Apresentação mono colóquio camilla

1.023 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.023
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
25
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação mono colóquio camilla

  1. 1. Reflexões acerca do uso de ferramentasde autoria na produção de materiais para ensino de inglês para fins específicos: uma pesquisa-ação Camilla Santos Moraes (PG Lato Sensu/UFG) Orientadora: Eliane Carolina de Oliveira (D/UFG)
  2. 2. Motivação e Objetivos• Estimular a reflexão de professores de LE acerca da inclusão de novas tecnologias no processo de ensino-aprendizagem;• Tornar os professores mais críticos sobre a adoção de novas alternativas pedagógicas;• Propiciar aos alunos uma nova alternativa para aprender uma LE.
  3. 3. Motivação e Objetivos• Criar e implementar exercícios por meio da ferramenta de autoria Hot Potatoes;• Analisar as vantagens e desvantagens da ferramenta utilizada;• Fornecer prática extra-classe para os alunos, aumentando, assim, o contato com a língua inglesa.
  4. 4. Perguntas de pesquisa• Qual(is) são as contribuições (para professores e alunos) do uso da ferramenta de autoria para o ensino de inglês para fins específicos?• Qual(is) são as desvantagem de se usar tal ferramenta no ensino de língua inglesa ?
  5. 5. Referencial Teórico Inglês para fins específicos• Hutchinson e Waters (1987);• Anthony (1997);• Neves (2002).
  6. 6. Referencial Teórico Ensino de línguas mediado pelo computador• Warschauer e Healey (1998);• Bax (2003);• Heemann (2009);• Bastos (2007).
  7. 7. Referencial Teórico O perfil da nova escola e as relações entre os novos alunos e professores• Kenski (2010a);• Kenski, (2010b).
  8. 8. Referencial Teórico Fases da web e as ferramentas de autoria• Souza (2009);• Bohn (2009);• Leffa (2006b);• Brown, (2005);• Donda (2007);• Wissmann (2005).
  9. 9. Referencial Teórico Ambiente virtual de aprendizagem Moodle• Stanford (2009);• Franco (2009);• Nakamura (2009).
  10. 10. Metodologia Caracterização do tipo de pesquisaPesquisa-ação:• Ferrance (2000);• Bell (2008);• André (1995).
  11. 11. Metodologia Contexto de pesquisa• Turma de Inglês instrumental;Ambiente presencial (sala de aula);Ambiente virtual (Moodle).
  12. 12. Metodologia Perfil dos participantes• 16 participantes (7/ 9);• Professora pesquisadora.
  13. 13. Metodologia Procedimentos utilizados para a coleta e análise de dados• Notas reflexivas;• Questionários;• Diário do Moodle;• Entrevista.
  14. 14. Metodologia Procedimentos para a análise dos dados• Burns (1999):1. Reunir e Organizar os dados;2. Codificar os dados;3. Comparar os dados;4. Construir interpretações;5. Relatar os resultados.
  15. 15. ResultadosLevantamento acerca dos hábitos de leitura dos alunos
  16. 16. ResultadosLevantamento acerca dos hábitos de leitura dos alunos
  17. 17. Resultados Percepções da professora e dos alunos sobre a criação dos exercícios on-line• ordem das atividades: “As atividades propostas ajudam muito na fixação do conteúdo aplicado”. Bia“É uma oportunidade de estudar novamente o conteúdo dado em sala de aula, e que o exercício tem por objetivo esclarecer dúvidas” Ana Paula
  18. 18. Resultados Percepções da professora e dos alunos sobre a criação dos exercícios on-line• problemas técnicos:“Como sugestão de melhoria, seria o envio on-line das atividades” Bia“Deveria ter o programa para que enviasse direto, seria mais prático”. Ana Beatriz
  19. 19. Resultados Percepções da professora e dos alunos sobre a criação dos exercícios on-line• uso do ambiente virtual:
  20. 20. Resultados Percepções da professora e dos alunos sobre a criação dos exercícios on-line• uso do ambiente virtual:“[...] achava que deveria ser muito interessante, pois poderíamosfazer as atividades de uma forma diferente, na nossa casa ou em outro lugar.” Ana Beatriz “Eu achava que os exercícios on-line não ajudassem tanto no aprendizado quanto eu pude perceber no decorrer do curso.” Alex
  21. 21. Resultados Percepções da professora e dos alunos sobre a criação dos exercícios on-line• o tipo de exercício que mais agradou: JMatch  cria exercícios de associação de pares.
