Mais informações: www.social.mg.gov.br
MONTES CLAROS GANHA DUAS UNIDADES
INTERLIGADAS DE REGISTRO CIVIL DE NASCIMENTO
Divu...
Mais informações: www.social.mg.gov.br
O subsecretário de Trabalho e Emprego,
Hélio Rabelo, recebeu a visita de 50 diarist...
Mais informações: www.social.mg.gov.br
EmMinas,oDiaNacionaldaContrataçãodaPessoa
com Deficiência e Reabilitados, denominad...
Mais informações: www.social.mg.gov.br
As Centrais de Interpretação de Libras (CILs)
instaladas pela Secretaria de Estado ...
Mais informações: www.social.mg.gov.br
SEDESE QUER AMPLIAR RECURSOS PARA AS AÇÕES
DE CAPACITAÇÃO EM MINAS
Minas Gerais dev...
Mais informações: www.social.mg.gov.br
A Secretaria de Estado de Trabalho e
Desenvolvimento Social (Sedese) reconquistou
a...
Mais informações: www.social.mg.gov.br
Centenasdecrianças,jovenseadultosseuniram
no último dia 20 para abraçar simbolicame...
Mais informações: www.social.mg.gov.br
A Secretaria de Estado de Trabalho e
Desenvolvimento Social (Sedese) promoveu,
nos ...
Mais informações: www.social.mg.gov.br
um ofício justificando o aumento do número de
pessoas que voltaram a estudar no mun...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Informativo sedese ed65

286 visualizações

Publicada em

Informativo sedese ed65

Publicada em: Governo e ONGs
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
286
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
51
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Informativo sedese ed65

  1. 1. Mais informações: www.social.mg.gov.br MONTES CLAROS GANHA DUAS UNIDADES INTERLIGADAS DE REGISTRO CIVIL DE NASCIMENTO Divulgação/ Sedese • Maio de 2014 • Número 65 • O município de Montes Claros, no Norte de Minas, ganhou duas Unidades Interligadas de Registro Civil de Nascimento (UIs), projeto da Secretaria de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social (Sedese) que permite às mães terem acesso ao registro de seus filhos antes mesmo de deixarem a maternidade. A entrega do novoserviçoàpopulaçãomontes-clarenseocorreu no último dia 21, no Hospital Clemente de Faria (da Unimontes) e na Santa Casa de Misericórdia, e foi feita pelo secretário de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social, Eduardo Bernis, que tem se empenhado para garantir à população fácil acesso à documentação básica e pleno exercício da cidadania. Com mais essas duas UIs, Minas já conta com 18 unidades em funcionamento no Estado, o que já permitiu a emissão de 6.887 Certidões de Nascimento até agora. Durante a solenidade, Eduardo Bernis informou que outras 17 UIs serão implantadas em maternidades de Belo Horizonte, região metropolitana e em municípios do semiárido mineiro. Com um sistema interligado ao cartório, via internet, as mães têm acesso à Certidão de Nascimento dos filhos ainda na maternidade. Todo o processo é feito on-line, com a impressão do documento sendo feita no próprio hospital. A Sedese tem como parceiros do projeto para erradicação do sub-registro civil em Minas a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, a Corregedoria Geral de Justiça de Minas Gerais, o Ministério Público Estadual, os cartórios e o Sindicato dos Oficiais do Registro Civil das Pessoas Naturais (Recivil). “ACertidãodeNascimentooficializaaexistência da pessoa, garantindo-lhe a cidadania. Sem ela, as pessoas não podem exercer seus direitos civis”, enfatizou Eduardo Bernis, lembrando que, além da comodidade e agilidade para os pais, o documento também possibilita à família a inclusão em benefícios e programas sociais dos governos. Estão no sub-registro civil os nascidos vivos e não registrados no próprio ano em que ocorre o parto. E a Certidão de Nascimento é a única maneira de garantir às pessoas o reconhecimento formal enquanto titular de direitos, permitindo o pleno exercício da cidadania. Segundo dados do Censo de 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 12.157 mineiros, com até 10 anos de idade, não possuíam o registro civil. Para minimizar essa situação no Estado, além da criação das UIs, a Sedese capacitou 210 pessoas para atuar nesses espaços, garantindo o registro civil de nascimento, e tem realizado mutirões em comunidades tradicionais como quilombolas, indígenas, ciganas e em municípios com alto índice de sub-registro civil de nascimento.
