Xvi enapol alterado

468 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
468
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Xvi enapol alterado

  1. 1. XVI ENAPOLUm bilhete que dá samba: “Vide versomeu endereço”, de Adoniran Barbosa
  2. 2. Autor• Carlos Vinicius Veneziani dos Santos.• Doutorando do Departamento de Línguística da USP.• Orientando do Professor Dr. Luiz Tatit.• vinivs@gmail.com
  3. 3. Introdução• A canção “Vide verso meu endereço”, de AdoniranBarbosa, interpretada pelo próprio autor, faz parte dosegundo LP gravado pelo sambista, Adoniran Barbosa,em 1975.• A canção é a segunda faixa do lado A do LP, que foi umgravado um ano depois do primeiro, para aproveitar ogrande sucesso que este atingiu. Traz 12 faixas eapresenta canções menos conhecidas de Adoniran,algumas até então inéditas em disco.
  4. 4. Introdução• O trabalho propõe a análise da canção a partir dosparâmetros estabelecidos por Luiz Tatit e Ivã CarlosLopes em Elos de melodia e letra, fundamentados nascontribuições teóricas da semiótica greimasiana de linhafrancesa e nos seus desdobramentos posteriores,notadamente os que se associam à noção de tensividade.
  5. 5. Introdução• A apresentação baseia-se em capítulo da tese dedoutorado “Análise semiótica da produção cancional deAdoniran Barbosa”, que investiga o estilo autoral docompositor a partir do estudo de sua produção dentro daperspectiva teórica da semiótica da canção.
  6. 6. A canção• A letra da canção conta a história de um engraxateajudado financeiramente por um homem mais abastado(Dr. José Aparecido).• A ajuda que o primeiro recebe possibilita ao trabalhadorcomprar suas ferramentas de trabalho e estabelecer-seprofissionalmente na Praça da Bandeira.• A partir disso, ele consegue comprar uma casa, se casare criar seus filhos.
  7. 7. A canção• Depois de estabelecido, o engraxate decide demonstrarsua gratidão pela ajuda recebida por meio de um bilhete.• Esse bilhete revela toda a história, faz o agradecimento ecoloca sua casa à disposição do senhor que o ajudoupara uma visita.• O engraxate pede a outra pessoa (seu Gervásio) queentregue o bilhete ao homem que o apoiou.
  8. 8. Análise da letra• A letra tematiza uma ação de comunicação (enunciação)entre dois sujeitos distantes espacialmente.• Essa comunicação acontece por intermédio de umbilhete, e esse bilhete tem como conteúdo (ou enunciado,no plano ficcional) a história de vida (construção dacondição de subsistência) do enunciador.• A motivação da enunciação é o sentimento de gratidão,ou o reconhecimento da contribuição dada peloenunciatário à realização da performance do enunciadorem sua história de vida (estabilização financeira).
  9. 9. Plano narrativo• Do ponto de vista narrativo, essas figuras podem servistas como um sujeito do fazer (que também éenunciador e destinador-julgador) e um sujeito auxiliar(adjuvante – que também é enunciatário e destinatário dasanção). O segundo proporciona ao primeiro recursospara realização de sua performance.• A gratidão, enquanto sentimento ligado aoreconhecimento da contribuição de um sujeito para oprograma narrativo de outro sujeito, aparece como efeitofinal de uma série de eventos que envolvem o sujeito-enunciador.
  10. 10. Integração melodia-letra• Pode-se pensar a divisão da canção em quatropartes:• 1) A entrega do bilhete ao emissário que o levaráaté o destinador da ação;• 2) A explicitação da temática do bilhete a serentregue;• 3) A sequência narrativa de ações que culminamna motivação para escrever e enviar o bilhete;• 4) O encerramento do bilhete, com a oferta deacolhida na casa do enunciador.
  11. 11. Melodia – aspectos gerais• A análise da canção revela uma forte tendência àfigurativização no modelo de integração entre melodia eletra.• Os versos distendem-se ou abreviam-se para caber nalinha melódica. Os recortes entonacionais sãoprivilegiados, determinando os recortes melódicos docanto.
  12. 12. Primeira parte• A primeira parte da canção é falada, e a fala éacompanhada de um dedilhado introdutório nocavaquinho, sem acompanhamento percussivo.• Essa primeira parte não cita o conteúdo do bilhete,relacionando-se apenas às condições de seu envio.Indica entrega do bilhete a uma pessoa que podeencontrar o enunciatário da mensagem com maisfacilidade e frequência que o enunciador que a redigiu.
