O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.
Próximos SlideShares
Segurança no Trabalho - Técnicas 4x4
Avançar
Transfira para ler offline e ver em ecrã inteiro.

3

Compartilhar

Baixar para ler offline

Curso de Pilotagem nas Estradas

Baixar para ler offline

Pequeno curso de pilotagem nas estradas, com base em palestras e experiências pessoais.

Desenvolvido por Denise Pasito Saú
Motociclista - São Paulo / SP

Livros relacionados

Gratuito durante 30 dias do Scribd

Ver tudo

Curso de Pilotagem nas Estradas

  1. 1. IntroduçãoCurso de Pilotagem nas Estradas Boas-vindas BEM-VINDO AO CURSO DE PILOTAGEM NAS ESTRADAS DESENVOLVIDO POR DENISE PASITO SAÚ MOTOCICLISTA
  2. 2. IntroduçãoCurso de Pilotagem nas Estradas Boas-vindas BEM-VINDO E aí, beleza? Bem-vindo ao Curso de Pilotagem nas Estradas. Meu nome é Billy e serei seu guia durante este treinamento.
  3. 3. IntroduçãoCurso de Pilotagem nas Estradas Boas-vindas OBJETIVOS Antes de começarmos, no entanto, é importante que você saiba quais são os objetivos deste curso.
  4. 4. IntroduçãoCurso de Pilotagem nas Estradas Objetivos OBJETIVOS O OBJETIVO DESTE CURSO É INSTRUIR VOCÊ, MOTOCICLISTA, SOBRE A CONDUTA CORRETA DE SUA MOTOCICLETA QUANDO EM COMBOIO, VISANDO A UMA PILOTAGEM SEGURA NAS ESTRADAS. Primeiro, quero que você conheça o ambiente de navegação, com seus botões LEMBRE-SE: e recursos visuais. Então, SUA CONDUTA IRÁ INFLUENCIAR SUA SEGURANÇA E DE clique no botão em destaque. TODOS OS SEUS COMPANHEIROS DE VIAGEM. PROSSIGA!
  5. 5. IntroduçãoCurso de Pilotagem nas Estradas Lições CONTEÚDO Agora, conheça o conteúdo a ser estudado.
  6. 6. IntroduçãoCurso de Pilotagem nas Estradas Lições CONTEÚDO Introdução Lição 1: Realização do briefing Rota a ser seguida, definição de paradas e previsão de retorno do pelotão. Lição 2: Deslocamento e paradas Deslocamento do bonde, locais de parada do grupo, conduta de entrada e de saída dos locais e como realizar o abastecimento das motocicletas de maneira organizada. Lição 3: Adversidades Pilotagem na chuva e ocorrência de problemas mecânicos. Lição 4: Sinalização Como proceder visualmente para tornar ainda mais segura a conduta do pelotão. Conclusão
  7. 7. IntroduçãoCurso de Pilotagem nas Estradas Lições CONTEÚDO Introdução Lição 1: Realização do briefing Rota a ser seguida, definição de paradas e previsão de retorno do pelotão. Lição 2: Deslocamento e paradas Deslocamento do bonde, locais de parada do grupo, conduta de entrada e de saída dos locais e como realizar o abastecimento das motocicletas de maneira organizada. Vamos iniciar a Lição 1. Boa viagem! Lição 3: Adversidades Pilotagem na chuva e ocorrência de problemas mecânicos. Lição 4: Sinalização Como proceder visualmente para tornar ainda mais segura a conduta do pelotão. Conclusão
  8. 8. Lição 1: Realização do briefingCurso de Pilotagem nas Estradas Introdução LIÇÃO 1: REALIZAÇÃO DO BRIEFING NESTA LIÇÃO, SERÃO ABORDADOS OS SEGUINTES TEMAS: ROTA A SER SEGUIDA, DEFINIÇÃO DE PARADAS E PREVISÃO DE RETORNO DO PELOTÃO. PROSSIGA!
  9. 9. Lição 1: Realização do briefingCurso de Pilotagem nas Estradas Introdução Lição 1 Nesta Lição, falarei sobre a realização do briefing. No entanto, você deve saber que, para que tudo siga conforme manda a “cartilha”, algumas definições devem ser feitas antes mesmo desta reunião.
  10. 10. Lição 1: Realização do briefingCurso de Pilotagem nas Estradas Introdução Lição 1 Esta parte inicial inclui a formação hierárquica do “Bonde” ou “Comboio”.
  11. 11. Lição 1: Realização do briefingCurso de Pilotagem nas Estradas Formação hierárquica do bonde O Bonde é composto da seguinte maneira:
  12. 12. Lição 1: Realização do briefingCurso de Pilotagem nas Estradas Formação hierárquica do bonde O Bonde é composto da seguinte maneira: Líder Motociclista mais experiente, conhecedor das técnicas, caminhos e estradas. Deve estar atento aos retrovisores e, sempre que possível, verificar se todos os integrantes estão na estrada. Poderá circular pelo bonde para fazer verificações pessoalmente. Cabe a ele, ainda, observar as melhores condições para ultrapassagens, a colocação do grupo em rota e determinar a velocidade de cruzeiro.
  13. 13. Lição 1: Realização do briefingCurso de Pilotagem nas Estradas Formação hierárquica do bonde O Bonde é composto da seguinte maneira: Auxiliar do Líder Deve sempre ser a segunda moto na formação, estando ao lado direito da faixa de rolamento. Este, quando solicitado pelo Líder, deve auxiliá-lo em situações como: verificação geral do bonde e substituição do Líder.