  22. 22. Resultados Percepções da professora e dos alunos sobre a criação dos exercícios on-line• o tipo de exercício que mais agradou: “[Eles] ajudam a estimular o raciocínio lógico.” Bia “É um método que auxilia a relembrar a finalidade de cada conteúdo teórico.” Ana Paula
  23. 23. Resultados Percepções da professora e dos alunos sobre a criação dos exercícios on-line• o tipo de exercício que mais agradou: “O Jmatch foi o mais atraente, por apresentar um leque maior de opções para o professor” Camilla
  24. 24. Resultados Percepções da professora e dos alunos sobre a criação dos exercícios on-line• o tipo de exercício que menos agradou: JCross  cria exercícios de palavras cruzadas.
  25. 25. Resultados Percepções da professora e dos alunos sobre a criação dos exercícios on-line• o tipo de exercício que menos agradou: [Eles] eram “exercícios que davam erros na hora de concluir” .Murilo “[Achei] complicado e cansativo”. Ana Beatriz “[Não gostei] pois em alguns casos as dicas não ajudavam muito na resposta”.Bid
  26. 26. Resultados Percepções da professora e dos alunos sobre a criação dos exercícios on-line• o tipo de exercício que menos agradou: “O JCross foi o que eu menos gostei de fazer, pois demandava muita criatividade na hora de produzir as “pistas” para cada palavra da cruzadinha.” Camilla
  27. 27. Resultados Percepções da professora e dos alunos sobre a criação dos exercícios on-line• a importância das instruções: “As instruções são realmente importantes, pois se fosse totalmente à distância, os alunos teriam problemas.” Eliane“Elaborar instruções eficazes foi um grande desafio”. Camilla
  28. 28. Resultados Percepções da professora e dos alunos sobre a criação dos exercícios on-line• facilidade: “apesar de ter uma boa fixação ela são bem Rafaela fáceis!” “poderia dificultar um pouco mais [...] as questões no decorrer do curso” Luiza
  29. 29. Resultados Percepções da professora e dos alunos sobre a criação dos exercícios on-line• sugestões dos alunos: “o incremento de vídeos nas atividades” Camilo “chat com o professor, o aluno poderia estar tirando as dúvidas no momento, e assim, teria um crescimento maior”. Luiza
  30. 30. Resultados Percepções da professora e dos alunos sobre a criação dos exercícios on-line• papel versus virtual:4: papel3: virtual1: ambas formas
  31. 31. Considerações Finais• Experiência satisfatória;• Praticar, revisar, esclarecer e compreender a matéria de forma lúdica e criativa;• Importância da variação no estilo dos exercícios;• Grau de dificuldade das atividades;• Desafios para o professor;• Perfil de leitores em constante mudança.
  32. 32. Considerações Finais• ReflexãoEssa ferramenta de autoria “não se constitui uma ‘cura milagrosa’, mas sim apenas mais uma das novas ferramentas tecnológicas, dentre outras tantas citadas na literatura”;Aprendizagem personalizada e prazerosa;O professor deve “dar um primeiro ENTER e começar a navegar nesse mar de possibilidades que nos são apresentadas pelas novas ferramentas tecnológicas”.
