COBRIAGEM – NIQUELAGEM
                                                                                                   ...
opinião         2
          crónica ao acaso                                                                              ...
coimbra 3

Ponte Europa é uma “ofensa aos contribuintes” Enfermeiros do CHC
Nuno Freitas demarca-se da obra Administração ...
coimbra        4
Cirurgia Cardiotoráxica dos HUC                                                 Festa de Natal juntou miú...
comercial 5
                                                                                                              ...
O Despertar – 8266 – 7.01.2004
O Despertar – 8266 – 7.01.2004
O Despertar – 8266 – 7.01.2004
O Despertar – 8266 – 7.01.2004
O Despertar – 8266 – 7.01.2004
O Despertar – 8266 – 7.01.2004
O Despertar – 8266 – 7.01.2004
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

O Despertar – 8266 – 7.01.2004

1.412 visualizações

Publicada em

Versão integral da edição n.º 8266 do bi-semanário “O Despertar”, que se publica em Coimbra. Ao tempo dirigido por Artur Almeida e Sousa. Anunciava-se a passagem a passagem a semanário já a 12 de Janeiro, passando a publicar-se às sextas-feiras (antes era publicado às quartas e sextas). No entanto essa alteração viria apenas a verificar-se na edição 8283, de 12 de Março de 2004. Jornal fundado em 1917. 7.01.2004.

Visite outros sítios de Dinis Manuel Alves em www.mediatico.com.pt ,
www.youtube.com/mediapolisxxi, www.youtube.com/fotographarte, www.youtube.com/tiremmedestefilme, www.youtube.com/discover747 ,
http://www.youtube.com/camarafixa, , http://videos.sapo.pt/lapisazul/playview/2 e em www.mogulus.com/otalcanal
Ainda: http://www.mediatico.com.pt/diasdecoimbra/ , http://www.mediatico.com.pt/redor/ ,
http://www.mediatico.com.pt/fe/ , http://www.mediatico.com.pt/fitas/ , http://www.mediatico.com.pt/redor2/, http://www.mediatico.com.pt/foto/yr2.htm ,
http://www.mediatico.com.pt/manchete/index.htm ,
http://www.mediatico.com.pt/foto/index.htm , http://www.mediatico.com.pt/luanda/ ,
http://www.biblioteca2.fcpages.com/nimas/intro.html

Publicada em: Negócios, Design
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.412
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
20
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O Despertar – 8266 – 7.01.2004

  1. 1. COBRIAGEM – NIQUELAGEM Hoje CROMAGEM – ZINCAGEM SERRALHARIA CIVIL SOLDADURAS A ELECTROGÉNEO “O que ficou por ver” AUTOGÉNEO E ALUMÍNIO Está a decorrer no Teatro Académico REPARAÇÃO DE JANTES Gil Vicente (TAGV), em Coimbra, o EM FERRO E ALUMÍNIO Ciclo de Cinema intitulado “O que ficou por ver em Coimbra”, Rua Pedro Roxa, 27 a 31 organizado pela Fila K.cineclube/ Director: Artur Almeida e Sousa 3000-330 COIMBRA TAGV. Este ciclo prossegue hoje, às FUNDADO EM 1917 Tel. 239 85 27 10/11/12 21.30 horas, com o filme “Mulher INSTALAÇÕES PRÓPRIAS: Fax 239 85 27 19 polícia”, realizado por Joaquim BI-SEMANÁRIO REPUBLICANO INDEPENDENTE Email: despertar@netc.pt Sapinho. RELVINHA PORTE PAGO Telef. e Fax: 239 825 294 3020-365 COIMBRA Quarta feira • 7 de Janeiro de 2004 • Ano 86 • N.º 8266 – 0,50 Cursos sócio culturais A Junta de Freguesia de Ceira vai realizar diversos Cursos Sócio Culturais nos lugares do Cabouco, Ministério promete estudar alternativa Ceira, Lagoas, S. Frutuoso e Vendas de Ceira. Participam, anualmente, nestes cursos mais de 150 formandos de diferentes escalões etários, que à queima de lixo na região Centro procuram ocupar os tempos livres e reviver o passado, aprendendo artes tradicionais que outrora eram transmitidas de geração em geração. Os cursos são gratuitos e decorrem de Janeiro a Junho, culminando com uma exposição de trabalhos na CEIRARTE, de 10 a 13 de Junho. São ministrados por monitoras de Ceira que vão ensinar a fazer arraiolos, trabalhos com escamas de peixe, flores de meias de vidro e craclê, diversos tipos de bordados, trabalhos tridimensionais e estanho e artes decorativas para a casa de habitação, que poderão ir desde os retalhos, as rendas ou bordados, à pintura de figuras em gesso ou ao tratamento de gravuras. Reunião do Senado O Senado da Universidade de Coimbra reúne hoje, pelas 15 horas, na Reitoria da Universidade de Coimbra. Da ordem de trabalhos consta a aprovação das actas das reuniões anteriores, informações, licenciaturas, mestrados e pós- -graduações, quadros de pessoal docente e regulamento do Senado. Amanhã Concerto de Ano Novo No Teatro Académico de Gil Vicente decorre amanhã, a partir das 21.30 horas, o primeiro dos concertos de Ano Novo da Fundação Bissaya Barreto (FBB). Este concerto conta com a presença do pianista Sequeira Página 8 Costa, com a Orquestra Nacional do Porto, dirigido pelo Maestro Marc Tardue. Depois de um ano de 2003 em revista (Junho, Julho e Agosto) múltiplas realizações culturais produzidas no âmbito da Coimbra Capital Nacional de Cultura, a FBB Panteão em Santa Cruz, incêndios descontrolados Páginas centrais quer continuar a contribuir para manter na cidade o dinamismo que se gerou com este evento, estimulando o interesse continuado tanto dos agentes de produção cultural como dos públicos. A receita deste espectáculo vai reverter a favor da Associação Sol, que tem desenvolvido um trabalho notável em prol das crianças vítimas do vírus HIV. Medalha de mérito A Câmara Municipal de Coimbra vai homenagear amanhã, pelas 21 horas, na Sociedade de Recreio Alma Lusitana, em Santa Clara, José Cristiano Simões de Almeida, com a atribuição da medalha de mérito cultural. Quintas “In Vivo” “A saúde que se vê – na saga da imagem abusiva” é o tema de mais CHC recua na dispensa Cinema fantástico Duas ambulâncias uma tertúlia das “Quintas ‘In Vivo’”. Este debate decorre amanhã, na Sala de enfermeiros em ciclo no Gil Vicente para bombeiros de Góis Multimédia do Instituto de Estudos Jornalísticos, no antigo Colégio S. Página 3 Página 11 Página 8 Jerónimo, a partir das16 horas. A entrada é livre. Este ciclo de tertúlias é organizado pela revista de saúde “In Vivo”/Mar da Palavra Edições, Académica perde e aproxima-se da linha de água Páginas 3 e 9 Lda e Instituto de Estudos Jornalísticos da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra.
