SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 4
Nossa Teia de Relações                Porém, aprendemos cada vez mais a viver de
                                                 uma forma individualista que ignora o coletivo e
                                                 os problemas conjuntos (da própria cidade ou
                                                 questões globais como o aquecimento da
                                                 temperatura do planeta).

                                                 Isso não é natural. Como nos organizamos e o
                                                 que acreditamos se aprende. Se não estamos
                                                 valorizando a natureza e as pessoas por que
                                                 precisamos “ganhar a vida”, isso é social, é
                                                 construção das próprias pessoas e poderá ser
                                                 diferente na medida que uma quantidade maior
                                                 de indivíduos se sentirem insatisfeitos,
                                                 desejarem e proporem mudanças.
Toda pessoa nasce envolvida em um conjunto de
                                                Responda com base no texto:
relações sociais, pois isso a faz um ser humano
(do jeito que conhecemos). A vida de alguém que
                                                1)   Como percebemos nas             pessoas      a
nasceu em 1950 no interior do RS é totalmente
                                                mudança de contexto social?
diferente de alguém em 2012 em uma cidade
grande do Estado. Quando e a onde são
fundamentais para entendermos o contexto em
que a pessoa se insere.
                                                  2)     Quais são os territórios que você está
Por tanto, o contexto social (comunidade, bairro,
                                                  inserido? Como percebemos a sua existência?
cidade, estado, país) influencia o modo de um
indivíduo se comportar. Ser brasileiro, gaúcho,
leopoldense, morador da vila paim é um jeito
muito específico de ser, que já muda ao alterar o
bairro da mesma cidade.
                                                  3)     Explique o que quer dizer a frase “Isso
                                                  não é natural” do último parágrafo.
Todas essas possibilidades de contexto são
territórios, espaços marcados por uma identidade
- e muitas vezes relações de poder e disputa -,
que também organizam a dinâmica de
convivência. Brigas entre bondes são comuns
                                                  Responda com base no caderno:
fruto da competição entre eles.
                                                 4)     Diferencie o espaço privado do público.
Entretanto, as pessoas podem se relacionar de
maneira mais harmônica que uma constante
disputa ou dominação.

A solidariedade, por sua vez, estimula a união e
                                                 5)    Podemos fazer o que quisermos no
trocas mútuas, formando uma harmonia bem
                                                 espaço público? Dê um exemplo de uma ação
maior entre os indivíduos.
                                                 que seja crime no espaço público.
Um convivência harmônica também perpassa a
relação do homem com a natureza. Um meio
ambiente poluído é pior de viver que um bem
cuidado.



                Quem é você?                    Essas atitudes são tão comuns que damos o nome de
“Jeitinho Brasileiro” a todos os comportamentos que
                                                       tentam fugir da regra sem aparentar fazer.


                                                       Portanto, algo que se constituiu como cultura e
                                                       identidade brasileira possui influencia em nossas
                                                       vidas, pois vivemos esse ambiente, também pode
                                                       fazer parte de elementos de nossa identidade.


                                                 Quem somos faz parte de que tipo de formação nosso
                                                 país teve, e o que valorizamos nas pessoas; onde
                                                 moramos, e o que essas pessoas acham que deve
                                                 ser um padrão de comportamento; bem como a
                                                 família que nascemos e os valores e crenças que
Saber quem se é não é uma pergunta meramente
                                                 possuiu. Dentro dessa confusão escolhemos como
individual, somos reflexos de muitos elementos e
                                                 queremos ser.
desejamos expor uma certa personalidade para
sermos reconhecidos. Ou seja, quem somos está em
constante comunicação com os outros.             Com base no texto responda:


Podemos nós vestir bem para nos sentirmos bem,            1) Por que nossa identidade não é só individual?
mas também para ouvir elogios e causar certo
impacto. Nossa identidade é como se fosse uma
roupa de vários retalhos costurados que mostra o que
gostamos, acreditamos e pensamos.
                                                          2) Qual o motivo de as pessoas praticarem
                                                             Bullying?
Retalhos por que não somos uma coisa só, é como se
fosse um conjunto de “pequenas culturas”. Ou seja,
tudo aquilo que possuiu SIGNIFICADO para nós
dentro do conjunto de CONSTRUÇÕES dos seres               3) O que é jeitinho brasileiro?
humanos, compõem nossa identidade.


Quando somos adolescentes, se entender é
fundamental para que possamos ser entendidos pelas Com base no caderno responda:
outras pessoas, inclusive para fazermos parte de
grupos, tribos, e sentirmos incluídos e iguais. Pois a
maior dificuldade na adolescência é se sentir            4) O que faz parte da cultura popular brasileira?
diferente, tendo em vista que a dificuldade de           (exemplifique?)
entender essas diferentes formas de ser adolescente
pode ser fator que gera o Bullying.