  2. 2. Mais informações: www.social.mg.gov.br O subsecretário de Trabalho e Emprego, Hélio Rabelo, recebeu a visita de 50 diaristas no ultimo dia 9. Participaram também do encontro o superintende de Política de Trabalho e Emprego, Bruno Magalhães, a diretora de Geração e Renda, Solange Moreira, além das equipes técnicas da Central de Prestação de Serviços Autônomos e da Diretoria de Geração e Renda. As diaristas conheceram a nova estrutura da Secretaria, após a junção com a pasta de Trabalho, Emprego e Renda. Na reunião também ficou definida uma tabela de valores dos serviços prestados pelas diaristas em Belo Horizonte. Hélio Rabelo salientou a importância da reciclagem e da qualificação, relembrando as habilidades especificas e comportamentais necessárias para se adquirir um bom desempenho como trabalhador. “Otrabalhadorautônomotemquesertratadocom dignidade, por isso a Sedese tem desenvolvido ações para melhoria no atendimento a todos os trabalhadores do Estado, principalmente nos postos do Sine”, afirmou. De acordo com o superintende de Política de trabalho e Emprego, Bruno Magalhães, “a importância do encontro foi promover a construção coletiva e participativa da prestação de serviços autônomos, juntamente com as diaristas”, declarou. O superintendente explicou que o novo preço inicial do serviço das diaristas foi construído utilizando uma metodologia que considera a média do mercado em Belo Horizonte, mas com base na participação e experiência de cada uma das mulheres presentes. “Vale ressaltar que o preço inicial é um preço mínimo, cobrado por cada diarista pelo serviço padrão. Dependendo do desempenho individual de cada uma, bem como dos serviços adicionais oferecidos (produtos de limpeza, passar e lavar roupa etc.), o retorno pode ser negociado com os demandantes, estimulando a competição saudável e o ajuste natural dos preços de mercado,” explicou Magalhães. O valor médio da diária em Belo Horizonte ficou definido em R$100. A passagem e a alimentação ficam por conta do trabalhador. Os interessados em contratar o serviço de trabalhadores autônomos em Belo Horizonte podem contar com as Centrais de Prestação de Serviços das Unidades de Atendimento ao Trabalhador (UATs), disponíveis nos postos do Sine em BH. REUNIÃO COM DIARISTAS DEFINE VALOR DE REFERÊNCIA PARA SERVIÇOS EM BH Encontro de gestores O secretário Eduardo Bernis também participou, em Montes Claros, do I Encontro de Gestores do Sistema Único de Assistência Social (Suas), realizado no auditório da Associação dos Municípios da Área MineiradaSudene(Amans).Naaberturadoevento, ele ressaltou a importância da realização desses encontros regionais, essenciais para a ampliação e a discussão da política pública de assistência social. “Como gestores públicos, nossa missão é atender a população mais necessitada e a Sedese está aberta e integrada ao trabalho dos municípios”, afirmou. O encontro contou com palestra da subsecretária de Assistência Social da Sedese, Maria Albanita Roberta de Lima, que destacou a importância e o papel da gestão do Suas, bem como a busca permanente pelo fortalecimento da gestão e execução do Sistema nos municípios. Divulgação/ Sedese Divulgação/ Sedese
  3. 3. Mais informações: www.social.mg.gov.br EmMinas,oDiaNacionaldaContrataçãodaPessoa com Deficiência e Reabilitados, denominado “Dia D”, foi marcado por várias ações dedicadas ao atendimento para a inclusão da pessoa com deficiência (PcD). Em Belo Horizonte, a Secretaria de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social (Sedese) celebrou a data na Praça da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). Foram oferecidos à população mineira, por meio do Sine Móvel, serviços de emissão de carteira de trabalho, postagem e encaminhamentos de seguro-desemprego, além da intermediação de mão de obra. O “Dia D” é uma promoção da Sedese, em parceria com o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) e Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência da ALMG. De acordo