  2. 2. opinião 2 crónica ao acaso de vez em quando... ritérios sobre a História (I) José Marques Dias Ferreira Manuel Bontempo épocas, no sentido científico embora o historiador tenha sempre em atenção toda a dedução como ciência O presépio, o homem e o artista Penso que a História tem de ser con- de cálculo do que devia ter acon- pessoas. Durante alguns anos o Grupo tada, comentada, com pertinência, tecido ou poderá acontecer. ADIFER de Arqueologia e Arte do Centro onde o pensamento de Pascal sobre a É também recordações recriadas (GAAC), organizava concursos de beleza poética ou dos seres ou das pelo investigador tirando da mancha Foi no ano de 1993 do mês de Dezem- presépios, na quadra natalícia, onde o coisas, não fique equidistante dos do nevoeiro ou do completamente bro, portanto há 10 anos, que escrevi presépio de José Dias Ferreira era sempre contemporâneos, da gente do nosso esquecido o entusiasticamente in- neste jornal, o mais antigo de Coimbra, lembrado, depois nunca mais foi tempo, usando o historiador ou vestigado, amado ou sugestivo. uma longa entrevista, com o título visitado, onde teve tantos anos a investigador as ciências relativas à Parte dos historiadores ou os acima indicado. honrosa presença do seu presidente dr. descoberta do facto que se transforme curiosos pelo facto histórico são Como estamos na quadra natalícia, Mário Nunes. em ser vivo, cognoscível pela lin- como revolucionários da investi- lembrei-me do meu irmão José Dias O artista ainda vive e recorda-se guagem específica e pela verdade. gação e no silêncio do estudo e da Ferreira, como artista e como Homem. de tantos elogios, que lhe foram de- A História e, também, razões que pesquisa, mergulham em outros É sempre com grande satisfação e dicados pelo GAAC, sendo depois forçam que a atracção exercida pelo mundos, dissolvem-se neles e teste- prazer falar de artistas da nossa terra. atirado para o “canto dos esquecidos”. “historiador” tem de tomar em conta munham em estranhas clarividências, Quem não conhece a obra riquís- Ainda me recordo de um artigo factores que favoreçam a beleza da umas mais verdadeiras outras menos sima do mestre José Dias Ferreira? publicado no jornal “O Primeiro de verdade. rigorosas, mas em espantosa força Felizmente ainda se encontra entre nós, Janeiro” do ano de 1974, sob o título: Um dos pontos interessantes da anímica, na fértil sementeira que é o apesar dos seus 85 anos, conhece todos “Presépio monumental em quarto de História, seja lá o que ela for, tempo passado que vem até nós em páginas aqueles que o visitam e recorda a sua dormir”. Um artigo extenso, que vale a ou espaço, é precisamente a demons- produtivas para a cultura humana. paixão, apesar de estar afastado da sua pena realçar estas palavras: “Sempre tração singela, pertinente e exaustiva, E o curioso é a imprensa tantas vida profissional, que foram perto de que, em anos anteriores, tem havido da adaptação de épocas recuadas ou vezes ser um laboratório onde se faz 60 anos, apresentando as suas mara- concursos de presépios, ele ganhou na mais contemporâneas a datas, pessoas, recolha e nunca desprezada para vilhosas obras, procurando e conse- José Dias Ferreira merecia mais da competição, a ponto de ter deixado de feitos, significações sociais e cultu- quem faz investigação histórica, mor- guindo com a sua criatividade, o seu Edilidade, porque os artistas têm de concorrer. Há muita gente, incluindo rais, políticas e económicas, tempe- mente, história mais contemporânea. empenho, a beleza, estética dos livros, ser reconhecidos pelo trabalho que crianças das escolas, que, por esta altura, ramentos psicológicos tão marcados A contribuição da imprensa é um que lhe passaram pelas suas mãos e que deixam na vida lhe entram pelo quarto para ver que fizeram “histórias” da História, fundo desta mudança da linguagem hoje estão espalhados pelo mundo! encantadamente, as maravilhosas na viabilidade da continuidade, que mais vulgar no desenrolar de factos Quando o visito, agarra-se a mim, Coimbra”, em Dezembro de 1993, sugestões natalícias, que se desprendem ainda hoje, acontecimentos medie- urbanos, que são históricos, muitas comovido e diz-me sempre assim, com escreveu um extenso artigo, referente da profusão de figuras distribuídas pelos vais, ou de outros tempos antes de vezes, onde se fixa uma determinada a voz um pouco trémula: “meu querido ao presépio de José Dias Ferreira, diversos arruamentos e com um Cristo, a Renascença com todo o seu teologia reformadora ou a fixação irmão” e olho para as suas mãos, com dizendo a certa altura: “A história mun- estábulo servindo de maternidade, da fascínio, são possibilidades da nossa conceptual. dedos compridos e penso assim para dial, ajusta-se ao poder criativo e que terá sido há dois milénios, a terra acção mental no caminho incessante O verbo da imprensa é mais lato mim: “que mãos maravilhosas que nos sonhador de José Dias Ferreira. Pre- natal de Cristo.” da descoberta histórica. e importante do que muitos “intelec- deixaste uma obra tão bela e felizes miado, diversas vezes, inscrito na Falando, novamente da entrevista, A História, por outro lado, não tuais de cartilha” supõem. daqueles, que as têm nas suas estantes e Associação dos Amigos dos Presépios, que fiz ao meu irmão José Ferreira em pode esquecer os ingredientes da his- Se é certo que há um balanço nos seus lares”. organização sediada em Roma, mere- 22 de Dezembro do ano de 1993, para tória literária e crítica e das vontades relativo eventualmente aos méritos da Todos os jornais portugueses e não ceu numa revista italiana da especia- fechar a nossa conversa, nas colunas singulares em comunhão com a imprensa, tantas vezes subjacente à só, rádio, televisão, elogiaram a sua lidade muitos elogios, etc.”