Alterações fisiológicas da gravidez curso de pré-natal - jean mendes

8.493 visualizações

Publicada em

aula ministrada na abertura do curso de pré-natal do HUCF-Unimontes 2013

Publicada em: Saúde e medicina
1 comentário
15 gostaram
Estatísticas
Notas
  • gostaria de saber sobre a gestacao de 37 semanas com pressao alta
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.493
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
464
Comentários
1
Gostaram
15
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Alterações fisiológicas da gravidez curso de pré-natal - jean mendes

  1. 1. Alterações Fisiológicas da Gravidez Curso de Pré-Natal Jean Mendes Ginecologista e Obstetra
  2. 2. Objetivos  Apresentar as alterações fisiológicas geralmente ocorridas na gestação de forma que se possa mais precisamente diferenciá-las de complicações de patologias pré-existentes ou patologias gestacionais.  Orientar as gestantes durante o pré-natal sobre as transformações corporais que ocorrerão.  Evitar ou reduzir complicações possíveis.
  3. 3. As Mudanças na Gestação
  4. 4. Trato Reprodutivo  Útero  Aumento de 500 a 1000 vezes do volume – em media 1 cm por semana.  Hipertrofia e fortalecimento das fibras musculares  Mudança de consistência e forma  Contratilidade - Braxton Hicks  Fluxo utero-placentário – vasodilatação, redução da resistência vascular  Colo  Esvaecimento e cianose do colo  Proliferação do tecido glandular colunar = Aumento pronunciado do muco
  5. 5. Trato Reprodutivo  Ovários  Corpo lúteo  Relaxina – remodelação do tecido conjuntivo do trato reprodutivo + insulin-like  Luteoma gravídico – diferenciar de tumores ovarianos na gestação  Cistos teca-luteínicos – hiperestimulação do hCG elevação testosterona = androgenismo  Vagina e Períneo  Aumento da vascularidade e hiperemia – sinal de Chadwick  Aumento da espessura da mucosa e hipertrofia da musculatura
  6. 6. Pele  Pigmentação – estimulação dos melanocítos por estrogênios e progestágenos entre 8 semanas até o termo.  Transformação de linea alba em linea nigra  Máscara da gravidez – Melasma/cloasma em face e cervical  Pigmentação acentuada das aréolas e genital  Parede Abdominal  Estrias gravídicas podem surgir nos últimos meses da gestação  Fragilidade dos M. retos abdominais diástase dos retos abdominais  Alterações vasculares – decorrentes de hiperestrogenismo  Angiomas ou “aranhas vasculares” - 60% brancas e 10% negras.  Eritema palmar - 60% brancas e 30% negras
  7. 7. Mamas  Primeiras semanas – dolorimento e aumento da sensibilidade dos mamilos  A partir do segundo mês – aumento progressivo das mamas (glândulas e vasos), mamilos se tornam maiores e mais escuros.  A partir do primeiro trimestre – secreção do colostro e formação dos corpúsculos de Montgomery
  8. 8. Metabolismo  Aumento da demanda de 80.000 kcal ou aproximadamente 300 kcal/dia  Ganho de peso – reservas maternas = 500< P<1.500g . Basear-se em IMC
  9. 9. Metabolismo  Metabolismo hídrico - feto + líquido amniótico + placenta= 3L , outros 3,5 L estão relacionados a aumento do volume vascular e edema da gestante. Ação da Vasopressina e aumento da pressão venosa abaixo da pelve e semi-oclusão da veia cava Redução da osmolaridade plasmática.  Metabolismo das proteínas – há um melhor aproveitamento dos aminoácidos e proteínas ingeridos .
  10. 10. Metabolismo  Numa gestação normal se espera hipoglicemia leve no jejum, hiperglicemia pós-prandial e hiperinsulinemia  Existe uma resistência periférica à insulina induzida pela gestação pelo hormônio lactogênico placentário e menos pelo estrogênio e progesterona  Metabolismo das gorduras  Aumento substancial das concentrações de lipídios, lipoproteínas e apolipoproteínas no plasma.  1ª metade da gestação = estoque 2ª metade = consumo  LDL atingem seu pico com 36 semanas  HDL atingem seu pico com 25 semanas e decrescem até 32 semanas induzidos pelo estrogênio.  As taxas de gorduras tem sua redução acelerada pela amamentação (?)
  11. 11. Metabolismo  Metabolismo dos Eletrólitos e Minerais  Os níveis de Na+ e K+, mantém-se estáveis na gestação  Os níveis séricos do Ca++ caem na gestação devido à intensa demanda fetal  Os níveis de fosfato mantém-se inalterados  A demanda de ferro é demasiadamente aumentada na gestação.  O total de ferro absorvido na dieta, junto com as reservas mobilizadas não são suficientes para a demanda imposta pela gravidez.
  12. 12. Alterações Hematológicas  O volume sanguíneo aumenta em até 45%  Atender a demanda do útero  Proteger a mãe e o feto das mudanças posturais  Proteger a mãe dos efeitos adversos da perda relacionada ao parto  A Hb decresce discretamente ao longo da gestação  Alterações Imunológicas – ocorre supressão imunológica humoral e celular = supressão do T-helper, T-citotóxico, redução da IL-2, interferon-gama e fator de necrose tumoral.  O global de leucócitos varia de 5.000 a 14.000 na gestação, mas pode atingir até 25.000 durante o trabalho de parto. (?)