com o secretário de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social, Eduardo Bernis, a Sedese tem trabalhado para promover a inclusão e aproximar os trabalhadores com deficiência das empresas e, consequentemente, ampliar o número desses trabalhadores no mercado formal de trabalho. “Com a iniciativa, a Sedese intensifica suas ações na questão do trabalho e emprego para pessoas com deficiência e reabilitados. Vale lembrar que o Plano Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência, o Minas inclui, tem o objetivo de fortalecer as políticas públicas para este segmento. E um dos eixos é justamente o trabalho e qualificação profissional”, ressaltou o secretário. Reabilitados A representante de reabilitação profissional do INSS de Contagem, Nídia Medeiros Moraes, realiza o processo de captação de vagas para os reabilitados. “São trabalhadores que, por SEDESE PROMOVE AÇÃO PARA INSERIR PESSOA COM DEFICIÊNCIA NO MERCADO FORMAL DE TRABALHO acidente ou alguma doença, seja de trabalho ou de qualquer natureza, ficaram incapacitados de sua função de origem”, explica. Para Medeiros, o “Dia D” é uma oportunidade de contatar novas empresas. “Encontramos várias empresas que não tínhamos no nosso cadastro e muitas com ofertas de vagas. Estamos ampliando nosso cadastro”, completa. Roberto Catar Junior é trabalhador autônomo e utilizou os serviços do Sine Móvel. “Esse movimento é muito importante para a inclusão de deficientes no mercado. Fiz o meu cadastro, foi muito tranquilo e rápido”, destacou. Marlúcia de Fátima Ferreira levou o sobrinho para tirar a carteira de trabalho. “Essa ação é ótima e facilita muito, pois temos um acesso mais rápido aos serviços”, elogiou. De acordo com o subsecretário de Trabalho e Emprego, Hélio Rabelo, existem várias oportunidades de trabalho no Estado, voltados para as pessoas com deficiência e reabilitados. Somente no Sine da Assembleia estão disponíveis 118 vagas, para vários cargos. “Temos centenas de vagas disponíveis e muitas pessoas que querem trabalhar e não estão qualificadas. O governo de Minas tem disponibilizado vários cursos voltados para a qualificação das pessoas com deficiência”, explica. Para Rabelo, o “Dia D” é uma oportunidade para as empresas parceiras divulgarem suas vagas e uma ótima chance para captar as pessoas que procuraram os serviços. “Quem tiver alguma deficiência pode procurar o posto do Sine mais próximo, de onde sairá com uma vaga de emprego ou inserido num curso de qualificação profissional”, declarou. Além da participação no “Dia D”, a Sedese oferece um serviço de informações gerais sobre direitos e benefícios para as pessoas com deficiência. Por meio do site www.social.mg.gov.br, os interessados podemobterinformaçõessobredireitosassegurados em leis, escolas e clínicas especializadas, distribuição de órteses e próteses, isenção de impostos, normas de acessibilidade, referências bibliográficas, criação deassociaçõesedeconselhosmunicipaisdepessoas com deficiência. Empresas presentes no “Dia D” para a captação de pessoas e divulgação das vagas: INSS, Senac, Fecomércio, Sesc, Bilboquê, Instituto Mario Pena, Neocenter, Tropeira Alimentos, Brasil Kirin, Sicepot (Sindicato da Indústria da Construção Pesada no Estado de Minas Gerais), Confederação Brasileira dos Surdos, Coca-Cola, Materdei, entre outras. Paulo Bellardini/ Sedese
  4. 4. Mais informações: www.social.mg.gov.br As Centrais de Interpretação de Libras (CILs) instaladas pela Secretaria de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social (Sedese) em Belo Horizonte e em Uberlândia, no Triângulo Mineiro, para facilitar o acesso de pessoas surdas a serviços públicos, por meiodatraduçãoeinterpretaçãodalínguabrasileira de sinais (Libras), já desperta interesse em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), que tenta garantir uma unidade para o município. No último dia 7, Adalgiza Macedo de Araújo, responsável pela Coordenadoria de Apoio e Assistência à Pessoa com Deficiência (Caapd) de Betim, órgão