  14. 14. Lição 1: Realização do briefingCurso de Pilotagem nas Estradas Formação hierárquica do bonde O Bonde é composto da seguinte maneira: Miolo São os demais integrantes do bonde, tais como PPs, meio-patches e convidados. Devem sempre seguir as orientações do Líder e do Auxiliar do Líder.
  15. 15. Lição 1: Realização do briefingCurso de Pilotagem nas Estradas Formação hierárquica do bonde O Bonde é composto da seguinte maneira: Auxiliar do Anjo É escolhido pelo Anjo e deve trabalhar em conjunto com este, ou seja: revezar posições quando necessário, avisar o Líder sobre a ocorrência de algum problema e ficar na estrada para auxiliar aquele que parou sem qualquer aviso, enquanto o Anjo toma as devidas providências (esta atitude deve ser previamente combinada com o Anjo).
  16. 16. Lição 1: Realização do briefingCurso de Pilotagem nas Estradas Formação hierárquica do bonde O Bonde é composto da seguinte maneira: Anjo Esta posição é escolhida pelo Líder, pois exige grande responsabilidade. O Anjo deve ser um motociclista experiente e estar em sintonia com o Líder. Deve possuir uma moto potente, para possíveis arrancadas bruscas e para poder ultrapassar todo o bonde e alcançar o Líder. Esta ultrapassagem deve ser feita sempre pela esquerda. O Anjo deve ultrapassar o Líder e ganhar a pista à direita. Ao emparelhar com o Líder, deve passar o recado a ser dado. Após isso, deixar passar o bonde e tomar seu respectivo lugar.
  17. 17. Lição 1: Realização do briefingCurso de Pilotagem nas Estradas Formação hierárquica do bonde Depois de definida a hierarquia do bonde, pode-se iniciar o briefing!
  18. 18. Lição 1: Realização do briefingCurso de Pilotagem nas Estradas Formação hierárquica do bonde É neste momento que o Líder do grupo passa aos demais todas as informações essenciais para a rota, os nomes dos auxiliares e do anjo, o caminho, os locais de parada para abastecimento e alimentação, as condições das estradas, o tempo das paradas ,o local de dispersão e a velocidade de cruzeiro.
  19. 19. Lição 1: Realização do briefingCurso de Pilotagem nas Estradas Formação hierárquica do bonde Outra informação relevante são os números de telefone das estradas. Todos os integrantes da viagem devem tê-los em seus celulares, para eventuais contratempos.
  20. 20. Lição 1: Realização do briefingCurso de Pilotagem nas Estradas Conclusão Agora, vá para a Lição 2. Fui!
  21. 21. Lição 2: Deslocamento e paradasCurso de Pilotagem nas Estradas Introdução LIÇÃO 2: DESLOCAMENTO E PARADAS NESTA LIÇÃO, SERÃO ABORDADOS OS SEGUINTES TEMAS: DESLOCAMENTO DO BONDE, LOCAIS DE PARADA, CONDUTA DE ENTRADA E DE SAÍDA DOS LOCAIS E COMO REALIZAR O ABASTECIMENTO DAS MOTOCICLETAS DE MANEIRA ORGANIZADA. PROSSIGA!
  22. 22. Lição 2: Deslocamento e paradasCurso de Pilotagem nas Estradas Passos na areia Vamos começar esta Lição falando sobre o deslocamento do bonde pela estrada.
  23. 23. Lição 2: Deslocamento e paradasCurso de Pilotagem nas Estradas Passos na areia Uma das informações mais importantes é a formação que será seguida, e a mais indicada para o deslocamento de grandes grupos em estradas é a formação “passos na areia”, também chamada de “fila indiana alternada”.
  24. 24. Lição 2: Deslocamento e paradasCurso de Pilotagem nas Estradas Passos na areia Formação “passos na areia” Quando a moto à sua frente estiver do lado direito da faixa de rolamento, você automaticamente deverá ficar do lado esquerdo da pista, e assim sucessivamente, mantendo uma distância segura, de acordo com a velocidade do bonde. Nunca mude de posição, evitando, assim, o ziguezague dos demais motociclistas (salvo em casos previamente estipulados e com a ordem do líder).
  25. 25. Lição 2: Deslocamento e paradasCurso de Pilotagem nas Estradas Passos na areia As motos mais barulhentas, com escapamentos esportivos ou abertos, devem se posicionar ao final do bonde, à frente do Auxiliar do Anjo.
  26. 26. Lição 2: Deslocamento e paradasCurso de Pilotagem nas Estradas Passos na areia Existe uma distância segura entre uma moto e outra, que deve ser respeitada para evitas possíveis colisões, mas você sabe como ela deve ser calculada?
  27. 27. Lição 2: Deslocamento e paradasCurso de Pilotagem nas Estradas Passos na areia Numa viagem em grupo, a melhor maneira de se calcular a distância segura entre as motos é a seguinte: quando a moto à frente passar por um determinado ponto escolhido por você na faixa de rolamento, repita mentalmente 1001, 1002 (mil e um, mil e dois). Só então é que sua moto deverá passar pelo ponto determinado. Observe abaixo. Deste modo, todo o grupo manterá uma distância uniforme de dois segundos entre uma moto e outra, facilitando também a visualização do bonde por parte do Líder.