  13. 13. Primeira parte• "Seu Gervásio, se Dr. José Aparecido aparecer por aqui,cê dá esse bilhete a ele.• Pode lê, num tem segredo nenhum. Pode lê, seuGervásio."
  14. 14. Primeira partePedido para entrega do bilheteDestinador-manipulador Destinatário-manipulado ObjetivoSujeito lírico – enunciador do pedido Seu Gervásio - enunciatário do pedido Portador de texto - mensagem ∩Enunciatário da mensagem no bilhete(Dr. José Aparecido)Entrega do bilheteSujeito Destinador ObjetivoSeu Gervásio Enunciador do bilhete (sujeito lírico),valores sociais de atender pedidos defavores.Sujeito ∩ imagem positiva pelarealização de um favor (pedido deentrega do bilhete)
  15. 15. Segunda parte• A segunda parte da canção começa no primeiro versocantado, já com o acompanhamento percussivo. O trechotem quatro versos, e o sujeito declara que escreve obilhete para agradecer ao homem que lhe doou odinheiro.• Esse agradecimento tem contornos emotivos fortes,evidenciados nas expressões "toda“, relacionada àgratidão, "de coração", relacionada ao verbo "agradecer",e "tudo“, relacionada à expressão "o que você me fez".
  16. 16. Segunda parte• O trecho apresenta uma recuperação paródica dasaberturas tradicionais de modelos de cartas, dando umtom excessivamente formal à letra, que contrasta com acoloquialidade do restante da canção, da fala inicial emesmo da tradição do samba.• Esta parte é a que ocupa a região mais grave dodiagrama da tessitura, e é marcada pela finalização dosversos em suspensão.
  17. 17. Segunda parte• Venho por meio destas mal traçadas linhas• Comunicar-lhe que fiz um samba pra você.• No qual quero expressar toda minha gratidão• E agradecer de coração tudo o que você me fez.
  18. 18. Segunda parteAgradecimentoDestinador-julgador Destinatário-sancionado ObjetivoSujeito lírico – enunciador do bilhete Dr. José Aparecido - enunciatário dobilheteDestinatário ∩ recompensa peladoação do dinheiroRazões para agradecerDestinador-manipulador Destinatário-manipulado ObjetivoDestinador social – valores dasociedadeSujeito lírico – enunciador do bilhete Destinatário ∩ dever-fazer (agradecera quem nos faz um bem, uma açãopositiva)
  19. 19. Terceira parte• A terceira parte da canção retoma, pelarememoração do sujeito lírico, a sequência dasações empreendidas até a conquista da estabilidadeprofissional.• Primeiro, ele recebe uma determinada quantia dohomem a quem agradece. Com essa quantia,adquire material para trabalhar como engraxate naPraça da Bandeira.
  20. 20. Terceira parte• Ele trabalha com dedicação, isto é, "pegando firme". Essadedicação gera dinheiro, com o qual ele pode casar,construir sua casa e criar seus filhos.• Melodicamente, esta parte inicia explorando a regiãomédia da tessitura, mas passa a utilizar a região maisaguda nos versos finais.• Também predominam nesta parte os versos quefinalizam em suspensão, a não ser o verso que fazreferência às possibilidades de ganho com o trabalho deengraxate.
  21. 21. Terceira parte• Com o dinheiro que um dia você me deu• Comprei uma cadeira lá na Praça da Bandeira.• Ali vou me defendendo.• Pegando firme dá pra tirar mais de mil por mês.• Casei, comprei uma casinha lá no Ermelindo,• Tenho três filhos lindos,• Dois são meu, um de criação.• Eu tinha mais coisas pra lhe contar• Mas vou deixa pra uma outra ocasião.