ligado à Secretaria Municipal de Assistência Social, visitou a unidade da CIL que funciona na Casa de Direitos Humanos (CDH) – órgão da Sedese -, no centro de Belo Horizonte, para conhecer de perto os serviços. “De 2002 a 2008, tínhamos uma Central de Libras que fazia todo tipo de atendimento, como ajuda em consultasmédicas,casamentos,velórioseemórgãos públicos, mas não contávamos com a internet como possui a CIL de Belo Horizonte e Uberlândia. Há dois meses retomamos o serviço, já contamos com um intérprete e estamos tentando, junto ao governo estadual, garantir esse serviço no município”, conta. Nas Centrais já instaladas no Estado, o serviço é prestado de forma presencial - após prévio agendamento – ou virtual, sendo as demandas recebidas por e-mail, Facebook ou Skype, com a utilização da Libras via webcams. As CILs possuem CENTRAL DE LIBRAS DESPERTA INTERESSE DO MUNICÍPIO DE BETIM uma sala especial de acolhimento, também pré- agendadas, para atender pessoas surdas que necessitam da intermediação dos profissionais de Libras para assuntos particulares. “Hoje, só a Associação de Surdos de Betim tem 250 pessoas filiadas, mas sabemos que a demanda é muito maior. Nossa intenção, se conseguirmos o serviço com o governo estadual, é instalar postos com internet nos 19órgãosdaSecretariaMunicipaldeAssistência Social e um no centro da cidade para atender à população”, informou, lembrando que o serviço implantado pela Sedese é “rápido, prático e eficiente”. Minas deve ganhar mais uma Central de Interpretação de Libras, que será instalada no município de Juiz de Fora, na Zona da Mata mineira. As Centrais contam com dois intérpretes de Libras, que facilitam e viabilizam o acesso de pessoas surdas a serviços em hospitais, tribunais, delegacias e em outros locais de atendimento público, possibilitando o esclarecimento e a defesa dos seus direitos, contribuindo para a inclusão social e o desenvolvimento de sua cidadania. No início do mês, o secretário Eduardo Bernis esteve com a ministra de Direitos Humanos, Ideli Salvati, para tentar garantir pelo menos mais uma unidade da CIL para Minas ainda neste ano. Coordenadas pela Caade (Coordenadoria Especial de Apoio e Assistência à Pessoa com Deficiência) – órgão também da Sedese – as CILs têm parceria dos governos de Minas (por meio da Sedese) e federal. CIL UBERLÂNDIA (34)3235-4174 libras.uberlandia@social.mg.gov.br. CIL BH (31) 3270-3625/3626/3627 central.libras@social.mg.gov.br (e-mail) central.libras@hotmail.com.br (Skype) Central de Interpretação de Libras CIL-MG (Facebook). E X P E D I E N T E Orgão oficial da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social ASSCOM - Assessoria de Comunicação www.social.mg.gov.br - comunicacao@social.mg.gov.br (31) 3916-8235 Divulgação/ Sedese
  5. 5. Mais informações: www.social.mg.gov.br SEDESE QUER AMPLIAR RECURSOS PARA AS AÇÕES DE CAPACITAÇÃO EM MINAS Minas Gerais deve receber, em no máximo um mês, mais R$ 12 milhões do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), referentes à terceira parcela de recursos de 2013 destinados, principalmente, às operacionalizações dos 129 postos do Sistema Nacional de Emprego em Minas (Sine). A informação é do secretário de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social, Eduardo Bernis, que participou do Fórum Nacional de Secretarias de Trabalho (Fonset), em Brasília, e de audiência com o ministro do Trabalho e Emprego, Manoel Dias, quando esteve acompanhado do subsecretário de Trabalho e Emprego, Hélio Rabelo. “Devo enfatizar que Minas é o primeiro Estado a receber a terceira parcela dos recursos de 2013, o que mostra a nossa competência e eficiência. Alguns estados sequer receberam recursos relativos às parcelas de 2012”, enfatizou Bernis que, desde que assumiu a Sedese, em abril deste ano, esteve em Brasília pela segunda vez tentando ampliar o volume de recursos e programas destinados a Minas. Eduardo Bernis também informou que a Sedese recebeu R$ 500 mil de emenda parlamentar. Somando-se