  13. 13. Alterações hematológicas  Alterações Imunológicas  Aumento do linfócito T-CD8 e concomitante redução do T-CD4 e monócitos  Fatores de complemento C3 e C4 estão aumentados no 2º e 3º trimestres  Pesquisa de marcadores inflamatórios são imprecisos na gravidez.  Alterações na Coagulação – a gestante está num estado de hipercoagubilidade  Há aumento de todos os fatores (exceto XI e XIII).  O fibrinogênio plasmático aumenta aprox. 50%  Há discreta redução nas plaquetas ao termo  Atividade fibrinolítica reduz na gestação
  14. 14. Sistema Cardiovascular  Nas primeiras 8 semanas a pós-carga é aumentada para reduzir a resistência vascular sistêmica e aumentar a frequência cardíaca.  Entre 10 a 20 semanas o aumento do plasma leva ao aumento da pré- carga.  A capacidade vascular aumenta graças à complacência vascular.  Coração = aumento da silhueta cardíaca, rotação, desdobramento de B2, sopro diastólico, aumento do ventrículo esquerdo  Circulação e Pressão sanguínea = hipotensão ortostática ocorre por compressão venosa na metade inferior do corpo, anestesia espinal acentua este efeito.  Todos os componentes do sistema renina-angiotensina-aldosterona, além do plasma estão elevados na gestação e ajudam na manutenção da P.A.
  15. 15.  Prostaglandinas – o aumento das prostaglandinas estão relacionados ao controle do tônus vascular na gestação normal. Entretanto valores elevados de prostaglandinas e prostaciclinas estão diretamente relacionados à gênese da pré-eclampsia. Sistema Cardiovascular
  16. 16. Sistema Respiratório  A elevação do diafragma pelo útero (4cm) causa um aumento no diâmetro torácico em 6 cm, mas ainda assim existe uma redução de aprox. 5 a 10% da capacidade pulmonar total.  A gestante no 3º trimestre apresenta 20-30% de redução da reserva funcional e reserva expiratória, entretanto o volume ventilatório por minuto aumenta 30% aumento da Hb circulante e frequência respiratória.  Alcalose respiratória queda do HCO- queda pH Efeito Bohr
  17. 17. Sistema Urinário  Rim  A taxa de filtração glomerular e o fluxo plasmático renal aumentam consideravelmente (aprox. 50%) = relaxina e óxido nítrico  A creatinina sérica e uréia diminuem = avaliação renal modificada  O clearance de creatinina torna aprox. 30% maior.  A glicosúria é um achado comum e nem sempre associado a DM  A proteinúria pode se elevar de 115mg para 260mg/24h numa gestação normal.  Ureteres  Com o crescimento do útero os ureteres são relativamente comprimidos, o que pode levar a hidronefrose e hidroureteres  Bexiga  A contratilidade é reduzida, o que leva a um aumento da urina residual. Alterações anatômicas e a progesterona tem ação direta nestes mecanismos ITU
  18. 18. Trato Gastrointestinal  Estômago e intestinos  A náusea e a salivação parecem estar relacionados à elevação dos níveis de beta-hCG e hormônio lactogênico-placentário.  A pirose está relacionada à redução no tempo de esvaziamento gástrico = ação da progesterona e alterações anatômicas. O mesmo ocorre com o esvaziamento intestinal.  Hemorróidas são comuns na gestação por aumento da pressão abdominal e constipação.  Vesícula Biliar  A contratilidade diminui, aumentado o volume residual = estase e saturação do colesterol = cálculos de colesterol = colestase.  A colestase intra-hepática parece estar relacionada aos níveis séricos de estrogênio.
  19. 19. Sistema Endócrino  A prolactina eleva-se nos primeiros meses de gestação e pode atingir níveis até 10 vezes maior que o da não-grávida.  A tireoide sofre moderado aumento por hiperplasia glandular e aumento da vascularidade.  Os níveis séricos de T4 livre e T4 total aumentam na primeira metade da gestação, estabilizando-se na segunda metade.  Os níveis de paratormônio caem no 1º trimestre e, após, elevam-se progressivamente para atender à demanda de cálcio fetal.  Muito embora os níveis de cortisol se elevem, seu maior efeito se deve à ligação com uma proteína carreadora (transcortina) que aumenta sua vida útil e reduz seu clearance renal. A secreção adrenal de desoxicorticosterona eleva-se 15 vezes ao longo da gestação.
  20. 20. Sistema Músculo-Esquelético  Lordose lombar progressiva – alteração do centro de gravidade  Aumento da mobilidade das articulações sacroilíacas, sacrococcígeas e púbicas.  Consolidação das cartilagens epifisárias.
  21. 21. Órgãos dos sentidos  Embora a visão não se altere muito na gestação, a pressão intraocular reduz.  A sensibilidade auditiva e olfatória, embora não cientificamente comprovadas, são marcadamente desenvolvidas na gestação e sobretudo puerpério inicial. O mesmo ocorre com o sistema de vigília.
  22. 22. Acabou!!! Graças a Deus!! Muito obrigado!

×