  22. 22. Terceira parteBusca da estabilidade financeiraSujeito Destinador ObjetivoSujeito lírico – enunciador do bilhete Valores sociais (dedicação ao trabalho,necessidade de construção de família)Sujeito ∩ estabilidade financeiraDoação do dinheiroSujeito Destinador ObjetivoDr. José Aparecido Valores sociais (dever de ajudar,oportunidade de fazer o bem,necessidade de dinheiro paraempreender)Enunciador do bilhete ∩ dinheiro(competência do poder-fazer aestabilidade financeira)
  23. 23. Quarta parte• A quarta parte da canção é o encerramento do bilhete, noqual o enunciador convida o enunciatário para visitar suaresidência e fala da escrita da carta por sua esposa.• O enunciador faz uma indicação material/visual para oseu remetente, avisando que o endereço para visitaçãoestá no verso do bilhete.• A quarta parte associa-se à mesma estrutura de sentidoda segunda, que é a do empreendimento da ação decomunicação com fins de agradecimento.• A melodia atinge a região mais aguda da tessitura,finalizando na tônica uma oitava acima da finalização noquarto verso da terceira parte.
  24. 24. Quarta parte• Não repare a letra,• A letra é de minha mulher.• Vide verso meu endereço,• Apareça quando quiser.
  25. 25. Elementos relevantes da análise• Diálogo de gêneros: carta e canção.• Um dos aspectos mais interessantes destacanção é o reconhecimento de gênero que elafaz, que se evidencia em dois momentos:• Na parte 2, quando o enunciador do texto dacarta utiliza chavões próprios do gênero, talcomo aplicados na escrita.• Na parte 4, que funciona como umencerramento, dentro dos padrões da redaçãotradicional de cartas.
  26. 26. Relação entre as partes do texto• É possível apontar correspondências entre cadaparte da canção e a estrutura narrativa da letra.Parte da canção Estrutura em destaque CaracterísticasPrimeira parte Solicitação de entrega do bilheteFalada, sem acompanhamentopercursivoSegunda parteIntrodução do texto do bilhete –indicação do agradecimentoExploração da região mais grave datessituraTerceira parteDesenvolvimento da história doenunciador – programa narrativo debusca de estabilidade financeiraExploração da região média da tessituraQuarta parteConclusão e encerramento do bilhete –retomada do agradecimentoExploração da região mais aguda datessitura
  27. 27. Hipótese para mudança da região datessitura nas partes finais• Na canção de Adoniran, é possível notar que há umagradativa mudança na exploração da tessitura da melodiavocal. A primeira parte ocupa a região mais grave, asegunda parte oscila entre as regiões grave e aguda,tendendo para a região média, e a última parte utiliza aregião mais aguda.• A explicação dessa tendência enseja uma hipótesepautada no entendimento de que a proximidade da vozcom os limites da tessitura associa-se à intensidadeemocional. Esse entendimento deve ser relacionado aoselementos de análise anteriormente apontados.
  28. 28. Hipótese para mudança da região datessitura nas partes finais• O fazer persuasivo do enunciador em sua manifestação de gratidãoé intensificado pela operação de reconhecimento, isto é, pelarevelação da importância da ação do enunciatário.• Tanto maior é o mérito do enunciatário quanto mais positivo oresultado da performance do sujeito. E a terceira parte, ao contar ahistória do sujeito, ressalta justamente o sucesso de suas ações.• Por isso, a quarta parte do texto apresenta maior intensidade que asegunda: embora ambas façam referência à necessidade deagradeceer, na quarta parte, a sanção está mais bem fundamentada,o resultado da performance foi reconhecido pelo destinador-julgadorcomo decorrência da ajuda recebida.
  29. 29. Hipótese para mudança da região datessitura nas partes finais• Nesse contexto, a necessidade de superar o afastamentoespacial por meio do bilhete para estabelecer aretribuição é mais patente. Ou seja, a separação entresujeito e objeto é percebida de forma mais aguda.• Como resultado, a passionalização aparece como modelorecessivo em relação à figurativização, e a transposiçãode região melódica associa-se à disjunção espacial, comvínculo temporal, entre sujeito e objeto.
  30. 30. Bibliografia• BARROS, D. L. P. Teoria semiótica do texto. 4ª edição.São Paulo: Ática, 2005.• COURTÉS, J.; GREIMAS, A. J. Dicionário deSemiótica. São Paulo: Contexto, 2008.• LOPES, I. C.; TATIT, L. Elos de melodia e letra: análisesemiótica de seis canções. Cotia, SP: Ateliê Editorial,2008.• TATIT, L. Análise semiótica através das letras. SãoPaulo: Ateliê Editorial, 2001.• TATIT, L. Todos entoam: ensaios, conversas e canções.São Paulo: Publifolha, 2007.

×