  33. 33. Referências• ANDRÉ, M.E.D.A. Etnografia da prática escolar. São Paulo: Papirus, 1995.• ANTHONY, L. English for Specific Purposes: What does it mean? Why is it different?. On-CUE. v. 5, n. 3, p. 9-10, 1997.• BASTOS, H. P. P. Atividades pedagógicas de cunho instrumental feitas on-line: teoria e prática. The ESPecialist, v. 28, n.1, p.17-35, 2007.• BAX, S. CALL – past, present and future. System, v. 31, p. 13-28, 2003.• BELL, J. Abordagens de pesquisa. In: BELL, J. Projeto de pesquisa: guia para pesquisadores iniciantes em educação, saúde e ciências sociais. 4. ed. Porto Alegre: Artmed/Bookman, 2008, p. 13-30.• BOHN, V. C. R. O potencial da web 2.0 e suas possibilidades para o ensino de lingua estrangeira: apresentando o podcasting, wiki e a rede social Ning. Letras & Letras, Uberlândia v. 25 n.2 p.173-191, jul./dez, 2009.
  34. 34. Referências• BROWN, S. H. Implementing web-based interactive testing with dynamic interventions in middle school classrooms using hot potatoes software, 2005. Dissertação (Master of Science) - Emporia State University. Disponível em: http://idt.emporia.edu/graduateprojects/spring05/ browncheryl/brown.pdf. Acessado em 15 de set. de 2010.• BURNS, A. Collaborative action research for English language teachers. Cambridge: Cambridge University Press, 1999.• DONDA, L. G. O freeware hot potatoes e seu potencial como ferramenta de aprendizagem. Paraná, 2007. Disponível em: www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos/1062-4.pdf.• FERRANCE E. Action Research. Brown University, 2000.• FRANCO, C. P. O uso de um ambiente virtual de aprendizagem no ensino de inglês: além dos limites da sala de aula presencial. Rio de Janeiro: UFRJ / Faculdade de Letras Programa Interdisciplinar de Pós- Graduação em Linguística Aplicada, 2009.
  35. 35. Referências• HEEMANN, C. Inglês instrumental (ESP): o uso de estratégias de leitura em um curso online de leitura. Signo. Santa Cruz do Sul, v. 34 n. 56, p. 137-156, jan.-jun., 2009. 50• HUTCHINSON, T., WATERS A. English for Specific Purposes – a learning-centred approach. Cambridge, Cambridge University Press, 1987.• KENSKI, V. Educação e tecnologias: o novo ritmo da informação. 7ª. Ed. Campinas: Papirus, 2010a.• KENSKI, V. M. Tecnologias e ensino presencial e a distância. 9ª. ed. Campinas: Papirus, 2010b.• LEFFA, V. J. Uma ferramenta de autoria para o professor. O que é e o que faz. Letras de Hoje. Porto Alegre. V. 41, nº 2, p. 189-214, junho, 2006b.• NAKAMURA, R. Moodle: como criar um curso usando a plataforma de Ensino à Distância. São Paulo: Farol do Forte, 2009.
  36. 36. Referências• NEVES, R. A. E. O que é inglês instrumental? UCG. Goiânia, 2002. Disponível em: http://www2.ucg.br/flash/artigos/OQueInglesInstrumental.PDF. Acessado em: 06 de março de 2011.• SOUZA, V. S. Letramento digital de professores de línguas: a necessidade da continuidade do percurso. Letras & Letras, Uberlândia v. 25 n.2 p. 123-143, jul./dez. 2009.• STANFORD, J. Moodle 1.9 for Second Language Teaching. Birmingham: Packt Publishing Ltd, 2009.• WARSCHAUER, M.; HEALEY, D. Computers and language learning: An overview. Language Teaching, 31, 57-71, 1998.• WISSMANN, L. D. M. Propósitos educacionais no meio on-line: o caso dos cursos de inglês gratuitos. Santa Maria, jul. 2005.
  37. 37. Obrigada!!!http://tecle.weebly.com

×