A iac mandou a toalha ao chão

385 visualizações

Publicada em

A IAC - Iniciativa para uma Auditoria Cidadã, integrada na estratégia e sob controlo do BE revelou-se em todo o seu reacionarismo. Veja-se esta ´pérola proferida pelo seu chefe "A renegociação tem de ser feita antes que se chegue a um ponto de rotura social, que todos queremos evitar" Decididamente, a rotura está longe da "esquerda" caviar

Publicada em: Notícias e política
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
385
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A iac mandou a toalha ao chão

  1. 1. GRAZIA.TANTA@GMAIL.COM 29/4/2013 1A IAC mandou a toalha ao chãoA imprensa divulgou o próximo projeto da IAC – Iniciativa para umaAuditoria Cidadã1.Ficámos a saber que a IAC se vai entreter durante as férias a recolherassinaturas para entregar na AR, para esta criar uma Entidade queacompanhe a auditoria. Já temos a IGF – Inspeção Geral de Finanças eo Tribunal de Contas, lembramos nós; é o habitual pendor para aburocracia e a estatização de keynesianos ou, de próceres do trotsko-estalinismo que reina naquelas bandas. Parece brincadeira decarnaval…Assim, a IAC desiste da auditoria cidadã, do desenvolvimento dademocracia inerente à intervenção das pessoas num processo deabertura e de transparência das contas públicas. Aliás, a referência a“cidadã” sempre foi propaganda pois uma grande abertura significariariscos de radicalização que o controlo partidário exercido sobre a IACpoderia não conter.A IAC encaminha a questão da dívida para o vespeiro parlamentarpedindo aos deuses que a maioria PSD/CDS aprove os seus propósitos.Para que isso aconteça terão de pedir ao Cavaco que interceda juntoda Nª Sª de Fátima. Quanto às pessoas comuns, que se resignem ao queos seus “representantes” decidam, do alto do seu reconhecidobrilhantismo intelectual…Não é estranho que, com tantos académicos, a IAC, ano e meio depoisda abertura com pompa e circunstância no S. Jorge, chegue a estapífia proposta, reveladora de paralisia e total fracasso. Só revela a suaausência de trabalho concreto e a sua preferência para debitarem nopalanque para plateias selecionadas e normalizadas, adequadas aoseu reacionarismo.A IAC nunca defendeu que a dívida é um problema político, semsolução neste sistema institucional. Não é capaz de assumir que estadivida não é pagável e que só uma posição de princípio – não1http://democraciaedivida.wordpress.com/2013/05/29/iac-promove-pobreza-nao-paga-a-divida-renegociacao-ja/
  2. 2. GRAZIA.TANTA@GMAIL.COM 29/4/2013 2pagamos – pode abrir caminho ao apuramento de dívidas ilegítimas, aanulações, à criminalização de quantos participaram em actos danososde gestão pública. Objetivamente, a IAC coloca-se ao lado de VitorGaspar, da troika e do capital financeiro, na perpetuação dossacrifícios e na punição pelo pecado de “vivermos acima das nossasposses”.A IAC não quer assumir que não se vai a lado algum com as atuaisinstituições que acoitam uma classe política que se auto-reproduz epara a qual as pessoas são débeis mentais incapazes de perceber acomplexidade da situação e as dificuldades da governação; esta, quecomo sabemos, se reduz ao roubo de rendimentos e direitos daesmagadora maioria dos sobreviventes em Portugal.Na IAC mandou-se a toalha ao chão e espera-se que uma poucoreflexiva imprensa divulgue prometidas glórias futuras, já que dopassado há pouco para apresentar. Como aliás em outras iniciativasdominadas pelo BE, como se verá em breve.Estivemos recentemente em Espanha num dos muitos “nós” daAuditoriaciudadana e que compõem a rede que se espalha pelo país.Nesse “nó” – criado em outubro último – vimos trabalho, abertura atodos, organização e propostas políticas adequadas à situação que sevive, em Espanha ou Portugal. Não descortinámos a presença deinfiltrados ou controleiros partidários embora estivessem presentesalgumas pessoas com simpatias partidárias e que, naturalmente, eramencaradas como quaisquer outras. Nem vimos nenhum caso depremeditada exclusão como na IAC que, em dezembro de 2011,recusou a integração de um ativista enquanto explícito defensor daanulação da dívida pública portuguesa.Sobre a dívida, veja-se aqui trabalho desenvolvido sem académicosescolásticos, nem quadros partidários ao serviço da perpetuidade dosistema que, benevolamente, lhes paga:http://grazia-tanta.blogspot.pt/2013/05/quando-divida-aumenta-democracia.htmlhttp://grazia-tanta.blogspot.pt/2012/07/a-divida-seguranca-social-o-longo.htmlhttp://grazia-tanta.blogspot.pt/2012/05/divida-portuguesa-total-canibalizacao.htmlhttp://grazia-tanta.blogspot.com/2012/03/v-behaviorurldefaultvmlo.html
  3. 3. GRAZIA.TANTA@GMAIL.COM 29/4/2013 3http://grazia-tanta.blogspot.com/2012/02/fundo-de-garantia-salarial-desvio-de.htmlhttp://pt.scribd.com/doc/76808101/Seguranca-Social-%E2%80%93-processos-de-descapitalizacao-1http://pt.scribd.com/doc/76294238/Divida-publica-Entre-o-%E2%80%98pagamos-e-depois-logo-se-ve%E2%80%99-e-o-%E2%80%98nao-pagamos-ate-ver%E2%80%99-vai-uma-grande-distanciahttp://pt.scribd.com/doc/76293357/Precisa-se-espirito-critico-sobre-esta-Auditoria-Cidada-a-Divida-Publicahttp://pt.scribd.com/doc/66860865/Divida-publica-%E2%80%93-Os-principais-tipos-de-gasto-publico-2%C2%AA-parte-http://pt.scribd.com/doc/62440654/Divida-publica-beneficiarios-e-pagadores-1%C2%AA-parte-http://pt.scribd.com/doc/59151940/Questoes-sobre-a-auditoria-as-contas-publicashttp://pt.scribd.com/doc/57484552/Sobre-a-ideia-enganadora-da-auditoria-a-dividaEste e outros textos em:http://grazia-tanta.blogspot.com/http://pt.scribd.com/people/documents/2821310?page=1http://www.slideshare.net/durgarrai/documents

×