. O dr. Mário deste jornal, procurei-lhe assim: “Um verdade. ideia, que muitos pensam banal ou vastíssima vida do artista, como Nunes, escreveu muitas vezes sobre a dia que deixes o presépio, devido a falta Será mesmo o conhecimento das contributo frívolo, a imprensa é para dourador, durante longos anos e pela obra do mestre José Ferreira, como de saúde, o que fazes àquilo que tanto atmosferas, das circunstâncias pes- muitos historiadores um espaço de paixão dos presépios, desde criança. dourador e artista do seu presépio. amor tens dedicado? Resposta soais envolventes duma época, ou gravitação importante. O dr. Mário Nunes, no “Diário de Depois, vão-se esquecendo as imediata: “Quero que seja doado a uma Instituição de Caridade e cujo produto da sua visita, seja para auxiliar crianças pobres e deficientes, porque a visita do meu presépio, durante todos estes anos Mais uma vitória da Igreja Católica vaca! E disse mais: sentiu pena ao ver foi livre e nunca tive qualquer lucro, mas sim grandes despesas, mas tudo isto aquele homem destruído, tratado me tem dado uma alegria enorme, social e da classe jornalística, que criticado aos militares de Saddam como uma vaca a que se examinam os porque o meu lema é dar a todos os que Hélio Bernardo Lopes qualquer coisa de mais sensacional tem Hussein, e para mais no decurso de um dentes. E ainda: teve um sentimento o têm visitado, uma perspectiva de sempre de dar à estampa, de modo a ir acto médico, com a exemplar ex- de compaixão, esperando que outros grande amor espiritual.” É interessante constatar o quão pouco conseguindo maiores audiências. cepção de Mário Soares. Se Paulo o tivessem igualmente experimentado. se abordou, por todas as conversas Acontece que me encontrava em Portas precisasse de um indicador mais Mário Soares, como se pôde ver bem, A Câmara Municipal de Coimbra, correntes, a recente captura de Saddam casa de meu filho, nora e neto, prestes fiel de espírito de lucidez, de justiça e teve também esse mesmo sentimento, concedeu em 13 de Dezembro de 1992, Hussein. É certo que foi tema de a jantarmos, quando pela primeira vez da verdadeira e boa modernidade de tal como eu. Mas, e Paulo Portas? a Medalha de Vermeil, ao artista primeira conversa após cada encontro Acaso percebeu o abismo cultural que conimbricense, mas José Dias Ferreira visionei as imagens que os militares Soares, pois tem agora esta sua tomada o separa de Soares, agora que pudemos merecia mais da Edilidade, porque os de circunstância, mas não se foi mais norte-americanos fizeram correr de posição que, até, onde se sabe, é longe. Como sempre havia sido evi- ver os bons, nobres e naturais artistas têm de ser reconhecidos pelo dente, muito pouco provável seria que Mundo. E de pronto manifestei o meu única. sentimentos perante uma humilhação trabalho que deixam na vida e o livro é Saddam Hussein comandasse o que completo desacordo em face do que Mas também a Igreja Católica gratuita, que até viola a Convenção de um exemplo vivo que perdura numa quer que fosse. se mostrava. Para mais, no decurso de não deixou passar esta violação da Genebra? Ou, pelo contrário, telefonou biblioteca ou numa estante para toda a Todo o seu perfil pessoal e polí- um acto médico! Convenção de Genebra em branco, a Donald Rumsfeld a dar parabéns? É existência. O artista dourador da Alta tico para aí apontava. Infelizmente, por entre os nem aquela humilhação gratuita que essencial ser-se cristãmente humilde e de Coimbra, merecia mais e se lhe fosse O contrário porém, foi o que se políticos no exercício de funções por foi feita a um ser humano numa tão saber-se reconhecer-se a diferença concedida a Medalha de Ouro da deu com a generalidade dos políticos esse Mundo fora, nem um teve a limitante condição, que era a de ter de evidente entre zero e infinito! Cidade de Coimbra, não seria demais, de todo o Mundo que costumam coragem de apontar aquele vergo- viver nas condições que se puderam Estas palavras do cardeal italiano para um artista que tudo merece pelo opinar sobre quanto se passa pelo nhoso espectáculo de desumana ver. Pela voz do cardeal Renato do Vaticano mostraram como a Igreja trabalho que deixa às gerações nosso planeta. E também com a violação da Convenção de Genebra, Martino, pudemos saber que este viu católica vai bem à frente da grande vindouras. grande generalidade da comunicação que tanto os norte-americanos haviam tudo aquilo como se se tratasse de uma generalidade dos políticos deste nosso Façam-se as homenagens em vida Mundo. Sobra Soares, de um mínimo aos artistas, porque depois as póstumas punhado de homens de honra e da já não têm o valor solene e o sentir do VENDE-SE, VIVENDA velha guarda humanista. Vamos mal! próprio homenageado. AGÊNCIA FUNERÁRIA na Encosta da Quinta ADELINO MARTINS, LDA. da Romeira O ORGULHO DE BEM SERVIR DESDE 1940 4 suites; 3 salões; solário; 2 cozinhas, sendo uma rústica; 7 casas de banho. FUNERAIS – FLORES – TRASLADAÇÕES Piscina com telheiro de apoio. Ar IMOBILIÁRIA PATROCÍNlO TAVARES, S. A. Condicionado e Aquecimento Central. SERVIÇO PERMANENTE Jardins c/ sistema de rega automática. – CONSTRUÇÃO CIVIL – COMPRA, VENDA DE PROPRIEDADES Telefs. 