a Valor Justo

  • 1. 1 Câmara de Comércio e Indústria Japonesa no Brasil 1º Seminário Alterações Fiscais 2015 Impactos Fiscais das Avaliações a Valor Justo São Paulo, 28 de abril de 2015
  • 2. 2 Lei 11.638/07 (CPC) Lei 11.941/09 (RTT) IN RFB 1.397/13 Lei 12.973/14 (Extinção RTT) IN RFB 1.515/14 Introdução à Legislação 28/12/2007 27/05/2009 16/09/2013 13/05/2014 24/11/2014 Dispõe sobre a determinação e o pagamento do imposto sobre a renda e da contribuição social sobre o lucro líquido das pessoas jurídicas, disciplina o tratamento tributário da Contribuição para o PIS/Pasep e da Cofins no que se refere às alterações introduzidas pela Lei nº 12.973, de 13 de maio de 2014, e dá outras providências. IN nº 1.515, de 24 de Novembro de 2014:
  • 3. 3 Avaliação a Valor Justo (AVJ) Conceito de Valor Justo: “o preço que seria recebido pela venda de um ativo ou que seria pago pela transferência de um passivo em uma transação ordenada entre participantes do mercado na data de mensuração”. (Pronunciamento Técnico CPC nº 46) Principais casos de aplicação da AVJ: (i) custo atribuído (deemed cost), (ii) ativos financeiros, (iii) propriedade para investimento e (iv) combinação de negócios.
  • 4. 4 A Lei nº. 12.973/14 e a IN 1.515/14 (artigo 41 e seguintes) autorizam o diferimento da tributação dos ganhos (e perdas) desde que os valores sejam evidenciados em “subcontas”. O ganho (ou perda) evidenciado contabilmente em “subcontas” será computado no lucro real na medida que o ativo seja realizado. AVJ não é tributável pelo PIS e COFINS (Lei nº. 10.833/03, artigo 1º, parágrafo 3º, inciso VIII) Avaliação a Valor Justo (AVJ) NEUTRALIDADE FISCAL DO AJUSTE A VALOR JUSTO
  • 5. 5 Exemplo: Aquisição de imóvel em 02/02/2015 por R$ 100.000 classificado como propriedade para investimento. Após reconhecimento inicial, imóvel passar a ser mensurado pelo valor justo. Valor justo em 31/12/2015: R$ 120.000. Imóvel vendido em 2016: R$ 120.000. Avaliação a Valor Justo (AVJ)
  • 6. 6 Aquisição do Imóvel em 2015: 1) D – Imóvel (Propr. p/ Invest) 100.000 C – Bancos 100.000 Registro do AVJ em 2015: 2) D – Imóvel (Subconta) 20.000 C – Receita de AVJ 20.000 Avaliação a Valor Justo (AVJ) Receita Bruta de Vendas 0 (=) Receita Líquida 0 (–) CMV 0 (=) Lucro Bruto 0 (+) AVJ 20.000 (=) Lucro líq. antes do IRPJ 20.000 DRE em 2015: LALUR em 2015: Lucro líq. antes do IR e CS 20.000 (–) AVJ (DRE) -20.000 (=) Lucro Real 0 PIS/COFINS Receita Bruta 0 (=) Base de Cálculo 0
  • 7. 7 Alienação do Imóvel em 2016: 1) D – Caixa 120.000 C – Receita 120.000 2) D – Custo de Venda 120.000 C – Imóvel (Subconta) 20.000 C – Imóvel (Propried. Inv.) 100.000 Avaliação a Valor Justo (AVJ) Receita de Vendas 120.000 (-) Custo de Venda 120.000 (=) Lucro Bruto 0 DRE em 2015: LALUR em 2015: Lucro líq. antes do IR e CS 0 (+) AVJ +20.000 (=) Lucro Real 20.000 PIS/COFINS Receita Bruta 0 (=) Base de Cálculo 0
  • 8. 8  Ponto de Discussão: A legislação determina, como forma de se diferir a tributação do AVJ e de se manter a neutralidade fiscal, a condição de que tais ajustes sejam mantidos em subcontas contábeis. Contudo, se por uma falha procedimental se deixar de escriturar tais subcontas, poderia ser questionada a tributação imediata desse valor justo?  Entendemos que sim, tendo em vista que este valor justo, ainda não realizado, não se enquadra no conceito de renda sujeita ao IRPJ, constante do artigo 43 do CTN. Avaliação a Valor Justo (AVJ)
  • 9. 9 Ajuste de AVJ na Subscrição de Ações IN 1.515/14 (artigo 54) – O ganho decorrente de AVJ de ativo incorporado ao patrimônio de outra PJ, na subscrição em bens de capital social, não será computado no lucro real, desde que tal ganho seja evidenciado contabilmente em subconta vinculada à participação societária, com discriminação do bem objeto do AVJ, em condições de permitir a determinação da parcela realizada em cada período. Se não houver evidenciação em subconta, o ganho será tributado de imediato na investidora, não podendo tal ganho acarretar redução de prejuízo fiscal do período, devendo, neste caso, ser computado quando houver lucro.
