Como escolher o seu cirurgião plástico

227 visualizações

Publicada em

Às vezes, as pessoas ficam em dúvida sobre procurar uma cirurgia plástica e receosas em relação aos riscos. Por isso, pesquisar e buscar referências antecipadamente sobre o cirurgião plástico é fundamental.

Publicada em: Estilo de vida
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
227
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Como escolher o seu cirurgião plástico

  1. 1. INTRODUÇÃO A cirurgia plástica no Brasil passou por uma grande evolução, o que transformou o país em referência mundial nesta especialidade. De acordo com o Portal Cirurgia Plástica, o Brasil é considerado o número um em relação ao aperfeiçoamento de novas técnicas e à qualificação dos cirurgiões. Está em segundo lugar no ranking mundial em número de cirurgias plásticas realizadas, perdendo somente para os Estados Unidos. A quantidade de profissionais especializados cresce a cada ano, devido o aumento da demanda. Os cirurgiões plásticos brasileiros têm reconhecimento internacional e já são considerados especialistas de sucesso lá fora, muitos se destacando nos congressos internacionais. A qualidade dos profissionais daqui virou referência e muitos estrangeiros já estão escolhendo o Brasil para realizar suas cirurgias plásticas. Muitas pessoas têm vontade de mudar alguma coisa no corpo. Mas essa mudança nem sempre é somente estética. Algumas são essenciais para elevar a autoestima e até devolver ao paciente a segurança própria. Às vezes, as pessoas ficam em dúvida sobre procurar uma cirurgia plástica e receosas em relação aos riscos. Por isso, pesquisar e buscar referências antecipadamente sobre o cirurgião plástico é fundamental. Cada um tem seu próprio motivo para fazer uma cirurgia plástica; por isso, um bom médico saberá como conduzir esse processo, transmitindo confiança e oferecendo a melhor solução para cada caso. Aqui, apresentaremos algumas dicas para você escolher de forma segura o seu cirurgião plástico.
  2. 2. O REGISTRO NO CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA PRIMEIRO PASSO Verifique se o seu médico possui registro no Conselho Regional de Medicina do estado onde você mora. E, principalmente, se esse registro é na especialização em cirurgia plástica. PROCURE O CONSELHO E CONFIRME A INFORMAÇÃO As informações sobre o médico deverão estar atualizadas. O órgão é quem fiscaliza e acompanha a boa atuação do médico registrado. Disciplinam a classe médica para que realizem o pleno desempenho ético da medicina.
  3. 3. A IMPORTÂNCIA DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE CIRURGIA PLÁSTICA Para saber se o seu cirurgião plástico está filiado à Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), acesse o site e confirme. É muito importante que o médico integre a SBCP, pois isso comprova a seriedade e competência do profissional. Para ingressar na SBCP, o médico deve ter especialização em cirurgia geral por dois anos e estar há pelo menos três realizando cirurgia plástica em serviço credenciado pela SBCP e/ou MEC. Deverá, ainda, ser aprovado em prova oral e escrita. Só então, o cirurgião plástico poderá ser membro da SBCP. Quando você escolhe um médico filiado, terá como garantia que o profissional completou o treinamento de no mínimo cinco anos, está capacitado para realizar qualquer tipo de cirurgia plástica, submetido a um código estrito de ética e realiza operações apenas em instalações médicas credenciadas. Somente um membro da SBCP pode se inscrever no Congresso Brasileiro de Cirurgia Plástica. Confira se ele se atualiza participando de congressos e palestras. É fundamental estar atualizado, principalmente devido ao rápido avanço tecnológico nesta área. Isso pode ser um diferencial.