239 824 825 - 239 820 406 Contacto: Tlm. 962 542 078 Rua da Sofia, 175 C 3000 COIMBRA R. Corpo de Deus, 118-120 3000 COIMBRA Tel. 239 963 851 Tels. 2 39 854 730 Fax 239 854 735 Redacção e Administração: Denominação Social: Oficinas Gráficas: Rua Pedro Roxa, 7-1.º ANTÓNIO DE SOUSA (HERDEIROS), LDA. Rua Pedro Roxa, 27 a 31 Composição, Montagem e Tel. 239 85 27 10/11/12 - Fax 239 852 719 Contrib. N.º 502 137 258 - Cap. Social: 7.481,97 Euros Tel. 239 85 27 10/11/12 Impressão nas Oficinas BI-SEMANÁRIO Gerência: Gráficas de “O Despertar” Jornalistas: Fax 239 85 27 19 (Sai às quartas e sextas feiras) Artur Almeida e Sousa; Lúcia Maria Sousa Correia Tiragem média no mês de Artur Almeida e Sousa - CP n.º TE-628 Dezembro 15.000 Exemplares Número de Registo 100117 Zilda Monteiro - CP n.º 7937 e José Carlos Antunes Email: despertar@netc.pt 7/01/04
  3. 3. coimbra 3 Ponte Europa é uma “ofensa aos contribuintes” Enfermeiros do CHC Nuno Freitas demarca-se da obra Administração recua e recusa ir à inauguração no despedimento PP/PPM disse discordar da localiza- Nuno Freitas respondeu vincando que O Sindicato dos Enfermeiros O vereador da maioria da ção da Ponte Europa (que liga as dava “a Ponte Europa toda ao PS”. Portugueses (SEP) Câmara de Coimbra Nuno Lages à Boavista) e considerou uma A construção desta travessia anunciou anteontem que a Freitas anunciou anteontem “ofensa aos contribuintes” o seu sobre o Rio Mondego em Coimbra custo. sofreu vários atrasos, excedeu o limite administração do Centro a intenção de não “Com 11 milhões de contos [cer- de 50 por cento do sobrecusto e Hospitalar de Coimbra comparecer na inauguração ca de 55 milhões de euros] tinham-se chegou a estar suspensa devido a (CHC) encontrou uma da Ponte Europa, alegando feito cinco pontes urbanas em Coim- problemas técnicos, prevendo-se bra”, sublinhou Nuno Freitas que, em agora a sua inauguração para dentro solução para evitar a tratar-se de uma travessia declarações à agência Lusa, escla- de cinco meses. cessação de contratos com “péssima” para a cidade. receu tratar-se de uma posição assu- Na reunião de segunda feira, o oito profissionais mida a título pessoal. Executivo camarário aprovou, por “Não estarei nem quero estar [na A questão da obra da Ponte Eu- unanimidade, o projecto de estatutos considerados imprescindíveis inauguração], não quero ter nada a ropa, que deverá estar concluída antes da futura Grande Área Metropolitana àquela unidade. ver com aquilo”, afirmou o autarca do Euro 2004, fora levantada pelo de Coimbra (GAMC). ao intervir na reunião semanal do vereador da oposição Luís Vilar (PS), Cantanhede, Coimbra, Condei- “Em poucos dias o conselho de Executivo camarário. a propósito de um texto publicado xa, Figueira da Foz, Góis, Lousã, administração do CHC, depois da Na opinião de Nuno Freitas, é no mesmo dia num matutino de Mealhada, Mira, Miranda do Corvo, reunião com o SEP, no passado dia “uma ponte péssima para a cidade de Coimbra sobre a matéria. Montemor-o-Velho, Penacova, Pe- 29 de Dezembro, num «volte-face», Coimbra, é uma vergonha: uma ponte “É uma obra da administração nela, Soure e Vila Nova de Poiares são encontrou solução para o não despe- que não tem ponta por onde se lhe central, que nada tem a ver com a au- os municípios fundadores da nova dimento dos enfermeiros (que já pegue”. tarquia e que o PSD nunca quis”, estrutura, de acordo com o projecto tinham recebido carta de despedi- O vereador da coligação PSD/ afirmara o autarca socialista, ao que de estatutos. mento [a partir de 1 de Janeiro])”, re- velou o coordenador do SEP em Coimbra, Paulo Anacleto. Em comunicado divulgado, o Ministro da Educação demite director dirigente sindical congratula-se por o “bom senso ter imperado para a salvaguarda do direito ao emprego” de administração do Centro Hos- regional adjunto do Centro e frisa que a carência de enfermeiros “é por demais unanimemente reco- nhecida”. pitalar de Coimbra referira não existir solução para estes casos mas, no dia seguinte, garantiu que os enfermeiros “Neste contexto era completa- iriam permanecer na instituição. rência de imprensa a existência de denador do SPRC. mente inadmissível que não se Com contrato a termo certo há O Ministério da Educação irregularidades na colocação de duas No total, o SPRC denunciou 13 decidiu a “imediata cessação encontrasse a forma de manter estes cerca de dois anos, os oitos enfer- professoras em Aveiro e Viseu, mas casos de alegadas irregularidades, mas enfermeiros, «imprescindíveis» nas meiros mantêm-se nos diversos de funções” do director lamentou que o SPRC tenha invocado apenas os das escolas básicas do 2/o e palavras do conselho de adminis- serviços das três unidades que inte- outros casos por “má fé”, pois todos 3.