Em nosso país, é comum que muitos preconceitos               5) Explique por que a festa é um elemento tão
sejam escondidos, pois mesmo sabendo que não é               importante do país.
certo, as pessoas não conseguem entender formas
de ser que não sejam “padrão”.




             Meu corpo, suas críticas                  Quando criticamos uma mulher pelo tamanho de sua
saia com adjetivos como vadia e criticamos um cabelo
                                                        afro de ruim, é a prova que “escondemos” diferentes
                                                        problemas sociais na questão da aparência,
                                                        totalmente “individual”.


                                                        O sentimento de superioridade que faz as pessoas se
                                                        sentirem no “direito” de julgarem aquelas que não são
                                                        como sua minoria “superior”.


                                                        Enquanto não buscarmos maior igualdade e
                                                        diversidadade nas relações sociais, dificilmente nosso
                                                        corpo deixará de ser alvo de críticas, portanto, aceitar
                                                        a si mesmo ao invés de se “adequar” já é um grande
                                                        ato de mudança.
Nosso corpo é constantemente vigiado, é quase um
                                                   Responda com base no texto e no caderno:
campo de batalha. Cuidam se ele é magro demais,
gordo demais; branco demais, preto demais; baixo      1) Por que nosso corpo não é somente biológico?
demais,    alto  demais;     afeminado     demais,
masculinizado demais; se tem defeitos; se segue os
padrões.


Somos bombardeados por imagens de pessoas que              2) Qual o problema de um padrão de beleza
não são reais, que não representam a maioria das              único?
pessoas. Tratamento de imagens e escolha de atores,
reporteres ou modelos dentro daquilo que o padrão
de beleza dita, faz a gente acreditar que somos feios
e errados, e por isso devemos comprar os produtos
certos, as roupas certas e se comportar de uma certa
forma.                                                     3) Nossa qualidade de vida pode ser influenciada
                                                              por problemas na aparência?

Nossa felicidade está cada vez mais mediada pela
aceitação da imagem que passamos. Esse controle
sobre a nossa aparência faz com que as pessoas se
adequem a um padrão de beleza que é o que deveria
ser mudado. Mais diversidade é fundamental para            4) Como a mídia pode influenciar os julgamentos
vermos diferentes belezas e evitar preconceitos.              sobre o corpo?


A aparência não é uma simples questão estética.
Reproduzimos preconceitos por causa dela. Negros
sofrem mais abordagem policial por serem negros,
muitas vezes possuem menos oportunidades por isso.         5) De onde vêm atitudes como o racismo?
Homossexuais, gordos, pessoas com óculos ou
aparelho também podem ser alvos de piadas,
discriminação, quando não de violência.

                Direito para quêm?                      Esse tratamento diferenciado não é privilégio, só
                                                        demarca a necessidade de atenção a esses grupos
                                                        dentro dos direitos humanos, pois para garantir
igualdade também é necessário diferenciar. Se todos
                                                        são vistos iguais, ignoramos as especificidades que
                                                        muitas vezes existem. Por exemplo: para garantir a
                                                        igualdade a um cadeirante é necessario a
                                                        acessibilidade (direito específico) para que possa ir e
                                                        vir como todos.


                                                    A pobreza fruto de tantos fatores gera condições
                                                    precárias de existência, e, logo com poucos direitos,
Os Direitos Humanos foram criados para garantir o essa falta também reforça a situação de pobreza.
mínimo para que as pessoas possam viver bem.
                                                    Se os Direitos Humanos fosse aplicados como está
                                                    expresso em lei, é bem possível que desigualdades
Vivemos em uma sociedade extremamente desigual,
                                                    tão gritantes não existissem. Entretanto, como isso
fortemente estruturada na concentração de renda (e
                                                    mexe nos interesses do topo da pirâmide social, é
privilégios), por isso os próprios Direitos Humanos
                                                    necessário exercer a cidadania, o dever de exigir e
estão em confronto com essa organização social que
                                                    manter os seus direitos.
tende cada vez mais beneficiar poucos.


Direitos são direitos, mas são facilmente violados, Responda de acordo com o texto e o caderno:
inclusive por que quem se benificia com essa violação
sabe que as pessoas costumam esquecer a parte do
“Dever” dos Direitos Humanos. Ou seja, ao invés de     1) O que são Direitos Humanos?
se organizarem para reivindicar aquilo que está na lei
e é garantido, as pessoas esperam que esses
benefícios caiam do céu, e eles não caem. Direitos
são conquistados e assegurados pelos próprios          2) Explique a diferença dos 3 tipos de direito.
interessados.


Existem diferentes tipos de Direitos Humanos que
tratam de diferentes esferas da vida das pessoas. Os       3) Por que os Direitos muitas vezes estão na lei e
civis tratam das liberdades e igualdades dos                  não na prática? O que é necessário fazer para
indivíduos. Os sociais da qualdade de vida                    mudar isso?
coletivamente. E os políticos respeitam a organização
política das pessoas.

