Successfully reported this slideshow.

Encarnação

912 visualizações

Publicada em

Publicada em: Espiritual
  • Seja o primeiro a comentar

Encarnação

  1. 1. Encarnação Divindade e humanidade na única pessoa de Cristo
  2. 2. Oras bolas, o que é encarnação?
  3. 3. No nosso contexto, encarnação é a doutrina cristã que afirma que Jesus Cristo é o próprio Deus encarnado
  4. 4. Seria essa doutrina compreensível nos dias de hoje?
  5. 5. Como assim? Que pergunta é essa?
  6. 6. Na verdade é uma pergunta muito pertinente, pois há quem diga que essa doutrina fazia sentido apenas nos primeiros séculos do cristianismo
  7. 7. Durante toda a história da Igreja foram lançados grandes ataques a esse ensino neotestamentário
  8. 8. Um desses ataques, mais recente (1977), merece menção por envolver líderes eclesiásticos de renome na Inglaterra
  9. 9. Trata-se de um livro chamado "The Mith of God Incarnate" ("O Mito do Deus Encarnado"), editado por John Hick
  10. 10. O livro defende que essa doutrina talvez fizesse sentido para gerações passadas, que criam mais no sobrenatural, mas que hoje em dia já estaria ultrapassada
  11. 11. Os pilares dessa tese são: • A Bíblia não possui mais autoridade divina absoluta os dias de hoje • O cristianismo, assim como a vida e o pensamento humano, está evoluindo e mudando com o tempo
  12. 12. Não, você não entendeu errado: há muita gente por aí achando que a Palavra de Deus não tem autoridade e que o cristianismo depende de tempo, meio e lugar
  13. 13. Mas tudo bem, vamos ver como essa doutrina surgiu na Igreja
  14. 14. Foi apenas em 451 d.C., no Concílio de Calcedônia, que a Igreja chegou a um consenso sobre o entendimento da plena divindade e plena humanidade de Cristo
  15. 15. Até então, três propostas um t a n t o p r o b l e m á t i c a s circulavam: • Apolinarismo • Nestorianismo • Monofisismo (Eutiquianismo)
  16. 16. Apolinarismo • Apolinário se tornou bispo de Laodicéia em 361 d.C. • Ele afirmava que apenas o corpo de Cristo era humano • Assim, sua mente e seu espírito seriam provenientes de sua natureza divina
  17. 17. Nestorianismo • Nestório se tornou bispo de Constantinopla em 428 d.C. • Ele afirmava que em Cristo haviam duas pessoas: uma divina e uma humana
  18. 18. Monofisismo (Eutiquianismo) • Êutico (378-454 d.C.) foi líder de um mosteiro em Constantinopla • Ele afirmava que Cristo possuía uma única natureza resultante de algo divino e algo humano (nem pleno divino, nem pleno humano)
  19. 19. Vixi, aí embolou tudo...
  20. 20. E então, pra organizar o meio de campo, aconteceu o Concílio de Calcedônia, entre 08 de outubro e 1º de novembro de 451
  21. 21. O interessante é que a definição que esse concílio estabeleceu é aceita por cristãos católicos, protestantes e ortodoxos
  22. 22. "Fiéis aos Santos Pais, todos nós, perfeitamente unânimes, ensinamos que se deve confessar um só e mesmo Filho, nosso Senhor Jesus Cristo, perfeito quanto à divindade, e perfeito quanto à humanidade;
  23. 23. verdadeiramente Deus e verdadeiramente homem, constando de alma racional e de corpo, consubstancial com o Pai, segundo a divindade, e consubstancial a nós, segundo a humanidade;...
  24. 24. em tudo semelhante a nós, excetuando o pecado; gerado segundo a divindade pelo Pai antes de todos os séculos, e nestes últimos dias, segundo a humanidade, por nós e para nossa salvação, nascido da Virgem Maria, mãe de Deus;...
  25. 25. um e só mesmo Cristo, Filho, Senhor, Unigênito, que se deve confessar, em duas naturezas, inconfundíveis, imutáveis, indivisíveis, inseparáveis;...
  26. 26. a distinção de naturezas de modo algum é anulada pela união, antes é preservada a propriedade de cada natureza, concorrendo para formar uma só pessoa e em uma só subsistência;...
  27. 27. não separado nem dividido em duas pessoas, mas um só e o mesmo Filho, o Unigênito, Verbo de Deus, o Senhor Jesus Cristo, conforme os profetas desde o princípio acerca dele testemunharam, e o mesmo Senhor Jesus nos ensinou, e o Credo dos Santos Pais nos transmitiu."
  28. 28. Essa definição é até hoje aceita como o apanhado final de ensinamento bíblico sobre a plena divindade e plena humanidade de Cristo
  29. 29. Mas é claro que surgem algumas dúvidas cruéis: • Como podia ser Jesus onipotente e ainda assim ser fraco? • Como podia deixar o mundo e estar em todos os lugares? • Como podia aprender coisas se era onisciente?
  30. 30. Há dois conceitos que podem nos ajudar a entender
  31. 31. • Uma natureza faz algumas coisas que a outra não faz. Exemplos: • A natureza humana se cansa, sente fome, sede; a divina, não • A natureza divina é eterna, ressuscita mortos, acalma o mar; a humana, não
  32. 32. • O que uma das naturezas faz, a pessoa de Cristo faz. Exemplos: • Se a natureza humana morreu na cruz, foi Cristo quem morreu • Se a natureza divina salvou a humanidade, foi Cristo quem salvou
  33. 33. Em teologia, uma frase é utilizada para resumir a encarnação: "Permanecendo o que era, tornou-se o que não era."
  34. 34. Que texto bíblico podemos utilizar como forte alicerce dessa doutrina?
  35. 35. "que, embora sendo Deus, não considerou que o ser igual a Deus era algo a que devia apegar-se; mas esvaziou-se a si mesmo, vindo a ser servo, tornando-se semelhante aos homens. E, sendo encontrado em forma humana, humilhou-se a si mesmo e foi obediente até a morte, e morte de cruz!" Filipenses 2:6-8 NVI
  36. 36. Há muito nessa verdade que a nossa mente humana jamais entenderá. Mas nem por isso ela deixa de ser verdadeira!
  37. 37. Estamos falando aqui do maior milagre relatado na Bíblia, do maior acontecimento e maior mistério do Universo: o Deus Criador, Todo Poderoso, uniu- se para sempre a uma natureza humana na forma de uma única pessoa!
  38. 38. Que possamos entender esses princípios, ensiná-los a outros e nos maravilharmos com a sua magnitude
  39. 39. Fim

×