  28. 28. Lição 2: Deslocamento e paradasCurso de Pilotagem nas Estradas Passos na areia Numa viagem em grupo, a melhor maneira de se calcular a distância segura entre as motos é a seguinte: quando a moto à frente passar por um determinado ponto escolhido por você na faixa de rolamento, repita mentalmente 1001, 1002 (mil e um, mil e dois). Só então é que sua moto deverá passar pelo ponto determinado. Observe abaixo. Deste modo, todo o grupo manterá uma distância uniforme de dois segundos entre uma moto e outra, facilitando também a visualização do bonde por parte do Líder.
  29. 29. Lição 2: Deslocamento e paradasCurso de Pilotagem nas Estradas Fila indiana No entanto, existem algumas situações em que a formação “passos na areia” é impedida, tais como: buracos na estrada ou em caso de pistas sinuosas.
  30. 30. Lição 2: Deslocamento e paradasCurso de Pilotagem nas Estradas Fila indiana Nestes casos, o Líder deverá sinalizar a redução da velocidade e dar o sinal de “fila indiana”
  31. 31. Lição 2: Deslocamento e paradasCurso de Pilotagem nas Estradas Fila indiana O cálculo da distância entre as motos na formação “fila indiana” deverá ser calculado de maneira a aumentar em um segundo o tempo. Portanto, você deverá repetir mentalmente: 1001, 1002, 1003 (mil e um, mil e dois, mil e três). Após passada a dificuldade da pista, o Líder deverá sinalizar a volta à formação “passos na areia”. Observe a formação “fila indiana abaixo”.
  32. 32. Lição 2: Deslocamento e paradasCurso de Pilotagem nas Estradas Fila indiana O cálculo da distância entre as motos na formação “fila indiana” deverá ser calculado de maneira a aumentar em um segundo o tempo. Portanto, você deverá repetir mentalmente: 1001, 1002, 1003 (mil e um, mil e dois, mil e três). Após passada a dificuldade da pista, o Líder deverá sinalizar a volta à formação “passos na areia”. Observe a formação “fila indiana abaixo”. Esta formação é utilizada também em ultrapassagens, pedágios ou nas infiltrações em corredores urbanos.
  33. 33. Lição 2: Deslocamento e paradasCurso de Pilotagem nas Estradas Ultrapassagem Nas ultrapassagens, o Líder irá determinar o melhor momento para fazê-la. Caso o movimento da estrada esteja intenso e sem visão do Anjo, o Líder deverá sinalizar “fila indiana” e permanecer na faixa.
  34. 34. Lição 2: Deslocamento e paradasCurso de Pilotagem nas Estradas Ultrapassagem Quando o Líder sair para a ultrapassagem, não significa que todos deverão segui-lo naquele momento. Zelar pela segurança, observar o bonde e fazer sua ultrapassagem é de responsabilidade de cada um .
  35. 35. Lição 2: Deslocamento e paradasCurso de Pilotagem nas Estradas Ultrapassagem ! Nas ultrapassagens, há três itens muito importantes a serem observados: 2.Se você já fez a ultrapassagem, tome distância do veículo ultrapassado, para garantir espaço seguro às motos que vêm atrás. 2. Quando você for ultrapassar, certifique-se de que há uma distância segura para se colocar à frente do veículo ultrapassado. 3. Na dúvida, não ultrapasse. Aguarde um momento de maior visibilidade e segurança para isso.
  36. 36. Lição 2: Deslocamento e paradasCurso de Pilotagem nas Estradas Ultrapassagem Durante a viagem, se você, não sendo Líder nem Anjo, notar que a moto à sua frente não consegue manter o mesmo ritmo do bonde, criando assim espaços vazios e propiciando a segmentação do comboio, poderá ultrapassá-la para “fechar o buraco”, deixando-a aos cuidados do Auxiliar do Anjo e do Anjo. Eles saberão como conduzir a situação.
  37. 37. Lição 2: Deslocamento e paradasCurso de Pilotagem nas Estradas Ultrapassagem Esta atitude impedirá que outros veículos se coloquem no meio das motos durante o trajeto.
  38. 38. Lição 2: Deslocamento e paradasCurso de Pilotagem nas Estradas Pedágios Ao entrar na praça de pedágio, o Líder deve sinalizar “formação fila indiana”, mas apenas momentos antes de passar pela cancela, nunca na estrada. PEDÁGIO
  39. 39. Lição 2: Deslocamento e paradasCurso de Pilotagem nas Estradas Pedágios PEDÁGIO Formação “fila indiana” A fila indiana consiste na organização das motos uma atrás da outra, alinhadas como uma fila. Esta formação facilita a passagem do comboio por locais onde só passa uma motocicleta por vez, tais como pedágio, entrada em eventos etc. Sua indicação é dada pelo Líder do bonde, por meio de um sinal de mão estendida na vertical sobre sua cabeça.
  40. 40. Lição 2: Deslocamento e paradasCurso de Pilotagem nas Estradas Pedágios Ah, importantíssimo: procure ter o PEDÁGIO dinheiro do pedágio separado, para evitar uma demora excessiva!