  4. 4. A BUSCA POR REFERÊNCIAS Faça uma pesquisa aprofundada na internet, busque parentes e amigos que já tenham realizado alguma cirurgia plástica ou então antigos pacientes que já tenham feito procedimentos com o mesmo médico. Informe-se sobre o currículo do profissional, suas qualificações, especializações, experiência, tempo de atuação e número de cirurgias já realizadas. Um bom currículo é o reflexo de um cirurgião plástico dedicado. Buscar um médico da família como referência é uma maneira de conhecer mais sobre o assunto e também sobre o profissional que irá fazer sua cirurgia. Médicos são ótimas fontes, além de fornecerem informações adicionais que podem ser úteis no futuro. Procure saber também se ele é especialista na área do corpo que você pretende modificar.
  5. 5. O MODO DE TRABALHO DO CIRURGIÃO Durante essa pesquisa, é muito importante saber como é a maneira de trabalhar do cirurgião plástico, para que ele possa atender suas necessidades. Você precisa estar de acordo com a filosofia, valores e preceitos do profissional. Certifique-se em relação aos procedimentos adotados pelo cirurgião plástico. Se ele foi atencioso, se ouviu e respondeu a todas as suas perguntas. Um bom médico deve fazer todas as perguntas ao paciente, solicitar exames (clínicos, de sangue e cardíacos), informar sobre os riscos, mostrar qual será o procedimento utilizado para seu caso específico, oferecer outras alternativas quando possível, informar sobre os cuidados pré e pós operatórios, tempo de internação e de recuperação, restrições e anestesias. O diagnóstico completo do paciente requer uma investigação sobre: • Histórico médico completo, doenças, cirurgias anteriores e presença ou não de alguma complicação; • Se possui algum tipo de alergia ou reação às anestesias anteriores; • Quais são as medicações de uso regular, vitaminas, suplementos de ervas, álcool, tabagismo e outras drogas; • Se o paciente toma anticoncepcional oral. É obrigação do cirurgião plástico explicar com detalhes os riscos associados à cirurgia. O médico deve ter a sua autorização por escrito no termo de consentimento informado e esclarecido para assegurar que está tudo certo e o paciente possui conhecimento total sobre o procedimento ao qual será submetido.
  6. 6. A IMPORTÂNCIA DA AFINIDADE Manter um diálogo aberto e sincero com o seu cirurgião plástico será fundamental neste processo. Não tenha vergonha de fazer perguntas. Você precisa tirar todas as suas dúvidas antes. O médico precisa conhecê-lo de forma completa: seus hábitos, sua rotina e tudo que possa influenciar na realização do procedimento. Você terá uma relação com o seu cirurgião plástico durante muito tempo, incluindo o pós-operatório e outras consultas futuras. A maioria dos procedimentos cirúrgicos são permanentes, mas em alguns casos podem acontecer mudanças com o tempo. Serão necessárias visitas frequentes ao consultório do cirurgião plástico para seguimento da cirurgia. Sua relação e afinidade com ele é muito importante.
  7. 7. MÉDICOS AUXILIARES E ANESTESISTAS Pesquise sobre o médico anestesista e auxiliares que irão acompanhar o procedimento cirúrgico. O Conselho Regional de Medicina estabelece a obrigatoriedade de uma equipe médica auxiliar. Além do cirurgião plástico principal, o procedimento ainda é acompanhado por outro médico cirurgião plástico assistente, o anestesista e o instrumentador. Muitos pacientes esquecem da importância do anestesista. O profissional precisa ser bom para que nada de errado aconteça. Primeiro, é essencial haver uma pré-consulta somente com o anestesista. Só assim ele poderá calcular o tipo e quantidade certa de medicação que será aplicada no paciente. Isso também resulta em menos efeitos colaterais. Alguns pacientes têm reações alérgicas a alguns tipos de anestesias, por isso é muito importante fazer uma investigação completa. Existem diferentes tipos de anestesia e elas variam de acordo com o tipo de cirurgia, a região que será operada e as condições do paciente. As mais usadas são a local, peridual ou raquidiana e a geral. A escolha da anestesia será realizada pelo cirurgião plástico e o anestesista da equipe, de acordo com o histórico do paciente. Saiba um pouco mais sobre cada uma: • A anestesia local é usada para bloquear a dor somente no local onde será realizado o procedimento. O paciente fica acordado e consciente durante o processo. Existe a opção de fazer a local com sedação: nesse caso, o paciente fica dormindo, mas a anestesia continua sendo local.