                                                           4) Qual a importância de haver direitos específicos
Há também direitos específicos dentro deles, de
                                                              a certos grupos sociais?
grupos que tem histórico de desrespeito e
invisibilidade: como negros, índios, mulheres,
homossexuais, jovens, idosos, portadores de
necessidades especiais, soropositivos, usuários de
                                                           5) Como a concentração de renda interfere na
drogas...
                                                              garantia de Direitos? O que causa como
                                                              consequencia?

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Relações sociais e identidade
Relações sociais e identidadeRelações sociais e identidade
Relações sociais e identidadeWilton Moretto
 
Apostila de sociologia - Volume 2 (2° ano do EM)
Apostila de sociologia - Volume 2 (2° ano do EM)Apostila de sociologia - Volume 2 (2° ano do EM)
Apostila de sociologia - Volume 2 (2° ano do EM)Matheus Alves
 
Indivíduo e Sociedade
Indivíduo e SociedadeIndivíduo e Sociedade
Indivíduo e Sociedadecarlosbidu
 
SOCIOLOGIA | SEMANA 22 | 2ª SÉRIE | MOBILIDADE SOCIAL
SOCIOLOGIA | SEMANA 22 | 2ª SÉRIE | MOBILIDADE SOCIALSOCIOLOGIA | SEMANA 22 | 2ª SÉRIE | MOBILIDADE SOCIAL
SOCIOLOGIA | SEMANA 22 | 2ª SÉRIE | MOBILIDADE SOCIALGoisBemnoEnem
 
Conceitos bácos de sociologia
Conceitos bácos de sociologiaConceitos bácos de sociologia
Conceitos bácos de sociologiaFabio Salvari
 
Gestão da convivência power point 1ª reunião
Gestão da convivência power point 1ª reuniãoGestão da convivência power point 1ª reunião
Gestão da convivência power point 1ª reuniãosenhoritaaracne
 
Relacao sociedade individuo
Relacao sociedade individuoRelacao sociedade individuo
Relacao sociedade individuoLoredana Ruffo
 
Quadro de analise sociologia para o ensino medio
Quadro de analise sociologia para o ensino medioQuadro de analise sociologia para o ensino medio
Quadro de analise sociologia para o ensino medioErica Frau
 
Sociedade e indivíduo
Sociedade e indivíduoSociedade e indivíduo
Sociedade e indivíduoPedro Zito
 
Atividade 1 – relações sociais e identidade
Atividade 1 – relações sociais e identidadeAtividade 1 – relações sociais e identidade
Atividade 1 – relações sociais e identidadesociologianocivitatis
 
Sociologia 1 ano Tema 1- As ciências sociais e oestudo da vida social
Sociologia 1 ano  Tema 1- As ciências sociais e oestudo da vida socialSociologia 1 ano  Tema 1- As ciências sociais e oestudo da vida social
Sociologia 1 ano Tema 1- As ciências sociais e oestudo da vida socialSérgio Coelho
 
Sobre viver em sociedade
Sobre viver em sociedadeSobre viver em sociedade
Sobre viver em sociedadeMara Salvucci
 
As relações entre indivíduo e sociedade
As relações  entre indivíduo e sociedadeAs relações  entre indivíduo e sociedade
As relações entre indivíduo e sociedadeJosé Amaral
 

Mais procurados (20)

Aulas de sociologia ensino médio para 1 anos
Aulas de sociologia ensino médio para 1 anosAulas de sociologia ensino médio para 1 anos
Aulas de sociologia ensino médio para 1 anos
 
Relações sociais e identidade
Relações sociais e identidadeRelações sociais e identidade
Relações sociais e identidade
 
Recuperacao2203
Recuperacao2203Recuperacao2203
Recuperacao2203
 
Apostila de sociologia - Volume 2 (2° ano do EM)
Apostila de sociologia - Volume 2 (2° ano do EM)Apostila de sociologia - Volume 2 (2° ano do EM)
Apostila de sociologia - Volume 2 (2° ano do EM)
 
O Homem é Um Ser Social
O Homem é Um Ser SocialO Homem é Um Ser Social
O Homem é Um Ser Social
 
Diretrizes Curriculares RME SL
Diretrizes Curriculares RME SLDiretrizes Curriculares RME SL
Diretrizes Curriculares RME SL
 
Indivíduo e Sociedade
Indivíduo e SociedadeIndivíduo e Sociedade
Indivíduo e Sociedade
 
SOCIOLOGIA | SEMANA 22 | 2ª SÉRIE | MOBILIDADE SOCIAL
SOCIOLOGIA | SEMANA 22 | 2ª SÉRIE | MOBILIDADE SOCIALSOCIOLOGIA | SEMANA 22 | 2ª SÉRIE | MOBILIDADE SOCIAL
SOCIOLOGIA | SEMANA 22 | 2ª SÉRIE | MOBILIDADE SOCIAL
 