  41. 41. Lição 2: Deslocamento e paradasCurso de Pilotagem nas Estradas Pedágios PEDÁGIO E se o dinheiro estiver trocado, eu agradeço!
  42. 42. Lição 2: Deslocamento e paradasCurso de Pilotagem nas Estradas Pedágios Ao passar pela cancela, o Líder deve evitar acelerar muito e manter, na faixa da direita, uma velocidade compatível com o movimento da estrada. PEDÁGIO PEDÁGIO
  43. 43. Lição 2: Deslocamento e paradasCurso de Pilotagem nas Estradas Pedágios Isso ajuda a recompor o bonde, e o Anjo não precisará acelerar muito para alcançar o bonde ou o Líder. PEDÁGIO PEDÁGIO
  44. 44. Lição 2: Deslocamento e paradasCurso de Pilotagem nas Estradas Semáforos Quando parar em semáforos, as motocicletas devem se unir paralelamente, duas a duas, antes da faixa de segurança (quando houver).
  45. 45. Lição 2: Deslocamento e paradasCurso de Pilotagem nas Estradas Semáforos Após o semáforo, o Líder deve observar se o bonde voltou à formação anterior. Caso não tenha voltado, deve- se fazer o sinal da formação necessária.
  46. 46. Lição 2: Deslocamento e paradasCurso de Pilotagem nas Estradas Estacionamento Bem, chegamos a uma das paradas estipuladas no briefing. É muito importante que todas as paradas sejam realizadas em locais de fácil acesso e com total segurança para realizar a saída do bonde. Locais com terra, lombada, buracos e curvas devem ser evitados. Veja como deve ser realizada a entrada do bonde no local e o estacionamento das motos. Entrada Saída
  47. 47. Lição 2: Deslocamento e paradasCurso de Pilotagem nas Estradas Estacionamento Bem, chegamos a uma das paradas estipuladas no briefing. É muito importante que todas as paradas sejam realizadas em locais de fácil acesso e com total segurança para realizar a saída do bonde. Locais com terra, lombada, buracos e curvas devem ser evitados. Veja como deve ser realizada a entrada do bonde no local e o estacionamento das motos. Entrada Saída Deve-se entrar no local em fila indiana e estacionar as motos conforme a formação de chegada. Isso significa que o primeiro que chega deve estacionar sua moto bem próximo da saída, e assim sucessivamente. Isso facilitará a formação de volta para a pista. As motos devem ser estacionadas com o intervalo de uma moto, para evitar o “efeito dominó”.
  48. 48. Lição 2: Deslocamento e paradasCurso de Pilotagem nas Estradas Estacionamento No momento de saída do estacionamento, também há que se ter atenção. Veja como ela deve ser realizada. Entrada Saída
  49. 49. Lição 2: Deslocamento e paradasCurso de Pilotagem nas Estradas Estacionamento No momento de saída do estacionamento, também há que se ter atenção. Veja como ela deve ser realizada. Entrada Saída A saída deve ser feita sempre em “fila indiana”. Na saída do bonde, o Anjo e o Auxiliar do Anjo podem posicionar suas motos no local de saída do estacionamento, a fim de sinalizar o trânsito local a reduzir a velocidade. Eles devem ficar fora das motos e estas devem permanecer ligadas, para chamar a atenção.
  50. 50. Lição 2: Deslocamento e paradasCurso de Pilotagem nas Estradas Abastecimento O momento de parada, se for em um posto de gasolina, também é o momento do abastecimento. Todos os motociclistas devem verificar a quantidade de combustível existente no tanque. Havendo necessidade, deve reabastecer a moto.
  51. 51. Lição 2: Deslocamento e paradasCurso de Pilotagem nas Estradas Abastecimento O momento de parada, se for em um posto de gasolina, também é o momento do abastecimento. Todos os motociclistas devem verificar a quantidade de combustível existente no tanque. Havendo necessidade, deve reabastecer a moto. O abastecimento deve ser realizado de modo a otimizar o tempo gasto. Portanto, quatro ou até cinco motos podem ser paradas para abastecer em uma única bomba. Elas devem ser posicionadas a 45 graus em torno da bomba. Assim que se acaba de abastecer uma, já se inicia o abastecimento da próxima, evitando que uma moto tenha de deixar o local para a chegada de outra.
  52. 52. Lição 2: Deslocamento e paradasCurso de Pilotagem nas Estradas Conclusão Agora você vai começar a Lição 3. Te vejo por lá!
  53. 53. Lição 3: AdversidadesCurso de Pilotagem nas Estradas Introdução LIÇÃO 3: ADVERSIDADES NESTA LIÇÃO, SERÃO ABORDADOS OS SEGUINTES TEMAS: PILOTAGEM NA CHUVA E OCORRÊNCIA DE PROBLEMAS MECÂNICOS. PROSSIGA!
  54. 54. Lição 3: AdversidadesCurso de Pilotagem nas Estradas Chuvas Bem, esta Lição veio bem a calhar, pois falaremos sobre as adversidades que podem ocorrer durante uma viagem. Uma delas é a chuva. E, por falar nisso, acho que vem chegando um temporal.