com a contrapartida de R$ 50 mil do governo estadual mineiro, os recursos serão investidos em ações específicas da Economia Solidária,comoaqualificaçãodeempreendedores, compra de equipamentos para a capacitação, além da realização da Conferência Estadual de Economia Solidária, que acontecerá no período de 6 a 8 de junho deste ano, em Belo Horizonte. Na visita institucional ao ministro Manoel Dias, o secretário informou que também foram pleiteados recursos para o fortalecimento das ações da Fundação de Educação para o Trabalho (Utramig) e para a operacionalização dos postos do Sine, principalmente em Uberlândia, Montes Claros, Juiz de Fora e Belo Horizonte. “Procuramos aproximar as nossas ações às do Ministério do Trabalho e tivemos uma receptividade muito boa por parte do ministro. Nós temos muitos pontos de vista em comum que vão ampliar as relações institucionais de “portas abertas” que o subsecretário Hélio Rabelo vem conquistando ao longo do tempo”, contou. Segundo Eduardo Bernis, um dos pleitos foi o remanejamento de uma verba remanescente de R$ 2 milhões do antigo Plano Nacional de Qualificação Profissional (Planteq) para as ações de capacitação e intermediação de mão de obra em Minas. “O ministro ficou de nos ajudar. Já havíamos feito esse pleito ao Silvani Alves Pereira (secretário de Políticas Públicas de Emprego do MTE), quando da nossa primeira visita a Brasília, mas reforçamos o pedido ao ministro”, salientou, acrescentando que no encontro com Manoel Dias ainda solicitou a ampliação de recursos para o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), via Utramig, como forma de fortalecer essa entidade, que tem um papel fundamental na capacitação de trabalhadores em Minas. Fonset Antes da audiência com o ministro, Eduardo Bernis participou de reunião extraordinária do Fórum Nacional de Secretarias de Trabalho (Fonset), momento em que foram discutidas mudanças na sistemática da transferência de recursos aos estados. “Hoje, essa transferência é feita via convênio, o que atrasa os repasses e estamos sujeitos a todas as implicações burocráticas. Outra possível proposta que surgiu no encontro seria o envio de um projeto de lei - ou de uma medida provisória - ao Congresso Nacional para garantir que os recursos sejam liberados, via conta vinculada, de forma mais simplificada”, explicou o secretário. Divulgação/ MTE
  6. 6. Mais informações: www.social.mg.gov.br A Secretaria de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social (Sedese) reconquistou a representação da Comissão Intergestora Tripartite (CIT) para o Sudeste, da qual estava longe há vários anos. A CIT viabiliza a Política Nacional de Assistência Social (PNAS) e se caracteriza como instância de negociação e pactuação de aspectos operacionais da gestão do Sistema Único de Assistência Social (Suas). A Comissão é composta por representantes dos governos federal, estadual e municipal. Segundo o secretário Eduardo Bernis, que participou da reunião da CIT, em Brasília, acompanhado da subsecretária de Assistência Social, Maria Albanita Roberta de Lima, a partir de agora, Minas representa a Região Sudeste, que engloba os estados Rio de Janeiro, São Paulo e Espírito Santo. “Como o representante que estava à frente da CIT para a Região Sudeste se desincompatibilizou para ser candidato, houve uma articulação política desenvolvida pela subsecretária Roberta e conseguimos conquistar novamente esse assento”, explicou. Segundo Eduardo Bernis, a conquista dessa representação significa não apenas o desafio das políticas públicas voltadas para a área de assistência social, mas também a maior facilidade na aplicação de recursos destinados ao Sudeste. “Ter voz e voto nessas decisões nos permite privilegiar algumas ações”, enfatizou. EntreasprincipaisfunçõesdaCITestão:pactuar estratégiasparaimplantaçãoeoperacionalização; estabelecer acordos sobre questões operacionais da implantação dos serviços, programas, projetos e benefícios; atuar como fórum de pactuação de