Conceitos bácos de sociologia
Conceitos bácos de sociologiaConceitos bácos de sociologia
Conceitos bácos de sociologia
 
Gestão da convivência power point 1ª reunião
Gestão da convivência power point 1ª reuniãoGestão da convivência power point 1ª reunião
Gestão da convivência power point 1ª reunião
 
Relacao sociedade individuo
Relacao sociedade individuoRelacao sociedade individuo
Relacao sociedade individuo
 
Quadro de analise sociologia para o ensino medio
Quadro de analise sociologia para o ensino medioQuadro de analise sociologia para o ensino medio
Quadro de analise sociologia para o ensino medio
 
Sociedade e indivíduo
Sociedade e indivíduoSociedade e indivíduo
Sociedade e indivíduo
 
10 sociologia - 1º ano
10   sociologia - 1º ano10   sociologia - 1º ano
10 sociologia - 1º ano
 
Atividade 1 – relações sociais e identidade
Atividade 1 – relações sociais e identidadeAtividade 1 – relações sociais e identidade
Atividade 1 – relações sociais e identidade
 
Sociologia 1 ano Tema 1- As ciências sociais e oestudo da vida social
Sociologia 1 ano  Tema 1- As ciências sociais e oestudo da vida socialSociologia 1 ano  Tema 1- As ciências sociais e oestudo da vida social
Sociologia 1 ano Tema 1- As ciências sociais e oestudo da vida social
 
Norbert elias e pierre bourdieu
Norbert elias e pierre bourdieuNorbert elias e pierre bourdieu
Norbert elias e pierre bourdieu
 
Preconceito Na Escola
Preconceito Na EscolaPreconceito Na Escola
Preconceito Na Escola
 
Sobre viver em sociedade
Sobre viver em sociedadeSobre viver em sociedade
Sobre viver em sociedade
 
As relações entre indivíduo e sociedade
As relações  entre indivíduo e sociedadeAs relações  entre indivíduo e sociedade
As relações entre indivíduo e sociedade
 

Destaque (20)

Aula 2110 (reforma do ensino médio)
Aula 2110 (reforma do ensino médio)Aula 2110 (reforma do ensino médio)
Aula 2110 (reforma do ensino médio)
 
Regras de Convivência 2016
Regras de Convivência 2016Regras de Convivência 2016
Regras de Convivência 2016
 
Propostas de atividade - Inclusão e Sociologia (3)
Propostas de atividade - Inclusão e Sociologia (3)Propostas de atividade - Inclusão e Sociologia (3)
Propostas de atividade - Inclusão e Sociologia (3)
 
Eleições 2016
Eleições 2016Eleições 2016
Eleições 2016
 
Aula1904
Aula1904Aula1904
Aula1904
 
Sentidos da Sociologia
Sentidos da SociologiaSentidos da Sociologia
Sentidos da Sociologia
 
Recuperacao2203
Recuperacao2203Recuperacao2203
Recuperacao2203
 
Aula1503
Aula1503Aula1503
Aula1503
 
Propostas de atividade - Inclusão e Sociologia
Propostas de atividade - Inclusão e SociologiaPropostas de atividade - Inclusão e Sociologia
Propostas de atividade - Inclusão e Sociologia
 
Trabalhos de estudante (Inclusão e Sociologia)
Trabalhos de estudante (Inclusão e Sociologia)Trabalhos de estudante (Inclusão e Sociologia)
Trabalhos de estudante (Inclusão e Sociologia)
 
Propostas de atividade - Inclusão e Sociologia (2)
Propostas de atividade - Inclusão e Sociologia (2)Propostas de atividade - Inclusão e Sociologia (2)
Propostas de atividade - Inclusão e Sociologia (2)
 
Dinâmica para aula de sociologia e filosofia
Dinâmica para aula de sociologia e filosofiaDinâmica para aula de sociologia e filosofia
Dinâmica para aula de sociologia e filosofia
 
Aula2011
Aula2011Aula2011
Aula2011
 
Aula2711
Aula2711Aula2711
Aula2711
 
Aula0811
Aula0811Aula0811
Aula0811
 
Direitos e Copa
Direitos e CopaDireitos e Copa
Direitos e Copa
 
Sociologia introduçao slide
Sociologia introduçao slideSociologia introduçao slide
Sociologia introduçao slide
 
Plano emergência8a
Plano emergência8aPlano emergência8a
Plano emergência8a
 
Surgimento da sociologia
Surgimento da sociologiaSurgimento da sociologia
Surgimento da sociologia
 
Slide escravidão e servidão
Slide escravidão e servidãoSlide escravidão e servidão
Slide escravidão e servidão
 

