Atividade pcn

1.593 visualizações

Publicada em

Tecnologias presentes nos PCNs de matemática

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.593
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
201
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Atividade pcn

  1. 1. Objetivos gerais de Matemática para o Ensino Fundamental 1º ao 4º ciclos <ul><li>Resolver situações-problema, sabendo validar estratégias e resultados, desenvolvendo formas de raciocínio e processos, como dedução, indução, intuição, analogia, estimativa e utilizando conceitos e procedimentos matemáticos, bem como instrumentos tecnológicos. (Página 51) </li></ul>
  2. 2. Recursos dos 1º e 2º ciclos <ul><li>O acesso a calculadoras, computadores e outros elementos tecnológicos já é uma realidade para parte significativa da população. (Página 46) </li></ul><ul><li>Estudos e experiências evidenciam que a calculadora é um instrumento que pode contribuir para a melhoria do ensino da Matemática. A justificativa para essa visão é o fato de que ela pode ser usada como um instrumento motivador na realização de tarefas exploratórias e de investigação. (Página 46) </li></ul><ul><li>Além disso, ela abre novas possibilidades educativas, como a de levar o aluno a perceber a importância do uso dos meios tecnológicos disponivéis na sociedade comtemporânea . A calculadora é também um recurso para a verificação de resultados, correção de erros, podendo ser um valioso instrumento de auto-avaliação. (Página 46) </li></ul><ul><li>O fato de, neste final de século, estar emergido um conhecimento por simulação, típico da cultura informática, faz com que o computador seja também visto como um recurso didático cada dia mais indispensável. (Página 47) </li></ul>
  3. 3. Orientações didáticas dos 1º e 2º ciclos <ul><li>Solicitar aos alunos que façam aparecer, no visor da calculadora, números escritos no quadro ou indicados oralmente. (Página 98) </li></ul><ul><li>O recurso à história da numeração e aos instrumentos como ábacos e calculadoras pode contribuir para um trabalho interessante com os números e, em especial, com o sistema de numeração. (Página 101) </li></ul><ul><li>O uso de alguns softwares disponíveis também é uma forma de levar o aluno a raciocinar geometricamente. (Página 128). </li></ul>
  4. 4. Recursos dos 3º e 4º ciclos <ul><li>Ao verificar o alto nível de abstração matemática de algumas culturas antigas, o aluno poderá compreender que o avanço tecnológico de hoje não seria possível sem a herança cultural de gerações passadas. Desse modo, será possível entender as razões que levam alguns povos a respeitar e conviver com práticas antigas de calcular, como o uso do ábaco, ao lado dos computadores de última geração. (Página 42) </li></ul><ul><li>As tecnologias, em suas diferentes formas e usos, constituem um dos principais agentes de transformação da sociedade, pelas modificações que exercem nos meios de produção e por suas conseqüências no cotidiano das pessoas. (Página 43) </li></ul><ul><li>Estudiosos do tema mostram que escrita, leitura, visão, audição, criação e aprendizagem são influenciados, cada vez mais, pelos recursos da informática. (Página 43) </li></ul><ul><li>Por outro lado, também é fato que as calculadoras, computadores e outros elementos tecnológicos estão cada vez mais presentes nas diferentes atividades da população. (Página 43) </li></ul><ul><li>Embora os computadores ainda não estejam amplamente disponíveis para a maioria das escolas, eles já começam a integrar muitas experiências educacionais, prevendo-se sua utilização em maior escala a curto prazo. (Página 44) </li></ul><ul><li>Eles podem ser usados nas aulas de Matemática com várias finalidades: como meio para desenvolver autonomia pelo uso de softwares que possibilitem pensar, refletir e criar soluções e como ferramenta para realizar determinadas atividades como uso de planilhas eletrônicas, processadores de texto, banco de dados. (Página 44) </li></ul><ul><li>Por outro lado, o bom uso que se possa fazer do computador na sala de aula também depende da escolha de softwares, em função dos objetivos que se pretende atingir e da concepção de conhecimento e de aprendizagem que orienta o processo. (Página 44) </li></ul>
  5. 5. <ul><li>A utilização de recursos como o computador e a calculadora pode contribuir para que o processo de ensino e aprendizagem de Matemática se torne uma atividade experimental mais rica, sem riscos de impedir o desenvolvimento do pensamento, desde que os alunos sejam encorajados a desenvolver seus processos metacognitivos e sua capacidade crítica e o professor veja reconhecido e valorizado o papel fundamental que só ele pode desempenhar na criação, condução e aperfeiçoamento das situações de aprendizagem. (Página 45) </li></ul><ul><li>Outro aspecto a ser considerado é o fato de que hoje a computação gráfica é um recurso bastante estimulador para compreensão e análise do comportamento de gráficos de funções como as alterações que estes sofrem quando ocorrem mudanças nos parâmetros de suas equações. (Página 45) </li></ul><ul><li>Também a atual tecnologia de produção de vídeos educativos permite que conceitos, figuras, relações, gráficos sejam apresentados de forma atrativa e dinâmica. (Página 46) </li></ul><ul><li>Assim, o que se propõe hoje é que o ensino de Matemática possa aproveitar ao máximo os recursos tecnológicos, tanto pela sua receptividade social como para melhorar a linguagem expressiva e comunicativa dos alunos. (Página 46) </li></ul><ul><li>É esperado que nas aulas de Matemática se possa oferecer uma educação tecnológica, que não signifique apenas uma formação especializada, mas, antes, uma sensibilização para o conhecimento dos recursos da tecnologia, pela aprendizagem de alguns conteúdos sobre sua estrutura, funcionamento e linguagem e pelo reconhecimento das diferentes aplicações da informática, em particular nas situações de aprendizagem, e valorização da forma como ela vem sendo incorporada nas práticas sociais. (Página 46) </li></ul>
  6. 6. Orientações didáticas dos 3º e 4º ciclos <ul><li>Existem alguns softwares interessantes que podem ser integrados às atividades algébricas, como os que utilizam planilhas e gráficos. Hoje em dia, com o uso cada vez mais comum das planilhas eletrônicas que calculam automaticamente a partir de fórmulas, a necessidade de escrever algebricamente uma seqüência de cálculos é maior que tempos atrás. (Página 119) </li></ul><ul><li>O preenchimento de planilhas também poderá ser explorado por meio de calculadoras. </li></ul><ul><li>(Página 119) </li></ul><ul><li>Atualmente, existem softwares que exploram problemas envolvendo transformações das figuras. (Página 124) </li></ul><ul><li>Convém destacar que as grandezas a serem estudadas nos terceiro e quarto ciclos não são apenas as geométricas (comprimento, área, volume) ou as relacionadas aos fenômenos físicos (comprimento, massa, tempo, temperatura, densidade, velocidade, energia), mas também quanto à informática, como os números que indicam a capacidade de memória de calculadoras e computadores ou sua velocidade de processamento. (Páginas 133 e 134) </li></ul><ul><li>Uma forma de explorar os processos estatísticos e probabilísticos é a partir da leitura e discussão das informações que aparecem nos jornais. Nesse trabalho a calculadora é um instrumento imprescindível porque os cálculos são muitos e costumam ser trabalhosos em virtude dos números envolvidos, revistas, rádio, televisão, Internet etc. (Página 134) </li></ul>

×