instrumentos, parâmetros, mecanismos de implementação e regulamentação; pactuar os critérios e procedimentos de transferência de recursos para cofinanciamentos, entre outras ações, segundo o Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Antes da reunião na CIT, Eduardo Bernis e Maria Albanita estiveram em audiência com a ministra Tereza Campello (Desenvolvimento Social e Combate à Fome). “Apresentamos à ministra os dados do Programa Travessia. Alguns ela já conhecia, mas não profundamente, e buscamos ampliar essa sinergia entre a Secretaria e o Ministério, para potencializarmos os resultados na ponta, no atendimento à população e aproveitamos para fazer dois pleitos de recursos, que ela ficou de analisar. No mais, o resultado dos encontros foi extremamente positivo”, destacou Bernis. MINAS GERAIS RECONQUISTA ASSENTO NA COMISSÃO INTERGESTORA TRIPARTITE - CIT Desenvolvimento Social e Combate à Fome O secretário Eduardo Bernis e a subsecretária de Assistência Social, Roberta Albanita, participaram de uma audiência com a ministra de Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, com o objetivo de propor o desenvolvimento de políticas públicas em conjunto, além de buscar a ampliação de recursos para a área social. “Apresentamos à ministra os dados do Programa Travessia. Alguns ela já conhecia, mas não profundamente, então, buscamos ampliar essa sinergia entre a Secretaria e o Ministério, para potencializarmos os resultados na ponta, no atendimento à população e aproveitamos para fazer dois pleitos de recursos, que ela ficou de analisar. No mais, o resultado do encontro foi extremamente positivo”, destacou Bernis. Divulgação/ MTE
  7. 7. Mais informações: www.social.mg.gov.br Centenasdecrianças,jovenseadultosseuniram no último dia 20 para abraçar simbolicamente o Parque Municipal. Com o ato em volta do lago principal do parque, a Secretaria de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social (Sedese), o Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas) e a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) buscaram alertar a população para o Dia Internacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, e o Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil, celebrados em 18 de maio e 12 de junho, respectivamente. Além de Belo Horizonte, as datas também foram celebradas em vários municípios mineiros e com diversas ações. O abraço simbólico, realizado em um dos maiores espaços de lazer e cultura da capital mineira, integrou a programação do evento denominado “Identificar para Proteger”, que promoveu uma série de atividades ao ar livre para a população, incluindo peças teatrais, atendimentos à saúde, emissão de documentos e a Campanha Proteja Nossas Crianças, do governo estadual. “É fundamental esta união de esforços, para continuarmos desenvolvendo e ampliando ações astuciosas de enfrentamento ao abuso e à exploração sexual de crianças e adolescentes em Minas Gerais. É uma mobilização permanente, não podemos descuidar”, ressaltou o secretário de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social, Eduardo Bernis, que participou do abraço em volta do lago do Parque Municipal e acompanhou as atividades, juntamente com a primeira-dama e presidente do Servas, Célia Pinto Coelho. Desyree da Trindade Rosa, de 18 anos, jovem aprendiz do Ensino Social Profissionalizante (Espro), em Belo Horizonte, ressaltou a participação dos jovens em mobilizações e campanhas de sensibilização como essa. “A campanha é muito importante para chamar a atenção de todos os jovens e todas as crianças no combate ao abuso sexual. Isso é algo muito sério, por isso participamos da ação”, ressaltou. A data O dia 18 de maio foi instituído pela Lei Federal nº. 9970/00 como o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. A data foi escolhida porque em 18 de maio de 1973, em Vitória (ES), uma menina de oitoanosdeidadefoiraptada,drogada,estuprada, morta e carbonizada por jovens de classe média alta da cidade. O crime bárbaro