Semelhante a Reforço

A importância da etiqueta social nas relações de trabalho do
A importância da etiqueta social nas relações de trabalho doA importância da etiqueta social nas relações de trabalho do
A importância da etiqueta social nas relações de trabalho doandreia oliveira
 
Aula-5-processo-de-socializacao-e-instituicoes-sociais.pptx
Aula-5-processo-de-socializacao-e-instituicoes-sociais.pptxAula-5-processo-de-socializacao-e-instituicoes-sociais.pptx
Aula-5-processo-de-socializacao-e-instituicoes-sociais.pptxssuser132405
 
Ficha Informativa 4 Sociedade
Ficha Informativa   4 SociedadeFicha Informativa   4 Sociedade
Ficha Informativa 4 Sociedadeabarros
 
RedaçãO Enem Nota Dez
RedaçãO Enem   Nota DezRedaçãO Enem   Nota Dez
RedaçãO Enem Nota DezWalace Cestari
 
Trabalho Escrito (1) Concluido 22.10.2009
Trabalho Escrito (1) Concluido 22.10.2009Trabalho Escrito (1) Concluido 22.10.2009
Trabalho Escrito (1) Concluido 22.10.2009IAORS
 
RELAÇÕES SOCIOPROFISSIONAIS, CIDADANIA E ÉTICA.pdf
RELAÇÕES SOCIOPROFISSIONAIS, CIDADANIA E ÉTICA.pdfRELAÇÕES SOCIOPROFISSIONAIS, CIDADANIA E ÉTICA.pdf
RELAÇÕES SOCIOPROFISSIONAIS, CIDADANIA E ÉTICA.pdfedlucenajp
 
Valores do jesse
Valores do jesseValores do jesse
Valores do jesseJhess00
 
7º ano - Socialização e cultura
7º ano - Socialização e cultura7º ano - Socialização e cultura
7º ano - Socialização e culturaJosé Amaral
 
Indivíduo Sociedade
Indivíduo SociedadeIndivíduo Sociedade
Indivíduo SociedadeElisama Lopes
 
A categorização impressões, expectativas, estereótipos
A  categorização   impressões, expectativas, estereótiposA  categorização   impressões, expectativas, estereótipos
A categorização impressões, expectativas, estereótiposMarcelo Anjos
 
Apostila relações interpessoais e ética profissional
Apostila relações interpessoais e ética profissionalApostila relações interpessoais e ética profissional
Apostila relações interpessoais e ética profissionalmgmedeiros
 
3 soc prov. esp. 2 cham bc 3bi
3 soc    prov. esp. 2 cham bc 3bi3 soc    prov. esp. 2 cham bc 3bi
3 soc prov. esp. 2 cham bc 3biFelipeprofserra
 
A RELAÇÃO INDIVÍDUO SOCIEDADE NA SOCIOLOGIA CONTEMPORÂNEA.pptx
A RELAÇÃO INDIVÍDUO SOCIEDADE NA SOCIOLOGIA CONTEMPORÂNEA.pptxA RELAÇÃO INDIVÍDUO SOCIEDADE NA SOCIOLOGIA CONTEMPORÂNEA.pptx
A RELAÇÃO INDIVÍDUO SOCIEDADE NA SOCIOLOGIA CONTEMPORÂNEA.pptxJosRicardoMarquesBra
 
Relações interpessoais e diferenças individuais
Relações interpessoais e diferenças individuaisRelações interpessoais e diferenças individuais
Relações interpessoais e diferenças individuaisAdilson P Motta Motta
 
Direitos humanos-e-gerao-de-paz-fascculo-2-195x250
Direitos humanos-e-gerao-de-paz-fascculo-2-195x250Direitos humanos-e-gerao-de-paz-fascculo-2-195x250
Direitos humanos-e-gerao-de-paz-fascculo-2-195x250Kele Santos
 
Dr2 identidade e alteridade CP
Dr2 identidade e alteridade CPDr2 identidade e alteridade CP
Dr2 identidade e alteridade CPmega
 

Semelhante a Reforço (20)

RELAÇÕES INTERPESSOAIS.pdf
RELAÇÕES INTERPESSOAIS.pdfRELAÇÕES INTERPESSOAIS.pdf
RELAÇÕES INTERPESSOAIS.pdf
 
A importância da etiqueta social nas relações de trabalho do
A importância da etiqueta social nas relações de trabalho doA importância da etiqueta social nas relações de trabalho do
A importância da etiqueta social nas relações de trabalho do
 
Cognição social
Cognição socialCognição social
Cognição social
 
Aula-5-processo-de-socializacao-e-instituicoes-sociais.pptx
Aula-5-processo-de-socializacao-e-instituicoes-sociais.pptxAula-5-processo-de-socializacao-e-instituicoes-sociais.pptx
Aula-5-processo-de-socializacao-e-instituicoes-sociais.pptx
 