  55. 55. Lição 3: AdversidadesCurso de Pilotagem nas Estradas Chuvas Como você sabe, a pilotagem na chuva deve ser muito mais cautelosa do que no asfalto seco. Isto porque a chuva traz diversos fatores negativos à pilotagem. Veja alguns deles!
  56. 56. Lição 3: AdversidadesCurso de Pilotagem nas Estradas Chuvas 1 – Os pneus perdem aderência, principalmente se estiverem com a calibragem incorreta. 2. A sujeira do asfalto (terra, areia, óleo) se mistura à água e forma uma pasta escorregadia. 3 – As faixas pintadas no asfalto viram um sabão. 4 – A visibilidade diminui muito, e não só para o motociclista, mas também para os demais veículos que estão ao redor. 5 – Pode ocorrer aquaplanagem e ela pode levar o motociclista despreparado diretamente pro chão. 6 – O modo de pilotagem deve mudar. A frenagem difere do asfalto seco para o molhado. 7 – A posição de pilotagem também muda, por causa da distribuição de peso sobre a moto.
  57. 57. Lição 3: AdversidadesCurso de Pilotagem nas Estradas Chuvas Se você for um motociclista inexperiente e estiver com dúvidas sobre sua conduta, não se arrisque: espere a chuva parar ou diminuir para prosseguir.
  58. 58. Lição 3: AdversidadesCurso de Pilotagem nas Estradas Chuvas Como eu sou um motociclista experiente, rodo pra cima e pra baixo, já passei por muitas situações em que a chuva me atrapalhou, e muito. E sei que nem sempre dá pra esperar ela passar para seguir viagem. Então, separei algumas dicas que podem ajudar nessas horas. Dois probleminhas que ocorrem nesses casos é o ambaçamento do capacete e a perda de visibilidade em razão das gotas que ficam do lado do fora da viseira. Mas para isso, eu tenho dois truques:
  59. 59. Lição 3: AdversidadesCurso de Pilotagem nas Estradas Chuvas Como eu sou um motociclista experiente, rodo pra cima e pra baixo, já passei por muitas situações em que a chuva me atrapalhou, e muito. E sei que nem sempre dá pra esperar ela passar para seguir viagem. Então, separei algumas dicas que podem ajudar nessas horas. Dois probleminhas que ocorrem nesses casos é o ambaçamento do capacete e a perda de visibilidade em razão das gotas que ficam do lado do fora da viseira. Mas para isso, eu tenho dois truques: Anti-embaçante Este é um produto que deve ser aplicado à parte interna da viseira, para evitar que ocorra embaçamento. Deve ser aplicado uma vez por semana ou em caso de necessidade em prazo menor.
  60. 60. Lição 3: AdversidadesCurso de Pilotagem nas Estradas Chuvas Como eu sou um motociclista experiente, rodo pra cima e pra baixo, já passei por muitas situações em que a chuva me atrapalhou, e muito. E sei que nem sempre dá pra esperar ela passar para seguir viagem. Então, separei algumas dicas que podem ajudar nessas horas. Dois probleminhas que ocorrem nesses casos é o ambaçamento do capacete e a perda de visibilidade em razão das gotas que ficam do lado do fora da viseira. Mas para isso, eu tenho dois truques: Anti-embaçante Repelente de água Este é um produto que Este é um produto que deve ser aplicado à deve ser aplicado à parte interna da viseira, parte externa da viseira. para evitar que ocorra Sua fórmula força o embaçamento. deslocamento das gotas, impedindo que fiquem Deve ser aplicado uma acumuladas. vez por semana ou em caso de necessidade em Deve ser aplicado após prazo menor. chuva ou sereno.
  61. 61. Lição 3: AdversidadesCurso de Pilotagem nas Estradas Chuvas Como eu sou um motociclista experiente, rodo pra cima e pra baixo, já passei por muitas situações em que a chuva me atrapalhou, e muito. E sei que nem sempre dá pra esperar ela passar para seguir viagem. Então, separei algumas dicas que podem ajudar nessas horas. Dois probleminhas que ocorrem nesses casos é o ambaçamento do capacete e a perda de visibilidade em razão das gotas que ficam do lado do fora da viseira. Mas para isso, eu tenho dois truques: Anti-embaçante Repelente de água Este é um produto que Este é um produto que deve ser aplicado à deve ser aplicado à parte interna da viseira, parte externa da viseira. para evitar que ocorra Sua fórmula força o embaçamento. deslocamento das gotas, impedindo que fiquem Deve ser aplicado uma acumuladas. vez por semana ou em caso de necessidade em Deve ser aplicado após prazo menor. chuva ou sereno. Estes produtos são específicos para aplicação em viseiras de capacetes. No entanto, existem no mercado produtos similares para vidros que podem ser utilizados com a mesma finalidade, mas fique atento. Algumas formulações podem danificar a superfície da viseira.