chocou a opinião pública nacional e ficou conhecido como o “Crime Araceli”, nome da vítima. Apesar de sua natureza hedionda, prescreveu impune. Campanha Proteja Nossas Crianças Às vésperas da Copa do Mundo, a Sedese vai intensificar a campanha Proteja Nossas Crianças, aumentando ações e estratégias de proteção dos direitos da criança e do adolescente em 43 municípios, que terão impacto direto com a chegada de um grande volume de turistas, estabelecendo fluxos da rede de amparo, capacitação, plantão integrado de atendimento com equipe volante e serviço temporário de convivência. A intenção é combater o abuso e a exploração de crianças e adolescentes, além de outros tipos de violência contra a população infantojuvenil, como a negligência, o abandono e as agressões físicas e psicológicas. ABRAÇO SIMBÓLICO ALERTA SOBRE A EXPLORAÇÃO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES Paulo Bellardini/ Sedese Paulo Bellardini/ Sedese
  8. 8. Mais informações: www.social.mg.gov.br A Secretaria de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social (Sedese) promoveu, nos dias 7 e 8 deste mês, nova capacitação para agentes e gestores municipais do Banco Travessia. Nessa etapa, cerca de 100 profissionais, de 40 municípios atendidos pelas agências do Banco, foram capacitados em Belo Horizonte. O objetivo do curso foi aprimorar a atuação dos profissionais no Sistema de Gestão do Banco Travessia, bem como estimular a inserção, o retorno, a manutenção e a conclusão da trajetória escolar das famílias que têm pelo menos um de seus membros com privação educacional. Durante a capacitação, os agentes e gestores municipais receberam informações sobre procedimentos para abertura das contas bancárias, pagamento dos contratos concluídos e o processo de abertura de novos cadastros. Neste ano, mais cinco mil famílias devem ser incluídas no Projeto Banco Travessia. Ivete Ferreira Santos Lidório, de Serranópolis de Minas, é agente do Banco desde maio de 2012. A agente destacou os avanços no município de quase 4.500 habitantes, localizado na região norte do Estado. “Os resultados são positivos, inclusive o pessoal do Censo pediu SEDESE PROMOVE CAPACITAÇÃO DE AGENTES E GESTORES DO BANCO TRAVESSIA O secretário de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social, Eduardo Bernis, participou do 31º Congresso Mineiro de Municípios, um dos mais expressivos eventos municipalistas do país que busca, cada vez mais, aproximar o poder público do cidadão, criar novas oportunidades de crescimento para os municípios e promover uma gestão ética e transparente. Com o tema “Federação e o Pacto das Ruas”, o Congresso discutiu importantes assuntos para a sociedade e agraciou cinco importantes personalidades que contribuíram para os municípios. Realizado no Expominas, o Congresso contou com um estande da Secretaria de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social (Sedese), instalado no espaço destinado ao governo mineiro, onde os participantes tiveram acesso a folders e cartilhas que detalham os programas e ações que a Sedese vem desenvolvendo. O Congresso, que ocorreu paralelo à 30ª Feira para o Desenvolvimento dos Municípios, contou com a presença do governador Alberto Pinto Coelho, do prefeito de Belo Horizonte, Márcio Lacerda, do presidente da Assembleia Legislativa de Minas, Dinis Pinheiro, além do anfitrião do Congresso e presidente da AMM, Antônio Carlos de Andrada. A Feira é um importante espaço para que os gestores públicos busquem soluções mais eficientes para a administração dos municípios. Na ocasião, prefeitos e representantes municipais presentes puderam conhecer o novo portal da AMM, a nova marca da entidade e a criação da Faculdade Municipalista Mineira (FAMM), que dará suporte ao trabalho técnico já realizado pela AMM. ENCONTROS TÉCNICOS Planejamento Estratégico para a Captação de Recursos foi o tema abordado pelo secretário de Estado adjunto de Trabalho e Desenvolvimento Social, Juliano Fisicaro, para prefeitos e representantes dos municípios que prestigiaram o 31º Congresso Mineiro de Municípios. No mesmo evento, a subsecretária de Assistência Social, Maria Albanita Roberta de Lima, falou sobre Aprimoramento da Gestão Municipal de Assistência Social e a Participação Popular - Pacto de Aprimoramento de Gestão. CONGRESSO DA AMM APROXIMA PODER PÚBLICO E CIDADÃO LeilaMachado/Sedese