º ciclos Azeredo Perdigão, em Viseu, regional adjunto do Centro eles “estão ao abrigo da lei”. e Aires Barbosa, em Aveiro, foram tração do CHC, para a prestação de gram o CHC: Hospital Geral (Covões), na sequência das conclusões cuidados aos doentes”, sustenta. Maternidade Bissaya Barreto e “Provavelmente, o ministro está investigados pela Inspecção- - Segundo a nota, “aquilo que Hospital Pediátrico de Coimbra, de um inquérito à colocação com este discurso para desviar as Geral de Educação, que determinou a parecia o despedimento certo de oito adiantou Paulo Anacleto. de professores em Aveiro e atenções do Ministério e tentar que não demissão do director regional adjunto enfermeiros em Janeiro deste ano e Segundo um estudo recente do se saiba o que acontece em re-lação do Centro, António Vicente Figueiredo, de mais 33 durante todo o ano de Departamento de Recursos Humanos Viseu, disse na semana aos restantes casos”, afirmou aos e a abertura de processos disciplinares 2004 já não vai acontecer”. do Ministério da Saúde, a carência de passada fonte jornalistas Mário Nogueira, coor- aos responsáveis envolvidos. De acordo com o coordenador enfermeiros nos três estabelecimentos governamental. regional do SEP, num primeiro do Centro Hospitalar de Coimbra é contacto após a reunião, o conselho de cerca de 300 profissionais. O inquérito conduzido pela Inspecção-Geral da Educação (IGE) NOTARIADO PORTUGUÊS “provou a deficiente e fraudatória prestação de informação [de António CARTÓRIO NOTARIAL DE PENELA Braga conquista três pontos Vicente Figueiredo] ao seu superior Certifico, para fins de publicação que QUE se encontra descrito, a parte hierárquico e aos membros do governo no dia 4 de Dezembro de 2003, exarada a urbana, na Primeira Conservatória do responsáveis pelo Ministério da Educação”, acrescentou a mesma fonte. O secretário de Estado da Admi- folhas 21 e seguintes, do livro de notas para escrituras diversas n.º 160-C, deste Cartório, a cargo da Notária Lic. Maria Cândida da Costa Pereira Leal de Bulhões, Registo Predial de Coimbra, sob o número mil quatrocentos e quarenta, freguesia de Santa Clara e ainda sem qualquer inscrição de aquisição em vigor. Académica não vence nistração Educativa, Abílio Morgado, pediu o inquérito após a denúncia de alegado favorecimento na colocação de duas professoras nas escolas básicas foi feita uma escritura de JUSTIFICAÇÃO, na qual: Dr. POLYBIO SERRA E SILVA e mulher ISABEL MARIA FERREIRA MAIA DA SILVA QUE adquiriram o dito prédio, por contrato de compra e venda, não titulado, no ano de mil novecentos e setenta e oito, a António Manuel Barata Portugal, residentes há cinco jogos 2/3 de Azeredo Perdigão, em Viseu, e SERRA E SILVA, casados sob o regime de que foi em Coimbra, como cabeça de casal der, de livre directo, levou a bola a Aires Barbosa, em Aveiro. comunhão de adquiridos, ele natural da da herança aberta por óbito de Joaquim O Sporting de Braga subiu rasar a barra da baliza, com Pedro As conclusões do inquérito freguesia e concelho de Penacova, ela da Simão Portugal e mulher Alice dos Anjos anteontem ao quarto lugar Roma a limitar-se a seguir a trajectória conduzido pela Inspecção-Geral de Sé Nova, concelho de Coimbra, onde são Dinis Barata Portugal, residentes que foram da Superliga de futebol do esférico. Educação, que foram apresentadas residentes na Casa do Pinhal, Quinta do na Quinta do Canal, hoje já falecidos, nunca A Académica entrou melhor na pelo ministro David Justino na terça Canal – freguesia de Santa Clara, lugar de tendo podido reduzir a escritura pública o mercê da vitória frente à Banhos Secos – concelho de Coimbra, c.n.º referido contrato. segunda metade e Marcelo, aos 49 feira da semana passada, vão, para além Académica em Coimbra, por minutos, viu o internacional portu- 171.144.813 e 125.586.833, respectiva- QUE possuem o prédio, em nome da “cessação imediata de fun-ções” de mente, prestaram as seguintes declara- próprio, há mais de vinte anos, sem 1-0, enquanto os guês Quim negar-lhe o empate, António Vicente Figueiredo, desviando com uma palmada acro- desencadear um processo discipli- nar. ções: interrupção nem oposição de quem quer “estudantes” cumpriram o QUE são donos e legítimos possui- que seja e com o conhecimento da bática o cabeceamento do avançado No seu despacho, o ministro da dores, com exclusão de outrém do prédio generalidade das pessoas da região, quinto jogo consecutivo sem da Briosa. Educação escreve que “por ter ficado seguinte situado no lugar da Quinta do habitando o urbano, fazendo nele obras de vencer. Nuno Luís, de fora da área, aos provado a deficiente e fraudatória Canal, aos Banhos Secos na freguesia de acabamento e ampliação, cuidando do 58 minutos, rematou a rasar o poste prestação de informação ao seu su- Santa Clara, concelho de Coimbra: UR- relvado e do jardim, onde fizeram construir O único golo da partida foi direito da baliza contrária e dois perior hierárquico e aos membros do BANO, composto de casa de habitação de uma piscina, usufruindo-a e fazendo-lhe a cave, rés do chão e primeiro andar, anexo necessária manutenção específica. apontado aos 23 minutos por Igor, a minutos volvidos foi a vez de Delmer, governo responsáveis pelo Ministério finalizar um contra-ataque iniciado no meio dos centrais bracarenses, e logradouro, com a superfície coberta de QUE estes actos demonstram uma da Educação” é ordenada a “imediata trezentos metros quadrados, anexo com posse pública, pacífica e contínua e pelo holandês Wooter, que descobriu cabecear fraco para defesa fácil de cessação da comissão de serviço de piscina, com oitenta metros quadrados, e integram a figura jurídica da USUCAPIÃO, o avançado “arsenalista” solto na Quim. António Vicente Figueiredo”. terreno com pinheiros, com a área de quatro modo pelo qual eles, primeiros outorgantes, direita, rematando este sem hipóteses O Braga limitou-se depois a gerir mil seiscentos e vinte metros quadrados; adquiriram o prédio, mas que não podem para Pedro Roma, perante a passivi- a vantagem até final, mas podia ter SPRC lamenta não ter sido Inscrito na matriz da dita freguesia de Santa comprovar pelos meios extrajudiciais dade da defesa da Académica. chegado ao 2-0 aos 80 minutos, na elogiado por ministro Clara, em nome do Justificante marido, sob normais. A equipa da casa acusou o golo sequência de um rápido contra- o artigo 2.408, cuja parte urbana provem e viu o Braga perder por duas vezes, -ataque iniciado por Henrique que O Sindicato de Professores da Região dos artigos urbanos 90 e 91 – já ESTÁ CONFORME. anteriormente inscritos a Agosto de mil Cartório Notarial de Penela, aos 4 ainda na primeira parte, a hipótese de Wender, na pequena área, falhou Centro (SPRC) lamentou ter sido aumentar a diferença no marcador. desastradamente quando só tinha novecentos e cinquenta e um e a parte de Dezembro de 2003. criticado pelo ministro da Educação, rústica, anteriormente inscrita sob o artigo Aos 31 minutos, após remate de Pedro Roma pela frente. David Justino, por denunciar casos de 104, tudo fazendo parte da antiga Quinta A 2.ª Ajudante, Paulo Sérgio e defesa de Pedro Roma, A “Briosa” voltou a perder em colocações irregulares de docentes, ao do Canal. QUE o valor patrimonial do prédio (Ilda Maria Duarte Estrela Lopes) nem Wender nem Igor conseguiram casa e afundou-se na tabela classi- invés de receber elogios. é de 16.450,35 euros e a que atribuem igual bater o guardião academista. ficativa, ocupando a 15.ª posição na David Justino admitiu em confe- valor. “O Despertar”, N.º 8266, 04/01/07 Quatro minutos volvidos, Wen- tabela. 07/01/04
  4. 4. coimbra 4 Cirurgia Cardiotoráxica dos HUC Festa de Natal juntou miúdos e graúdos Equipa de Manuel Antunes “Brincando aprendendo” atinge 20 mil intervenções na Pequena Sereia Cerca de 70 crianças, das 80 que frequentam actualmente o jardim de infância “A Pequena Sereia”, festejaram com os seus familiares e amigos a quadra natalícia, numa festa onde os mais novos se deram a conhecer a si mesmos e a tudo aquilo que foram descobrindo e aprendendo ao longo do ano. À semelhança do que tem acon- tecido nos anos anteriores, a festa de Natal da “Pequena Sereia” ficou uma Muito generoso, o Pai Natal distribui prendas pelas crianças que frequentam “A Pequena Sereia” vez mais marcada pelo convívio e pela partilha entre as várias gerações as principais “estrelas” desta festa e para o teatro cantado, pelos mais que estiveram representadas nesta fizeram do dia 20 de Dezembro um novos, uma peça muito interessante festa e que encheram por completo o dia de magia, um verdadeiro hino à que foi orientada pela professora de auditório da Escola Secundária José alegria, entoado com todo o calor música da escola. A actuação do pulmonar, com uma taxa de sucesso Falcão. humano. mágico Luís Rodrigues também “de mais de 99 por cento”, referiu. As crianças que frequentam este Com um programa recheado de conquistou o público presente, ao A equipa de Cirurgia Cerca de dez por cento dos jardim de infância foram, sem dúvida, boas surpresas, organizado ao mínimo envolver os mais pequenos num Cardiotoráxica dos Hospitais pacientes submetidos às interven- verdadeiro ambiente de magia. da Universidade de Coimbra ções são crianças e o número inclui A animação pelo grupo “Casa dois transplantes cardíacos realiza- Abreu”, de Tentúgal, também merece (HUC) atingiu na quinta destaque já que, segundo Teresa dos por um serviço criado há cerca feira as 20 mil intervenções de um mês. Agostinho, gerente e fundadora da desde que a unidade foi “Quando os doentes chegam instituição, protagonizou um dos não temos limites”, observou o ci- “mais belos espectáculos musicais já criada, em 1988, disse na presenciados”. rurgião, que coordena uma equipa sexta feira à Lusa o director, de 106 pessoas (desde clínicos a A actuação das crianças mais o cirurgião Manuel Antunes. administrativos) integrada num velhas foi outro dos pontos altos desta centro de responsabilidade que fun- festa, já que, pegando na temática da “É um número recorde de um ciona com alguma autonomia reciclagem, as crianças levaram a serviço que tem a maior actividade financeira e administrativa relativa- palco um dos temas que mais preo- cirúrgica nesta área em toda a mente aos Hospitais da Universidade cupa a sociedade de hoje, procurando Península Ibérica”, afirmou Manuel de Coimbra, desde há cerca de quatro alertar e sensibilizar todos os pre- Antunes, acrescentando que o anos. sentes para que também eles assumam segredo para tal meta é “trabalho, Cerca de metade dos pacientes a responsabilidade pelo meio trabalho, trabalho”. que recorrem ao Centro de Cirurgia ambiente e para que contribuam para Só em 2003, a equipa liderada Cardiotoráxica dos HUC, que não um futuro mais saudável. por Manuel Antunes realizou 1.567 possui listas de espera, são prove- Teresa Agostinho realça a impor- intervenções dos foros cardíaco e nientes de zonas fora da região. Teresa Agostinho, muito divertida, ajuda o mágico Luís Rodrigues tância e o significado das crianças