  62. 62. Lição 3: AdversidadesCurso de Pilotagem nas Estradas Equipamentos Outros itens muito importantes, e que devem ser levados sempre com o motociclista, são a capa de chuva e a bota ou polaina.
  63. 63. Lição 3: AdversidadesCurso de Pilotagem nas Estradas Equipamentos Outros itens muito importantes, e que devem ser levados sempre com o motociclista, são a capa de chuva e a bota ou polaina. Capa de chuva: é impermeável, impedindo a penetração da água na roupa. Possui refletivos na parte traseira, para facilitar a visualização do motociclista por parte dos outros veículos. Para as mulheres, existem no mercado capas com tamanhos menores e cores diversas.
  64. 64. Lição 3: AdversidadesCurso de Pilotagem nas Estradas Equipamentos Outros itens muito importantes, e que devem ser levados sempre com o motociclista, são a capa de chuva e a bota ou polaina. Polaina ou capa de bota: deve ser colocada por cima da bota ou do calçado que o motociclista estiver usando, para impedir a entrada de água.
  65. 65. Lição 3: AdversidadesCurso de Pilotagem nas Estradas Equipamentos Outros itens muito importantes, e que devem ser levados sempre com o motociclista, são a capa de chuva e a bota ou polaina. Bota: é uma espécie de galocha de borracha, cujo solado é antiderrapante, ideal para pilotagem na chuva.
  66. 66. Lição 3: AdversidadesCurso de Pilotagem nas Estradas Equipamentos Outros itens muito importantes, e que devem ser levados sempre com o motociclista, são a capa de chuva e a bota ou polaina. Bota feminina: sabe-se que as botas de borracha dificilmente são encontradas em número inferior ao 39. Portanto, para a mulherada que pilota, uma boa saída são as galochas femininas, encontradas em lojas de calçados comuns.
  67. 67. Lição 3: AdversidadesCurso de Pilotagem nas Estradas Ferramentas Mas nem tudo são flores para o motociclista, mesmo que ele esteja bem equipado. Há vezes em que o problema pode não ser você, mas, sim, sua moto.
  68. 68. Lição 3: AdversidadesCurso de Pilotagem nas Estradas Ferramentas É claro que estando em comboio o socorro chega mais rápido, pois sempre tem alguém preparado. Mas não será muito melhor se esse alguém for você? Então, vamos às dicas!
  69. 69. Lição 3: AdversidadesCurso de Pilotagem nas Estradas Ferramentas No caso de ocorrer alguma pane com um motociclista, quem deve parar com este é o Anjo. As demais motos do bonde deverão seguir em frente, até um local seguro para a parada de todos.
  70. 70. Lição 3: AdversidadesCurso de Pilotagem nas Estradas Ferramentas No caso de ocorrer alguma pane com um motociclista, quem deve parar com este é o Anjo. As demais motos do bonde deverão seguir em frente, até um local seguro para a parada de todos. É imprescindível que as ferramentas da moto, aquelas que vêm com ela na compra, estejam no seu devido lugar, pois cada moto necessita de ferramentas específicas. Certamente, as ferramentas de uma speedy 1400 cc não servirão para uma custom 250 cc. Então, carregue-as sempre com você.
  71. 71. Lição 3: AdversidadesCurso de Pilotagem nas Estradas Ferramentas No caso de ocorrer alguma pane com um motociclista, quem deve parar com este é o Anjo. As demais motos do bonde deverão seguir em frente, até um local seguro para a parada de todos. É imprescindível que as ferramentas da moto, aquelas que vêm com ela na compra, estejam no seu devido lugar, pois cada moto necessita de ferramentas específicas. Certamente, as ferramentas de uma speedy 1400 cc não servirão para uma custom 250 cc. Então, carregue-as sempre com você. Veja quais são as ferramentas essenciais no caso de uma pane mecânica: 1. Chave sextavada 19 mm. 2. Chave sextavada 17 mm. 3. Cave de boca 14 mm/12 mm. 4. Chave de boca 10 mm/8 mm. 5. Chave da porca do bujão do óleo. 6. Chave de ajuste dos amortecedores. 7. Alicate universal. 8. Chave de vela. 9 e 10. Chaves Allen. 11. Chave de fenda.
  72. 72. Lição 3: AdversidadesCurso de Pilotagem nas Estradas Ferramentas No caso de ocorrer alguma pane com um motociclista, quem deve parar com este é o Anjo. As demais motos do bonde deverão seguir em frente, até um local seguro para a parada de todos. Outra boa opção para carregar nas viagens é um “veda-furo”, que deve ser utilizado em caso de o pneu furar.