Ficha Informativa 4 Sociedade
Ficha Informativa   4 SociedadeFicha Informativa   4 Sociedade
Ficha Informativa 4 Sociedade
 
RedaçãO Enem Nota Dez
RedaçãO Enem   Nota DezRedaçãO Enem   Nota Dez
RedaçãO Enem Nota Dez
 
Trabalho Escrito (1) Concluido 22.10.2009
Trabalho Escrito (1) Concluido 22.10.2009Trabalho Escrito (1) Concluido 22.10.2009
Trabalho Escrito (1) Concluido 22.10.2009
 
Pessoa e cultura.pptx
Pessoa e cultura.pptxPessoa e cultura.pptx
Pessoa e cultura.pptx
 
RELAÇÕES SOCIOPROFISSIONAIS, CIDADANIA E ÉTICA.pdf
RELAÇÕES SOCIOPROFISSIONAIS, CIDADANIA E ÉTICA.pdfRELAÇÕES SOCIOPROFISSIONAIS, CIDADANIA E ÉTICA.pdf
RELAÇÕES SOCIOPROFISSIONAIS, CIDADANIA E ÉTICA.pdf
 
Valores do jesse
Valores do jesseValores do jesse
Valores do jesse
 
7º ano - Socialização e cultura
7º ano - Socialização e cultura7º ano - Socialização e cultura
7º ano - Socialização e cultura
 
Indivíduo Sociedade
Indivíduo SociedadeIndivíduo Sociedade
Indivíduo Sociedade
 
A categorização impressões, expectativas, estereótipos
A  categorização   impressões, expectativas, estereótiposA  categorização   impressões, expectativas, estereótipos
A categorização impressões, expectativas, estereótipos
 
Socialização (CPII)
Socialização (CPII)Socialização (CPII)
Socialização (CPII)
 
Apostila relações interpessoais e ética profissional
Apostila relações interpessoais e ética profissionalApostila relações interpessoais e ética profissional
Apostila relações interpessoais e ética profissional
 
3 soc prov. esp. 2 cham bc 3bi
3 soc    prov. esp. 2 cham bc 3bi3 soc    prov. esp. 2 cham bc 3bi
3 soc prov. esp. 2 cham bc 3bi
 
A RELAÇÃO INDIVÍDUO SOCIEDADE NA SOCIOLOGIA CONTEMPORÂNEA.pptx
A RELAÇÃO INDIVÍDUO SOCIEDADE NA SOCIOLOGIA CONTEMPORÂNEA.pptxA RELAÇÃO INDIVÍDUO SOCIEDADE NA SOCIOLOGIA CONTEMPORÂNEA.pptx
A RELAÇÃO INDIVÍDUO SOCIEDADE NA SOCIOLOGIA CONTEMPORÂNEA.pptx
 
Relações interpessoais e diferenças individuais
Relações interpessoais e diferenças individuaisRelações interpessoais e diferenças individuais
Relações interpessoais e diferenças individuais
 
Direitos humanos-e-gerao-de-paz-fascculo-2-195x250
Direitos humanos-e-gerao-de-paz-fascculo-2-195x250Direitos humanos-e-gerao-de-paz-fascculo-2-195x250
Direitos humanos-e-gerao-de-paz-fascculo-2-195x250
 
Dr2 identidade e alteridade CP
Dr2 identidade e alteridade CPDr2 identidade e alteridade CP
Dr2 identidade e alteridade CP
 

Mais de Eduarda Bonora Kern (17)

Artigo V ENESEB 2017
Artigo V ENESEB 2017Artigo V ENESEB 2017
Artigo V ENESEB 2017
 
Carta a SMED/SL
Carta a SMED/SLCarta a SMED/SL
Carta a SMED/SL
 
Aula0309
Aula0309Aula0309
Aula0309
 
Aula1408
Aula1408Aula1408
Aula1408
 
Desenhos para colorir (Afro)
Desenhos para colorir (Afro)Desenhos para colorir (Afro)
Desenhos para colorir (Afro)
 
O que é Sociologia (Iceberg)
O que é Sociologia (Iceberg)O que é Sociologia (Iceberg)
O que é Sociologia (Iceberg)
 
Manifesto ABECS
Manifesto ABECSManifesto ABECS
Manifesto ABECS
 
Ensoc Eduarda
Ensoc EduardaEnsoc Eduarda
Ensoc Eduarda
 
Princípios do trabalho popular
Princípios do trabalho popularPrincípios do trabalho popular
Princípios do trabalho popular
 
Previsão 2014
Previsão 2014Previsão 2014
Previsão 2014
 
Auto-avaliação
Auto-avaliaçãoAuto-avaliação
Auto-avaliação
 
Aula0907
Aula0907Aula0907
Aula0907
 
Plano emergência8a
Plano emergência8aPlano emergência8a
Plano emergência8a
 
Ata Assembleia Geral do 1º Congresso da ABECS
Ata Assembleia Geral do 1º Congresso da ABECSAta Assembleia Geral do 1º Congresso da ABECS
Ata Assembleia Geral do 1º Congresso da ABECS
 