pegarem no tema da reciclagem e pormenor pelo corpo docente da lembra que um dos lemas da “Pequena instituição, a Festa de Natal procurou Sereia” é o de motivar e sensibilizar envolver todos aqueles que dão vida as crianças para os problemas da Operários da Sociedade de Porcelanas a este jardim de infância, desde os mais pequenos aos mais crescidos. “A Pequena Sereia” conta actual- sociedade actual. “Brincando aprendendo a res- peitar e a construir” é, no seu entender, mente com cerca de 80 crianças, com o caminho que todos devem seguir marcam greve contra deslocação idades compreendidas entre os seis e os 13 anos. Foram estas crianças que contribuíram para o sucesso desta desde a mais tenra idade. Defende também que o lema da instituição continua a ser o de “trabalhar com S. Mamede, Batalha, que deveria ter nova unidade. festa, ao presentearem o público - gosto, por amor e convicção em torno sido cumprida a partir do passado dia O sindicalista reclama da autar- sobretudo os familiares e amigos -, da criança”. Os operários da Sociedade 19, mas recusaram. quia “maior pressão” junto da admi- de Porcelanas de Coimbra Jorge Vicente, dirigente do nistração da empresa para que cumpra iniciam hoje uma greve por Sindicato dos Trabalhadores das o protocolo. tempo indeterminado, em Indústrias Cerâmicas do Centro, disse Entretanto, denuncia Jorge Vi- à Lusa que, no primeiro dia da para- cente, os operários da Apolo, em defesa da manutenção da lisação, os trabalhadores decidirão Coimbra, que cumprem também um empresa no concelho e em outras formas de luta. período de férias, começaram a ser protesto contra a deslocação A Assembleia Municipal de contactados na passada semana pela Coimbra aprovou uma moção em que administração para se “apresenta- de trabalhadores para outra promete desenvolver todos os rem na empresa e negociarem a sua fábrica. esforços para impedir a transferência saída”. dos trabalhadores para outra fábrica e “Não há negociação nenhuma Os cerca de 70 trabalhadores, exigiu o cumprimento do protocolo nem rescisão por mútuo acordo, que cumprem um período de férias, celebrado entre a Sociedade de Por- porque a Apolo fechou ao ser adqui- regressaram ao trabalho anteontem e celanas e a Câmara no qual a empresa rida por um grupo italiano, que quer 39 dos operários têm uma ordem de se compromete a permanecer no con- laborar já este mês”, declarou Jorge transferência para uma unidade de celho, construindo para isso uma Vicente. Móveis GRILO JESUS CRISTO É O SALVADOR Os familiares e amigos dos alunos da “Pequena Sereia” encheram por Rua Marcos Pires “Crê no Senhor Jesus Cristo e “Quem crer e for baptizado será completo o auditório da Escola José Falcão Montes Claros serás salvo, tu e a tua casa”. salvo; Quem não crer será com trabalhos originais que, de uma Fundada em Maio de 1994, a Telef. 239 828 842 Actos 16:31 condenado”. forma lúdica e divertida, serviram para “Pequena Sereia” exerce a sua acti- S. Marcos 16:16 lançar o alerta para os problemas reais vidade de ocupação de tempos livres que, cada vez mais, preocupam a e complemento de formação escolar VISITE-NOS Roga-Lhe - F. R. Santos humanidade. Do vasto programa, destaque para crianças com idades compreen- didas entre os seis e os 13 anos. 7/01/04
  5. 5. comercial 5 tratégia promocional internacional, Vencendo o futuro aos 103 anos de vida Filomena Alvarez afirmou que na Santix “é preciso mais do que o simples passar dos anos para se fazer carreira: Troféu Internacional da Tecnologia são a honestidade, a lealdade e a vivência das boas práticas que nos servem de referência para, na nossa indústria e no nosso país, continuarmos e Qualidade/2004 atribuído à Santix a fazer história.” Assim, concluiu, com 103 anos de história, “acreditamos estar no bom Na tradição alicerçada numa factores estiveram ausentes no mundo adiantou que com muita confiança e caminho”, mas aconselhou que “de- ao longo do ano de 2003”, donde acreditando que sejam implementadas vemos estar alerta para enfrentar com empreendedora e diferenciada resultou uma crise económica de nível medidas estruturais de apoio, “con- galhardia os desafios que a conjuntura filosofia empresarial, aos 103 mundial que afectou particularmente o seguiremos transformar as ameaças em nacional e internacional nos impõe, anos de vida, a Santix voltou a nosso país. oportunidades.” garantindo assim o futuro da nossa Depois de considerar que “sendo Nesta perspectiva, acrescentou empresa.” reunir-se familiarmente em Portugal um país pequeno, não po- Filomena Alvarez, a Santix continua Reconhecer o trabalho e de- almoço de confraternização demos ignorar a realidade do sucessivo empenhada em novos mercados ex- dicação de toda a equipa da Santix, é alargamento comunitário” e conse- ternos, “assumindo com muito orgulho também uma das preocupações de nesta quadra natalícia. E fê-lo quente concorrência aqui gerada, bem a nossa audácia de pioneiros na expor- Filomena Alvarez. Assim, durante a por três ordens de razões: como da “progressiva queda de tação de vestuário há mais de 50 anos.” festa de Natal, foi distinguida Maria barreiras tarifárias e quotas alfandegá- Contrariando a tendência de que Maria João Lemos na altura em Oliveira, uma das funcionárias da respeitar a tradição que cortava o bolo de aniversário rias, nomeadamente da China, o que já Portugal