  9. 9. Mais informações: www.social.mg.gov.br um ofício justificando o aumento do número de pessoas que voltaram a estudar no município, principalmente na zona rural. Atualmente, temos quase o dobro de alunos, isso é fruto das ações do Travessia”, afirmou. Segundo Ivete Ferreira, Serranópolis conta hoje com mais de 300 cadastros no Banco e a previsão é que este número chegue a 800. A agente ressalta que a área rural possui famílias inseridas no Banco Travessia e continuam em busca de qualificação. “Os pais se qualificam e ainda podem ensinar seus filhos, sendo recompensados por isso”, completa. A gestora do Banco e coordenadora do Cras no município de Presidente Juscelino, Laura Maria Diniz e Silva, destaca a diminuição do índice de analfabetismo no município após as intervenções do Banco Travessia. “Foram feitas ações para qualificação profissional nas comunidades rurais, onde a maior privação era na área educacional. Hoje, esta questão está praticamente resolvida”, declarou. Presidente Juscelino, com mais de 3900 habitantes, possui cerca de 280 famílias cadastradas atualmente no Projeto. “Nossas comunidades são distantes umas das outras e em quase todas temos beneficiários cadastrados. Esta capacitação é uma grande ferramenta para nossa atuação”, acrescenta Laura. Municípios Participaram desta capacitação os municípios: Alvorada de Minas, Arinos, Campanário, Campo Azul, Capim Branco, Carvalhos, Confins, Consolação, Diogo de Vasconcelos, Dom Joaquim, Fernandes Tourinho, Frei Lagonegro, Ibituruna, Itinga, Joaquim Felício, Josenópolis, Juiz de Fora, Lagoa dos Patos, Marilac, Matutina, Nacip Raydan, Oratórios, Passabém, Pescador, Ponto Chique, Presidente Juscelino, Presidente Kubitschek, Quartel Geral, Sabará, Santa Fé de Minas, Santo Antônio do Itambé, Santo Antônio do Jacinto, Santo Hipólito, São Geraldo da Piedade, São João do Pacuí, São José da Safira, São José do Divino e Serranópolis de Minas. Oprojetoestratégicoparaaquestãodotrabalho e emprego em Minas - Projeto Rede Mineira do Trabalho - da Secretaria de Estado de Trabalho e Desenvolvimento Social (Sedese), foi o tema da palestra ministrada pelo diretor de Educação para o Trabalho da Sedese, Eduardo Mendes Bernardes. A palestra, promovida pelo Sindicato do Comércio Varejista de Gêneros Alimentícios de Belo Horizonte (Sincovaga), aconteceu na sede da Federação do Comércio do Estado de Minas Gerais (Fecomércio) e contou com a presença de trabalhadores e empresários do setor. O palestrante abordou temas sobre a reestruturação das políticas públicas de trabalho para atuarem de forma complementar, emissão de carteira de trabalho e intermediação de mão de obra. Bernardes também falou sobre qualificação profissional, seguro-desemprego, intermediação de trabalhadores autônomos, assessoramento a empreendedores autônomos, fomento e intermediação ao microcrédito. “Também ressaltamos a modernização das unidades de atendimento da Sedese, que vai desde o gerenciamento dos processos de atendimento ao trabalhador até as articulações com empresários de diversos setores na captação de vagas de qualidade”, acrescentou. Eduardo Mendes Bernardes destacou ainda a relevância do tema, principalmente para auxiliar os empresários na identificação das demandas de mão de obra, para que a Sedese possa captar os recursos para a qualificação e intermediação do trabalhador já qualificado. “Os principais resultados do Projeto Rede Mineira do Trabalho beneficiará tanto o trabalhador quanto empresários de diversos setores econômicos”, salientou. SEDESE APRESENTA O PROJETO REDE MINEIRA DO TRABALHO PARA EMPRESÁRIOS DA ÁREA ALIMENTÍCIA Divulgação/Sedese

×