  73. 73. Lição 3: AdversidadesCurso de Pilotagem nas Estradas Ferramentas No caso de ocorrer alguma pane com um motociclista, quem deve parar com este é o Anjo. As demais motos do bonde deverão seguir em frente, até um local seguro para a parada de todos. Outra boa opção para carregar nas viagens é um “veda-furo”, que deve ser utilizado em caso de o pneu furar. Este é um reparador instantâneo de furos em pneus. É um Selante Spray que infla o pneu e veda o furo em menos de um minuto, sem precisar retirar o pneu da moto. Ideal para viagens longas , já que motos não possuem estepes . No entanto, sua utilização não repara o pneu. Após seu uso, o motociclista deve se dirigir a um borracheiro, para que o conserto seja efetuado.
  74. 74. Lição 3: AdversidadesCurso de Pilotagem nas Estradas Conclusão Você está finalizando a Lição 3 deste treinamento. Agora, acelere para a Lição 4!
  75. 75. Lição 4: SinalizaçãoCurso de Pilotagem nas Estradas Introdução LIÇÃO 4: SINALIZAÇÃO NESTA LIÇÃO, SERÃO ABORDADAS AS MANEIRAS MAIS EFICAZES DE SINALIZAÇÃO HUMANA, VISANDO À MAIOR SEGURANÇA DO BONDE EM MOVIMENTO. PROSSIGA!
  76. 76. Lição 4: SinalizaçãoCurso de Pilotagem nas Estradas Introdução Bem, chegamos à reta final de nosso treinamento. Esta sinalização de que falaremos não se refere às placas nas estradas ou vias urbanas, mas, sim, aos sinais que devem ser utilizados pelos motociclistas durante a pilotagem.
  77. 77. Lição 4: SinalizaçãoCurso de Pilotagem nas Estradas Introdução Vale lembrar que estes sinais podem variar de grupo para grupo, então é bom você conversar com os colegas de viagem para se certificar dos sinais utilizados. Caso contrário, poderão surgir dúvidas durante o percurso.
  78. 78. Lição 4: SinalizaçãoCurso de Pilotagem nas Estradas Introdução Acomode-se em sua poltrona e preste atenção aos símbolos. Atente para o fato de que alguns deles poderão e deverão ser feitos pelos garupas, quando houver. Vamos lá???
  79. 79. Lição 4: SinalizaçãoCurso de Pilotagem nas Estradas Sinais A primeira coisa que você tem de saber é que os sinais de mão devem ser feitos sempre com a mão esquerda, que é a fica mais livre durante a pilotagem.
  80. 80. Lição 4: SinalizaçãoCurso de Pilotagem nas Estradas Sinais A primeira coisa que você tem de saber é que os sinais de mão devem ser feitos sempre com a mão esquerda, que é a fica mais livre durante a pilotagem. Utilizar sempre a mão esquerda
  81. 81. Lição 4: SinalizaçãoCurso de Pilotagem nas Estradas Sinais Perigo à frente: mão espalmada para cima
  82. 82. Lição 4: SinalizaçãoCurso de Pilotagem nas Estradas Sinais Chuva: dedo indicador apontando para cima
  83. 83. Lição 4: SinalizaçãoCurso de Pilotagem nas Estradas Sinais Pare atrás de mim: dedo indicador apontando para baixo
  84. 84. Lição 4: SinalizaçãoCurso de Pilotagem nas Estradas Sinais Olhe no seu retrovisor: dedo polegar apontando para trás
  85. 85. Lição 4: SinalizaçãoCurso de Pilotagem nas Estradas Sinais Polícia ou radar à frente: dedo indicador apontando para cima e fazendo círculos
  86. 86. Lição 4: SinalizaçãoCurso de Pilotagem nas Estradas Sinais Animais na pista: quatro dedos apontando para baixo
  87. 87. Lição 4: SinalizaçãoCurso de Pilotagem nas Estradas Sinais Acenda o farol: dedos indicados e polegar unidos em forma de círculo
  88. 88. Lição 4: SinalizaçãoCurso de Pilotagem nas Estradas Sinais Formação passos na areia: dedos indicador e médio em forma de “V”
  89. 89. Lição 4: SinalizaçãoCurso de Pilotagem nas Estradas Sinais Parar para abastecer: mão espalmada batendo no tanque (ou dedo indicador apontando para o tanque
  90. 90. Lição 4: SinalizaçãoCurso de Pilotagem nas Estradas Sinais Mão espalmada para cima, em movimento: aumentar a velocidade
  91. 91. Lição 4: SinalizaçãoCurso de Pilotagem nas Estradas Sinais Mão espalmada para baixo, em movimento: reduzir a velocidade
  92. 92. Lição 4: SinalizaçãoCurso de Pilotagem nas Estradas Sinais Mão fechada para cima: vamos parar
  93. 93. Lição 4: SinalizaçãoCurso de Pilotagem nas Estradas Sinais É muita informação pra você? Calma, estamos quase acabando. Não perca o foco. Atenção aos sinais!
  94. 94. Lição 4: SinalizaçãoCurso de Pilotagem nas Estradas Sinais Braço esquerdo dobrado atrás do capacete com o dedo indicador apontando para a direita: atenção – reduzir para entrar à direita
  95. 95. Lição 4: SinalizaçãoCurso de Pilotagem nas Estradas Sinais Braço esquerdo apontado para a esquerda: atenção, reduzir para entrar à esquerda - o piloto deve sinalizar com o braço e acionar o pisca esquerdo em seguida.
  96. 96. Lição 4: SinalizaçãoCurso de Pilotagem nas Estradas Sinais Apontar com o pé esquerdo para o asfalto: buraco, óleo ou outro tipo de obstáculo, do lado que foi indicado. Reduza a velocidade e procure desviar (quando possível).
  97. 97. Lição 4: SinalizaçãoCurso de Pilotagem nas Estradas Sinais Apontar com o pé direito para o asfalto: buraco, óleo ou outro tipo de obstáculo, do lado que foi indicado. Reduza a velocidade e procure desviar (quando possível).