  8. 8. • A anestesia geral é indicada para cirurgias de grande porte e em pacientes que precisam de maior controle de suas funções vitais, pois com a anestesia geral existe melhor controle sobre a respiração, oxigenação, pressão, pulsação do coração e outros. • A anestesia peridual ou raquidiana devem ser aplicadas na coluna vertebral com uma agulha. Bloqueiam a sensibilidade a partir do tórax e abdômen. Costuma ser acompanhada de sedação. A diferença entre elas é em relação à profundidade que a agulha injeta os anestésicos, influenciando no tempo de duração. Informe-se sobre cada uma e peça a opinião do seu cirurgião plástico e também do anestesista. Não pule esta importante etapa do seu procedimento cirúrgico.
  9. 9. O PREÇO Fique atento a preços muito baixos. Pense no custo-benefício de investir em um profissional de qualidade. Aquele velho ditado “o barato sai caro” pode custar sua autoestima e até a sua própria vida. Em primeiro lugar deve vir a sua segurança e saúde. Além do profissional capacitado, também está embutido no preço de uma cirurgia plástica as instalações físicas, materiais e a qualificação de toda a equipe médica, que inclui o pagamento do cirurgião plástico principal, o cirurgião plástico assistente, anestesista e instrumentador.
  10. 10. O LOCAL DE TRABALHO Cirurgia plástica não deve ser feita em consultório. Desconfie se o seu cirurgião plástico fizer esta proposta. Essa pode ser uma maneira de baratear o procedimento. Saiba se o seu médico é credenciado a algum dos hospitais da cidade ou região, mesmo que tenha o próprio centro cirúrgico ou clínica. Uma clínica especializada em cirurgia plástica deve possuir todas as instalações hospitalares, como UTI, equipamentos necessários e todos os requisitos obrigatórias para estar autorizada a realizar este tipo de cirurgia. O local precisa estar preparado para eventuais paradas cardiorrespiratórias e outas complicações que possam acontecer. Verifique o registro da clínica. Confirme se tem alvarás sanitários e de funcionamento.
  11. 11. COMO AGENDAR UMA CONSULTA Se você já buscou todas as informações necessárias e referências, então chegou a hora de marcar uma consulta para esclarecer todas as suas dúvidas e qual o procedimento ideal para resolver o seu problema. O contato com o cirurgião plástico será fundamental. Só depois você poderá fazer uma análise de como foi o atendimento, se ele entendeu o seu desejo e se é capaz de planejar o procedimento ou tratamento ideal.
  12. 12. CONCLUSÃO Pelo que apresentamos, você deve ter percebido que fazer uma cirurgia plástica requer um processo longo de pesquisa e conhecimento. Essa é uma decisão pessoal e só você poderá definir a necessidade e importância de submeter-se ao procedimento. Ficou claro que a escolha por um cirurgião plástico competente, experiente e com os registros profissionais obrigatórios será fundamental para sua saúde e segurança. Como todos os procedimentos cirúrgicos, este não deixa de ter seus riscos e complicações, mas eles se minimizam quando o paciente escolhe um médico capacitado, que realiza cirurgias em um estabelecimento credenciado, com os equipamentos necessários. Se essa é a sua vontade, então comece a pesquisar e encontre mais informações sobre o assunto no nosso site. Notícias e mais informações você encontra em nosso blog. O conteúdo também pode ser encontrado na nossa página no Facebook. Se preferir, ligue para o telefone (31) 3646-2330 e agende uma consulta. O consultório fica no Hospital Life Center (Avenida do Contorno, 4747, sala 1113, Belo Horizonte – MG). As cirurgias são realizadas em hospitais credenciados.
  13. 13. SAIBA MAIS SOBRE O DR. DANIEL BORGES MATIAS Com registro no Conselho Regional de Medicina (CRM 42.985), é especialista em cirurgia plástica pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e pelo MEC. É membro da equipe de cirurgia plástica do Hospital Vera Cruz, do Hospital Lifecenter, do Hospital Mater Dei e do Hospital João XXIII. @dr.danielborges

×