Material Seminário Integrado
Material Seminário IntegradoMaterial Seminário Integrado
Material Seminário Integrado
 
Aula0204 - Relação Indivíduo-Sociedade
Aula0204 - Relação Indivíduo-SociedadeAula0204 - Relação Indivíduo-Sociedade
Aula0204 - Relação Indivíduo-Sociedade
 
Convocatória enecs
Convocatória  enecsConvocatória  enecs
Convocatória enecs
 

Reforço

  • 1. Nossa Teia de Relações Porém, aprendemos cada vez mais a viver de uma forma individualista que ignora o coletivo e os problemas conjuntos (da própria cidade ou questões globais como o aquecimento da temperatura do planeta). Isso não é natural. Como nos organizamos e o que acreditamos se aprende. Se não estamos valorizando a natureza e as pessoas por que precisamos “ganhar a vida”, isso é social, é construção das próprias pessoas e poderá ser diferente na medida que uma quantidade maior de indivíduos se sentirem insatisfeitos, desejarem e proporem mudanças. Toda pessoa nasce envolvida em um conjunto de Responda com base no texto: relações sociais, pois isso a faz um ser humano (do jeito que conhecemos). A vida de alguém que 1) Como percebemos nas pessoas a nasceu em 1950 no interior do RS é totalmente mudança de contexto social? diferente de alguém em 2012 em uma cidade grande do Estado. Quando e a onde são fundamentais para entendermos o contexto em que a pessoa se insere. 2) Quais são os territórios que você está Por tanto, o contexto social (comunidade, bairro, inserido? Como percebemos a sua existência? cidade, estado, país) influencia o modo de um indivíduo se comportar. Ser brasileiro, gaúcho, leopoldense, morador da vila paim é um jeito muito específico de ser, que já muda ao alterar o bairro da mesma cidade. 3) Explique o que quer dizer a frase “Isso não é natural” do último parágrafo. Todas essas possibilidades de contexto são territórios, espaços marcados por uma identidade - e muitas vezes relações de poder e disputa -, que também organizam a dinâmica de convivência. Brigas entre bondes são comuns Responda com base no caderno: fruto da competição entre eles. 4) Diferencie o espaço privado do público. Entretanto, as pessoas podem se relacionar de maneira mais harmônica que uma constante disputa ou dominação. A solidariedade, por sua vez, estimula a união e 5) Podemos fazer o que quisermos no trocas mútuas, formando uma harmonia bem espaço público? Dê um exemplo de uma ação maior entre os indivíduos. que seja crime no espaço público. Um convivência harmônica também perpassa a relação do homem com a natureza. Um meio ambiente poluído é pior de viver que um bem cuidado. Quem é você? Essas atitudes são tão comuns que damos o nome de
  • 2. “Jeitinho Brasileiro” a todos os comportamentos que tentam fugir da regra sem aparentar fazer. Portanto, algo que se constituiu como cultura e identidade brasileira possui influencia em nossas vidas, pois vivemos esse ambiente, também pode fazer parte de elementos de nossa identidade. Quem somos faz parte de que tipo de formação nosso país teve, e o que valorizamos nas pessoas; onde moramos, e o que essas pessoas acham que deve ser um padrão de comportamento; bem como a família que nascemos e os valores e crenças que Saber quem se é não é uma pergunta meramente possuiu. Dentro dessa confusão escolhemos como individual, somos reflexos de muitos elementos e queremos ser. desejamos expor uma certa personalidade para sermos reconhecidos. Ou seja, quem somos está em constante comunicação com os outros. Com base no texto responda: Podemos nós vestir bem para nos sentirmos bem, 1) Por que nossa identidade não é só individual? mas também para ouvir elogios e causar certo impacto. Nossa identidade é como se fosse uma roupa de vários retalhos costurados que mostra o que gostamos, acreditamos e pensamos. 2) Qual o motivo de as pessoas praticarem Bullying? Retalhos por que não somos uma coisa só, é como se fosse um conjunto de “pequenas culturas”. Ou seja, tudo aquilo que possuiu SIGNIFICADO para nós dentro do conjunto de CONSTRUÇÕES dos seres 3) O que é jeitinho brasileiro? humanos, compõem nossa identidade. Quando somos adolescentes, se entender é fundamental para que possamos ser entendidos pelas Com base no caderno responda: outras pessoas, inclusive para fazermos parte de grupos, tribos, e sentirmos incluídos e iguais. Pois a maior dificuldade na adolescência é se sentir 4) O que faz parte da cultura popular brasileira? diferente, tendo em vista que a dificuldade de (exemplifique?) entender essas diferentes formas de ser adolescente pode ser fator que gera o Bullying. Em nosso país, é comum que muitos preconceitos 5) Explique por que a festa é um elemento tão sejam escondidos, pois mesmo sabendo que não é importante do país. certo, as pessoas não conseguem entender formas de ser que não sejam “padrão”. Meu corpo, suas críticas Quando criticamos uma mulher pelo tamanho de sua
