Teoria da influência [efeitos limitados]

1.964 visualizações

Publicada em

Teoria da influência [efeitos limitados]

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.964
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
10
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
32
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Teoria da influência [efeitos limitados]

  1. 1. ABORDAGEM SOCIOLÓGICA “(…) defende que a eficácia da comunicação de massa está largamente associada e depende de processos de comunicação não provenientes dos mass media e que existem no interior da estrutura social em que o indivíduo vive (WOLF, 1997, p. 56).
  2. 2. INTRODUÇÃO - Origem do debate: capacidade dos meios de comunicação de massa de influenciar o público - limitações do modelo Estímulo-Resposta - Abordagem sociológica
  3. 3. PALAVRAS-CHAVE - Abordagem hipodérmica = manipulação - Abordagem psicológica-experimental = persuasão - Abordagem empírica de campo = influência TEORIA DA INFLUÊNCIA
  4. 4. “O ‘coração’ da teoria sobre os mass media ligada à pesquisa sociológica de campo consiste, de facto, em associar os processos de comunicação de massa às características do contexto social em que esses processos se realizam” (WOLF, 1997, p. 47) Processos de comunicação contexto social
  5. 5. PERGUNTA-CHAVE “O que essa mensagem significa para o receptor?” - Análise de conteúdo: a partir da investigação do conteúdo, pode-se inferir as possíveis conclusões do receptor - Características dos ouvintes: a partir da investigação das características de grupos de ouvintes, é possível identificar padrões de relação entre determinados grupos e perfis de mensagens - Estudos sobre as satisfações: de maneira complementar, pode-se perguntar ao receptor o que a mensagem significa para ele
  6. 6. - Em foco: estudo do tipo de consumo que diferentes públicos fazem dos meios de comunicação de massa - Preferências por um determinado meio ou gênero estão associadas a estratificações sociais (hábitos de consumo) - Idade, sexo, profissão, classe social, nível de escolaridade, etc. são variáveis relevantes
  7. 7. “(…) para se compreender as comunicações de massa, é necessário centrar a atenção no âmbito social mais vasto em que essas comunicacões operam e de que fazem parte” (WOLF, 1997, p. 50). Ou seja… “Mais ainda do que o conteúdo que difundem, a sua influência (mass media) depende das características do sistema social que os rodeia” (WOLF, 1997, p. 51).
  8. 8. PROCESSO DE INFLUÊNCIA - Processo de influência ocorre de forma indireta, via contexto social - A importância dos “líderes de opinião”: . Indivíduos dotados de mais informação do que os demais . Indivíduos mais envolvidos com a intenção da mensagem . Indivíduos dotados de potencial para influenciar os demais do grupo alvo
  9. 9. LÍDERES DE OPINIÃO Líderes de opinião e a formação de preferências que se refletem em atitude: . Indivíduos capazes de transformar tendências latentes em ação (efeito de ativação) . Indivíduos capazes de consolidar decisões tomadas (efeito de reforço) . Indivíduos capazes de converter decisões tomadas (efeito de conversão)
  10. 10. LÍDERES DE OPINIÃO Da teoria hipodérmica Ao Fluxo de comunicação em dois níveis: rede de interações
  11. 11. “Se é certo que aqueles que se revelam mais indecisos nas suas atitudes de voto são também os que se expõe menos à campanha dos mass media, os contatos pessoais são mais eficazes do que os mass media, precisamente porque podem atingir mesmo aqueles que, potencialmente, estão mais predispostos a mudar de atitude. Se a comunicação de massa depara, inevitavelmente, com o obstáculo da exposição e percepção seletivas, a comunicação interpessoal, pelo contrário, ostenta um maior grau de flexibilidade perante as resistências do destinatário” (WOLF, 1997, p. 54-55).

×