  • 10. 10 Ajuste de AVJ na Subscrição de Ações O ganho evidenciado por meio de subconta será computado na determinação do lucro real (da investidora): (a) Na alienação da participação societária, pelo montante realizado; (b) Proporcionalmente ao valor realizado, no período-base em que a pessoa jurídica que houver recebido o bem realizar seu valor, inclusive mediante depreciação, amortização, exaustão, alienação ou baixa, ou com ele integralizar capital de outra pessoa jurídica; OU (c) Na hipótese de bem não sujeito à realização por depreciação, nos 5 anos- calendário subsequentes à subscrição, à razão de 1/60, no mínimo, para cada mês do período de apuração.
  • 11. 11 Ajuste de AVJ na Investida • Antiga “reserva de reavaliação reflexa” – manutenção do conceito de neutralidade fiscal. • A contrapartida do ajuste positivo, na participação societária, mensurada pelo patrimônio líquido, decorrente do AVJ da investida, deverá ser compensada pela baixa do respectivo saldo da mais-valia. (24-A da Lei nº. 12.973/14).
  • 12. 12 Ajuste de AVJ na Investida • No caso de bens diferentes dos que serviram de fundamento à mais-valia ou relativo à contrapartida superior ao saldo da mais-valia, o ganho relativo à contrapartida deverá ser computado na determinação do lucro real, salvo se for evidenciado contabilmente em subconta vinculada à participação societária (art. 24-A, §1º da Lei nº. 12.973/14): IN 1.515/14:  o ganho será registrado pela investidora a crédito em conta de receita em contrapartida à subconta vinculada à participação societária. O ganho poderá ser excluído do lucro real.  o valor registrado na subconta será baixado à medida que o ativo da investida for realizado (depreciação, amortização, exaustão, alienação ou baixa); o valor da subconta baixado não será adicionado ao lucro real caso a investida tenha computado o ganho no lucro real.
  • 13. 13 Ajuste de AVJ na Investida Exemplo: • BETA possui o terreno ‘X’ registrado por R$ 1.000; (1) ALFA adquire em 2015 100% do capital de BETA por R$ 1.100;VJ do terreno ‘X’ nesta data: R$ 1.100; • Em 2016, (2) (3) VJ passa a ser R$ 1.300; Em 2017, (4) (5) Beta vende o terreno por R$ 1.350. ALFA Caixa 1100(1) (1)1000 Invest. em B (1)100 Mais-Valia em B BETA Imóvel 1000 DRE (2) 300 Imóvel - Subconta 300 (2) 100 (2) (2)100 50 (3) 200 AVJ em B DRE 200 (3) 1350 (4) (4)1350 1000 (5) 300 (5) Caixa (5) 1300 0 0 200 (4) (4)200 0 50 (5) (5) 50 0 Lucro líq. antes do IR e CS 200 (-) Ganho AVJ 200 (=) Lucro Real 0 Lucro líq. antes do IR e CS 50 (-) MEP 50 (=) Lucro Real 0 LALUR (ALFA) 2 0 x 2 2 0 x 3
  • 14. 14 Ajuste de AVJ na Investida  Ponto de Discussão: A IN diz que o ganho de AVJ da investida, na investidora, “poderá ser excluído” e que, no momento da realização, o valor da subconta baixado “não será adicionado”. Seria intenção da IN excluir o ganho e deduzir a baixa?  A nosso ver, não, pois a ideia do novo regime jurídico-tributário é neutralizar os efeitos da nova contabilidade, mas, neste caso, estaria concedendo uma benesse à investidora (exclusão + dedução); e, além disso  A própria RFB, em uma apresentação direcionada ao público, efetua a baixa da subconta direto contra investimento (como em nosso exemplo acima), sem trânsito em resultado e, portanto, sem dedução, mantendo o conceito de neutralidade.
  • 15. Obrigado! Georgios Theodoros Anastassiadis – georgios.anastassiadis@gsga.com.br Gaia, Silva, Gaede & Associados – Sociedade de Advogados Rua da Quitanda, 126 – Centro – 01012-010 – São Paulo – SP www.gaiasilvagaede.com.br
  • 16. Esta apresentação é de autoria dos advogados da Gaia, Silva, Gaede & Associados, a quem pertencem todos os direitos, e sem cuja autorização não deve ser, de forma alguma, fornecida, reproduzida ou divulgada. Seu conteúdo não tem por finalidade o alcance de um determinado resultado específico, mas sim a demonstração do panorama legal sobre a matéria no momento de sua elaboração, sobre cuja atualização não nos responsabilizamos, não consistindo em qualquer aconselhamento jurídico, que deve ser fornecido apenas mediante a análise de cada situação concreta.