O LIVRO SOLIDÁRIOTexto: Letícia SoaresIlustração: Hildegardis BundaTurma 9º A                                1
Era uma vez um rapaz que se chamava Mau-Duar, que vivia com os paisnuma aldeia isolada no Distrito de Viqueque, que fica n...
céu, os passarinhos voavam alegremente no céu e cantavam como um grandecoro.        Assim, o rapaz decidiu lavar-se, quand...
- Eu gostaria de te levar lá, mas tu não podes respirar debaixo do mar eexistem muitos obstáculos para percorrer.      - Q...
- Mau-Duar, eu sou o Rei do Mar e das Sereias, eu quero que tu devolvaso livro que a minha filha roubou ao mar, senão a tu...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Pnl menção honrosa - livro solidario

279 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
279
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Pnl menção honrosa - livro solidario

  1. 1. O LIVRO SOLIDÁRIOTexto: Letícia SoaresIlustração: Hildegardis BundaTurma 9º A 1
  2. 2. Era uma vez um rapaz que se chamava Mau-Duar, que vivia com os paisnuma aldeia isolada no Distrito de Viqueque, que fica numa ilha do sudesteasiático que se chama Timor-Leste. Ele era alto, moreno, magro, de olhoscastanhos, usava uma camisola rasgada de cor verde e umas calças em mauestado, e andava descalço. Naquele local existem muitas paisagens de praias e montanhasmaravilhosas e as casas são feitas de telhas e de madeira, e são muito bonitas. Mau-Duar nunca tinha andado numa escola, porque naquele tempo sóas pessoas ricas é que iam à escola e por isso era quase analfabeto. Quase todas as noites, Mau-Duar sonhava que um dia alguém lhe iriaoferecer um livro e queria que o sonho dele se tornasse realidade. No seusonho, uma rapariga iria oferecer-lhe um livro de magia que poderia ensiná-loa ler e a escrever, e iria ajudar os pobres a realizar o seu sonho. Certa noite, houve uma grande tempestade, choveu imenso, o mar ficoumuito agitado e os trovões parecia que caíam mesmo em cima da casa.Naquela noite, parecia que o mundo iria desabar. O Mau-Duar não conseguiadormir, por isso, abriu a sua janela para ver o acontecia lá fora e naquelemomento um pombo voava em direção a ele e pousava mesmo em cima dasua mão. O pombo levava uma mensagem no bico. Ele tirou a mensagem dobico e tentou ler a mensagem, que dizia: Mau-Duar, eu espero-te amanhãmuito cedo na praia, eu quero dar-te uma coisa muito importante. Com isso,podes alcançar os teus sonhos e ser solidário com os outros. Quando ele acabou de ler, guardou a mensagem no armário e voltou aolugar onde o pombo tinha estado, mas o pombo tinha desaparecido. Demanhã, quando acordou, abriu a janela e olhou o ambiente lá fora, que eramuito calmo, o mar estava lindo, as ondas batiam levemente, o sol brilhava no 2
  3. 3. céu, os passarinhos voavam alegremente no céu e cantavam como um grandecoro. Assim, o rapaz decidiu lavar-se, quando acabou, vestiu-se e saiu de casa.Foi diretamente à praia como a mensagem lhe tinha dito para fazer. Na praiaele encontrou uma sereia muito bonita, os cabelos eram muito compridos e naparte superior ela vestia uma coisa parecida com um soutien , mas feito decoco. Na parte inferior era parecida com um peixe. O rapaz teve medo edeciciu fugir, mas a sereia gritou: - Ó rapaz, não precisas de fugir, eu não te vou fazer mal, confia em mim! O Mau-Duar acreditou e foi falar com a sereia: - O que queres de mim? - Eu não quero nada, só quero oferecer-te um livro de magia. Fui eu quete mandei a mensagem. - Porque é que me queres dar um livro? - Eu quero dar-te um livro, porque és uma boa pessoa e quero que tusejas solidário. - Mas como é que eu vou usar o livro para ajudar os outros? - Para ajudar os outros, tu tens de abrir o livro e ler a frase que estápintada de cor verde, tens de pensar no que queres e vais alcançar os teuspedidos. - Muito obrigada pela tua confiança. Quero saber mais uma coisa: quemés tu e onde vives? - Eu chamo-me Linda e sou a filha mais nova do Rei do Mar. Vivo nofundo do mar, onde o mar é muito fundo, muito longe da terra, onde as ondassão as mais tremendas do mundo e fazem arrepios. - Um dia, eu quero visitar a tua terra-natal. 3
