Tópicos de parágrafos

11.175 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
11.175
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
394
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
232
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tópicos de parágrafos

  1. 1. Tópicos de parágrafosAntônio Suárez Abreu
  2. 2. Advertência Esta apresentação, com circulaçãointerna e para fins exclusivamentedidáticos, foi elaborada a partir deseleção de trechos das fontes citadas nabibliografia, a quem cabem todos oscréditos pelas informações aquiveiculadas.
  3. 3. Tópico de parágrafo edesenvolvimento O parágrafo é uma estrutura superior àfrase, que desenvolve, eficazmente, umaideia-núcleo. Apesar disso, o parágrafo não deve seruma camisa de força do texto.
  4. 4. Tópico de parágrafo edesenvolvimento Com um pouco de sensibilidade, todos nóssomos capazes de perceber o momento emque devemos fazer a transição entre umparágrafo e outro. Portanto, as informações que seguem sãoapenas balizas de orientação e não receitaspara serem seguidas ao pé da letra.
  5. 5. Início de parágrafo Othon Garcia, em Comunicação em ProsaModerna, propõe uma série de inícios deparágrafo, que denomina de tópicos frasais. A expressão tópico de parágrafo é melhorque a expressão tópico frasal, que poderemeter a termos em destaque dentro dasfrases, o que não é o objetivo deste estudo.
  6. 6. Tópicos de parágrafo Os tópicos de parágrafo principais aglutinam-se em quatro tipos básicos: declaração inicial alusão histórica interrogação omissão de dados identificadores
  7. 7. Declaração inicial Geralmente ocorre no mundocomentado (argumentação). Como o próprio nome indica, trata-se deiniciar o parágrafo fazendo umadeclaração.
  8. 8. Declaração inicial Exemplo: O hábito de correr, benéfico para ocoração, os pulmões e a manutenção daforma física, também origina sériosproblemas, principalmente ortopédicos.
  9. 9. Alusão histórica Geralmente ocorre no mundo narrado(narração). Trata-se de iniciar um parágrafo fazendoalusão a um fato acontecido, real oufictício.
  10. 10. Alusão histórica Exemplo: Em algum dia perdido na noite dostempos, há cerca de seis mil anos, ohomem lançou seu primeiro barco naágua, e, flutuando, movimentou-se aprimeira vez fora de terra firme.
  11. 11. Interrogação A ideia-núcleo do parágrafo é colocadapor intermédio de uma pergunta. Seu desenvolvimento é feito porintermédio de uma resposta à pergunta.
  12. 12. Interrogação Exemplo: De que maneira uma nação podeconciliar seu desenvolvimento com umapesada dívida externa?
  13. 13. Omissão de dadosidentificadores Pouco utilizado. Visa criar um certo suspense no leitor,por intermédio da ocultação de elemen-tos que somente vão aparecer nodesenvolvimento do parágrafo.
  14. 14. Omissão de dadosidentificadores Exemplo: De uns tempos para cá, tem surgido umelemento novo no cenário político nacional.Extremamente movediço, ele sempre apareceonde menos se espera. Se o espreitamos, elese esconde, em hibernação cautelosa.
  15. 15. Desenvolvimento do parágrafo O desenvolvimento do parágrafodependerá, obviamente, da macro-estrutura do texto. Há certos tipos de desenvolvimento maisadequados ao texto argumentativo.
  16. 16. Desenvolvimento do parágrafo Serão exemplificadas algumas possi-bilidades de desenvolvimento a partir deum mesmo tópico de parágrafo, que é: A vida agitada das grandes cidadesaumenta o índice de doenças docoração.
  17. 17. Desenvolvimento por detalhes A vida agitada das grandes cidadesaumenta o índice de doenças docoração. O tráfego intenso, o ruído dotráfego, as preocupações geradas pelapressa, o almoço corrido, o horário deentrar no trabalho, tudo isso abala aspessoas, produzindo o stress que atacao coração.
  18. 18. Desenvolvimento por definição A vida agitada das grandes cidades aumenta oíndice de doenças do coração. Vida agitada éaquela em que o indivíduo não tem tempopara cuidar de si próprio, mercê doscompromissos assumidos e do tempo exíguopara cumpri-los. Entre as doenças do coração,a mais comum é a que ataca as artériascoronárias, assim chamadas porque envolvemo coração, como uma coroa, para irrigá-lo emtoda a sua topologia.
  19. 19. Desenvolvimento por exemploespecífico A vida agitada das grandes cidades aumenta o índice dedoenças do coração. Imaginemos um chefe de famíliaque deixa a sua casa, às 6h30 da manhã. Logo de início,tem de enfrentar a fila da condução. A angústia dademora: será que vem ou não vem o ônibus? Finalmente,vem. Superlotado. Sobe ele, aos trancos, e logo enfrentaa roleta. - Troco? - Não tem troco pra cem. - Espera umpouco pra passar na roleta. - Agora tem, pode passar.Finalmente o ponto de descida. O relógio de ponto. Emcima da hora. Nesse momento, o relógio do coração donosso amigo já passou do ponto. Está acelerado. Suascoronárias sofrem sob o impacto do stress e entram emdébito de fluxo sanguíneo.
  20. 20. Desenvolvimento porfundamentação da proposição A vida agitada das grandes cidades aumenta oíndice de doenças do coração. Somente naúltima década, segundo informações daSecretaria de Saúde do Estado de São Paulo,o paulistano se infartou vinte vezes mais doque no decênio anterior. O stress causadopela vida intensa acelera os batimentoscardíacos, por intermédio da injeçãoexagerada de adrenalina, e apressa osurgimento dos problemas do coração.
  21. 21. Desenvolvimento porcomparação A vida agitada das grandes cidades aumenta o índice dedoenças do coração. Imagine o leitor, por exemplo, umautomóvel dirigido suavemente, com trocas de marcha emtempo exato, sem freadas bruscas ou curvas violentas. A vidaútil desse veículo tende a prolongar-se bastante. Imagineagora o contrário: um automóvel cujo proprietário se comprazem arrancadas de "cantar pneus", curvas no limite deaderência, manchas esticadas e freadas violentas. A vida útildeste último tende a decair miseravelmente. O mesmopodemos fazer com nosso coração. Podemos conduzi-lo comdoçura, em ritmo de alegria e de festa, ou podemos tratá-loagressivamente, exigindo-o fora de seu ritmo e de seu tempode recuperação.
  22. 22. Bibliografia ABREU, Antônio Suárez. Curso deredação. 12. ed. São Paulo: Ática, 2008.

×