Economia Solidaria

589 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
589
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
11
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Economia Solidaria

  1. 1.
  2. 2. Escola EB 2,3/S Vieira de Araújo<br />Área de Projecto<br />Docente: Prof. Miguel Costa<br />Discentes: David Oliveira nº 4; Juliana Abreu nº 11; Sofia Rodrigues nº 19; Tânia Barbosa nº 20<br />Vieira do Minho<br />2009/2010<br />www.area-projecto12.blogspot.com<br />
  3. 3. Introdução<br />Este estudo teve como base a resposta por escrito a um inquérito por questionário distribuído aos estudantes do Ensino Secundário da Escola EB 2,3/S Vieira de Araújo.<br />Com ele pretende-se estudar os hábitos e práticas pessoais dos jovens acerca da forma como lidam com o dinheiro.<br />Através deste estudo pode conceber-se a ideia da implementação de programas educacionais ao nível do ensino escolar, sendo que este desempenha um papel fundamental na formação dos jovens.<br />Esta educação financeira deverá contribuir para que os jovens sejam capazes de tomar decisões , tenham consciência dos riscos inerentes ao recurso a despesas desnecessárias, e que sejam capazes de fazer escolhas financeiras de forma racional.<br />
  4. 4. Hipóteses<br />Será que os alunos gastam mais dinheiro do que podem?<br />Será que os alunos sabem gerir o dinheiro que lhes é dado?<br />Será que os alunos têm dinheiro suficiente para os gastos escolares?<br />Será que os alunos trazem para a escola mais dinheiro do que deviam?<br />Será que os jovens estão preparados para as questões económicas e monetárias?<br />
  5. 5. Caracterização da amostra<br /><ul><li> Gráfico 1
  6. 6. Gráfico 2
  7. 7. Gráfico 3</li></li></ul><li>Apresentação e discussão de resultados<br /><ul><li> Os pais revelam ter um papel activo na socialização económica dos jovens na aprendizagem de comportamentos.
  8. 8. Gráfico 4</li></ul> Esta prática é de extrema importância em termos da aprendizagem de comportamentos de gestão do orçamento que têm disponível.<br />
  9. 9. Os alunos do 12º ano recebem, em geral, mais dinheiro que os restantes, pelo que se seguem, com uma diferença mínima dos outros, os alunos do 10º ano de escolaridade. <br /><ul><li> Gráfico 5</li></ul> A quantidade de dinheiro dada pelos pais depende, como é evidente, da regularidade a que é dado, pelo que os alunos que recebem dinheiro sempre que pedem ou diariamente recebem, em média, menos do que aqueles que recebem mensalmente.<br />
  10. 10. <ul><li>Tendência para a realização de poupanças
  11. 11. Gráfico 7
  12. 12. Gráfico 6</li></ul> A principal conclusão foi a de que os alunos costumam poupar somente às vezes o dinheiro que têm disponível: 48% poupam às vezes, 40% poupam frequentemente, 7% raramente poupam e apenas 5% dos inquiridos nunca poupa o dinheiro que lhe é dado.<br />
  13. 13. <ul><li> Gráfico 8
  14. 14. Gráfico 9</li></ul> De acordo com os resultados obtidos ,pode aderir-se que para a maioria dos alunos o dinheiro disponível é suficiente para as suas despesas, e apenas para 11% dos inquiridos o dinheiro não lhes é suficiente.<br />
  15. 15. <ul><li> Gráfico 10
  16. 16. Gráfico 11</li></ul> A principal conclusão relativa a esta questão foi a de que a realização de despesas desnecessárias não é uma prática muito frequente, isto porque a maioria dos alunos (53%) somente às vezes as realiza.<br />
  17. 17. <ul><li> Gráfico 12
  18. 18. Gráfico 13</li></ul> A maioria dos alunos (43%) costumam almoçar na cantina quando têm aulas durante todo o dia, cerca de 28% dos inquiridos vão almoçar a casa, 16% almoçam no restaurante e, 13% dos inquiridos assinalou as opção outras, sendo que aqui a maior parte deles referiram o café.<br />
  19. 19. <ul><li> Gráfico 14