  98. 98. Lição 4: SinalizaçãoCurso de Pilotagem nas Estradas Sinais Com o braço para cima, indicar o “numero 1” com a mão (em cima do capacete): Todos deverão assumir a formação de fila indiana única.
  99. 99. Lição 4: SinalizaçãoCurso de Pilotagem nas Estradas O garupa Alguns desses sinais podem e devem ser feitos pelo garupa – quando houver, mas devem ser realizados sempre com os braços. Por exemplo, o sinal de apontar com a perna para o solo para indicar um buraco deve ser feito pelo garupa com uma das mãos.
  100. 100. Lição 4: SinalizaçãoCurso de Pilotagem nas Estradas O garupa Aliás, falando em garupa, ele é peça fundamental para o bem- estar dos pilotos, você sabia? É! Então, acompanhe um texto muito bem humorado sobre as obrigações do garupa em uma viagem!
  101. 101. Lição 4: SinalizaçãoCurso de Pilotagem nas Estradas O garupa Obrigações do garupa
  102. 102. Lição 4: SinalizaçãoCurso de Pilotagem nas Estradas O garupa 1 - Zelar para que a moto esteja sempre limpa e livre de manchas. 2 - Manter toda a parte cromada da moto impecavelmente brilhando. 3 - Nunca gritar no ouvido do piloto, mesmo em situações de perigo. 4 - Patrocinar o lanche do piloto nas paradas para descanso. 5 - Segurar o capacete do piloto quando este solicitar, aproveitando para limpar a viseira. 6 - Ajudar o piloto a vestir o seu casaco ou a sua capa de chuva. 7 - Manter engraxadas e sempre brilhando as botas do piloto. 8 - Nas hospedagens, esvaziar os alforjes e carregar toda a bagagem.
  103. 103. Lição 4: SinalizaçãoCurso de Pilotagem nas Estradas O garupa 9 - Manter lubrificada a corrente da moto, para evitar que o piloto suje as mãos. 10 - Se o piloto desejar estacionar a moto no descanso central, o garupa deverá puxá- la por trás, para que o piloto faça o mínimo de esforço. 11 - Jamais tecer comentários dizendo que o banco do garupa é desconfortável e dói o bumbum. 12 - Nos eventos, nunca comprar souvernirs grandes ou pesados, para não ocupar espaços na moto, que devem ser reservados para os objetos adquiridos pelo piloto. 13 - Em trânsito, jamais incomodar o piloto dizendo que precisa fazer xixi. 14 - Nunca incomodar o piloto, dizendo que ele está correndo muito ou andando devagar.
  104. 104. Lição 4: SinalizaçãoCurso de Pilotagem nas Estradas O garupa 15 - A cada quilo de acessório que o piloto instalar na moto, deverá o garupa perder o equivalente em peso corporal, para compensar. 16 - Estar ciente de que três ou mais garupas reunidos, cochichando, será considerado motim. 17 - Quando chegar ao evento, instalar logo a armação da barraca do piloto em lugar privilegiado, para que este durma sem perturbações. 18 - Encher o colchão inflável sem resmungar do cansaso da viagem. 19 - Ficar sempre atento para quando o piloto estiver precisando de algo na barraca ou mesmo de alguma coisa nos bares, tipo cerveja ou tira-gosto, sair rapidamente e providenciar o que for necessário de imediato. 20 - Ceder a garupa se alguma garota pedir para dar uma voltinha na moto com o piloto.
  105. 105. Lição 4: SinalizaçãoCurso de Pilotagem nas Estradas Conclusão Claro que isso tudo é uma brincadeira, mas tem gente que acaba levando muito a sério! O Fim mais importante durante a viagem é a atenção, a camaradagem e o companheirismo do garupa para com o piloto, e vice-versa.
  106. 106. Lição 4: SinalizaçãoCurso de Pilotagem nas Estradas Conclusão Fim Agora que você já conheceu os sinais mais utilizados na estrada entre os motociclistas, lembre-se de utilizá-los sempre que estiver pilotando em grupo!
  107. 107. EncerramentoCurso de Pilotagem nas Estradas Você acaba de finalizar este treinamento. Agora, você se torna ainda mais responsável pelo bom andamento de uma viagem ou de um passeio, pois tem um conhecimento a ser repassado aos demais companheiros e certamente será cobrado por isso.
  108. 108. EncerramentoCurso de Pilotagem nas Estradas E eu vou nessa. A gente se cruza por aí, em alguma dessas estradas, pra desfrutarmos juntos o bom e velho espírito estradeiro. Valeu, meu irmão, e até a próxima!
  • juliaemaxwell

    Dec. 14, 2016
  • renatobarazal

    Oct. 16, 2015
  • RogerioGalvao

    Aug. 8, 2015

Pequeno curso de pilotagem nas estradas, com base em palestras e experiências pessoais. Desenvolvido por Denise Pasito Saú Motociclista - São Paulo / SP

Vistos

Vistos totais

2.402

No Slideshare

0

De incorporações

0

Número de incorporações

3

Ações

Baixados

124

Compartilhados

0

Comentários

0

Curtir

3

×