não é apenas um país prestador empresa que no ano de 2003 com- proporcionando o ambiente está a modificar o enquadramento da de serviços de mão de obra barata, foi oferecido pela empresa pletou 45 anos de casa, e foram festivo a todos quantos fazem indústria têxtil e de vestuário a nível com emoção e orgulho que Filomena também cantados os parabéns a Maria parte da família Santix mundial.” Alvarez revelou que a participação da imprensa especializada europeia teceu João Lemos que no dia da festa Santix na última feira de Dusseldorf, os mais rasgados elogios a esta presença completou mais um aniversário. Para recordando a memória do seu Transformar as ameaças “foi altamente gratificante”, já que a bem como à colecção apresentada. E Filomena Alvarez, que também foi timoneiro Eládio Alvarez; em oportunidades empresa foi convidada a apresentar a como “cereja em cima do bolo”, eis que presenteada pelos funcionários com Afirmando que devemos assumir-nos colecção em passagem de modelos, a Santix foi galardoada com o ”Troféu um fio de ouro, são estes “pequenos reflectir sobre o que correu com realismo, como um mercado vindo no final a ser elogiada no con- Internacional da Tecnologia e Quali- gestos que marcam a diferença”, por- melhor e menos bem ao longo limitado incapaz de ombrear com tec- junto das grandes marcas internacionais dade 2004.” que, como defende, a “Santix não é o deste ano; traçar novos nologias e design’s mais avançados no presentes. Nesta sequência, foi com Referindo que este prémio tam- edifício, são as pessoas, o espírito e espaço comunitário, a gerente da Santix particular satisfação que a exigente bém vem confirmar o acerto duma es- alma de cada um de nós”. objectivos no quadro da definição e orientação de linhas estratégicas para o futuro. Ora, foi justamente, assente nesta trilogia que a administradora Filomena Alvarez centrou o seu já habitual dis- curso de Natal, que o tempo vem con- firmando tratar-se de documento que internamente serve de farol na produção fabril, sem perder de vista os horizontes de um cada vez mais concorrencial mer- cado mundial que o alargamento da Comunidade Europeia veio trazer, bem como a “invasão” asiática com parti- cular destaque para a China. Sustentando que o desenvolvi- mento e crescimento social requerem A reunião, o convívio e a partilha entre a administração e os funcioná- Filomena Alvarez entregou a Maria Oliveira uma jóia, um reconheci- sempre “paz e estabilidade económica”, rios da Santix foi um dos aspectos mais relevantes deste almoço de mento pelos 45 anos de dedicação e empenho da funcionária mais Filomena Alvarez referiu que “estes Natal antiga da Santix Três festas natalícias com o mesmo objectivo familiar Lojas de Coimbra e Leiria reuniram mais de duzentas pessoas em Santa Luzia mação nesta grande família, onde não representações exclusivas de marcas Alicerçada no já tradicional houve discursos e também ninguém de produtos e acessórios para auto- princípio em que o cliente falou de trabalho, mas antes se re- móveis, e que fruto desta postura per- forçaram os laços de amizade que sonalizada vem conquistando mer- Sotinar faz parte duma unem e fundamentam a filosofia de cado e alargando a sua “família” não família, realizou-se em actuação da Sotinar”, afirmou a “O apenas através da loja de Coimbra – meados de Dezembro num Despertar” o sócio gerente António referência principal e que foi o ponto Pratas. de partida de um comprovado êxito restaurante de Santa Luzia, a Nesta tradição que anualmente empresarial – mas também de Leiria, festa de Natal das lojas de se repete nesta quadra festiva, for- Lisboa, Aveiro e Porto. Coimbra e Leiria, num jantar talece-se o intercâmbio que resulta da Pela primeira vez, aconteceu que que reuniu à mesma mesa aproximação e convívio de pessoas em diferentes datas, se tivessem rea- Albertino Santos, director geral da Sotinar, num momento de convívio que não se conhecem ou reforçam a lizado três festas de Natal da Sotinar mais de duzentas pessoas. sua amizade tendo por elo de ligação em que Coimbra e Leiria foi em con- uma empresa especialmente vocacio- junto, o mesmo acontecendo com clientela. Ou seja, três iniciativas com relação personalizada a sua pedra “Foi uma jornada de confrater- nada na comercialização de produtos Porto e Aveiro enquanto que a loja de o mesmo espírito natalício alicerçado angular de actuação. nização e de permanente aproxi- para repintura automóvel, bem como Lisboa reuniu por si mesma a sua numa gestão empresarial que faz da E porque assim tem sido e será, garantiu-nos António Pratas, “nestas alturas festivas, esquecemos o tra- balho e proporcionam-se momentos de convívio à mesa, comendo e be- bendo no seio duma família onde não faltaram animações musicais, sendo certo que a maior alegria e boa dis- posição resultou dos próprios convi- dados”. Ficou mais uma vez assim com- provado ser esta a metodologia certa para o êxito duma empresa que tem como director geral Albertino Santos, cuja facturação atingiu em 2002 cerca de 6,5 milhões de euros e, apesar da crise generalizada, no fecho do corrente ano de 2003, esse montante deverá ser mantido, ou mesmo acres- António Pratas, sócio-gerente da Sotinar, durante o jantar de Natal A festa da Sotinar contou com a presença de centenas de pessoas cido na casa dos cinco por cento. 07/01/04

×