  • 3. saia com adjetivos como vadia e criticamos um cabelo afro de ruim, é a prova que “escondemos” diferentes problemas sociais na questão da aparência, totalmente “individual”. O sentimento de superioridade que faz as pessoas se sentirem no “direito” de julgarem aquelas que não são como sua minoria “superior”. Enquanto não buscarmos maior igualdade e diversidadade nas relações sociais, dificilmente nosso corpo deixará de ser alvo de críticas, portanto, aceitar a si mesmo ao invés de se “adequar” já é um grande ato de mudança. Nosso corpo é constantemente vigiado, é quase um Responda com base no texto e no caderno: campo de batalha. Cuidam se ele é magro demais, gordo demais; branco demais, preto demais; baixo 1) Por que nosso corpo não é somente biológico? demais, alto demais; afeminado demais, masculinizado demais; se tem defeitos; se segue os padrões. Somos bombardeados por imagens de pessoas que 2) Qual o problema de um padrão de beleza não são reais, que não representam a maioria das único? pessoas. Tratamento de imagens e escolha de atores, reporteres ou modelos dentro daquilo que o padrão de beleza dita, faz a gente acreditar que somos feios e errados, e por isso devemos comprar os produtos certos, as roupas certas e se comportar de uma certa forma. 3) Nossa qualidade de vida pode ser influenciada por problemas na aparência? Nossa felicidade está cada vez mais mediada pela aceitação da imagem que passamos. Esse controle sobre a nossa aparência faz com que as pessoas se adequem a um padrão de beleza que é o que deveria ser mudado. Mais diversidade é fundamental para 4) Como a mídia pode influenciar os julgamentos vermos diferentes belezas e evitar preconceitos. sobre o corpo? A aparência não é uma simples questão estética. Reproduzimos preconceitos por causa dela. Negros sofrem mais abordagem policial por serem negros, muitas vezes possuem menos oportunidades por isso. 5) De onde vêm atitudes como o racismo? Homossexuais, gordos, pessoas com óculos ou aparelho também podem ser alvos de piadas, discriminação, quando não de violência. Direito para quêm? Esse tratamento diferenciado não é privilégio, só demarca a necessidade de atenção a esses grupos dentro dos direitos humanos, pois para garantir
  • 4. igualdade também é necessário diferenciar. Se todos são vistos iguais, ignoramos as especificidades que muitas vezes existem. Por exemplo: para garantir a igualdade a um cadeirante é necessario a acessibilidade (direito específico) para que possa ir e vir como todos. A pobreza fruto de tantos fatores gera condições precárias de existência, e, logo com poucos direitos, Os Direitos Humanos foram criados para garantir o essa falta também reforça a situação de pobreza. mínimo para que as pessoas possam viver bem. Se os Direitos Humanos fosse aplicados como está expresso em lei, é bem possível que desigualdades Vivemos em uma sociedade extremamente desigual, tão gritantes não existissem. Entretanto, como isso fortemente estruturada na concentração de renda (e mexe nos interesses do topo da pirâmide social, é privilégios), por isso os próprios Direitos Humanos necessário exercer a cidadania, o dever de exigir e estão em confronto com essa organização social que manter os seus direitos. tende cada vez mais beneficiar poucos. Direitos são direitos, mas são facilmente violados, Responda de acordo com o texto e o caderno: inclusive por que quem se benificia com essa violação sabe que as pessoas costumam esquecer a parte do “Dever” dos Direitos Humanos. Ou seja, ao invés de 1) O que são Direitos Humanos? se organizarem para reivindicar aquilo que está na lei e é garantido, as pessoas esperam que esses benefícios caiam do céu, e eles não caem. Direitos são conquistados e assegurados pelos próprios 2) Explique a diferença dos 3 tipos de direito. interessados. Existem diferentes tipos de Direitos Humanos que tratam de diferentes esferas da vida das pessoas. Os 3) Por que os Direitos muitas vezes estão na lei e civis tratam das liberdades e igualdades dos não na prática? O que é necessário fazer para indivíduos. Os sociais da qualdade de vida mudar isso? coletivamente. E os políticos respeitam a organização política das pessoas. 4) Qual a importância de haver direitos específicos Há também direitos específicos dentro deles, de a certos grupos sociais? grupos que tem histórico de desrespeito e invisibilidade: como negros, índios, mulheres, homossexuais, jovens, idosos, portadores de necessidades especiais, soropositivos, usuários de 5) Como a concentração de renda interfere na drogas... garantia de Direitos? O que causa como consequencia?