  20. 20. Gráfico 15</li></ul> A maioria dos alunos almoçam acompanhados com os amigos ou os pais ou outros familiares, apenas uma percentagem de 11% dos inquiridos almoçam sozinhos.<br />
  21. 21. <ul><li> Gráfico 16
  22. 22. Gráfico 17</li></ul> A maioria dos alunos gasta menos de 5€ por dia (82%). Entre 5 e 10€ por dia, gastam cerca de 15% dos inquiridos. Uma percentagem ínfima de 2% gasta mais de 15€ por dia, além desta, apenas 1% gasta entre 10 e 15€.<br />
  23. 23. <ul><li> Gráfico 18
  24. 24. Gráfico 19</li></ul> A maioria dos alunos do Ensino Secundário beneficiam de apoio social escolar (59%), e uma percentagem minoritária de 41% dos inquiridos afirmam não ter.<br />
  25. 25. <ul><li> Gráfico 20
  26. 26. Gráfico 21</li></ul> A maior parte dos alunos utiliza frequentemente a senha do subsídio para comer na escola (47%), enquanto que apenas 8% dos alunos nunca costuma tirar a senha.<br />
  27. 27. <ul><li> Gráfico 22
  28. 28. Gráfico 23</li></ul> Cerca de 72% dos alunos subsidiado não têm por hábito dar a senha a outras pessoas que não sejam, ao contrário de 28% desses alunos que costumam dá-la a quem não tem subsídio.<br />
  29. 29. <ul><li>Dependência financeira em relação aos pais
  30. 30. Gráfico 24
  31. 31. Gráfico 25</li></ul> A maioria dos inquiridos ainda é economicamente dependente dos pais, sendo que cerca de 80% não têm ainda outras fontes de rendimento para além do dinheiro que por eles lhes é dado.<br />
  32. 32. <ul><li> Gráfico 26</li></ul> Nas situações em que há outras fontes de rendimento, o trabalho é o mais frequente (59%), seguido dos clubes de futebol (5%), e em menor percentagem tem-se a banda filarmónica e a bolsa de mérito (ambos com 3%).<br />
  33. 33. <ul><li> Gráfico 27</li></ul> Para a maioria dos alunos inquiridos o dinheiro desempenha um papel importante naquilo que mais valorizam na vida (aproximadamente 55%).<br />
  34. 34. <ul><li> Os pais demonstram ter um papel activo na socialização financeira dos jovens na aprendizagem de conhecimentos.
  35. 35. Gráfico 28</li></ul>Durante a adolescência dos inquiridos, os respectivos pais abordam questões importantes para a obtenção de orçamentos. Em maior percentagem, a abordar frequentemente esse assunto, temos os pais dos alunos do 11º e 12º ano de escolaridade.<br />
  36. 36. <ul><li> Gráfico 29</li></ul>De forma mais acentuada, os pais também se preocupam em ilucidar os filhos sobre como é que estes podem poupar dinheiro, sendo que a abordá-los em maior percentagem temos os pais respectivos dos alunos do 12º ano.<br />
  37. 37. <ul><li> Gráfico 30</li></ul> A questão das razões para que os jovens poupem dinheiro também é , em geral, frequentemente abordada pelos pais dos respectivos alunos , pelo que em todos os anos de escolaridade a maioria dos inquiridos ouve dos pais este tema frequentemente.<br />
  38. 38. <ul><li> Gráfico 31</li></ul> Cerca de 79% dos alunos inquiridos afirmam que estes assuntos não são abordados na escola pelos professores.<br />
  39. 39. <ul><li> Gráfico 32</li></ul> Dos alunos que referem que estes assuntos são abordados nas aulas pelos professores mencionam numa percentagem maioritária de 20% ser nas aulas de moral.<br />
  40. 40. Conclusão<br />É possível concluir que este foi um trabalho bastante proveitoso para a nossa formação enquanto estudantes, pelo que fez com que entrássemos em contacto com um tipo de técnica de investigação a que ainda não tínhamos tido acesso.<br />O que faríamos...<br />Colocação de questões como: Porque motivo almoças no local que referis-te?, Em que é que costumas fazer despesas desnecessárias e porquê?, Costumas planificar as tuas despesas?<br />O que faremos...?<br />Elaboração de um novo inquérito ou entrevista, desta vez dirigido aos funcionários da escola (função pública), uma vez que seja esta amostra que talvez responda melhor aos propósitos do nosso tema de projecto.<br />

×