  4. 4. - Eu gostaria de te levar lá, mas tu não podes respirar debaixo do mar eexistem muitos obstáculos para percorrer. - Que pena! E naquele momento ela tirou de dentro de água um livro parecido com oouro, que era muito brilhante e muito grande. Deu-lhe o livro e disse: - Este livro é especial e quero que o uses para praticar a solidariedade,porque foi feito para ajudar as pessoas. - Eu juro que vou cuidar dele e ajudar as pessoas, e quero ser o teumelhor amigo. - Tu já és o meu melhor amigo. Agora, quero despedir-me, porque tenhode voltar ao mar. Juro-te que aos domingos de manhã virei visitar-te sempre. - Boa viagem, minha amiga, eu também vou esperar-te sempre aosdomingos. Adeus, amiga, vou ter imensas saudades tuas! Assim, a sereia Linda partiu e o rapaz decidiu voltar a casa e decidiuexperimentar o livro. Leu a frase escrita a verde, como a sereia tinha dito, epensou em ter 100 livros de diferentes tipos. Então, ele decidiu distribuir oslivros pelas crianças do seu bairro. A partir daquele momento, quase todas ascrianças naquele local aprenderam a ler e a escrever. Com o livro mágico, ele também ajudou os pais financeiramente ealgumas populações do seu país, e construiu novas escolas gratuitas. Mau-Duar era muito famoso na sua aldeia e era considerado o herói dopovo. Mas um grande problema aconteceu. Uma noite, aconteceu a maiortempestade de todas, as águas do mar entraram nas casas das pessoas, osrelâmpagos partiram e queimaram imensas árvores e mataram algumaspessoas. Naquela noite, ouviu-se uma voz grossa, vinda do mar, a dizer: 4
  5. 5. - Mau-Duar, eu sou o Rei do Mar e das Sereias, eu quero que tu devolvaso livro que a minha filha roubou ao mar, senão a tua terra vai sofrer um grandemaremoto! Mau-Duar ouviu aquela voz e ficou muito assustado e resolveu fazercomo o Rei do Mar e das Sereias disse. E quando chegou o dia seguinte, eleacordou e foi entregar o livro mágico ao Rei do Mar. Quando chegou ao mar,as ondas começaram a agitar-se e saiu de lá um homem de grande tamanho,branco, com uns cabelos compridos, que vestia umas roupas todas vermelhase usava uma coroa na cabeça. Ele percebeu logo que era o Rei do Mar. O Rei do Mar disse-lhe: - Ó rapaz, onde está o meu livro mágico? - Está aqui, mas eu nunca pedi à tua filha para me dar este livro. - Eu não quero as tuas explicações, eu não gosto de ajudar as pessoas. Naquele momento, a filha apareceu e disse: - Ó pai, em primeiro lugar, quero pedir grandes desculpas, mas eu gostode ajudar as pessoas, porque fico feliz se todas as pessoas estiverem felizestambém. Então, Mau-Duar abriu o livro e desejou que o pai da sereia se acalmassee começasse a gostar de ajudar as pessoas, de ser solidário. O desejo realizou-se. O pai disse: - Minha filha, eu peço desculpa, agora já sei que nós devemos sersolidários, porque é lindo, e vou-te oferecer este livro a ti, Mau-Duar, e devescuidar dele e ajudar as pessoas que precisam. Eu e a minha filha queremosdespedir-nos de ti. Até qualquer dia! E eles desapareceram no mar. Mau-Duar e todo o seu povo viveramfelizes e aprenderam muita coisa sobre a solidariedade. 5

×